Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Trust me, I'm a doctor

Postado em 7 April 2008 Escrito por Izzy Nobre 186 Comentários

Quando eu era moleque, eu sempre dizia que queria ser “um cientista” quando adultos me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse. Não importava que ramo científico eu praticaria. “Um cientista, tia!”.

Ora, mas que tipo de ciência? Astronomia? Bioquímica? Herpetologia (que, por algum estranho mistério, é a ciência das cobras e sapos e lagartos, e não da herpes)? Eu não sabia. Meu contato com a “ciência” se resumia a filmes em que um sujeito com óculos e um jaleco branco explicava alguma situação usando termos bem científicos e importantes como “exponencialmente” ou “microorganismos” ou “nitroglicerina”. Aí o mocinho reclama dos termos complicados e o cientista explica de forma mais simples – “Vamos todos morrer a menos que você faça X”. Aí ele vai, faz, ninguém morre e o filme acaba.

Eu queria ser aquele cara. Eu queria trabalhar num laboratório, usar um microscópio, saber palavras importantes e explicar coisas complicadas pros outros. Afinal, eu já usava óculos mesmo, obviamente o resto devia ser mais fácil (estudar algum ramo científico por dez anos e arrumar emprego numa empresa relacionada ao meu ramo de estudo).

Ontem, eu decidi que queria ser outra coisa – Um paramédico. Assim, eu poderia prestar melhor socorro à minha namorada, que quase quebrou o pescoço por minha causa.

Foi assim. Quando a namorada chega em casa do trabalho, ela costuma vir correndo pro quarto, se joga em cima de mim e, naquele clima de casalzinho recém-casado, a gente se joga na cama e fica lá rolando feito idiotas, fazendo cócegas um no outro, essas merdas que vocês que têm namoradas devem saber como é. 

Eu, por outro lado, tenho o péssimo hábito de chegar em casa, jogar meu paletó no chão, e depositar meus gadgets na cama. O PSP e o iPod, na maioria das vezes. O PSP pra jogar Super Mario World durante o expediente, e o iPod pra músicas e ler ebooks. A propósito, xeu abrir um parêntese rápido sobre gadgets aqui:

Gadgets costumam ter várias funcionalidades, mas com pouco tempo de uso você descobre quais as funcionalidades que REALMENTE funcionam no aparelho, as que você realmente vai usar. E geralmente é só uma – no palm era mp3, no PSP é emulação, no DS é só jogo de DS mesmo, no Archos são os vídeos, e no Touch é mp3 e ler ebooks. O troço funciona PERFEITAMENTE pra isso, é de espantar que a Apple não fez disso uma funcionalidade oficial (é preciso uma pequena gambiarragem pra acessar esse potencial escondido). Ler livros no trampo é praticamente de praxe após a compra do Touch.

Então. A namorada chega aqui em casa, vem correndo correndo pro quarto, me puxa da cadeira do computador e se prepara pra se jogar na cama. Acontece que meu Touch estava exatamente no ponto em que ela cairia.

Usando cada grama de destreza que eu possuo, meio que “guiei” a namorada pro lado, pra longe do iPod. Entendeu mais ou menos o cenário? Ela pulou pra cama me puxando junto, e eu empurrei a menina pro lado. Não sei como explicar essa sentença de forma que faça sentido, tentem imaginar a cena.

O resultado da minha manobra foi que a menina acabou ultrapassando sua área planejada de aterrissagem. Ao invés de cair sobre a cama macia, seu franzino corpinho gringo acertou a cômoda em cheio.

Bem no pescoco.

A menina caiu como uma boneca de pano no chão. Após o susto inicial, percebemos que ela estava bem. Mas durante aqueles cinco minutos em que ela berrava de dor no chão, o terror da possibilidade de uma fratura no pescoço me fez desejar que eu tivesse me formado como paramédico. Afinal de contas, médicos detém conhecimento que faz a diferença entre a vida e a morte, e por isso inspiram um incomparável senso de confiança. Não importa o que aconteca, um médico está a caminho e tudo vai ficar bem. Meu vizinho é médico, vou chamá-lo. Vou ligar pro meu médico. Se acalme, eu sou um médico.

O admiração da capacidade dos médicos é tamanha que na nossa língua, é coloquialmente comum (a engraxates e flanelinhas) se referirem a alguém como “dotô” em forma de reconhecimento de sua importância, a despeito do fato que desencravar a unha do dedão do pé com a ponta da faca é o limite de sua habilidade cirúrgica. Embora, como você está prestes a ver, há alguns séculos atrás isso seria mais que suficiente pra conferir a alguém o título de doutor.

Aí eu parei pra pensar. Não estaríamos cometendo um erro gravíssimo depositando tanta confiança nos profissionais de saúde…? Afinal de contas, a história nos mostra que algumas vezes, a ciência exercida pelos doutores não ficava muito acima daquela executada por um aprendiz de açougueiro em seu primeiro dia no serviço.

 

Trepanação

Na Idade Média, entrou em moda o princípio médico de “equilíbrio corporal”. Qualquer tipo de perturbação na sua saúde era indício de algum tipo de desequilíbrio nos seus “fluidos” (pra medicina medieval, tudo era “fluidos”), e o trabalho dos médicos da época era re-equilibrar seu sistema.

Impressionante que uma teoria que soa tão científica (e que tenha algum embasamento, como explicarei depois) tenha dado origem a técnicas tão absurdamente retardadas.

Sabe quando um colega da sua turma de Álgebra claramente entende a proposta de um exercício matemático, mas fode completamente os cálculos e chega a um resultado que faz você olhar pra ele e se perguntar o que diabos ele está fazendo numa faculdade? Então, essencialmente isso é a teoria por trás da trepanação.

A técnica, que na verdade é uma dos mais antigos procedimentos cirúrgicos da história, consiste em fazer um grande buraco no seu crânio – grande o suficiente pra que o osso não seja capaz de se reconstituir e você fique passeando por aí com um buraco na cabeça. Ou seja, estamos usando um significado bem liberal pro termo “procedimento cirúrgico”.

A idéia é que alguns distúrbios mentais (e alguns outros que não tinham nada a ver com o seu cérebro) eram causados por um desequilíbrio na sua pressão craniana. Então, pra resolver o problema, bastava arrumar alguém que estivesse disposto a abrir um rombo na sua cachola. E assim você estaria curado do seu resfriado.

Lembre-se, nego tava apelando pra arrebentar cabeças alheias na mesma época em que se acreditava que “maus espíritos” provocavam moléstias. Não preciso nem explicar o absurdo da idéia.

Não que a técnica seja absolutamente inválida – em alguns casos de traumatismo craniano, fluido cerebroespinal se acumula no crânio e aplica uma pressão que pode causar sequelas permanentes. Nesses casos (e só depois de analisar todas as outras opções), um competente cirgurgião coloca o maluco em anestesia geral e abre um pequeno orifício na cabeça do infeliz pra aliviar essa pressão. Ou seja, é uma operação cuidadosa que, além de só ser executada em última instância, é conduzida com a maior das cautelas. E enquanto o paciente estava sob anestesia, um luxo que os infelizes da Idade Média não tinham.

Agora compare com a imagem lá de acima que eu arrumei no Google. Me diz se não dá até pra imaginar que o maluco da figura mal tinha acabado de dizer “Nossa Senhora, que terrível inflamação de garganta me abateu hoje” pros outros dois já sairem catando no chão qualquer instrumento mais ou menos afiado pra arrebentar a cabeça do coitado.

A comunidade médica em geral abandonou a trepanação como método de curar doenças há alguns séculos, mas a técnica não está totalmente morta. Nos últimos anos, a turminha que é chegada nessa onda de viagens produzidas por alucinógenos inventou uma complexa pseudo-ciência que prega que trepanação serve como um método de atingir o nirvana, ou alguma coisa assim, o que confirma o velho adágio popular que profetiza que “existe doido pra tudo nesse mundo”.

Sangria

Sangria, conhecida em inglês como “bloodletting” caso você tenha vontade de pesquisar sobre a parada, é mais uma maluquice medicinal da escola de pensamento que pregava que problemas de saúde eram produzidos por algum tipo de desequilíbrio corporal.

Um grego chamado Erasistratus formulou o conceito de plethoras, ou seja, doenças provocadas pelo excesso de substâncias. E que substâncias seriam essa, você me pergunta? Bem, a idéia era inspirada nos conceitos alquimistas que explicavam que tudo no mundo era composto por quatro elementos – água, fogo, terra e ar.  Da mesma forma, tudo no seu corpo deveria estar associado a quatro elementos. No caso, eles seriam sangue, muco, bile preta e bile amarela. E seja lá qual seja a doença, existem grandes chances de que ela está sendo provocada porque você tem sangue demais no seu corpo.

E havia duas formas de balancear o volume do seu sangue – o “médico” te dava alguma coisa pra induzir vômito, tornando assim sua corrente sanguínea mais concentrada (a lógica é que vomitar reduziria o nível de outros fluidos no seu corpo, fazendo do sangue o fluido predominante), ou fazer buraquinhos no seu braço e observar o sangue indo embora.

Nos dias de hoje, você faria o máximo pra evitar ser furado por aí à toa. Há alguns séculos atrás, era o tratamento mais padrão que existia. Inventou-se até um elaborado sistema pra determinar exatamente QUANTO sangue deveria ser tirado, e levava-se tudo em consideração: sua idade, seu peso, altura, a região onde você morava, que time você torcia, os últimos cinco dígitos do seu perfil no orkut, sei lá mais o que.

A parada ficou ainda mais sofisticada com o tempo, quando decidiram que remover sangue de diferentes partes do seu corpo produziria resultados em locais diferentes. Tirar sangue da mão resolveria sua calvície; tirar sangue da orelha consertaria sua impotência. Aí decidiram que não precisava nem ficar doente pra apelar pra sangria – começou-se a furar os outros como meio de vacina contra certas doenças. Quanto pior a doença, mais sangue era necessário arrancar do infeliz, e pra piorar as coisas, a tontura que resultava do procedimento era sinal de que a técnica estava dando efeitos satisfatórios. E pra tornar a parada ainda mais putariosa, começaram a empregar sanguessugas pra chupar o fluido vital da galera. A procedência dos parasitas não poderia ser mais duvidosa, e o risco de infecção era mais ou menos 98%. 

Se você tem alguma idéia de como funciona o corpo humano deve ter concluído que muita gente morreu no meio da sua sangria mensal. A desculpa era praticamente embutida – a doença estava num estágio avançado e ceifou a vida do paciente antes que a técnica pudesse fazer efeito.

Na minha terra isso se chama “gaiatice”.

Lobotomia

Dê uma olhadinha nessa foto ao lado. Se você precisava de alguma prova definitiva de que a confiança que médicos inspiram em leigos é ao mesmo tempo impressionante e assustadora, aí está ela em conveniente formato jpg.

Em 1890 um méd… um psicopata chamado Friederich Golz teorizou que a melhor forma de mudar o comportamento de um indivíduo seria DESTRUIR PARTES DO CÉREBRO EM QUE TAL COMPORTAMENTO ESTIVESSE LOCALIZADO. Após chegar a essa brilhante conclusão, maluco  nem perdeu tempo – afiou suas faquinhas e experimentou o procedimento no próprio cachorro. Naturalmente, o pobre cachorro ficou totalmente sequelado, o que Golz interpretou como sucesso total. Ora, quem pode culpá-lo? O cara queria reduzir o comportamento agressivo do cachorro, e após a cirurgia tudo que o totó faz é deitar na frente da casa por horas a fio, sem se mexer, com os olhos fixos em posições diferentes. Tecnicamente falando, a experiência foi um sucesso.

Demorou mais ou menos quarenta segundos pra que alguém decidisse que o procedimento deveria ser experimentada em humanos. Gottlieb Burkhardt, o chefe de um hospício suíço, ouviu sobre a maravilhosa proeza do outro maluco e resolveu experimentar em seis esquizofrênicos que ele tinha sobrando em seu hospício. Aparentemente o Burkhardt fez uma cagadeira ainda maior que a do Golz, já que aquele ao menos teve uma taxa de 100% de sobrevivência naquela sua primeira lobotomia no cachorro. No caso dos esquizofrênicos, bem, digamos que depois desse dia Burkhardt passou a ter apenas quatro esquizofrênicos sobrando.

Ao invés de identificar a técnica como o estraçalhamento totalmente irresponsável do mais importante órgão humano e bani-la pra todo o sempre, a comunidade médica do comecinho do século XX continuou a namorar a idéia de resolver problemas comportamentais através da técnica de fazer purê com os miolos de seus pacientes.

Foi finalmente um médico português chamado Egas Moniz (que coincidentemente tem o sobrenome de uma das minhas chefes, que de fato é descendente de portugueses. Perguntarei à mulé se ela tem algum bisavô chamado Egas) que “aperfeiçoou” a técnica. Moniz percebeu que esculhambar o cérebro de um indivíduo de fato foderia com a pessoa, então o que ele tinha que fazer é estraçalhar apenas algumas conexões nervosas isoladas, e não pedaços inteiros do cérebro. O sujeito acabou eventualmente ganhando um prêmio Nobel por causa disso, e se isso não é uma lição assustadora de quão enganada a comunidade científica pode estar a respeito de alguma coisa, nada mais é.

Enquanto isso continuamos tomando prozac, tylenol, vacinas variadas, viagra, advil e outros trocentos tantos medicamentos ou tratamentos que utilizamos baseados exclusivamente na confiança do que a indústria médica diz pra gente.

Não sei você, mas se eu tivesse um amigo que insiste em me oferecer sucos que mais tarde se revelam não ser exatamente sucos e sim água misturada com veneno… da próxima vez que ele viesse com um copo na mão, eu enfiaria um soco no meio do bucho do cidadão.

***

(Leitores voyeurs, se manifestem. Vocês talvez não saibam, mas esse feedback que eu recebo de vocês é JUSTAMENTE o que me motiva a atualizar esse site, especialmente com esse tipo de texto – mais longo, mais elaborado, do tipo que requer um certo trabalho de pesquisa e coisa e tal – aqui no HBD. Deixem a vergonha de lado e publique sua opinião aí. Eu quero saber o que esses 80% de visitantes silenciosos pensam a respeito deste site)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Lição de História

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

186 Comentários \o/

  1. cashew says:

    primeiro!!

  2. Lucas Teixeira says:

    Grande Kid!
    Excelente texto. Esse tipo de conteúdo que gosto de ver no HBD.
    Parabéns, continue o bom trabalho.

  3. Anonymous says:

    Terceirão e ainda li!

    Triste.

  4. Miu says:

    Acho que isso é um pouco mais ‘aplicável’…
    Sabe quando você tá lá na faculdade, ouvindo um ‘professor’ falar e então pensa: ‘- caralho, o que esse idiota tá falando?.’
    ou quando você tá no trabalho e seu ‘chefe’ te pede uma planilha de certa ‘subsessão da venda de produtos relacionadas à comercialização direta e propaganda dirigida’ ?.. aí vc pensa mais uma vez: ‘- caralho, o que esse idiota tá falando?.’

    E sei lá porque, mas tem um bom tempo que acompanho teu blog, Kid…
    e sabe o que eu penso [enquanto rolo de rir] toda vez que leio um post novo?

    heuaheuaheuaheau

    ah! aliás, tente usar o artifício da massagem pra se desculpar com a patroa… em algumas circunstâncias, pode resultar em sexo!
    >.<

  5. Jonh B. God says:

    Eu gostei… mas acho que vc devia postar uns textos menores mais vezes, mas tipo assim, do geito que tá tá bão

  6. Stan says:

    Quebrou a namorada pra não machucar o iPod.

    Essa frase deveria estar ao contrário.

  7. hahahahahahahaha

    finalmente alguém capaz de entender minha repúdia e descrença com relação a essa tal comunidade médica escrota.

    energúmenos !

    [/generalizacao]

  8. Olivia says:

    Gosto justamente dos textos mais longos e mais elaborados.

    Fantástico. Continue assim.

  9. 1rh4xj00 says:

    Nossa, tinha coisa que eu nem sabia. A parte da Lobotomia foi engraçada e até educativa. Obrigado Kiddô, Acordei o meu irmão de tanto rir. LOL

    Jonh B. God -- Textos do Kiddô é grande, mas eu não consigo ficar com preguiça de ler.

    btw, Então… E a sua namorada, não te bateu?

  10. deuso says:

    Gostei dos resumos que você fez sobre as técnicas, parabéns mesmo.

    Mas meio que avacalhou com a ciência né? A ciência avança, deixa técnicas absurdas para trás e isso é bom; daqui alguns anos, muita gente vai estar rindo de alguns procedimentos médicos que temos hoje, mas a grande maioria vai continuar existindo. E será melhorada.
    Btw, não quero tornar o post sério, só não sou a favor de quem diz que a ciência é absurda e não devemos acreditar nela…bla, bla, bla. Apesar de imaginar que você não pensa assim, também.

  11. pdform says:

    Momento Pasquale:

    O termo doutor na língua portuguesa se referia especialmente àqueles que possuíam “douto”, ou seja, sabedoria. Nesse sentido, as pessoas mais humildes chamam os outros de doutor quando eles têm, relativamente, um conhecimento maior. É por causa disso que no interior as pessoas urbanas são chamadas de doutor. E justamente porque possuem muito conhecimento que os médicos recebem esse título, que, hoje em dia, não deveriam receber (nem os advogados) já que não têm doutorado, o sentido atual da palavra.

  12. rcrd says:

    cara, me impressiono com a tua habilidade de começar o post em um assunto e terminar em outro… hahah

    essas porcentagens que tu colocou aí são de verdade? ;P

  13. Peraí, esse texto todo foi só pra disfarçar o fato de que você preferiu derrubar sua namorada/esposa no chão do que correr o risco de quebrar seu iPod? 😛

  14. Diogo says:

    Legal foi saber do post via tuíter! Kid continua anunciando lá! 😀
    Eu já tinha estudado sobre esses antigos métodos médicos que eles usavam. Mas é aquela velha história, ruim com eles pior sem eles. Eu sempre acho que o médico sempre te receita um remédio pensando na próxima consulta, mas fazer o que.
    Você não falou como terminou sua namorada (sem o pescoço quebrado, mas vocês correram para o ER?). 😛

  15. “se isso não é uma lição assustadora de quão enganada a comunidade científica pode estar a respeito de alguma coisa, nada mais é.”

    Olhando pelo lado bom, pelo menos a comunidade científica reconhece o erro hediondo e abandona as técnicas.

    Não, a afirmação acima não tem nenhum alvo específico. Pegue o seu preferido.

    Sua namorada vai bem depois dessa, Kid?

  16. Claudinha says:

    Eu duvido q ela causaria algum dano no seu aparelhinho caso caísse em cima dele, tu quase matou a coitada rsrs

  17. M says:

    Para piorar a Trepanação, imagine tudo isso sendo feito sem o menor pingo de higiene e com lama e fezes de animais espalhados para tudo quanto é lado…

  18. Kid says:

    @Diogo

    Continuarei avisando lá então 🙂

    @Bruno Guedes

    Eu captei a alfinetada hahahaha

    E a namorada está bem, moçada. Foi só uma pancada mesmo.

  19. Ricardo says:

    Fala Kid!

    Promeira vez que estou deixando o meu pitaco…

    Quase todo dia entro no HBD e 98% das vezes dou várias risadas!

    O melhor é ver um post que não teria a menor graça e vc, com o seu modo palhaço de escrever, o torna engraçado.

    COntinue o seu trabalho, assim o tempo passa mais rápido e divertido no meu trampo!

  20. Tenko says:

    Ri demais com o texto. Mas tu é noob demais, hein? iPod cê compra outro fácil, namorada é bem mais caro.

  21. Dan says:

    Eu fiquei curioso ..o que será que a @Miu pensa quando lê os posts do Kid enquanto rola de rir?

    “heuaheuaheuaheau”?

    Muito bom o post ..”meio que “guiei” a namorada pro lado” foi otimo! hahahahaha

    Ta ..minha opinião: Eu não digo “texto mais elaborado que requer uma certa pesquisa” e tal ..mas posts com uma historia mais detalhada ..como por exemplo o da história do rato, ou da pipa ..assim como este também ..

    Enfim, o que eu quero dizer é que eu acho que não precisa ser um texto com uma pesquisa mais trabalhosa e sim uma estória trabalhada ..

    Conte-nos histórias bem elaboras e mande ver 🙂

  22. Dan says:

    Alias Kid ..você vai colocar banners no seu site? 🙂

  23. Michelli says:

    Nossa, meu irmão sempre comenta aki.. cadê ele.
    Acho melhor lagar meus remédios e ir viver com hippies ou indios…

  24. Rocky says:

    Não sei porque essas técnicas me lembraram do Dr. House……..

  25. Cícero says:

    E ai Kid,a seu pedido estou escrevendo um comment aki pro seu post =)

    Bom cara gostei muito do post, uma das coisas que me faz vir aqui sempre é encontrar algum texto novo seu satirizando algum aspecto da nossa sociedade, os sacarmos que vc usa me matam de rir, principalmente quando se trata de falar dos malucos a solta por ai na internet que não sabem diferenciar vida real da virtual

    Bom é isso flws

  26. Vovô Garoto says:

    Questão de prioridade: o que vale mais pro Kid, a namorada ou o Touch?
    Bom texto, continue assim.

  27. Trailblazer says:

    Oi Kid o/

    Tehno certeza que me incluo entre os 80% dos ‘voyeurs’ que visita o blog pois, apesar de ser fã há bastante tempo(você ocupa uma posição no ‘Speed Dial’ do Opera aqui cara, orgulhe-se disso!) devo ter deixado uns míseros 2 comments por aí. Mas pode ter certeza que, assim como eu, os outros leitores que não comentam apreciam muito o seu trabalho. É simplesmente preguiça de escrever, hehe…

    E bem, sobre o assunto, a sangria *pasme* também é utilizada hoje em dia, em um daqueles ramos de medicina alternativa natureba. Li por aí que é útil contra inchaços. Enfim…

    Sanguessugas me lembraram uma cena daquele clássico filme da Sessão da Tarde de uns meninos que viajam seguindo uma linha de trem para encontrar um corpo morto… Mas, WTF, o que isso tem a ver com o assunto?

  28. .K~ says:

    Muito bom o post !! 🙂

    e porque você apagou o último post?

  29. .K~ says:

    Sanguessugas me lembraram uma cena daquele clássico filme da Sessão da Tarde de uns meninos que viajam seguindo uma linha de trem para encontrar um corpo morto… [2]

    AHAHHAHAHAHAHAHHAH²

  30. Kelb says:

    Melhor post que já li aqui

  31. Renan says:

    Acredito que a grandíssima maioria não se manifesta por pura e simples preguiça. como eu, haha

    Mas porra, tu parou de contar da patroa. eaí, ela ficou lá estrebuchada de dor, e depois? tu começou a confabular o post e saiu correndo pra escrever, deixando ela se contorcendo lá? =D

  32. Mariana says:

    Então, continuando o que dizia o Renan aí em cima, quediaboquirolou com a gringa? Sobreviveu??

    P.S.: Sou uma das suas leitoras silenciosas e leio seus posts pelo feed do Opera mesmo. =D

  33. Cainã Costa says:

    Se tua namorada ficasse paraplégica ou algo assim, você teria que transar com teu iPod ;~

    Bom post, mas a sangria(com sanguessugas) ainda é utilizada, e quando a sanguessuga vai “sanguessugar” alguém, ela injeta uma espécie de toxina que inibe a ação de bactérias no local da ferida, por isso em pouco tempo tá cicatrizada e bonitinha. Por sinal, sangria é bom para tratar(momentâneamente) casos de pressão alta.

  34. Fábio says:

    Só não sei da trepanação, mas os outros dois são usados até hoje, mas só em casos extremos.
    E eu sei de uma outra: hemisferectomia (http://en.wikipedia.org/wiki/Hemispherectomy), em que um lado INTEIRO do cérebro do camarada é desligado ou removido mesmo, esperando que o outro lado acabe assumindo as funções do primeiro. E o pior, ou melhor, ou mais assustador de tudo, é que acaba funcionando! Mas só é usado em casos extremos, por exemplo, de epilepsia em que a ciança já nasce com convulsões.

  35. Leandro says:

    Muito bom, gostei!

  36. KDU says:

    mas e a mulé ficou quebrada ou não? deixou sequelas?

  37. Fala serio!
    você quase matou a namorada pra salvar o iPod?

    você não soube do iPhone que foi atropelado por um caminhão e sobreviveu?

    Então quando estrago a namorada poderia causar?
    (No pior dos casos você pode mandar um e-mail pro “tio Esteve” pedindo um iPod novo pois a namorada pulou na cama e caiu em cima, será que a garantia cobre isso?)

    Ou então procure um lugar melhor pra colocar seus gadgets antes que você mate alguem!

  38. Esqueci de perguntar: como ela esta?
    (com todo o respeito claro!)

  39. gustavo says:

    Gostei do post e gosto do seu blog =D
    pronto! manifestei-me

  40. Abraão says:

    Já tinha ouvido da lobotomia, que merdinha. Mas e aí, o que aconteceu com os malucos? Todos eles ficaram catatônicos-like?

  41. Kei says:

    Pronto, mais um manifesto. Eu continuo lendo o HBD e não pretendo parar. Pronto, fique feliz.

  42. Kei says:

    Eu leio, afinal, eu não estou fazendo nada mesmo…

  43. Brico says:

    Kid,
    É a primeira vez que deixo um comentário aqui também.
    O difícil não é ler os textos longos, mas sim disfarçar a gargalhada no trabalho…
    Quanto ao incidente com a noiva, acho que você agiu corretamente. O iPod custa caríssimo e ia ser foda repor. Já mulher não vale nada, até eu, que sou pobre, tenho. Vai ficar mais barato consertar a mulher do que comprar um iPod novo.

  44. Koji says:

    eu posto as vezes. me sinto inútil postando a toa.

    pronto, me sinto inútil. xD

  45. ianwlad says:

    Ae Kid, mto legal o texto, só senti falta do resto da história de vc se desculpando pra patroa e etc hehe, se rolou uns xingos e etc =D

  46. Luiz Felipe says:

    Mais um post genial pro acervo do tio “Kid”. o/

    Já pensou em ser cronista de tabloides populares? haha

    Falooo

  47. Lariii says:

    você é legal, keep up the good work, champion.

    (e esse ps no fim pedindo comentarios foi muito um pedido desesperado de atenção aos seus leitores desnaturados)

  48. Vinicius says:

    mesmo não tendo nada para fazer gosto de ler textos inteligentes e é por isso que sempre venho ao HBD. Gosto também do modo “nonsense” que vc escreve de vez em quando, parabéns.

  49. Lopes says:

    Me pergunto até onde você iria para defender os seus gadgets.

    fik kestão.

  50. GuiFig says:

    Muito bom 🙂

    Não achei engraçado “rárá”, mas sorri bastante, o que acho que é até melhor, às vezes 😛

    keep ’em coming 🙂

  51. Xisde says:

    Bom post ,Kid.Continue assim!

  52. Alexander W. says:

    Aê Kid… Muito interessante o post…
    Massa mesmo.
    =D

  53. mfavaretto says:

    ahiauhaiuhaiuah
    Ótimo! Também sou um dos veyeurs de sua página, mas se os comentários são de tal forma importantes e contribuem para que continue a haver esses incríveis posts, eis-me aqui comentando!
    E, se fosse um wii-mote ao invés de um iPod, você teria salvo a vida da namorada! hehe
    😀

  54. Geek In The Pink says:

    Kid, fica tranquilo que você tá certo, antes o gadget do que a namorada, já que homem que é homem pára na hora de dizer aceito do casamento pra ler o último post do blog que ele visita às veses.

  55. Bill says:

    O Mário rodando ali embaixo tá sensacional! aiuhaiuehiuha

  56. luir says:

    fiquei indignado com essa técnica medieval, imagina ter um pai nessa época e deixar ele ser tratado desse jeito e consequentemente morto por tal?

  57. Xiska says:

    Legal esse post, Kid. Sempre me perguntei esse tipo de coisa. Não só na medicina, mas em diversas áreas como quimica, psicologia, veterinária, whatever, apareceram técnicas mais que ridículas antes de decidirem o que é certo. E é esse certo que me assusta, porque só daqui 100 anos saberemos se acreditamos na verdade ou se dirão que os otários de 2008 eram animais.. iauehuaheiuae.

    Sim, com um certo exagerin..

  58. Jp says:

    Cara, esse treco de lobotomia me lembrou de duas coisas:
    Ramones (eles tem uma música chamada Teenage Lobotomy), e Hannibal e.e’

  59. Grush says:

    tenso vc tentar matar sua namorada hein Kid. tenta mirar a quina e / ou a têmpora, vai dar bem mais certo. Indolor e sem sujeira.

    Não precisa me agradecer.

  60. Marcelo de Carvalho says:

    Excelente Kid, nunca comentei no seu blog mas o acompanho. Esse post me remetou a um livro que li sobre medicina, chama-se “O físico”, tradução grotesca de “The physician”, mas enfim, o livro trata de um médico no séc. 11 na Inglaterra, aí lá mostra altos procedimentos malucos como esses e mostra também os Barbeiros-cirurgiões, verdadeiros pilantras que atendiam qualquer tipo de pessoa com qualquer doença e os ludibriavam a comprar os famosos “tônicos” que curavam desde calvície ao câncer, mas não passavam de bebida alcólica.O personagem central é um moleque que perdeu os pais é adotado por um barbeiro-cirurgião pra ajudá-lo a tratar e vender as quinquilharias, aí o moleque toma gosto pela coisa e decide se tornar médico, só que, só existiam médicos de fato no Oriente, que era de longe muito mais avançado que a Europa Medieval, então o garoto parte pra lá afim de estudar medicina.
    Não preciso dizer que achei FODA o seu post.

    Flws KiD

    PS: Que escolha cruel né? o Ipod ou a namorada..
    hauahauha

  61. Tiago says:

    Bom texto, muito maior que a média dos textos que você posta, acho isso bom.
    Se tivesse uma maneira de comentar pelo leitor de feeds com certeza eu comentaria sempre.
    Texto com bastante informação e algumas piadas no meio dele, acho isso bastante seu estilo, sempre que você faz um texto dando informações sobre algo que conhece ou pesquisou e inclui senso de humor nele fica bom.
    Sinto falta das resenhas e, embora nem faça tanto tempo que postou uma, gostaria de mais histórias da sua infância.
    Outro tipo de post que eu gosto são os que você zoa “tribos” de pessoas estúpidas.

    PS: Não consegui achar o post passado pra ver se você respondeu meu comentário, vou deduzir que ele não foi respondido e que você apagou o post todo.
    PS²: Ignore qualquer erro que tiver o texto, estou comentando do lab de informática e o teclado não é dos melhores.

  62. Nortonn says:

    Venho lendo o HBD a um tempo já. Desde que eu comecei a ler, os textos vem melhorando cada vez mais.
    Principalmente esse, parabens Kid 😀

  63. Jovas says:

    Sigo a doutrina da cura natural. Cortei o pé? No máximo coloco um band-aid, mesmo que o corte tenha uma perfuração com profundidade de um prego. Tudo pela praticidade.

    A não ser que seja uma perfuração com um prego enferrujado de Chernobil, aí passo um álcool.

    P.S.: Não dava pra ter jogado a muié na almofada, pelo menos?

  64. Karlisson says:

    Oh, dúvida cruel! Confiar na comunidade médica ou nos curandeiros que incorporam entidades e prometem a cura do câncer com alguns gramas de orações e moedas brilhantes? =P

    E as patricinhas, será que elas gostariam de ser enfermeiras?

  65. Halysson says:

    hehe

    muit bom o post cara parabens.

    Tu podia falar mais de quadrinhos, eu sou colecionador e qdo vi aquela sua fotinha de uma coleção começando resolvi voltar a colecionar tbm. Pior é q eu sou comprador compulsivo!

    Tem algum tipo de topico no FHBD q a galera discute isso?

  66. Fernando Hofmeister says:

    Texto tah bem legal… Fico ateh impressionado com a sua capacidade de filosofar ou ateh se dar ao trabalho de pesquisar coisas como trepanação, lobotomia e etc… Mas o texto tah muito bom msm…

    Pode continuar investindo o seu tempo (gastando ou ateh perdendo, msm q o seu chefe naum esteja olhando) em textos mais elaborados como esse…

  67. Guilherme says:

    Po kid, realmente muito legal o texto. O legal é que você se dá ao trabalho de pesquisar, pra depois criticar.

    Gostei pra caralho do texto. E admiro seu jeito de escrever, a leitura não fica cansativa.

    Pô, vc devia pensar em escrever algum livro de crônicas. Tipo veríssimo 😛

    Abraços!

  68. Richard says:

    Cara, muito bom. Já tinha ouvido esses termos, mas não nabia o que significavam. Tu escreve bem pra caramba, pois num curto muito medicina e li o post inteiro.

    Continue Assim. Ganhou um leitor diário.
    (E quem sabe um ex-voyeur) 🙂

  69. Victor says:

    Olha aqui um representante dos 80%! entao kid estudo psicologia e te digo voce nao faz ideias dos tratamentos estranhos que ainda sao utilizados por psiquiatras, médicos, neurologistas e afins…. continue escrevendo sinto falta das atualizaões frequentes, falando nisso e o post das patricinhas?? ja afzem uns 2 anos q to esperando

  70. Luiz Felipe says:

    Bom…ainda hoje, usam a homeopatia…

    Vejam bem…

  71. Rafael Lemos says:

    Carai, bando de doidos…

  72. André Q says:

    sou dos 20% então nem vou falar nada hoje. :X

    tá, ok.
    E a patroa como ficou?

  73. Robaldo says:

    @Stan:
    “Quebrou a namorada pra não machucar o iPod.

    Essa frase deveria estar ao contrário.”

    iPod o machucar não pra namorada a quebrou?

  74. Eduardo says:

    realmente,pra você salvar o seu IPod e não sua namorada,você é muito nerd Kid….

    ou seja,nada que eu não soubesse ainda ^^

  75. JebaLôrca says:

    Por acaso a Gótica sabe o motivo do acidente [pra não machucar o iPod] ? =D

  76. thiago says:

    ainda usam sanguessugas pra diminuir a pressao sanguinea em alguns lugares
    é física, menos líquido pressionando o cano, menor a pressão
    óbvio que isso n deve ser usado pelos riscos -- pra dizer o menor -- de infecção
    mas faz um pouco de sentido nesse caso
    n li nenhum comentário e só comentei por causa do apelo no fim do post, leio teu blog desde quando tu moravas no brasil 😛

  77. Chin says:

    Caramba, você quase matou a Gótica!

  78. Ryan says:

    Leitor voyeur comentando.
    Post do CARALHO, habilidade com escrita invejável a sua, bleh. Leio isso aqui desde 2005 e não pretendo parar.

  79. Kid says:

    Agradeço desde já a turma que resolveu sair do silêncio e deixar sua opinião aqui 🙂

  80. Stan says:

    @Robaldo

    “iPod o machucar não pra namorada a quebrou?”

    Não, ?uorbeuq a adaroman arp oãn racuhcam o doPi.

    Não se faz de salame.

  81. Neryuuk Nescau says:

    Atendendo a pedidos venho por meio desta (hahahahaha) me manifestar

    só tenho uma coisa a dizer

    UhuHUAuhUAHuAHuahuaHuAHuaHuahauhAUhauh

    (muito hilário esse post ^^)

    Ass. Leitor voyeur assíduo =]

  82. bertim says:

    “Bom…ainda hoje, usam a homeopatia…

    Vejam bem…”

    hsahuishiuhiushiuhui pq ninguém acredita nas diluições de água = //

  83. HeryckDM says:

    Já vejo manchete:

    “Nerd mata namorada por iPod.”

  84. pilla says:

    muito bom, voyeur reader too

    essa é a verdadeira mídia alternativa!!! sem manipulações ou jogos políticos!!

  85. Gabriel says:

    Tem gente que tira sangue de uma parte do corpo e injeta imediatamente em outra…
    Tem gente que bebe urina, achando que ela cura problema…

    Enfim, tem louco pra tudo.

    No mais, Kid, ótimo post, tava sentindo falta de um bem elaborado como esse.

    PS:> E aquele spam que eu recebi? Mandou pra quantos mais? 😛

  86. marcus says:

    ótimo, kid. sempre quis ter um argumento contra a confiança exagerada que as pessoas depositam nos médicos. agora posso dizer: cale a boca, seu lobotomista de merda!

    ps: não, não direi isso.

    o/

  87. Dea says:

    Ok, leitora voyear se manifestando…

    Médicos podem não saber tudo, podem às vezes ser psicopatas como em qualquer área podem existir psicopatas, mas pra alguém que tem 5 amigdalites por ano, eu abençôo o dia que um médico inventou os antiinflamatórios.

    Ruim com eles, pior sem eles.

  88. Anon says:

    Post foda bagarai, kid.
    Deve ser bem chato ficar buscando essas pequenidades na wikipedia/sites agregados para escrever =(

  89. Ju says:

    Leitora voyeur… ¬¬

    Tá ficando pidão hein Kid?

  90. Diogo says:

    Vou parar de acreditar no meu médico e passar a frequentar curandeiras.

  91. TioTolis says:

    “Se tua namorada ficasse paraplégica ou algo assim, você teria que transar com teu iPod ;~”

    AEOAOKAKOAEKOAOKAEKKOEAAKOAKOAEEAOAKOEKOEAKEAKOEAKEOKOKKOAEKOEA
    WHAT THE FUCK!!1111oneone!
    Imaginando o Kid deitado na cama de cueca a mina dele no chão toda torta e ele com o iTouch na mão dizendo “my preciiouuss”

  92. Jp says:

    Bom, sobre as sanguessugas, também usam elas quando costuram um membro que havia sido cortado fora no corpo, eles põe ela pra sugar o membro (sem malícia gente… o membro pode ser apenas um dedo…) pro sangue voltar a fluir. Claro que fazem isso com o maior cuidado, mas ainda dá medo.

  93. Blude says:

    Po Kid, coitada da góteca.

  94. Makuro says:

    Ótimo texto.

  95. Dugout says:

    Heheh acho que faco parte desses leitores voyeurs, gosto muito do seu blog! Pelo visto c ta voltando ao ritmo de postagem aos poucos!
    Conheci o seu blog acho que final do ano passado e ja li tudo dele! Otimo blog, bom conteudo e bem comedia 🙂 Continua assim cara!

  96. Jovas says:

    Cara, vê isso. Não dá pra confiar mesmo.

    O_O

  97. Poserboy says:

    A cena que se seguiu após a queda da Sra. Kid:

    -- OH, MEU DEUS! MEU IPOD! VOCÊ ESTÁ BEM? Opa, tá tocando. Tudo beleza. E aí benzinho, vai vir pra cima ou não? Amor? Ei, tá gritando por quê?

  98. bruN0 says:

    Oi, curto um voyeur gostoso. Sou passivo e de Fortaleza -- CE, cabeça chata como você. Para mais informações, só dizer por aqui mesmo. 😉

    Ok, ok. Bom post.

  99. Nico says:

    Bom, pra ajudar sua paranóia:

    Os remédios que vendem pra gente não funcionam pra todo mundo… existe uma “porcentagem de acerto” que costuma ser bem baixa para os remédios mais necessários como no caso de infecções muito fortes ou doenças muito agressivas, boa parte das pessoas só sofrem os efeitos colaterais… Essa “porcentagem” tem um nome específico, só não me recordo qual é…

    E mehoras para a Sra.Kid, lembre-se da próxima vez que você consegue outro Ipod, outra mulher que ature um nerd….

  100. Dorothy says:

    Então, se você continuar pedindo tanta atenção eu vou acabar deixando de ser voyeur. Dois comentários em menos de uma semana, vê se pode? xD

    Eu já tinha ouvido falar em todos esses “métodos científicos” menos o do buraco na cabeça, que idéia mais… medieval, sei lá. Essas imagens parecem ter saído de algum livro de tortura medieval pra bruxas, tipo o Malleus, credo. E pensar que ainda se usam as sanguessugas por aí…

  101. Dorothy says:

    Ah, e a patroa sabe que quase quebrou o pescoço por causa do Ipod?

  102. Gam says:

    DHASJKDHASJKDH pronto, comentei.

    Reparei também que 80% dos visitantes não comentam… Eles não entendem que, por mais inútil que seja o comentário, é melhor que nada.

    Tipo esse.

    Anyway, que post nojento >D Adorei

  103. Fivio says:

    muito bom

  104. Nighto says:

    Não sou de comentar muito, mas esse foi duca.
    []

  105. Daniella HOlanda says:

    Cara, que texto jóia, gostoso de ler, mas a parte da namorada foi mmmuuiiiitttooo melhor…. fiquei imaginando a cena na minha cabeça e me questionando: Por que as mulheres querem parecer tão bem humoradas??

  106. Felipe says:

    Belo texto, parabéns, baseado em teorias, imagino pelo que passam hoje as cobaias …

  107. Kaa says:

    aHUAHUahuaHU
    gente! que horror..
    imagina um cara abrindo um rombo na tua cabeça sem anestesia, ou destruindo teu cérebro..
    *MEDO*

  108. Daniella says:

    Adorei tanto a maneira como se chegou ao texto (meu primeiro pensamento foi: “Ué, mas o link do Uêba dizia que era sobre tratamentos médicos antigos”) como a maneira que esse texto foi colocado. Estou recomendando para todos os amigos AGORA!

  109. Kid says:

    Agradeço o apoio, Daniella 🙂

  110. Guido says:

    mas o Ipod ta bem?

  111. Elis says:

    Cheguei no seu blog quando teve umas confusões com o orkut, no ano passado, acho, ou no anterior… Mas o fato é que gostei e fui ficando por aqui. Adoro seus textos e sempre leio e mostro pra outras pessoas.

  112. Hugo says:

    Cara,
    Primeira vez que visito teu blog. Muito bom o assunto e a forma com que foi abordado. Você é bom nisso. Abraços

  113. Dafne says:

    Já que vc faz questão…
    Então, o fato é que eu aposto que o meu excelentíssimo pai foi, em algumas encarnações passadas, um dos responsáveis pelo incentivo a essas técnicas no mínimo duvidosas.
    Ontem no almoço ele começou a me contar que recebeu um email de um tio (leia-se “outro maçom”, o que tira de cogitação qualquer possibilidade de o email ser idiota) escrito por um doutor da finlândia (ou seja lá de qual era o país que ele achou que daria mais credibilidade ao estudioso), formado em sabe-deus-o-quê, que garantia que chocolate dava câncer. Chocolate, manteiga, e mais um monte de coisas.
    Continuei conversando com a minha mãe antes que ele pegasse embalo e não calasse nunca a boca.

  114. max171 says:

    taquipariu , isso deu agonia.
    [VOYER DETECTED]

  115. robsobn says:

    cara, me impressiono com a tua habilidade de começar o post em um assunto e terminar em outro…(2)

    gostei muito do seu blog, principalmente na referencia a minha pessoa (leitor voyeur)

    agora, o que acontecei com sua parceira!? se estiver aqui nos comentários, vou descobrir depois, quanto tiver vontade de ler os 114 atuais

  116. Marcelo says:

    Vc tem o dom… UHAHAHUUHAUHA Acho que se a história de Adolf e Rudolf Hoüss fosse contada por vc ninguém teria sido preso… Putz… Ainda tô rindo… kkkkkkkkkk

  117. Kid says:

    Quem é Adolf e Rudolf, amigo?

  118. Kodäz says:

    comentando tipo por pena.

  119. Kodäz says:

    Digo, eu gostei do texto, mas só comentei porque você pediu. vlw.

  120. Rodrigo says:

    Bom, o seu texto está bem escrito, porém eu como estudante de medicina do último ano gostaria de falar certas coisas. Primeiro, sem a pesquisa e sem os trabalhos científicos não se obtem um avanço em tratamento e propedeutica na medicina, se sua namorada hj pode gozar de um tratamento efetivo, foi porque muitos medicos estudaram o caso e fizeram experiencias pra chegar num tratamento com menor mortalidade e melhor para o paciente.
    Segundo: Se tem alguem que se ferra em faculdade é o estudante de medicina porque além de ralar que nem um condenado na faculdade dando plantões de 12-24 e até 48 horas pra adquirir experiência, atendendo todo o tipo de gente sem descriminação, diferente como ocorre em todos os outros cursos, que visam somente o dinheiro, temos ainda que ouvir uma opinião como a sua que com todo respeito é ignorante.
    Você está falando uma coisa sem sentido, hoje em dia as pesquizas estão avançadas e nao fazemos mais 99% do que voce falou em seu texto, pois a medicina se supera sempre e sempre vai se aprimorar graça as pesquizas e aperfeiçoamentos que obtem por metodos experimentais que fazem a mortalidade da humanidade cair a cada ano devido a isso.
    Bom so gostaria de deixar o meu desabafo, porque já tem comentario ai falando que vai deixar de acreditar em médico pra passar a ir em curandeira rsss…..

  121. Rodrigo says:

    Olha K-Max, não vou descutir com um cara que tem um intelecto inferior, e não sabe do que se trata, más uma coisa voce tem razão, ainda não sou médico, mas estudo e trabalho pra me graduar e tratar pessoas como vc e tantas outras, mesmo sendo chamado por ignorantes como vc de AÇOUGUEIRO!!!Só não se esqueça que um dia voce pode precisar de um AÇOUGUEIRO como voce mesmo disse, para salvar a vida de alguem da sua familia. Valeu!!

  122. Felipe says:

    Ao rodrigo:

    “Segundo: Se tem alguem que se ferra em faculdade é o estudante de medicina porque além de ralar que nem um condenado na faculdade dando plantões de 12-24 e até 48 horas pra adquirir experiência, atendendo todo o tipo de gente sem descriminação, diferente como ocorre em todos os outros cursos, que visam somente o dinheiro, temos ainda que ouvir uma opinião como a sua que com todo respeito é ignorante.”

    Sem discriminação? largue de ser cara-de-pau, seu parasita. Não venha romantizar a profissão de médico, pois sabemos mto bem como funciona os planos de saúde e o sistema de saúde pública. Então, além de adquirir um pouco de humildade, deveria aprender a escrever… ah, esqueci, ninguém entende as letras dos médicos mesmo, não precisa escrever certo. AH AH HA HAHa

  123. Anonymous says:

    @Rodrigo:
    “Hahaha Agora tem estudante de medicina sem senso de humor choramingando por causa do texto sobre tecnicas medievais. Eu mereco mesmo.” (Kid)

  124. Felipe says:

    Ah, e kid, post do caralho… ahah eu sempre leio, racho de rir. Devo começar a comentar mais, realmente é uma forma de incentivo por parte dos leitores.
    hahaha tô rachando de rir do açougueiro.

  125. Anonymous says:

    “Antes de postar um comentário neste blog, lembre-se de três coisas:

    1) Nem eu mesmo levo este site a sério. Não há então motivo pra você o levar.” (Kid)

  126. Anonymous says:

    Sentia falta dessas tretas nos comentários do blog, porém não existem mais tinas como as de antigamente :(.

  127. Anonymous says:

    @Rodrigo:
    Te apresento o sarcasmo, velho amigo do senso de humor, e namorado da ironia.

  128. Rodrigo says:

    hahaha ok galera, sou uma pessoa de muito bom humor e totalmente adepto ao sarcasmo, só tinha feito um comentario tentando esclarecer algumas coisas…. bom não vou responder mais pq estou saindo pra jogar bola abração pra todos ai… mto bom o site

  129. Anonymous says:

    @Rodrigo:
    DO IT FAGGOT.

  130. Felipe says:

    Jogar bola ou cortar carne??
    Ah, e qual a porcentagem de médicos viciados em morfina? ou morfina já é passado e surgiu outra droga mais hype?

  131. Junior says:

    A sangria tb é utilizada pela medicina moderna e convencional em casos como a hemocromatose, em que h´acumulo de ferro no organismo, e o unico modo de tira-lo e tirar sangue.

  132. K-Max says:

    Rodrigo, tira essa jaleco branco porque tu não é médico coisíssima nenhuma!

    Tá é açougueiro, ouviu? AÇOUGUEIRO!!!

  133. Bruno Magera says:

    Achei bem legal o texto cara, explico bem algumas técnicas que eu só ouvia falar mais tinha pouca informação a respeito.

  134. Mário Paulo says:

    Ok, resolvi comentar… Certo dia descobri o meio-bit, que me levou ao blog do Cardoso, que (contra)indicou o HBD. O primeiro artigo que li foi sobre o vaso sanitário. Ctrl+D! Seu blog não está entre os que visito diariamente por falta de atualização e por alguns artigos que servem claramente para encher linguiça e reduzir o intervalo entre os posts. No mais, acho seus textos legítimos interessantes e me divirto com algumas expressões “trepanadas” que só encontro aqui. Parabéns!

  135. Kid says:

    @Mário Paulo

    O Cardoso “contra-indicou” o HBD? Explica isso direito hahaha. O que ele falou?

  136. Adriano Zakk says:

    Cara!!!!

    há muito tempo não lia algo tão hilário e ao mesmo tempo tão instrutivo.

    Parabéns !

  137. Felipe says:

    Ótimo texto!!!
    engraçado, interessante e veio de encontro a tudo o que penso desses tais “doutores”…
    parabéns!

  138. Mingau_di_Mixirica says:

    quem sente o cheiro de nostalgia que acompanha um texto desses??

  139. Ótimo post!

    Todos esses absurdos não foram riscados dos livros médicos. Apenas evoluíram.

    Um bom exemplo é o piloto de Stock Car Light que foi mostrado na Globo: André Bragantini Jr

    http://ultimosegundo.ig.com.br/paginas/grandepremio/materias/480001-480500/480318/480318_1.html

    O cara fica acordado enquanto os caras ficam la cutucando o purê…

  140. Matheus says:

    Sou um leitor voyeur. Confesso que nao li todo.

    Pulei da parte do pescoço da tua namorada pra sangria e lobotomia.

    Achei bem interessante, tu escreve legal.

  141. K-Max says:

    Rodrigo, eu não preciso de médico. Deixo tudo na mão de deus. 😀

  142. algumacoisaqq says:

    Pois é guri, muito bom o post por sinal. Sei lá, toda a parte de pesquisa extra foi um pouco mais divertido do que ver você comentando sobre inúmeros gadgets que eu nunca vou comprar (aliás, o único que eu me arrisquei foi um palm e eu ainda fico pensando se valeu a pena… isso que eu ainda tenho planos de tentar programar pra parada. Ops, pelo jeito já estou fugindo massa do assunto… onde é que eu estava mesmo?). Então: menos posts de gadgets e mais posts sobre qualquer coisa, é minha humilde opinião. Não que os posts de gadgets sejam ruins… ah, você me entendeu, não?

    Isso aí guri, se vc me dá licença, vou agora voltar para o meu esconderijozinho de voyeur…
    Um abraço!

  143. algumacoisaqq says:

    Então, eu vinha só comentar e tal, daí vi os comentários depois… e tal.
    Enfim, como estudante de medicina, eu tenho que dizer que fiquei meio envergonhado pelo nosso amigo Rodrigo ter todo um trabalho de esclarecer que hoje em dia a medicina está bem diferente do que as técnicas que o Kid comentou… mas parece que um outro sujeito já fez o favor de apresentá-lo ao nosso amigo sarcasmo, então acho que tá tudo certo.
    Mas pô, também é foda escutar que o sistema público e o sistema de saúde estão fudidos porque a classe médica é um bando de parasitas. Não que eu morra de amores pelos futuros colegas mas… sei lá, será que eu vou mesmo precisar perder meu tempo debatendo isso? Bah, deixe quieto…

  144. Aristóteles says:

    E aew kid!! gostei muito do jeito q vc escreve mas tb sou estudante de medicina e por isso gostaria de fazer uma ressalvas, mas nao como o meu colega rodrigo fez rsrs. Acho pela forma q vc escreveu é como se todo o conhecimento medico fosse so pra trazer males ao mundo… claro q nao vou colocar aqui todas aquelas coisas romanticas q se fala sobre medicina, mas mesmo assim a conclusao q vc tira no final do seu texto é de uma visao de uma pessoa q SÓ olhou o passado da medicina sem levar em consideração o q se tem de mais novo nesse ramo…
    De fato, pode ser q daqui a alguns anos nós mesmos medicos estajamos rindo de procedimentos atuais como agora nós rimos da idade media (ninguem agora vai querer dá a luz a um filho em casa ou esperar q a dor de cabeça passe pra nao ter q tomar um remedio q o medico receitou). Não q a medicina nao seja um ramo do conhecimento sujeito a falhas- é tao tal q vi esse link numa comunidade de medicina do orkut-mas ela tenta se aperfeiçoar, e isso, muitos aqui estao se esquecendo.
    Só espero q no final das contas vcs consigam diferenciar ironia de humor negro, o q muitos aqui ñ estao fazendo
    Abração a todos

  145. Kid says:

    Aristóteles, TODOS NÓS SABEMOS DISSO. Ninguém vai realmente parar de visitar médicos e apelar pra curandeiros, como um visitantes falou ironicamente.

    O texto é humorístico, e apenas isso. Não acredito que é tão difícil de entender isso.

  146. Aristóteles says:

    de fato o texto é muito hilario e humoristico (adorei aquela parte do totó agressivo rsrs), mas eu resolvi postar aqui pq tem muito gente q nao sabe levar aquilo com humor e acha q tudo aquilo é verdadeiro no sentido de q nao se vale a pena acreditar na ciencia…
    Só q é chato vc ouvir, ou melhor, ler alguem descendo o pau na coisa q vc vai fazer pro resto da sua vida rsrsrs

  147. Kid says:

    Mas eu não tou descendo o pau, porra.

    É UM TEXTO HUMORÍSTICO. EU NÃO ESTOU RIDICULARIZANDO A PROFISSÃO MÉDICA.

    Estou apenas arrancando uns sorrisos com descrições cômicas de técnicas medievais violentas.

    Pelo amor de deus :/

  148. Dan says:

    Noss ..que galerinha mais séria ..

    Kra ..tem neguinho que implica MESMO com textos humorísticos hein? ..da até raiva de ver, ninguém parece que sabe levar na brincadeira! ..

    Fla sério pessoal, e eu to me dirigindo a vocês médicos que leram este post sim! ..

    Kra, o Kid zoa de SI MESMO ..pq ele não pode zoar a profissão de vocês como ele zoa com muitas outras coisas por ai? ..será que vcs não tem senso de humor não?

    Aristóteles ..quer apostar que vocês não tem senso de humor? ..eu tenho CERTEZA que la na comunidade de medicina que você viu o link para este post, estavam metendo o pau no mesmo! ..me diga se estou enganado?

    Fala sério ..pelo que eu saiba estamos em uma era onde a livre expressão é um DIREITO e QUALQUER UM pode expressar sua opinião (sendo ela verdadeira ou SOMENTE UM TEXTO HUMORÍSTICO) sem temer retaliações ..

    Fala sério ..esse tipo de atitude que revolta ..se não tem senso de humor simplesmente não leia ..e se mesmo assim leu, NÃO COMENTE se for pra retaliar Srs!

    Lamentável ver essas coisas viu ..eu me sinto em uma ditadura vendo isso! .. 🙁

  149. Fernando says:

    muito bom mesmo o blog.
    achei numa comunidade de estudantes de medicina do orkut e já adicionei nos favoritos..
    parabéns..

  150. Aristóteles says:

    Caralho cara!!! o pessoal pega ar muito rapido…
    Num era minha intenção começar uma discussao sobre os rumos certos da medicina nao!!
    É tao tal q acho q vô ate usar esse texto no meu seminario de Iniciação às Praticas da Saúde (claro q com os devidoscreditos ki rsrs). Muitas coisas q vc colocou aqui eu so sabia por alto e achei interessante como vc abordou.
    Eu so tava falando de certas frases q p/ os outros é super engraçado mas para nós meio q incomoda.
    E Dan…fala serio digo eu!! DITADURA, CENSURA..tu viajou legal viu, ou melhor, fez uma jornada nas estrelas rsrs. O Kid tem todo o direito de falar sobre o q ele quiser, quem sou eu p/ impedir?? Eu so tava exercendo meu direito de democracia de expor minhas ideias, e isso, passa é longe daquilo q foi o regime militar.
    La na comunidade, p/ vc ter ideia, tem ate gente, q como eu, vai usar esse link em algum seminario, pode verificarhttp://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=49019&tid=2594382343838065362&start=1
    Ñ achei q minha opiniao fosse desencadear essa reação rsrs.
    De qq forma, desculpem se eu fui grosseiro em algum momento…acalmem os animos rsrs. Abração a todos

  151. Kid says:

    @Aristóteles

    Pode usar à vontade dotô. Contato que dê os créditos (talvez o link), eu é que te agradeço por divulgar o texto.

  152. Fabio says:

    Há alguns anos, não mais que 4, assisti, se não me engano foi no Grobo Reporti, que na África ainda existe algumas tribos que praticam a trepanação. Dizem que cura frieira, espinha, bicho-de-pé, insônia, unha encravada, dente do siso e até reconstitui a virgindade de qualquer parte do seu corpo. rsrsrsrs

  153. Gam says:

    Caraca, ele teve tanto trabalho pra ganhar 110 dólares =O

    Tá, parei…

  154. joão ricardo says:

    curto pra carai no humor dos textos, mas fico pensando qual parte é brincadeira e o que é verade ieuheihue
    historia foda essa dai.. :S

  155. Fabi says:

    Ahh… eu estou comentando porque vc pediu!
    Sim, está ótimo. Estou gostando desse novo formato: histórinha da sua vida, fluxo de consciência e um relatório científico sobre… o fluxo de consciência. [:?]
    Fazia tempo que eu não vinha. Mas depois desses posts vou voltar… gostei muito “dos pilantras” também!

    Humildade sempre, Kid!

  156. Cyanide (Thiago) says:

    Então..meu primeiro comentário aqui..

    Achei muito interessante o “negócio”..primeiro vou falar do post né..depois falo do site em geral..

    O post ficou muito bom..me fez dar muita risada (e olha que eu li o FAQ depois de ter lido o post..)..me fez pensar muito em quanto devo confiar em médicos o_o’..bom..na verdade eu nunca confiei muito..sei lá..

    Quanto ao site em geral..achei incrível o quão criativo ficou tudo o_o’ sim, ainda continua sendo um ‘blog’ em que você conta o seu dia-a-dia e mesmo assim ainda tem uma temática muito interessante..achei muito legal o sentido de tudo..pra que fins você usa o blog e a proximidade com o pessoal que comenta..

    Bom..já to falando demais..sem mais delongas..

    Parabéns, ficou ótimo, vou continuar lendo umas coisas, e eu voltarei (?)..

  157. Chrys says:

    É a primeira vez que estou lendo seu blog. Bom, ri bem mais de uma vez, então, valeu à pena, né? Fiquei impressionada com o tamanho do post e com a sua capacidade de me manter interessada até o final. Você é bom, cara! Minha irmã é médica, vou indicar seu post pra ela (a Suzi não usa usa sanguessugas, não faz trepanação, sangria ou lobotomia, por isso dá pra confiar- pelo menos não matou ninguém até agora). Bom fim de semana!

  158. Vinícius says:

    Eu assino o feed. Aí dá preguiça de comentar.

  159. Passy says:

    ola cara
    interessante teu artigo
    so quero acrescentar que as sangue-sugas continuam a ser usadas até hoje, justamente na cirurgia reconstrutora, quando um retalho nào tem retorno venoso suficiente
    Entào, para que ele nào morra, faz-se a drenagem venosa retirando sangue do mesmo por uso de sangue-sugas, que sào cultivadas em laboratorio, assepticas, fornecidas a pedido
    mas so existem nos States…

  160. Banana says:

    To fazendo faculdade de Medicina e esse post foi muito inspirador! AhuHAUhuAuHAUhUAHA *_____*

  161. buneko says:

    muito bom ;x

  162. Thiago says:

    A desconfiança posta em questão por você é válida e lógica, mas se não confiarmos nele em quem confiaremos… ?

    Melhor confiar num médico do que em nós mesmos né?

  163. Thiago says:

    PS. Sou estudante de medicina

  164. Eduardo says:

    haha
    muito bom, ri muito

  165. jo@o says:

    ainda bem que eu quebrei minha perna a 3 anos atras KKkkk XD!!!! OBS e mesmo assim eles me deixaran manco ERRO MEDICO!!! MERDA !!!

  166. breno says:

    parabéns pela reportagem
    eh a primeira vez q entro no seu site
    eu nem pensava em comenta nada
    mais eu li a sua nota no final da pagina
    achei mto interessante =D

  167. Wellingthon says:

    Pior é chegar hoje em dia em um consultório com Sinusite,,, MORRENDO de dor de cabeça…
    E a médica recomendar que você pare de tomar o remédio pra dor de cabeça…
    Que ao contrário, passe a ANOTAR os horários em que a dor de cabeça aparece…

    Ser médico é ser genial…
    hahahaha

  168. Wellingthon says:

    “A desconfiança posta em questão por você é válida e lógica, mas se não confiarmos nele em quem confiaremos… ?”

    Eu acho que os curandeiros sabiam mais.

    Médicos são Humanos… são pessoas…
    Num dia pode engessar a perna do colega ali e fazer ela ficar em V, num outro fazer ela ficar certinha…
    Basta a esposa do doutor dormir de calça ou a enfermeira nova dar uma piscadinha e pronto… Lá se vai seu futebolzinho no FDS…

    É bom ir ao médico, consulta-lo…
    CONFIAR neles? de forma alguma…
    Se for apenas um então? NEEEM PODENDO…

    Se por acaso algum médico me falar que eu tenho que operar por causa da sinusite vou dizer:
    Sorry… O tylenol tá fazendo mais doq vc… DE JEITO NENHUM vou meter uma broca pra furar a tal da cavidade nasal igual a um queijo…

  169. lucas says:

    gostei muito do conteúdo! tenho lido vários sites no meu tempo livre no estágio, e esse foi um dos que mais me prendeu a atenção!
    parabens!

  170. Chico Rios says:

    Cara, até que enfim achei alguém que pensa isso!!!!
    Sempre que me entopem de remédios eu fico pensando se isso tá mesmo certo. Eu já tive discussões sadias (felizmente, ainda não cheguei ao ponto de bater boca deliberadamente) com várias pessoas, alegando que várias coisas que eram consideradas medicinalmente normais antigamente hoje em dia são vistas como absurdos. Vou favoritar esse post para agora ter um subsídio nas discussões futuras.

  171. Kiratz says:

    A sangria é utilizada ainda hoje por tribos matogrossenses como passagem para a vida adulda.

  172. Maleenha says:

    Mas sua namorada realmente machucou o pescoço ou não?:P
    mas ficou massa o texto Kid, HDB tbm é cultura e eu aprovo em 100% texto desse tipo, que tragam alguma informação ou curiosidade que complemente um pouco mais o nosso dia. Grande Abraço!

  173. Nailson says:

    Aqui no Tocantins (Fim de Mundo), o povo tem eh medo de médico. pra ter ideia, na Federal daqui(UFT), inclusive onde trabalho.O pessoal tá jogando dinheiro a rodo no curso de medicina, os melhores computadores, as melhores salas e tudo de bom vai pra medicina. ateh pq eh pra não formar açougueiro!

  174. Lucas Nascimento says:

    Interessante o texto, o único método dentre esses que eu conhecia era a lobotomia! Descobri o HBD esses dias através desse site http://snes-classics.blogspot.com/ e to lendo direto os textos dessa porra! e foi o seu pequeno apelo no fim desse texto que me motivou a sair da sombra e deixar meu comentário à luz do sol!
    Bom trabalho com o blog!abraço!

  175. Ahá, todo mundo desliza. Sr. Kid é um kibador descarado, vejão de onde ele tirou seu último post: http://tinyurl.com/64g4xf

  176. Flávio says:

    posso botar foto se eu me cadastrar?

  177. Z! says:

    Por essa e outras que nunca vou ao médico e sou saudável como um cavalo

  178. Adam says:

    Eu confio nos medicos.

    =D

  179. Rebecca Agra says:

    Eu não confio em médicos, morro de medo deles!
    Aff!

    Mas… E sua namorada? Sobreviveu?

  180. Arthur A. says:

    Muitas vezes eu leio aqui e nunca comento pq estou fazendo alguma outra coisa que me toma atenção ou pq eu não tenho muito a comentar.
    Enfim, seu blog é muito legal e confirma muita coisa que eu penso sobre o Canadá.

    Ah, eu confio em médicos, mas só se eles tiverem de acordo com o que eu penso. Hehehe

  181. iae BRODER!
    Caraca,rí de mais com este texto! Realmente foda!Conheci seu blog recentemente e pelo visto tem muita coisa pra mim ler aqui..hehe!Belo trabalho aqui heim,Abraço! Continue assim 🙂

  182. Juliano says:

    Ótima pesquisa por motivos como esse que quase não vou ao médico!

  183. Me says:

    Rodrigo, sério cara, cala a boca! Escreva direito:
    -“Pesquizas” não existe, o que há são pesquisas com S.
    -Descriminar é a ação de tornar algo um “não-crime”. Algo que antes era crime não mais seria. A palavra certa é discriminar com I.
    -Outro, “más” são pessoas que não são boas, tem uma personalidade malvada.
    Nem sei para que escrever isso, o comentário do Rodrigo mostra como ninguém precisa estudar muito para ser médico, digo, açougueiro e cortar carne.
    …Pena…

  184. Oi Izzy. Gostei muito do texto, mas na real só estou comentando em virtude de seu apelo final, que me suscitou uma dúvida: você realmente confere todo o feedback que recebe, tanto daqui quanto do Youtube? Me pareceria um tanto inviável, pela quantidade de conteúdo que posta e de espectadores que possui. Eu até entenderia melhor seu apelo se você fosse um blogueiro como eu, que quase não recebe comentários e tal. Um abraço!

  185. Leandro says:

    eu não sou o maior fã de leitura, mas não consigo parar de ler seus textos (seja ele novo ou beeeeem antigo). Ontem pela manhã abri seu livro pelo celular e não parei até termina-lo. Parabéns izzy, voce tem um talento e tanto!