Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Postado em 9 August 2006 Escrito por Izzy Nobre 0 Comentários

Com o fim de toda aquela sensacional confusão do fim de semana (devidamente documentada na FHBDpedia, pra quem não acompanhou a putaria de perto porque estava na praia comendo caranguejo na Barraca do Zé do Arroz), os foristas do FHBD puderam finalmente voltar à sua casa virtual pra rir dos esforços infrutíferos de sua maior adversária, trocar links de pornografia (perfeitamente permitido pelo nosso host. Não percam seu tempo tentando nos fechar dessa vez.) e voltar ao planejamento de suas empreitadas extra-fórum.

E uma delas é a já lendária FHBD WHOREHOUSE TOUR 2006.


A FHBD Whorehouse Tour é um prestigioso empreendimento de respeitados partipantes do meu antro virtual, como os superstars Hayato e Bombadão. Ele é o fruto da união de nerds localizados em Sampa, de muito tempo nas mãos, e de dinheiro sobrando pra gastar irresponsavelmente.

Inspirados num tópico do Bombadão (a respeito de um outro popular fórum internético que exibe “resenhas” de prostitutas), foristas do FHBD tiveram a sensacional idéia de fazer uma excursão ao Andradas, o ponto mais baixo do meretrício paulista, e sacrificar o próprio bem estar para presentear o resto do fórum com fotos e depoimentos exclusivos a respeito da inesquecível aventura. Pra vocês terem uma noção aproximada do ambiente que nossos desbravadores estão se preparando pra encarar, diz-se que você precisa de uma vacina contra tétano para ao menos dirigir o olhar a uma das donzelas que trabalham lá vendendo serviços orais por R$2,50, vale-transporte, ou cartas foil de Magic.

É barra pesada mesmo, doutores. É o tipo de coisa que separa homens de meninos, assim como uma ordem judicial como aquelas que o Michael Jackson teria que assinar caso fosse enquadrado como o pedófilo safado que é.

Um dos planos debatidos pelo grupo de caçadores de emoções consiste em fotografar as vagabas peladas e em atividades lúdicas, quem sabe até ostentando famosas plaquinhas FHBD, pra confirmar a autenticidade da empreitada e incrementar o teor cômico da situação.

O que obviamente passou a significar uma dificuldade logística – fato de que levar um aparelho caro como uma câmera digital Sony contrabandeada na Ponte da Amizade pra um estabelecimento de prestígio tão duvidoso significa um risco de investimento que ninguém gostaria de correr. A situação foi remediada pela minha brilhante sugestão de registrar a missão com uma câmera descartável, dessas bem vagabundas cujo preço fica na casa de uma única cifra e que algumas vezes vêm até em versões à prova dágua. Se é à prova dágua, deve resistir a outros fluidos similares, o que funciona perfeitamente pro propósito e natureza desse safari.

Tal qual uma missão de comandos americanos na profunda selva vietnamita em 1966, uma força-tarefa de reconhecimento já está se preparando pra dar uma olhada no lugar e reportar suas conclusões aos planejadores, que desenvolverão uma estratégia baseada nas observações dos espiões. A coisa é realmente profissional, rapá. Pelo que li por alto no tópico onde estão planejando a coisa, bolaram até um sofisticado sistema de comunicação para eventuais emergências, como putas psicóticas armada de objetos semi-afiados e/ou enferrujados, ou cafetões pouco compreensíveis.

Povo corajoso, vou te contar.

E antes que os moralistas venham me encher o saco com longos comentários a respeito de que sexo é uma benção divina que Deus separou para os casados e que o projeto é uma pouca vergonha, informo que os foristas já decidiram que não adentrarão nenhum orifício de nenhuma das profissionais do sexo do Andradas – alguns por compromissos sentimentais com suas namoradas, outros por compromissos sentimentais com os próprios genitais. Não os culpo de forma alguma, afinal, o seguro morreu de velho. Seguindo o ditado popular eu evitaria até me aproximar muito das moças do Andradas a menos que estivesse usando um daqueles trajes à prova de radiação, uma vez que elas devem estar tão infestadas de DSTs que as putas menos saudáveis já deve estar até irradiando AIDS.

Os foristas Majoraze e Hayato estã coordenando a comitiva desbravadora, e a Whorehouse Tour 2006 está sendo planejada para setembro. Os outros foristas já engajados e prontos para ação são Anoobis e Joselito, lembrando que ainda há vagas pra loucos que queiram participar da coisa.

Naturalmente, a cobertura do evento será de exclusividade do HBD, então aguardem aí um post com sensacionais fotografias de putas com mais celulite do que um ônibus cheio de velhas de oitenta anos segurando cartazes que fazem referência a um fórum de nerds e os épicos relatos dos foristas que embarcarão nessa putaria (literalmente).

Já há planos de uma Whorehouse Tour 2007, a que eu poderei orgulhosamente comparecer, já que vou ao Brasil ano que vem (Hell yeah bitch). Estamos apenas esperando os resultados da primeira Tour pra ver se vale a pena dar continuidade ao evento e transformar numa coisa anual, tipo uma convenção de RPG (porém levemente menos nerd porque haverá peitos e bundas femininas envolvidas na história). Dependendo do número de sobreviventes da primeira edição, quem sabe ano que vem repetimos a dose.

Até a Gótica vai dar o ar de sua graça lá, uma vez que ela está vindo visitar o País da Putaria comigo e adoraria confraternizar com nerds que ela nunca viu na vida mas vão recepcioná-la no aeroporto gritando “Facadiiiiinha”.

É esperar pra ver. Setembro tá chegando!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)