Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

O dia em que um malandro tentou me recrutar pra a Herbalife

Postado em 22 April 2008 Escrito por Izzy Nobre 121 Comentários

Se alguém te perguntasse qual a característica mais marcante da raça humana, o que você responderia? O nosso intelecto? Nossa capacidade de compaixão? As maravilhas da engenharia moderna? Nossa habildade de nos comunicar vocalmente? Nosso sucesso em nos organizar em grupos?

Passou longe. A característica que mais define o ser humano é que todos nós, em um momento ou outro, nos ocupamos imaginando o que faríamos se fôssemos os donos de uma fortuna de milhões de dólares.

Você deve ter feito isso hoje mesmo, até. Alguns pensam em “comprar uma casa e fazer um puxadim pra maínha”, pra parafrasear tantos indigentes habitantes do Maranhão (redundância, eu sei) que se tornaram ricos da noite pro dia graças ao seu Sílvio e sua Tele-Sena.

Outros usariam a grana pra pagar por uma formação superiora. Talvez hoje mesmo no caminho do trabalho, você fantasiou a respeito das festas putariosíssimas que você poderia anfitriar, ao invés de estar se dirigindo ao seu estágio mal pago. Ao se ver dentro de um ônibus lotadaço cara-a-cara (ou, dependendo da sua altura, cara-a- suvaco – o que é muito pior) com um mestre de obras suado e asqueroso, talvez você comece a fantasiar sobre os carros luxuosos e as motoristas topless que você contrataria pra te levar pra cá e acolá.

E quem sabe, quando acabar chegando atrasado no serviço (porque a grande concentração de pobres no ônibus bloqueou seu acesso à porta e você acabou descendo vinte quarteirões mais tarde), resultando numa espetacular e desmerecida bronca do seu chefe, todas as outras vontades materiais e carnais dariam lugar ao desejo de poder subir na mesa do chefe, mijar em cima da cabeça dele e voltar pra casa satisfeitíssimo e totalmente despreocupado com uma fonte de renda. Aliás, o cenário da mijada na cabeça da chefia é provavelmente mais popular que todos os outros sonhos.

Já eu tinha uma idéia muito mais elaborada do que eu faria se ganhasse milhões, que revela tanto as minhas raízes de semeador da discórdia quanto à minha incomparável vontade de assistir a desgraça alheia enquanto ela acontece.

Meu plano era o seguinte. Eu iria me trajar dos trapos mais arrebentados e imundos que eu pudesse encontrar na minha casa. Em seguida, me dirigiria a algum estabalecimento de venda de itens caros, como uma concessionária. Eu aguardaria o inevitável momento que um vendedor faria pouco caso da minha aparência e, quando ele estivesse próximo a acionar os seguranças, eu me aproximaria de um outro vendedor e compraria uma frota inteira de automóveis, recompensando-o com uma generosa comissão que uma gorjeta ainda mais farta.

E quando o filho da puta que me destratou me fitasse com aquele olhar tão inquisitivo quanto deprimido, eu explicaria em voz solene “Aprenda, seu filho de uma distinta meretriz, que nem sempre as roupas fazem o homem. De repente o sujeito vestido como um total fodido está na realidade bem distante disso.”

Entretanto, eu aprendi no mundo real que o inverso é muito mais comum, e que o sujeito vestido como um indigente miserável é realmente um indivíduo fodido nessa vida. E nessa hora você entende que a tal “oportunidade de investimento imperdível” que ele tenta te vender só pode ser um esquema furadíssimo, caso contrário ele não estaria vestido com algo que ele encontrou no meio do caminho até minha casa.

Esta é a história do meu envolvimento com a Herbalife. Os eventos descritos neste texto aconteceram quatro anos atrás, no comecinho de 2004, poucos meses após minha chegada no Canadá. Eu tinha 19 anos, quase nenhuma experiência de vida ou de trabalho, e estava desesperado pra arrumar um emprego. E, mais importante, eu nunca tinha ouvido falar em esquemas pirâmide na vida.

Eu era o alvo perfeito.

O nome dele era Bruce. Não lembro o sobrenome do cara de jeito nenhum. Tudo o que me lembro é que logo que o vi pela primeira vez, estacionando aquela sucata que ele chamava de carro na frente da minha casa, a semelhança com o George Costanza (do Seinfeld, lembra?) foi surpreendente. E não apenas no visual, como eu fiquei sabendo pouco tempo depois. Mas estou me apressando na narrativa. Vamos começar do começo.

Eu havia praticamente acabado de chegar no Canadá. Não estava gostando, e queria desesperadamente retornar ao Brasil. Pra isso, eu teria que correr atrás.

Saí procurando anúncios de trabalho nos jornais locais. Um desses anúncios me chamou atenção – a notinha nos classificados fazia alusão a uma posição interessante, “voltada a pessoas motivadas e sem medo de investir tempo e esforço pra estabelecer seu próprios negócios e se tornar financeiramente independentes“. O anúncio era muito vago, praticamente criptografado. Eu viria a saber no futuro que isso é uma marca registrada de golpes do tipo – é mais fácil te enrolar quando você não entende exatamente os detalhes do negócio.

Apesar disso, a idéia de iniciar um próprio negócio soava tão sedutora quanto o autor do anúncio almejara. A linha “oferecemos treinamento gratuito” afastou o medo de que minha falta de experiência seria um empecilho nos meus planos. Liguei pro sujeito.

Uma secretária eletrônica atendeu minha chamada. Deixei meu nome e meu número, e passei a esperar.

Em menos de uma hora o sujeito me liga de volta. Ele se apresenta como Bruce, e pergunta se eu estou interessado na “oportunidade de negócios” que ele postou nos classificados. Eu explico que sim, e pergunto que tipo de empreendimento é esse.

“Ah, estamos no ramo de saúde e fitness. Temos escritórios em toda a América do Norte, é uma empresa de mais de 15 mil funcionários só no Canadá, reconhecida na Dow Jones e…”

“Interessante. Qual o nome da empresa? E a propósito… qual exatamente é a posição disponível?”

O sujeito desviou das duas perguntas com precisão cirúrgica. Sem sequer perder o ritmo, ele continuou:

“…e estamos procurando por gente jovem, com vontade de aprender e liderar seu próprio negócio. Precisamos de gente motivada, inteligente, e acho que você vai se encaixar bem na nossa proposta, Izzy.”

Pra quem não sabe, “Izzy” é meu nome de guerra em território gringo. Adotei a alcunha porque os canadenses são incapazes de pronunciar meu nome da forma correta – isso é, em sotaque BRASILEIRO. Nada de rolar a língua nem porra nenhuma; eu acredito que o seu nome é mais do que apenas uma palavra grafada. O próprio SOM do seu nome sendo pronunciado é o que você está condicionado a entender como sua identidade. Ao ouvir um “Israel” pronunciado gringamente, eu não me sinto como se a pessoa estivesse se referindo a mim. Então, já que ninguém vai se dar ao trabalho de pronunciar meu nome direito mesmo, e como gringos têm uma mania incurável de usar apelidos pra tudo, virei Izzy. O termo serve pra qualquer nome que comece com Is (Isabela, Isaque, qualquer um).

Achei levemente suspeito o fato de que o cara pareceu propositalmente despistar minhas questões sobre o emprego. Mas fazer o quê? Eu não tinha nada a perder mesmo.

“Legal Bruce, parece bastante interessante. Mas eu tenho apenas 19 anos, e não tenho experiência alguma com o mercado de negócios e tal”.

Isso não incomodou o cara de forma alguma.

“Que é isso, não faz mal não. A gente vai te ensinar TUDO. Se você pudesse vir na palestra que vai rolar hoje à tarde, seria excelente!

Na época eu não sabia, mas o cara estava praticamente lendo a cartilha dos golpes de pirâmide contemporâneos. A turma que já conhece a laia entendeu o motivo do itálico naquela frase.

Nessa hora meu desconfiômetro apitou forte. O cara parecia MUITO disposto a me contratar, a despeito do fato de que ele não sabia NADA sobre mim e eu ter explicado claramente que não tinha qualquer tipo de experiência nesse tipo de negócio. Como era recém chegado no país, concluí apenas que as fábulas que ouvimos a respeito do primeiro mundo deveriam ser verdadeiras, e que de fato tem emprego pra todo mundo.

Acontece que a palestra aconteceria em Toronto. Eu morava em Oshawa, a 60km de distância. A rodovia que liga as duas cidades, a 401, é a estrada mais movimentada de todo o país. Demora mais ou menos uma hora pra ir de Oshawa a Toronto, se você estiver num horário de pico.

Expliquei a situação pro cara, pensando “bom, como o maluco mora em Toronto, agora mesmo é que ele se desmotivará em me contratar. Não tenho carteira de habilitação e nem fodendo vou viajar 60km de trem todo dia pra ir trabalhar”. Se Bruce estava decepcionado com as condições geográficas que restringiriam minha capacidade de trabalhar pra ele, o cara não mostrou isso de jeito nenhum.

“Ah, que pena. Vamos fazer o seguinte – eu posso ir até Oshawa bater um papo com você, apresentar a proposta da empresa, te dar umas dicas, te registrar e você já estará pronto pra começar!”

Por que DIABOS o cara tá tão convencido a me contratar? Batemos papo por cinco minutos no telefone, numa conversa em que eu fiz nada além de ressaltar os diversos motivos pelo qual eu talvez não seja a melhor pessoa pra posição, e ainda assim o cara está disposto a viajar 60km pra me contratar aparentemente no ato?

“Nesse mato tem cachorro”, pensei com meus botões. Mas, ingênuo e inexperiente, considerei a opção de que ao invés de um cachorro, era uma oportunidade de trabalho que se escondia atrás da suspeitíssima moita.  Afinal de contas, o que eu tinha a perder?

Nada. Mas isso é simplesmente porque eu não tinha nada a investir. Pra maioria das pessoas que se sente seduzida pelas esperanças irreais manufaturadas pelos recrutadores da Herbalife, na realidade muito acaba sendo perdido. E não estou falando apenas de dinheiro.

O tal do Bruce apareceu lá em casa no dia seguinte.

Eu não estou de putaria. Esse era exatamente o carro que o sujeito estacionou na frente da minha casa – um AMC Gremlin 1973. As únicas diferenças notáveis é que o carro do Bruce era vermelho com pintas marrons (era o epóxi cobrindo os buracos na lataria), e que esse da foto acima ainda tem as calotas nas rodas.

Bruce saiu do carro desengonçadamente, daquela forma característica que pessoas gordas saem de carros – se arrastando pra fora, como se mal conseguissem puxar a bunda gorda pra fora do banco, se apoiando com a mão no teto do carro e tudo. Içar-se pra fora do carro devia ser o único exercício que o cara praticava.

Já fora do aparelho, o gringo puxou as calças pra cima e com a mão livre enfiou as bordas da camisa pra dentro. Maluco passou então a ajeitar os poucos fios de cabelo que lhe restavam. Tudo sem a menor cerimônia, como se eu não tivesse acabado de ver o cara chegando todo esbagalhado. Fiquei observando a triste cena do sujeito se aprumando todo bem na minha calçada, à ampla vista da vizinhança. Bateu vergonha imediatamente.

O cara estendeu o braço pela janela e apanhou uma pastinha de couro bem surrada e quase sem cor. Terminada sua arrumação, o sujeito se dirigiou a mim, com a mão esticada e um sorisso na cara.

“Izzy Nobre? Eu sou o Bruce. Muito prazer!”

Eu trouxe o sujeito pra sala. Trocamos breves gentilezas (“Bonita casa”, “Ah, obrigado”, “Tá um clima bacana hoje, né?”, “Humrum”) e então o Bruce mergulhou nos negócios.

Primeiro ele me deu um discursinho decorado a respeito de que o mercado de saúde e fitness é a maior indústria do mundo, e que é um ramo de mil oportunidades, sei lá mais o que. Nessa hora eu me lembrei que até agora não sabia o que diabos era o tal emprego, ou por que o sujeito se deu ao trabalho de vir até a minha casa pra me contratar. Àquela altura o negócio nem parecia mais uma entrevista de emprego, e sim um “sales pitch” – ou seja, alguém tentando te convencer a comprar (ou, num uso menos literal da expressão, acreditar em) alguma coisa.

Como eu viria saber em breve, no caso deles seria ambos.

Ele puxou então uns panfletinhos da pasta. Os impressos anunciavam o sucesso deste ou outro maluco africano que havia começado a trabalhar pra empresa há menos de um ano e ganhou tanta grana que recentemente comprou até casas pros familiares e coisa e tal. O cara continuou seu discursinho sobre a expansão da indústria de produtos voltados ao estilo de vida natureba.

Eu finalmente interrompi o maluco pra perguntar do que se tratava o negócio. O cara estava matraqueando por uns vintes minutos a este ponto, e imagino que o tom da minha pergunta não deixou dúvidas sobre minha impaciência. O cara finalmente largou mão da enrolação.

“Herbalife”. Uma oportunidade única, segundo as milhares de pessoas fictícias que fizeram fortunas imaginárias através dela. Os olhos do cara quase brilhavam com empolgação.

Hoje, muitos anos depois, eu teria chutado o maluco pra fora da casa assim que ele falasse “Herb…”. Lembre-se, esta história aconteceu mais de quatro anos atrás, eu nunca tinha ouvido falar em esquemas pirâmides antes na vida.

O cara explica a linha de produtos que eles vendem (sucos de fruta/ suplementos/vitaminas), e em seguida fala que a vaga que ele quer me oferecer é de “representante regional autorizado”. Um termo pomposo pra “vendedor de porta em porta” – o que ele desonestamente omitiu, mas eu viria a entender por conta própria.

Ao invés de falar a verdade, ele explicou que o mote do negócio é “estabelecer clientela fiel através de ‘social networking’, e com isso expandir seu público alvo”. Ou seja, empurrar as tralhas pra amigos, familiares e tal. Ou seja, totalmente inviável pra alguém que acabou de chegar no país, não conhece absolutamente ninguém e nem fala inglês direito.

Ele passou a citar novamente a maravilha que é o mercado do tipo de produto que ele vende. Falou que a nova onda na América do Norte é alimentação saudável e que há uma grande demanda por esse tipo de produto natural.

Devo ter transparecido meu desinteresse em vender suquinho natureba, porque de repente ele partiu pro carro-chefe do modelo pirâmide, o que geralmente convence pobres coitados a embarcar nessa loucura.

“Ser representante de vendas da Herbalife é realmente excelente, tem gente que faz uma boa grana com isso”, ele disse, batendo com os dedos no panfleto que eu havia largado em cima da mesinha de centro “Mas o potencial mesmo é se tornar distribuidor.”

“Como assim, distribuidor?”

“Bom, digamos que ao invés de apenas vender o produto X ou Y, você venda pro sujeito o KIT DE PARTICIPAÇÃO HERBALIFE. Ele se tornará outro representante, e você ganha uma porcentagem do que ele vende. Se você for carismático e persuasivo, em breve terá montado seu próprio time de representantes, e ganhará tanta comissão do emprego deles que não precisará nem trabalhar!”

Demorou pouco tempo pra perceber a ironia da situação – ele descreve com entusiasmo como eu posso lucrar com o trabalho alheio através desse sistema, enquanto tenta me recrutar com o mesmo intuito: ganhar às minhas custas. De repente a disposição dele em vir até Oshawa deixou de ser tão misteriosa.

Nesse ponto eu ainda estava em cima de cerca. A idéia parecia muito suspeita, e a linha de trabalho era bem diferente do que ele fez parecer no anúncio do jornal. Entretanto, até aqui o negócio parecia apenas um emprego ruim. E se tem uma coisa pra qual sempre tive disposição, é tentar trabalhos mesmo que pareçam inferiores do que eu esperava. Então até aí eu AINDA estava analisando a proposta com um certo otimismo.

O cara se levanta pra ir ao carro e me mostrar a linha de produtos, pra eu me familiarizar com eles e tal. Neste ponto eu não tinha dado sinal algum de que aceitei a oferta, mas o cara parecia estar animadamente contando com isso. Logo, eu deveria conhecer melhor a tralha vendida por eles.

Sigo o Bruce até o carro dele. O infeliz abre a porta do veículo e se dobra todo pra pegar uma caixa que repousava no banco traseiro. Enquanto ele manobrava sua banha por cima dos bancos do carro e se torcia todo pra apanhar a caixa, eu pude notar um buraco no chão do carro que me permitia ver a rua. Dava tranquilamente pra passar uma latinha de cerveja pelo rombo.

Não estou inventando isso. Nessa hora todos os alarmes soaram em minha mente, o tal emprego começou a parecer mais ainda com uma furada, e eu passei a me ocupar pensando em formas de mandar o sujeito embora sem ser mal educado.

Ele me seguiu de volta pra sala. O cara começou a tirar da caixa garrafinhas de sucos e latinhas de vitaminas em pó. Ao mesmo tempo que puxava o produto, Bruce fazia declarações sobre sua suposta eficácia: este aqui rejuvenesce a pele, esse aqui filtra o sangue de impurezas, esse aqui aniquila radicais livres, esse aqui serve pra ajudar na recuperação de pacientes com câncer…

Cada afirmação milagrosa vinha após alguns segundos examinando os rótulos dos produtos com a maior cara de palerma do mundo, e frequentemente o cara se enganava e tentava corrigir sua descrições por ter lido um rótulo erroneamente, e em seguida achar na caixa o produto que ele achava já ter apresentado. “Opa, era ESSE aqui que combate calvície…”

Em outras palavras, o cara era a ilustração da incompetência. O carro fodido, a aparência desleixada, sua falta de eloquência, a inexperiência com os próprios produtos, tudo me convencia de que o cara era um inepto total, e que esse “emprego” seria uma perda de tempo. Alguma coisa vinda de um maluco desses não tem como ser boa coisa, eu pensei.

Interrompi o sujeito na cara dura.

“Mas vem cá Bruce, quanto é o salário mesmo?”

Nessa hora o cara pareceu pego de surpresa. Aquele meio segundo de hesitação me disse tudo que eu precisava saber.

Mesmo assim, o cara se recompôs e deu mais um discursinho que só poderia mesmo enganar os mais ingênuos.

“Essa é a beleza da Herbalife, Izzy. Com a gente, seu potencial não é ditado por uma cota fixa. Você ganha uma comissão de vendas e de novos inscritos. Não existe um limite pro seu potencial! Eu por exemplo me demiti do meu emprego pra trabalhar integralmente com a Herbalife!”

Bateu um sentimento horrível de pena. O cara largou um emprego garantido pra vender suquinho e suplemento alimentar pra estranhos? Pra ganhar apenas comissão de vendas?

Enquanto eu matutava uma réplica educada pro cara, ele abriu a pastinha e puxou uns papéis.

“Pra gente não perder muito tempo, vou começar a preencher seu formulário de inscrição aqui.”

Fiquei com vergonha de dizer a verdade pro cara – que eu tava achando que aquilo era uma incrível perda de tempo, e que sair por aí vendendo suco e suplemento alimentar pra amigos e/ou conhecidos (duas coisas que eu não tinha) de porta em porta me parece totalmente sem futuro.

O cara continuava preenchendo a papelada enquanto eu dava um sorriso sem graça pensando numa desculpa pra pular fora do negócio sem ser rude. Sempre tive esse problema – por causa da educação dada pelos meus pais eu sempre tento ser o mais cortês possível, o que me coloca nesse tipo de situação que um simples e mal educado “não estou interessado, favor sair da minha casa” resolveria.

“Ok, tudo tá pronto aqui. Agora só preciso dos 200 dólares da taxa de inscrição pra que a gente possa…”

Hahaha, justo quando eu pensava que não podia ficar pior.

“Taxa de inscrição?”

“Isso. Há uma taxa de apenas 50 dólares pra processarem sua aplicação. Os outros 150 dólares são pra pagar os produtos que deixaremos na sua mão. Eles têm um valor de quase 250 dólares, então aí está um lucro fácil de 100 dólares!”

“…se eu vender a caixa toda.”

O cara não identificou o tom de desdém da minha frase – a resposta dele me faz pensar que ele interpretou minha reação como empolgação.

“Poisé. E isso é só o começo! Assim que você estabelecer uma rede de distribuidores, os lucros vão…”

Fiz de conta que ele nem estava falando.

“Então se eu conseguir vender uma caixa inteira em, digamos, uma semana” – tanto eu como ele sabíamos que seria mais fácil construir um F-22 completamente funcional usando nada além de caixas de sapatos, esparadrapo e fitas cassete que vender a caixa toda em tão pouco tempo – “estarei fazendo 400 dólares por mês?”

(Tenha em mente que o salário mínimo canadense é mais ou menos 1200 dólares por mês, e qualquer pessoa ganhando menos que isso seria aconselhada por todos a arrumar um emprego melhor. Aliás, minto – ganhar apenas 1200 dólares por mês já seria o suficiente pra ser considerado um fodido)

Dessa vez minha real opinião foi captada pelo cara. Ele tentou esconder que se sentiu ofendido. Ele começou a explicar novamente que meu limite é estipulado apenas pela meu esforço e minha força de vontade, e…

Ok, sabe duma coisa? Chega de ser educado. Foda-se. Já perdi tempo o bastante com essa merda.

“Deixa eu ver se tou entendendo, Bruce. Eu vou então trabalhar apenas por comissão, vendendo produtos com promessas que sugerem conteúdo medicinal mesmo sem ter nenhum treinamento ou autorização pra isso, a única forma de isso se tornar realmente rentável é convencendo desconhecidos a vender o negócio por mim, não há nenhuma garantia que as minhas horas de trabalho resultarão em lucro, e antes mesmo de começar qualquer coisa já preciso dar 200 dólares pra vocês? É isso?”

Eu sei que eles treinam os sujeitos pra usar manobras retóricas pra varrer essas críticas pra baixo do tapete usando silogismos baratos, mas acho que o Bruce perdeu essa aula. O cara ficou totalmente sem resposta e fez uma cara que me deu muita pena. Aqueles cinco segundos de silêncio foram extremamente desconfortáveis. Meu senso de educação voltou à ativa e tratei de inserir uma desculpa secundária, pra não parecer que eu estava aloprando o negócio totalmente.

“Além do mais, eu não tenho 200 dólares pra investir nisso. Não tenho dinheiro nenhum.”

“Isso não é um problema. E se eu te der uma caixa minha? Você poderia já começar a trabalhar, e quando pudesse, me pagava os 200 dólares de volta.”

O cara tentava me convencer da idéia da mesma forma que uma criança implorava a mãe por um doce. Seria totalmente patético, se não fosse totalmente desonesto.

Perdi a bondade de vez. O cara estava realmente tentando me passar a perna. Um gringo querendo enrolar um brasileiro! Essa é boa.

“Você quer que eu venda o SEU material, pra eventualmente pagar uma dívida de 200 dólares? O que exatamente eu ganho com isso?”

Mais uns segundos de silêncio. Já chega disso, pensei. Estendi a mão pra ele.

“Bom Bruce, foi um prazer mas acho que isso não é pra mim, não”. O que na verdade significava “É uma pena que você caiu nessa. Procure outro otário pra te livrar desse lixo”. A insistência desapareceu. Resignado, o maluco começou a reempacotar os frascos humildemente. Tirou um cartão do bolso e estendeu pra mim.

“Se você mudar de idéia, aqui está meu número.”

“Não vou mudar de idéia, cara. Quero um emprego, não um bico de comissão em que eu já começo perdendo dinheiro.”

Quando terminei de falar isso, senti novamente pena do cara. O sarcasmo foi meio cruel.

Nisso, já estávamos na calçada. O cara joga a caixa no banco de trás, se vira pra mim e profetiza: “Você vai se arrepender, ‘moleque’. Tá jogando fora uma oportunidade única de fazer bastante dinheiro”.

Aquele “moleque” soou arrogante o bastante pra me fazer, mais uma vez, abandonar a compaixão. Estiquei o pescoço pro lado e, por cima dos ombros dele, joguei um olhar pra sucata estacionada na minha calçada.

“Sinceramente? Acho que a única pessoa com algum tipo de arrependimento aqui é você, Bruce”

Virei-me e voltei pra dentro de casa, dessa vez sem remorso. Desde esse dia, eu fico absolutamente surpreso que existem pessoas mais velhas e mais experientes que eu mas que de alguma forma caem nesse golpe.

Daquele dia em diante, passei a considerar esquemas de pirâmide como o Teste Definitivo de QI.

“Ah, estamos no ramo de saúde e fitness. Temos escritórios em toda a América do Norte, é uma empresa de mais de 15 mil funcionários só no Canadá, reconhecida na Dow Jones e…”Ele puxou então uns panfletinhos da pasta. Os impressos anunciavam o sucesso deste ou outro maluco africano que havia começado a trabalhar pra empresa há menos de um ano e ganhou tanta grana que recentemente comprou até casas pros familiares e coisa e tal. O cara continuou seu discursinho sobre a expansão da indústria de produtos voltados ao estilo de vida natureba.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Geral

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

121 Comentários \o/

  1. Brust says:

    Primeiro!!!!

  2. krain says:

    Pô, tu tá melhorando na escrita hein? Tá fazendo uns posts maiores e mais bem feitos. 😉

    E porra, tu escreveu esse post todinho do iPod Touch? Então ele deve ser simplesmente FODA pra escrever.

  3. Zlatan says:

    Te falar que meu pai ja caiu nessa historia quando tava desempregado, chegou, só que eu tava com tanta pena dele pela situação que ele se encontrava, que tentava ser sutil falando pra ir com calma e tal…

    Meses depois que ele viu a burrada, é que pulou fora e volta e meia quando ele vem discutir a respeito de algo comigo por telefone eu só falo: “Vai vender Herbalife, vai” …

  4. Kid says:

    @krain

    Sim, esse post inteiro foi escrito ontem no trabalho, no touch. Ele é incrivelmente bom pra editar textos quando você não está em casa, até eu estou surpreso com a descoberta dessa funcionalidade. A única coisa que não fiz nele fio procurar a imagem do carro. O resto (digitação e formatação do texto) foi toda no touch.

    @Zlatan

    Ahahhaah acho que tu tinha me contado isso antes no fórum.

  5. Tomás says:

    Muito bom o texto cara, definitivamente essa coisa de pirâmide é teste de QI mesmo. Sempre que vem algum amigo meu me vender herbalife ou similares me dá uma pena deles hehe. Acho que agora vai dar mais pena ainda porque vou associá-los à imagem do Bruce, hehe…

    Ah e essa parada de pirâmide tá ficando sofisticada pela internet (sabe do que eu estou falando né?)

    Abraço

  6. Trovalds says:

    A pergunta é: quem nunca foi abordado pra esse tipo de “golpe”? Pq eu já fui pelo menos umas 3 vezes!

  7. ianwlad says:

    Huahuaha mto bom

    Minha mãe deve ter algum problema, pois já caiu nesse “golpe” 3x e continua sem perceber o fator pilantragem existente nessa merda

    Mas isso de gringo tentar enganar brasileiro é foda mesmo hauhauha, até parece, nós nascemos com isso no sangue hehe

    Agora não sei se tenho pena ou raiva dos que caem nessa e ainda vem tentar te convencer, é quase pior do que os que caem no golpe da igreja

    abraços

  8. Dan says:

    Kra ..eu tenho tanta raiva desses malditos ¬¬

    Eu quase cai nisso aqui no Brasil ..mas pela Omni ¬¬

    Minha namorada recentemente entrou nessa pela Forever Living ..por mais que eu avisei ela e expliquei o negocio ..não adiantou ..pq o cara q recrutou ela é ‘amigo’ dela a uns 6 anos pra mais ..e ele tem dinheiro pq o pai dele convenceu mta gente a entrar nisso 🙁

    Eu queria matar todos esses FDP que praticam esse esquema fraudulento ..

    Bando de sangue-sugas miseráveis!! >:(

    Alias ..excelente o texto 🙂

  9. Dan says:

    @ianwlad, sem querer ser rude cara ..mas eu não nasci com isso no sangue não ..

    fale por você ..eu acho uma patifaria grotesca enganar os outros ..na real ..me da nojo esses nego de se dizem trabalhar com ‘marketing multinível’ ..

    Como dizem ..’não faça pros outros oq você não gostaria que fizessem com você’ ..

    abraço ..

  10. Pharazon says:

    decimoterceirão? =D

  11. Pharazon says:

    agoravoulerD=

  12. wallambuo says:

    caralho.. esse vou ler durante a semana

  13. pilla says:

    ótimo post, adorei o caráter explicativo, sempre que me deparava com carrões (corolla, civic, etc..) na rua com “HERBALIFE” estampado nas laterais/traseira me perguntava: “mas que porra é essa?”.

    Agora eu sei.

  14. tiago says:

    Dan; também não sou golpista, mas sou brasileiro, e isso eleva o senso de desconfiança exponencialmente
    No Brasil impera a lei de Gerson

  15. Argus says:

    Haha, nunca fui abordado por um treco desses, mas tenho a mesma dificuldade para “dispensar” as pessoas. Uma bosta.

    Ótimo texto, tô impressionado com a qualidade dos últimos tempos. Tinha parado de comentar porque achava que tu não lia, Israel (Kid no more), mas agora eu até volto pro Top Vagabundos ali, quem sabe.

    Ah sim, e agora eu finalmente entendi o sistema pirâmide. Não tenho muita cabeça para essas pilantragens, e pra mim o negócio do cara dos selos não tinha ficado muito claro. Obrigado, agora tenho um pouco mais de cultura útil. Uhu.

    (comentário sem nexo do caralho)

  16. Anon says:

    HAHA! adorei o texto =P
    Em um dia, tu posta um texto que faz a gente te ver de outra maneira(criança no more) e no outro, faz a gente lembrar novamente do kid semeador de discórdia 😉

  17. Lars says:

    Kid, muito bom o texto, acho legal como voce detalha as coisas, cheguei a visualizar até as expressoes do cara tentando te convencer.

    Tem um amigo meu que comprou um kit de venda dessas bagaças ae, não tenho certeza se é herbalife, mas ele fez por email, advinha pagou 150 reais parece no negocio que vinha com uma fita de video pra ensinar o negocio bla bla bla.
    Resultado: Alguem ganhou 150 reais nas costas dele, porque nem receber o tal do kit ele recebeu.
    TALVEZ isto sirva pra complementar renda sem esforço, tipo voce passa cartoes pra todo lado ae “vendo produtos naturais” e esperar alguem que queira comprar entrar em contato com voce, agora viver disso e enriquecer, ganhar 3000 no primeiro mes trabalhando meio periodo… sem comentarios.

  18. Lars says:

    Comigo sempre que alguem chega me oferecendo produtos eu tenho a sensacao de que ha um golpista em potencial na minha frente, alguem querendo ganhar dinheiro facil, dinheiro no caso que sairia do meu bolso.
    No seu caso voce entrou em contato com o cara, mas eu me refiro a conhecidos que chegam, oi posso te mostrar uma coisa ? dai te mostra um oleo que cura tudo, mostra um perfume das arabias, essas coisas, primeira coisa que vem na minha cabeça é “putz nao acredito que essa pessoa acredita que va conseguir me vender isso”.

  19. GuiFig says:

    Falei que não era das patricinhas.. (muito bom nonetheless :D)

  20. Jhonatan says:

    Como ele te chamou de “moleque” em inglês?

  21. Por um post desses, dá pra ver que o Touch tá bombando horrores… *inveja*

    Impressão minha ou os textos estão ficando mais elaborados também? Estou sentindo uma diferença…

  22. Kid says:

    @Argus

    Eu leio TODOS os comentários, cara. Eu tenho internet ilimitada no celular, e de hora em hora checo os comentários aqui. Pode ter certeza que, não importa ONDE eu esteja, seu comentário foi lido.

    @Jhonatan

    Ele falou algo como “You’ll regret this, BOY“. Na América do Norte, costumava-se chamar escravos de “BOY”, com aquele forte sotaque da Carolina do Sul/Alabama, como forma pejorativa.

    A escravidão acabou, mas se referir a alguém diretamente como “BOY” do jeito que o Bruce fez é como insinuar que a pessoa é burra ou menos importante que você.

    Até hoje é um termo meio ofensivo, quando usado dessa forma. ESPECIALMENTE se você estiver se dirigindo a um negro.

    @Bruno Guedes

    Isso deve ser porque ao escrever um texto no trampo eu não tenho muitas outras distrações, e por isso me dedico inteiramente ao texto. Essa é a minha teoria, anyway. Todos os últimos posts foram escritos (ao menos parcialmente) no touch. Este aqui foi escrito INTEIRAMENTE nele.

  23. Lariii says:

    essa parte no começo do texto, sobre chegar no vendedor e deixar ele puto pq vc tem dinheiro etc, foi bem Linda Mulher da sua parte.

  24. Equilibrium says:

    Eu meados de 2002 ganhei proximadamente 30K com piramides, e investi pouco mais de 5K para obter este lucro. Quando a coisa começou a ruir caí fora num pulo só. Um sobrinho meu ficou sabendo de meus lucros e quis tentar a mesma coisa
    com a “Herbalife”, eu conversei com ele e tentei explicar a maracutaia que era a coisa, cheguei até a discutir feio com ele, mas não adiantou nada, ele já estava possuido totalmente, fizeram o coitado comprar o super pacote de 9K, pra “começar por cima”, coitado, em um ano já não tinha mais nada e devendo.
    Ps: Ele também perdeu + -- 15K na “Avestruz Master”…

  25. Poserboy says:

    AMC Gremlin… o carro não podia ter um nome melhor.

  26. Dan says:

    @tiago, não quiz dizer ngm é golpista manja ..

    É que o que deu a entender no comentário la em cima é que nós brasileiros nascemos com o intuito enganador ..de ter esse ‘instinto’ de passar a perna nos outros 🙁

    Eu não concordo com isso ..é só isso ueh .. 🙂

  27. Poserboy says:

    Bah! Acabei de rever um e-mail que recebi há uns 5 anos:

    Caro Dr. (a).

    A Herbalife Internacional, a primeira empresa de Controle de Peso e Nutrição Celular tem o prazer de convidá-lo (a) para um Seminário dedicado a examinar a íntima relação entre a nutrição e um nível ótimo de saúde.

    (…)

    Confessemos: os caras têm talento pra enrolar.

  28. Lulis says:

    nao entendi qual que eh o golpe se ele ofereceu pra voce vender sem pagar antes. vender por comissao ja existe fas tempo voce nunca comprou um carro? o vendedor ganha! agora voce vai dizer que trabalhar na chevrolet eh golpe haha mas que burro

    • Victor says:

      acho que vc devia ler a coisa com olhos mais críticos! O cara está alertando!! Se vc já caiu no golpe, saia enquanto só perdeu 200$!!Vendedor tem ajuda de custo, ou pelo menos vende produtos e não tem que ficar cadastrando outros vendedores!!Acorda fí!!

  29. maROCKosu says:

    @Equlibirum
    mas cara o negócio do avestruz master, não foi bem um “golpe” em sí foi mais pela má administração…
    pelo menos eu penso assim… pq qto a AM eu até “conhecia” o cara e tal, e fiquei sabendo da quebra de uma hora pra outra pelos jornais…
    oq foi q aconteceu por lá mesmo!?
    mas que o menino é azarado isso ele é…

  30. Lulis says:

    ja assistiram o filme em busca da felicidade? pois eh bem sobre isso alguem que busca seus sonhos e sucede neles. igual serei eu amanha. soh nao boto aqui meu telefone e o que eu vendo porque o dono do blog ia me bloquear por soltar spam

    • Victor says:

      pode falar em qual golpe vc caiu!! Eu conheço vários desses golpes já tentaram me vender várias merdas!! Clubes de turismo, Amway, Odorizi, OMNI, Forever, Herbalife, Monavie, telexfree, etc. Pare de sonhar com dinheiro fácil! Só vai te trazer aborrecimento. Esses esquemas são mais cruéis pq além de vc entrar na eparrela eles querem que vc leve seus parentes e amigos para merda!! Acorda !!

  31. maROCKosu says:

    @lulis
    não mané… presta atenção na diferença,
    uma coisa é vc chegar em uma empresa que tem os produtos pra vc vender e receber comissão,
    agora VOCÊ COMPRAR o produto e VENDER PRA TER COMISSÃO é outra coisa diferente…
    sabe ler nas “entre-linhas da vida”?

  32. Kid says:

    @Poserboy

    Tá vendo? É sempre um seminário/palestra. Pra te convencer em um ambiente que simula legitimidade e negócio sério.

    @Lulis

    Numa concessionária, eles não vendem o carro pra você e depois dizem “pronto, agora passe pra frente“.

    Essa comparação é incrivelmente estúpida que só poderia ter vindo mesmo de alguém que participa desse tipo de esquema pirâmide.

    Lembra o que eu falei sobre o Teste Definitivo de QI? Olhaí.

  33. “já existe fas tempo”

    hahçklasfjsdfhahçflasfhasjkldhasjklçdhfahhasçdlfkhasçldkhashfaçsldfhaçslkdhf

  34. Argus says:

    Israel (CRIANÇA NO MORE1), o problema foi quando tu mudou o textinho dos comentários para “Não vou ler esses X comentários”, aí eu pensei “putz, ele encheu o saco de vez”. Mas tá beleza, em breve tô de volta no topo do Top Vagabundos, igual a dezembro/janeiro ou coisa assim.

    Aliás, cara, quando tu comentaste que quase tinha caído na do Herbalife eu jurava que tinha sido aqui no Brasil. Nem sabia que tinha esse negócio no exterior, o nome soa meio “vamos botar algo em inglês para parecer modernos”.

  35. damnerd says:

    A característica mais marcante dos seres humanos é a falsidade. a capacidade de mentir descaradamente é o que nos identifica de verdade.

  36. Dan says:

    @Argus, que nada cara, tem muitas empresas dessa laia no exterior ..alias a maioria delas são gringas ..

    Posso até citar umas .. Amway, Forever Living ..a própria Herbalife ..

    Ta cheio desse bando de ladrão por ai ..

  37. RIcardo Silva says:

    pior, o sistema pirâmide é EXATAMENTE igual em todos os cantos do planeta, inclusive aqui por Rondônia-land… já tentaram me convencer três vezes com a mesma balela, primeiro com herbalife, segundo com voip, e terceiro com uma rede de anúncios em mensagens de texto de celular, que eu não me lembro o nome. o engraçado é que sempre te pegam de surpresa, e SEMPRE tem ‘uma palestra pra ver hoje’, que vai supostamente te ensinar a ser um vendedor mothafucka. é incrível a capacidade do ser humano de criar novas maneiras pra foder seu semelhante, e mais incrível ainda é que essas maneiras soam como oportunidade para um terceiro foder um quarto.

    e sim, kid, ia te perguntar, já que não tenho nada pra fazer e quero chorar da minha condição de brasileiro morando no brasil: tu ganha mais ou menos que 3.500 doletas? pq é esse o salário de alguém que terminou o ensino superior e ingressou em um emprego público… cara, eu sei que o custo de vida é inferior aqui, mas no que realmente importa, AS MALDITAS GADGETS, esse salário n serve muito não

    =

  38. Dan says:

    @Ricardo Silva, caraca!! ..vc mora em Rondonia kra? ..eu ja morei ai!!

    Morei ate meus 8 anos ai! ..puta merda!! ..saudade da minha infância ai cara! ..ainda existe os mercados dos Irmão Gonçalves ai? ..eu era amigo do filho do dono velho ..mro saudade dessa época ..oeu estudei em um colégio q nao me vem o nome agora ..era de freira e tal ..irmã nao sei oq ..tu sabe?

    Abraço! 🙂

  39. RIcardo Silva says:

    @dan, acho que o colégio de que tu fala é o auxiliadora, numa ladeira gigante dos infernos! bem, existe o supermercado gonçalves, e o supermercado irmãos gonçalves. aparentemente da mesma família, mas negócios distintos, mas o caso é que são dois impérios, sendo que o IG tem só um supermercado e um hiper, e o gonçalves tem uns cinco supermercados de tamanho médio… cara, por aqui tá tudo parecido, só muda que estão querendo coonstruir duas hidrelétricas, e dois shopping centers, dessa vez com um tamanho respeitável, trÊs andares, mais andar de estacionamento

    parece que a amazônia está crescendo rapá! aiehiaeuhiaeh

  40. Xisde says:

    Legal o post.Essa regularidade entre os posts “fideliza” os leitores.

  41. N says:

    Sensacional!

  42. Fábio says:

    Kid, muito bom o texto, curti.
    Tenho um amigo (meio distante, ele é mais amigo de infância do meu irmão) que se meteu nesse Herbalife (e como o Argus, eu também achava que existia só no Brasil). Meu irmão comentou uns tempos atrás que ele tava ganhando +- 5K/mês, mas não sei hj como ele tá… tentou até “aliciar” meu irmão, graças a Deus sem sucesso.
    Para mim ser vendedor de porta em porta não é uma boa. Nada contra, mas sinceramente quando eu quero comprar alguma coisa vou ao mercado/loja/shopping/internet, nunca compro de vendedor.
    Já ouvi falar muito mal desse negócio de Herbalife, de nego que perdeu muito dinheiro nisso, que o cara tem praticamente que viver para a coisa 24 hrs/dia, que chega a ser um negócio mesmo de fanatismo, quase religioso, hehehe.
    Aqui em Maringá (PR) tem MUITA gente nessa parada, cara, os caras pegam o próprio carro da família e adesivam o carro com uns logos gigantes da Herbalife, imagina só vc ir na balada com o carro assim?
    É deprimente de ver, o que só confirma a tendência de auto-escravidão que o negócio te força.

    @damnerd
    Concordo plenamente. Inclusive um pensador disse isso, não me lembro quem foi.

  43. Dan says:

    @Ricardo Silva, não não ..nãio eh o Auxiliadora não ..é um outro ..é nome de mulher também ..fala outro q tu lembre 🙂

    Oloco! ..eu não sabia desse negocio de ser separados ..eu sei q a casa do kra era ENORME! ehaueahuae

    É que eu não lembro dos nomes e tal ..se perderam na memória com o tempo ..eu morava em um bairro que as ruas eram números ..qndo eu morava ai o bairro ainda era rua de terra ..eu morava na rua 7, casa 14 se não me engano hahah 😀

    Puta saudade dessa época LOL

    A primeira vez q eu fui no cinema foi por essas bandas ai ..assistir Mortal Kombat hahahahaha ..antigáááásso!!

  44. Geek In The Pink says:

    quinto 8)

  45. Vinicius says:

    Belo post. Muito bom texto

    Tomei a liberdade de pesquisar no google a palavra-chave do negocio, e olha so: http://www.cockeyed.com/workfromhome/workfromhome.html
    E isso no top-10 do google pra “herbalife”. Me lembrou de um amigo que entrou e depois me convidou. Felizmente eu nao tinha grana e vontade pra entrar naquela epoca, e ao meu ver acabei economizando uma graninha.

    Kid, os comentarios do blog podem quebrar se a palavra digitada aqui nos comments for gigantesca (ou um spam ou coisa do genero).
    No css acredito que voce possa corrigir isso colocando “overflow:hidden;” e “word-wrap: break-word;” no estilo “#commentlist div”.
    Mal a nerdice. Odeio css. Mas atualmente e meu ganha pao, fazer oque.

  46. Diogo says:

    Eu tenho o mesmo problema que você pra dispensar esses malas. Já tentaram me “converter” pro herbalife 2 vezes.

    Tirando os japoneses em seus iates nos panfletos, nunca vi ninguém rico por causa da herbalife.

  47. Luiz Felipe says:

    HAHAHAHAHA

    SENSACIONAL KIDDD

    To chorando de rir cara, hahahaha.

  48. Diogo says:

    Fiquei com pena da mãe de um amigo meu que andava para cima e para baixo com o broche “perdi xx quilos, pergunte-me como” e todo dia que ia na casa dele ela enfiava 50 pilulas na comida dele. Será que era para convencer os amiguinhos?
    Ahhh esqueci! Ele já me mostrou que um tal chairman do herbalife aqui no Brasil tem várias Ferraris e etc! Não acredito em mais nada disso. :/

  49. Miu says:

    Kid,

    Dá um bom esquema de pirâmide anti propaganda da herbalife! tipo.. venda panfletos, vídeos e etc… e no discurso põe algo do tipo:

    você ganha dinheiro por fazer deste mundo, um mundo mais honesto!

    [herbalife: você ganha dinheiro por fazer deste mundo, um mundo mais saudável!]

    vai vender que é uma beleza!

    yeah! (y)
    XD

  50. Miu says:

    Ah! de onde e de que modelo são as armas de pressão que estão no Flickr ?
    Deixa mais detalhes aí!
    >.<

  51. zoreba says:

    “(porque a grande concentração de pobres no ônibus bloqueou seu acesso à porta e você acabou descendo vinte quarteirões mais tarde),”

    Perfeito, normalmente uma ou duas partes dos textos me fazer sorrir por eu me ver na situação,mas pqp, essa foi perfeita! Nada como tar atrasado pra ter aquela familia de pobre passeando pelo cidade na porta do onibus.

  52. Joe Redux says:

    Pow Kid,

    Tb estou interessado nestas armas de pressão. Coloque aí suas impressões sobre elas e qual estrago que elas fazem. 🙂 tem algum esquema pra mandar elas pro Brasil? gostaria de colecioná-las.

  53. Ravel says:

    Não se sabe quem é o pilantra original por trás da Herbalife?
    Sabe, o Bruce me lembrou aquele gordo do Jurassic Park, o cara era naquele estilo lá?

  54. Natanael says:

    Muito bom esse post… o pessoal tem que se ligar nessas coisas…
    Esses caras tb tentaram vender esses “produtos” pra minha mãe que tem problemas de saúde como a cura pra todos os problemas dela… e como se não fosse o bastante tentaram tb me empurrar esse esquema de “emprego”.Ainda bem que eu trabalhava na época e a idéia de vender algo de porta em porta tb não me agradava. Esses caras fizeram uma reunião no hotel do lado de casa, tinha até Mercedez com propaganda deles…ô gentinha!

  55. Gabriel says:

    Já tentaram me chamar pra isso duas vezes. Da segunda vez eu ignorei, mas da primeira eu fui abordado no meio da rua por um cara que foi me puxando pra dentro. Tomei um susto tão grande que fui junto, trancando de medo, parecia que eu tava sendo assaltado. E adivinha? O cara veio falando aquela mesma ladainha de ganhar dinheiro fácil, falou que ia ter uma palestra em algumas horas e pediu pra eu ver, blablablá.

    Confesso que na hora eu só me livrei do cara porque tava com pressa; depois que bateu o desconfiômetro.

    Mas o cara queria me passar a caixa por 150 reais. Ou a Herbalife tá desvalorizada aqui no Brasil, ou o cara DEFINITIVAMENTE queria te passar a perna.

  56. Tiago says:

    Eu sempre fico com um pouco de pena dos otários que vejo na rua com camisetas “Quer ganhar dinheiro sem trabalhar? Pergunte-me como.”
    Fico com pena deles porque sei que todo mundo ou foi ou vai ser enganado um dia.
    Bom texto, mas tirando o fato de que a história é engraçada por si só você nem colocou humor nela.

  57. Luiz E. says:

    Cara, esses esquemas pirâmide são foda mesmo.
    Aqui em Salvador de uns tempos pra cá começou essa onda de Herbalife com força total. Aparentemente as pessoas mais acima na hierarquia realmente podem chegar a ganhar alguns (poucos) milhares de reais, mas são pouquíssimas pessoas. Mais de 10 amigos meus entraram nesse esquema, e um em especial tentou me convencer de todo jeito. Há um bom tempo já ouvia falar em pirâmides, então já estava esperto.
    Certa vez até fui pra uma dessas palestras, mas só fui pra comer de graça mesmo.
    Tinha coxinha. kibe, etc. hauheuaheua
    Mas fiquei impressionado como tem otário que cai nisso… a palestra parece um culto de certas igrejas. Passam videos e contam histórias das tais pessoas do Tibunctu que ficaram ricas, falam sobre o tal químico que desenvolveu o Viagra ou sei lá o quê que supostamente cria os produtos da empresa e apresentam pessoas que supostamente emagreceram ou ficaram fortes tomando apenas os suplementos. Claro, tudo isso sempre intercalado com músicas estilo Disco bem animadas, acompanhadas por espectadores animados batendo palmas e gritando.
    Tudo no melhor estilo culto Evangélico.

  58. pRedo says:

    [i]”Um gringo querendo enrolar um brasileiro! Essa é boa.”[/i]

    ri alto aqui 😀

  59. Argus says:

    @pRedo: “Códigos HTML funcionam nos comentários, então divirtam-se (e parem de usar BBcode. Isso aqui não é orkut, caralho)!”

  60. Luiz Felipe says:

    Alias KID, eu quase cai numa cilada dessas, em um tal de WS domain, não se se você já ouviu falar.
    A questão é que eu cheguei a passar minha conta do CC e tudo.
    Sorte que percebi que não tinha sentido e “cancelei”, em italico e aspas, porque na verdade, para cancelar eu teria que residir nos Estados Unidos (isso mesmo) e entrar em contato com eles por telefone. Mas fui mais esperto que eles e simplesmente mudei o numero do meu cartão e puis um errado -.-.

    hehe

  61. max171 says:

    “Um gringo querendo enrolar um brasileiro!” Se isso acontecesse o universo ia entrar em desequilibrio, um buraco negro ia surgir e engolir tudo.

    Essa regularidade entre os posts “fideliza” os leitores.[2Hits]

    Uma época da minha vida, logo após finalizar o segundo grau, em que procurava emprego que nem um desperado, eu vi um esquema no jornal, algo como: ganhe dinheiro facil,lucros rápidos. Mesmo sentindo o clima maracutaiento eu enviei o e-mail. Ao receber a resposta, a foto de um casal de negros(aparentemente muuito felizes na foto), dizendo como suas vidas tinhas mudado após ter entrado nesse esquema(Até ai nada de falar o que era o negocio) nesse e-mail já vinha falando vagamente do tal kit, só pra ver aonde ia dar, mandei outro e-mail e na resposta advinha: Estamos muito bem financeiramente e felizes vendendo… HERBALIFE.

  62. Z says:

    “e nem fala inglês direito.”
    Lembro de você ter citado que falava inglês fluente desde moleque. E quanto ao truque da pirâmide, acho incrível como tanta gente cai nessa, por aqui tem uma tal de omni do brasil que pede 4k e ja rendeu várias comunidades de ódio no orkut.

  63. Luiz Felipe says:

    @Z

    Mas é diferente falar inglês no Brasil e com quem realmente fala inglês. Pelo menos minha prima que foi pra Australia com inglês “Fluente” sofreu um pouco para se adaptar.

  64. Dark Bomb says:

    “a 60km de distância. A rodovia que liga as duas cidades, a 401, é a estrada mais movimentada de todo o país. Demora mais ou menos uma hora pra ir de Oshawa a Toronto, se você estiver num horário de pico.”

    60 km em horario de pico = 1 hora = demora?
    acho q vc realmente nao lembra mais do brasil 😀

  65. Geek In The Pink says:

    Morri de rir aqui.
    Eu sempre fico em situações semelhantes.
    Ser educado é foda.

  66. Stan says:

    “Nada de rolar a língua nem porra nenhuma;”

    Rolar a língua seria o ato de posicionar uma rola sobre um orgão gustativo?

  67. Jovas says:

    Essa coisa de trabalhar pouco e lucrar muito é sempre furada. O cara tem que tá mesmo mal de grana pra se iludir e botar fé numa coisa dessas.

    E se por acaso do destino meu chefe estiver lendo esse comentário, favor me dar um salário mínimo canadense.

  68. rcrd says:

    HAHAH Simplesmente incrível! Me imagino escrevendo um texto desses sem ser no teclado… Não é nem ao menos desconfortável escrever no Touch?

    Eu convivo com esses Avon/Natura/Herbalife desde criança… tenho ‘n’ vizinhos que tentam empurrar há milênios essas coisas pra família, logo, fui criado com imunidade a esquemas pirâmide-faça-dinheiro-fácil-sendo-que-quem -te-vende-tá-na-merda. E o mais engraçado é que eles não são vendedores de verdade, são robozinhos com frases feitas! Sempre com aquelas palestras em grupo que parece mais encontros da AA hahah

    Gostei do Post! o/

  69. rcrd says:

    btw… com mais um pouco de prática sobre o método de descrever gordos, carros velhos e afins, já dá pra escrever algumas narrativas interessantes hahah

  70. K-Max says:

    Kidon, esse texto talvez seja o melhor do ano até agora! Pela escrita e pela lição transmitida.

    Mandou bem, dotô! 🙂

  71. Kid says:

    @Z

    Exatamentíssimo isso que o Luiz Felipe falou. Eu me ACHAVA fluente no Brasil porque conseguia entender 80% de um filme sem ler as legendas. A gente PENSA que é fluente em inglês quando tá no Brasil porque entende a língua falada, mas isso não é ser fluente. Aprendi essa lição do jeito mais difícil.

    Quando te colocam numa situação de imersão total na língua (qualquer língua), o bicho pega. Porque entender SEMPRE é mais fácil que falar. Mesmo com minha suposta fluência, logo ao chegar aqui eu precisava pensar bastante na estrutura de uma frase antes de falá-la. E ainda assim às vezes saia errado.

    Pergunte a qualquer intercambistas, os caras vem pra cá sempre pensando que são fluentes. Por experiência própria posso te garantir que o inglês “fluente” deles é sub-intermediário (sotaque brasileiro forte, erros de concordância constantes, expressões idiomáticas brasileiras traduzidas literalmente pro inglês sem fazer sentido… lembram do clássico “tea with me that I book your face”?

    (Xá comigo que eu livro sua cara)

    Então.

    @rcrd

    Acredite se puder, escrever no touch é incrivelmente confortável. O que falta em feedback táctil eles consertam fazendo o bichinho dar um som de clique quando você tecla. Assim ajuda seu cérebro pra “entender” que uma tecla foi apertada.

    @Dark Bomb

    A 401 é uma imensa rodovia, a velocidade média nela se não me engano é 120km/h. Quando eu ia de Oshawa pra Toronto num dia que não fosse muito movimentado, chegava lá em meia hora. Eu sei que pra padrões brasileiros varar 60km em uma hora não parece muito, mas isso significa uma velocidade média de 60km/h na maior rodovia do país.

  72. Michelli says:

    Poisé… eu estagio sem ganhar um tostão, apenas para aprender e arrumar QI (quem indica). mas um dia vou conseguir algo bem remunerado por conta disso!^^ mesmo assim… to pensando em ir pro canadá KKK

  73. Kayaphas says:

    seu estágio mal pago
    isso foi pessoal q eu sei ¬¬

  74. Kayaphas says:

    esqueci as aspas: “”
    pronto

  75. Kid says:

    @Kayaphas

    Na verdade não. Ter um estágio mal pago é uma constante na vida profissional de qualquer pessoa jovem, todo mundo já teve um, e por isso é fácil se identificar.

  76. George says:

    Hahahahah
    coincidencia ou nao, eu so vejo otarios vendendo esse negocio!
    O mais engraçado é ver akeles broches HORRÍVEIS: “Quer emagrecer? Pergunte-me como”. kkkkkkkkkkkkkk
    Eles também usam isso no Canadá??

    Aqui em Fortaleza essa onda também eh forte, a um ano atraz, de cada 10 carros que eu viu na rua, 5 tinham os malditos adesivões da herbalife. Pareciam que estavam ganhando pra fazer publicidade :T
    Ainda bem que isso nunca me cheirou bem, e mesmo apos centenas de tentativas de uma amiga de trabalho eu nunca kis ir as tais palestras.
    Deus me deu faro pra reconhecer picaretagem. Quase um dom!

  77. mathx says:

    Você deu sorte por quem ter ido falar com você ter uma aparência e treinamento precários…

    Se fosse alguém com mais lábia talvez tivesse te pegado. Eu sei que eu tive sorte de nunca cair nesse tipo de conto (mas não por mérito próprio -- quando eu ainda não conhecia esse tipo de esquema não tinha idade/liberdade pra tomar decisões próprias desse porte hehehehe).

  78. ianwlad says:

    (quote lá de cima)
    @Dan

    eu falei que desde sempre aprendemos a lidar com situações de pilantragem, e que se não aprendermos, seremos enganados como tem tantas pessoas que caem nesse golpe

    Vc tem que conhecer a fundo a pilantragem, não precisa utilizá-la, mas só de ter conhecimento já evita cair nos truques como esses

  79. Alexandre says:

    Parabéns pelo post Kid! Esse blog está melhor a cada dia. Já convidei todos os meus amiguinhos pra ler, hehehe.

    Na minha vizinhança e no meu trabalho sempre tem algum incauto que cai nessa enganação da Herbalife. Infelizmente ninguem até hoje conseguiu me apresentar alguém que fez fortuna nesse esquema.

  80. Felipe says:

    E as patricinhas intercambistas?

    Na minha cidade houve uma palestra sobre ‘como ficar rico em um instante’. Mas ao ver o palestrante chegando, que decepção, só pelo carro vc via que esse ‘instante’ era algo entre a próxima vida e um nada.
    Como sou ateu, acredito que seja a última opção.
    Pilantragem deve estar no dna humano. Após descer das árvores, a primeira coisa que o nosso ancestral pensou foi: ‘como vou pegar a fêmea/comida/whatever daquele mané?’

  81. Lulu says:

    Kid, se voce eh tão contra piramide e enganar os burros por que nao DENUNCIA aqui que todo mundo le blog esse esquema de piramide que o Edney montou e o seu amiguinho Cardoso esta tentando engambelar todo mundo?

    Quem quer saber mais vao no blog dele nao vou linkar aqui para nao dar ibope a quem nao merece

  82. Ryan says:

    Post gigante e GOZANTE.
    So cool.

  83. Dan says:

    @ianwlad, ah sim ..entendi ..sendo assim, tranquilo 🙂

    @Lulu, aaaa, vc fla do assunto mais não linka o cara? ..agora fiquei curioso!! ..vamos derrubar o salafrários!!! hahahahah

  84. Gustavo says:

    belezura de post

  85. Luiz Felipe says:

    Não sei se vocês chegaram a ver pela internet a fora, venda de “livros” de como ganhar dinheiro facil, por “miseros” 70 reais, e caso você não fique rico eles devolvem o dinheiro.

    Já viram?

    kkkk

  86. Eduardo says:

    haha,sério que um cara desses tentou te enrolar nesse esquema ??a incopetência do cara foi hilária,por mais que,numa certa parte do post,eu estava começando a pensar : “puta que pariu eu não acredito que o Kid caiu numa dessas”.

    e você nos enganou,maldito.você disse que ia escrever um post que estava prometendo a muito tempo e não era o post sobre as patricinhas intercabistas ¬¬

  87. Tio Luiz says:

    “Um gringo querendo enrolar um brasileiro! Essa é boa”

    É isso aí! Todo o pessoal que costuma ficar fora do país se torna nacionalista de repente Oo

    Aposto que você não defendia a suposta “esperteza” dos brasileiro enquanto você morava aqui!

  88. Kid says:

    @Tio Luiz.

    Quando foi que eu “defendi a suposta ‘esperteza’ dos brasileiros” nessa frase, exatamente…?

    @Dudu

    De onde tu conclui que eu e o Cardoso somos “amiguinhos”? Só falei com o cara UMA vez na vida, via twitter ainda por cima, na semana passada.

    @Eduardo

    Eu tinha prometido falar da Herbalife antes mesmo de conhecer as patricinhas intercambistas.

  89. Grush says:

    Nossa, eu sentiria pena do cara também. Assim como senti pena de um cara que apareceu aqui em casa no mesmo ‘desespero’, só que vendendo curso de inglês. Tinha uma mutreta de indicação, e um amigo que tava fazendo esse mesmo curso ganharia um desconto se indicasse X amigos, e eu fui um desses. O cara veio na minha casa lá pelas 21h de uma terça feira de paletó, tava bem arrumado até. O cara sentou na sala e começou a vomitar toda a abobrinha do curso de inglês dos infernos que ele queria me vender. O cara falou por mais de uma hora, e no final ouviu um simples ‘NÃO’.

    Nada contra vendedores, mas acho que a atividade de vender é meio humilhante, se vc não tiver o domínio da arte. Eu não sei vender uma camisinha pra uma puta, e jamais me atreveria a tentar. Eu percebia no olhar do cara que o cara ‘contava com a sorte’, ou então com a minha compaixão. Não tinha argumentos e auto estima pra me convencer daquilo, que provavelmente nem ele se convencia do q ele vendia, era foda.

  90. Grush, eu tb passei por essa de um vendedor empurrar curso de inglês revolucionário, indicação por amigos, etc. Enquanto a moça ia falando, eu fui sacando como era o esquema deles: discurso decoradinho (acho que se eu interrompesse ela perdia o rebolado), palavras como “oportunidade imperdível”, “mega-desconto”, e o mais gritante de todos: você tem que decidir agora, não tem outra chance. Tentam te pegar pela pressão.

    Quando eu disse “não, obrigada”, o sorriso da mulher sumiu na hora, foi como se ela tivesse tirado uma máscara. E fiz questão de fazê-la devolver a lista de telefones que eu tinha dado.

    Lembrei do pai de um vizinho meu, que vivia devendo as calças, inventou vários negócios pra ganhar dinheiro, e no final entrou nessa de Herbalife. Eu era muito nova, então nem me lembro que fim o cara levou.

  91. M says:

    Hoje é um Bom Dia também é lição de vida

  92. M says:

    Será que as Patricinhas Intercambistas cairam no conto do Bruce…

  93. Vini says:

    Fantástico texto.
    Parabéns.

  94. Rafael Lemos says:

    Sensacional Kidou, tu tinha é que dar um chute na banha do cara meu.

  95. PurpleLine says:

    Muito legal! Conheço um monte de gente que vende isso, e a minha mãe até já tomou uns desses negócios de emagrecer da Herbalife. Não funcionou.

  96. Murilo says:

    Cara, de boa, algumas coisas que você posta poderiam render livros bastante divertidos… e não, não sou um editor querendo convencê-lo a vender livros de porta em porta…

  97. Leo Schneider says:

    Herbalife é o golpe da moda. Já foi Amway, Tupperware, Avon (tem gente que ainda vende no esquema pirâmide SIM!)…

    Sempre tem um esperto querendo mamar nas tetas dos Bruces que existem por aí…

  98. Opa, até onde eu sei a Avon não funciona no sistema pirâmide. A Tupperware eu não posso dizer com certeza pq eu era muito criança na época do sucesso desse treco.

  99. Eurritimia says:

    A minha mãe usava esses produtos da Herbalife, mas como era só placebo ela parou de usar.

  100. Fabiane says:

    Ouvi falar de Herbalife pela primeira vez em 1995. Na época eu fazia ginástica e tomava uns suplementos brabos pra emagrecer a qualquer custo. Não foi preciso nem 3 minutos de conversa com um vendedor pra sacar que aquilo era furada. Como eu já estava no 3º período de propaganda e marketing pesquei na hora todas as técnicas de persuasão. São técnicas avançadíssimas alguns alunos fazem até extensão em neuro-linguística para passar mensagens nas entrelinhas de um comercial.

    Depois disso, nunca mais passei perto de gente que vende. Soube de várias pessoas da minha roda de conhecidos que estavam praticamente falidos.

    É o golpe mais bem montado da era moderna. Meu irmão comprou o kit e acabou engordando. A lata de shake serviu pra guardar pé de moleque depois.

  101. Neryuuk says:

    Eu sempre vi esses esquemas pirâmide, mas nunca na minha mente se passou que seria uma pilantragem master, (apesar de eu ser um cara desconfiadíssimo, que parte do pressuposto que se eu posso pensar em algo, seja esse algo construtivo ou sacana, qualquer ser humano pode pensar e por em prática antes de mim, ou pior, em mim) mas pensando melhor agora eu vejo quão ingênuo eu era com relação a essa questão, esse post abriu minha mente pra um admirável mundo novo de pilantragens.

    brincadeirinha… não tem nada de admirável em ser um genuíno e grandessíssimo Filho Da Puta

    Blog muito bom, como sempre.
    Abraço =]

  102. Renato says:

    Incrível! Primeiro texto com mais de 1000 palavras que eu leio com muita vontade e todinho! 😀

  103. Shermilla says:

    Já comentei em outro post, mas só pra reiterar minha indignação com a essa coisa podre que é a herbalife.

    Não caiam, crianças! Eu caí por desespero em fazer uma grana… mas nem que eu tivesse passando fome, hoje, cairia nessa.

    O cara que me abordou o fez através de minha tia, que consumia os produtos. Ela me indicou, Eu tentei. Tava sem grana, peguei um cheque da coitada emprestado. Paguei com o que vendi pra ela mesma. Minha única cliente.

    O cara e a esposa começaram a se estressar porque eu não usava a bosta do broche deles. E diziam que era por isso que eu não tinha sucesso.

    Depois de uns dias, mais irritados ainda, disseram, quase que diretamente, que eu era uma fracassada. Que quem não vendia herbalife era fracassado. Que as pessoas que tinahm sucesso, conseguiam.

    Depois, por tel, finalmente, a esposa do cara disse que eu não vendia, além de não usar o broche e ser uma fracassada, que era porque eu não participava das “estravaganzas (sei lá como escreve)”. Ao que eu respondi (sofro do mesmo problema de gentileza que você. Só que acho que mais agudo) que não o fazia pelo fato de minha família já pagar caro pela minha faculdade e que eu entrei no negócio justamente porque não tinha grana. Ao que ela, doentemente me sugeriu que então eu largasse a faculdade e usasse o dinheiro para pagar as viagens e cursos. Como eu já disse no seu outro post. A princípio achei que ela estava sendo irônica, mas percebi que não. Ela falava sério. Desliguei e disse que ela tava louca, mas de forma educada. Ela ficou perceptivelmente chateada. E eu me arrependi de não ter perguntado porque, então, ela ainda pagava a escola dos filhos dela, já que eles já sabiam o suficiente pra vender herbalife: ler e escrever…

    Oh shit!

  104. Gugs says:

    Hahaha! eu não caí !!… mas conheço MTS q cairam.. =/ pobre deles..

  105. Edison says:

    Muito bem escrito o texto. As sutis mudanças de sentimentos e os pensamentos reflexivos.

    Ainda bem que vc pegou um cara despreparado e conseguiu sair a tempo. Há tempos fiquei assustaod lendo esse relato.
    http://www.scribd.com/doc/14209/herbalife-a-verdade

  106. Agora é ajuda mútua?…

    muita gente ainda cai que é o golpe da pirâmide, aquela arapuca que o Kid, do HBDia já alertou por duas vezes….

  107. Carol Animaker says:

    Nem acredito que li isso tudo sem perceber.
    Onde será que o Bruce está agora, meu Deus??

  108. Enio Nascimento says:

    Ai pessoal, principalmente ao autor deste blog:
    PIRAMIDE é crime, no brasil e em qualquer outro país.
    Marketing Multinivel/ NetWork Marketing
    é um esquema que empresas como Forever Living Products e muitas outras utilizam para distribuir seus produtos, sem ter que pagar pela publicidade convencionau que é muito cara, usando o famoso marketing boca a boca, que é muito mais eficáz e beneficia somente os seus melhores clientes. Este sistema que não é uma piramide, é usuado por muitas empresas e é sem duvida o negocio mais espetacular do milenio, mas dentre estas muitas empresas sempre tem as que atilizam da boa fé de mal informados para aplicar flaudes e atraves de lavagem cerebrau conseguem enganar a muitas pessoas, especialmente os que se encontram desesperado. aconselho buscar a definição de “piramide” para que não confundam a outros leitores tb desinformados.
    O que é realmente lamentável é o fato de que uma empresa tal como Herbalife atilize de este sistem de distribuição de uma manera que visa a explorar seus representantes y persuadi-los a a fazer o mesmo. Ë lamentável por que isso reflete em toda a industria do MMN devido ao fato de esta empresa estar por todos os lados.
    Mas eu gostaria de esclarecer aqui, que existem empresas que são sérias e com produtos que realmente oferecem ao usuário os resultados satisfatória para garantir o exito do negócio.
    Para quem não sabe do que se trata o NetWork Marketing ( que NAO é a Herbalife) eu gostaria de dizer o seguinte: é algo completamente possível de realizar e obter exito, se logo no começo a pessoa entender que é preciso trabalhar antes de esperar resultados. e convenhamos o seguinte; se alguém acredita que um negócio vai lhe proporcionar riquesas somente por que entrou em uma piramide, realmente este sim eu tenho que concordar que não deve ter um QI que possa ser avaliado.
    O MMN é uma sistema que tem como objetivo formar uma equipe de representantes de uma marca ou produto, o objetivo e conseguir mais gente para esta equipe, OBVIAMENTE que as pessoas chamaram os amigos e conhecidos primeiramente, dando a eles a oportunidade de començar um exitoso negocio.
    Mas não é só isso, para ter sucesso nesse negocio a pessoa necesita possuir alguns requisitos BASICOS e estar continuamente estudando o mercado e qualificando-se. Tem que ter um pouco de inteligencia financeira, ser proativo e possuir caracteriscas de liderança. Sinto informar-los a respeito da maioria dos “fracasos” nesse negócio mas eles ocorrem unicamente devido a incapacidade e falta de treinamento do novo distribuidor, que, primeiramente não entendeu o negocio, ou por que pensou que seria fácil fácil, igual os representantes da Herbalife o fizeram pensar.
    Existe uma certeza no negocio de NetWork Marketing que qualquer guru desse sistema pode te confirmar( vou citar alguns nomes para quem deseja conhecer os segredos deste negocio, Rui Ludivino e Jorge Salgado)
    A certeza que este negocio oferece é: se tu acredita que nasceu com espirito de vencedor: tu vai até o fim e consegue.
    Mas se tu é como os que chamamos de PATO, é porque simplesmente DESISTIU antes de aprender deligentemente a forma de realizar o negocio. E PIOR, depois saiu dizendo pra todo mundo que não funciona.
    Lembre-se, se não funcionou pra vc não quer dizer que não funciona.
    A empresa Forever Living Products tem mais de 9 milhoes de distribuidores e fatura bilhoes todo o ano. São caracteristicas de um negocio que não funciona????

    Se ficou alguma duvida eu responderei com prazer,só escrever à: eniocesar.nascimento@yahoo.com.br

    Um forte abraço a todos

    • André says:

      Cara, caia na real e vá procurar o que fazer…ah! e aprenda a escrever também!
      Boa sorte!

    • Victor says:

      Como disse o nosso amigo cai na real, se pensar bem no esquema vai ver que a FOREVER também é uma pirâmide (talvez eles tenham mudado a forma, para fazer parecer diferente, mas se vc fazer o gráfico, vai ver que funciona de forma idÊntica!) O Marketing de rede existe a muitos anos empresas como Natura e Avon utilizam este tipo de marketing, talvez com algumas diferenças, pq estas empresas vendem produtos e o foco delas são os produtos. Empresas como Forever e Monavie, vendem produtos mas o foco está no cadastro de distribuidores, que têm que manter um padrão de consumo fora do normal, gastando fortunas e se dando mal no final! Enfim, ACORDA seu retardado!! Você caiu no golpe!!

  109. Lexico says:

    (já passou muito tempo, mas deixa eu comentar assim mesmo)
    Cara, p/ mim, chega a dar pena mesmo, ainda que considerando a forma como tentam te converter ou a hostilidade quando se rejeita. (Mesmo no caso do Bruce). É só ver o que o Izzy colocou no post e comparar com a galera que veio aqui defender, putz… Será que só quem tá de fora que consegue enxergar o quão ridículo chega a ser?

  110. @eloimarquessilva says:

    Cara esse negocio dos caminhoes e do cara pobre rolou com um primo meu. O cara era fazendeiro entrou numa concessionaria e o povo desfez dele ai um colega do meu primo resolveu atender e o cara tava trocando 8 caminhoes que rodavam na fazenda dele lá…

  111. Cássius says:

    Sim, eu sou coveiro. Mas que texto excelente! Retrata com clareza a situação à qual muitos de nós já nos submetemos.
    Tenho amigos e parentes que “trabalham” com isso e, realmente, é uma pena.

    Sucesso!

  112. Jesiel Junior says:

    Já perdi as contas de quantas pessoas já tentaram me empurrar isso, e agora a onda aqui é TelexFree e Multiclick… E todos defendendo que “você não conhece Marketing Multinível, por isso acha que é pirâmide….” Você que está fora a muito tempo, sabe que independente do País, não existe dinheiro fácil, mas sim experiência, esforço e aprendizado.

  113. Nei Siqueira says:

    Valeu pelo texto..

    Penso desta forma também, quanto às Pirâmides financeiras que hora ou outra nos deparamos nesta vida..

    é um teste definitivo de QI mesmo… kkkkkk

    E quanto à associação entre pirâmide e MMN (o tal Marketing Multi Nível), creio que há uma linha tênue entre eles e por isso acabam convencendo muitas pessoas sobre isso.

    Que digam as pessoas do TELEXFREE, que talvez seja o maior esquema criado no Brasil nos últimos tempos, mas que convence muitos pelo fato de misturar estas idéias..

  114. Mennos says:

    Uma vez um amigo muito próximo me fez a mesma proposta, eu fui tão ruido com ele que hoje me arrependo, disse algo como “Cara, para de ser burro e sai dessa, isso é pilantragem”

    Ele nunca mais falou comigo 🙁

  115. Lucho says:

    Além de ser um esquema fraudulento, é um desses milhares de produtos para emagrecer que só funcionam se a pessoa se alimentar direito e fizer exercícios físicos regularmente.

    Muito eficiente o produto.