Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 29 June 2006 Escrito por Izzy Nobre 1 Comentário

Mesmo quando não estamos sendo atacados por estupradores armados de flanelas embebidas em clorofórmio num beco atrás do Bom Preço, passamos muito tempo dormindo. E isso é um desperdício do caralho, 50% pior até do que quando meu pai acidentalmente submergiu meu Game Boy Advance SP em suco de maracujá. E olha que aquilo foi um desperdício tanto de um GBASP como de suco de maracujá, embora alguns acreditem que havia sido Sprite Light, e não maracujá. Já outros acreditam que não foi um nem outro, e que eu inventei essa história pra completar a cota de duas piadinhas no parágrafo inicial. Entretanto, eu tenho o GBASP fodido pra provar, então vão se foder.

Contabilize o tempo que gastamos em atividades diárias imprescindíveis – 6 ou 7 horas de trabalho, umas 2 horas gastas em refeições, talvez umas outras 2 em excreção (alguns têm problemas intestinais sérios, vocês sabem) e as 10 horas de internetagem: aí já vão vinte horas. Com mais as 8 horas obrigatórias que eu ouço dizer que todo mundo precisa dormir por noite, você verá que no final sobram -4 horas. Imagino que essas horas negativas acumulam no fim da sua vida como o tempo que você ficou devendo a Satanás. E aí, quando você for pro inferno (não porque roubava dinheiro da coleta na igreja, nem porque comeu a namorada do amigo quando este saiu pra um Live Action de Lobisomen, e tampouco por causa daquela vez em que você mandou pra alguém aquele link de um flash com testes de aptidão que na verdade dão um susto miserável em uma infeliz vítima. Você irá pro inferno porque não praticava a verdadeira religião, ou seja, a cientologia), Lúcifer te fará lavar o carro dele todo domingo, embaixo de chuva, por umas duas ou três eternidades.

Não é a toa que todo mundo vive sem tempo pra jogar Worms comigo quando eu estou disposto a dar uma homérica surra em vocês. Estamos jogando nossas vidas fora com esse negócio de dormir. Quando foi que deixamos “médicos”, com seus “diplomas” e “vários anos de treinamento intensivo em instituições de educação superior”, ditar o que nossos corpos REALMENTE precisam? Se eu acho que posso me manter comendo uma mistura de massinha de modelar, papelão molhado e e cartuchos velhos de SNES, quem terá a presunção de dizer que eu estou errado? Eu tenho o direito constitucional de decidir o que é saudável pra mim e o que me matará lentamente. E se isso não está na constituição, bem, o direito de usar o orkut também não está naquela porra. E quando foi que isso te impediu de mandar criar profiles falsos pra sacanear tua ex-namorada?

Isso não seria um post do HBD se eu não estivesse dando uma solução pra todos os seus problemas, então naturalmente vocês imaginam que este parágrafo dará alguma sugestão de como passar o tempo de uma forma mais produtiva que se transformar num peso de papel por oito horas. Acontece que a minha solução não se aplica pra vocês, em parte porque eu moro em um lugar onde eu não preciso esconder meus objetos de valor ao pôr o pé na calçada.

(Isso também não seria um post do HBD se eu não esnobasse a vida imigrante, então considerem-se satisfeitos)

O que eu ando fazendo agora (tá, fiz uma vez só, mas planejo repetir a dose sempre que a galera estiver disposta) é sair de madrugada com a câmera no bolso, tirando fotos da agitadíssima vida noturna de uma cidade interiorana como Oshawa. Lembram o papo de invadir piscinas de condomínios alheios e amiguinhas de calcinha e sutiã? Então, foi isso.


Esse é o Five Points Mall, um shopping bem fuleirinho que fica praticamente no QUINTAL do meu prédio. O Five Points é a parada obrigatória sempre que os amigos se reúnem, em parte porque basta você pôr o pé fora do prédio e você já está quase lá, e também porque é o local mais próximo que conta com um supermercado 24 horas.


Arthur, Barb, e uma garrafa semi-vazia (estou me sentindo pessimista hoje) de limonada que eu dei de presente pra amiga, que estava com sede. Caso você não tenha percebido por causa da baixa resolução da imagem, Barb é insanamente gostosa. E caso seja necessário explicitar, eu (e o resto da escola) já pegamos em sua bunda gringa.

Achei que vocês precisavam saber desse detalhe.


Pra Jenn (lembram, do prom?), uma foto de todo mundo deitado na grama ficaria legal pra caralho. Assim como a idéia de que eu era branco, a foto acima nos provou errados. Veja que o imbecil do Arthur não teve sequer a decência de tirar a alcinha da câmera da frente da lente, um jumento completo.

Sim, eu estava descaradamente encarando as peitolas da Barb, já que não tinha como disperdiçar aquele ângulo em que eu me encontrava. Vi até um mamilo, acho.


Vejaí a menina escolhendo sua limonada, se é que alguém conseguirá ver qualquer outra coisa nessa foto além das pernas que a saia de 5 centímetros de comprimento sequer tentou cobrir.

O resto das fotos contém mais quantidades deste que vos fala, e ninguém quer realmente ver isso.

Apenas lembrem-se que, enquanto vocês perdem seu tempo dormindo pra acordar cedo e ir trabalhar, há um cearense tirando fotos no meio do mato com mulheres gostosas no Hemisfério Norte.

Pensem nisso hoje a noite enquanto recarrego minhas pilhas pra mais tarde.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

Um comentário \o/

  1. Rafael says:

    pow q garota interessante em rsrs……….
    to afim de conheçer ela alguem passa pra mim o msn dessa princes………..