Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 17 May 2006 Escrito por Izzy Nobre 0 Comentários

Vamos lá, admita sem constrangimento – você tem um conhecido que se dá muito mal na internet. Nem corra pros comentários tentando se justificar, pois saberei automaticamente que você é um mentiroso do caralho que provavelmente nem tem computador e está apenas tentando enganar a todos dizendo que tem.

Todos nós temos um parente que repassa emails explicando que o Hotmail se tornará pago a menos que não nos mobilizemos imediatamente, ou que não pensa duas vezes antes de subsituir todas as letras do alfabeto no MSN por GIFs animados de 400×600 pixels que piscam quarenta cores por segundo, causando ataques epiléticos em qualquer criança japonesa que esteja por perto neste momento. Esses familiares – que compraram seu primeiro Computador do Milhão (parcelado em setecentas vezes sem juros) há duas horas mas que já arrumaram uma forma de encher seu saco onlinemente – inspiram em você um patético sentimento de pena que o impede de bloqueá-los em menos de dois segundos, como você faria com qualquer outra pessoa que manda fotografias dentro de arquivos de Word de dois mega, que pede ajuda pra dezipar arquivos ou que envia “nudges” se você demora mais de quatro nanossegudos pra responder as mensagens deles, que geralmente se resumem a “EIIIIIII CARAAAA TD BOM ?/ A TIA LINDALVA TÁ AQUI MANDANDO UM ABRASSO“. O que fazer com esses coitados, então?

Não se sinta mal por ver os pobres coitados com maus olhos: newbiefobia, uma palavra que eu inventei neste exato momento, é considerada por especialistas um dos sentimentos mais comuns do mundo. Alguns historiadores de renome (e por “historiadores de renome” eu quero dizer “historiadores de renome”) discutem que newbiefobia foi a real causa do ódio de Caim por Abel. Segundo papiros encontrados recentemente dentro de uma caixa de biscoitos Maribel que alguém enterrou no pátio de uma escola pública em Manaus em 1982, Abel haveria supostamente roubado um frag de Caim na noite do assassinato, causando em seu irmão uma explosão raivosa culminando na alegação de que “AWP é coisa de bicha“. Mouses teriam cruzado os ares se não fosse a intervenção do Seu Enoque, dono do estabelecimento. Caim esperou seu irmão na saída da lanhouse e quebrou um cabo de vassoura na cabeça dele, que veio a falecer na manhã seguinte por traumatismo craniano provocado por quebra de vassoura no lobo frontal.

Pensando nos desgostos pessoais que muitos de vocês devem sofrer quando precisam servir de suporte técnico/professor de netiqueta pros seus primos de terceiro grau, bolei um pequeno manualzinho que explica a internet e suas profundezas de uma forma simples, descomplicada e, por que não ousar, até mesmo saborosa.

Da próxima vez que seu primo do interior do Amapá mandar trinta nudges porque você está demorando demais pra explicar alguma coisa internética pra ele, venha pra este post.

IRC
IRC é um lugar onde várias pessoas (que nunca fizeram sexo na vida e que debatem o universo expandido de Star Wars como se fosse algum tipo de religião) vão pra jogar horas de suas vidas fora, até o momento em que seus pais desligam os seus modems e os obrigam a tomar banho ou almoçar ou ambos. Um terço dos usuários de IRC são homens procurando por mulheres, o outro terço são homens fingindo ser mulheres procurando lésbicas, e o último são agentes do FBI fingindo ser crianças procurando pedófilos. Como todos sabem, não há mulheres no IRC.

Torrent
Imagine se houvesse uma forma no mundo real de obter tudo que você sempre quis (filmes, jogos, sei lá o que diabo você sempre quis), mas não queria taaanto assim, não o bastante pra se sentir motivado a gastar dinheiro com isso. Claro que fora da internet ficaria difícil exercitar essa fantasia sem acabar transferindo sua residência pro Bloco D da Casa de Detenção mais próxima da sua (ex-)casa. Essa é a beleza do mundo virtual – quase ninguém vai preso. Torrent deixa você mais perto de todas aquelas coisas que você quer, enquanto ao mesmo tempo te deixando longe de uma punição por obter tais coisas ilegalmente. É perfeito demais pra ser verdade, e talvez seja por isso que só existe na internet.

Fórum (qualquer um)
Fóruns internéticos são o melhor lugar pra ir quando você está afim de matar tempo brigando acaloradamente sobre assuntos de importância nula com pessoas que você jamais conhecerá. Tais discussões geralmente culminam em alegações de que um dos debatedores “é um imbecil” e que “tá dando pro mod e por isso não foi banido ainda”, ou ainda com respostas contendo nada além de uma imagem levemente engraçada, editada photoshopemente com uma legenda relativamente mais engraçada que a imagem em si. Dizem que isso se chama “ownar”, mas esse tipo de gente é o mesmo que frequenta IRC.

MMORPG
Jogar MMORPGs é o que a juventude da Coréia do Sul (e uma espantosa porção da brasileira) está fazendo enquanto o resto do mundo está vivendo. Em MMORPGs você tem personagens (que o público-alvo deste texto em particular chamaria de “bonecos”) que trabalham, fazem amizades, vivem aventuras, ou seja, fazem tudo aquilo que você poderia estar fazendo no mundo real se não passasse 16 horas por dia jogando WoW.

Orkut
Sabe aquela turma do teu tempo de colegial que pra quem você não dava a mínima importância e que o máximo de contato que você tinha era durante atividades em grupo em que apenas um mané lidava com todo o trabalho e o resto discutia estratégias imaginárias de Tetris? Então. Orkut é um sistema revolucionário que permite que você re-estabeleça contato com um monte de gente com quem você não conversava no tempo de escola justamente porque não fazia a menor questão de ser amigo deles. Como várias outras coisas idiotas no Brasil, se tornou incrivelmente popular.

MSN
MSN é mais ou menos o equivalente virtual da pessoa que passava seus bilhetinhos pros coleguinhas de sala na terceira série, com a diferença de que no meio do caminho o filho da puta abre os bilhetinhos e cola uma folha inteira de adesivos coloridos no lugar de algumas palavras. Ou seja, o tipo de gente com a qual a convivência era justificada apenas pela extrema necessidade.

Exatamente como o MSN.

Windows Messenger
Imagine a versão retardada da pessoa da pessoa acima, com consideravelmente menos adesivos coloridos.

ICQ
imagine a versão septuagenária da pessoa acima, com funções muito melhores mas que por motivos impossíveis de entender sem um PhD em astronomia, deixou de ser popular em 2002.

Spyware
Imagine que um belo dia você recebesse um presente de algum amigo que você não via há algum tempo. Só que o seu amigo não era exatamente um amigo, porque ele anexou um safadíssimo despacho de macumba no embrulho e como consequência disso a sua casa explodiu no exato instante em que você pôs o pé dentro dela com o tal presente em mãos, estraçalhando seu corpo e jogando seus restos mortais na cara dos transeuntes
na calçada, atingindo-os no olho e/ou óculos (escuros ou de grau).

Claro que eu estou exagerando de forma quase ilegal, mas essa é uma das vantagens da internet – você pode exagerar o quanto quiser, mas isso não diminuirá de forma alguma a habilidade das pessoas em te levar a sério.

RSS
O velho ditado diz que a necessidade é a mãe da invenção. Na verdade essa é a mãe adotiva que a sequestrou na parada de ônibus. A necessidade de SER UM VAGABUNDO PREGUIÇOSO é a real mãe da invenção.

Se clicar num item dos favoritos de seu navegador preferido é esforço demais pra ser desperdiçado dando de cara com uma página sem atualizações, RSS é o que você precisa (isso, e deixar de ser um vagabundo do cacete). RSS avisa você quando é necessário visitar seu site favorito, igual aquele seu amigo que sempre te liga pra avisar que um filme novo acabou de entrar em cartaz no cinema, mas você nunca sai com ele porque ele fala demais durante os filmes em momentos que a trama fica confusa e você precisa dar toda atenção às legendas.

Fotolog
Antes da internet, alguém que comprasse uma Cybershot em trinta parcelas nas Casas Bahia não teria como mostrar ao mundo como ela se parece quando vista de cima, fazendo cara séria, com trinta filtros de photoshop por cima da cara. Se você queria saber quem agradecer por essa revolução de comportamento, agradeça aos fotologs.

Isso é basicamente tudo que seu primo poderia querer saber. Claro que há verbetes omitidos, mas isso se dá pela sua natureza mais complicada que não despertará curiosidade dos seus primos. Afinal, se eles já sabem ao menos o que é TCP/IP pra estar te perguntando a respeito, esse manualzinho não será necessário pra eles.

Se ele continuar perguntando bobagem, faça o que o resto da família já fez há muito tempo – bloqueie o filho da puta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)