Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

“Scroogled”, a nova campanha deselegante da Microsoft pra zoar o Google

Postado em 3 December 2013 Escrito por Izzy Nobre 16 Comentários
scroogled

“Don’t get Scroogled”

Na época da guerra dos consoles de 16 bits, zoar abertamente a competidora era uma estratégia marketeira lugar comum até — e que resultava num sentimento fanboy acirradíssimo em defesa da sua marca predileta. Ou seja: era uma doutrinação que dava muito certo se você parar pra pensar.

A Sega apostou suas fichas no bordão “Genesis Does What Nintendon’t“, um trocadilho meio infame mas se você considerar que o público alvo era uma molecada de 10 anos, tava bom até demais. Hoje podemos revisitar as farpas da Sega em inúmeros comerciais em que ela esculacha diretamente os consoles da competição:

E neste outro, eles satirizam o display monocromático do Game Boy:

Então. A indústria dos games amadureceu e com exceção daqueles comerciais vergonhosos do PSP em que a Sony tentava zoar quem jogar em celular, esse tipo de estratégia de marketing foi mais ou menos abandonada.

Aí a Microsoft me aparece com essa:

O comercial é uma reinterpretação de programas americanos de reality TV como o Pawn Stars — e de fato, os dois malucos do vídeo são os caras do próprio programa. Pra quem não sabe, essas pawn shops são essencialmente lojas de penhores, e nesse programa os caras avaliam as tralhas que levam pra eles. Parece bem desinteressante porque na real, é uma premissa bem desinteressante mesmo.

Na propaganda, uma garota leva um Chromebook pra oferecer aos caras, na esperança de vende-lo pela quantia suficiente pra viajar pra Hollywood. Os caras então descontroem o Chromebook, apontando os problemas inerentes num computador cuja premissa é “você só pode fazer algo de útil nele quando está online” (um argumento que pode ser razoavelmente estendido pra qualquer computador na minha opinião, mas enfim), e que “não é um computador de verdade” porque não tem Windows e Office.

Servindo como um bom exemplo da máxima “não é O QUE você diz, é COMO você diz“, o comercial não fala nenhuma inverdade sobre o Chromebook, pra ser sincero — porém, o tom é condescendente do começo ao fim, e naturalmente a reação da internet foi imensamente negativa. Olha quantos dislikes essa propaganda recebeu.

Sem contar a ironia de usar um serviço DO GOOGLE pra reclamar dos serviços DO GOOGLE, né.

Ê Microsoft…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Essa internerd...

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

16 Comentários \o/

  1. o foda de comentar posts como esse é que a chance de ele polarizar em mais uma discussão “nós x eles” é muito grande. E o pior, esse não é o primeiro post qu e comento sobre isso, e o primeiro virou exatamente isso, um inferno googlista x microsofistas.

    Enfim, sobre o assunto do post, eu não tenho problemas com esse tipo de propaganda, desde que seja bem feita, com alguma elegância. vide as propagandas da pepsi zoando a coca-cola e e vice-versa.

    O problema que eu vejo é você usar inverdades e informações desencontradas para diminuir seu concorrente ao seu patamar. porque né, a gente sabe que o chromecast foi projetado para se usar conectado, logo ele vai trabalhar melhor conectado, mas dizer que ele é um tijolo se não estiver conectado é um exagero. ele trabalha sim offline.

    Como o izzy bem disse, o argumento utilizado pode ser estendido a qualquer computador atual. Quando a internet aqui no trabalho cai (thanks, Oi), 90% da produtividade vai para o espaço.

    Esse tipo de propaganda é bem característica da MS, parece que sempre que ela fica num beco sem saída e começa a perder mercado pra um concorrente ela apela pra o FUD.

    foi assim com o linux em relação a servidores, com a Apple em relação a desktop, e agora com o google, em mobilidade e internet.

  2. Q ISSO MAH? PAWN STARS (trato feito aqui) é uma das paradas mais legais da tv e até faz relativo sucesso por aqui. A outra versão ‘Cajun’ já não vingou tanto.

    Sobre a campanha, achei BEM babaca também.

  3. Jhonathan Souza says:

    LOL!!! Que deselegante…
    Mas então, Izzy, eu curto assistir o programa desses caras (aqui no Brasil se chama “Trato Feito”, passa no History Channel), e mesmo tendo uma premissa tosca é bem interessante até, é um programa bem humorado e as pessoas levam coisas muito WTF as vezes, outras levam coisas bem interessantes como armas super pequenas de mil oitocentos e catatau… XD

    Mas o comercial foi meio fail mesmo.

  4. lethes says:

    Pior que eu assisto esse programa. Aqui no Brasil ele se chama Trato Feito e passa no History Channel.

  5. Cassio says:

    O mais engraçado de tudo é eles postarem o vídeo no YouTube, que por sinal é uma empresa do Google, poderia pelo menos disfarçar e postar no Vimeo. ehehehe

  6. Leonardo says:

    O programa é bem legal, pois foca em artigos historicos (por exemplo teve um episodio que o cara queria penhorar os planos de batalha do dia d). E esse careca é um negociador bem filho da puta

  7. PauloBR says:

    Cara, o “você só pode fazer algo nele quando está online” é, infelizmente, um problema sério do Google.
    Por isso mesmo nem uso Gdrive, e sim Dropbox.
    Nem sempre temos uma conexão por perto, e para editar um texto/gravar um vídeo/editar uma música ou até jogar, não é necessário conexão.
    O que seria dos usuários Windows sem o Paciência, pra matar o tédio nos dias sem conexão, hahaha.
    E o Google infelizmente pensa que “todo mundo, o tempo todo tem uma conexão infalível disponível”, e isso é um grande erro principalmente aqui no
    “BRAZIL”.

  8. David says:

    Izzy, como o pessoal falou, esse programa passa no History Channel no Brasil e, acredite se quiser, é o programa que mais dá audiência no canal.

    O programa faz tanto sucesso que o History exibe não só ele como TODOS os seus spin-offs: Cajun Pawn Stars (Trato Feito: Luisiana); American Restoration (Mestres da Restauração); Counting Cars (Louco por Carros) e Pawn Stars UK (Trato Feito: Reino Unido). Exibe também um programa chamado “American Pickers” (Caçadores de Relíquias), que também já fez um crossover duplo com o “Pawn Stars” e o “American Restoration”.

    Aliás, o History usa esse programa como o tapa-buraco da grade, ou seja, se você ligar no History Channel Brasil agora, existe uma chance bem alta de estar passando “Trato Feito”.

  9. Valmir says:

    Cara não que seja muito relevante para o post, mas esse programa faz tanto sucesso aqui, que tem 3 programas no History com praticamente o mesmo nome. Trato Feito, Trato Feito Louisiana e Trato Feito Reino Unido. Achei até bem interessante, mas deveriam ter colocado o Chumlee que é o mais engraçado.

  10. Scroogled também é o nome de uma estória que li uma vez exatamente sobre como o Google tentaria dominar o mundo com suas tecnologias.
    Só achei links com formatações não muito boas, mas está valendo.
    Li alguma vez em alguma revista, acredito.
    http://cloudflare-watch.org/doctorow.html
    Outro link:
    http://craphound.com/scroogled.html

  11. Vinícius Martarello says:

    Pior que eu gosto de trato feito, hahaha

  12. Alexandre says:

    Otimo post como de costume. Mas sou apenas eu que realmente gosta desse show? Acho bem interessante. Outro show do mesmo canal que acho bem engracado (muito embora igualmente imbecil) e’ o Duck dynasty (que tem uma premissa completamente diferente, mas va la).

  13. Gara says:

    Eu acho que tem uma outra coisa envolvida. Pawn Stars é o programa mais visto do canal History nos EUA. Não sei se isso grande coisa, mas eles meio que tem certa notoriedade lá.

    O Rick Harrison já foi no programa do David Letterman e só vai A-list celebrity lá.

    Pawn Stars aparece no último clipe interativo de Bob Dylan como um dos canais. O que mostra que o programa se tornou uma parte da história recente da TV americana.

    As pessoas vendo eles se venderem assim, pode ter feito aumentar o número de dislikes.

    • Diones Reis says:

      Faz sentido.
      Estive em Las Vegas ano passado, e ao dar uma passeada pela loja, é nítido que ali virou um novo ponto turístico da cidade do pecado, devido a quantidade de gente que ali circulava, e comprava ou a camiseta do uniforme da loja e outras lembranças, ou algum item da loja.
      P.S. -- Lá estava a venda uma medalha de um dos ganhadores da Copa de 70, e estava avaliada em 20 mil doletas. :-O

  14. Diones Reis says:

    Poxa Izzy, desde quando você ficou tão chato?
    O vídeo é engraçado, e esta é a graça das propagandas americanas: Ter liberdade em trollar o concorrente.
    E o mais interessante: A propaganda Não

    Aqui no Brasil fizeram uma propaganda ótima para o Nissan, que trollava os concorrentes pelas suas deficiências.

    O que aconteceu?
    O Conar mandou tirar.
    “http://carplace.virgula.uol.com.br/conar-suspende-ousado-comercial-do-nissan-livina-2011/”

    Mas mesmo que muitos não concordem com este pensamento, ponto para a Microsoft, que de um jeito ou de outro, conseguiu audiência, ao melhor estilo “Falem Mal mas Falem de Mim”, de Ataulfo Alves.