Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Porque eu decidi sair da internet

Postado em 15 August 2014 Escrito por Izzy Nobre 37 Comentários

internet

CALMA, NEM O BLOG NEM O VLOG VÃO ACABAR, SOSSEGUE SEU ABALADO ÂNUS. Nunca. Pode ficar tranquilão. Palavra de honra!

De uns tempos pra cá eu me pergunto por que eu passo tanto tempo na internet. O hábito não é nem um pouco recente; o que realmente freava meu consumo internético quando eu era mais novo era a Geração Pulso Único, que limitava meu acesso às madrugadas, fins de semana, e feriados nacionais.

dial up

Lembra disso?

Quando chegou internet banda larga lá em casa em 2003, o mais groundbreaking nem era a então estonteante velocidade de 256kbps, e sim o fato de que eu estava SEMPRE conectado. Demorou pra se acostumar ao novo paradigma de poder acessar a web no meio de, digamos, uma terça feira a tarde sem precisar mutar o som do modem e rezando que a mãe não tentasse usar o telefone. É bem possível que você tenha passado por isso também!

De lá pra cá a internet meio que domina minha vida. Eu trabalho aqui, sim, e isso até justificaria passar bastante tempo online… o problema é que nem sempre estou trabalhando quando estou online. A internet se tornou um padrão de stand by. Tá fazendo nada? Vai ver o que tá rolando na internet. E nisso horas se esvaem da minha vida, clique a clique.

O tempo que eu passo online (e mais especificamente, o tempo que passo online sem fazer algo diretamente produtivo) não é um problema recente também. Mas o negócio é que algo recente me fez atentar pro desperdício de tempo, atenção e energia que passar tanto tempo online significa.

fb

A porra do Facebook.

Ultimamente tem sido difícil defender o hábito de “Facebookear”, na falta de um termo mais conciso pra “ficar perdendo tempo na porra daquela rede social”. Tem o perene problema das suas informações pessoais sendo leiloadas para anunciantes (o Google também faz, vá lá, mas entre serviços mais úteis como o Search, Translate, YouTube Gmail, Earth, Maps, Street View, Drive e etc o Google também me ajuda a pagar minhas contas, então é mais fácil aceitar). Teve o recente fiasco da imposição do app de Messenger, que tornou o serviço virtualmente inútil em plataformas mobile.

Nem eu, que costumo gostar de oferecer pontos de vista alternativos ao consenso vigente, consegui defender aquele app horrível e a forma como ele fragmenta desnecessariamente a experiência de usar o Facebook.

E tem o problema principal: meus amigos, e provavelmente os seus, simplesmente não tem nada interessante pra dizer, e definitivamente nada interessante pra compartilhar.

Já tem um tempo que minha experiência Facebookística se resume a pular propagandas veiculadas pra um demográfico do qual eu não pertenço, pular posts epidêmicos de joguinhos Free To Play do momento, pular textos prolixos defendendo fanaticamente alguma ideologia política que me faz repensar amizades, pular artigos Buzzfeed-style de clickbait preguiçoso, e pular notícias que eu já li no Reddit ontem.

Nas últimas semanas eu tenho percebido que não há mais um motivo real que me leve ao Facebook. Simplesmente não há. Nada me leva àquele site senão o hábito; a memória muscular de digitar F A C, esperar o autocomplete do navegador, e dar um Enter. Aí repito aquela experiência enfadonha que mencionei acima, penso “wow meus amigos são um porre, né?” e saio do site.

E pior: como um peixinho dourado desmemoriado, momentos mais tarde eu mando um F A C Enter de novo, volto lá, e a única diferença na experiência é que o péssimo algoritmo da timeline do Facebook me mostra posts de 4 dias atrás como se fossem recentes.

Por causa disso, eu estive considerando o Facebookicídio. Não queria fazer um post dramático lá anunciando a iminente deletagem do perfil em um número arbitrário de horas, exortando os “amigos de verdade” a passarem a me mandar emails em vez de mensagens. É uma prática comum na rede social, mas ao mesmo tempo me soa drama queen demais. É como subir numa mesa na festa/bar pra avisar a todo mundo que a festa/bar está muito chata e que você tá indo embora, quando você poderia simplesmente ir embora sem alarde como uma pessoa normal.

E essa metáfora de subir na mesa pra avisar a todos que está indo embora é piorada pelo fato de que o sujeito frequentemente anuncia a saída, e acaba voltando — tornando o exercício do anúncio ainda mais transparentemente uma busca por atenção.

(Se bem que de certa forma, essa análise sobre meu desinteresse no Facebook se encaixa um pouco nessa metáfora também…)

Não vou deletar meu perfil lá, não farei alarde, nada. Vou apenas tentar reconhecer o inegável: não há mais nada pra mim lá. É como continuar indo a um restaurante com comida péssima e atendimento revoltante simplesmente pelo hábito.

Apesar do meu foco no FB nesse texto, o mesmo se faz verdade pra quase todos os outros ambientes internéticos. Usar a internet como “stand by” padrão quando não se está fazendo nada é um péssimo hábito, não importa que site você eleja pra isso, e me causa problemas nos meus relacionamentos IRL. Muitas vezes minha mulher reclama da atenção que dou ao meu celular quando saímos, algo que tento ativamente reduzir.

O problema é que isso é o reflexo de uma vida inteira preenchendo os pequenos momentos de inatividade com internet. É só um sintoma; o problema real é que eu preciso ocupar meu tempo livre — que é limitadíssimo — com atividades mais produtivas. Reclamo há anos da minha dificuldade em me ater a um livro ou de não conseguir me focar na música, que era meu hobby principal uns 10 anos atrás (enquanto hoje minhas guitarras empoeiram).

Sempre culpo a internet por roubar minha atenção, mas a culpa real é minha.

Quero deixar claro mais uma vez: isso não é uma despedida, não tou fechando o site, nem o canal, nada do tipo. Essas atividades são produtivas, são criativas, e acima de tudo, são lucrativas. Eu pago minhas contas com o que ganho entretendo vocês. Se todo o tempo que eu passasse na internet fosse escrevendo ou gravando vídeo, eu não teria problema nenhum.

O problema é usar a internet como entretenimento passivo, como um escape preguiçoso pra preencher pequenos momentos de tédio — seja com o Facebook ou qualquer outra coisa. Só foquei no Facebook aqui porque ele é mais universal (nem todo mundo usa Reddit, Fark, ou Twitter) e os problemas dele são mais tangíveis.

Vamos ver se eu consigo quebrar esse ciclo. Pelo menos por uma semana, tentarei sentar na frente desse computador em primeiro lugar pra produzir. E tentarei exorcizar o Facebook da minha vida online.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: A internet é foda

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 32 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas, e sobre notícias bizarras n'O MELHOR PODCAST DO BRASIL. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

37 Comentários \o/

  1. lolerson says:

    Faz bem, e é algo que eu também deveria fazer.

  2. Gogobrasil8 says:

    Concordo, ultimamente tenho passado bastante tempo no Secret, discutindo com quem acha plausível querer matar a Dilma, ou defender que a mulher deve se submeter, essas coisas. É um gasto de tempo enorme e na grande maioria das vezes sem resultados.

  3. IBG says:

    Boa, Izzy! Só cuidado com o backsliding!! Há algumas semanas eu decidi parar de acessar um site desses tb. A primeira semana até foi tranquila: aquela energia inicial ajuda muito. O problema mesmo foi lá pro meio do mês, quando eu decidi me “recompensar” com só uma visitinha. “Ah, nem tenho perdido mais tanto tempo, né.”

    E só agora com esse seu texto que eu lembrei que tenho que parar de novo…

    Presta atenção no backsliding!

  4. Vinicius Martarello says:

    Nunca tive Facebook, mas nos outros ponto eu concordo com você, nasci na Internet, e deveria tentar diminuir o uso.

    • Aleluia says:

      Nunca tive facebook também
      Acho engraçado que as vezes escuto de amigos que tal pessoa “surtou” no facebook, fica postando foto de tudo que faz (prato que come, viagem), de 5 em 5 minutos.
      Meu Deus… pra que vou querer um troço desses?

  5. Kuat says:

    Consegui passar um ano sem facebook, fui muito criticado e zoado pelos meus amigos.
    Mas o fato é que eu realmente me distanciei bastante de muita gente, com quem eu só mantinha contato pelo facebook.
    Foi bastante difícil no começo, quando percebi quanto tempo eu tinha em mãos, e aos poucos fui transformando este tempo ocioso em produtividade.
    Hoje além de ter um trabalho de desenvolvedor freelancer, aonde eu trabalho em casa, também sou entusiasta de engenharia sonora e música (levo mais na brincadeira do que sério, porém sempre arrumo uma música de algum amigo para produzir), e também tenho um canal no youtube sozinho, aonde eu posto vídeos duas vezes por semana (crio roteiro, gravo, e edito), eu também faço stream de jogos nostálgicos no twitch.tv de segunda a quinta sempre as 21h.
    Como todo dia é um jogo diferente, eu tenho muitos problemas em configurar a captura dos jogos, então os preparativos começam as 19h. O Stream vai até no mínimo 23h, mas já chegou a ir até as 2h da matina (foram 8 horas de trabalho relacionado à transmissão em um dia de trabalho e gravação do vlog).
    Ou seja, hoje meu dia inteiro e grande parte da noite está tomado de atividades que muitas das vezes nem me traz nenhum lucro, e muitas vezes só cansaço e raiva por ter problemas técnicos quase que diários.
    Mas é um compromisso que eu fixei comigo mesmo, um exercício de disciplina.
    Hoje eu voltei para o facebook principalmente para divulgar o meu trabalho e aproveitar as centenas de amigos que já estava adicionados lá, como público alvo. E eventualmente retomei contato com vários amigos com quem eu só falava por ali.
    Mas meu dia está TÃO cheio que eu não tenho tempo de ficar zapeando o facebook.
    Tenho uma rotina muito estrita no qual até tempo para olhar as notícias e coisas que me interessam é cronometrado. E o HBDia está dento dos assuntos que me interessa.
    Gostei muito do post e me reconheci bastante nele, então vale a pena gastar um pouco de tempo a mais para escrever meu relato para quem quiser ler.
    Obs: Não vou fazer propaganda aqui dos meus canais.

  6. VCR says:

    Kid, provavelmente você já saiba disso, mas existem extensões dos navegadores que ajudam a solucionar esse problema. Tem o “kill news feed”, que remove o feed do facebook quando você acessa ele, mas permitindo, por exemplo, que você leia as mensagens que te mandaram. Ajuda a evitar que você passe o olho no feed e comece a rolar pra ver o resto por distração. Tem também o “block site”, em que ele te impede de acessar os sites que você colocar numa lista, inclusive com configurações de horário e tudo mais (óbvio que você pode ir lá e simplesmente desativar, mas ajuda a não ser distraído sem querer, quando alguém te manda um link ou você mesmo acessa o site por puro costume de digitar o endereço). São boas alternativas para se forçar a não acessar esses sites e passar trocentas horas até notar que podia ter feito algo mais produtivo com seu tempo.

  7. Du Mayrink says:

    De fato, o Twitter é bem mais interessante! No entanto, Izzy, qual seria uma opção para o Grupo dos Patrões? Gosto muito! :o)

  8. Cá estamos novamente com mais um comentário em que eu tento refrear meu impulso de escrever horrores mas falho miseravelmente, desta vez em três pontos básicos.

    Quanto ao Facebook, a epidemia de buzzfeeds, política, futebol e anúncios já me fez tomar distância. Há algum tempo eu já uso Facebook em capacidade puramente profissional: eu compartilho coisas que eu faço(minhas resenhas, quando escrevia, e meus desenhos). Como eu costumava dizer, se o povo vai ficar empurrando as coisas deles na minha timeline, eu vou empurrar as minhas também.

    No mais, é só a maneira mais eficaz de falar com a minha família e vez em quando um amigo das antigas. Como rede social, me cansa(até porque quando se acompanha Reddit e Twitter, todas as piadas já chegam velhas na TL do Facebook :P)

    Quanto a avisar a saída de rede social, concordo, até porque já fiz, há muitos muitos anos atrás, e foi no deviantART. Saí porque não estava dando em nada, voltei porque resolvi tomar vergonha na cara e fazer arte ao invés de preocupar com público. No mais, é um troço vergonhoso e obviamente feito mais pra chamar a atenção. Se não tomar cuidado, ao invés de descobrir quem são seus verdadeiros amigos, você descobre quem *eram* eles. :V

    E quanto ao tempo improdutivo de internet, bom, a começar que estou aqui matando tempo mesmo. :V Mas é vero, aliás quanto mais eu comecei a focar em ficar produtivo, mais eu acabo deixando as atualizações de RSS e Twitter e afins pra depois. Por outro lado, eu parei de ler livros no ônibus depois que arranjei um smartphone, um hábito que eu estou tentando retomar(porque o tempo de ida e volta do trabalho é o meu tempo livre inútil mais garantido, tenho mais é que tentar usar esse tempo pra algo útil; semana passada finalmente terminei Encontro com Rama, aliás :V)

    E em notícias não relacionadas, de repente eu devia voltar a escrever no meu blog. Sei lá. 😛

  9. Danilo says:

    Kid, eu te falei há meses pra instalar o Kill News Feed e você disse que não viu razões suficientes pra isso quando linkei esse post pra você: https://medium.com/web-tecnologia/matei-o-news-feed-do-facebook-7fce6e8fef2

    Eu sei que você é um cara muito resistente a mudanças mas é só um plugin de nada. Instale e veja um aumento de 257% na sua produtividade. Comigo foi assim. 🙂

  10. Montanha says:

    Complicadíssimo isso mesmo!

    Acredito que a única solução é tentar se ocupar o máximo possível, e de preferência longe de algum device que lhe dê acesso a internet.

    Pra minimizar isso, acabo removendo essas ferramentas de meu smartphone, algo que já consegui fazer há bastante tempo, e mais recentemente do ebay (pois é, damn MTG).

    Largando a preguiça de lado e levantar da cadeira ou do sofá acaba sendo a melhor forma de deixar de perder tempo com a internet, como vou fazer agora.

    Fui.

    ==/o/

  11. Carmo says:

    Meu antes de conhecer seu site e seu canal eu era VICIADO ficava altas horas da noite no facebook,quando achei seu site e seu vlog começei a deixar de lado,ate que não entro mais no face faz uns 8 meses.
    O conteudo do facebook (apesar de não ter nenhum) era sempre repetitivo,ou é memes,ou frases entre outros é una bosta.
    Deixei esse meu vicio completamente de lado,quer uma dica:tenta colocar na sua cabeça “pra que eu vou entrar sendo que nada de interessante vai ter”,depois exclui o app do celular,mantenha o maximo de distancia e quando for entrar no computador,exclua historico que comtem o facebook,e vai procurar algo na internet para ler,assistir ou sei lá.

  12. Renan says:

    Eu, como muitos outros aqui nos comentários, me identifiquei bastante com seu texto. Acho que estamos todos presos a coisas improdutivas somente por força do hábito, cabe a nós tentar mudar isso e aproveitar melhor nossas vidas.

    Parabéns pelo Blog e Vlog Izzy, eles são muito bons.

  13. BruIno Alexandre says:

    Cara, vc acabou de abrir meus olhos!! Às vezes eu me pego no trabalho destruindo meu tempo de produção pra ficar vendo fotinhas com piadas óbvias, do que criar novas funções que facilitarão a vida dos meus clientes!

    Então, tô contigo nessa! 1 semana sem babozeiras e perca de tempo que, por sinal, é muito VALIOSO (My preciooouuussss)!!

  14. André says:

    O problema não é tanto a Internet, mas mais o Facebook e derivados.

    Quando eu chego eu casa eu vejo os novos videos do Youtube, mais 3 sites que eu acompanho e baixo os episodios novos pra ver antes de dormir. Pronto, não tem mais o que fazer, a Internet esgotou.

    Agora, se eu tivesse Facebook, Tuiter e o caralho de 4, a história seria outra.

  15. André Henrique says:

    Ótimo texto. Muitos pontos dele são bem explicados, especialmente a metáfora da festa/bar. Mas eu acho que o primeiro lugar vai pro whatsapp. A uns 2 meses parei com essa merda, e foi uma coisa ótima a se fazer.

  16. Danilo says:

    Demais, Izzo. Percebo que tenho o mesmo problema que você e reconheço que a solução para mim é a mesma que você encontrou. Também acho válido exorcizar da minha vida os come-tempo que existem na internet e é exatamente isso que eu farei. Abraço.

  17. Gustavo C. says:

    Também me identifiquei com a necessidade de passar menos tempo na internet fazendo coisas pouco produtivas.. Mas, mais uma vez, eu vejo alguém falando sobre um lado negativo do Facebook do qual eu me sinto distante, e a receita é muito simples e dispensa aplicativos: basta FILTRAR o que aparece na minha timeline. Eu não sigo quase nenhum “amigo” que está adicionado lá. Sigo mais sites e blogs cujos assuntos me interessam. E uma ou outra pessoa que quase sempre posta coisas legais. Assim a maior parte do conteúdo é aproveitável. Recentemente parei de seguir um amigo que até postava coisas boas mas um dia postou uma foto de uma criança vítima dos conflitos entre Israel e Palestina, morta com a cabeça toda estourada. Paro de seguir com o maior prazer e assim mantenho minha timeline limpa e sem aquela avalanche de postagens diárias.

  18. Dan Medeiros says:

    Também acho que o Facebbok tira muito tempo que seria útil para outras coisas. Escutei até um podcast recentemente sobre isso (https://tecnoblog.net/159260/tecnocast-003-facebookcidio/).

    Atualmente eu entro no facebook, e saio clicando nos grupos de amigos e páginas, simplesmente para tirar o número de notificações em cada um, sem ler seu conteúdo. Só não cogito me desfazer da conta pois ainda converso com uma meia dúzia de pessoas por lá. Até essa obrigação do pífio app messenger me fez desgostar ainda mais do facebook.

    Um outro agravante é que tenho uma página do meu estúdio de tatuagem, e preciso interagir por lá, por motivos óbvios né. Mas esse seu post meu deu uma ideia boa, vou tirar o app facebbok e ficar só com o messenger e o app gerenciador de páginas, mas ainda não sei o que farei no pc… mas vou pensar em algo.

    Um grande abraço a todos!

    P.S.: Já que comentei, vou deixar um jabázinho da meu estúdio (posso Izzy? rs).
    Neo Tattoo (http://tinyurl.com/NeoTattoo)
    FUI!

  19. Todos meus contados, notificações e qualquer outra coisa que distraia minha atenção estão mutados no facebook e a maioria no twitter tambem. Facebook só para as mensagens que me mandam sobre algum trabalho, e twitter para seguir uns de meu interesse. FB não tem mais nada que preste. Whatsapp todos os grupos estão mudos, contatos chatos como as tias das correntes também. Mandou corrente, toma bloqueio e cabou. Se precisasse mesmo de mim me ligaria.

  20. Leonardo says:

    Por isso que acho que o Facebook (o site, não empresa) vai ficar tão abandonado quanto o orkut daqui a uns 3,4 anos. Idem para o Twitter.

    Esses lixos não agregam nada para a sociedade… tem mais é que sumir, mesmo…

  21. Leithold says:

    Parabéns pela escolha e boa sorte, acho que isso vai te tornar mais produtivo, e vai render mais textos aqui inclusive!

    Conto rapidamente a minha experiência nesse sentido:
    Desde 2012 não uso mais nenhuma rede social. Sei que devo a isso a minha aprovação no curso e na universidade que eu queria. E lá dentro, ou pelo menos nos cursos mais competitivos, notei sem muita surpresa que NINGUEM É USUÁRIO ATIVO DE REDES SOCIAIS, ou nem possui um perfil! Todos perceberam cedo que isso tira o foco do que é importante e os afasta dos seus melhores objetivos.
    Twitter então é uma desgraça. É uma conversa infinita. Cada novo fato gera uma torrente de novos fatos, e memes, e novas conversas interminaveis, e se voce for acompanhando tudo isso vai perdendo seu tempo e mantendo o foco no que não é importante, no que não interessa no final.E o principal problema é o desgaste mental que tanta informação super divertida e super inútil provoca, mesmo que você não perceba.

    Esse texto aqui foi importante na época para eu tomar a decisão. Dá uma lida, é um bom artigo sobre o assunto e os comentários são melhores ainda.
    http://papodehomem.com.br/cometi-facebookcidio/

  22. Diego Matias says:

    Já não uso aquilo há uns bons meses.
    Meus amigos são melhores fora daqueles status e fotos compartilhadas.

  23. Marcus says:

    Eu reduzi o tempo no Facebook criando listas. Mas precisam ser listas que signifiquem algo. Por exemplo, crie um grupo chamado, sei lá, LEGAIS, e adiciona pessoas que publicam coisas interessantes lá. Separar por proximidade (o padrão do Facebook) não ajuda em nada porque uma pessoa que não é tão próxima pode ser bem interessante, enquanto que a sua tia querida, embora próxima, não publica nada muito diferente de “fotos da Dilma terrorista”.

    Sobre deixar somente os sites no feed, não gosto muito porque ficamos sempre numa incrível passividade… esperando, esperando o que aparece ali… Prefiro entrar nos sites e eu mesmo garimpar algo que preste. Abraço!

  24. João says:

    Devia simplesmente deletar e não fazer um texto gigante sobre isso.

  25. Marcos says:

    Cotando um pouco do meu “causo” também (que é basicamente o que todos fazemos por aqui…)

    Pra reduzir meu tempo na internet, eu cancelei a internet de casa e tenho um plano de dados móveis de uma operador relativamente ruim. Aí uso somente o necessário, já que a internet é lenta mesmo, ou seja, só pra pagar contas e outras necessidades.
    Voltei a tocar violão e ainda economizo uma graninha.

    Pra quem não trabalha com a internet em casa, eu fortemente recomendo! xD

  26. ugo says:

    Evitar perder tempo na web com mediocridade acho uma excelente decisão.

    Diminuir o uso da internet num todo acho desinteligente.

    Mas boa sorte, abcs!

  27. Débora says:

    O nível intelectual dos amigos melhora muito abandonando essas redes sociais. Há teorias que tais redes foram criadas para fazer os boçais ficarem quietinhos num canto sem encomodar os adultos. Tem que ser um pra dar-lhes atenção.

  28. Brauller Neves Lopes says:

    Meu hobby antes do facebook era fazer jogos antigos funcionar nos sistemas operacionais mais recentes.

    Trabalho com desenho, e tb é o meu hobby. Com o face, senti que piorei meus traços rsrsrsrs

    Vou começar a repensar tudo isso Izzy. Valeu por nos informar sobre seus pontos de vista.

    Muito inteligente da sua parte =)

  29. fulano says:

    Eu também já larguei mão do facebook. Entro de vez em nunca devido a um grupo que só tenho acesso por lá e tem algumas discussões interessantes… de resto, não tem nada a me acrescentar. Em contra ponto, sai do fb e voltei pro twitter 🙁

  30. Carina says:

    Que tal aproveitar o tempo livre pra fazer uns exercícios físicos, emagrecer um pouco, caminhar, andar de bicicleta ergométrica. 😉

  31. Gustavo Bissoli says:

    Izzy, instale a extensão para chrome chamada “kill the newsfeed”, sua experiência na rede social mudará drasticamente.

    Atualmente só uso facebook pra me atualizar nos asssuntos da faculdade como discussões sobre trabalhos e conversas sobre provas.

  32. M.Angelo says:

    Eu saí da facebook ha 7 meses e foi a melhor coisa que poderia ter feito. Não diminui meu consumo de internet, apenas mudei o foco. Agora o tempo na rede é para entretenimento produtivo (vídeos, filmes, música) e os amigos que realmente tem algo a me acrescentar eu sigo falando via whatsapp. recomendo fortemente.

  33. Elisandra says:

    Eu estou a tempos tentando conseguir desativar todas as minhas redes sociais e viver a realidade da vida, porém não consigo. Preciso de e dicas!

  34. Enoki says:

    Olha lí esse texto e tive um momento desse atualmente acompanho 16 seried ativas e semanalmente um ep. novo, hoje me peguei pensando pq diabos eu vejo essa serie. Não foi cancelada pq? Que coisa chata… e com o facebook aconteceu nem lembro quanto tempo atrás mas coisa de no mínimo 4 ou 5 meses, desativei a conta tanto pq não tinha amiguissimos para manter contato, e o povo estava chato demais. Agr descobri novas coisas que eu gosto e ate sou boa em fazer e tento me controlar para não descarrilhar no trem da vida virtual totalmente frenético e feliz. O.o

  35. Lucho says:

    Você não vai sair da Internet. Você vai sair é do facebosta. É que tem muita gente que ainda acha que o facebosta é a Internet.

    E recomendo muitíssimo isso. Comigo, primeiramente, recebi um block dessa maldita rede social. Jamais imaginaria que ficaria tão grato por um block. Percebi o quanto desperdiçava o meu tempo nessa porcaria (o pior desperdício que existe é o de tempo). Aí me desbloquearam e cometi o facebosticídio.

    Aí depois matei o Candy Crush, matei aquele joguinho dos Simpsons e estou pensando em fazer o mesmo para o Twitter.