Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Pageviews, homenagens e velhos ídolos

Postado em 6 January 2011 Escrito por Izzy Nobre 58 Comentários

Sexto dia e ainda tô mantendo a promessa de atualizar o HBD diariamente, ein? Mais um dia e todos vocês que apostaram no bolão que a disposição não duraria nem uma semana tão fora do jogo.

Curiosamente, foi só eu me FORÇAR a escrever que os assuntos tão vindo mais rápidos do que eu consigo anotar no Notes.app do iPhone. Sempre que tenho uma idéia que acho que dá pra desenvolver, anoto rapidinho no celular pra não esquecer. Minha memória é uma merda, o que é surpreendente considerando que os textos que vocês mais gostam são os em que eu relembro minha infância.

Pelo menos, foi isso que muitos responderam quando perguntei ontem no tuinter.

Mas enfim, vamos ao assunto.

Antes de mais nada: alguém acessa a home do HBD? É que há algum tempo eu comecei a pôr isso no comecindo do preview dos textos:

Tá vendo esse thumbnail bonitinho? Então, ele só aparece na introdução do texto na index do site. Não tenho interesse (leia-se know-how) pra coloca-lo dentro do post em si, e como a maioria de vocês chega aqui através de links diretos pro posts ou leitores de RSS, me pergunto se tem alguém que notou essa pequena firula visual, e se tem alguém que se importa com isso. Enfim.

Ontem eu fui dar uma olhada nas stats do HBD (como não ganho nada com essa merda, pra fins práticos tanto faz ter 2 ou 200.000 visitas diárias, então não acompanho as estatísticas do site de perto) e caralho, olha o salto que aconteceu do dia primeiro pra cá:

Correlação não significa causa, mas caralho! Considerando a data em que o pico de acessos começou, não seria um terrível engano supor que o aumento de visitas foi causado pelo hábito de postagens frequentes.

Não sei se vocês tão me dando apoio linkando os textos pros amigos, ou se a turma que só entrava no HBD esporadicamente começou a vir aqui todo dia pra confirmar que eu estou mantendo minha palavra, mas de qualquer forma a diferença é expressiva. Obrigado pela preferência, ceja bem vindo e esprimente a linguiça.

Mais clássica que essa imagem, só mesmo aquela do “filho da puta sem costumes”. Essa eu nem vou pôr no texto, deixarei os noobs que a desconhecem chupando o dedo.

***

A outra parada que eu devo compartilhar com vocês é esse vídeo que o @Januzza deixou nos comentários ontem. Se trata de uma paródia do target=”_blank”>HBDtv #23. Dá uma olhada. Como toda paródia, faz mais sentido se tu já assistiu o original, então assista o HBDtv em questão e em seguida assista o vídeo abaixo:

Primeiro que eu já comecei a rir de cara da trollagem da anotação que muda de lugar e do nome do programa — “HIVtv”. Essa reprodução low budget do HBDtv (que já é low budget, então calcule X aí) tem uma qualidade a la Hermes e Renato de tosquice intencional que me fez rir muito.

Até minha mulher, que não entendeu o que o sujeito dizia mas é familiarizada com meus vídeos, soltou gargalhadas. O remake da clássica abertura do HBDtv ficou muito bom, também. A+, então prestigiem o trabalho do moleque vendo e comentando na parada aí.

***

Meu primeiro blog nasceu em 2002, o ano seguinte à minha graduação do ensino médio. Era uma época de muito tédio; tudo que eu fazia o dia inteiro era esperar resultados de vestibulares (passei em todos que tentei, chupem meu testiculo) e acessar a internet.

A chegada da banda larga — aquela coisa mágica que me permitia acessar a internet o dia inteiro, uma mudança muito drástica do status quo “uso internético limitado aos fins de semana” — coincidiu exatamente com o período de ociosidade pós-formatura. Foi perfeito.

A única outra situação em minha vida em que timing crucial agiu no meu favor foi quando meu pai me ejaculou justamente quando minha mãe estava em seu período fértil.

Eu passava o dia inteiro passeando pra lá e pra cá na internet brasileira, e sei lá como, acabei descobrindo os blogs. Um dos primeiros blogs que li foi o Não Vá Se Perder Por Aí, do Thiago Capanema. Dê uma olhada no finado site do rapaz, cortesia do Wayback Machine. Porra, a internet era MUITO diferente naquele tempo.

Esse visual inspirou toda uma geração de autores de diarinhos virtuais

O HBD primordial, hospedado no Weblogger (cruzes, lembram do Weblogger?) começou justamente por influência literária do Thiago e seu primo Rafael, que assinava o Sutil Como um Paquiderme. Aliás, o meu hábito de pôr bordas nas imagens aqui no HBD vem JUSTAMENTE de um comentário do Thiago de que imagens com bordas ficam mais “bonitinhas” na página.

Li isso há quase 10 anos, mas esse pequeno mandamento permanece comigo até hoje.

Rolou uma identificação direta com os dois moleques. Ambos tinham mais ou menos a minha idade, um senso de humor parecido, e um notável tino pra transformar acontecimentos triviais/desgraças pessoais em histórias engraçadas de ler. O estilo musical deles era completamente diferente, no entanto — eu tava num clima adolescente de Linkin Park/Limp Bizkit/Korn, enquanto eles eram meio hipsters boiolas e curtiam MPB e Belle e Sebastian, essas paradas assim.

Os dois rapazes eram AS celebridades internéticas da época. Enquanto hoje temos Felipe Neto e PC Siqueira, na época os primos Capanemas eram os internet superstars. Não havia um crossover grande entre cultura web e cultura pop “comum” como existe hoje, então no “mundo real” praticamente ninguém sabiam quem eram os caras. Só nós nerds de blogs mesmo.

Ah, e eles recebiam algo em torno de 40-50 comentários por posts. Pra nós, peixe pequeno com blogs diarinhos que precisávamos insistir com os amigos pra que alguém os lesse, isso era um número astronômico. Quando meu contador de comentários chegava aos dígitos duplos eu já ficava feliz pra caralho…

Eu era bem tiete dos caras. Nunca comentava por achar que eles jamais leriam, mas lia todo dia, mandava o link pros amigos, essas coisas. Aliás, numa viagem que fiz com a família ao Pará, fiz meu pai parar o carro pra tirar uma foto de uma placa que dizia “Capanema”. Nem lembro do que era a placa.

Outro blog que me inspirou a começar o meu era o da Garota Invisível, este também asquerosamente hospedado no Weblogger. Tudo que eu lembro da garota é que ela era estudante de design/desenho industrial, se chamava Camila, e morava em Curitiba.

O nome do blog fazia alusão à sensação da autora de ser invisível nos ambientes que frequentava, algo que um bom número de nós certamente consegue compreender por experiência própria. Ela escrevia muito bem, mas não recebia lá muitos comentários e não tinha um nível de fama comparável aos Capanemas.

Tinha a Lolla, também. Ela era uma garota culta, fluente em inglês, e que escrevia posts polêmicos e esculachando desafetos — tanto online, quando os da vida real. Os posts dela expressando revolta com a gente burra que habitava o mundinho dela foram uma influência grande pra mim.

Eu lembro que havia um certo estigma em relação à garota. Enquanto o resto da panelinha blogueira se conheciam e saíam juntos, eram tudo amiguinho e rolava até romance entre alguns deles, a Lolla ficava meio de fora da patota, e a impressão que eu tinha é que isso era por opção própria.

As trolladas da Lolla acabaram atraindo atenção de outro personagem internético famoso daquela época — o blog Picolinos, que era uma espécie de precursor do… hmmm… acho que não tem um equivalente contemporâneo do Picolinos.

Enfim, rolou uma polêmica a respeito de fotos que a Lolla usava no site dela (eram de uma outra garota), e a turma que não gostava da menina caiu matando, o site acabou raqueado. Foi uma dramabomb sem precedentes na até então relativamente pacata websfera brasileira.

É engraçado como essa turma, cujas estripulias virtuais aconteceram há quase uma década (a grande maioria saiu da ativa há anos e não tem plano nenhum de retornar) tenha permanecido no meu subconsciente por tanto tempo. O Wayback Machine nos permite apenas um pequeno vislumbe daquela época (com imagens quebradas, links que dão em páginas 404 e layouts formatados pra monitores com resolução comparável ao meu atual celular), mas é melhor que nada.

Tal qual os fósseis dos terríveis sáurios que dominavam o planeta antes do advento dos primatas, esses registros do Wayback Machine contam uma história incompleta. Mas é a única conexão que temos com aquele passado.

Pfffff hahahahjskakahaskl, que filosofada barata de boteco da esquina. Pra não terminar o texto nessa melação de cueca, tome um GIF de um velhinho caindo pra cima numa escada rolante.

E fui dormir.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Lição de História

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

58 Comentários \o/

  1. Guilherme says:

    eiuheiuhuiehuiheuihe
    o izzy pobre é um gênio dos aparatos eletrônicos

  2. @pedrogrr says:

    ceja bem vindo

  3. @Urarafa says:

    Hahaha muito bom o texto izzy e bem provavél que sua promessa de postar todos os dias tenham aumentado o número de visitas ao seu Blog, eu por exemplo entro de manhã/tarde/noite todos os dias haha (sem ter o que fazer é foda neh)

    Continue assim o/

    abs.

    BTW, Capanema é o nome de uma cidade do Pará =)

  4. Mauricio says:

    Realmente a internet era bem diferente naquele tempo. Lembro dos milhares de sites que “vendiam” aqueles layouts ridículos nem um pouco customizáveis pro weblogger. Na época o conceito de blog era bem diarinho virtual mesmo, nego fazia uma descrição completa da vida pessoal na barra lateral do site.

    Não me lembro de ter acompanhado a Lolla (só alguns comentários vagos por ai) nem do Picolinos, mas tinham uns outros blogs legais (que não lembro os nomes agora pra variar) também.

    E a imagem clássica dos “filho da puta sem costume” pros que não conhecem: http://tiny.cc/mq81h

  5. Tonny says:

    Putz, esse final foi “documentário do Discovery” feelings! Ou globo reporter feelings, se bem que nunca vi um globo reporter sobre dinossauros.

  6. Dani says:

    Kkkkkkkkkkk
    HIVtv.
    Muito bom, cara criativo!!!Ficou massa.
    First!!!

  7. Ajax says:

    Pouts, me identifiquei fortemente na parte dos bloggers que praticamente tem que implorar por um mísero comentariozinho. Hehehehe, e hoje isso ainda tá pior, porque com um monte de blog que só postam imagens e esses tal de vlogs, fica mais difícil ainda competir. Mas a gente tenta né.

    A proposito, parabéns pela iniciativa de postagens todo dia. Tá muito louco.

  8. Nossa, não sei nem por onde começar. O post falou de 17 assunto e 3/4.

    Bem, acesso sempre via RSS. Tinha visto as imagens da home, mas pensei que sempre tinha sido assim o.O

    O video do garoto não vi porque vou ver em casa, com audio. Comento em outro momento.

    A evolução bloguistica não posso comentar muito, pois nessa época eu ainda nem tinha acesso direito a internet. Eu cheguei na época dos fotologs. Com DISCADA ¬¬
    Lamentável.

  9. Gil says:

    Opa, muito bom o texto!! Hahaha. E sobre as imagens em miniatura, vi no site qdo entrei a primeira vez, mas elas continuam aparecendo no Google Reader aqui, no começo do texto. Então mesmo no RSS tá rolando… 😉
    E continue os posts diários, tá FODA!
    []s

  10. SPOOK says:

    Também me lembro muito bem dos primeiros sites que eu via na nossa primitiva blogosfera. Dos 6 que eu acompanhava, apenas 1 ainda resiste (meio que desativado, é verdade).

    E quanto a paródia, gostei! Continue com esses vídeos, muito melhor do alguns que postam vídeos e que se dizem trolls.

  11. charles says:

    izzyPOBRE ashaushuahs trocadilho win!

  12. Danilo says:

    Eu perguntei um tempo atrás no tuíter sobre os thumbnails. Até hoje não descobri como se coloca esta merda sem usar plugins. (Será que é o tema do blog? Enfim, foda-se.) =P

    Wayback Machine é foda. BTTF feelings.

  13. MisterK2 says:

    Nostálgico o tempo em que a Internet era a lenha. A primeira vez que entrei em alguma Home Page foi usando ainda um navegador Gopher/Mosaic!

    O pai de um amigo meu trabalhava no Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados… olha a merda…) e o pai dele liberou um número 0800 do provedor privado do Serpro. Enquanto todo mundo navegava na internet se preocupando com os minutos de telefone E de tempo de acesso da Mandic (abençoado sejam os que não navegaram na época do taxímetro), a galera se reunia na casa do cara pra ficar copiando partituras do Nirvana em páginas que tocavam as MIDIs das referidas músicas.

    Sem querer babar o ovo, mas da mesma forma que os Capanemas te inspiraram, eu as vezes fico com vontade de revitalizar o blog que tinha com uma galera.

    Em tempo: Sensacional o Izzy Pobre… é certamente um Izzento!

  14. Maccrow says:

    Bacana, além do sutil como um paquiderme tinha o Comi pao com manteiga ou coisa assim.

    Acho que hoje em dia um deles trabalha na Folha de São Paulo.

    Não estava entre os primeiros blogs, mas saiu uma matéria uma vez numa revista sobre porque odiar blogs e eu era citado.

    As coisas eram bem diferentes de agora que tem rede sociais, publicidade, monetizaçao, etc. O maximo que se fazia era lançar livros hehehehehe

    Mas nem parece que fazem 10 anos…

  15. CCCC says:

    KID VIADO VAI MORRER DE TANTO CHUBIRUBA NO CU.

  16. Flavio Alexandre Porto says:

    PORRA IZZY, as cores daqueles blogs me deram até dor nos olhos. Como você aguentava ficar olhando praquilo por mais de 5 minutos sem ficar cego? ASKAJSAJSKAJSKA

  17. Elis says:

    Hahahaha! Eu sou uma das pessoas que anteriormente visita o blogue uma vez por semana por aí… Mas agora estou aqui todos os dias, não por querer averiguar se vc realmente está cumprindo com sua palavra, já que ela é sua então foda-se. Mas pelo motivo que sempre vim, para ler seus posts! Que andam tão bons ou me arrisco a dizer melhor. Eu não quero ser tão audaciosa como você, então estipulei para meu bloguinho uma meta de 3 posts por semana. Escrever, como ler é muito hábito. Depois que acostumou a todos dias reservar um tempinho para se dedicar, vira costume.
    Vi o video hoje de manhã, quando vc postou no twitter e ri muito! Ficou muito bom mesmo, cômico…

  18. Elder Henrique says:

    Caraca, parabens pelo texto, realmente uma viagem no tempo.
    Acho que vc deve ter a mesma idade que eu, pois sempre me identifico quando vc fala sobre coisas do seu passado. E continue a maratona, está muito bom!

  19. leitor vouyer says:

    eu só entro pelo hbdia pela home… não gosto de feeds e etc. Dão um visual legal o preview sim, não pare com ele

  20. Sanro says:

    Pior agora é encher a paciência do Izzy só prá ele fazer mais um HBDtv prá gente ver mais um video do Izzy Pobre

  21. Eduardo says:

    AUASHAASUHDSUDHD
    ri pacas com a paródia 😀

  22. Terminei de ler e vc conseguiu me deixar com uma sensação única, um misto de falsa nostalgia, satisfação, e alegria por ver o incrível velhinho que caía pra cima na escada rolante.

  23. Xong Lee says:

    Engraçado como a ‘blogosfera’ não é uma coisa única, ela é diferente pra cada um.

  24. Larissa says:

    izzy, as imagenzinhas que ilustram o post na index do hbd aparecem sim no meu google reader. 🙂

  25. Felipe says:

    CHUBIRUBA, CHUBIRUBA, CHUBIRUBA!!!

  26. Felipe says:

    CHUBIRUBA, CHUBIRUBA, CHUBIRUBA! [2]

  27. Darox says:

    Sim, venho todo dia confirmar se tem post.

  28. Suzana Bantim says:

    Vou rir pra sempre do “Arquivo de Imagem” do Izzy Pobre.
    Muito bom!!!

  29. kblosnack says:

    UAHSUAHUHAUHUSAHHAS O IZZYPOBRE TEM UM AQUAPLAY

  30. Hahahahah, mas que véio burro do caralho. Em vez de ficar paradinho, o que o faria chegar confortavelmente ao andar de cima, resolveu se sentar e certamente ralou a bunda com um tanto de maestria.

    Teu blog no Weblogger, saudoso tempo… tinha até tirinhas. E essa Camila aí, se for a mesma que eu tou pensando… será que ainda é viva?

  31. Januzza says:

    RAPAZ! Vc colocou meu vídeo aqui? HAHAHA
    Que honra… vídeo imortalizado no HBD.

    Xii as pessoas até que acharam “mais ou menos” meu Izzy Pobre hein xD
    Isso me faz querer gravar o próximo HIVtv daqui um tempo, mas agora só gravo outros com sua permissão… hehe
    Chubiruba.

  32. Zé bolinha says:

    Para seu deleite visual: http://tinyurl.com/28rxf74

    Pics related.

  33. Fábio says:

    Cara, dei uma olhada nos blogs que você citou e porra…

    Os caras eram bons velho. Sei lá, apensar de em 2002 eu nem sonhar com computador eu me senti nortalgico pra caralho lendo aqueles textos… No blog Nõ vá se perder por ai, aquele post da tartaruga foi hilário.

    Impressionante cara. Sem palavras.

    Acho que você teve ótimas bases, possa ser que não, e você está seguindo a mesma linha deles. Que é de postar conteúdo e não imagens engraçadas e tirinhas traduzidas.

    Parabéns.

  34. Texto fantástico, como sempre, Kid.
    Essa paródia aí do “Izzy Pobre” realmente ficou fantástica. Nunca ri tanto nessa vida. Puta que pariu.
    Sem contar que o moleque tem talento pra imitar e tem grande chance na carreira de humorista.

    E falando no assunto dos Blogs e das coisas de antigamente, era muito mais fácil você ter “fama” na internet há uns anos atrás do que hoje em dia. Hoje em dia é muita gente disputando “fama” e fazendo vlogs/blogs, etc.
    Antigamente, não. Se o seu blog fosse diferenciado e com uma pitada de humor inteligente, você já ficava conhecido na interwebs.
    Esses moleques realmente eram/são sensacionais.

  35. Aliás, um dos melhores gifs ever: http://bit.ly/ePOPuu -- Já ri demais com essa porra, putaquepariu.

  36. E, Kid, quero parabenizá-lo pelo blog. A cada dia que passa o HBD fica mais e mais foda e dá cada vez mais vontade de ler os posts. Sensacional.
    E, agora, postando diariamente, o seu número de acessos tá subindo e daqui um tempo você já estará muito mais conhecido na interwebs.
    Parabéns pelos textos. É uma verdadeira viagem no tempo. 😀

  37. Flavio says:

    Concordo com o Xong Lee: é realmente engraçado como a ‘blogosfera’ é diferente para cada um.

    Conheci os blogs em 2001 (aprox.) por causa de uma matéria no site da Loud! (festa que acontecia aqui no RJ) e do Cocadaboa (minha grande referência nacional), aí criei um blog (no blogger.com) coletivo (com 3 membros do forum cocadaboense) chamado Manicommius em maio de 2001. O objetivo era publicar textos não-pessoais e se divertir com isso.

    Eu era meio revoltado e não lia blogs nacionais ‘famosinhos’, pois achava que era a versão brasileira de algum blog gringo famoso.

    Atualmente, só leio o blog de um amigo e o seu, que é muito bem feito e escrito.

    Parabéns!

  38. nonono says:

    Faltou a Marimoon e o fotolog….

  39. Matheus says:

    CHUBIRUBA

  40. Felipe Bertucci says:

    Por fim, um recado importantíssimo dos nossos patrocinadores: CHUBIRUBA.

  41. Eu vejo a home, digito hbdia.com na URL, enfim, very hard user 😛

  42. Rodrigo says:

    Eu sou um usuário meio antiquado… Entro nos meus sites preferidos digitando a URL, nem nos favoritos eu adiciono, quanto mais usar algum feeder, logo eu sempre vejo a págin inicial e CHUBIRUBA!

    Abraço!

    PS: Entro nesse site a anos e é a primeira vez que comento, só por causa do subtítulo de hoje…

  43. Mateus Antonio Bittencourt says:

    Acho que em questão a do Chubiruba é algo muito mais profundo do que se imagina.
    O próprio Freud disse uma vez que quando o ser humano se conectar com seu Chubiruba interior, uma nova espécie surgira, muito mais Chubiruzada.

    Quote:
    Analysis does not set out to make pathological reactions impossible, but to give the patient’s Chubiruba freedom to decide one way or another.
    Sigmund Freud

  44. noob desatento says:

    QQ EH CHURIBUBA?????//

  45. Em tempo, como disse a Larissa, pra mim também aparece as imagens no google reader.

    Vai saber, nem tinha notado 😛

  46. CHUBIRUBA é a música da Malu Magalhães

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  47. Thomaz says:

    Não sei os outros mas eu venho de vez em quando (porque tenho mais o que fazer) e sim, isso começou de dezembro pra cá.

    Na verdade eu já tinha visto o hbd antes do wordpress (por causa dos semeadores..) mas não acompanhei…

    E essa de escrever todo dia ta me fodendo porque vou acumular leitura..

  48. Carol says:

    Atualizar diariamente é tenso, mas que bom que você tá conseguindo. Me lembro de uma época que vinha aqui quase todo dia, mas você custava a postar coisa nova.

    Eu descobri seu blog pelo hbdia.blogspot.com, caí nele por uma pesquisa que fiz no google, e acabei ficando por causa do layout do Mario (obssessão de criança). Li, gostei e vim pro WordPress.

    E realmente, seus posts sobre sua infância (e suas resenhas de filmes) são, de longe, os melhores posts. Prq não faz mais resenhas de filmes? Acho que a aceitação seria muito boa.

  49. Daniel Ramires says:

    A internet antigamente não tinha site de busca, uma das minhas diversões logo no começo era pegar e “chutar” URLs no netscape pra ver se existia o site… ah, mesmo quando chegaram o Aqui, o Achei, o Cadê (nossa, Cadê demorava pra carregar aquelas imagens todas mas era o melhor pra achar páginas brasileiras) eu continuava com esse hobbiezinho de “chutar” páginas porque esses sites de busca não faziam o que o google faz (o google INDEXA a internet, é uma fucking SKYNET)pra seu site poder ser buscado você precisava cadastrar em cada um dos sites de busca que você quisesse que ele aparecesse…
    Ah… tenho tanta coisa pra dizer (não só sobre esse assunto) que tô pensando agora em montar um blog ao invés de lotar este comentário aqui seu…
    Muito sucesso pra você Izzy…

    ps: Você disse que funciona código HTML no comentário? hum… antigamente marquee era tão bem visto… deixa eu tentar:
    É muito clichê escrever “teste”?

  50. Cynthia says:

    Sensacional a paródia do menino.

  51. Paulo Bardes says:

    “como não ganho nada com essa merda, pra fins práticos tanto faz ter 2 ou 200.000 visitas diárias”

    e essas propagandas ai no canto e no topo são oq?

  52. Raphael Oliveira says:

    lol e não é que tem como cair pra cima mesmo?

    Mais mudando de acuntu, cadê o post da fatidica viagem de trem?

  53. badware says:

    eu acho q isso n leva a nada

  54. Camilo says:

    nessa época ficava mais no chat da turma mônica, uol e terra pensando que estava conversando com uma mulher de 25 anos doidinha pra dar sem compromisso pra adolescentes

  55. Putz! Esse post me levantou uma nostalgia louca!

    Não sou dessa época, sou um pouco mais moderno. Comecei a ler e acompanhar blogs por volta de 2003/2004. Até fiz o meu finado Papai Noel de Cueca Azul por aí.

    Eu lembro que, por ter aula de informática básica no começo do ensino médio(2003), me deu uma ânsia por aprender como funfava aquilo tudo e me enveredei pelo mundo do HTML. Queria publicar as coisas horrendas que fazia, então pensei “por que não um blog?” E foi assim e assim.

    Os famosos dessa época, pelo menos os que eu conhecia, eram o “Corto Cabelo e Pinto”, “Blogando e Andando”, “Bobolhando”, “Outside”, “Quem Matou a Tangerina”, “Ninguém Esperava a Inquisição Espanhola”, entre vários outros que não lembro o nome.

    Eu tinha um blog do “Broguiblogs”! (se você lembra, me add o/)

    Surgiram com a ideia dos “Nanoblogs”, aqueles blogs muleque de fundo de quintal, e me enfiei naquilo. Quando consegui meu primeiro 100+ de visitas, quase delirei.

    De lá pra cá foi caindo o ritmo. Comecei a ficar sem tempo, o pessoal foi desaparecendo, o icq sumiu, os Nanoblogs foram sumindo e, finalmente, o Brogui não conseguiu sustentar os “broguis”.

    Perdi o meu, um monte de gente perdeu o seu, tudo que eu tinha de leitores foi para a vala (ah, se o twitter já existisse) e deixei de lado.

    Tempos atrás tentei voltar com o “PNCA”, mas não deu muito certo. Abri o “Eis Que Te Falo”, acabou que ele teve um destino diferente da ideia original e, agora, estou tentando colocar o “Farofa Humana” numa posição legal. Mas algo que sempre me assolou desde o primeiro “PNCA” e continua me atrapalhando hoje é a preguiça. Então, não sei quando sai o próximo post.

    Em suma, aquilo foi uma época mágica, sinto saudades, mas sigamos em frente. o/

    Boa noite.

    P.S.: Gostaria de lembrar que todas essas informações são de acordo com a minha memória, que não é lá essas coisas. Então, caso seja encontrado qualquer tipo de erro, mesmo que seja o comentário inteiro, apenas passem por cima e sejam felizes.

  56. […] post “Pageviews, homenagens e velhos ídolos” acordou algo em mim que dizia “Que fome saudade!”. Leia-o! Ainda mais que é […]

  57. renan says:

    Parabens Izzy vi seu blog hj q peguei pra le-lo ja tinha feito o download do seu livro mais so li as 2 primeiras historias do livro , PARABENS