Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 14 September 2004 Escrito por Izzy Nobre 0 Comentários

Sessão fotográfica, maluco!

Descolei uma câmera fotográfica e saí tirando fotos pelas redondezas. Conheçam agora a intimidade deste que vos escreve. Invada a privacidade deste blogueiro sem futuro que diverte vocês diariamente. Entre nos meus aposentos, veja minhas tralhas, arrume minhas cuecas e deixe a conta em cima da mesinha quando sair.

Não que alguém tenha pedido pra ver essas fotos babacas que eu tirei com a câmera digital da minha patroa, mas eu preciso de tempo para digitar o próximo post polêmico que abalará as estruturas da sociedade brasileira e que deixará mais gente com raiva de mim.

Sem mais farofagens, vamos logo ver essas porras.



Meu empoeirado porém luxuoso e aconchegante quartim. À esquerda, minha cama de casal sempre bagunçada. É lá que eu não durmo, porque passo o dia inteiro irritando pessoas na internet e arrumando confusão virtual.

À sua direita você pode ver meu PCzinho vagabundo, entretanto equipado com um invejável monitor de cristal líquido de quinze polegadas. Excetuando-se o monitor, todo o resto do computador pode ir direto pra lata do lixo. Pentium III 662mhz com dois HDs de, sei lá, uns 20 giga, e um Windows XP totalmente fodido por cracks, spywares, vírus, doenças sexualmente transmissíveis e sapinho.

É sentado com a bunda nessa poltrona marrom que eu provoco pessoas ao redor do mundo, trocando duradouras experiências de vida e arrecadando xingamentos contra minha santa mãezinha. E ainda arrumo tempo colocar um errinho aqui e ali nos meus posts, pra divertir a molecada.

Em cima da cama, pode-se ver um tabuleiro de HeroQuest, o popularíssimo jogo nerd que encantou gerações e destruiu bolsos (era caro pra cacete). Comprei numa loja de usados por dois míseros dólares e só brinquei duas vezes. Tá aí, de enfeite, porque eu tou com preguiça de guardar em algum outro lugar.

Vocês que tenham um nível de percepção mais desenvolvido talvez tenham notado a presença dela.

Obviamente não poderia deixar de mencioná-la. A insígnia máxima do País da Putaria, nossa bela bandeirola nacional. Comprei outro dia quando fui trabalhar com meu pai (arrá, dessa vocês não sabiam). Coloco-a na janela para a rua inteira saber com quem é que estão lidando. À noite, enrolo-me com o pendão da república para ter belos sonhos patrióticos. E quando vou comprar aspirina na farmácia, enrosco-a no corpo porque, como vocês sabem, todo mundo adora os brasileiros. Capaz de me darem um desconto né, sei lá.

Sim, meus livrinhos! Na estante branca ali atrás há algumas publicações que li e recomendo (Ou vendo. Interessados, deixem comentários.) mas vocês não podem ver, porque a cadeira está bloqueando todos. Rainbow 6, Presa, a coleção inteira de Operação Cavalo de Tróia, o Apanhador no Campo de Centeio, Caçada ao Outubro Vermelho (um dia ainda termino de ler essa porra), dois livros do Veríssimo cujos nomes me esqueço agora, StarGate (o pior livro já impresso desde que Gutemberg teve a brilhante idéia de iniciar a História da letra impressa com uma bíblia) e, vejam só, uma bíblia. Metade desses títulos são em português, a outra metade em inglês, 75% em códigos da Matrix, um terço em letras ao contrário e o resto eu só olhei a capa.



Quide, o seu blogueiro favorito e agora com cabelo comprido.

Ou quase. Em 19 anos de vida essa foi a melhor fotografia que já tirei. Se você considerar que meu pai já foi fotógrafo e que eu tive câmeras em casa durante duas décadas, é possível imaginar que não foram poucas tentativas de sair bem na foto. Se você beber um pouco, afastar-se do monitor, espremer os olhos e chacoalhar a cabeça, dá quase pra me achar bonito. Quase.

Atrás da minha cabeça é possível ver uma cama desarrumada, um deck de Magic (que em breve ganhará também o seu próprio post), um telefone e um travesseiro com uma baitolíssima fronha de borboletinhas azuis. Alguém tem que falar pras mães pararem de comprar esse tipo de coisa pros filhos.

As espinhas foram porcamente removidas com o Foton Shopping, deixando manchas irregulares que ficaram pior do que o defeito da pele original. Preciso aprender a mexer nessa porra de Foton Shopping. Oh, well. Não vou pegar nenhuma de vocês mesmo. Devia ter deixado as perebas intactas. E aqui, com minha costumeira cara fechada de poucos amigos e dor de barriga. Se não me engano, eu estava realmente com dor de barriga quando tirei essa foto. Ou então minha atuação é tão boa que eu tapeei a mim mesmo.



Uma sensacional foto panorâmica do estacionamento do meu prédio. Clica aí para vê-la em seu esplendor. No meio da foto, Dana, minha cunhadinha de cinco anos. Ou sete, vai saber. Números não são mesmo o meu forte. Bonitinha ela, né? Um amor de menina.

Às vezes tenho vontade de segurá-la pelos pés e bater sua cabeça na parede pra ver se com um traumatismo ela continua gritando na minha orelha quando estou assistindo filme na casa da patroa.



Voltemos ao meus aposentos. Em cima da mesa vocês podem ver, entre uma maçaroca de fios, meu fiel companheiro mp3 player. Eu me casaria com ele, se a entrada USB não fosse tão apertada. Ao seu lado, a webcam geniosa que só funciona quando quer. Na caixinha azul, uns docinhos. À direita, quase saindo da cena, um pedaço do meu Gameboy, que não quis aparecer na foto nem dar declarações. É um viado mesmo.

Na estante branca, uma fotografia antiga de família. Ao lado, uma pilha de CDs que eu em breve transformarei em freesbies. Embaixo, algo que parece ser uma cueca suja, ou um par de meias. Ali perto ficam meus bonequinhos de Mage Knight, outro jogo de RPG caro que eu comprei e acabei nem brincando direito. Percebam na parede um de meus quatro posters de Matrix.

(Nerd é o teu pai, aquele corno.)



Mais uma versátil foto panorâmica. Desta vez, da parte de trás do estacionamento do prédio. Estou com preguiça de explicar essa foto, então olhem para ela e imaginem um texto descritivo aqui embaixo.

Imprimam a foto, enrolem ao redor da cabeça e imaginem que estão no Canadá. O efeito será curioso.

E acabaram as pilhas da câmera.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)