Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Internet: Serious Business…?

Postado em 16 November 2008 Escrito por Izzy Nobre 86 Comentários

Se você passear por fóruns, comentários de blog, chats do Yahoo Live, imageboards ou qualquer outro lugar em que internautas são dados os privilégio de se comunicar, três expressões amplamente usadas vão rapidamente saltar à sua atenção:

“Faggot”, “nigger” e “(internet:) serious business”.

Faggot significa “viado”, nigger é uma versão extra-ofensiva de “crioulo” (e simultaneamente uma das poucas palavras que têm o poder mágico de produzir uma bala ou faca dentro do seu corpo quando pronunciada em certas áreas nos Estados Unidos), e internet: serious business se refere ao hábito de dar muita importância a eventos ocorridos no meio virtual.

Além do fato de que a onipresença de termos pejorativos na internet (já vi vídeos no youtube com 4 páginas de comentários repletas de nada além de “faggot!!111”, em diversos níveis de erros de soletragem) explica bastante sobre a natureza humana, a frequência e descaso com os quais internautas jogam esses termos uns contra os outros me deixou bastante pensativo outro dia.

Bom, pensativo em relação à última expressão, não às duas primeiras. Pessoas estiveram se chamando de faggot e nigger muito antes do advento da internet, o xingamento não deriva diretamente de interações virtuais e sequer requer que os alvos sejam realmente homossexuais ou afrodescententes. Portanto, nigger e faggot são interjeições usadas casualmente e sua única conexão com a internet é o fato de que ela mudou o significado dos termos.

Por exempo, embora nigger originalmente significasse “ei, suas organelas pigmentativas são mais ativas que as minhas, portanto me considero superior a você“, na internet ela significa “discordo de sua opinião e sua inabilidade de articular um argumento coerente me dá direito de considero-lo merecedor de escárnio“.

Já faggot era usado como uma forma mais curta de dizer “minha religião e a sociedade em que vivemos reprovam sua preferência sexual, e acredito que você deveria ter vergonha de si mesmo“.

No pós-internet, a palavra passou a significar “discordo tanto da sua opinião que não perderei meu tempo tentando refuta-la; ao invés disso insinuarei que você tem uma notável afeição por pirocas enrijecidas e CDs da Cher“.

O que estou tentando dizer é que nigger e faggot são termos pre-existentes que foram banalizados e semanticamente reformados pela internet. Internet serious business, por outro lado, é uma expressão que nasceu justamente pra descrever um fenômeno social oriundo das interações virtuais. Tanto o termo quanto o seu significado são mais interessante, na minha opinião.

Xeu enfiar uma tangente aqui – o que define “loucura”?

Bom, eu sou arrogante demais pra aceitar a definição de um dicionário, então criarei a minha própria: loucura seria definida como agir de forma incompatível com o ambiente em sua volta. Essa definição serviria pra qualificar o comportamento de pessoas que se entretém conversando sozinhas em salas vazias, ou pessoas que defecam numa via publica movimentada em plena vista dos transeuntes.

Note que o simples fato de conversar ou cagar não é o que categoriza loucura; tais ações, quando removidas do seu contexto, é que qualificam insanidade. Eu poderia extrapolar a minha própria definição e dizer que loucura é agir da mesma forma independente de onde você esteja. Ou seja, quer você esteja sentado numa privada ou dentro do coletivo, você abaixa as calças e caga de qualquer forma.

Você deve estar vendo onde estou tentando chegar. Pessoas que sofrem de seriousbusinite aguda são geralmente as pessoas que agem na internet da mesma forma que agiriam no mundo real. Pra essas pessoas, ambos ambientes são equivalentes e, portanto, requerem ações e reações equivalentes. Eles não conseguem enxergar a linha que separa o mundo virtual do mundo real, pra eles um é uma extensão do outro, e carrega a mesma relevância.

Notei ultimamente um exemplo sensacional dessa minha teoriazinha.

Outro dia eu estava perambulando pelo orkut a esmo quando percebi que tinha recebido um scrap de alguém cujo perfil eu havia visitado aleatoriamente no dia anterior. O scrap, que trazia alguns termos impublicáveis, exigia que eu me identificasse e explicasse o que estava fazendo “fuçando” o perfil do autor. Tal revolta resultante do que o sujeito chamou (de forma hilariamente inadequada) de “invasão de privacidade” não é um fenômeno isolado; aparentemente existem milhares de usuários que respondem a visitas não-requisitadas da mesma maneira.

A reação indignada do sujeito faria sentido se eu tivesse invadido a casa do cara durante à noite, revirado seus pertences, espiado o conteúdo de suas gavetas e em seguida vandalizado a parede da sala dele com auxílio de uma lata de spray e um stencil com a imagem de um membro reprodutor masculino em estado de ereção.

Mas não. Tudo que eu fiz foi clicar no thumbnail de uma foto que o cara colocou publicamente na internet e chegando no perfil dele no orkut, que ele colocou voluntariamente na internet com o único motivo, eu sou obrigado a concluir, de torna-lo visível a estranhos. Imediatamente senti vontade de pergunta-lo se ele está surpreso que material que ele disponibilizou voluntariamente na internet está sendo acessado por desconhecidos, mas fui tomado de compaixão pelo sujeito: afinal, ele é louco.

Ao invés de adaptar seu comportamento ao ambiente ao seu redor e esboçar reações condizentes com o meio que o cerca, o sujeito sente raiva e uma irresistível necessidade de tirar satisfação, ambas reações indistinguíveis daquelas experimentadas por alguém que teve sua própria casa invadida.

Em outras palavras, este sujeito acha que mora na internet.

E eu percebi num estalo que esse é o problema com pessoas que levam a internet a sério – eles acham que a internet é a casa deles, e que interações virtuais têm a mesma importância daquelas que acontecem longe dos modems. É daí que vêm as intermináveis histórias de provocações virtuais que terminaram em visitas ao tribunal local, ou de agressões físicas desencadeadas por comentários feitos no éter internético.

ISSO é levar a internet a sério; isso é considerar internet “serious business”. O que vejo ao redor da web ultimamente é um fenômeno parecido com a reforma semântica do faggot e nigger – pessoas usando a expressão sem sequer saber o que ela significa, transformando em nada além de um termo vazio que eles acreditam se tratar de um porrete virtual com o qual podem bater em qualquer desafeto. É como o usuário “Talento”, do Fórum HardMOB, que insistiu retardadamente durante uma discussão qualquer que “nerd” significa “pessoa sem noção que ri das desgraças alheias”. Sério, vou até passar o link deste post pra ele, pra que ele possa se explicar e nos deleite na sua maluquice.

“Serious business” é o mais novo coringa das discussões na internet. Saque-o do bolso e a autoridade do termo vence a discussão sozinha, mesmo que o termo esteja sendo usado num contexto completamente diferente.

O problema de apelar pro “serious business” indiscriminadamente é porque as definições de “levar a internet a sério” são cada vez mais flexíveis pra acomodar o ponto de vista do usuário do termo.

Um exemplo prático – frequentemente vejo em fóruns alguém tentando nocautear virtualmente o outro debatedor dizendo algo como “você se importa tanto com a internet que ainda está ainda me respondendo” ou algo com esse valor, e fecha a frase enfiando as duas palavrinhas mágicas. O problema com esse cenário é que, por se dar ao trabalho de responder o oponente, o maluco que apelou pro termo se encaixa na mesma definição que ele deu pro adversário.

Se você for considerar um debate internético como pre-requisito suficiente pra usar o termo, que tipo de interações online você não consideraria “levar a internet a sério”?

Quando você usa uma ofensa de definição tão genérica que ela se aplica até mesmo a você, sua tentativa foi um fracasso total. É como um irmão chamar o outro de filho da puta.

A finada Tina nos deu a cartilha perfeita com a qual analisar que nível de atenção dada a internet é acima do normal. Pra quem não se lembra dos melhores momentos das grandes confusões geradas pela mulher, em dada ocasião ela ofereceu PAGAR um certo blogueiro famoso pra que este se pronunciasse positivamente sobre ela (isso pra não mencionar as diversas ocasiões em que ela me mandou dinheiro na clara tentativa de angariar minha simpatia), e em outra ela fez uma ligação internacional pra reclamar com meu pai que eu estava conduzindo, e isso sao palavras dela, “um grupo de cyber terroristas misoginistas que têm aversão a mulheres idosas”.

Isso pra não mencionar as diversas vezes que ela tentou, futilmente, mover uma ação judicial contra mim simplesmente porque alguém que ela acreditava ser leitor do HBD estava chamando-a de “velha coroca” nos comentários dela. Se isso não é loucura, nada mais deve ser.

Acho que estou tentando dizer aqui é que é meio irritante quando várias pessoas resolvem papagaiar um termo cujo significado eles não conhecem e o aplicam a um contexto no qual ele não se encaixa.

Tá brigando na internet e tá com vontade de aloprar o sujeito? Chame-o de nigger, chame-o de faggot. Tais palavras já perderam o significado delas na internet há muito tempo mesmo.

Mas deixem o “serious business” pra ser usado pra quem sabe o que tá falando.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Essa internerd...

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

86 Comentários \o/

  1. Pirani says:

    Nos jogos online tem muito disso, pessoas se extressam demais com internet !
    O mais engraçado eh que se vc n responde elas, elas ficam mais putas e chingam mais hehe quanto a semantica das palavras e tal, o ”lol” tb mudou muito, pelo menos no brasil! C deve saber né / huauha td se usa lol, pra td menos pra indicar que vc rindo hehe
    abraçao

  2. guifig says:

    pior, brasileiro não SABE o que é lol. sério mesmo. pergunta pra alguém que usar numa situação estranha.

  3. Vinícius K-Max says:

    Melhor definiçao de Serious Business ever. Mais um post que virará referência internética e será plagiado aos quantros cantos da blogosfera nacional.

    Ps.:eu não tenho CDs da Cher. Só tenho cerca de umas 20 mp3s dela -- que escuto quase toda semana. Acho que isso não qualifica como um “faggot!!111”, né? 😛

    :*

  4. NAOS says:

    Seriusbusmite aguda foi legal, hehe

    A propósito, quase primeirão.

  5. robson says:

    Puta merda, que texto grande!

    Inclusão digital + isento da nisso, pessoas de baixa capacidade mental acessando a internet… isso é só o começo meu caro.

  6. Argus says:

    Post de alta qualidade, Kid. Parabéns.

    E sobre o “LOL”, eu percebi que o negócio tava brabo quando uma colega minha da escola falou, há uns três anos, “que coisa lól”.

  7. ianwlad says:

    auhaua concordo com o texto, mto bom

  8. Kaindeed says:

    Ótimo post mesmo. Mais é a inclusão digital. Já recebi mais de 5 scraps um atrás do outro com um emotion ou “Achou o que veio procurar”.
    E o LOL virou moda aqui no Brasil, mais como disseram ali em cima “lól”.
    Daqui 5 devo ouvir alguem falando “Nossa, que Erre, Effe, Ó, Ele”

  9. Kaindeed says:

    Era pra ser rofl “Erre, Ó, Efe, Ele”.
    É mais dificil escrever assim do que parece >.<

  10. hassam says:

    muito bom o texto…. e com esse papo de inclusao digital a internet tem cada vez se degradado mais…. mais ainda no brasil….. acho q se vc for perguntar o q significam qualquer sigla q vc usa na net esses manés q começaram a usar net agora ninguem vai conseguir te responder… usa lol pq é lol… e talz…. triste… muito triste…

  11. Renan Paiva says:

    Ufa, acabei de ler 😀
    Mmuito bom o texto ‘-‘
    A propósito, hoje é meu aniversário :~

  12. Piterson says:

    Essa é umas das razões pela qual eu não participo de comunidades virtuais ( ou pelo menos tento), elas podem ser extremamente engraçadas as vezes por essa mesma razão, mas depois fica chato. se um grupo de humanos é a coisa mais burra que você pode encontrar, imagina um grupo de humanos ligados globalmente. E não acho que isso seja coisa de isentos, tá mais pra mini-nerds-burros-sem-vida-social querendo se afirmar, outra coisa que virou moda é culpar a inclusão digital por tudo.

  13. TioJoao says:

    Acho que c tá se estressando à toa, nego vai continuar banalizando a parada.

  14. Felipe says:

    Parabéns pelo texto Kid! tudo isto against the clock e em 30 minutos? tava pronto já não? tô de sacanagem cara! parabéns mesmo.

  15. Seth says:

    Hehehehe… e cada duas semanas, un post para manter a tina em nossas mentes… 😀

    serious business??

  16. Dan Alvares says:

    LOL kid! que texto hein 😛
    Quem é Tina!? :O

  17. Felippe says:

    acho que você deveria por a sua idéia de “serious business”nesse site ^^

  18. Anon says:

    Pra escrever tudo isso vc tbm é, Internet Serious Business!!!

  19. Rodrigo says:

    Só ver essa guerra de istas e consoles nos forums eu imagino que todos ali tem algum problema mental, ou são socialmente inaptos. Pq alguem com 25 anos de idade em plena 14:00 de uma terça-feira estaria num forum de videogame brigando qual jogo tem gráficos melhor?

  20. Raul Bernardelli says:

    Reclamar que fuçou o orkut é igual ir à pizzaria e reclamar que não gosta de pizza.

  21. Anon says:

    @Dan Alvares
    Crie um par de bolas aí e vá ler os textos antigos do blogue.
    @Anon
    …não.

  22. eric says:

    @Raul Bernardelli

    Boa comparação! haha

  23. Lars says:

    @Wolf -- O que é tiopês ?

    O consumo de álcool diminui a inibição das pessoas, a internet faz a mesma coisa com a vantagem de que se você quiser ninguém saberá quem você é. Por isso há infinitos absurdos na internet e na minha opinião a seleção natural não funciona muito bem com os humanos e não é um fenômeno restrito à internet, no mundo real também aumenta sem parar o número de pessoas imbecis.
    Quer dizer, imbecil na internet = imbecil na vida real, se o cara acha que a internet é a casa dele, ele também acha que a rua, o supermercado, o trânsito é a casa dele, inclusive deve ser fumante também, porque pensa que o oxigênio é dele então pode poluir a esmo, porque só ele usa mesmo…

    Sim eu odeio fumantes.

  24. eu says:

    alguem me responda se serious business serve pra quando a pessoa confunde a internet com a vida real no seguinte caso: a pessoa le alguem dizendo “primeirao”, “segundo”, “terceiro” e ve aquilo como se fosse lixo de verdade jogado na porta de sua casa atraindo ratos e baratas e por isto tem um chilique. Obrigado

  25. espectral says:

    Totalmente “Internerd: Serious business” esse teu post.

  26. Wolf says:

    Isso me lembra o tiopês. Começou como algo engraçado e divertido. Daí os Indies aderiram a ele e transformaramo que deveria ser um idioma em palavras em português erradas para zuar os aderentes da “cota de imbecis” na internet e o tranfiguraram em algo novo.
    Assim um ‘nõe’, ‘nõa’, ‘noam’ virou ‘n-‘. Sim, ene hífen. Dá muita vontade de bater nessa galera, puta merda. (Será que essa vontade poderia ser considerada Serious Business? O: )

  27. alpha says:

    eu pouco participo de foruns e passo alheio a esse arranca-rabo( ou arranca-bits, sei lah…), nem se ker sabia que tinha estes exemplos extremos de pessoas frustradas que se refugiam do preto e branco de suas vidas na colorida e mercadologica internet. pensando bem, eu axo que já senti algo parecido kuando comecei a usar irc. do nada eu era ofendido e ficava meio intrigado pois não sabia se eu realmente era akilo e o quase-anonimato do irc da sala da minha cidade dava margem pra que alguem me dissesse a verdade. com uns dois dias percebi que eram apenas aporrinhações infundadas de gente que ganha sei lah o q fazendo isso no irc e entaum eu aprendi uma utilissima função: o “ignore”, e vivi feliz para sempre na bitlândia.

  28. Koji says:

    Um louco fez a mesma coisa comigo no orkut, por pura diversão eu dei corda pra ele o/

  29. Adolf says:

    Esse post não tem figuras, então não vou ler.

    abrass

  30. Julia says:

    ah, imagino o naipe desse cidadao ai do orkut.
    pessoas que mal sabem o que é um e-mail estão no orkut!
    como alguem ai ja comentou: é nisso que dá a “inclusão digital”

  31. Kayaphas says:

    uma coisa q eu não suporto são pessoas que usam linguagem internetística num dialogo real, principalmente siglas e coisas do gênero…tp: “po véi…aih a gostosa me a-dê-dê no orcúti”

  32. Hikaru says:

    vc acabou de levar a internet a serio ;3

  33. NaPa says:

    Que isso, kiddo! Mandou bem demais! Fazia um tempo que eu não vinha aqui, em parte por causa da sua já explicada ausência, e agora me aparece essa beleza ae! Ótimo post, congrats!

  34. Kenshin Br says:

    “pessoas que se entretém conversando sozinhas em salas vazias”

    Pq só em salas vazias?

  35. Anon says:

    @Hikaru
    True, só ele não percebeu isso…

  36. duuardo says:

    AHIDSUHD

    ainda bem que meu orkut não tem essa parada de visitas, isso é um cú.
    na epoca ignorei muita gente por isso 😀

    bom texto, Kid 😉

  37. ironic says:

    “pior, brasileiro não SABE o que é lol. sério mesmo. pergunta pra alguém que usar numa situação estranha.”

    lol, nada a ver.

  38. Eduardo says:

    “lol, nada a ver.”

    i see what you did there ^^

    mas realmente,o lol foi totalmente banalizado aqui no Brasil,dá até pena…

  39. Luciano says:

    eu não acho que isso é loucura. Eu acho que isso é Esparta.

  40. Fantasma says:

    “Mas deixem o “serious business” pra ser usado pra quem sabe o que tá falando.”

    Só eu vejo uma GRANDE contradição nisso tudo?

  41. Seth says:

    @ Rodrigo

    “Só ver essa guerra de istas e consoles nos forums eu imagino que todos ali tem algum problema mental, ou são socialmente inaptos. Pq alguem com 25 anos de idade em plena 14:00 de uma terça-feira estaria num forum de videogame brigando qual jogo tem gráficos melhor?”

    Hahahahaha, se fosse pra discutir qual carro tem mais cavalos de potencia, dai podia né???
    Acho engraçado o conceito que esse povo tem, de o que é coisa de adulto e o que nao é…

  42. Hamilton says:

    Este é o grande problema das pessoas: levar coisas divertidas a sério. Essa coisa de politicamente correto acabou com a vida das pessoas… E também as séries de tv.

  43. rcrd says:

    kid, esse texto prova que andas levando a internet muito a sério.

  44. Leandro says:

    Para mim, o lance do LOL é uma espécie de “emoticon”, onde as letras “l” representam os braços e a letra “o” a “carinha” -- ou seja, ele está adorando, no estilo arábico…espero que seja isso.

  45. Darox says:

    Lol e afff andam juntos
    lol -- laughing out loud

  46. Darox says:

    não sei pq, de alguma forma o Kid vai deixar o cara furioso com milhões de visitas de leitores ao perfil do cara

  47. Catu says:

    “Aff” é uma coisa muito boiola…
    Totalmente aquele “Paínho” do Chico Anísio

  48. homero luz says:

    Tem tipos de fóruns que seriusbusinite aguda se manifesta mais, tipo nintendo x sony, windows x linux, opera x firefox x IE x chrome, Fóruns de política, vegetarianos x carnivoros, ateus x religiosos e por ai va, acho que só esse comentario já poderia abrir um portal para terra média de onde viriam uma sério de trolls furiosos que me partiriam e doi e depois disso comeriam meu figado cru.

  49. Shig says:

    Caralho o Akinator advinhou Israel Nobre.

    (se voce nao entendeu vai no google e procura akinator)

  50. TioSolid says:

    Li até a parte do pinto com spray na parede, depois ficou chato.

    O problema da mistura Internet / Real Life é que a grande maioria das criaturas apesar de possuirei QI para serem diferentes, preferem agir como retardadas na internet, já que é mais fácil e é tecnicamente “hassle-free”. Agora, aquilo que você falou de nego que não sabe DIFERENCIAR uma coisa da outra, realmente é complicado. Vide blogueiros com posts “o blog é meu e eu faço o que eu quiser”.

  51. Konel says:

    “É como o usuário “Talento”, do Fórum HardMOB, que insistiu retardadamente durante uma discussão qualquer que “nerd” significa “pessoa sem noção que ri das desgraças alheias”

    MINHA SANTA MÃE NA ZONA…. oO’

  52. Crysis says:

    kid owned by rcrd

  53. Maximus says:

    @Lars

    o silêncio é algo que as pessoas deviam cultuar ao não saber oque falar. vosse eh nigger!!!1111

  54. Maximus says:

    @eu

    seu ânus pegando fogo e as cinzas
    sendo ingeridas por babuínos fêmeas
    menstruados

  55. Equilibrium says:

    “A finada Tina nos deu a cartilha perfeita com a qual analisar que nível de atenção dada a internet é acima do normal. Pra quem não se lembra dos melhores momentos das grandes confusões geradas pela mulher, em dada ocasião ela ofereceu PAGAR um certo blogueiro famoso pra que este se pronunciasse positivamente sobre ela (isso pra não mencionar as diversas ocasiões em que ela me mandou dinheiro na clara tentativa de angariar minha simpatia), e em outra ela fez uma ligação internacional pra reclamar com meu pai que eu estava conduzindo, e isso sao palavras dela, “um grupo de cyber terroristas misoginistas que têm aversão a mulheres idosas”.

    Isso pra não mencionar as diversas vezes que ela tentou, futilmente, mover uma ação judicial contra mim simplesmente porque alguém que ela acreditava ser leitor do HBD estava chamando-a de “velha coroca” nos comentários dela. Se isso não é loucura, nada mais deve ser.”
    Muito sem graça citar uma pessoa que não pode se defender, pensei que vc já tinha superado isso…
    Mas sei lá, isso aqui é seu mesmo…

  56. freekzoide says:

    realmente a internet é um negócio sério

  57. Wolf says:

    @Lars
    É quando o pessoal começa a imitar o povo da inclusão digital e falar todo errado, tipo:
    “Oe rsrs comofas proa çër lecaw e intormadz cun a galere/”
    Se eu não em engano isso ficou popular no VT (Vale Tudo, um fórum de falação de merda da UOL), daí hoje emd ia os Indies adotaram como lingua oficial de sua raça, mas mudaram um monte de coisa e ficou algo ainda mais idiota, porque no original, você tinha que ser até criativ pra errar as palavras, no que os Indies fizeram, você só tem que por hífens.
    q-,n-,s-,wtf-,comofas-, Oj- eh- un- bon- dya- etc
    Tipoes original já era bem idiota, e os Indies fizeram ficar além de idiota sem criatividade.

  58. phpones says:

    Kid, não leve a internet tão a sério, deixe o pessoal falar “serious business”.
    Mas entendo sua perturbação. Muitas coisas que eu não devia dar a mínima, me incomodam.

  59. ” É como um irmão chamar o outro de filho da puta. ”

    kkk… adoro essas suas tiradas xDDD

    Mas o final do texto me deixou com a impressao de q vc se leva um pouquinho a serio demais. O que eh praticamente tao ruim quanto levar a internet a serio demais.

  60. DeKo says:

    [OFF](?)
    Bem, seu desespero incontrolavel pela perfeição formal está deixando seus textos cada vez mais chatos e cansativos de serem lidos… PURISU T ÇÓLTA K7!! xD
    Tenho a mesma merda de mania de, em certas ocasiões, exagerar na formalidade e na perfeição gramatical… =/

    [ON]
    Haha! Por isso que deixo as minhas visitas a outros perfis como “oculto”!!!
    Odiava aqueles “Volte sempre!” que recebia…
    Costumas ser os emos, jogadores de MMORPGs e japonêses que têm essa mania de confundir a vida real com a vida virtual. É triste.

  61. Gustavo Cardial says:

    “Em outras palavras, este sujeito acha que mora na internet.”

    askldjaskdhsakjdhaskdhska puta merda

  62. Marcus Tribuzi says:

    hehehe! uma vez em uma dessas comunidades q tinha um jogo de “vou” ou “não vou” um cara pirou comigo porque eu peguei no pé dele quando ele escreveu “I not go”… teve uma hora q eu parei pq eu tive a impressão que ele tava se jurando que não descansaria sua alma até me encontrar e acertar as contas comigo pessoalmente… tem doido pra tudo! KID VC VIU MEU E-MAIL? JÁ NÃO BASTA OS JOGOS DE SNES Q EU INDICAVA E VC IGNORAVA… abs!

  63. Dan says:

    De certo modo eu concordo com o rcdc ..e dai que pessoas que nem sabem o significado de um termo, se utilizam dele erroneamente? ..who cares? ..pelo menos eu não dou a mínima pra esse tipo de coisa ..deixe que usem ..um post tão argumentativo como este pra explicar um fato tão idiota é perda de tempo ..

    Me diga que vc não está levando isso realmente a sério …

    A propósito, essa parada idiota de “primeirão”, “segundão” etc, não tinha ido pro espaço NAOS?

  64. J. says:

    “Bom, eu sou arrogante demais pra aceitar a definição de um dicionário”… é por isso que eu gosto do q vc escreve.
    Boa percepção essa da relação net/ realidade.

  65. Paulo says:

    há muitos idiotas que a internet deixou de ser um meio de “escapar” da realidade, que agora, muitas pessoas chegam a acreditar que a internet é a realidade.

  66. Paulo says:

    *que pensam que…

  67. […] os estupradores, nem com a vaca feminista lá de cima, nem com o brasil, como disse o izzie do HBD, tem gente que leva a internet à sério demais. Num vejo a hora de juntar uma grande se sumir desse estábulo com quase 200 mil bois e vacas. […]

  68. Tiago says:

    [TOTALMENTE OFF E GRANDE P CARALHO, QUEM TIVER PREGUIÇA PULE]

    Saindo um pouco da discussão acerca do uso dos termos, acho que o carinha que “mora na internet” não é doido, apenas muito sensível, ou até incoerente.

    Não acho que receber uma ofensa via internet -- p. ex. -- seria mais ou menos facilmente descartada emocionalmente só por causa da mídia considerada.

    É a mesma coisa que dizer: “olha, recebi uma carta me ameaçando de morte, que besteira! se fosse uma pessoa me dizendo, a situação seria diferente”.

    O que pode ser considerado como fator mais próximo de uma variável objetiva pra analisar as pessoas que dão chiliques (seja na internerd ou na real life) é o conteúdo e o significado do ato, e não a mídia pela qual ele se propaga.

    Vou dar dois exemplos de casos com os quais tive contato por causa do meu trabalho no tribunal de justiça:

    1º Um assinante de revista semanal (autor da ação) pleiteou indenização por danos morais em virtude de ter ficado magoadíssimo por não receber a revista Veja semanalmente como contratado. Esse cara é louco.

    2º Uma menina foi difamada no orkut por colegas de sala que a descreveram como prostituta de luxo. Ela chegou a ser expulsa do colégio e hostilizada pelos vizinhos. Dá pra dizer Internet: Serious Buisness nesse caso?

  69. DeKo says:

    @Paulo
    A internet está no mundo real, logo, faz parte do mesmo.

    @Tiago
    Não ta tão OFF assim…
    O seu 1º exemplo sim que ta super OFF, e o cara não é louco, é esperto! Se ele ganha o caso ele pode concigui uma boa grana, talvez… (E as revistas atrasadas)
    No 2º exemplo, ai sim é “internet: serious business”… E como um colégio consegue expulsar alguém por isso?! o0

  70. ekant says:

    mandou bem izzie, isso é oque mais me fode na internet, e eu fiz um post mais ou menos sobre isso hoje de manhã, ai depois que vi, até dei uma linkada nesse seu. achei bem coerente!
    😀

  71. ekant says:

    agora fui olhar aqui e uma parte de um texto meu foi até usado nos comentários aqui…
    e o melhor, totalmente fora de contexto…
    auahahuauhahuhuahua
    por isso eu amo a internet!
    😀

  72. vitorviotti says:

    “Serious Business” deixados de lado por um instante, do que eu já li dos posts do Kid, um ignorante qualquer no orkut, não e motivo o suficiente para o Kid fazer um post desses.

    @Kid
    Insinuações a parte, não teve outro motivo, além do cara do orkut, para você novamente falar sobre pessoas que levam a internet “um pouco” sério demais?!?!

  73. Gilberto Prujansky says:

    Fala Izzy!
    Sobre os loucos: http://prujansky.com/louco/

    e como um louco aqui reclamou de nao ter imagens, se quiser usar este einstein joker, sinta-se a vontade! 😉

    []s

  74. Tiago says:

    @DeKo

    Colégio católico tradicional do interiô di minas, que sofreu pressões do grupo de pais também católicos e tradicionais e blabla

  75. ruskiii says:

    nigger eh jah ouvi no GTA: San Andreas 😀

  76. Sirius says:

    Ahh, Kid! Você é um dos caras que leva a internet mais a sério no mundo! 😛

  77. caio says:

    Serious business: Serious business

  78. homns says:

    Kid, tem que por acento no caso do ‘torna-lo’, é torná-lo, assim como esquecê-lo, avisá-lo, chamá-lo e blábláblá.

    Sempre tem esse detalhe em falta nos textos.

    …Sim, e daí?

  79. anão says:

    Soja nesta porra. OP burro é burro.
    Also: regras 1 & 2.

  80. […] A questão é, como diz o título, da ordem das palavras, em específico, de uma palavra e de uma regra que as pessoas estúpidas acabaram por usar em qualquer contexto e fizeram com que perdesse sua força [exemplos são câncer, esquizofrênico e internet: serious business]. […]

  81. Kid says:

    83!111111111

  82. E na bunada não vai dinha, né senhores manifestantes?…

    Tem gente que passa tempo demais na Internet e tempo de menos… vivendo. Também tem gente que leva a Internet a sério demais. E tem gente que ainda leva a sério aquela ideia…