Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 21 September 2004 Escrito por Izzy Nobre 0 Comentários

Da série “Grandes posts do passado” ou “Foda-se se você já viu, tem gente que ainda não

Porra, se há uma coisa em que o Brasil lidera – além da corrupção, mau desenvolvimento, violência urbana, desemprego, analfabetismo, exploração infantil, venda de CDs piratas ou qualquer outro tipo de pilantragem – é o ranking mundial de fotologs. De acordo com o site fotolog.net, existem 174,720 brazucas mostrando a cara na rede. Isso, há dois segundos atrás. Enquanto você lê essas linhas, uma menina gótica se cadastrou para postar fotos escurecidas no Fotoshop*, aquele grupinho de playboys abriu uma conta para postar as fotos da “night” e a Tia Zuleica entrou no site para mostrar as fotos das sobrinhas aos familiares que moram longe. Hoje em dia, até quem não tem câmera digital tem seu próprio fotolog.

Temos muito que aprender dos alemães, que têm apenas 1334 flogs. Ou dos franceses, que não chegam nem aos mil álbuns virtuais. Porra, devíamos ser como os pobres coitados que moram nas Guianas, que não têm NENHUM fotolog. Mas isso é porque lá não tem nem pilha, que dirá câmera fotográfica.

Os brasileiros são narcisistas por natureza (não sei porque, pois somos feios pacaráio). Como se já não bastasse colocar a cara feia na internet, eles ainda insistem que todos tenhamos algo a dizer sobre as fotos – “comenta no meu fotolog pliiiiis…

Como qualquer outra coisa que tenha nosso dedo no meio, a onda do fotolog já começou a ser vandalizada pelo “jeitinho brasileiro” (TINHA QUE SER): já existem na praça esquemas para adquirir contas pagas do fotolog.net (sim, tem gente que paga pra colocar foto na internet…) por um precinho mais “camarada”. Beirando a legalidade, é claro, como manda nossa tradição. Brasileiro quando não está criando fotologs, está aplicando golpe – outra especialidade nacional.

Além dos fotologs brasileiros, existem os fotologs de brasileiros que moram no exterior – e me incluo nesse grupo. Some estes aos diarinhos fotográficos que se encontram no território brazuca e você perceberá que controlamos aproximadamente 43 trilhões de fotologs ao redor do mundo – e olhe que estou jogando por baixo, porque todos sabem que na verdade o número de flogs tupiniquins tende ao infinito e não cabe na calculadora do meu relógio de pulso Casio.

Pra você ter uma idéia de como a gente domina esse esquema, procure um fotolog de algum lugar bem bizarro como, digamos, a Lituânia. Você nem sabe onde fica a Lituânia, seu inculto, mas saiba que dos parcos 16 fotologs lituanos, apenas TRÊS não são de brasileiros safados como eu e você.

(O que os caras tão fazendo lá, você me pergunta? Tirando fotos, claro. Deixa de ser burro.)

Isso acontece porque brasileiros são os seres mais espalhados ao redor do mundo, perdendo apenas para os judeus e meus CDs. Tem brasileiro em TUDO QUANTO É LUGAR DA GALÁXIA. Tenho plena convicção de que no dia que explodir um homem bomba num local exdrúxulo, como o Azerbaijão ou Tangamandápio, um brasileiro estará entre as vítimas. Se cair um avião num deserto, ele vai atingir um brasileiro que tava passeando por lá, tirando fotos pra colocar no seu flog.

Na Guatemala tem brasileiro; nas ilhas Fiji tem brasileiro; na Croácia tem brasileiro; na caverna do Osama tem um brasileiro; até nesse planeta novo que descobriram mês passado já tem brasileiro. Tá se escondendo do cobrador da parcela da geladeira.

E ele levou sua Cybershots pra tirar foto de tudo lá.

*Escrito errado propositalmente, porque o Blogger coloca um link automaticamente na palavra correta.

Não, eu não vou divulgar meu fotolog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)