Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 7 February 2006 Escrito por Izzy Nobre 1 Comentário

Assisti ontem um filmeco que daria uma resenha excelente, mas a preguiça que estou sofrendo no momento impede-me de fazer qualquer coisa relacionada à atividade de escrever uma resenha, ou seja, sair procurando imagens do filme no Google, abrir o Notepad e começar a redigir o texto, ou pensar em piadinhas bobas sobre algum detalhe retardado do filme. E vai por mim, detalhe retardado é o que não faltava naquela merda.

Maaaaas, como tenho uma certa obrigação moral de sustentar o entretenimento de vocês – e como jogatina nerd online tem se tornado um tema frequente do HBD -, resolvi dar pra vocês mais um excelente joguinho que será responsável por noites em claro e gritaria desesperada no momento em que você percebe que está prestes a perder e então diz que tem que ir dormir, mas na verdade isso é uma mentira sua pra evitar a desonra da derrota.


O joguinho acima é Total Annihilation, também conhecido como “TA” ou “aquele jogo de estratégia com robôs que saiu completo na CD Expert em 1998“. A screenshot não é lá essas coisas todas, mas não se engane: você está prestes a conhecer o MELHOR JOGO DO MUNDO.

Total Annihilation é um incomparável clássico de estratégia. A palavra “incomparável”, ao contrário de praticamente qualquer outra palavra que eu uso nos meus textos, não é apenas pra fazer efeito exagerado: TA é verdadeiramente um jogo sem igual. Apesar de ter sido lançado há uns dez anos, até hoje os outros jogos do gênero estão brincando de pega-pega com ele. Command and Conquer Generals, Starcraft, Age of Empires, Warcraft 3… todos esses são vermes desonrosos em comparação com o grande clássico de Chris Taylor.

A história do jogo, se é que alguém se importa em saber, é que no futuro duas facções começaram um arranca-rabos por causa da decisão de mover a consciência humana para corpos robóticos. A guerra durou milênios e se espalhou pela galáxia inteira, e agora você tem a tarefa de comandar os últimos exércitos de um dos lados e pôr fim na confusão.

Ninguém quer saber de história. O que vocês precisam saber é que TA:

– Tem um arsenal bem definido de unidades navais, aréas e terrestres (ao contrário de todos os outros jogos que põem ênfase exclusivamente em combate terrestre sem graça);
– Foi o primeiro RTS com gráficos 3D, o que por si só é algo que merece nota;
– Tem uma sensacional engine física, simulando com efeitos de balística, flutuação, inércia, e um monte de coisas que te ensinaram na escola mas tu não lembra mais. Cê precisa ver pra crer, mané;
– Tem um detalhado porém simples sistema de ações programáveis. Com alguns cliques, você pode mandar aquele construtor fazer algumas torres de misseis e depois voltar pra dentro da base pra coletar materiais, ou então ordenar que a fábrica de robôs construa 5 robôs X e cinco robôs Y. Você pode também mandar as unidades patrulhar uma área, proteger/seguir uma determinada unidade ou construção. E, acima de tudo, TODOS esses comandos são simplíssimos – basta segurar o Shift e sair clicando por aí pra programar suas unidades.
– Por ser um jogo antigaço, os requerimentos são baixíssimos. Até o minha máquina fedorenta (Pentium 3, 600mhz com 512mb de RAM) roda o jogo com tranquilidade, com todos os efeitos gráficos ligados e o Winamp tocando Wannabe das Spice Girls.
– Tem uma inigualável mecânica de guerra – radares realmente funcionam como deveriam no mundo real, anti-radares idem. É preciso fazer missões de reconhecimento antes de instalar aquela base no território inimigo, ou você se fode. Não adianta também construir apenas o tanque mais pesado do jogo e avançar no inimigo, porque há unidades inferiores que se aproveitam das fraquezas dos seus tanques e podem dar a volta por cima. As unidades mortas até deixam suas carcaças metálicas no chão, e em breve o campo de batalha ficará lotado de lixo, deixando as lutas mais complexas. E por aí vai.
– Há muito mais. Eu poderia explicar em detalhes como TA é tão mais realista que os outros jogos sem se tornar cansativamente complicado, mas é melhor você ver por sim mesmo;

Acha que eu tou exagerando? Bem, isso é porque você é burro e provavelmente homossexual. A GameSpy fez um Top Ten dos melhores RTSs da história, onde os clássicos supracitados (Age of Empires, Warcraft 3, Starcraft e etc) disputavam apesar da injusta diferença de idade dos jogos. Adivinha quem ganhou o primeiro lugar?

Poisé.

E agora, pro que interessa:

Você pode pegar o jogo aqui, upado pelo Vexille. A descompactação exige um programinha meio underground aí, mas nada que vá exigir que você ligue praquele seu primo que faz ciências da computação.

Peguem, cadastrem-se no fórum e preparem-se pra perder.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

Um comentário \o/

  1. k says:

    mas olha so coloca jogos de estrategia pessados vai melhorar muito!!!!