Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 2 December 2004 Escrito por Izzy Nobre 0 Comentários

Decidi gastar algum dinheirinho comigo mesmo e comprei um SD card.


Oi, sou um Essedecár


Pra quem não sabe, SD cards são uma maravilha da tecnologia. Esses caras conseguiram enfiar, em menos de 3 centímetros quadrados, um espaço de armazenamento de até 512mb. E ouvi falar que tá saindo – ou já saiu, sei lá – SD Card de 1 gb.

Fazia tempo que eu queria comprar uma porcariazinha dessa. Meu mp3 player “novo” – ou melhor, o último que comprei. Ô consumismo do caralho – tinha apenas 64mb de armazenamento, ou seja, mais ou menos o mesmo número de músicas de um CD convencional (umas 15). Eu não me incomodava muito com o pouco espaço. Tenho um mp3 player de CD regravável, mas ficar queimando mídia é um saco. Você baixa UMA música nova e lá vai ter que mexer no CD outra vez. Com o pequenininho, de memória flash, basta plugar o miraculoso cabinho USB e o PC já reconhece o aparelho como se fosse outro HD. E além de ser menor, o mp3 novo reconhece formato WMA, é mais resistente, mostra o nome da música e gasta menos pilhas. O fato de ele ter tanta capacidade quanto um antigo CD player é um problema irrelevante.

Ou melhor, ERA. Com o novo cartãozinho de memória, o aparelho saltou de 64 para 576 mb. Ou seja, cabe nove vezes mais músicas.

O que se revelou ser mais um problema. Na ânsia de preencher o espaço todo com musiquinhas, acabo colocando músicas que sequer gosto. Ao invés de baixar apenas as vinte ou trinta músicas que ouço com mais frequência, coloco mais de cem que ainda nem ouvi. E o que acontece é que acabo não achando as músicas que gosto. Você tem idéia do que é procurar vinte músicas no meio de 130? As chances são equivalentes as de ter nascido no Brasil e não ser um sem vergonha.

Sem paciência, desligo o aparelho, espero chegar em casa e deleto metade dos arquivos.

Mas nenhum problema é pior que o que encontrei quando fui abrir a cartela da porra do cartão.



Percebem aquela farpinha? Ela foi produzida quando tentei cortar o plástico da cartela com meu canivete-chaveiro. Mas eu não esperava que a cartela tivesse sido feita de diamante. Apesar de quase entortar a lâmina do canivetinho, a porcaria não cedeu mais de um centímetro. Então abri mais alguns buraquinhos na embalagem e comecei a forçar. Mas esqueci daquela farpinha.

Puxando a embalagem com força, meu dedo deslizou pra cima da farpa. Entrou como faca quente na manteiga.

Acho que eles não querem que o consumidor chegue até o produto. Onde já se viu, embalagem tirar SANGUE do comprador? Tenho certeza que dá pra processar esses viados. Vou pedir um SD card de um giga.

E que venha já aberto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)