Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Calcinhas, cuecas e confusão

Postado em 31 July 2009 Escrito por Izzy Nobre 216 Comentários

Tudo começou com tanta inocência que você nem acreditaria.

Mimimi twitter não serve pra nada, né?

E você não imagina a confusão resultante. É o tipo de coisa que só podia acontecer mesmo num país sexualmente confuso como o nosso Brasilzão, onde imagens de mulheres rebolando sem calcinha em via pública sendo transmitido em rede nacional é completamente normal e parte da nossa cultura, mas meninas flagradas em momentos de intimidade com o namorado são vagabundas que não se dão o respeito e merecem ser hostilizada em seus perfis no orkut.

Com intenção de ironizar as campanhas de mobilização que pipocam literalmente todo dia no Twitter, o meu chegado Gratavaí Merengue bolou a imagem acima e a idéia por trás dela. Eu e o Morróida pulamos na idéia logo de imediato e promovemos o negócio com alegria, porque era uma forma engraçada de ironizar esse bando de ativista de sofá que acha que pode mudar o mundo adicionando um # na frente da termo que define seu ideal.

O que eu quero e preciso que você entenda é que desde o começo a idéia foi tratada por nós como galhofagem e sinceramente eu não esperava que ninguém embarcasse no movimento. Note que a imagem de “divulgação” do movimento não trás uma data nem nada – simplesmente não havia a priori a intenção de realmente organizar a massa a se despir sincronizadamente. Era uma palhaçada, e definitivamente não havia intenção de ofender ninguém.

Aliás, eu já estava antecipando as dúzias de mensagens do tipo “ihhh, miou aquele #lanjeridei de vocês ein, ninguém participou, mano!” e me perguntando se valeria a pena explicar que não era uma iniciativa séria, ou se suspirar com impaciência e apenas ignorar esses comentários seria menos cansativo.

Entretanto, teve uma turminha que levou o negócio muito a sério – as feministas militantes, carinhosamente apelidadas de “feminazis” pela sua postura agressiva e thirdreichmente inflexível. As acusações começaram a pipocar de vários lados: os promovedores do tal #lingerieday são todos filhos de putas que têm como missão “objetificar” a tuiteiras, estabelecer o fim do sufrágio, suspender a carteira nacional de habilitação de todas as mulheres e essencialmente peidar na cara de todas as realizações do front feminino nos últimos 100 anos.

Quando surgiu a primeira acusação de machismo, eu fiquei encarando a tela do meu computador embasbacado, sem saber sequer como responder. Foi como se tivessem enchido uma meia suada com vômito e em seguida rodopiado-a no ar e me dado um tabefe na cara com ela. Fiquei sem resposta imediata, olhando pra página aberta no meu navegador, tentando digerir o conteúdo do chilique e submete-lo aos filtros da lógica.

Primeiro, como já expliquei, eu não esperava que alguém levasse a brincadeira a sério, ou muito menos que escrevessem várias teses de doutorado a respeito de como o movimento era a maior infração dos direitos civis femininos desde o dia em que Adão apontou pra parceira com cara de desentendido e falou “aê Chefia, nem olhe pra mim, foi essa biscate aí que você me deu de presente”.

Em segundo lugar, há um problema primordial com o termo “machismo”, e as feminazis acentuaram tal problema com sua retórica obviamente tendenciosa (sim, sim, todo mundo tem retórica tendenciosa, mas isso não deveria acontecer se você está pregando igualdade).

Eis o problema: preconceito sexual é essencialmente o mesmo que preconceito racial – é uma via de mão dupla. Assim como homens agem com preconceito, mulheres também.

Chamar preconceito contra mulheres de “machismo” é atribuir esse tipo específico de comportamento a todos os membros o gênero masculino, ou sugerir que é uma condição inerente (e exclusiva) dos machos. Seria como chamar racismo de branquismo ou pretismo – na melhor das hipóteses é ridículo, e na pior é tão preconceituoso e ofensivo quanto as manifestação que a pessoa tenta criticar.

Experimente chamar alguém de estar sendo “pretista” e me diga qual foi o resultado. Me diz aí, por que mulheres podem jogar o termo “machista” pra lá e pra cá com impunidade?

E isso me leva à impressão de que “machismo” e “feminismo” são a mesma coisa – forças iguais mas em direções contrárias conforme descrevia Newton; ambas escolas de pensamento igualmente preconceituosas. Se “machismo” há de ser algo ruim, por que “feminismo” deveria ser bom? É apenas o mesmo preconceito em outro vetor, nem que seja apenas etimologicamente. Se querem continuar com o discurdo de igualdade, vão ter que arrumar outra insígnia.

Prefiro o uso do termo “sexismo”, derivado do inglês “sexism”. Despido da especificação de gênero, o termo se torna bem mais neutro e honesto. Afinal, “esse cara é machista!” é a defesa curinga de qualquer feminista exagerada, mas como nós homens podemos acusa-la de agir com o mesmo preconceito sexual do qual ela nos acusa? Não dá pra chama-la de “feminista” porque ela baterá no peito e falará “sou mesmo, com orgulho!” sem sequer entender que acabamos de acusa-la da mesma atitude preconceituosa.

Essencialmente idéia de “manifesto social” das feministas é agir com a arrogância caricata de comediantes negros americanos cujo ato humorístico reduz-se a desfiar as mil e uma formas nas quais sua gente é superior à branquelada. Igualdade, ou revanche sem qualquer substância? Chris Rock pode me fazer rir mas ele não é nem nunca será nenhum Martin Luther King Jr.

Enfim. As feminazis chilicaram e chilicaram. O argumento da vez é que estamos “objetificando” a mulherada. Não entendi a explicação delas, porque… bem, porque não houve uma. Elas apenas fizeram o salto “esses sujeitos gostam de ver mulheres seminuas, portanto pra eles mulheres nada mais são que objetos sexuais prontas a submeter-se a qualquer desejo carnal que passar por suas cabeças em qualquer momento”. E pronto, vaticinou-se nossa absoluto desprezo pelo valor da mulher.

Deixa eu te fazer uma pergunta. Se eu vejo um criminoso negro (opa, afro-brasileiro) e o descrevo como tal, alguém pode honestamente dizer que eu vejo TODO negro como criminoso, ou que aquele sujeito é APENAS um criminoso e absolutamente nada mais?

Obviamente não, isso seria uma apelação. Similarmente, dizer que uma mulher é gostosa ou apreciar a sensualidade não significa que estou limitando a mulher a uma figura sexual. É a constatação do fato de que além de todas as suas outras características, sejam positivas ou negativas, a pessoa também é atraente. E só isso.

Não posso falar de todos os homens do twitter, mas posso falar sim dos que eu conheço com intimidade (ui!), que são o Gravz e o Morróida. O Gravz é um intelectual como poucos, e o Morróida é um empresário bem sucedido que se veste de um personagem arrogante na internet pra divertir milhares de nerds. Posso garantir que nenhum deles faz pouco da figura feminina, e se apreciamos suas formas é simplesmente porque somos animais heterossexuais programados biologicamente pra ver tal figura como desejável.

Dizer sem qualquer embasamento que essa é a ÚNICA coisa que vemos é um golpe retórico baixo, e demonstra discurso ineficiente, ou simplesmente o resultado de anos de comodismo em simplesmente apontar homens como inerentemente sexistas sem necessidade de maiores explicações. Feministas estão mal acostumadas, essa é a questão – também pudera, qualquer um que ouse opo-las será automaticamente tachado de “machista”, e assim o nível do debate nunca se eleva. Sem (auto-)crítica, não há como crescer.

As feministas até tentaram esboçar argumentos melhores. Disseram que se realmente vemos a brincadeira com tanta inocência, por que não convidar nossas namoradas a participarem? Parecia um bom argumento, exceto pelo fato de que dúzias de garotas comprometidas (incluindo a minha) participaram.

E agora, José? Como fica a minha imagem de macho alfa controlador e opressivo, que mantém a mulher como minha propriedade particular? Complicou, né?

Sem recurso, as feminazis mudaram de marcha e passaram a hostilizar abertamente as garotas que participaram do #lingerieday. Elas seriam burras, ingênuas, incapazes de ver que estavam sendo manipuladas. As mais exaltadas nem perderam tempo com táticas diplomáticas e partiram pro ataque verbal descarado.

TUDO PUTA E VIADO OK

Vá ao twitter e pesquise qualquer combinação dos termos “#lingerieday”, “vagabunda”, “biscate”, “puta”. A maioria esmagadora de comentários inflamatório veio, pasmem, de outras mulheres. Das mesmas que acusam, ironicamente, os promovedores do evento de serem machistas.

Estranho. O argumento era que reduzir uma pessoa a uma imagem pejorativa dessa forma era preconceito exclusivo aos machos…? Não deveriam as feministas serem as PRIMEIRAS a se opor contra esse tipo de ataque?

Aí está a grande hipocrisia das feminazis. Ao mesmo tempo que elas nos criticam por SUGERIR que a mulherada mostre os dotes (afirmando que isso reduz a participante a um objeto de gratificação sexual), elas nem pensam duas vezes antes de partir pra ataques que reduzem as participantes a um objeto de gratificação sexual. Mostrou o bumbum? É UMA PROSTITUTA, cabou. Não quero saber se você é advogada, cientista, jornalista ou pesquisadora no ramo da cura do câncer. PUTA. Cabou-se.

Não é deliciosamente irônico? Não é contra esse tipo de atitude preconceituosa contra as mulheres que elas deveriam lutar? Imagino que tipo de opinião elas têm de modelos profissionais, ou de qualquer mulher do mundo que veste um bikini pra ir à praia e é vista por centenas de homens. Um bando de vagabundas, né?

Fica bem óbvio que feminazis como essas que chilicaram contra o #lingerieday não pregam nem querem igualdade porra nenhuma, visto que elas não têm problema algum em atacar ferozmente as outras companheiras em sua fúria anti-macho. Se exibir o corpo é “objetificar” e isso é algo inerentemente ruim, por que todas sugeriram que nós homens nos despissemos nos avatares? Com ingenuidade concordamos com a proposta, achando que isso aplacaria a fúria histérica delas, mas foi totalmente em vão. Como já falei, não é igualdade o que elas querem, porque se fosse a birrinha tinha morrido aí mesmo.

O que elas querem é uma carte blanche pra justificar seu próprio preconceito sexual, o que ficou muitíssimo evidente durante essa confusão toda.

Minha carta aberta às feministas é que parem e pensem um pouco nas merdas que vocês estão propagando na interwebs. Se você alega que uma garota é uma vagabunda simplesmente porque se exibe com sensualidade, você não é nem um pouco melhor que os milhares de homens preconceituosos que hostilizam mulheres ao redor do mundo pelos mesmos motivos. E se você abre a boca ou bate no teclado pra dizer que a apreciação pelo corpo feminino é pejorativa, culpe Darwin e não nós.

Claro que as feministas vão chilicar mais uma vez e desfiar sua ladainha de novo, tentando convencer aquelas que já concordam com elas. Opiniões dissonantes à parte, uma coisa ficou confirmada acima de qualquer dúvida – enquanto nós homens vemos a semi-nudez feminina com admiração, vocês se aborrecem com ela, a vêem como detrimental ao valor da mulher, e usam como justificativa pra altíssimo desrespeito. Quem está REALMENTE sendo sexista, amiguinhas?

E, ó? Uma trepadinha de vez em quando faz um bem danado pro humor. Toda essa aversão a sensualidade humana me faz pensar que vocês tão precisando desesperadamente de uma boa pirocada, pra reorganizar as prioridades.

E não me refiro exclusivamente às feminista raivosas. O conselho vale pra qualquer ranzinza.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Essa internerd...

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

216 Comentários \o/

  1. Rodrigo Reis says:

    Cara, você é muito engraçado, me lembra o Reggie Warrington do “The Nutty Professor”. Cada pessoa tem o direito de se extressar como quiser. Eu acho que cada um tem o direito de querer ou não se mostrar, ou seja, foda-se.

  2. Melow says:

    Carai Kid, otimo texto
    Sempre achei o feminismo uma forma descarada de racismo, as poucas vezes que falei criei inimizade com TODAS as mulheres que ouviram e suas amigas =/
    não só o feminismo, alguns ato “em pro da igualdade dos negros” também, mas você tem que ter muito cuidado ao falar nesse assunto, só o ato de questionar esses movimentos ja o consideram racista
    Ja fui muito criticado só porque achei a ideia de cotas para negros na universidade um absurdo.
    Porra, eu estudo por, va la, 4 anos e perdi minha vaga na UPE porque tenho menos melanina que meu adversário
    se isso não for racismo eu não sei o que é.

  3. D.Tribal says:

    Concordo com tudo que você disse. Primeiro elas começaram a xingar você, Morroida e o Gravz dizendo que só querem mostrar que as mulheres são objetos sexuais. E tentaram que nenhuma mulher aderissem ao #lingerieday, mas quando perceberam que as garotas (as que sabiam que não tinha nada de objetificação nisso) estavam participando, decidiram falar mal delas. Na boa, para elas terem falado isso era por que faltava argumento. Decidiram que era melhor xingar pois assim as garotas iam se sentir ofendidas, o que não foi o caso. Essas “feminazis” (amei o termo) não querem igualdade coisa nenhuma, se quizesem, não estariam xingando as próprias “amigas”. E o final do texto foi foda, falta de sexo total!

  4. Milena Wiek says:

    Se as pessoas, desde que não prejudicassem o outro, fizessem o que têm vontade, sem rótulos nem argumentos frouxos, o mundo ia ser mais feliz.

    Mas tb acho que o último parágrafo destoa um pouco do tom do post todo.

    É como disse o Rodrigo aí em cima: “cada um tem o direito de querer ou não se mostrar, ou seja, foda-se”. E seria muito mais legal se não fosse colocado um adesivo de puta na testa.

    (não, eu não participei do #lingerieday. meu marido diz que é o único que pode me objetizar e me comprou uma roupa adequada para que eu participasse do #burcaday)

    • Paulo says:

      Francamente, o corpo é seu. Você quer, você mostra; não quer, não mostra. Não dê desculpas no marido, nos filhos ou nos vizinhos. A liberdade é só sua. Essa maneira de pensar dos homens e das mulheres é muito antiquada. Evoluimos muito a tecnologia, mas nossa humanidade parece que não evouluiu ainda. Parecemos o macaco com a tocha acesa na mão: sabemos que o fogo é necessário para o preparo dos alimentos e para afugentar as feras, mas ainda causamos incendios e queimamos muitas coisas indevidamente.

  5. Fernanda says:

    Kid, conheço seu blog a um tempão, mas nunca comentei aqui antes. Esse post eu tive que comentar… rs

    Sigo você e o Morroida no Twitter e acompanhei toda essa confusão acerca do #lingerieday e achei patético…

    As pessoas que se ofenderam com a brincadeira não tem o menor senso de humor (e, algumas, nem inteligência para entender) e não perceberam que, se a brincadeira te ofende, simplesmente não participe.

    Não pude mudar meu avatar para participar simplesmente pq estava no trabalho e não tinha como tirar uma foto de acordo com as especificações da brincadeira.

    Mas se rolar um #lingerieday2 tô dentro!

    Abraços!

  6. Kid says:

    Aê milena 😀

    O fim do post foi só aquela cutucadinha inevitável. Me xingaram de tanta coisa que responder recomendando sexo é a menor das ofensas, em comparação.

    Aliás, sexo é bom porra. Não é ofensa coisa nenhuma 😀

  7. Eu descobri o #lingerieday por um post da @lubom, justamente por esse bafafa que deu…
    O que mais me revolta é isso o que vc falou, as próprias mulheres descerem o nível, caluniando as “mentes-abertas” que resolveram aderir o #lingerieday, e antes que digam que colocar uma foto de lingerie é baixar o nível, participa quem quer, olha quem quer, se exibem quem quer e quem tem “cacife” pra isso! Essas “feminazis” deveriam começar a olhar o que fazem antes de criticar e aumentar coisas que geralmente nem tem, pow era uma brincadeira…
    Foram homens que inventaram, IDAÍ?! Nem que o Papa me pedisse, se eu não tivesse afim não participaria… Isso sim é ter opinião e defendê-la, agora distorcer as coisas, inventar uma “objetificação” é cruel…

    Mulher-objeto é quem quer ser, quem se deixa ser, podem falar o que quiserem, eu sei o que sou, o que posso e o que quero e não é uma foto de lingerie que vai me transformar em ‘ser-não-pensante-pedaço-de-bife-pau-mandado-de-homem’…

    O pessoal leva a vida muito a sério, deve ser por isso que só sabe falar mal e andar de cara feia, até no avatar! hahahahahah

  8. uberlis says:

    O melhor é que em lugar nenhum dizia “TITS OR GTFO”, então quem quis tirar foto de corpo inteiro, tirou, e quem quis zoar e botar foto de calça de vó, fez isso.
    Ê, liberdade. Parece que esse povinho não entende mesmo. Por essas que odeio feminazis.

    • @Aramati_ says:

      Sim, eu curto o Lingerieday pelo lado da brincadeira, mas como nao tenho calçola de vó vou com as cuecas do meu pais mesmo, eu é q nao aparecer na internetz de calcinhas haushaushu

  9. @GuzzMartins says:

    Já dizia a minha vó: Se o macaco olhasse pro próprio rabo ao invés de ficar reparando no dos outros, o mundo seria muuuuito melhor!

    Belo texto, Kid! Concordo em “Gênero e número igual” =D

  10. Boa, ri demais com o post… alem do mais nao tem nem que ligar para esse bando de sapatas

  11. Cristiano says:

    O melhor texto sobre o #lingerieday… cara, tu colocou argumentos, foi racional, botou as feminazis no chinelo.

  12. Alone_ says:

    Rapá, ueahuehauea. Eu acho que vô ter que mostrar esse texto pra uma certa professora minha, uehauheuahuea.

  13. @UnasRiseth says:

    Rá! Acompanhei toda essa chafardanisse (?!) pelo toíter! Fico pensando q o senso de liberdade das feminazis é tão pálido quanto a pele dos integrantes da WaffenSS!
    Rotular de puta quem participou do #lingerieday (ou quem usa bikini na praia) é o mesmo que falar q todo preto é ladrão, todo político é corrupto ou q todo São Paulino é viado (tá, esqueçam essa última hehe).
    Mas isso é típico de quem não possui argumentos fortes: rotular e generalizar. Ou algo tipo: [tampandoouvidocomosdedos]lero-lero vc é machista mimimi vc é puta leroleronaumtôteouvindooo
    Mas usando a ideia do marido da Milena, q tal fazermos o #burkaday? Assim as feminazisWaffenSS poderão participar tb!

  14. Rauen says:

    Kid.. Kid, kid, kid… Como é q vc consegue escrever textos tão certos, corretos, objetivos… tendo saído do Brasil numa época tão… tão… Vamos chamá-la de “infanto-juvenil”, da nossa TV Brasileira…

    Sim, pq putaria explícita hoje vai mto mais além do que meninas de bikini procurando sabonete numa banheira no domingo a tarde, como vc mencionou no seu twitter… Nada contra isso ou contra quem faz isso ou contra quem desaprova isso… mas… Sei lá.. Hoje tá BEM pior que isso!

    O Brasil hoje vive uma fase de mulheres frutas, verduras, plantas, e outras coisas mais absurdas q vc não conseguiria nem imaginar… Eu q moro aqui no paraná acredito ter apenas meio por cento de conhecimento da putaria que rola lá pelas bandas de Sampa ou Rio…

    Agora, eu devo desfigurar um sentimento de preconceito aqui, Kid: que TODAS as “feminazis” q postaram críticas ao LingerieDay, dizendo q era Puta ou Exibida ou etc, aquela que participasse do LingerieDay, tem um SRTA antes do “username” (eu sou da época do termo ‘nick’.. IRC days)… portanto não devem ser levadas em consideracao, pq? Pq são EMOS, e EMO é uma puta racinha escrota, inferior, de pseudo adolescentes que se acham auto-suficientes, acham q pensam, acham q tem noção de estilo e moda, e que em grande maioria são homossexuais e bi-sexuais. (fora as idéias escrotas)

    Quer dizer que, agora é feio mulher pensar em sexo? Para. Quando mulher precisa de sexo, ela vai correr a quem? Ao dedo, ao vibrador, ao homem, e em alguns casos, ao seu cachorro. É a ordem natural das coisas… Não que eu seja contrário a gays e PRINCIPALMENTE lésbicas (a propósito, eu tenho obsessão por lésbicas)… Mas, pô, então quer dizer q a mulherada acha errado as mulheres que cultivam um corpo bonito, de se mostrarem num único dia para um bando de marmanjo que em grande maioria não vai nem chegar perto de algo de tamanha qualidade… É errado então eu achar bonito ver mulheres de verdade na tela do meu pc (mulheres de verdade = aquelas que moram no mesmo planeta q eu, nao, eu não to falando da Brittney Skye, ou Allanah Rae, elas são tão gostosas que eu acredito que elas venham de outro planeta)…
    E quer dizer que agora é feio homem pensar em mulher? Qual seria o propósito da existencia da mulher se nao fosse a nossa admiração? Porra meu, eu não to sendo machista ou transformando a mulher em objeto… Eu admiro, cultuo -- e outras coisas que eu não consigo achar palavras pra dizer -- a mulher e o sexo feminino. Admirar e cultuar o outro sexo é errado? É estereotipar? Então vá pra puta que o pariu, no perdão da palavra, e crie uma nova raça, pq se É errado eu que não sou gay gostar de mulher, então eu não sei o que é certo. (Pare pra perceber que eu fui um bocado sarcastico nessa frase)…

    Ou como diria o MESTRE Greg House: “Don’t blame me, blame my gender” e *Men should grow up* “Yeah, and dogs must stop licking themselves. It’s never gonna happen.”

    Sei lá cara.. Dizer que é machista aquele que enaltece os features do sexo feminino deveria ser algo no mínimo passível de BAN da INTERNETS…

    Ou como diria o Kid em temos saudosos… INTERNET SERIOUS BUSINESS…

    Ah.. Peraí… Agora eu entendi! O Kid voltou a escrever sobre gente que leva a internet a sério demais… Caramba… Gente, por favor, gostaria que vocês desconsiderassem meu texto aqui então… Feministas que levam a internet a sério são criaturas que devoram bebezinhos no calar da noite. eu tenho medo! elas vão devorar meu twitter… caramba!

  15. Cátia says:

    O post definitivo sobre o #lingerieday. Tá, e prova que o @izzynobre não é SÓ trollagem, embora ele insista em se fazer passar por isso. 😛
    Parabéns.
    P.S. E em todas as “análises”, foi a única que debateu o ‘sexismo’. Parabéns [2]

  16. Rauen says:

    A propósito.. As “meninas fruta, verdura, plantas, e etc” não são tudo putas.. tá, algumas até são, mas a grande maioria tão aonde estão pq souberam utilizar do que o Todo poderoso deu de presente pra elas… Uma salva de palmas a todas elas senhoras e senhores!

    A propósito, vc já viu alguma feminista gostosa?

  17. Pedro says:

    Este post me fez sorrir.
    EPIC WIN, estás fazendo o curso certo, Kid.

  18. Wendell says:

    Como você mesmo disse, a ideia não era pra ser levada a sério. Mas foi, e várias brasileirinhas (ops) classe-média-cabeça-aberta-moderninha tiraram fotos e postaram se sentindo sensuais -- as mesmas que criticam suas compatriotas menos hype do Orkut.

    Isso só prova que, literalmente, o Brasil é um país bunda. Onde um gaiato chega e fala “Mulherada, tirem a roupa”, e elas…tiram.

    Não, o movimento não teve nada de opressor, ninguém obrigou ninguém a tirar a roupa. Mas que trouxe a Twittosfera uma leve sensação de “WTF?” por parte de quem tinha o mínimo de QI, com certeza trouxe.

    E não leva a mal, Kid, mas você está pagando de moderninho dizendo que não tem nada demais postar a foto e que até a sua namorada postou, blá blá blá, mas a grande verdade é que se você não estivesse em Quebecca (entendeu o trocadilho? ha), tendo experiências novas da qual você julga boas, você CERTAMENTE teria a mesma opinião que alguns tiveram.

    Por mais que as meninas participantes não sejam p*tas ou vulgares, normais é que não são. Motivos já deram bastante: o risco de algumas dessas fotos desmoralizá-las caso sejam divulgadas no trabalho, ou outros lugares impróprios, etc.

    O próprio Morroida e o Gravs, ao olhar a tela do PC e vendo gente se despindo, tiveram com certeza uma leve sensação de meia com vômito na cara, e confabularam “putz, elas cairam”.

    Caíram.

    Quanto as feminazis, de fato algumas exageraram, mas talvez não seja falta de sexo, e sim um sentimento de vergonha alheia pela exposição de algumas garotas. A sensualidade da mulher, que é algo MARAVILHOSO, ficou banalizada de forma tão idiota é(por parte das mulheres mesmo), que foi difícil não comparar tantos #lingeridays como pedaços de carne grátis num açougue.

  19. Wendell says:

    Btw, aos amiguinhos que “se amarraram” nas fotos, o que pensariam se chegassem no quarto e vissem vossas mamães/irmãzinhas tirando fotos na cam de lingerie?

    😉

  20. tplayer says:

    E pensar que elas me hostilizaram quando postei uma foto minha pelado no twitpic.

  21. _g says:

    Era melhor logo que todo mundo fosse se foder (no sentido sexual mesmo) e parasse de aporrinhar o juízo alheio.

    E feminismo é mesmo um movimento tão imbecil quanto o machismo. Como se uma tirania justificasse a outra.

  22. Lorena says:

    Bela conclusão.

  23. […]Por que tantas veias explodindo na cabeça por motivos tão fúteis? Sim, feminazi, o motivo da reclamação é fútil, e não as gostosas mulheres que mostraram sua lingeries[…]

  24. cwalewsky says:

    Parabéns Kid, vou passar o link do post para uma feminazis aqui do trabalho. Mas o que esperar de algumas pessoas quem não tem inteligência para entender a brincadeira.
    Concordo com o ultimo parágrafo, “Uma trepadinha de vez em quando faz um bem danado pro humor.”

    Parabéns!

  25. Daniel says:

    Feminismo fede.

  26. Junior says:

    Caralho, que baita texto. Parabéns.
    Realmente, feminismo é um assunto que dá muito pano pra manga. É uma discussão que nunca vai ter fim, assim como os 100% negros.

  27. Na minha opinião, #lingerieday não foi questão de machismo, feminazis, de “ser puta”, de guerra dos sexos ou o que for. Foi questão de querer aparecer. Muitas meninas de quem nunca ninguém tinha ouvido falar finalmente tiveram seus 15 minutos de fama mostrando a lingerie.
    Mas concordo com o ponto que você faz, de que o sexismo é o mesmo dos dois lados. Achei legal você curtir a participação da Becca, porque a maioria dos homens acharia lindo a mulherada de lingerie, mas quando fosse a mulher deles ali, nem pensar!
    Abraço!

  28. Kid says:

    @Wendell

    Você levantou uns argumenos interessantes com concisão e eloquência.

    ENTRETANTO, perdeu pontos nesse segundo comentário fazendo um apelo emocional barato, previsível e acima de tudo, ilegítimo -- o que minha mãe/irmã fazem ou deixam de fazer não influencia o cerne da questão. Por que você acha que policiais não podem envolver em casos envolvendo familiares, juízes não presidem julgamentos em que seus familiares estão diretamente envolvidos, e médicos não operam (ou no geral, preferem não operar, pelo menos) seus próprios filhos ou primos?

    Sem contar que esse “ahhhh Quide mas se você não fosse (X), não pensaria assim” é completamente um non-issue. Tá, se eu tivesse asas, não viajaria de avião. Mas e daí?

    Mas no geral gostei do seu comentário.

  29. Kosher-X says:

    Olha, Israel. Eu vou te confessar algumas coisas. (e pros outros leitores, claro).
    1- admirei muito a atitude de vocês no final, porque você, gravz e morroida começaram isso como uma paródia aos “movimentos sociais de protesto dentro de casa pelas interwebs”. Eu também nunca imaginei que isso seria levado a sério por algumas mulheres de cabeça definida, grande coragem, personalidade individual e, claro, com muita libido.
    E mais ainda que todos vocês e mais alguns resolveram mostrar fotos de cueca, só pra dar um calaboca nas feminazis e outros esquerdistas de boutique hipócritas (que não se calaram, como vocês mesmos perceberam, esses celerados hipócritas. Nunca imaginei que vocês chegariam a tanto, se fosse eu, desistiria da piada e me esconderia debaixo da cama. Parabéns mesmo pela atitude de vocês.
    E, pelo que eu li, não faço que nem você e afirmo que TODAS as feminazis são gordas e mal comidas. Isso eu achei que foi um erro teu. Mas você é um semeador da discórdia incorrigível, que há de se fazer? Se bem que, pelos artigos que li das ‘feminazis’, elas parecem realmente mal comidas, teve uma reclamando até que só se dava ao trabalho de se depilar porque o namorado dela exigia isso por pressão da sociedade machista. O que é ridículo. Antigamente, a sociedade machista achava exatamente o contrário, que a mulher que se depilava era uma vadia e que sempre deviam manter as axilas com pêlos à vista, que era coisa de ‘mulher direita’.
    Enfim, citaram até um autor que desconheço e esqueci o nome, onde ele PROVAVA essa tal opressão machista pelos padrões estéticos impostos. Absurdo! Eu concluí que ele apenas provava que aquele autor foi a base de uma caricatura de um professor universitário adúltero e sexista de um episódio dos Simpsons. Então, sim, muitas delas já estão muito perturbadas por lavagem cerebral sexista, e o lingerieday foi um tormento pras cabeças delas. Isso que tornou o balde delas. Não que eu tenho pena nas feminazis, mas mostra o porquê vocês, do “lado de cá”, nunca conseguiriam nada em nome da razão e da lógica. Essa gente não conversa nem debate nada, e nunca fazem autocríticas.
    O jeito era realmente fazer o que vocês fizeram, e mandá-las catar coquinho.
    Novamente, elogio vocês por essa atitude.

    E, por último, Kid, eu poderia usar partes deste seu artigo no meu blog? Tô pensando em reativá-lo e escrever sobre isso, também. Vai me dar algumas provas factuais, já que você é um dos “mentores machistas” do “movimento explorador das mulheres oprimidas”.

    Mais uma coisa: valeu pela idéia do termo “sexista”. Como eu nunca pensei nisso antes? Começarei a adotá-lo desde já.

  30. Excelente texto. Dentre os que li por ai sobre o #langerieday foi o melhor.
    Muitas ainda estão se querendo MUITO com isso de ser “feminista” e todo o mimimi envolvido. Quando algumas atentam em me chamar de “machista” digo que “sou sim, assim como voce é feminista”. Ja fui trocentas vezes mandado aosl ocais mais longiquos da face da terra por brincadeiras que faço. Se fosse realmente puro “feminismo” quando os homens também aderiram (e não foi algo assim tão belo), mesmo em pequena quantidade (se comparado as mulheres) tudo estaria resolvido, como ja dito, mas recalque é algo que vai além de qualquer preceito que a pessoa defenda.
    Se outras quiseram colocar fotos suas de roupas de baixo on-line. NÃO É PROBLEMA SEU! Se essas fotos vão ser usadas contra elas em um tribunal no futuro, é algo que elas deviam ter pensado e não qualquer outra que nem contato com elas tem.
    E se eu visse minha mãe/irmã tirando fotos na cam de lingerie, ia bater de ombros e fechar a porta, façam de suas vidas o que quiserem.

  31. fah says:

    Você pode não ter comentado para não tocar em uma parte delicada do assunto, mas com certerza uma parcela dessas femineuróticas sente apenas a mais simples e pura invéja… “mostrar minhas pelancas e minha verruga na bunda??? muito mais fácil chamar as que se cuidam um pouquinho e não tem o peso com 3 dígitos de puta…”

    ^_^

  32. Renan says:

    Ótimo texto. Retrata fielmente as mulheres desse país.

  33. @Wendell,

    “Por mais que as meninas participantes não sejam p*tas ou vulgares, normais é que não são. Motivos já deram bastante: o risco de algumas dessas fotos desmoralizá-las caso sejam divulgadas no trabalho, ou outros lugares impróprios, etc.”

    Só me responde uma coisa: Porque uma foto de lingerie me desmoralizaria? Quantas atrizes, jornalistas e até blogueiras já não se despiram muito mais do que as participantes do #lingerieday e não deixaram de ter moral, inteligência e relevância? Porque uma mulher é sensual ela deve ser desmerecida? Por favor, né?
    Participei, adorei e em NENHUM momento me senti um objeto. Não mudou em NADA a minha condição de mulher inteligente e pensante. Anormal é você, Wendell, que não consegue ver que isso tudo foi uma brincadeira e que MORAL não tem nada a ver com o jeito que uma pessoa se veste ou tira fotos no twitter, mas sim como ela se porta na vida -- respeito, honestidade, decoro… Essas coisas que andam em falta aqui no Brasil.

  34. neryuuk says:

    Kosher-X: “teve uma reclamando até que só se dava ao trabalho de se depilar porque o namorado dela exigia isso por pressão da sociedade machista.”

    Olha, mas o que diabos ela está fazendo com um macho opressor? Como assim ele OBRIGA ela? Ela não é uma mulher bem resolvida e que quer igualdade?? Vê como é no mínimo contraditório, beirando o retardo mental extremo…

  35. Kosher-X says:

    Bom, neryuuk, creio que nem preciso responder nada porque você só corroborou o que eu disse antes. Só resolvi jogar o artigo original que citei aqui (espero que eu possa):
    http://ofensivammm.blogspot.com/2009/07/da-onda-feminista-i-choose-my-choice.html

    Leiam o último parágrafo, que é o que eu citei. Mas recomendo lerem tudo, se tiverem paciência. Eu li e ri de tamanha obra de humor produzida involuntariamente por uma lunática com o cérebro lavado por um professor esquerdinha-caviar vagabundo que provavelmente fica pagando de ‘protetor das donzelas indefesas’ COM O MEU DINHEIRO DOS IMPOSTOS (e os de vocês também).
    Aí nós vemos QUEM REALMENTE se deixa explorar por homens e quem NÃO se deixa. Claro, esse é só UM exemplo, admito que não posso julgar todas as feminazis só em base desse artigo (exceto a autora e quem concordou com ela integralmente). Mas é difícil de acreditar que essa gente não tenha passado por lavagem cerebral muito agressiva.

  36. Kosher-X says:

    Ah, mais um. A outra feminista citada no artigo que enviei antes, linkou pro morroida.
    http://beauvoriana2.zip.net/arch2009-07-01_2009-07-31.html#2009_07-23_20_14_28-127299368-0

    Por favor, Kid, deixa aí os links dos artigos. Ela acha justo linkar pro outro lado, acho que vc tem direito disso também, se assim quiser.

  37. na linha 2: “país sexualmente confuso”

    ué…

    “hipócrita” mudou de nome?

  38. Wendell says:

    Rachel, eu ia responder, mas mediante o seu nick, desisti.

    Grato.

  39. @Wendell
    Ah sim, claro. Porque “bitch” a gente não responde, né? Pra quê se dar ao trabalho de debater com uma mulher que tem um rótulo desses, né?

    Beijinhos e liberte-se

  40. Borbs says:

    Pra mim, é simples: quem reclama é mal resolvido. Pra mim é o equivalente a quem SÓ acha “mulher de revista” bonita, por exemplo. Não conhece mais do que lhe mostram. Essas são as idéias.

    Agora, também acho errado quem leva a sério ou defende DEMAIS um evento como esse.

    SÃO SÓ MULHERES DE SUTIÃ E CALCINHA, PORRA!

    Obrigado, morram.

  41. Borbs says:

    ps. A Rachel tem uma das melhores “conversas” que encontrei pelas interwebs.

  42. Marcelo says:

    O #lingerieday virou babaquice na hora que seus idealizadores, entre outros, começaram a ostracizar e rechaçar fotos de qualquer pessoa que não fosse garotinha gostosinha peituda fazendo cara de puta. Vcs mesmos detonaram seu suposto “protesto”, véi.

  43. Vinny says:

    @Wendell
    Claro que não vai responder:

    1º) Os argumentos dela são superiores aos seus.
    2º) Porque você JÁ A OFENDEU ao citar o nick dela como justificativa para a não-resposta.

    Pena que você não reparou que o nick dela resume, de maneira correta, a frase: “It’s Rachel, (you) BITCH!”, sendo o “you” completamente subentendido.

    E lembre-se: vivemos em um Estado Democrático de Direito. Todos têm o direito de fazer suas próprias escolhas, contanto que não infrinjam a Lei. Se ela não lhe agrada, paciência, mas isso não te dá o direito de julgar ninguém.

  44. agage says:

    mimimiimimmim, como sempre, mais merda que os “pseudo-cults” espalham que nao tem ada a ver com nada. (pausa para rir do ultimo parágrafo) é soda ”/

  45. Vinny says:

    @Marcelo
    Argumento fraco. Participou quem quis, inclusive teve muito marmanjo botando foto de cueca Twitter a fora.

    E se você não entende o significado da palavra GALHOFA, você é um caso perdido…

  46. Kid says:

    @Marcelo

    O #lingerieday virou babaquice na hora que seus idealizadores, entre outros, começaram a ostracizar e rechaçar fotos de qualquer pessoa que não fosse garotinha gostosinha peituda fazendo cara de puta. Vcs mesmos detonaram seu suposto “protesto”, véi.

    Aponte que fez isso.

    Quem hostilizou as meninas não foram os homens que participaram, muito menos os organizadores. Vai lá no twitter e faz a pesquisa que eu sugeri no post.

  47. Wendell says:

    Viny, eu a ofendi com O PRÓPRIO NICK DELA?

    Ha! É como se alguém ficasse ofendido por ser chamado pelo próprio nome, ou um negro ser referido pela sua cor de pele negra, ou um loiro ser referido pela cor de seu cabelo.

    Por favor.

    Do mais, se você acha os argumentos dela melhores que o meu, parabéns, campeão! Eu não vou discutir com alguém cujo argumento pode ser resumido por “O pessoal da televisão faz, por que eu não posso?”.

    E segundo os meus parcos conhecimentos de inglês, que certamente o Kid pode corrigir se eu estiver errado, por “its”, sem apóstrofo, eu entendo como “seu/sua”.

  48. "ItsWendellFag" says:

    Vinny, com dois n’s. Foi mal.

  49. Elaine says:

    Sinceramente, não acho que isso seja “feminismo”, a maioria das garotas que opinaram vulgarmente sobre o #lingerieday nem devem ter noção do que é o Feminismo, que nada mais é do que uma forma de “libertação” das mulheres em relação a imposição cultural a tempos atrás…lembram da história de queimar o sutiã??? pois é, parte do princípio que a muçher tem que tem vontade própria, ou seja, decidir o que quer fazer…eu decidi postar no #lingerieday, foi uma forma de me expressar, de mostrar que gosto do meu corpo, que me cuido, que gosto de mim assim como eu sou…meu marido adorou os cometários que fizeram sobre minha foto e se sentiu todo orgulhoso… Tá cheio de menininhas aí que ficam mostrando a bunda e outras coisas na Webcam e escondendo a cara e depois quer falar de quem não tem nada a dever…mostrem seus históricos do msn pro papai e para mamãe!!!!
    Sou a favor da liberdade de expressão com fundamentos e não comentários que sem conteúdo!!!
    Obrigada!!! bj

  50. Vinny says:

    @Wendell

    É claro que ofendeu, porque ficou subentendido que você a chamou de bitch.

    Mas não vou prosseguir discutindo contigo, eu tenho coisa mais útil a fazer do que ficar batendo palma pra maluco.

  51. mooglez says:

    Só vim deixar isso aqui:

    Wendell:

    Rachel, eu ia responder, mas mediante o seu nick, desisti.

    Grato.

    OWNED!
    É Rachel, teu argumento acaba no teu nick.

    Mesmo que tenha razão.

  52. Vinny says:

    @Elaine

    O ponto é exatamente este, perfeito.

    O problema é que as feminazis incorreram no mesmo erro dos religiosos: transformaram ideias que possuem valor e que são importantes em DOGMAS -- “Se você não concorda comigo então está errado e não quero saber de mais nada”.

  53. Muito bom, quidê! Engraçado foi quando sentenciaram, logo de início, que você, morroida e eu não teríamos vida sexual ativa e somente assim veríamos mulheres de lingerie.

    Ao longo do longo e tenebroso inverno do #lingerieday talvez alguém os explicasse que NÃO ERA BEM ASSIM e, enfim, sua cutucada final fez muito mais sentido.

    No mais, se há quem já viu defesa para o estuprador Champinha e, depois, ataca o #lingerieday, convenhamos, melhor nem dar tanta corda.

    Mais um EPIC WIN, da TROLLAGEM LTDA. Grato.

  54. mooglez says:

    @Vinny
    Porra, cara.
    Comé que é?
    Tá maluco, mermão?

    A mina não se intitulou, mas usou a expressão americana “It’s Whatevah, Bitch!”.

    Ela pode chamar as pessoas de vadia, ironicamente, mas não pode ser chamada disso?

    É o sujo falando do mal lavado.

    E ai vai mais discussão.

  55. “Pena que você não reparou que o nick dela resume, de maneira correta, a frase: “It’s Rachel, (you) BITCH!”, sendo o “you” completamente subentendido.”

    Ficar repetindo o que os outros já disseram é difícil, mas pra quem NÃO LÊ, é o jeito.

  56. It’s a freaking JOKE. Intertextualidade, sabe?

  57. Cícero says:

    Cara ia falar que seus posts não eram mais como antigamente, mas vc se redimiu com esse último.

    Gostei bastante, como vc tratou com lógica e racionalidade (isso foi redundante? :P) essa questão das feministas. Acho que se popularizou tanto que o “machismo” é algo ruim que necessariamente as pessoas pensam que o seu oposto é algo bom. Porém o que ocorre, como você mesmo falou tão bem, é que são comportamentos de mesma índole somente voltados para indivíduos de gênero sexual diferente.

    Tá de parabéns kid, pena que não dá pra postar tudo isso no twitter 😛

  58. leitor vouyer says:

    eu heim… ainda bem que eu não acesso o twitter.

  59. Sabe o que foi o mais legal desse dia??

    Ele não passou de um dia normal para mim, em que apareceu uma meia duzia de sutiens duas calcinhas e bleh.

    Jamas vou entender o porque de tanta confusão.

    Mas concordo com o Izzy, a maior parte das sexistas femininas, sequer respeitam a opinião da contra parte de mesmo sexo que resolveu participar.

    E grande merda mostrar um pedaço de lingerie na internet. Eu costumo ir comprar cigarros de samba canção, e estou pouco me fodendo se o povo acha ruim, o ponto de vista dos outros sequer me influência.

    é… caguei para vcs o/

  60. Afonso says:

    Não li todos os comentários e acho que alguém já deve ter dito.

    Eu acho é que um erro chamar as Feminazis de “Feministas”, elas estão sendo na verdade é muito Machistas. Feministas lutaram, entre muitas coisas, pela [b]liberdade sexual[/b]. Feministas REAIS diriam que não é só porque uma mulher publica uma foto de lingerie que são automaticamente putas/devassas/piranhas, pelo contrário. Diriam que as participantes do LingerieDay não só estão confortáveis e seguras de sua própria sensualidade, como também tornaram esse fato público.

    As “feministas” reais da história são as próprias participantes do #LingerieDay, porque [b]elas[/b] se mostraram sexualmente liberadas das “amarras da sociedade”. Enquanto as feminazi só provaram estarem presas no pensamento machista vigente no país e ainda acharem que estão se “valorizando”. Francamente.

  61. Vinny says:

    @mooglez
    Se você não sabe interpretar um texto, problema o seu, porque qualquer pessoa letrada entendeu o que eu quis dizer.

    Se o seu objetivo é pura e simplesmente trollar, favor vá catar coquinhos.

    E se você não percebeu a ironia no nick dela, eu só posso lamentar sua falta de senso de humor.

    A propósito: por que eu continuo dando comida aos trolls?

  62. @ZeckPolastrelli says:

    Hahahahahaha, sensacional cara.
    Texto engraçadíssimo mas muito sério e com uma PUTA crítica!
    Houve, evidentemente, um excesso por parte dessas pessoas que dizem “defender” as mulheres e todo esse blá blá blá… o meu argumento é sempre o mesmo e nunca conseguiram me explicar: Pq ver uma mulher de calcinha e sutiã em fotos sensuais é ruim é pecado e mimimi e ver a mesma mulher de biquini fio dental na praia não é? Não é tudo a mesma coisa com a mesma finalidade e cobrem a mesma parte do corpo? Difícil, não? Pois bem, parabéns mesmo, eu vi a rajada de críticas que vcs foram submetidos e sempre levaram com bom humor, este que sempre moveu o #lingerieday… parabéns pelo texto e principalmente pelo último parágrafo! hAHAhaHAH!

  63. ItsWendellFag says:

    Por que está “subentendido”.

  64. juhhg says:

    Só sei de uma coisa…
    Ninguem foi obrigado a entrar nesse movimento, só entro quem quiz…
    Eu não entrei esse ano, mas ano q vem não perco por nada!!!

    E tem mais uma coisa…
    Se a @ItsRachelBitch for puta eu tambem sou!
    Pq eu convivo com ela diariamente a mtos anos oq me faz ter manias e atitudes parecidas com as dela!
    Então é isso, faça sexo e deixe as garotas em paz! =D

  65. Nighto says:

    Me amarrei no texto do @izzynobre sobre o #lingerieday: http://bit.ly/2vXoUh

  66. mooglez says:

    Bom, eu não tô trollando, ainda.

    Mas já que é pra ir por tópicos, eu posso.

    1) Sim, eu sei a diferença do nick dela. Eu vi que é uma ironia e que é uma menção à uma expressão. Eu mesmo falei

    2) Ela usa como uma apresentação. Mas uma apresentação contraditória quando o assunto é “Parcipei no #lingerieday e não curti ser chamada de “Puta”. Sempre pode aparecer alguém pra reclamar, mas mãs no teu nick, você chama alguém disso.

    3) Não tô nem ai pro povo que participou ou não, até fiz um texto sobre isso. Por sinal, ao mesmo tempo que tinham as meninas que estavam na brincadeira, tinham as ATTwhore. Se você sabe o que é troll, sabe do que eu to falando

    4) Acredito que assim como existem as pessoas que defendem o #lingerieday, existam aqueles que não gostam. Mas assim como tu disse, seria alimentar o troll. Mas o fato é que se tu tem bons argumentos, APRESENTA. Mas também quem tá no time dos “atacados” tenha bons argumentos. Não se faça valer apenas das palavras dos outros.

    5) É como eu postar aqui com o nick de “GayzinhoGay” -- este personagem criado pelo Ota -- e falar “Não gosto que falem gay pra mim. É contraditório! Eu li o texto, concordo em partes. Mas isso é problema meu.

    6) Pára de achar que todo mundo vai de encontro -- e eu nao disse AO encontro -- das tuas opiniões são burros. Ou então no caso, trolls. Só não vale a pena tu defender uma pessoa que perde no argumento, sendo que ela se intitula alguem com essa determinação.

  67. Vinny says:

    @ItsWendellFag
    Se você ou outra pessoa não consegue entender uma ideia subentendida, está assinando o atestado de analfabetismo funcional.

    Mas fique tranquilo, nós gostamos de você mesmo assim.

  68. RT: @nighto Me amarrei no texto do @izzynobre sobre o #lingerieday: http://bit.ly/2vXoUh

  69. mooglez says:

    Apenas reescrevendo essa parte, pq eu ão tenho “edit” pra mim aqui:

    2) Ela usa como uma apresentação. Mas uma apresentação contraditória quando o assunto é “Participei no #lingerieday e não curti ser chamada de ‘Puta'”. Sempre pode aparecer alguém pra reclamar. Porém, no nick dela, como ela escreveu, ela “chama” alguém de puta. “It’s Whatevah, (you) Bitch”. Em míudos, está chamando.

  70. mooglez says:

    @Vinny

    Agora pq a gente apresenta argumentos de que não concordamos com os apontamentos dela, por ter um nick desse jeito, somos analfabetos?

    Beleza. Se for pra ter esse tipo de pensamento, posso jogar na mesma moeda e realmente atirar merda no ventilador.

    Apesar de contas, parece que assim, você prefere fingir que nada vê e apoia o Sarney.

    E todos vivemos felizes para sempre.

  71. Tonkiel says:

    Resumindo, pra esse povinho acéfalo aí se a gente começar a usar a tag #VamosConquistarOsEstadosUnidosDaAmerica elas vão nos denunciar ao FBI. Além de não ter NADA melhor pra fazer da vida, querem vomitar um monte de “merde” (e é óbvio que tem mais um monte de gente sem tutano que corrobora com as teses ultramente mirabolantes) achando que são os supra-sumos da inteligência homo sapienistica. O último parágrafo era ESSENCIAL!

  72. Vinny says:

    @mooglez
    AGORA você apresentou argumentos válidos. E agora que a trollagem não faz mais sentido, preciso contra-argumentar:

    1) OK.
    2) Isso é algo para o qual eu não posso responder, apenas a Rachel. Então eu passo.
    3) Direito seu ignorar a “campanha” e concordo que em qualquer aspecto da vida há quem se aproveite da situação.
    4) E qual é a graça de não poder trollar então? 😉 Falando sério agora, há diversos textos lançados na internet por conta do #lingerieday. O Kid postou aqui um com o qual eu concordo, mas há diversos outros, como os da @lubom (http://ebompraquemgosta.wordpress.com/2009/07/23/lingerieday-o-dia-em-que-eu-virei-um-bife/) e @ateaquitudobem (http://ateaquitudobem.blogspot.com/2009/07/do-lingerieday-eu-fui.html e http://ateaquitudobem.blogspot.com/2009/07/da-minha-recusa.html). Ambas versando a partir de um ponto de vista sobre o qual não tenho autoridade nenhuma para falar: o feminino.
    5) OK, sem problemas.
    6) O princípio fundamental da trollagem é esse: provocar o alvo até que ele perca as estribeiras. Nada mais justo no blog de um dos sócios-fundadores do TROLLAGEM LTDA.

    E eu sei a diferença entre “ir de encontro a” e “ir ao encontro de“, ok? 3 faculdades (públicas) e 1 cargo público te ensinam um bocado de coisa.

  73. juhhg says:

    ItsRachelBitch Parabéns querida, você robou a cena e virou o assunto principal!

    Q mane #lingerieday vamos discutir a vida da ItsRachelBitch, bem mais legal né?!?!
    Se me pagarem bem eu até conto uns segredinhos dela aqui…
    Quem dá mais?
    Quem dá mias?
    Quem dá mais?

    PS: ironiamodeon

  74. Tiago Tavonerd says:

    Quem reclama é baranga gorda, então foda-se.

  75. Luciana Fiaux says:

    RT @kiranomutsu @srtafiaux Ta famosa hein http://bit.ly/2LAxcb xD -- hauahuahauahahauahauahau

  76. nana says:

    Meldels, povo leva o twitter muito a sério 😛

    Se vc for ver, é a mesma briguinha dos probloggers. Acham que vão mudar o mundo jogando uma idéia numa tag com # na frente…

    Foi exatamente isso que vcs criticaram, as feminazis não entenderam. Pelo contrário, geraram toda uma discussão sem argumentos ao redor disso, e pior, em nome de um movimento que busca a igualdade e liberdade das mulheres -- o que elas mesmas criticaram, chamando as meninas que entraram de brincadeira de putas. Enfim, deram um tiro no próprio pé.

    Só no Brasil mesmo…

  77. n00bz0rd says:

    como já dito, feministas são tão preconceituosas quanto(senão mais) que muito homem metido a machista por aí

  78. Antonio says:

    Ah, sensacional tanto a brincadeira quanto o post.
    Nego leva muito a serio a internet

  79. duaardo says:

    Curti, o dia, o texto, mas enfim, cada um com sua opinião. Mas nego as vezes podia pegar ela e enfiar no cú, bem melhor do que ficar criticando/xingando os outros.

  80. Anônima says:

    Jóinha pra ti Quidê. Finalmente um post longo, ein?

  81. Andréia Freire says:

    Não vi a putaria que rolou no twitter. Mas, Kid, tem certeza que as mulheres que xingaram abertamente as meninas (de puta e afins) eram feministas? Porque um erro muito comum nesse tipo de confusão é achar que toda mulher envolvida é feminista. Se forem feministas, digo que é muito triste esse tipo de comportamento, pois vai contra ao que o movimento almeja. E uma das coisas que eu mais detesto é essa coisa de “mulher fez isso” = puta, “fez assado” = vagabunda. O feminismo luta entre outras coisas pra acabar com esse conceito, que surge da idéia de que a mulher está sendo usada ao fazer sexo, que ela está perdendo seu valor. Muitas vezes o sexo é tratado assim homem = se danda bem, mulher = sendo puta (isso é tão ridículo, que eu me esforço pra entedner como é que as pessoas pensam desse jeito e não consigo), só ver as confusões que rolam no orkut, como você mesmo citou. A menina tá lá transando com o namorado e aparece um monte de babacas pra xingar a coitada de puta. ??? Mulher não pode fazer sexo? (Aliás, porque tem que ser com o namorado? Não interessa o que ele é dela, oras). Um dos desejos feministas (meu, pelo menos) é que as mulheres possam, de verdade, viver sua sexualidade da forma que bem entender. Sabemos que não é bem assim. A mulher que faz isso em algum momento vai ser chamada taxada de puta (na sociedade sexista é o pior xingamento que há, o último estágio da “mulher sem valor”), se não for abertamente, vai ser pelas costas. Odeio moralismo justamente por isso, ele sempre recai sobre as mulheres. Mulheres tem que se dar ao respeito. (???) Porque os homens não? De onde surgiu essa idéia de que sexo é algo ruim para a mulher, que a sexualiade feminina tem que ser reprimida? Ao passo que a masculina é estimulada. É só olhar a forma como os pais educam os filhos. Medo de gravidez, proteção? Esse papo não cola pra mim não.

    Uma vez a tia do meu namorado disse algo assim (o assunto era algo sobre isso, o tratamento desigual em relação a sexualidade): “Você (ele) ir ali na esquina vagabundar, não é a mesma coisa que você (eu).” E eu fiquei perplexa. Não concordo, nunca vou concordar, pra mim sempre vai ser a mesma coisa, tanto faz se é homem ou mulher o ato é o mesmo. Taí um bom exemplo de moralismo “só para as mulheres”.

  82. Anônima says:

    Concordo com a Andréia ali de cima. Medo da gravidez? Coloca 3 camizinhas. Proteção? Ah, vá se fuder, realmente não cola. Essas feminazistas envergonham as mulheres com cérebro, coerência e essas coisas.

  83. Andréia Freire says:

    Acrescentando, “feministas” não é um grupo homogêneo. Há várias opiniões divergentes dentro do mesmo grupo (assim como qualquer grupo existente no mundo). Esse negócio de chamar feminista de “feminazi” é uma generalização boba. Inclusive, a Lu e a Aline se consideram feministas… e aí? Elas também são feminazis? Não, são feministas que discordaram de outras. É impossível querer que toda feminista pense igual, isso não existe.

    Uma mulher, feminista ou não, não precisa ter sua beleza aprovada pra emitir sua opinião. Esse mimimi “feias, gordas, mal-amadas” é um tremendo clichê, quem usa esse tipo de argumentação precisa urgentemente sair do jardim de infância. (Só pra constar, sei que o Kid não fez isso, me refiro aos comentários).

  84. Trovalds says:

    Caralho… enfim um post daqueles que eu termino de ler e penso “porra, que post foda!”

    Opinando: essa de movimentos e o escambau é apenas uma forma que os descontentes tem para se organizar e fazer barulho, porque algo de útil nunca sai mesmo. E as mulheres querem mudar um mundo que é regido basicamente pela hostilização da mulher desde a pré-história em questão de 40, 50 anos? Do que adianta se as próprias mulheres não entram em consenso?

    Quanto ao último parágrafo, que foi criticado aqui: apesar do tom irônico ou “engraçadinho”, mulher feliz no sexo é totalmente diferente, FATO. Isso vale para homem também.

    Só pra “alfinetar” um pouco mais as coisas, uma situação que é FREQUENTE mas dificilmente alguém admite (principalmente mulheres):

    -- Dois amigos gostam da mesma mulher, o que acontece: entram em acordo e um deles vai à luta. Sempre pensam que o dia de amanhã vai ser do outro (ou de ambos).

    -- Duas amigas gostam do mesmo homem: elas começam a discutir, a discussão vira briga, a briga vira agressão (não necessariamente a esse ponto). Daí por fim acaba que nenhuma das 2 fica com o homem e vão embora putas da cara uma com a outra.

    Isso é EXPERIÊNCIA de vida. Já cansei de presenciar esse tipo de comportamento.

    Reiterando: se as próprias mulheres não conseguem se entender, como elas vão lutar por uma causa comum, que é o sexismo (ou machismo como elas costumam taxar)?

  85. says:

    Um post longo e polêmico que gera discussões nos comentários, xingamentos e mais discussões. Ta parecendo até o antigo Hbd.
    Ri demais do texto e ainda mais com as discusões aqui nos comentários.

  86. Andréia Freire says:

    Ah, claro. O feminismo não conquistou nada e as coisas continuam do jeito que sempre foram. As mulheres não estudam, não trabalham, não votam, casam com quem o pai mandar, tem que pedir autorização ao marido pra qualquer coisa, a “defesa da honra” ainda existe e não temos outra escolha de vida além de ser mãe e dona de casa.

  87. alpha says:

    nem li.. to vendo o quebra-pau do tuíter

  88. João Vitor says:

    Resumo: Tina fez escola e as feministas deviam trepar

  89. RodLac says:

    Pensarei em um comentário construtivo assim que consegurir parar de rir do último parágrafo!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  90. picão says:

    Eita o pau tá comendo por aqui!!!!
    Alguém quer comer do meu? Mulheres only!
    hahahahaha
    Brincadeira machista mais infeliz!!!

    Serious mode on:
    Se cada um se preocupasse com si mesmo as coisas seriam diferentes. =P

  91. Knux says:

    iiihhhh…

    nessas horas eu descubro que sou cinestésico: eu começo a ver esse palavreado feminista sobre o “patriarcado” e meu cérebro registra cheiro de mofo.

    a suposição primeira do raciossímio dessas feministas é de que elas estão certas. a partir daí, elas se dão ao direito de falar e fazer as maiores besteiras porque, afinal, estão defendendo um bem maior.

    não basta ela achar ruim e esconder o próprio corpo. ela não quer que nenhuma outra menina tenha vontade de mostrar. cadê a liberdade?!

    é aí que reside o problema de qualquer movimento alinhado à esquerda ou que brotou da esquerda: a natureza inequivocamente ditatorial, a liberdade precisa ser regulada ou suprimida em nome dos ideais.

  92. Knux says:

    btw: a utilidade não declarada do twitter seria a facilidade para semear discórdia?

  93. Raid says:

    Ótimo texto Kid, como disseram antes bem racional e é bem interessante como uma brincadeira cresceu tanto por culpa direta de quem não queria que a brincadeira fosse em frente.

    Sem querer ser chato mas sendo, sexismo não é derivado do inglês mas sim do francês. Só um detalhe mesmo.

  94. Carol says:

    Kid,

    Você ainda está fazendo o curso de paralegal(é isso?) ?

  95. bianca_talaia says:

    hey kid!

    ótimo texto, concordo com número, gênero e grau…

    acho um puta absurdo esse bando de menina falsa “moralista” falando que quem participou eh “tudo um bando de puta” sendo que eu duvi-de-o-dó que elas nao fazem “pior” por ai…

    a hipocrisia ta osso…. por exemplo, nunca entendi porque cargas d’agua mostra o útero na praia tudo bem, mas trocar de roupa na frente de alguem com um sutiã q a sua mae usaria “ahhhhh vadia ò_ó”

    enfim, hipocrisia..tsc tsc tsc

  96. Cidraman says:

    A solução de acordo com Kid:

    “Toda essa aversão a sensualidade humana me faz pensar que vocês tão precisando desesperadamente de uma boa pirocada, pra reorganizar as prioridades”.

    Simples e funciona.

  97. SSSSSSS says:

    TAO ESCREVENDO A BIBLIA NESSE CARALHO AGORA??

  98. Tiago says:

    Acredito que as mulheres que são assim como descrito no post sofrem de inveja mórbida. Atacam as outras que podem se mostrar porque elas próprias não podem, por motivos óbvios. No fundo o sonho de muitas delas é serem admiradas, e como não são, atacam as que são por puro despeito.

  99. freekzoide says:

    porra, muita gente ae (maioria mulher), ainda não compreendeu que o “feminismo” é a mesma coisa que o “machismo” só que partindo das mulheres.

  100. Higor says:

    Quide, te amo demais, sério.
    O post tá simplesmente perfeito, as críticas super bem organizadas, muito bom mesmo cara. Esse tipo de post me deixa com orgulho.

    Concordo inteiramente contigo. Feministas são um bando de racistas inrustidas que tão precisando muito de companhia masculina, mas não conseguem.

    Pausa para rir do último parágrafo. [2]

    Isso devia ser transmitido em rede nacional, de forma falada claro.

  101. Aline says:

    Muito bom o seu texto, você, como sempre, sabe defender suas idéias com ótimos argumentos, e ainda me fez rir no final.

  102. Leandro says:

    porra que post do caralho!!
    o último parágrafo foi pesado ^^

  103. Ellen says:

    Sempre AMEI teu blog, mas depois dessa baixou muito no meu conceito, há coisas muito mais importantes e muito mais inteligentes que podem sair da sua cabeça que iria agradar muito mais. Não é por nada não, mas eu achei essa Lingerieday uma burrice e falta do que fazer, sério.

  104. Idenaldo Rodrigues says:

    Excelente o texto. Parabéns!

    Realmente discutir e falar que as escolhas de cada um é errado é dar um tiro no próprio pé e declarar a sua ignorância.

    Cada um faz o que quiser, quando quiser e da forma que quiser. Ninguém tem nada a ver com isso.

    Vamos deixar a mulherada mais à vontade. Isso é o que vale.

  105. Mariana says:

    Tenho preguiça de gente que se irrita por meia dúzia de rendinhas. Sou a primeira a recomendar uma boa dose de chá de picão.

  106. dr34dfu1 says:

    Lindo texto, Kid.
    A “diferença” dos termos “machismo” e “feminismo” vêm da opressão que as mulheres sofriam e pela qual se revoltaram (queimar soutien e aquela coisa toda).
    Então realmente as duas palavras acabaram com significados bastante distintos, mesmo em sua etimologia.
    Feminista vem do movimento (participante do movimento), machista vem do comportamento do homem opressor contrário aos “direitos iguais” das mulheres.

  107. Zios says:

    Cade a porra do coment do CCCC ?!

  108. André says:

    @Ellen:
    Por que caiu no seu conceito?

    Kiiiid, muito bom o texto. Penso da mesma maneira, eu sempre fiquei indagando, por exemplo, porque um negão me chamar de branquelo não é preconceito, mas se eu chamar ele de negão eu mereço cadeia. Quer dizer, ela nos chamar de machistas é como se fosse algo horrivel, mas se nós a chamarmos de feministas elas ficam felizes. Se o movimento procura a igualdade de direitos então ele não deveria ter um lado. O fato, no final das contas, é que homens e mulheres são diferentes e sempre serão tratados de formas diferentes, não exaltando um ou outro. As oportunidades devem ser as mesmas para todos, mas ninguém pode dizer que é machismo se um monte de homens entrar num curso de exatas. Não quer dizer que todos os homens são melhores que as mulheres em matemática, quer dizer que no geral temos uma tendência a nós sairmos melhor. Oportunidades iguais, é isso que a sociedade utopica tem.

  109. André says:

    Que só a sociedade utopica tem*

  110. Renata says:

    Daí que sou feminista militante etc e ri pra caralho com essa história do lingerieday e fiquei horrorizada com o texto de uma pseudofeminazi malcomida que entrou nessa de objetificação da mulher. Eu sou feminista, mas eu tenho senso de humor (e quero mais que o mundo acabe cheio de pr0n)

  111. Nick-kun342e says:

    Post no quesito abre alas da hipocrisia nota 10, é impressionante, kid tava inspirado.Enfim a questão levantada ao ar no meio de uma salva de tiros é que, bem mulheres são o tanto preconceituosas da mesma maneira quanto acusam os homens.
    Iluminou meu dia, Hoje foi um bom dia^.^

    so falta criarem um #Cháprala

    Dorgas Mano!

  112. Darox says:

    Hahahahaha sempre semeando a discórdia.

  113. CCCC says:

    Kid viado vai morrer com uma feminazi lhe enfiando uma lingerie no cu.

  114. opivm says:

    caraca, esse assunto de twitter novamente?

  115. Lorena says:

    @lucasantiago1 http://is.gd/1YwRT -- é o blog do @izzynobre

  116. Anderson says:

    Rapaiiiiss!!!O.o mecher com Kid e o mesmo que atear fogo na propria lingua!!! cara!100% “quebração de perna” nas feministas!! kkkkkkkkkkkkk

  117. Recomendo Leitura: Calcinhas, cuecas e confusão, do @izzynobre sobre o #lingerieday http://migre.me/4xSk

  118. Guiherme H says:

    RT@MusBR Recomendo Leitura: Calcinhas, cuecas e confusão, do @izzynobre sobre o #lingerieday http://migre.me/4xSk

  119. CCCC (discípulo) says:

    Kid viado, vai morrer de tanta #mobilization no cu.

  120. Nailson says:

    Isso deve ser muita seca… eu a mais de ano tô sem pegar uma mina e não chego nesse nível!

  121. Giovani says:

    suspender a CNH das mulheres seria um sonho! #SemCNHparamulheres!

  122. Kosher-X says:

    A Ellen caiu no conceito de todo mundo, ela libera pra todo mundo, menos pra mim.

    Comentários, claro.

    Vai, Ellen, mexe logo essa bunda gorda e libera lá este meu comentário nessa tua porcaria de blog. Ou eu deixo esse aqui pra todo mundo ver a imoral promíscua que você é. Segue comentário em
    http://di-fiori.com/2009/07/30/falta-de-vergonha-na-cara-e-em-todos-os-lugares/#comments

    Kosher-X @ 01-08-2009 -- 10:29

    Só por curiosidade, o que é moralidade? O que é vulgaridade?
    Você vai à praia de que jeito? Bikini, maiô, minissaia ou vestida de noiva? Então, qual a diferença desses trajes pra lingerie. Quem decide o que é ou não “moralidade”. A moralidade de uma pessoa deveria ser julgada pelas idéias que tem e pela liberdade irrestrita das mesmas idéias e comportamentos dos outros, nunca pelo que veste ou deixa de vestir.

    Só concordo com esses generalismos que você citou, rótulos imbecis de “careta, velha, conservadora”. São errados. Mas “rabugenta” está correto. Você mesmo mostra-se rabugenta aí, apenas citando uma frase sobre a nudez ser liberdade da mulher e o carater não se definir pela lingerie dela (que é totalmente correta), você não argumenta nada, não traz nada sob à luz da razão e da lógica, só faz deboche e zombaria disso e acaba de perder a razão no interim do escrito. É mesmo uma rabugenta.

    Sim, você é rabugenta. É um fato, que acabei de provar. E contra fatos, não há argumentos.

    PS: não me leve a mal, mas a verdade é a coisa mais importante do mundo. Aristóteles é meu amigo, Platão é meu amigo, mas a VERDADE é o meu MAIOR amigo. Espero que você também seja amiga da verdade, um dia desses.

  123. Carol Animaker says:

    Na verdade, Kid, machismo e feminismo (o FEMINISMO) são diferentes, sim.
    O machismo prega que homens e mulheres devem exercer “papéis”, já o FEMINISMO prega (aliás, PREGAVA) a IGUALDADE entre os sexos.

    E o feminismo no ocidente é letra morta.

    Mas algumas mulheres teimam em usar o termo “feminista”, sendo que são FEMISTAS ou feminazis.

    E toda essa sensualidade PODE ATÉ desvalorizar a mulher.

    Mas, então prq elas se submetem a isso?

    Duh.

  124. Fores says:

    Mano, twitter é uma merda de acompanhar é tosco, o layout é fudido e é recheado de pseudo-cults que se acham os fodas e ficam brincando de criar modinhas fuleiras pra pagar de revolucionário.

    Twitter, o câncer da internet

  125. Eu acho mais correto chamar as “feminazis” de Femistas que são aquelas que ao invés de querer igualdade querem a superioridade feminina.

    Afinal nem de longe elas seguem as idéias de igualdades sociais entre homens e mulheres, e arrisco dizer que o desejo reprimido de algumas se aproxima de algo como fazer a barba na navalha e coçar o saco. E afirmo isso só pelas idéias machistas maquiadas de feministas.

    Ao invés de lutar pela igualdade, cometem os mesmos erros e preconceitos que repudiam com todas as forças de seus pulmões.

    @Wendel

    Infelizmente vivemos em uma sociedade em que crianças, durante um churrasco em familia, rebolam ao som de musicas que rebaixam a figura feminina e só falam de putaria mas essa mesma familia coloca sua irmã mais velha no banco dos réus se descobrem tem um vibrador, uma cinta liga e tirou uma foto sensual pra por no Tuiter, mesmo se a garota tiver mais de 18 anos.

    E acho engraçado a inversão de papeis que acontece por aqui.
    A putaria generalizada das mulheres frutas, do funk carioca e de diversos outros fatores, fica exposta pra todos verem e são ditos como sendo “sensuais”, já a sensualidade (sobre tudo a feminina) pura, feita por vontade própria, sem “fins lucrativos” e livre de qualquer acusação criminosa é taxada de “putaria desenfreada”. E quem pratica essa segunda modalidade, perante os cidadãos ditos “comuns” merece queimar na fogueira por tamanha falta de respeito.

    O pior é quando pessoas que, tecnicamente, tem uma inteligência maior e que não concordam que o funk carioca seja algo sensual (e sim uma putaria sem pudor algum) acabam taxando o outro lado da moeda, o verdadeiro sensualismo, de putaria TAMBÉM.

    Convenhamos senhores. Uma demonstração de sensualidade, tanto de homens como de mulheres, por pura vontade ou incentivada (não obrigada) por uma campanha, ainda mais uma que nasceu com o o intuito de tirar sarro do “tuiter sérious biuzines”, não tem mal algum. Muito pelo contrario, acabou aumentando diversos “circulos” de “amizades twiteristicas”.

  126. O sono apertou e acabei mandando o comentário sem revisar.

    Que São Pasquale me perdoe.

  127. @BiancaRJ says:

    Oi, eu sou gorda e postei minha foto,eu não sou puta e postei minha foto,eu achei as meninas muito lindas de lingerie e a Becca é muito gostosa.

    Muito mimimi pra porra nenhuma.

  128. Lorrene says:

    Eu tou rindo há dias da confusão que armaram no twitter por causa da brincadeira de vocês. Quando vi o kid com a tag pela primeira vez, pensei que seria uma daquelas festas que ele faz e é comum por aí, mas que se alguém inventar de fazer com amigos aqui no Brasil, logo vão taxar de putaria.

    E depois que o kid mandou a imagem, eu pensei que era zoação com as tags forasarney e outras do twitter, que não era de fato um convite. Aí umas meninas toparam, achei legal. Mas tou até hoje sem entender porque tanta repulsa a uma brincadeira?

    O mais irônico disso tudo, é perceber o quanto é mal compreendida a questão da sensualidade no Brasil, lembro quando uma amiga ficou com 3 caras numa festa que eu não fui, as outras meninas chamando ela de puta, e tentando me convencer a deixar de falar com ela(!) e eu “por que teu irmão pode ficar com 3 mulheres numa festa e ela não pode ficar com 3 rapazes?” Teve gente que deixou de falar comigo logo depois q eu falei isso.

    Que feminismo é esse que não quer que as mulheres tenham liberdade p/ fazer o que bem quer do corpo?

    Quando eu penso que já vi de tudo, vẽm uns loucos provar o quanto ainda é retrógrada a “sociedade” brasileira.

    Parabéns Kid, o post foi belo tapa na cara desses feminazis, que eu não vou ficar nada surpresa de ver que são também religiosos fanáticos, afinal agem como a mesma intolerância cega.

  129. Lorrene says:

    E o post das patricinhas intercambistas?

  130. Fer says:

    Decidi deixar meu comentário sobre esse post aqui pois a dona do tal blog provávelmente só vai aceitar as respostas que a convier.

    http://di-fiori.com/2009/07/30/falta-de-vergonha-na-cara-e-em-todos-os-lugares/#comments

    Voce não é chamada de retrógada por não mostrar a bunda na internet, é sim porque se ofende com quem faz isso.

    Acredite, boa parte da população não dá a mínima para o que voce faz ou deixa de fazer. Deveria fazer o mesmo.

    O engraçado nessa história toda é que a mulherada decidiu expressar seus preconceitos camuflando-o com o feminismo. Vergonhoso.

  131. Ellen says:

    @Kosher-X

    Não sou tão desocupada a ponto de aceitar os comentários a hora que vêm, mas com certeza irei aceitar todos, pois opiniões diferentes da minha, JAMAIS serão descartadas no meu blog.

  132. Rapaz, receba meus Kudos. É o tipo de tapa na cara das feminazis com luva de pelica, que doi mais que uma perna de 3 de parajú com 5 pregos enferrujados na ponta.

  133. Eu says:

    Concordo quando você fala que qualquer critica às mulheres, o cara é chamado de machista. Pra mim as “feminazi” sáo tão, ou mais chatas que os “macfags”, o importante é o meu ummbigo.
    Uma das coisa que não gostei, foram esses jargões usados no meio jurídico (a priori, galhofagem, retórico …)usados nos texto para dar uma falsa impressão de intelectualidade, é RIDICULO,ou vai me dizer que você sempre usou isso nos teus textos, ou que fazem parte do teu vocabulario regular ?? Parece aquele cara que faz aula de inglês à uma semana e fica “falando” com os amiguinhos pra se achar o gostosão, ou pior,parece Estudante de primeiro ano de direito que aprende 10 termos juridicos e que já se acha advogado, sei disso porque ja fui estudande de direito, convivi nesse meio estudantil e conheço bem esse tipinho, que a todo custo adora ser superior,e detesta receber críticas, conhece alguem assim?

  134. Luciano says:

    TESTE PSICOTÉCNICO

    Dizem que nesta URL rola um discussão fervorosa sobre preconceito/feminismo/machismo/homossexualismo/ostracismo. Quanto tempo voce demorou para achar a discussão?

    1) menos de 1 segundo;
    2) 30 segundos;
    3) 1 minuto;
    4) Não vejo nenhuma discussão.

  135. Kid says:

    @Eu

    Concordo quando você fala que qualquer critica às mulheres, o cara é chamado de machista. Pra mim as “feminazi” sáo tão, ou mais chatas que os “macfags”, o importante é o meu ummbigo.
    Uma das coisa que não gostei, foram esses jargões usados no meio jurídico (a priori, galhofagem, retórico …)usados nos texto para dar uma falsa impressão de intelectualidade, é RIDICULO,ou vai me dizer que você sempre usou isso nos teus textos, ou que fazem parte do teu vocabulario regular ?? Parece aquele cara que faz aula de inglês à uma semana e fica “falando” com os amiguinhos pra se achar o gostosão, ou pior,parece Estudante de primeiro ano de direito que aprende 10 termos juridicos e que já se acha advogado, sei disso porque ja fui estudande de direito, convivi nesse meio estudantil e conheço bem esse tipinho, que a todo custo adora ser superior,e detesta receber críticas, conhece alguem assim?

    Vá dar uma lida nos outros textos do blog.

  136. Kid says:

    A propósito, você é MUITO alienado/a se acha que “a priori” e “retórico” são verbetes exclusivos do contexto jurídico.

    E eu achei seus exemplos engraçados porque eu 1) falo inglês e 2) estudo direito. Mas estudo direito em inglês, ou seja, não tem nada dessa de “aprendeu o termo na aula ontem e quer usar hoje fora do contexto”.

  137. @Doodoo says:

    HUAHUAHUAHUA

    “Eu”: Deixa de ser uma monga iliterada. Sai da internet e vai ler um livro. Talvez assim você perceba que esses termos não são exclusivos do meio jurídico.

    BTW, Ótimo texto como sempre, Kid.

  138. Sblargh says:

    Venho por meio deste comentário declarar que os termos “a priori” e “retórica” (pode ficar com “galhofagem”) são copyright de ANPOF (Associação Nacional de Pós-graduação em Filosofia -- i,e. as únicas pessoas que fingem se importar com seu projeto de mestrado).
    Favor doar 15 centavos e escrever uma tese sobre o conceito de modernidade em Heidegger a cada vez que os termos em questão forem utilizados.

    Grato pela atenção.
    A medida entra em vigor a priori.

  139. marcus says:

    @Eu

    A priori e a posteriori são termos usados em estatística bayesiana e nem por isso achei que o Kid usou um jargão do meio estatístico ao utilizar a primeira expressão em seu texto.

    E, aproveitando sua atenção, vai chupar um caralho, Eu, em vez de ficar reparando no vocabulário dos blogs que tu encontra por aí.

  140. Eduardo says:

    belo texto Kid.feministas realmente tem uma linha de pensamento bizarra,pra não dizer escrota mesmo…

    @Eu:ri muito da sua falta de cultura,sério mesmo.

  141. Theobaldo Becker says:

    ISSO AE LEK
    TAMO JUNTO KID

  142. Cássiô says:

    Feministas na maioria são mulheres feias que não têm a quem comê-las. Fato.

    + agora páaara de fazer tempestade em copo d’água!

    Tem muito assunto melhor pra discutir em forma de Bíblia. Esse ae merecia no máx. uma twittada.

    Em tempo: Parem de criticar os que protestam no sofá e façam algo RELEVANTE então.

    Pra mim vocês tão todos juntos no mesmo patamar. O da irrelevância.

  143. Dois dias, e 90% da página são comentários. Tô adorando, mas meu ânimo pra ler flamewar tá baixo no pós-férias. ‘Dorei o texto, entretanto, se tem uma coisa que esse rapaz sabe fazer é destruir usando a razão. Meus aplausos.

  144. Yuri says:

    Rí de cair a bunda com o último parágrafo. Exatamente o que eu pensei quando li a primeira mulher reclamando do lingerieday.

  145. Cara li quase tudo, e tipo essa coisa do #lingerieday foi mais uma prova de um pensamento antigo batendo de frente com um novo.

    Parem pra pensar como a forma de pensar antiga segue o ditado “Digame com quem andas que te direi quem és”, ou com uma linguagem de programação básica, tipo:

    se fulano faz isso então fulano é assim”

    Ou então:

    se fulano opina ou pensa ou age ou aparenta gostar de determinada coisa então ela é uma puta fodida”

    As palavras chaves desse jeito antigo são “preconceito”, “aparencia”, entre outras.

    Quem sabe um dia a gente consiga viver num mundo sem preconceito…

    Ps.: Parabéns kid, por conseguir mais uma vez semear a Flamewar na net e ainda levantar um assunto relevante.

  146. Oscar Calstrom says:

    “na frente da termo”

    O princípio do fim. Kid esquecendo como se utiliza artigo definido. Maldita língua inglesa, quase sem gênero definido!

    Aliás, esses atos falhos estão cada vez mais freqüentes (com trema mesmo porque eu abomino a nova reforma ortográfica)… hehehehe

    Falando sério agora, feminsitas são foda… vivem dizendo que homem não ajuda na cozinha, não lava roupa, não ajudam na casa, e talz, mas na hora de carregar a geladeira, fixar estante na parede, consertar qualquer parada em casa, elas dizer “Ah, mas isso é coisa de homem!”.

    Experimente falar que cozinhar/limpar/arrumar é coisa de mulher pra ver o tamanho do coice! Aliás, eu topo fazer um movimento neo-machista. Se eu usasse twiter, estaria lançando o mesmo right now!

    Fica o convite e a autorização pro tópico tuitado.

  147. Chapolin says:

    ahahahaha cara, quando as feminazis baixaram o nivel e começaram a xingar de PUTA a mulherada que elas próprias estavam defendendo.. hehe me lembrou a minha mulér… tipo, a questão toda nao era sobre “defender as mulheres”, e sim sobre ARRUMAR ENCRENCA com os homens, ou seja, ser do contra! Não importa como nem o que foi feito, isso foi apenas uma desculpa para elas liberarem toda a fúria cega pra cima dos “machistas”.. lulz

  148. Reinaldo says:

    Láemcima,o Wendell comentou que

    “Btw, aos amiguinhos que “se amarraram” nas fotos, o que pensariam se chegassem no quarto e vissem vossas mamães/irmãzinhas tirando fotos na cam de lingerie?”

    Kid, eu até concordo contigo que ele apelou pro sentimentalismo, mas mesmo assim, discordo de ti.

    Um médico não deve operar um filho ou a própria mãe porque, por envolver sentimentos, e por ser alguem próximo, ele corre sérios riscos de não alcançar uma posição afastada do paciente. se ele não consegue fazer isso, não consegue ser objetivo, e pra um médico, por exemplo, objetividade na hora de cortar alguem no meio é essencial. Lembrar do dia que mamãe deu o bonequinho do Rambo III -- A missão, enquanto abre a caixola da mamãe usando uma furadeira é algo que me deixaria de mãos trêmulas…

    Em outras palavras: O médico costuma operar bem quando afasta a condição de pessoa do paciente, e trata como um “objeto” (favor, não generalizar, não digo que o médico diminui o paciente ou não se importa, só que ele se obriga a manter uma distancia emocional).

    Discordo do posicionamento agressivo das “feminazis”, mas me pergunto se quem achou tão legal todo o furdunço do #langeriday o fez porque me foi legal ver meninas de mente aberta exibindo a sua sensualidade, mostrando o que têm de melhor (tanto porque são bonitas, quanto porque são sensuais, liberais e etc.), ou foi só porque era mulher semi-pelada e (algumas)gostosas.

    Nesse movimento, quem acha mesmo o nu bonito, a sensualidade inteligente algo a se explorar, quem concorda com o fim da repressão sexual e dos Sexismos, e quem só está lá pra sentar de camarote enquanto o circo pega fogo e as mulheres (dos outros) tiram a roupa, escolhendo a melhor carapuça no caminho (“Tarado?!? EU?? que nada, sou só mais um homem que veio aqui apreciar a beleza da mulher feminina-sensual-inteligente se libertando”)?

    Sentimentalóide ou não, o Wendell tocou num ponto interessante. Quem acha nu bonito e tem a mente aberta desse jeito, ia adorar ver a própria mãe se expondo no twitter, a irmã caçula, ou a namorada, e ia aceitar isso de maneira madura e inteligente.

    Não digo isso porque sou maduro a esse ponto, nem mesmo me atrevo a decidir que esse é realmente o caminho. Acho que não tenho substrato suficiente pra decidir.

    Mas ainda assim, de um ponto de vista lógico (e afastado), imagino que é assim que seria, se tudo fosse como tem que ser.

    Espero ter feito sentido.

  149. uriel says:

    afinal o twitter tem utilidade: arrumador de confusão, nem o okut é tão bom.

    se estendermos os argumentos do post pra todos os outros grupos que se dizem vítimas de preconceito, veremos que se aplicam também.

    afinal, a piada é velha, mas um negro pode sair com uma camisa “orgulho negro”, mas esperimenta sair com uma escrita “orgulho branco”.

    amém, kid

  150. dani says:

    Minha única crítica à exposição da seminudez feminina é a seguinte: eu não vejo seminudez masculina por aí com tanta intensidade. O dia em que for tudo igual, o dia em que eu puder ligar a tv e assistir o número de caras gostosos de cuequinha quanto eu vejo hoje de mulheres de biquini, aí vai estar tudo certo. Pq a gente que é mulher “expõe” o que vcs querem ver, mas o contrári o é muito mais incomum. Um exemplo: moro no Rio de Janeiro e queria ir a uma boate de strip com meu namorado, mas queria uma que tivesse strip masculino e feminino. Cadê?? A GRANDE maioria só tem mulher mostrando as peitcholas, a macharada sarada que é bom, nada… =P

    Acho que não acrescentei muito na discussão, afinal tudo já foi dito e redito, argumentado e contra-argumentado, mas fica aí meu comentário.

  151. felipetenor says:

    DANI

    http://www.twitpic.com/c0krt

    Eu fui o unico (ate onde eu sei) a chutar o balde no #lingerieday

  152. Ryan says:

    Texto bom mesmo, finalmente um assim.
    Mulheres em geral são um tanto ridículas… homens também. Tive sorte de encontrar os amigos e amigas que tenho hoje…

  153. dani says:

    @felipetenor

    É disso que eu falo… E no lingerieday, apesar de ser uma brincadeira muito clara, isso se repetiu, tendo só vc de cuequinha… Qd for tudo igual, qd eu puder ligar a tv e escolher entre as mulheres hortifruti em um canal e umas sunguinhas à mostra em outro, aí td bem -- exemplo a esmo, ok, pq mulher hortifruti não é sensualidade, é no mínimo muito engraçado….

    E a propósito, adorei sua cuequinha ^^

  154. Lana says:

    Bom, eu acho que cada um tem o seu corpo e faz dele o que quiser, quem tira a roupa não deve ser chamado de puta e quem não tira também não deve ser taxada de bagaranga, afinal, o twitter não mostra imagens a menos que vc clique em um link, então se você se incomoda com Lingerieday, é só não clicar nos links das meninas e ignorar, você não invade o espaço delas e nem elas o seu.

    Agora, é que nem o cara ali de cima falou, será que quem participou e quem apoiou realmente o fez por que acha que o nu é bonito e libertador e todo o blábláblá de movimento-cabeça-aberta ou o fez por que queria ganhar só uns followers à mais ao mostrar a bunda? Eu não critico a nudez, apoio ela nos lugares certos (nu artístico, revistas masculinas, lugares em que a nudez é o foco), só acho que quem faz isso pra aparecer é por que não tem conteúdo suficente pra fazer isso pelas próprias idéia, mas aí é problema da pessoa, ficar xingando e recriminando ela por isso já é demais.

  155. RT @Cardoso: RT @izzynobre Calcinhas, cuecas e confusão -- Uma análise honesta do #lingerieday http://bit.ly/o9HSP

  156. tio says:

    sai do chat.. dexa alguem como moderador.. nem da pra brinca do joguin dar perugnta.. fica um otario dando Spam”.. spam.. spam.. spam… etc…

  157. Kosher-X says:

    Ellen: ótimo, então. Porque eu vi lá, no dia, uns 2 ou 3 aprovados depois e o meu não. Espero que não tenha sido por receio.

  158. http://is.gd/26Lmg Texto bom que recebi por e-mail, mas que muita gente pode já ter lido. Eu ri muito no 5o parágrafo!

  159. Pacman says:

    cool story bro

  160. Yuri says:

    Já havia visitado seu blog algumas vezes, agora decidi comentar 😀

    Você abordou o tema com muito humor e ironia, foi bem coerente .. Ficou fácil de ler 🙂

    Acho que muitas feminazis ficaram com vontade de te parabenizar pelo post mas não o fizeram por orgulho .. hUAhUAE

    Boa noite

  161. Haddammann says:

    Feminas não têm nem noção de quanto são levadas de fato pra uma condição civil de velada putaria, enquanto se perdem do que é de fato sexualidade (não há a mínima educação eficiente sobre isso por aí)…

    “Péga! Péga! …”
    “O diabo rasgou a roupa dele!” …
    Temu qui ‘discirpliná’ essi moleque”.
    “Aqui é o termpru de Deuso, temu podê”.
    “Segura esse moleque!”
    Apavorado, e com toda a fúria que tinha, o molequim olhava desesperado, não tinha como escapar.
    E armou-se o palco dos desgraçados.
    O covarde-mor berrava. E atrás do púlpito pisava com o sapato na cara do garoto. Os desgraçados tomando conta do lado insuflavam a gritaria; a cara do garoto sangrava. “Escutem os gemidos …”. E amontoados, os desvairados gritavam ainda mais, feitos loucos. “O diabu num agüenta u podê ‘trermendu’ de Deursu”.
    E o moleque num ímpeto, encarando a dor, escapou.
    “Não olhem, não olhem pru diabo! … Clamem irmãos! Esse é u podê de nossa igreja!”
    Vão pagar …
    Se há potencial entre os não-nascidos-para-a-crença que se apresente; pois esta leitura aqui não é de alçada para leitor de “bibra”, nem pra cegados por essa idiotice de socialismo.
    O mundo urge pelo Capitalismo Meritocrático (numa República Democrático-Parlamentar); mas não se vê saída para afastar a poluição de negra confusão que transformou a paraplégica democracia em senzala num reino putrefacto de escravos vigiando produtores; bandidos vigiando a civilidade.
    Pra um homem jogar a caneta, a enxada, e o sapato, e desgostar do que contente proveria à Sociedade, e ver dias perdidos no que nunca precisaria dizer, com tanto que todos têm por premência pra fazer por nossa Civilização; pra um garoto ver o que tanto trabalhou e correu pra dispor à muitos o contentamento e esmêro do que fez; e olhar tudo que foi declarado como de boa recomendação para a vida ser visto por todos como otarice (porque todos infectados pela hipocrisia e pela “moral” e “respeito” e “ética” avêssas a tudo que aprendeu, e ter que enfiar pela goela a musiquinha bem ao gosto estragado dos calhordas “quem espera que a vida seja feita de ilusão”), e ver o endôsso dos imbecis que nada vêem, os manipulados por tudo que é lado, envoltos numa insana guerra de “espertos” “protetores”, mega-idiotas que clamam euforicamente para serem enganados; isso faz a semente humana de valor opinar por cessar a continuidade disso.
    Então …
    Os pulhas estão a trançar desastres para nossa vida e já por muitos e muitos anos, e estúpidos que os abonam nem se atêm que não temos mais climaticamente muitos anos (e os parasitas não se importam, e continuam, e continuam); e todos os “rebanhos” de bucéfalos não se dão conta de todo seu tempo de vida desperdiçado, enganado, tomado pelo infecto glaucoma divino “que tudo vê” (isso desde lá quando começaram a desgraçar nossos ancestrais, e vai no tempo).
    A Natureza levou milhões de anos para fazer peles lindas, de seda, como vemos em já não muitos de nós aí. E o pulhas por causa da desgraça da poluição que seu descaso e ganância e “esperteza” fizeram, ainda se valem da palhaçada do racismo com a velha ferramenta podre do teo-pulhismo-parasita, para misturar à pressas e de maneira safada e covarde as peles, como solução para agüentarmos como seres vivos o rombo que fizeram (e ajudamos a fazer com nossa carinha de ovelhas imbecis) na camada de proteção do Planeta.
    Isso é putaria deslavada. E metem quotas aqui no Brasil nas universidades, forçam relações midiaticamente, deslustrando o ser (e sutil diferença) de todas as raças. Premeditam nossa escravidão por muitos anos, e é só isso que articulam sem parar. A Sociedade piora e piora, e tudo assinalando prejuízos em mega-escala, e os canalhas só trançam entre si a continuidade da nossa desgraça; e mesmo com a História expondo vividamente o que fizeram com outras civilizações nós absurdamente não nos damos conta, ou nojentamente ainda nos dependuramos ufanados em favores-armadilhas armados pelos nocivos parasitas que se vestem pra nós como coisa que presta.
    Assim como entupiram cidades no Brasil com flagelos humanos, e deram a punhados de escroques cargos de “capatazes” com “ares” de préstimo, posicionando-os ali no nosso bairro, em associações, nas escolas, no meio dos cientistas, entre os atletas, nas empresas, afastando as pessoas entre si e colocando os cupinchas como ferpa podre entre os garotos e garotas. Assim, ao invés de sanar a pobreza (os que mais lucram dizendo que querem “acabar” com a fome são os mais safados e ladrões descarados), agora espalham a pobreza e insuflam o racismo, aviltando a natureza com o confronto das peles pelo mundo.
    Suas “reveladas” “espertezas” manobram a podridão que produzem (nossas cidades penam: o filtro colorido da TV disfarça a cruel realidade, do odor, das sensações bizarras, que sentimos ao andar pelas ruas, ao nos estarrecer com a gente enfeiada, servil, interesseira, preguiçosa, lambona, sonsa, canina, que vemos); e suas pantomimas disfarçam a frieza nociva de suas aparências “benfazejas”. Depois de matarem os filhos de muitos(agora descaradamente impetram o sacrifício de jovens para comover famílias), e fazerem outros muitos de viados (viados mesmo, feitos por pederastas; não confundir como homossexuais biologicamente legítimos), produziram uma geração de seres problemáticos, traumatizados, e esquisitos à vista (isto foi postado bem claro pro Gabeira, e agora ele mete lá um troço bitolado pelo manual dos embusteiros, esse aí mesmo que turba os tribunais, que figura as cruzes horríveis do terror daquela escravidão que faziam em nossas cidades anteriores e dos “fogo-puro” dos simplórios recalcados e pedantes). E suas confrarias ainda fazem “doce” para admitir essas pessoas no meio podre deles. E os infelizes que aceitam tão generosamente usam para manobrar “lutas” para (o ridículo disso) conseguir as “benesses” de “bênçãos” da putarias fabricadoras de viados. Uns devassos arrombados do cacete ficam sob o controle remoto dos pulhas-velhacos encastelados, controladores, feitores desse negócio que se chama por aí de “moral” e “respeito”, disseminando “ditames” e “gentilezas”, e enfiando falsidades pela goela das nações.

  162. Petrodon says:

    Não sei se tu sabe, mas tua mulé saiu na vip de setembro. Não é ela a @BeccatheGringa?

  163. Suzana Bueno says:

    Uia, algo que eu realmente gostei de ler no blog do @izzynobre: http://bit.ly/2vXoUh
    -- Excelente.

  164. Roberto says:

    Eu sou machista, mas nem tanto, e fui totalmente a favor do #lingerieday. Tanto que até minha namorada posou (morram de inveja, punheteiros! =P). E realmente, essas feminazis precisam mesmo é de pica. Não que o argumento de que alguém que está mau-humorado precisa SEMPRE de sexo, ou vai dizer que puta nunca fica mau-humorada? Porém, do jeito que estão, é do que precisam. Ou pelo menos de uma boa chupada, e não necessariamente masculina. =P

  165. Gabriela says:

    Só pra dizer que o feminismo não é a mesma coisa de machismo. Na verdade é FEMISMO. O problema dessas mulheres é que batem no peito dizendo que são feministas quando na verdade são FEMISTAS. E burras. E mal comidas.

  166. Condor says:

    “Discutir na internet é como vencer as olimpiadas da APAE. Mesmo vencendo, você continua sendo um retardado”.

    Sem precoceitos, mas essa ai fica para as feminazis kkk

    Abração Kid!

  167. @danalvares E ainda mais com esse papo de "feministas", né? Automaticamente lembrei daquele post do @izzynobre -- http://tinyurl.com/n9khtj

  168. ddlima says:

    Taí, também sempre me perguntei como responder o “machismo” com o tal “feminismo” fazia sentido na cabeça dessa gente…
    Me lembra uma época em que negros saíam nas ruas com uma blusa transcrita: 100% preto.
    Tentei por meses convencer um amigo branquelo de fazer uma “100% branco” e sair nas ruas vendo se apanhava ou só era xingado… Ele nunca topou… É o velho e idiota “olho por olho”. Gente burra do cacete… Nem se esforça?!

  169. Wanderson says:

    Não consegui ler todos os comentários mas sobre o feminismo radical,me lembro de uma frase atribuída ao Neslson Rodrigues que dizia:”O feminismo é o machismo de saias.”

    Devo admitir que esse tipo de feminismo cresceu muito e pasmem,está dominando a internet.

  170. Flavius Júnior says:

    ótimo texto mesmo!!!! as feminazes devem ser feias pra caralho!!!auhauhauh

  171. […] preguiça enervante de o fazer, então aproveitar-me-ei de alguém que já o fez para minha pessoa, IzzyNobre do Hoje é um bom dia […]

  172. Gumba says:

    vcs sao uns manes mesmos, seres humanos de merda bando de animais que acham q so porque sao um pouco mais inteligentes q um macaco deixaram de ser animais… mulher eh tudo vadia puta traira por natureza e homem eh tudo safado traira de natureza.entao parem de hipocrisia seus merdas tomem consciencia dq existem problemas piores para serem discutidos!resumindo , feministas sao apenas umas vadias q nao admitem terem sido selecionadas pela natureza como objeto de procriaçao e perpetuaçao da especie humana e os machistas tem a plena conviccao q a natureza ta certa mulher so serve pra procriar! oq eu posso dizer a natureza eh q manda uhuhuh! Paz

  173. Eduardo Ibere says:

    Valeu Izzy! Seu texto vai servir de otima base pra uma cronica sobre feminismo que tenho que fazer pro colegio. Hahahaha

  174. Thales says:

    Sei que o texto é meio antigo mas, né, só li agora, e queria falar que curti muito! Vou até repassar por aqui.
    Eu tenho uma opinião um tanto diferente sobre o feminismo e o machismo. Na minha concepção o machismo NÃO EXISTE. É uma ideia (por assim dizer), criada através do começo do feminismo.
    Se você se interessar depois conversamos sobre =)

  175. mitcha says:

    não acho um movimento machista.. bem longe disso!!!
    mas acho sim, que as mulheres que participam 90% querem aparecer e ganhar notoriedade..
    Isso é fato …
    Não quer dizer que sejam putas.
    Querem aparecer, just that.

  176. Marcel says:

    Flawless victory.

  177. Darox says:

    Muito bem.

  178. Carol says:

    Mandou bem 🙂
    Acho que quem critica (todos, sem exceção) tem muita vontade de brincar mas falta é coragem.

  179. ciberdek says:

    Muita discussão pra pouco assunto. Nunca achei que o lingerieday iria criar nenhuma celeuma, pois não é nenhum movimento opressor ou coisa que o valha. Ninguém é obrigado pa participar. O pessoal não abe se divertir sem criar caso mesmo.

    Prefiro ignorar as feminazis Ee toda polêmica e simplesmente olhar as gostosas aqui:

    http://reticenciasdigitais.blogspot.com/2011/07/lingerieday.html

  180. Otimo texto…acho que essas pessoas que reclamam são as que morrem de inveja das meninas, por não ter o corpo ou a coragem…

  181. KaH says:

    Eu participo por estar de bem com o meu corpo.

    Cadê o país que se ufana por aceitar as diferenças? Por não ter preconceitos?

    Participa quem quer. Quem não quer, fica na sua e pronto. Não precisa aceitar, basta respeitar as escolhas de cada um.
    Quem critica de forma ofensiva, acaba por passar a impressão de #recalque e #inveja.

    Quem quiser ver meu avatar é: @karine_leandro

  182. Raiko says:

    Voce diz que era só brincadeira pq ñ fez sucesso ou nao agradou a muitos. Nao eh a primeira vez que faz isso.

    Normal de blogueiros que querem “hypar” as coisas, mas nao admitem insucessos e nem criticas contrarias.

  183. Maura Corrêa says:

    Hoje o @bqeg (Marcel) falou umas coisas bem inteligentes, no Twitter, sobre bafafas em relação ao #LingerieDay: “Não vejo diferença entre um homofóbico e alguém que chama outra de puta pq tirou foto de calcinha. Ou mesmo entre um homofóbico e aquele que chama de feia/gorda quem não quis participar da brincadeira.”

    Resumiu tudo.

  184. Anapads says:

    Concordo com alguns argumentos do texto. O problema é esse ódio ao feminismo. Acaba gerando uma confusão (só ler nos comentários aqui mesmo) e rolando um ataque tenso ao feminismo que, na boa, não é essa coisa má que tão achando. Feminismo é bom. O feminismo defende que vc tem o controle do seu corpo. Que vc pode fazer o que quiser com ele e que ninguém pode te encher o saco com isso. O feminismo defende a liberdade. Então é simples: eu tenho a liberdade de botar foto de lingerie no meu avatar e vc não tem nada a ver com isso. Ou ainda, tenho a liberdade de não botar lingerie no meu avatar e vc tb não tem nada a ver com isso.
    No fim das contas, acho que tá faltando essa liberdade.

    Enfim, discordo do último parágrafo apenas pq né, argumento mais batido que esse só falar que “é inveja”.

    • Kid says:

      O texto é de 2 anos atrás. Se eu tivesse escrito-o hoje, não teria feito aquele parágrafo.

      Se bem que, em minha defesa, o conselho de “trepe mais” é direcionado a qualquer tipo de gente ranzina, não exclusivamente a feministas.

      BTW: Não há ódio algum contra o feminismo. Há ódio contra hipocrisia.

  185. Anapads says:

    Em tempo: esse ano vi mais homem sendo sexista do que mulher. Tenho até print de uma bela discussão no facebook, de um cara falando que hj na verdade é “mulherotáriaday. E uns outros falando que é tudo coisa de puta/attentionwhore/biscate, entre outros.

  186. Rodox says:

    Apoiado até o talo camrada! Nem tenho o que acrescentar! Excelente texto!

  187. Feministas em sua maioria são umas frustradas,por isso atacam tão ferozmente mulheres que não seguem e não concordam com suas crenças.

    • Anapads says:

      “Feministas em sua maioria são umas frustradas”. Era disso que eu tava falando, Izzy. O “ódio” ao feminismo tá nos comentários aqui, nem é no seu texto não. Essa generalização que é foda. Uma mulher se diz feminista, fala um bando de merda por aí e pronto, começam a usar aquilo pra definir todas as feministas. Uma pena.

      • Ódio? de forma alguma (:
        E veja bem,eu disse a maioria e não todas.
        Ódio mesmo eu já vi e li em várias atitudes e textos de algumas feministas ferrenhas por aí,abs.

        • Mariana Miranda says:

          Isso é complicado, assim como em todo e qualquer movimento, exitem pessoas que quererm coisas sérias, e lutam de verdade por motivos sérios, e aí tem aquele bando retardado que deturpa todo o movimento para as pessoas que vêem de fora… Detestável, porém discordo do fato de que a “maioria” é assim.
          Não querendo ser paga-pau pra gringo, acho que as feminazis são algo que estão mais no Brasil… Tipo, não que na gringa o movimento seja perfeito, longe disso, porém, acho que é menos que aqui.

  188. Luan says:

    Eu gostei do texto, tirando a parte sobre o feminismo. O termo “feminazi”, na minha opinião, é ofensivo pra caralho e só vem da boca de alguém que não entende absolutamente nada sobre o feminismo.

    Mas quanto ao mimimi sobre o lingerieday: totalmente infundado. O corpo é da mulher e ela tem o direito de fazer o que quiser com ele. Claro que mostrando sua calcinha no avatar você vai atrair comentários machistas, mas não é contra esses comentários que nós deveriamos nos preocupar?

    Julgar essas mulheres que colocaram as fotos de lingerie não é ir contra os argumentos das Marchas das Vadias?

  189. Cristine says:

    Acho que o único problema em tudo isso é que a maioria das garotas que participaram disso são garotas menores de idade.

  190. niopis says:

    Vejam o que diz Laura Buu do Pink Vader:

    “Ah! E vamos combinar? No final toda esse lance de #LingerieDay não passa de uma forma de um monte de gente lucrar e ganhar pageviews usando a força motriz de centenas de milhares de pessoas que gostam de sexo — ou seja: praticamente toda a população do planeta Terra. No final, além de ser uma forma da sociedade passar o seus valores (ou a falta deles) a diante, também é uma grande armação para meia dúzia de pessoas ficarem mais ricas no fim do dia.”

    http://pinkvader.com/2010/07/lingerieday/

    Me pergunto pra que todo esse recalque? Logo ela uma gordinha nerd que eu aposto que muita gente adoraria ver participando do lingerieday. Ela acha o máximo twittar suas viagens pra evento nerd nos EUA pra parecer a superdescolada e me vem com uma critica cega e irracional como essa. Laura Buu perdeu o meu respeito, sinceramente.

  191. Tiago Tessari says:

    Parabéns pelo texto. Um dos melhores, sobre o tema, que eu já li! Pena que muitas pessoas que deveriam ler esse texto vão parar de ler no inicio dele. Eu divulguei! Parabéns aos autores!

  192. […] seus devidos elogios (e muitas vezes ofensas), e as feministas mais violentas (a.k.a. “feminazis“) ficaram ali, arrancando os […]

  193. Milena says:

    Calma lá, calma lá!
    Defender os direitos da mulher é importante; defender a própria opinião, também.
    Não é do meu perfil sair por aí de sutiã -- nem quando tinha o corpinho em dia -- mas cada um com seus “pobrema”.
    Defendendo a minha opinião, acho radicalismo burrice.
    Embora muito engraçado e útil, a constatação do texto foi bem agressiva, não!? hahahaha.
    Nem toda feminista é preconceituosa e nem todo homem só dá valor a bunda. Tá combinado?
    A puta, a santa, a gostosa a nerd.Burrice isso de segregar!Em tempos de BRICs, alianças e poder de mercado, Muitas -- nem todas -- mulheres, deviam pensar mais em se unir.

  194. Yago says:

    pensar que começou como uma brincadeira.

    Filhos (atualmente inexistentes) sabe aquele dia que as mulheres saem na rua vestidas só de “lanjerri” e as modelos são patrocinadas por empresas de cosmeticos e lojas de roupas pra aparecerem em pulbico “desnudas”, poisé…

  195. […] Se não bastasse isso nesse dia 28 é o #LingerieDay, um dia para as mulheres trocarem o seu avatar do Twitter por uma foto delas com lingerie. E as “feministas” vieram criticar dizendo que as mulheres que participarem disso são putas. Você confere mais dessa história nesse post. […]

  196. Tácio says:

    “Lingerie day? Machismo, querendo que as mulheres fiquem nuas, objetos de luxúria, homens fdps querem reduzir mulheres a pedaços de care ambulante.
    Slut Walk? Mulheres podem ficar nuas o quanto quiserem, reprimir isso é machismo, mulheres podem sair nuas que não tem nada de errado com isso”
    É por isso que não perco meu tempo com militantes feministas.

  197. Bruna says:

    Izzy, sou mulher mas concordo com você em tudo. As feministas são mais sexistas que os tais machistas que elas tanto odeiam. Claro, existem homens porcos que realmente acham que mulheres são objetos mas acho que a grande maioria com um cerebro ou que vive em uma sociedade ocidental está longe disso. Sentir atração fisica por alguém é humano. Está nos genes. O que acontece é que os homens são mais escancarados com isso. Lógico que a mulherada cobiça um cara com uma bundinha redondinha mas a gente não grita isso no meio da rua. Sei lá, é uma coisa cultural. Triste é ver essas minas do FEMEN, que tanto chamam as moças que se vestem de tal maneiras de PUTAS, ficarem nuas pra fazer protesto. Elas sim querem chamar a atenção. E, pra finalizar, eu sempre defendi a teoria que um pouquinho de sexo é o melhor remédio contra o mau humor.

  198. O seu texto é ótimo, concordo muito com ele e chamo essas mulheres de machistas mesmo.
    Eu realmente fiquei muito impressionada com o fato de, no Lingerie Day, nenhum homem ter vindo me tratar mal. Em contra partida, não fiquei nem um pouquinho impressionada com o número de mulheres que se manifestaram negativamente.
    Sou administradora de um grupo há anos, que começou no orkut e depois veio para o facebook, composto só por mulheres, e eu não consigo chegar a outra conclusão, se não a de que, se até hoje, anos depois, não conseguimos a “igualdade sexual” com os homens, é por conta de nós mesmas.
    Mulheres são de longe mais machistas do que homens, não conseguem ficar feliz com o bem-estar das mulheres ao redor e é por isso que, infelizmente, nunca haverá essa tão sonhada igualdade que nós, as FEMINISTAS, tanto lutamos e queremos.

  199. Mariana Miranda says:

    Izzy, ôtimo texto, como de costume, é de dilacerar o coração ver essas garotas se dizendo feministas… Só faltou dizer que… Nem todas nós curtimos pirocada :v

  200. […] bem. Não é de hoje que eu emito críticas sobre alguns argumentos recorrentes do feminismo internético radical (insiro eu mesmo o modificador “radical” pra que não corram aos […]

  201. Z! says:

    Cadê a imagem?