Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ HBDrops ] Fiéis esperando o novo papa em 2005 versus fiéis esperando o novo papa em 2013

Postado em 14 March 2013 Escrito por Izzy Nobre 19 Comentários

Oi vagabundos. Queria mostrar um negócio legal pra vocês — trata-se de duas fotos. O constrate entre elas é um inegável testamento da profunda mudança que tecnologia causou em nossa sociedade. Olha que negócio pitoresco:

Em 2005, o Papa João Paulo II (querido até mesmo entre muitos não-católicos, por seu carisma) faleceu. O Vaticano iniciou o processo de eleição do novo Papa, muito bem ilustrado no péssimo Anjos e Demônios. Incontáveis fiéis aglomeravam-se na Praça de São Pedro, esperando que a conclave dos cardeais comunicasse ao mundo a escolha do novo pontífice através da tal fumaça branca que levou todos os pseudo-humoristas do twitter com seus livrinhos do Ari Toledo a traçar comparações com a fumaça produzido por um cigarro de cannabis.

Nesta ocasião histórica, a foto abaixo foi tirada:

(ERRATA: A FOTO ACIMA É DO VELÓRIO DO JOÃO PAULO II, E NÃO DA CONCLAVE QUE ELEGERIA O BENTO XVI. SOU BURRO E CONFUNDI AS OCASIÕES, MAS O ARGUMENTO CENTRAL DO POST PERMANECE, NÃO SEJA CHATO CARALHO.)

Nada de muito notável nessa foto, né? Apenas uma multidão de religiosos reunidos na capital mundial da sua fé.

Até o momento que você a contrasta com o grupo de fiéis aguardando o anúncio do novo papa nessa semana:

Além do fato de que a Associated Press agora tem uma câmera e lente melhores, literalmente TODO MUNDO NA MULTIDÃO está registrando o momento com seus smartphones — e um tiozinho filmando com o iPad, porque sempre tem que ter um. E olha que nem sou desses que vociferam ao ver alguém registrando um momento com um tablet (o cara tá com a parada a tiracolo, por que não usar ué? Não é como se ele tivesse levado o iPad pra usar primariamente como câmera — o que parece ser a suposição desses haters).

Filhotes, parem e pensem nas implicações do contraste entre estas fotos. Na primeira foi tirada numa época em que celulares nem eram tãããão incomuns assim, mas que não tinham capacidades decentes de filmagem e fotografia. Tanto que parece que apenas uma mina teve a idéia de filmar o evento com seu flipphone Nokia, porque isso era meio que uma idéia de jerico na época. E imagina o vídeo porcaria em 240p com áudio estouradaço em 4:3 em formato .3gp que esta filmagem resultou.

Oito anos mais tarde, não apenas todo mundo tem smartphones — algo que no meio dos anos 2000 era basicamente usado apenas por médicos e advogados –, mas todo mundo está perfeitamente acostumado com a idéia de registrar momentos usando o celular como uma câmera. Aliás, câmera com alta resolução, diga-se de passagem, capaz de não apenas editar a filmagem como também publica-la na internet imediatamente.

E ter uma câmera no seu bolso a todo momento, por permitir um volume inédito de registros fotográficos e cinematográficos, mudou para sempre a forma como reportamos eventos como esse.

Por exemplo, foi-se o tempo em que apenas grandes empresas de telecomunicações poderiam transmitir imagens ao vivo da eleição do novo Papa. Em 2005 basicamente a única imagem que você tinha da Praça de São Pedro naquele momento eram aquelas produzidas pela CNN e a Associated Press. Hoje, uma passada rápida no instagram e você provavelmente veria dois milhões de fotografias do evento, com filtros água-sanitarísticos e tags como #papa #vaticano #followfriday #pontifex #roma.

Tirando a parte da crítica obrigatória sobre os serviços de redes sociais serem usados por sua maioria por adolescentes sem nada na cabeça, não dá pra negar que a era dos smartphones trouxe a total democratização do processo noticiário.

E pense comigo: o que diabos veremos em matéria de tecnologia pessoal daqui outros oito anos…? Porque em 2005, a idéia de uma multidão de gente “comum” (ou seja, pessoas que não eram tipicamente o público alvo de smartphones) com super celulares futurísticos dotados de internet banda larga, câmeras de filmagem em alta resolução e a capacidade de transmissão audiovisual instantânea (tudo isso por um preço totalmente acessível) era quase inimaginável.

Aliás, “quase” não. Em 2005 essa noção seria cartunescamente surreal. Imagina o quão diferente a nossa tecnologia (e consequentemente, nosso mundo) será em 2021.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: HBDrops

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

19 Comentários \o/

  1. Z3hr0_C00l says:

    Espero ansiosamente por isso. Mas pode demorar bem muito, curto vive um dia de cada vez.

  2. Ricardo Menten says:

    É um contraste, de certa forma, paranoico. Confesso, chega a causar um desconforto. Mas é isso ai, o futuro é agora! Abraço.

  3. Deixando registrado que o Izzy previu que em 2021 haverá um novo conclave que decidirá o novo papa =D

    Mas sem brincadeiras agora, concordo com tudo o que disse. Em 2005, eu não me via nem mesmo com um telefone no bolso que me permitisse acessar os meus e-mails, e hoje em dia eu consigo até mesmo fazer uma transmissão ao vivo com meus alunos por tablet e ainda esclarecer suas dúvidas em qualquer hora, em qualquer lugar.

    Parando pra analisar, a tecnologia cresceu muito de dez anos pra cá, as vezes esquecemos de analisar os saltos que a mesma dá em pouco tempo. Só espero que a cloud não se torne a Skynet depois.

  4. Lucas Carvalho says:

    Me lembro de um texto seu em q vc afirma com propriedade q a única coisa q não alcançaríamos(baseado em sci-fi) seria o carro voador. Vc tinha diversos argumentos lógicos e bons, mas a idéia de que a tecnologia avança de um modo inimaginável e coisas q pareciam impossiveis no passado hj são tão comuns talvez vc tenha q rever isso. Em 2021 prevejo vc tuitando do seu carro voador o quanto a idéia de um carro voador era absurda 8 anos atrás.

    • @mos_axz says:

      O problema do carro voador é se ele for controlado por uma pessoa. Se ele movimentar sozinho por um sistema totalmente livre de falhas, pode ser possível(mas ai não será um carro voador, será um mini-vtol automático)

  5. Marcus VBP says:

    Será que veremos muita gente usando o google glass ou outros acessórios vestíveis? acredito que sim, heim.

  6. Junior says:

    Mas leve-se em conta que na primeira foto o alvo fotográfico era um caixão, no chão e na segunda era uma pessoa saindo pra uma sacada bem no alto.

    Mas de qualquer forma a diferença seria grande, mesmo que na primeira foto as pessoas estivessem presenciando a primeira aparição do bento XVI.

    P.S. Gostei do Drops HBD e do Perguntinha do Dia.

  7. Marwin says:

    Meu pai tira foto/filma com o iPad hahahah

    Mas eu relevo pq o celular q ele usa nem câmera tem

  8. Adnré says:

    “MAS O ARGUMENTO CENTRAL DO POST PERMANECE”

    Talvez não. Tipo, na foto de 2013 nego tá tirando as fotos pq ali era o papa aparecendo pela primeira vez.

    Na foto de 2005 aparentemente não tava acontecendo nada. Tava todo mundo parado esperando acontecer alguma coisa. Então normal ninguem estar tirando foto.

  9. Juliano says:

    Acho engraçado ver que cada vez mais as pessoas passam a enxergar o mundo por trás de telas… é tipo uma prisão isso.

    Por outro lado, quando penso em tecnologias, fico sempre pensando nos videogames… como serão daqui a uns 20, 30 ou 50 anos. Não duvido que antes de eu morrer seja umas projeções na cabeça dos jogadores, tipo Matrix!

  10. Lucas. says:

    Às vezes eu penso em todos os registros audiovisuais que produzimos compulsoriamente nos últimos cinquenta anos – e mais ainda desde o advento dos celulares com câmera –, e o impacto que causarão nas gerações futuras. Imagine daqui quatrocentos anos, por exemplo, uma pessoa poderá ver literalmente tudo que acontecia em nossa época; haverão registros linguísticos abundantes, e porra mano, terão uma noção quase exata do que era o passado. Isso nunca aconteceu na história. Imagine um bacuri, navegando na sua neuro-internet, vendo um filme pornô de quatrocentos anos! Claro, haverão tecnologias que vão se sobrepor e mudarão o modo que lidamos com certos conceitos, mas a idéia de deixarmos às gerações futuras toda a nossa história registrada em vídeos é incrível.

  11. Anderson says:

    o vaticano vai ter sido transferido para a Lua, e o papa vai acenar do balcão por meio de holograma… (nada a ver)

  12. porkispin says:

    O que acho mais impressionante é esse tipo de acontecimento em shows. O cara paga UMA GRAAANA pra a entrada de um evento e passa o tempo todo assistindo através da tela do aparelho! “pra assistir depois ou mostrar aos amigos”… coisa que NUNCA ACONTECE! chega a ser ridículo.

    …mas comparando as fotos… seria TENSO essa mesma manifestação num velório, hein? Não da pra traçar um paralelo ao comparar essas fotos.

  13. Rafael says:

    vai ver a pessoa com celular na primeira foto ta só procurando sinal

  14. Conrado says:

    sempre fui puto por saber que vou morrer sem presenciar o ápice da evolução tecnológica na humanidade.. até porque trabalho na área =/

  15. […] colocar o melhor filtro, não seria melhor aproveitado CURTINDO realmente aquele momento? Veja duas fotos tiradas no Vaticano, uma em 2005 da morte de João Paulo II e outra de 2013, da eleição do papa Chico (e leia o texto […]