Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 21 March 2004 Escrito por Izzy Nobre 3 Comentários



“Uma dissertação sobre Senhor dos Anéis” ou “Motivos pelos quais odeio Senhor dos Anéis e os fãs-infernais-de-Tolkien”

Se você é um neo-fã idiota de Tolkien, nem leia esse post. Ou leia e fique com bastante raiva, certo? Combinado.

Se há um filme (ou uma série, whatever) que eu odiarei para sempre, é Senhor dos Aneis. Não bastassem os motivos pessoais que me levam a nunca querer assistir a porcaria do terceiro dos filmes (infelizmente assisti os dois primeiros), ainda há um lado mais profundo.

Pra começo de conversa, o quê aquela porra de Anel fazia? Pelo que pude entender através do filme, seu usuário se tornava invisível. Nada de raios de fogo pela bunda, nada de visão de raio X, tampouco garra de adamantium. O cara ficava invisível, ponto final. Alguém poderia me explicar então em qual contexto o Anel tornava seu usuário “poderoso”? O cara simplesmente ficava invisível. Tá, ele poderia entrar no banheiro das elfas ou roubar pastel na padaria do Condado, mas o que mais?

Imagina o usuário do Um Anel encurralado em uma guerra praticamente perdida.

– Puta merda, fudeu geral aqui. Felizmente eu trouxe o Um Anel, que não fará absolutamente nada além de me tornar invísivel. Mesmo que todos os meus companheiros tenham morrido e eu seja o último que restou do pelotão, agora essa guerra tá no papo! É nóis!

O cara põe o Um Anel e fica invisível. Então, parte pra cima dos orcs com sua espadinha.

– Ei, – diz um orc mais esperto – vocês estão vendo aquela espada voando?

– Ah, é alguém usando a porra do Um Anel. Bora pra cima!

O cara é invisível, mas é só um. Se o Anel nada faz além de conceder invisibilidade, o que o torna tão cobiçado?!

Tudo bem. Isso aí fica a crédito do Jota Erre Erre, que talvez tenha sido realmente um escritor do caralho. Minha cisma não é com a trama do filme/livro em si, e sim com o hype que ele gerou.

Falem a verdade: quantos aqui conheciam Tolkien antes do lançamento do primeiro filme? Quantos de vocês leriam Senhor dos Anéis antes do lançamento do filme? Não fodam, vocês têm preguiça de ler meus posts longos, imagina então aquele calhamaço de cinquenta mil páginas.

Vou ainda além: a menos que você seja um jogador de RPG, duvido que você soubesse o que era um elfo. Se você nunca jogou Warcraft na vida, o termo “orc” também era desconhecido pra você. Assuntos que antes renderiam a você o status de nerd na escola agora viraram lugar comum. As pessoas mudaram de opinião. Porque? Porque agora é “cool”. Elfos, orcs e anéis mágicos, que antes eram passatempo de “geeks”, agora virou filme na telona.

E o que dizer de O Hobbit? O livro existia antes mesmo de SdA, e quantos estúdios quiseram filma-lo? Aí Sociedade do Anel/Duas Torres entram em cartaz, são indicados ao Oscar, vendem milhões de DVDs, bonequinhos, videogame, brinquedinho de McLanche Feliz… Antes que você perceba, dois grandes estúdios (New Line e United Artists) estão brigando na justiça pelo direito de rodar o filme sobre as aventuras de Bilbo e seu Anel Fodão. Ei, mas o livro já existia a milhões de anos. Porque ninguém nunca se interessou nele?

Isso irrita. Desde que ouvi falar em Senhor dos Anéis pela primeira vez, em 1997, numa mesa de RPG, eu procuro os livros. Nunca encontrei, nem mesmo nas maiores livrarias de Fortaleza na época. Em 1999, no extinto portal putaquepariu.com (que evoluiu para a-arca.com.br, com quase a mesma equipe), saiu a notícia de que Senhor dos Anéis viraria filme. Minha busca recomeçou, tão infrutífera como da vez anterior. Já hoje em dia, é possível achar exemplares do livro até mesmo em banca de revista.

Aliás, a revista Caras fez uma promoção que presenteava os novos assinantes com os três volumes do livros. Tolkien na REVISTA CARAS, porra? Isso é descer o nível, ein? O que diabos uma revista de fofoca tem a ver com literatura estrangeira?

– Nada, porra! – responderiam os editores da revista. – Mas resolvemos ir na onda do filme (porque de repente um bando de manés se interessou em ler os livros) e sem dúvida ia dar dinheiro!

E mesmo que eu conseguisse encontrar o livro (porque Senhor dos Anéis NUNCA foi três livros como vemos hoje, era um livro e seu apêndice), o que diriam meus amiguinhos de colegial se me vissem lendo-o? Eu seria o grande babaca da escola.

Isso me irrita. Pessoas que NUNCA ouviram falar em Tolkien se tornam, de uma hora pra outra, grandes fãs do autor, simplesmente porque um de seus livros virou filminho de verão. Pessoas que nunca abriram um livro na vida e de repente se acham grandes conhecedores/críticos de literatura estrangeira. Produtores que nunca deram a mínima pra um livro idiota sobre anões e um dragão, agora se envolvem em uma disputa jurídica pelo direito de filmar a história.

Mas nada é pior que os neo-fãs de Tolkien. Eu, como jogador de RPG e Magic, sempre fui familiar com o conceito de fantasia medieval (uma contribuição tolkeniana aos jogos, diga-se de passagem). Acredito que Senhor dos Aneis seja um bom livro (só li O Hobbit, e gostei pra caralho) mas, como qualquer pessoa equilibrada, eu sei ouvir críticas sobre minhas preferências. Se alguém me diz que RPG é coisa de nerd, eu vou perguntar ao idiota porque ele pensa isso, e talvez dar-lhe um soco no estômago por ser tão superficial. Uma discussão saudável e construtiva.

Agora, experimente criticar Senhor dos Aneis perto de um neo-fã de Tolkien. Você receberá uma palestra sobre a origem da história, sobre todo o universo criado pelo seu autor, sobre as influências desencadeadas pelo livro… Se ele mesmo parasse pra pensar um pouco, ele perceberia que o único motivo pelo qual ele conhece a historinha dos hobbits é porque virou um grande filme. Caso contrário, ele continuaria chamando jogadores de RPG de nerds.

Enfim, Senhor dos Anéis é mais uma coisa legal que deveria ter permanecida desconhecida.

Vou comprar uma metralhadora no eBay e matar cinquenta fãs de SdA e um palhaço.

Você provalvemente pensou “Um palhaço?! Porque um palhaço?!

Tá vendo? Ninguém se importa com os fãs de Senhor dos Anéis.

A propósito, meu servidor de imagens foi dar uma voltinha e até agora está desaparecido. Sugestões?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

3 Comentários \o/

  1. camilo says:

    coitado do palhaço ….
    huahauahuah

  2. Kanziel says:

    Fala Kid!

    Cara, to vendo o seu blog desde o começo…mas me deu vontade de comentar nesse aqui. O poder do “Um Anel”, até onde se comenta e pode perceber no livro/filme, depende do poder de quem o possui, tanto que o Gandalf diz ao frodo que aquilo na mão dele, poderia desencadear um poder extremamente maior que na mão do Frodo. Isso pode ser visto no começo do primeiro filme. Sauron com o super-ultra-artefato tava descendo o cacete nos humanos. Bom, é isso.

    Ah, joguei mto RPG e Magic tbm, meu caro. Tbm fiquei feliz com o filme, mas me decepcionei com a Tsunami de neo-fãs do autor.

    Abração!

    PS.: Adorei o ultimo HBDtv, mas faltou os erros. =D

  3. Issue says:

    Bilbo era “imortal”
    e_e