Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 19 March 2005 Escrito por Izzy Nobre 3 Comentários

Gente que merece morrer de maneiras dolorosas e/ou lentas, volume I

– Gente que fala “locar” ao invés de “alugar”
As pessoas em geral têm um problema em comum: a necessidade de ser “alternativo”. Nada de errado com isso; o lance é que tem gente que não se conforma em apenas usar óculos de aros grossos e ouvir bandas suecas que ele na verdade não gosta. Tem gente que gosta de “alternativizar” a língua, substituindo palavras de consolidação popular por outras que soam mais “cool”. Um bom exemplo desse fenômeno são as pessoas que insistem em se referir ao ato de alugar como “locar”.

Não que esteja errado, mas essa prática me incomoda muito. “Locar” soa nos meus ouvidos como a forma que o Chico Bento pronunciaria a palavra “local”. Pior que isso, não entendo o que leva uma pessoa a pedantemente descartar um simples “alugar”. Deve ser algum tipo de moda linguística, essas modernidades defendidas por sujeitos que consideram dar a bunda uma manifestação artística. Nos meus tempos de criança, quando eu frequentava locadoras e disfarçava estar olhando pra sessão de ficção mas estava na verdade de olho na prateleira de pornôs, não lembro de ter ouvido um “locar” sequer. E olha que eu vivia lá.

– Fãs imbecis de Star Wars
Antes de mais nada, deixo claro que sou um admirador profundo da série. O negócio é que imbecilidade não escolhe onde atacar, ela simplesmente infesta tudo. E deixo claro que não tenho nada contra os adoradores de George Lucas em particular, afinal, fãs são imbecis por natureza independente do objeto de fanatismo.

O negócio é que tem uma parada que percebi recentemente em relação a esses caras. Um negócio que já havia acontecido no passado, mas não com tanta frequência como ultimamente, então não merecia grande atenção. Aposto que já aconteceu com você.

Você está conversando animadamente com algum amigo nerd, e comete o terrível erro de se referir ao Uma Nova Esperança (oficialmente Episódio IV, o primeiro filme da série a ser lançado) como “o primeiro Star Wars”. O sangue do nerd ferverá, e ele terá um acesso de prolixidade (como todos os nerds, quando têm a oportunidade de deleitar seus ouvintes com suas pérolas de conhecimento inútil). Em seguida, ele explicará pomposamente que você é burraço, porque o primeiro filme da série não é Uma Nova Esperança, e sim A Ameaça Fantasma, uma conclusão tão espetacular quanto uma monografia de química que finalize a tese declarando que a água é molhada. Parece até que o fato de que o George Lucas está recontando o universo Star Wars com filmes que se passam antes da história principal fosse o terceiro sagrado mistério de Nossa Senhora de Fátima, um conhecimento que apenas o nerdzim detém.

– Gente que justifica analfabetismo por estar na internet
Frequentemente me vejo discutindo na internet com pessoas que trocam “o” por “u”, “ch” por “x”, “gente” por “gentiiii”, deliberadamente e sem motivo. Não vamos ser radicalistas: uma coisa é trocar “por que” por “pq” – é entendível. Mas “maluco” por “maluko”? “No” por “nu”? Qual a finalidade de substituir uma letra por outra, se isso significa simplesmente bastardizar a palavra original?

Eu procuro evitar atacar uma pessoa julgando detalhes alheios ao assunto debatido, mas é difícil se controlar e segurar uma crítica a esse tipo de atrocidade. Nas poucas vezes que cometi o erro de trazer a imbecilidade da pessoa à sua atenção (como uma crítica construtiva, até), recebi uma resposta que me ofende mais que os erros em si: “istou na internet, possu iscrever como kero kra, kkkkkk“, que é praticamente um “estou cercado de pessoas imbecis, então acho que devo me comportar igualmente” seguido de várias consoantes que, na cabeça do imbecil, soam como uma risada.

Quando foi a última vez que você ouviu alguém rindo “cá cá cá cá“?

[ ADENDO ] O RaUL não conta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

3 Comentários \o/

  1. http://bit.ly/10vNXy "[ ADENDO ] O RaUL não conta." Não acompanho o HBD desde sempre, mas isso seria um indício que o @RaUL_AMDERLAINE é…

  2. @Brno http://bit.ly/10vNXy "[ ADENDO ] O RaUL não conta." Achei isso no HBD. E foi em 2005, BEM antes do Twitter. Sei não.

  3. Vinícius says:

    Dá raiva de quem troca “cê” (de você) por “se”.