Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 14 October 2004 Escrito por Izzy Nobre 4 Comentários

E então eu comprei um celulá. Conheçam o Motorola v220.


Celular de pleibói


A loja estava lançando uma formidável promoção: um celular (entre uma grande variedade de modelos) + um mp3player por apenas 49,95 pilas. Ou cinquenta, porque que eu me lembre, não me deram troco. Não sei pra que essa viadagem de x,95 centavos. Acho que nesse caso serve pra enganar o consumidor, sugestionando-o que a compra ainda está na casa dos quarenta dólares.

E até que ainda está, mas por míseros cinco centavos que não fazem a menor diferença.

O aparelhinho é mágico. Tem uma câmera VGA com zoom de 4x, ringtones de mp3 (o vendedor utilizou seu fantástico toque de uma bela canção do Slipknot pra me convencer da compra), incríveis joguinhos em Java (baixei Worms 2, Laboratório de Dexter, Prince of Persia e Dope Wars pelo Limewire), protetores de tela em GIF animados, papel de parede, exibição de vídeos, conexão ao MSN e um monte de coisas que ainda não descobri, porque obviamente não li a porcaria do manual.

É, o celular é uma belezura. Só tem um problema: é da Motorola.

O caso aqui não é de simples preconceito infundado com o fabricante. Eu adquiri um profundo ÓDIO ASSASSINO pela a porra dessa marca. E por um motivo bem simples: puta falta de respeito com o consumidor.

A caixa do aparelho diz que ele faz todos esses truques, e muito mais. Logo de cara você nota a entradinha USB no bichinho, o que garante o método de transferência dos arquivos. Pus a caixa debaixo do braço e fui pra casa.

Chegando ao meu domicílio, a primeira surpresa: não havia um cabo USB na caixa. Isso não é problema pra mim, eu tenho um que uso com meu mp3player. Mas isso não era um bom sinal. Se a fabricante não fornece o equipamento necessário para a transferência…

Meus medos logo se concretizariam. Lendo o índice do manual, percebo consternado que não havia NENHUMA menção à transferência de arquivos entre o PC e o telefone. A empresa simplesmente esqueceu esse PEQUENO detalhe, que por sinal é o carro-chefe do aparelho. A essa altura eu já tava com umas cinquenta fotos na porcaria do celular, e sem a menor idéia de como passa-las pro computador.

Passei a mão no pescoço e senti minha medalhinha de São Google, o protetor dos donos de celulares inúteis. Corri aos pés do santo e passei a procurar freneticamente a resposta pro meu problema.

Logo nos primeiros cliques meu ódio pela Motorola aumentou exponencialmente. Navegando em fóruns de usuários do aparelho, descobri que a Motorola não liberou software para o modelo v220. Ela fez aquela propaganda e tudo mais, mas não há maneira de utilizar metade do potencial do telefone, simplesmente porque a fabricante lançou o produto antes de “termina-lo”. Então entendi a falta do cabo USB: eles não estavam pensando em realmente permitir a transferência dos arquivos.

Após bater minha cabeça na parede, gritar xingamentos que devem ter intrigado meus vizinhos e pular em cima do celular por uma meia hora, decidi continuar navegando para ver se descobria mais alguma coisa. Então achei o que parecia ser uma solução: uma fantástica GAMBIARRA.

Um usuário do mesmo modelo que eu instalou uma versão antiga de um programa de interface da Motorola, o Mobile Phone Tools. Os celulares mais antigos são reconhecidos pelo programa, mas o v220 não. O que fazer?

Instalar um driver de MODEM da Motorola. Assim, o programa reconheceria a porra do telefone, que a essa altura já estava embalado de novo, junto com o recibo, pronto para uma viagem até a loja.

Segui os links, baixei os arquivos, desviei de infinitas pop ups e fui dar uma mijadinha. Nada do aparelho funcionar. O que me dava muita raiva, porque lendo o fórum eu percebia que todos os usuários estavam conseguindo. Menos eu, claro, porque eu tenho que me foder mesmo.

A solução veio num estalo: formatar o PC. A lixarada que eu acumulei ao longo de uns oito meses de uso estavam deixando o Windows numa situação lastimável. Meu PC já iniciava com umas (sem exagero) quinze janelas de erro. Defeitos no registro estavam causando incompatibilidade com mais da metade dos programas que eu usava. Decidi começar tudo de novo e rezar pra que isso resolvesse o problema do celular.

Eram umas quatro da tarde. Formatei o disco, iniciei a instalação do WinXP e fui dormir, com a certeza que quando eu acordasse, umas duas horas depois, estaria tudo pronto.

Acordei às sete da noite e fui pro PC, achando que estava prontinho pra usar. Ao chegar aqui, minhas temporas latejaram de raiva: eu tinha esquecido de clicar no “PROSSEGUIR“, na tela de instalação do sistema operacional.

Uma hora depois e finalmente utilizando o computador, percebo que preciso aprender a fazer backup. Perdi meu arquivo de textos do blog (com uns três posts inéditos), todas as minhas mp3, meu programa de fazer GIFs animados, minha paciência, enfim, um monte de coisa. Fodam-se, agora eu faço essa porra funcionar.

E não é que funcionou?

Fui pro McDonalds comemorar a vitória da eterna batalha homem vs celular da Motorola.



A qualidade é razoável. Nada que se diga “nossa, que qualidade supimpa!“, mas quebra um galho. E o zoom funciona que é uma beleza.

Agora que fiz a porcaria conectar com o PC, passei a procurar bobagens para encher a memória do celular. Coloquei isso, isso e isso como protetores de tela. Baixei um editor de mp3, para cortar as partes preferidas de minhas canções e transforma-las em fabulosos ringtones. Acabei esculhambando minhas melhores músicas, mas dane-se, agora eu tiro foto com o celular, tenho uma bandeirinha brasileira movendo-se ao sabor do vento e ouço Slipknot e Angra quando recebo ligações.

Se isso não dá sentido à vida de alguém, eu não sei mais o que dá.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

4 Comentários \o/

  1. Zios says:

    Pow Eu entendo voce Kid. Minha Mãe (eu tenho 14 anos) comprou um motorola e eu começei a ussar aquela porra todos os mesmos erro aconteçiam eu passei umas musicas por bluetoot e aqulo funcionava mas quando a luz do ecra desligava a musica PARRAVA eu tinha que andar com o telefone aberto no bolso e clicando numa tecla de cada 60 a 60 segundos pra luz nao apagar e isso era quando a musca funcionava porque as vezes tocava 1 seg da musca e parava solucao ? Comprei um leitor de Mp3 e voltei a usar o meu N-gage QD 😛

  2. pH says:

    Hahahaha, bons tempos :~
    Meu primeiro celular com câmera foi um Motorola também, V300, irmão mais parrudo desse aí (a namoradinha tinha o V220, e funcionava certinho aqui, nunca deu problema).
    Minha sorte é que veio com o Mobile Phone Tools 2 + cabo USB incluído no kit, pq a porra da entradinha no celular era muito bizarra.
    Ele só tinha 5MB de memória, quando enchia de fotos e não tinha PC por perto, eu enviava as melhores pro meu email via MMS e deletava as que ficavam zuadas auishauisauia

  3. Camilo says:

    ainda passo pela triste realidade de ter q