Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Bobagem Internética do Dia ] Documentário “Freedom Fries”

Postado em 2 June 2013 Escrito por Izzy Nobre 20 Comentários

Ultimamente venho recomendando coisas legais nesta seção do site, então de repente é hora de mudar o nome da categoria.

E curiosamente, o que trago hoje também tem a ver com uma mudança de nomenclatura!

freedom fries

Freedom Fries: And Other Stupidity We’ll Have to Explain to Our Grandchildren (“Fritas da Liberdade: E outras estupidezes que teremos que explicar pros nossos netos”) é um documentário meio amador (o que adiciona um certo charme à coisa, eu acho — vejo o filme como um pouco mais autêntico e “cru”, mais honesto, que uma mega produção holywoodiana) sobre um fenômeno curioso que rolou nos EUA lá pelo começo dos anos 2000.

É o seguinte. Rolou o Onze de Setembro (essa década morando no exterior fodeu o meu padrão de reconhecimento de datas, quando vocês se referem a essa data como 11/9 eu penso “o que rolou dia 9 de novembro…?”), e os EUA decidiram foder com todos os regimes do Oriente Médio que olharam feio pra eles, por mais que não tivessem nada a ver com a confusão. E assim, as tropas aliadas invadiram também o Iraque.

Ir ao Afeganistão tudo bem, a comunidade global de inteligência estava em consenso de que o Taliban e a Al Qaeda estavam por trás dos ataques. Mas a conexão com o Saddam era muito tênue, e por isso muitos países que se meteram a ajudar os EUA no Afeganistão — como foi o caso do Canadá, por exemplo — se recusaram a ir comprar briga no Iraque. E foi o caso da França, também.

Os EUA, num momento de jingoísmo extremo (o que é perfeitamente compreensível, por muito menos do que um ataque como o Onze de Setembro nutrimos um ódio centenário contra os argentinos!), passaram a vilificar os franceses por causa dessa recusa em ajuda-los num momento de dificuldade.

Um argumento frequente repetido por americanos na época é que quando era a França sendo detonada por um inimigo maligno, os EUA mandaram milhares de jovens pra lutar e morrer recuperando o país pros caras (sabemos que os motivos não eram exatamente nobre altruísmo, mas enfim). Agora que os EUA precisam de ajuda, os franceses agirão conforme o estereotipo e fugirão da guerra? Que filhos das putas!

Então, num arroubo de revanchismo barato e passivo-agressivo, alguns estabelecimentos começaram a “boicotar” a França, com gestos idiotas como jogar vinho francês (que eles mesmos compraram) na sarjeta, causando um impacto nulo na economia francesa. Outra medida foi tirar o nome “French” de algumas comidas, como “French fries” (“batata frita”, entitulada nos EUA de “batatas francesas” apesar de terem sido criadas na Bélgica).

E assim substituiram o “French” nessas comidas por “Freedom”, ou “liberdade”. Estas não são “batatas francesas”, são BATATAS DA LIBERDADE! E sim, mesmo na época muitos já viam isso como cafoníssimo, além de fútil.

O documentário explora essa história meio patética dos americanos (além de cobrir também os efeitos do terrorismo na cultura americana tipicamente consumista) e é muito bem produzido e argumentado.  target=”_blank”>Vale os 50 minutos, assiste lá.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

20 Comentários \o/

  1. Vi esse nome “Freedom Fries” dia desses. Totalmente FAIL.

  2. Lembro que logo quando o Brasil perdeu pra frança na copa do mundo de 2006 eu fui na padaria com minha prima comprar pão e tinha um monte de gente falando que não queria pão FRANCÊS. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk por bem menos que uma guerra.

  3. J. Bianchi says:

    Gostei Izzy!
    Me lembro claramente das freedom fries (que coisa patética).
    Infelizmente o Sr. Obama está fazendo a continuação da política externa da era Bush. A diferença? Bush mandava torturar e agora estão matando os “inimigos terroristas”. Detalhe: terrorista é alguém de fora fazendo nos EUA a mesma coisa que os soldados americanos fazem fora dos EUA.
    Não fechou Guantánamo, não acabou com as guerras pelo petróleo. E ainda dão um Nobel da paz pra esse sujeito.

  4. Guilherme says:

    E french kiss? Mudaram o nome para freedom kiss também?

    • Tomas says:

      Eles abordam isso no documentário de forma irônica. haha

    • Gustavo says:

      Nunca entendi essa parada de french kiss, por acaso os americanos beijam de forma diferente?

      • Carlos says:

        Na america do norte nao é comum o beijo de lingua, por isso a necessidade de um nome diferente. French kiss é o beijo onde é so uma encostada nos labios (o que, ironicamente, a gente tem um nome pra isso e chama de “selinho”).

  5. isaac says:

    assistir um documentário de 50 min? Ain’t Nobody Got Time For That

  6. André says:

    Falando em “other”, Kid, faça um post explicando quando se usa “other”, “others” e “another” pq eu já procurei e não entendei direito.

    Te pago 5 real.

  7. IBG says:

    Muito foda o documentário, assisti até o final. Vale a pena msm

  8. Vitor Rossi says:

    9 de novembro é meu aniversário \o/

  9. Murdock says:

    Fazendo eu me sentir velho por te visto isso na época. Me sentindo mais velho agora por ter usado a expressão “na época”.

    Eles deviam ter lembrado que antes da 2ªGM os franceses ajudaram os EUA na sua guerra de independência.

  10. Piovesan says:

    É… mas na independencia deles quem ajudou foram os franceses né…

    • Ann says:

      E isso implica que eles tem de aceitar que os EUA façam duas guerras e matem milhares de inocentes?

      • Piovesan says:

        Acho que voce nao entendeu o comentario…
        Eles reclamam dos franceses mas quem ajudou os americanos na independencia foram os proprios franceses.

        • Ann says:

          Putz… vc tá certo, eu viajei!
          Sei lá pq eu achei q vc se referiu a frança ocupada pela alemanha nazista na segunda guerra.

  11. Luccas says:

    Izzy você por acaso vai fazer um vídeo ou texto sobre o vídeo onde o prefeito de Toronto supostamente fuma crack?

  12. Elliot McAllan says:

    Até onde eu sei, o saldo dos franceses tá 1x1 com os americanos, considerando que eles deram uma mão na independência!

  13. Felipe Zanon says:

    Vai ver é uma alusão à Estátua da Liberdade que foi doada pelos franc… Opa.