Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

8 jogos que provam o potencial gamístico do iPhone

Postado em 12 June 2009 Escrito por Izzy Nobre 91 Comentários

Dizer que eu sou fanático por videogames seria uma redundância do caralho. Quando não estou jogando, estou escrevendo ou batendo papo sobre joguinhos. A maioria dos meus bookmarks é composta de sites de notícias sobre jogos, e o único evento anual de importância no meu calendário é a E3. Tenho todos os consoles da geração atual (de mesa e portáteis), e todos os periféricos disponíveis pra cada um deles – volante, guitarras, bateria, encaixe pra controle do wii no formato de pistola, tapete de dança, câmera, add-on com teclado QWERTY pra bater papo na Xbox Live, headset blutooth, o caralho a quatro. Eu sou o tipo de pessoa que sai em público vestido da seguinte maneira:

Sem dúvida a imagem de um nerd gamista foi a primeira coisa que veio à sua cabeça quando você viu o layout deste blog pela primeira vez e tentou imaginar quem seria seu autor. Meu comprometimento com videogames é profundo e essencialmente define quem eu sou.

Então. Qualquer pessoa suporia que eu teria me animado quando ouvi pela primeira vez a notícia de que meu smartphone favorito viraria uma plataforma de jogos. Mas ao invés disso, eu torci o nariz num ângulo de noventa graus.

Como a maioria dos gamers hardcore, a premissa do iPhone como plataforma séria de jogos soava como um salto impossível. Talvez soe como uma excelente forma de marketear o aparelho (“é um celular, é um ipod, é um tocador de vídeo, é uma ferramenta de acesso à internet, é um VIDEOGUEIME!!!11”), mas a experiência real seria completamente escrota.

Minha lógica era que talvez isso funcione pra joguinhos completamente casuais e sem propósito, daqueles que se baseiam inteiramente em dar tapinhas na tela, mas que apelo isso terá pro nerd de verdade? Não, obrigado. Meu PSP e meu DS mandaram um abraço. Nenhum gamer de verdade se convencerá com isso.

Há alguns motivos que sustentavam aquela opinião; o primeiro e mais óbvio destes sendo a falta de botões. Nos bons e velhos tempos dos Palms, muitos joguinhos tentaram input por intermédio de botões virtuais na tela, e a experiência podia ser descrita como “comer cereal usando mijo ao invés de leite, e cocô ao invés do cereal”. O hardware simplesmente não se presta a esse tipo de função. Nada funcionava como devia. Era no máááximo legal pra mostrar pros amigos, mas você jamais gastaria seu tempo jogando aquilo.

Quando eu tinha um iPod touch jailbroken (noobs, leiam “destravado”), havia vários joguinhos e emuladores não-oficiais que tentavam contornar a limitação do hardware apelando pros botões na tela. Desnecessário dizer que essa alternativa era absurdamente tosca e, novamente, só servia pra se exibir pros amigos. “Seu mp3 player roda Super Mario World? HAHA, I didn’t think so“. No seu âmago você sabia que se seus amiguinhos jogassem a parada por mais de 5 minutos veriam que se tratava apenas de efeitos especiais, smoke and mirrors. A falta de botões impedia gameplay de susbtância.

O outro problema aparentemente insuperável é o modelo de distribuição do iPhone/iPod touch. Como o aparelho não tem mídia física, todo e qualquer jogo chegará a ele por intermédio de uma conexão com a internet e, mais desgraçadamente, do iTunes. Na minha cabeça, essas duas limitações capavam completamente qualquer potencial que o iPhone almejasse ter como plataforma de jogos.

O público em geral é tanto alheio a mudanças, quanto preferidor de mídia física. Nove entre dez internautas te dirão que entre gastar dinheiro com um DVD e gastar a mesma quantia com um download legal do filme, eles preferem imensamente comprar o DVD. E mesmo em casos em que o download é um pouco mais barato, o pessoal prefere comprar o DVD. Ter o bem material em mãos confere uma sensação muito mais tangente de posse do que ser dono de um monte de códigos virtuais invisíveis atrelados a uma conta na AppStore ou no Steam, e por isso eu suspeitava que ninguém ia apostar na idéia de pagar por software sem caixa ou manual.

Sem contar no controle draconiano que a Apple sempre exerceu sobre suas plataformas. Game developers, que já têm que se sujeitar aos caprichos dos publishers, teriam OUTRO middleman pra agradar antes que seus jogos chegassem às massas. Um middleman, diga-se de passagem, que em sua única experiência no mundo dos jogos fracassou miseravelmente.

Ou seja, você tem um aparelho com hardware não-favorável, que usa um método de distribuição de mídia que os usuários em geral parecem não preferir, sendo gerenciado por uma empresa com experiência negativa no mercado de jogos. Se isso não é uma receita pra uma espetacular fracasso, nada mais é.

E guess what?

Eu estava retumbantemente errado. E nunca me senti tão satisfeito por isso.

Controles virtuais não são um formato perfeito de input de comandos, isso é bastante óbvio. Entretanto, a experiência com os controles virtuais da maioria dos jogos da AppStore são brutalmente superiores àquela atingida com PDAs, ou mesmo com apps não-oficiais no próprio iPhone. O que é bastante previsível, se você considerar que de um lado você tem software developers sendo PAGOS por um trabalho que eles levam a sério, enquanto do outro você tem adolescentes hackers que programam no tempo livre quando não estão fornicando pré-maritalmente ou fumando maconha.

E com a internet permeando cada vez mais a nossa existência (antes se limitava aos computadores, agora nossos consoles e celulares estão online 24/7), a distribuição digital acaba quebrando esse paradigma de que a posse tangível é superior à posse virtual.

Um paralelo curioso da mudança do status quo entre tangível versus virtual foram as câmeras digitais. Quando meu pai me apresentou à nossa primeira câmera digital (era uma Kodak com tela de uma polegada, 2 megapixels – com settings que ofereciam resolução na casa dos KILOpixels -, e um cartão CF de 64mb), eu achei um gadget legal, mas não muito prático. Afinal, eu teria que ficar imprimindo todas as fotos pra poder mostrar pros meus amigos? Que negócio mais sem propósito.

A penetração da internet (e, mais especificamente, nossa afinidade por sites de relacionamento social e métodos eletrônicos de comunicação) virou aquela situação completamente pelo avesso – hoje, pra usar uma câmera de filme você teria que digitalizar todas as fotos físicas (que, após todo esse trabalho, serviriam apenas pra coletar poeira em algum canto da sua casa). Se antes o que importava era o físico, hoje é o eletrônico que interessa.

E não demorará muito pra que isso se extenda a outras mídias, como jogos.

Não dá mais pra negar – a Apple acertou muito em cheio com o iPhone. Eles conseguiram garantir uma fatia IMENSA do mercado a despeito de vender um celular com hardware inferior e, não satisfeitos, decidiram repetir o feito, mas dessa vez com o olho nos games. Hardwaremente falando o iPhone fica bem abaixo do DS e PSP (justamente pela aparentemente intransponível barreira da falta de botões físicos), mas ele tem vendido mais software que os dois competidores juntos.

Vocês acham que é coincidência que ambos os novos DSi e o PSPGo! anunciem proeminentemente a capacidade de baixar jogos? Como disse Neil Young, ex-executivo da Electronic Arts que se demitiu pra fundar a ngmoco, uma conceituada empresa de produção de jogos pro iPhone, “A Apple treinou 30 milhões de pessoas a baixarem jogos em qualquer lugar que elas estejam“. Ele acredita que isso é tão significante pro mundo dos games quando a introdução do Atari VCS, do Game Boy ou da Xbox Live.

Aqui estão 8 jogos pro iPhone ou iPod touch que foram capazes de convencer até mesmo o mais ferrenho oponente: eu.


Bom, essa screenshot não carece de nenhuma introdução. É Sonic, meu amigo, na porra do seu celular/mp3 player. Muitos de vocês provavelmente me vêem como um fanboy da Nintendo (eu dei motivos, admito), e em meu âmago talvez eu seja mesmo. Mas não há como negar que a Sega acertou muito em cheio com Sonic. Este porco-espinho azul ainda é uma das franquias mais reconhecidas da história dos games, e os primeiros jogos eram verdadeiras obras primas.


Warfare Incorporated é um jogo de estratégia em tempo real bastante parecido com Command and Conquer, que veio da época dourada dos Palms. Tive Warfare Inc em todos os meus PDAs, e eu adorava o jogo.

Nem preciso dizer que com uma interface multitouch, o jogo tem um gameplay incrivelmente mais fluído, sem contar que update anunciado do jogo trará multiplayer via 3G. É isso aí, RTS online portátil. Definitivamente vivemos no futuro.


Alien Abuse (conhecido apenas como Abuse na época dos joguinhos shareware de PC) é um shooter 2D que foi o primeiro a implementar um esquema de controle que dependia simultaneamente do teclado e do mouse. É engraçado pensar que esse método que virou padrão absoluto foi recebido com muuuuito desgosto na época. A maior crítica que tinham contra Abuse era o controle.

Eu nunca imaginei que um jogo de gameplay tão brutalmente veloz fosse viável numa plataforma como o iPhone, mas aqiu estou eu no level 11 e adorando cada segundo. Com o círculo da esquerda você move o bonequim, com o da direita você mira. Um terceiro círculo executa saltos. Funciona MUITO bem. Não acredita em mim? .

Se você duvida que um jogo hardcore possa funciona no iPhone, recomendo com força que você veja esse vídeo.

Ah, quase esqueci – o jogo oferece multiplayer online também.


Orions: Legend of the Wizards é um jogo que mistura cardgame a la Magic the Gathering com estratégia de gerenciamento tipo Heroes of Might and Magic pra criar algo deliciosamente inovador e viciante. Já falei bastante desse jogo aqui, então não vou chover no molhado. Só vou adicionar que foi jogando horas e horas de Orions em casa (eu nunca jogo games portáteis em casa) que eu percebi que ver o iPhone como um console não era tão sem fundamento quanto eu pensava. Joguei umas 30 horas dessa merda, e nem zerei todos os modos ainda.


Peggle é o joguinho casual que tá sendo a grande sensação entre o povo não-gamer, ou ao menos era o que eu sempre havia lido sobre o jogo. Nunca me interessei em Peggle, novamente por causa do meu posicionamento de gamer hardcore arrogante que pensa que esses joguinhos são pra vovó.

Ledo engano. Por trás da aparência miguxinha, Peggle é um jogo extremamente viciante e recompensador. É muito difícil largar o celular quando começo a jogar essa merda.


Sim City. Mais precisamente, é um port de Sim City 3000.

Sinceramente, preciso dizer mais alguma coisa?


Tiki Towers é um joguinho bastante carismático e diferente – nele, tu tem que construir pontes/torres com bambus e côcos, pra permitir que o grupo de macaquinhos chegue do ponto A ao ponto B. A física é realística, e suas estruturas balançam, caem e quebram como aconteceria no mundo real. Você às vezes tem que jogar o mesmo mapa vinte vezes, até bolar um design estrutural que aguente o malemolejo dos símios. Há bastante unlockables, o que garante replay value.


Myst é outro clássico absoluto que dispensa qualquer apresentação. Rezemos pra que o iPhone traga de volta o finado estilo point and click adventure.

Tem outros jogos de alto calibre que eu não mencionarei porque não são exatamente meu estilo (Sims 3, Real Racing, Need for Speed, Cooking Mama, Metal Gear Solid Touch, Tiger Woods PGA Tour, Doom Resurrection, Terminator Salvation, Katamari Damacy, etc), mas eles servem pra provar meu ponto de que o iPhone e o seu irmão mais novo iPod touch causaram uma forte impressão na indústria gamer. Qualquer pessoa que pensava como eu, que essa imagem de console era nada além de empáfia marketeira precisa sinceramente ler reviews, ver os vídeos de gameplay e reconsiderar.

No final das contas, é bastante improvável que os jogos do iPhone ou do iPod touch sejam o motivo da preferência pelo aparelho. Eu estaria sendo completamente surrealista se dissesse que alguém vai comprar um iPod touch só pra jogar Sonic ou Peggle.

Acontece que a opção extra desses joguinhos certamente faz a escolha pender pro lado dos iGadgets, e ao mesmo passo de que a aceitação do iPhone/iPod touch aumenta por causa disso, também aumenta o interesse de softhouses de capitalizar em cima da base instalada.

É um círculo lógico que resultará apenas em uma coisa – mais jogos excelentes pra mim e pra você.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Games, Tech Toys

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

91 Comentários \o/

  1. RT @izzynobre 8 jogos que provam o potencial gamístico do iPhone: http://migre.me/25A2 (compartilhaê, moçada!)

  2. mytho says:

    @izzynobre o seu feed me leva a http://bit.ly/hDM9R quando deveria levar a http://bit.ly/106JiE (o problema do DNS já foi resolvido)

  3. Maneiro. Como não tenho um iWhatever, o único que já joguei foi o Warfare Inc, no tempo dos Palms.

  4. Rafael says:

    Oh…não eram 10 jogos?

  5. Ladislau NS says:

    8, rapaz…
    Oito!!

  6. Tiago Tavonerd says:

    Bom texto.
    Os hardwares do iPhone (primeiro) e to iPod touch são o mesmo? Pois pode haver queda desempenho nos jogos se não. Não?

  7. Geek Pobre says:

    Só joguinho bom mesmo. Meu iPod é a compania perfeita de segunda a sexta de manhã onde fico jogando Orions, Peggle e Myst ao invés de estudar =P
    E é impressão minha ou isso é só uma tradução descarada do seu texto do Facebook + a parte da câmera Kodak (que aliás tive uma igual)

  8. Ed says:

    Parabéns Kid, excelente post. O Tiki Towers, o Peggle e o Alien Abuse parecem bastante interessantes. Vou ver se baixo 😀

  9. Xong Lee says:

    Preferia que o PSP Go tivesse vindo com telefone! ¦-]

  10. Lorenz says:

    Tiki Towers é uma cópia de World of Goo, correto?

  11. Rodrigo Trevelin says:

    Muito bom, já tava afim do iPhone desde o seu lançamento, agora com o lançamento do iPhone 3Gs vou de fato comprar o bichino, é uma pena ter que esperar até o ano que vem, e o preço salgado dos fucking taxes que o governo poe em cima do dito cujo, mas vale cada centavo investido.

  12. Oddy says:

    Um dos que esta me deixando mais viciado é o Fieldrunners, infelizmente foi duramente esquecido. );

  13. Sensacional os reviews e seu ponto de vista, kid. Reitero sobre o interesse de softhouses, até aqui no Brasil já conheço 2 programadores que estão estudando para desenvolver jogos/apps para iphone/ipod, ambos hoje programam para web mas já viram o potencial do mercado.

  14. Mytho says:

    Foda vai ser Day of the Tentacle no iphone… eu era viciado nessa porra.

  15. lloyd says:

    eram dez mesmo.

  16. Lorrene says:

    Esse post patrocinado da apple nem parece que foi patrocinado 😛

    E a bateria? Não acaba rapidinho com esses jogos?

  17. Joca says:

    Voce sabe que na iStore brasileira não tem jogos, certo?

    Resumindo: Puta POST INUTIL que nao adiciona nada a seus usuários nem mesmo a seu “press kit”. Empresa nenhuma vai investir em alguém que anuncia coisas canadenses que não vão ser de interessa nenhum de ninguem no Brasil, mesmo contando quem tem iPhone.

  18. Puta vermelha says:

    Kid viadinho casou com americanazinha, conseguiu green cardzinho e agora vive comprando camisa tamanhinho GG com desenhinho.

  19. Kid says:

    @Joca

    Você sabia que pode facilmente criar uma conta na AppStore americana, né?

    Puta CELULAR INÚTIL esse seu, sem poder apreciar o que há de melhor na loja do iTunes 😀

    Se você não sabe aproveitar seu aparelho da forma máxima, a culpa não é do HBD, porra. Milhares de brasileiros donos de iPhone criam contas na iTunes gringa e compram joguinhos na maior alegria. Se você não teve a manha, paciência 🙁

  20. CCCC (discípulo) says:

    Kid viado, vai morrer de tanto potencial gamístico do iPhone no cu!

  21. Geek Pobre says:

    @Kid e @Joca
    A iTS Americana nem é a melhor pra quem mora aqui. A Argentina aceita Cartão de Crédito BR e tem as MESMAS coisas que a Americana (por um preço melhor que comprar os Gift Card no eBay ou ML)

    @Mytho
    Se seu aparelhor for jailbroken tem o ScummVM no Cydia. Eu uso ele pra jogar DoTT e Sam & Max.

  22. peeruca says:

    @Joca @Kid Vo até olhar onde tá registrada minha conta do itunes quando chegar em casa, pq eu tenho quase certeza que tá como Brasil e eu tenho acesso a apps e joguinhos.

  23. Rafael says:

    EU NÃO POSSO acreditar que o tal do Joca tá falando sério! =)

  24. Rafael says:

    @Geek Pobre

    Só pra adicionar, que tem todos os APLICATIVOS da americana. Mas o resto não é igual. 😀

  25. Hawk says:

    Entre argentina e americana, fico com a americana. Eu tenho Cartão internacional mesmo.

  26. Rafael says:

    @Hawk

    É que na americana tu precisa comprar cartões no ebay e tal.

    Na argentina tu pode usar teu próprio cartão direto na loja.

    Acho que sai mais barato.

  27. Junior says:

    gamístico seria um gay espiritual? 😀

  28. Xong Lee says:

    PQ diabos a Argentina tem uma loja decente e o BR nao? PQ pq? PQ o Brasil, este pais de merda, ainda é uma colônia!!! Ainda se deixa ser colonizado, mandado, escrotizado por todos os cantos. As industrias fazem o que querem nessa porra. Façam uma comparacao com o preço dos carros por exemplo.. com o preço do carro mais barato no Brasil, tu compra uma mercedes nos EUA (com uns 2 anos de uso). Nao tem loja itunes BR pq? Pq ainda nao acharam um jeito de fuder todo mundo. Brasileiro so se fode!

    • Gustavo says:

      A App Store do Brasil não disponibiliza jogos devido à uma lei criada pelos nossos excelentíssimos políticos: os jogos, antes de serem comercializados, devem ser analizados por uma comissão, que avalia se o jogo fere alguma lei brasileira (ex.: temos uma lei que indica que jogos eletrônicos não podem desrespeitar credos e religiões) e para que idade os jogos são propícios.
      Totalmente excelente, não? Existem centenas de milhares de jogos ao redor do mundo, e antes de cada joguinho de US$ 0.99 ser comercializado, ele deve passar por esta comissão. Resumindo: as despesas com toda a burocracia custam mais do que o lucro em potencial, e os desenvolvedores nem perdem seu tempo.
      Por isso eu fiz o jailbreak. Na verdade não sabia que a App Store Argentina aceitava nossos cartões…

  29. Lorrene says:

    @Geek Pobre, @Rafael e quem mais tiver a conta argentina.

    A conta argentina tem músicas e filmes também ou só os apps?

  30. Jrenovatio says:

    Mais uma opção para se pesar na hora da escolha de um celular, para os aficcionados por games.
    Estou em dúvidas entre o N97 e iPhone 3GS.

  31. ptr znt says:

    bom o texto, mas sei lá.
    nao consigo tirar da cabeça que tu ta fazendo isso por dinheiro também, perde um pouco a graça.

    não é pra criticar nem nada, só a impressão que me ficou.
    mas keep writing kiddo, que eu continuarei lendo 😀

  32. Ciberdek says:

    O meu NGAGE também tem Sonic.

    AHSHASHAHHSHAHSHAHSAHSH!!!!!

    Não resisti!

  33. Simone89 says:

    Nossa, esse Tiki Towers é tipo um World of Goo de macacos.. não conhecia.

  34. Lorrene says:

    lol, eu fiz o comentário brincando com a estória do post patrocinado (até emoticon coloquei p/ ficar claro que eu estava brincando) e tem gente levando a sério? De qualquer forma, a estória do media kit e depois de vc ter voltado ao Brasil, melhorou bastante o blog.

    Só sei que tá dando mais vontade ainda de começar a desenvolver p/ iphone.

  35. Sempre que venho aqui, me lembro que sou pobre.

  36. Joca says:

    Sim Kid, mas a aple só vai lhe pagar se você falar bem da loja deles aqui a não ser se quem pagou esse post foi a aple americana que eu duvido muito pois está tudo escrito em nosso idioma!

  37. Juvenal says:

    Porra, Myst é nostálgico. Me fudi pra caralho até zerar esse bagulho.

  38. Vovô Garoto SF says:

    O Kid virou um Macfag…
    Que tristeza.

  39. Edu says:

    Só discordo quando falou de hardware inferior. Até o iTouch de primeira geração (o mais fraco dos iDevice) é superior ao DS em quase tudo (Wifi, Ram, clock do processador, etc) e mesmo o PSP em alguns pontos. Basta ver os gráficos em 3d dos jogos de algumas grandes produtoras superam os do DS sim, mas ainda fica a dever ao PSP por hora (hello iPhone 3GS). Claro que por ser um dispositivo multifunção acaba por diminuir algumas vantagens de hardware.

  40. Gabriel Correa says:

    Realmente, quando eu vi o iphone pela primeira vez me interessei mesmo foi pela capacidade de usar internet de boa. Mas depois que me falaram que ele poderia ser usado como plataforma pensei : “putz, apple vai fazer merda”.
    Ta na hora de rever meus conceitos XD~

  41. xiska says:

    fieldrunners manooow

  42. Gley Riviery says:

    Falou e disse sobre os jogos point & click. A primeira vez que joguei no iPhone pensei que ele seria a plataforma perfeita para este tipo de game, e depois que eu instalei o SCUMMVM vi que estava certo.
    Bem que a LucasArts podia começar a produzir umas coisinhas para iPhone. Aqueles antigos eu já terminei todos, queria ver coisas novas.

  43. Kayaphas says:

    Manooo…Peggle é lindo *.*

  44. André says:

    Peggle é um joguinho viciante demais!
    Eu não tenho um Iphone, mas eu vi o joguinho e baixei no pc mesmo, e olha, é viciante demais. Curti.
    E quero ver se baixo aquele Alien Abuse. Parece ser interessante.

  45. dr34dfu1 says:

    Kid, olha só:
    O N97 tem um DIRECIONAL no lado esquerdo do teclado slide. Tem algo mais slick que isso? Achei sensacional.
    E o Zune HD tem um chip Tegra dentro, assinado pela NVidia, o que o faz extremamente propício a jogos, mesmo que não seja esse o foco inicial.
    Olha o que ele pode fazer:
    youtube.com/watch?v=_p69T3cWHBs
    A Sony agora parece disposta a escrever Playstation em seus celulares, assim como escreve Cybershot e Walkman.
    Sei não, acho que a Apple está ganhando porque atacou e conseguiu o mainstream com parafernália acelerômica e multitoque. Afinal, o pessoal andava carente.
    Agora com a base instalada faz o que quer, já que o povo que produz faz o que pode e o que não pode pro jogo rodar na plataforma, sabendo que vai atingir um montante muito maior do que produzindo pra um console portátil (principalmente se for joguinho desses tipo puzzle ou algo pra todo mundo).
    Chega de chover no molhado.
    É esperar pra ver. O futuro é lindo.

  46. 8 jogos que provam o potencial gamístico do iPhone | Wii Maníacos says:

    […] volante, guitarras, bateria, encaixe pra controle do wii no formato de pistola, tapete de da… leia mais fonte: http://hbdia.com/wordpress/2009/06/12/8-jogos-que-provam-o-potencial-gamistico-do-iphone/ […]

  47. Raphaël says:

    Pensando bem, o iPhone provavelmente é equivalente ou superior aos PC’s dos redores de 2001, então o valor nostálgico que esses jogos conseguem alcançar é simplesmente colossal.
    Uma fusão disso com Pokemon seria estuprar furiosamente com um poste de luz farpado o Xbox, PS3 e Wii.

    A interface point’n’click é quase perfeita pro troço, vide Sim City e The Sims, que embora pudessem ser jogados só pelo teclado pelos ProPlayers lifeless 2.0 ainda é muito divertido.

    Parte do sucesso dessa idéia vem da filosofia Nintendista, foda-se que os gráficos não são lá essas coisas e a inetrface até é meio chatinha, a idéia do jogo é genial e, como diria a galera do MRG “É uma merda legal pra caralho”.

    Além de tudo, a ironia maior é que por muitos anos város tentaram fazer um celular que desse dub de plataforma gamer, vide Ngage, mas o sucesso veio num celular que acabou por ser uma ótima plataforma, ao melhor estilo herói por acidente.

  48. Guilherme Rodrigues says:

    Opa, Sim City é tudo cara!!!!não há jogo como este, felizardos são os que tem iPhone.

  49. dr34dfu1 says:

    AIOUhAIOhAU realmente!
    Até minha batedeira roda Sim City.

  50. izzynobre says:

    @borbs concordou com meu post de ontem então? http://bit.ly/5qaEl

  51. algust21 says:

    Anda não teho iphone pra saber.
    Mas por esses graficos ainda não não dou o braço a torcer: PREFIRO MEU PSP! (ver filme nele é tesão demais)

  52. Darox says:

    Não gostei, eu nunca desejei ter um iphone.

  53. Abisnobaldo says:

    Um videogueime se destaca pelos seus títulos exclusivos e vc acabou citando apenas conversões de jogos de outras plataformas. O iPhone é sim muito superior a qualquer outro telefone celular, mas ainda não é do mesmo nível que um DS ou PSP

  54. Kid says:

    @Abisnobaldo

    Esse era o paradigma ANTIGO. O mundo dos consoles tá muito mudado.

    Em primeiro lugar, a era dos jogos exclusivos se foi há muito tempo. Hoje em dia os custos de produção de jogos são altíssmos, então lança-los como multiplataforma é a melhor estratégia pra obter de volta o investimento. Afinal, lançar jogo em apenas um console significa limitar o público.

    Em segundo lugar, consoles não são mais apenas maquininhas de jogar videogame. já faz algum tempo que a ênfase é funcionalidades adicionais. Tanto o Xbox 360 quanto o PS3 são marketeados como centrais de entretenimento -- você assiste filmes neles (tanto seus DVDs como filmes comprados através dos catálogos virtuais da PSN e Xbox Live), acessa a internet, conversa com amigos, ouve música, vê fotos, etc etc etc. O PSP já fazia isso desde o começo, e o DSi tá aí seguindo o mesmo passo. Console como um aparelho simplesmente pra jogos não existe mais.

    E nesse novo paradigma que o iPhone se encaixa bem. Não é que o iPhone seja SUPERIOR ao PSP ou DS; a questão é que uma pessoa que tenha PSP, DS e um iPhone (meu caso, por exemplo) acaba passando MUITO mais tempo com o iPhone no bolso, do que com outros consoles. E por isso, pra qual plataforma você acha que esse usuário comprará mais jogos?

    Amo meu PSP demais, e meu DS idem. Mas no dia a dia, no mundo real, eu quase nunca saio com eles no bolso. O iPhone, por outro lado, me acompanha onde quer que eu vá.

    Os números não mentem. Donos de iPhones compram MUITO MAIS jogos que donos de PSP e DS. E isso incentiva os desenvolvedores a lançar ainda mais software pra plataforma.

    Tente não ver meu argumento como “iPhone é superior aos portáteis”, e sim “o iPhone combina funções importantes como comunicação com entretenimento de uma forma que o torna mais atraente pro público em geral”.

    Pra gamers hardcore é realmente difícil entender como um celular sem botões pode fazer oposição séria a videogames, mas é isso que tá acontecendo.

  55. Geek Pobre says:

    @Kid
    Hoje em dia, realmente os consoles estão convergendo para se tornarem centrais de multimídia. Ai é que está o ponto forte do iPhone em relação ao DS(i) e PSP(go!).
    Enquanto os dois foram concebidos como consoles e só muito tempo depois forçados a seguir o caminho que estão seguindo atualmente (músicas, filmes, internet) o iPhone fez o caminho inverso, sendo criado como um aparelho para ver filmes, ouvir música e acessar a internet e só muito tempo depois que foi aparecer a AppStore e os jogos.
    Sem contar que o modelo de distribuição digital usado nele faz a pessoa comprar muito mais do que se fosse necessária uma mídia física. Primeiro porque o custo seria maior já que teria que se fabricar a mídia, fazer a gravação, embalagem, etc e porque é muito mais fácil fazer uma compra assim!
    Enquanto que para comprar um jogo de DS ou PSP eu teria que me deslocar de onde estou, ir até a loja, procurar (e torcer) para achar o jogo que quero para só então poder jogar com o iPhone eu posso estar sentado na privada que se alguém falar no twitter “o jogo AX2 é muito foda, compre ele!!1!” eu posso abrir a AppStore, comprar o jogo e ter jogado ele antes mesmo de ter terminado de cagar.

  56. dr34dfu1 says:

    E eu irritado porque li no gizmodo que trackpad é melhor que mouse.
    Fuuuuuuuu!
    To me sentindo velho tendo que, de repente, me adaptar a essas novas idéias.

  57. Knux says:

    O itunes substitui distribuidoras… Logo, não há intermediarios entre o desenvolvedor e a loja… Por isso que já há tantos programinhas 😉

  58. Knox says:

    Kid, já reparou (falaram) que esse Tiki Towers é idêntico ao World of Goo?

    E antes que perguntem, não, não conheço esse Knux/Sou fake de ninguém.

  59. Bruno says:

    Primeira vez que eu leio o blog, mas, depois desse texto excelentemente escrito, já sou seu fã! 😀

  60. Nailson says:

    Pois é Kid, eu de começo achei q o iPhone teria um bom futuro nos games por conta do acelerômetro. e eu não tinha olhado o lado RTS! realmente, RTS no iPhone deve ser massa pra caralho! mas eu ainda tenho vontade de comprar um Cintiq só pra jogar Warcraft 3 e CC.

  61. Poisony says:

    Caralho, Abuse. Lembrei de uma demo desse jogo num friggin’ CD-ROM da finada Topgames. Nostalgia brotando aos montes.

    Enfim, a recepção atual do público gamer em relação ao iPhone tá muito parecida com a forma que enxergavam o Xbox na geração passada. Tem potencial, funcionalidades interessantes, mas todo mundo achava a idéia de ser um console da Microsoft bizarra.

    Na boa, eu boto fé e aguardo a tendência se espalhando em toda gadgetzinha que veio pra bater com o iPhone, de uma forma ou de outra. A gente só tem a ganhar.

  62. SOBRE NÃO TER GAMES NA LOJA BRASILEIRA:

    Vocês ficam culpando a Apple, os desenvolvedores e tudo mais que puderem. Mas a culpa é da lei brasileira, que a Apple por sinal respeita muito bem.

    Existe uma lei por aqui, que proíbe o comércio de games sem passar pelo controle que o governo tem, que diz se determinado jogo é recomendado para tais idades, se tem violência, sangue, etc.

    Como eles não tem recursos (e a Apple também não vai se preocupar em oferecer isso a eles) para testar os games, a forma mais prática é simplesmente não vender por aqui.

    Posso estar mentindo, mas até onde eu sei o Brasil utiliza critérios de idade recomendada, que difere do padrão adotado no resto do mundo. Ou seja, o padrão brasileiro é fora do padrão mundial.
    Isso daria um trabalho tremendo para classificar novamente todo conteúdo gamer distribuido por aqui.

    A saída utilizada pelos desenvolvedores (Brasileiros ou não) é definir uma segunda categoria ao App. No caso, a mais utilizada é Entretenimento.

    Existe um pingo de esperança (que eu não boto muita fé) que agora com o OS 3.0, os apps vindo com recomendação de idade, a Apple tente habilitar a categoria de games por aqui, novamente.

    Enfim, não temos games oficialmente por aqui, porque o Brasil segue um “padrão próprio” de classificação de conteúdo.

    São as leis brasileiras apoiando a Apple mais uma vez. Assim como ocorre com os preços de nossos Macbooks por aqui. O preço que paguei no meu White aqui, compraria um Pro lá fora.

    É por essas e outras que eu amo o Brasil. Not.

  63. Puta vermelha says:

    Kid viado vai morrer de tanta futilidade no cu se continuar discutindo blogosfera no Twitter.

  64. Nick-kun342e says:

    Eu não acreditava no iphone como algo útil em games mas kra Sim City 3000 foi o shoryuken no meu discurso mas o sonic ainda não é surpresa, um super mario rpg seria e olha q sou “seguista”¬¬

  65. Nick-kun342e says:

    Sorry pela noobada de agora mas PQP uma camisa de Super Mario Bros. 3, filho da mãe um dia ainda acho uma dessa.

    momento dado:”Vc traiu o momento sega, véio.”

    Se é pra merdar q o faça direito! xD

  66. Willian says:

    só faltou um zelda pra ficar supimpa

  67. Tayná says:

    Porra, agora eu quero um Iphone.. x_x

  68. algust21 says:

    @Kid;

    Entendo sua posição, e acho legal vc apresentar esse tipo informação aqui no HBD, é legal pra termos noção de que é possível criar/ter bons jogos a preços baratos sem nenhum botão. Mente aberta é fundamental pra curtir medias como o videogame, né?

    Só acho que o Iphone no Brasil ainda é muito caro, pra mim compensa mais ter um celular qualquer e carregar o PSP pra cima e pra baixo, pq pelo menos aqui em São Paulo, sacar um PSP no metrô chama tanta (se não menos) atenção quando um Iphone, então o risco é o mesmo.

    Agora uma dúvida: não tinha um jogo estilo “God of War”(ou ainda nem saiu? :X) pra Iphone? Eu li em vários blogs que ele ia arrasar em vendas e era superior aos tops do DS/PSP. Senti a falta dele nessa lista.

  69. Expedito Paz says:

    Nesas horas eu lembro que sou pobre pra ter esses brinquedinhos:(

    Uma coisa bacana seria a transposição dos clássicos da Lucasarts. Imagine Full Throttle no Iphone?

  70. Gley Riviery says:

    Depois deste post fiquei animado para comprar alguns jogos. Peggle, Alien Abuse e SimCity eu já tinha, mas Myst eu nem sabia que existia para iPhone. Mas também, o troço tem mais de 700Mb, carai!

    A quem interessar possa, Sonic só funciona no firmware 2.2.1, e como não consegui atualizar sem perder o yellowsn0w, fiquei só na vontade.

  71. PunK says:

    Se ninguém ainda viu, vão no youtube e procurem por Quake 3 iPhone.

    O cara fez o servidor do quake rodar no iPhone!!!!

  72. Kid says:

    @algust21

    É verdade, esse jogo se chama Hero of Sparta.

  73. jrbrios says:

    pow, tá parecendo texto técnico essa porra.. o.O

    “E com a internet permeando cada vez mais a nossa existência (antes se limitava aos computadores, agora nossos consoles e celulares estão online 24/7), a distribuição digital acaba quebrando esse paradigma de que a posse tangível é superior à posse virtual.”

  74. Thiago Leite says:

    Comprei o iPod Touch pela internet. Ainda bem que li este post antes de receber a mercadoria, assim eu sei que não vou me arrepender.

  75. filipecrosk says:

    RT @izzynobre 8 jogos que provam o potencial gamístico do iPhone: http://migre.me/25A2 (mamae eu quero)

  76. […] a indústria de jogos para celulares está ganhando é burrice. Só observar o fenômeno do Iphone (o qual recomendo um excelente artigo sobre jogos do Iphone no blog: “Hoje é um Bom Dia”…) que vende jogos a 1 ou 2 […]

  77. Guilherme Pilotti says:

    Eu ainda não acredito no iPhone/iPod como plataforma minimamente decente para jogar jogos mais complexos do que isso.
    Será que a experiência de um port de MGS ou RE será tão boa quando a de um RTS ? (que usa o principio de “apontar e clicar” sempre).
    E o pior ainda, no meu ver, é a iTunes Store como ÚNICA fonte de jogos/apps para a plataforma. Isso tolhe muito do potencial da plataforma.

    E o aceleromêtro ? Ele pode ser desligado sempre ? -- eu joguei um jogo de corrida no iPod Touch e o mesmo não podia ser desligado, o que resultava no carro indo de encontro à paredes quando o trem fazia as curvas -- Pergunto porque eu só tive o iPod Touch 1G.

    Enfim, eu ainda torço o nariz MUITO quando me dizem que o iPod Touch/iPhone é uma boa plataforma para jogos não-casuais.

    []’s

  78. Noob ;/ sry says:

    Tá, tipo que eu moro no Brasil(dã) e tenho cartão de crédito e endereço brasileiro(dã), então é impossível para mim comprar algum app da appstore americana. Alguma dica de como contornar esse problema, COMPRANDO apps pela appstore americana daqui do Brasil? Ou é completamente impossível?

  79. Patrícia says:

    @webmotiva http://tinyurl.com/mxe94d -- interessante, sobre o assunto, do ponto de vista gamer.

  80. WebMotiva says:

    RT @patie_: http://tinyurl.com/mxe94d -- interessante, sobre o assunto, do ponto de vista gamer.

  81. Henrique says:

    Olá, acima há um comentário falando que há uma diferença entre os processadores do Itouch e do Iphone, basicamente sim, o Iphone 3g usa o mesmo processador e memória RAM do iTouch 1g, o Iphone 3GS usa o mesmo processador e memória RAM do iTouch 2g(ambos mais rápidos e melhores).

    Senão me engano é isto.

  82. Andre Kenji says:

    Se fosse apenas com games, OK, mas muitos podcasts gratuitos a Apple deixa os brasileiros de fora. Tipo, os podcasts da CNN.

    Aliás, eu tenho um Ipod Touch. Compensa porque eu sou newsjunkie e há farta oferta de conteúdo nesse sentido. É algo que não tem preço acompanhar o CBS Evening News de manhã no ônibus.

    Para pessoas normais monoglotas, não sei se compensa.

  83. Edmar says:

    váo todos tomar no cu carai eu baixo um monte e nada funciona

  84. Goim(SteamFanBoy) says:

    Que raiva do steam eim rapaz. Você deveria ter suposto que o venda digital seria mais gratificante que a material. Principalmente pela praticidade e pela hora em que seus amigos perguntam para você: “Tem quantos jogos no Steam?” nesses momentos meus olhos enchem de alegria e repondo saudosamente 53( Isso mesmo 53 O.o(Pelomenos era isso a ultimo vez que contei)). Agora pense aqui comigo amigo( rimou ) imagine eu com 53 caixas de jogos na minha casa. Já pensou nisso? EU ia ter que começar a doar meus jogos pra eu consiguir espaço na minha gavetinha que não cabe mal 10. (Bem assim mesmo se quiser me add no steam add ai goim03@yahoo.com.br).

  85. […] a indústria de jogos para celulares está ganhando é burrice. Só observar o fenômeno do Iphone (o qual recomendo um excelente artigo sobre jogos do Iphone no blog: “Hoje é um Bom Dia”…) que vende jogos a 1 ou 2 […]

  86. Só pra constar: todas as suas imagens sumiram. 😛