Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Top 5 desejos infantis que eu consegui realizar

Postado em 10 December 2009 Escrito por Izzy Nobre 241 Comentários

Eu tenho apenas 25 anos e já abracei completamente as obrigações da Vida Adulta. Pro contexto canadense isso é completamente padrão mas no Brasil com essa idade eu provavelmente ainda estaria vivendo na aba dos pais e pulando de estágio em estágio, tentando arrumar aquele mítico “emprego de verdade”.

Antes de mais nada quero deixar registrado que por aqui também temos muitos losers desempregados de 25-30 anos parasitando papai e mamãe. Ou seja, não se estressem pensando que estou ufanizando o Canadá. Só quero dizer que por aí é mais complicado prum cara jovem ser 100% financeiramente independente; não há tantas oportunidades. Ok?

Então.  Tava pensando nessas de crescer e tomar um rumo na vida, que é uma realidade que todos nós da geração Thundercats/Pense Bem/Passa ou Repassa/álbum de figurinhas do Brasileirão/Super Nintendo/Xou da Xuxa estamos passando simultaneamente, quando fui atingido pelo pensamento de que uma das grandes certezas da vida, além da inevitável morte, é que a grande maioria dos nossos planos e aspirações pro futuro acabam não se concretizando.

É uma realidade inescapável que, por incompetência própria ou por fatores fora do nosso controle – e acho que todos nós podemos culpar ambos igualmente por alguns de nossos fracassos -, a maioria daquilo que a gente espera da vida acaba não dando certo.

Minha vida acadêmica no Brasil, por exemplo, foi uma completa perda de tempo. Eu planejava obter um diploma de Bacharelado de Física e me tornar um pesquisador na área, mas no fim das contas mal cheguei ao quarto semestre.

Eu não esperava que iria perder o interesse pela matéria e ir embora do Brasil antes de completar o curso. Ou seja, um plano que foi completamente por água abaixo, a despeito de todo o esforço e planejamento investido em ser aprovado em uma faculdade federal.

Idem com meu relacionamento com minha ex. Após 3 anos de namoro, ficamos noivos às vésperas da minha vinda ao Canadá, e eu planejava traze-la pra cá. Eu não teria como prever que menos de duas semanas após minha viagem ela já estaria me chifrando. Mais um plano que foi na descarga.

Esses são apenas dois exemplos, mas eu certamente não preciso te convencer da idéia que muito daquilo que a gente planeja acaba dando merda.  Tenho certeza que a essa altura você já está pensando nos seus próprios planos que foram por água abaixo por uma pisada na bola ou por acaso do destino. Guarde-os aí na cachola, porque quero que você os conte pra gente lá nos comentários.

Então. Eu tava nessa de avaliar minha breve existência e rindo de todos os planos – dos mais triviais aos mais importantes – que acabaram nunca saindo do papel ou, na pior das hipóteses, saindo completamente pela culatra. Todos os fracassos, todas as frustrações, todos os ansejos completamente inatingidos.

Aí me deu um estalo súbito. Uma realização que eu jamais havia tido antes na vida, e que me deixou tão feliz que eu abri um sorriso de orelha a orelha que ficou instalado na minha cara o dia inteiro.

Eu me tornei exatamente o adulto que eu queria ser quando era criança/adolescente.

Depois o choque inicial, quanto mais eu pensava nessa descoberta, mais eu me surpreendia por ter demorado tanto pra chegar a ela. Acompanhe abaixo esta listinha dos meus maiores desejos de infância e você entenderá por que passei o dia inteiro rindo.

Quando eu era moleque, o que eu mais queria era…

Ter um computador só pra mim

Meu pai sempre foi fissurado em tecnologia e por isso computadores eram tão comuns em nossa casa quanto televisores. Entretanto, ao contrário de uma televisão, nos anos 90 ninguém podia se dar ao luxo de ter mais de um Pentium 133mhz com 32mb de RAM em casa.

Por causa disso eu amarguei uma longa infância de uso limitado do computador e da internet. Meu pai dividia entre os membros da família os períodos de uso (nunca mais que 2 horas de cada vez pra cada um), e como eu já era viciado na internet desde então, era uma pura agonia.

Quando penso nas teorias relativísticas de dilatação do tempo, me lembro daquelas tardes nos fins de semana de pulso único. Minhas duas horas passavam em 3 minutos; as dos meus irmãos demoravam quatro séculos.

Observar meu irmão desenhando no Paint quanto eu poderia estar usando aquele tempo online (que era limitado a dois dias por semana, lembrem-se) pra invadir incautos com o Netbus e rindo do crime com os amigos no mIRC era de ferver o sangue.

E hoje eu tenho não apenas UM computador só pra mim, mas TRÊS – um desktop que comprei pra servir como Media Center, um netbook pra faculdade e pro trabalho, e mais recentemente um desktop pra uso “principal”.

Ter todos os consoles disponíveis no mercado

Você conhecia alguém que, durante a geração SNES, tinha todos os consoles do mercado? Não me refiro a ter apenas o SNES e o Mega Drive, esses felizardos eram poucos mas existiam. Tou me referindo a ter TODOS – Game Boy, Game Gear, Neo Geo, PC Engine, etc.

Isso era um sonho absolutamente inatingível. Nossos pais já não conseguiam entender a necessidade de comprar um console novo a cada 4 ou 5 anos (uma prática sem sentido quando eles comparavam com outros eletrônicos, como TVs ou videocassetes que duravam eternamente), que dirá então ter múltiplos consoles.

Pros nossos pais, ter um Mega Drive e um SNES plugados na sua televisão fazia tanto sentido quanto ter dois microondas, um do lado do outro.

Foi essa impossibilidade que deu início às clássicas console wars do nosso tempo de criança. Uma vez que você escolhia seu console – ou nos casos mais infelizes, quando seus pais escolhiam por você -, era uma decisão cravada em pedra.

Saber que você jamais seria dono do console concorrente provocava um forte sentimento de defesa do videogame escolhido, e isso perdura até hoje. No caso, eu tive a sorte de que meu pai escolheu comprar o mesmo console que eu já queria – um SNES.

Hoje eu tenho o privilégio de ter posse de todos os consoles disponíveis no mercado. Se eu pudesse viajar no tempo e dissesse pra mim mesmo quando criança que em 15 anos eu teria todos os consoles que quisesse, o eu do passado borraria as calças de emoção.

E pediria pra ser criogenizado pra não ter que esperar os 15 anos.

Ser conhecido por escrever

lulz

Optei pelo termo “conhecido” porque é o mais humilde, usar “famoso” no mesmo contexto ia soar muito iludido e presunçoso.

Quando eu era criança – e isso é algo que explico no prólogo do meu livro (sim, estou escrevendo um livro) -, eu sonhava em ser um autor famoso. Lendo meus autores favoritos (Michael Crichton e Monteiro Lobato), eu imaginava quão FODA seria se um dia, pessoas que eu nem sei que existem conhecessem meu nome por causa do que eu escrevo.

Quando entrei em contato com blogs em 2001 ou 2002 e vi outros caras da minha idade que postavam na internet histórias sobre seu dia a dia com pitadas de humor, e vi que eles arrebanhavam uma verdadeira legião de seguidores por causa isso, meus olhos brilharam.

Entre os grandes nomes da blogagem Velha Guarda estavam os primos Rafael e Thiago Capanema, que recebiam algo em torno de 40 ou 50 comentários por post. Na época a esfera blogueira não era tão bem estruturada como é hoje, número de comentários eram nosso único medidor de importância virtual.

E 50 comentários era coisa pra caralho. Os primos Capanema eram SUPERSTARS aos meus olhos.

Comecei um blog diarinho ridículo naquela época, mais ridiculamente ainda entitulado “Casa dos Bloguistas”. Sim, eu senti vergonha de mim mesmo ao relembrar esse detalhe sórdido da minha “carreira” internética.

Não havia nada ali que alguém devesse ler, mas com o tempo eu passei a contar histórias que interessaram alguém, e essse alguém contou pra outra pessoa, e assim por diante. Dezenas de visitas diárias viraram centenas, que viraram milhares.

Hoje eu escrevo uma bobagem qualquer sobre meu dia a dia e uma centena de vocês deixa feedback aí nos comentários e linka pros amigos. Vez ou outra recebo um email de alguém que provavelmente jamais conhecerei dizendo que achou um texto do meu site legal e me parabenizando por isso.

E ainda mais surpreendemente ainda, hoje há pessoas que me pagam pra escrever.

Claro que é uma escala infinitamente menor que o sucesso do Lobato ou do Crichton, mas é algo que alegra meus dias.

Aliás, cabe mencionar aqui que eu leio CADA comentário postado. Não respondo por falta de disposição, mas pode ter total certeza de que seu feedback não passou batido.

Ter uma conexão constante à internet

Essa molecada de hoje que cresceu sem jamais ouvir o barulhinho de handshake de um modem dial-up é sortuda demais. Naqueles primórdios, usar a internet todo dia era um privilégio permitido apenas a funcionários de provedores de internet. Lembro que quando eu acessava o canal de IRC da minha cidade durante a semana, só encontrava lá aqueles dois ou três amigos que trabalhavam na Elo Internet.

(E aí está uma referência que só os leitores maranhenses entenderão)

Só podíamos acessar a internet na agenda do pulso único – ou seja, quando uma ligação telefônica não era tarifada de acordo com sua duração. E nisso veio aquela cultura de ficar acordado até meia noite pra jogar Quake com os amigos com lag de 50 segundos ou baixar jogos crackeados divididos em setecentos arquivos .ZIP e programando o GetRight pra desligar o PC às seis da manhã, que era a hora em que o pulso único acabava.

Eu tava tão acostumado a limitar meu vício internético aos fins de semana e madrugadas que nem conseguia imaginar como seria usar a internet todo dia, a qualquer momento.

E hoje eu não apenas tenho internet constante (até mesmo no meu celular, algo que na minha infância era uma invenção recente), mas de uma velocidade que eu jamais teria imaginado possível naquela época.

Com a conexão devagar e instável, pegar uma única música era uma tarefa que às vezes era parcelada ao longo de vários fins de semana. Baixar filmes, embora tecnicamente possível, era completamente impraticável. Baixar um único filme, um fim de semana de cada vez, poderia teoriamente demorar anos.

Hoje eu baixo um filme em menos tempo que demora pra achar o DVD na prateleira e colocar no aparelho. Isso é total e completamente DUFUTURO.

Poder trepar em casa sem medo de ser pego pelos meus pais

Lá pelos meus 14 ou 15 anos, arrumei minha primeira namoradinha que não se chocava quando minha mão boba explorava áreas femininas que eu só conhecia através do formato .jpg.

Eu achava que seria o fim do meu cabaço, mas eu havia esquecido de outra constante nessa equação – meus pais.

Venho de uma família extremamente religiosa e não preciso explicar pra vocês que meus pais provavelmente estavam pensando na mesma coisa que eu, porém sem compartilhar minha empolgação.

Meus coroas até estabeleceram a ordem – que eu vivia quebrando – de que era absolutamente inadmissível que eu e minha namoradinha nos encontrássemos na minha casa sem a supervisão deles.

E aí entra o MacGyverismo infantil.

O portão automático da nossa garagem demorava mais ou menos 20 segundos pra abrir completamente e permitir a entrada da Parati do meu pai. Com isso meus progenitores perdiam o elemento surpresa; eu e a minha namorada da época nos tornamos especialistas em nos vestir em tempo recorde.

Aquele rangido das engrenagens do portão era essencialmente um disparo de largada de corrida de 100 metros rasos. Sobrava tempo até pra abrir as janelas do quarto e ligar o ventilador pra secar o suor e expulsar do quarto aquele característico cheiro de sexo misturado com latex.

Hoje, dono do meu nariz e de um contrato que me dá permissão de morar em meu apartamento, posso fornicar com minha mulher em cima do fogão, se eu assim desejar.

Quero que você entenda o seguinte – estes não são objetivos finais pra vida de ninguém, e não estou me gabando por eles nem achando que sou completamente realizado por causa disso. Tudo que eu citei aí acima é algo que praticamente qualquer pessoa da nossa idade e degrau social tem.

Eu queria apenas tentar ilustrar pra você a conclusão a qual eu cheguei quando pensei nisso tudo – que às vezes você já atingiu certos objetivos que podem parecer triviais hoje, mas há alguns anos teriam te enchido de felicidade.

E é curioso pensar que aquilo que você almejava alguns anos atrás poderia um dia se tornar uma parte tão trivial da sua vida que você nem percebe que realizou desejos outrora impossíveis. Mudança de perspectiva é isso aí.

Como falei antes, nenhuma destas “conquistas” é algo realmente relevante e nem motivo de ostentação; tenho certeza que muitos de vocês já os alcançaram também. Não é nada pra se gabar.

É que eu não consigo parar de sorrir ao me imaginar voltando no tempo e contando pro Kid de 15 anos atrás que tudo que ele tanto queria seria não apenas conquistado, mas se tornaria tão lugar-comum que até passaria pra segundo plano e que novos objetivos tomariam seus lugares.

Moral da história? Todos nós temos algo hoje que, não tanto tempo atrás, nos fariam incrivelmente felizes. É uma euforia boba, mas perceber isso causa alegria de qualquer forma.

Tenho vários novos objetivos pro futuro, e sem dúvida uma boa parte deles eu não alcançarei. É uma inevitabilidade da vida.

Mas o raciocínio por trás deste texto é que há uma grande chance de que, daqui a dez anos, muita coisa que eu almejo hoje se torne parte fundamental da minha vida, a ponto de que eu nem perceba que atingi esses objetivos. E isso é o suficiente pra me fazer sorrir hoje.

Dê uma olhada aí em volta. O que você tem hoje que te faria MUITO feliz dez anos atrás?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Minha infância

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

241 Comentários \o/

  1. […] This post was mentioned on Twitter by izzynobre, Paulo H. Lacerda. Paulo H. Lacerda said: RT @izzynobre: Te farei sorrir hoje. Top 5 desejos infantis que eu consegui realizar http://tinyurl.com/yzfgykr (RT de consciência social) […]

  2. Luiz Felipe says:

    Bom texto!

    Faz depois um sobre a sua faculdade de Física e o que o motivou a sair.

  3. Sap says:

    Muito bom o texto

    O que eu tenho hoje que teria me feito feliz, é meu PC *-* e a autonomia para escolher as peças dele como eu quiser;
    Um saláriozinho no fim do mês (mesmo que seja de estágio já tá valendo mais que a mesada de 10R$ da vó^^)

  4. Edu says:

    Triste admitir isso, mas pouca coisa mudou de 10 anos pra cá. Abri mão de realizar muitas coisas por um comodismo fenomenal que toma conta de mim, e acaba que minha vida foi passando e não realizei nada… Enfim, ótimo texto, se me permite, vou fazer um post similar.

  5. Sisi says:

    Gostei do post pra caramba
    Ah 10 anos atrás eu tinha 6 anos, pra mim mecher no pc era soh sabado de manhã entre as 7 e as 9 e era sinonimos de brincar no paint e ter um bichinho virtual no site da turma da monica

  6. Ajax says:

    Muito bom o post, esse da internet eu me lembro muito bem, sábado depois das 2 da tarde e domingo o dia inteiro. Fora a agonia pra baixar uma música e jogar aqueles joguinhos toscos em flash no Fliperama 😛

  7. Tota says:

    Cara, demais. Eu não alcancei tudo que queria quando era guri, mas eu já parei pra pensar dessa maneira e pensei “CARALHO, como eu tenho sorte”, mas acho que não é sorte não cara. Quando o cara descobre que é dono do próprio nariz, a coisa muda. E olha que eu ainda moro com a minha mãe, pra poder gastar grana com outras bobagens.

    Mas tem uma coisa que, como todo bom gordo, eu me “orgulho”: agora, eu posso fazer sanduíches de bacon a hora que quiser, sem ninguém falar nada nem precisar me esconder. =D

  8. ricardo silva says:

    o próprio fato de ter uma xoxota que não é feita de poliéster já é uma vitória pra mim, que achava aos 16 anos que ia ser forevermente cabaço. vida é triste

  9. Rafael says:

    HAHAHAHAHAH
    Barulho de conexão de modem dial-up era música!! E melhor que isso, era ouvir o barulho do ICQ conectando! ^^

  10. Francisco says:

    fala da faculdade, eu também desisti do bacharelado, mas foi no segundo semestre… hoje estou vivendo uma vida completamente diferente.

  11. Enigmagico says:

    Eu dei muita risada com o lance de se vestir em tempo recorde. Eu era mestre nisso quando morava com meus pais, e no quesito camuflagem + hide and seek eu tinha uma habilidade maestral.

    Na época eu chegava a ficar em dúvida se seguia carreira artística ou de camareiro, já que u arrumava a cama em tempo recorde…haha.

    Mudar perspectivas pra melhor é maravilhoso, e estimulante quando se diminui a escala de 10~ anos pra 1, ou meio. É empolgante 😀

  12. @luiztd says:

    Modem dial-up era tenso! Eu nos meus oito anos de idade ficava 2 horas tentando conectar e mais 2 esperando um jogo carregar no site do Cartoon Network. HAHAHAH

  13. Lendo o texto ainda, mas algo me chamou a atenção…

    “Carvada em pedra” não existe. Coloque aí “entalhada em pedra” ou, ainda melhor, “lavrada em pedra”.

    E agora, continuando…

  14. leitor vouyer says:

    Excelente texto.

    Deixou-me a imaginar o que me aguarda pros próximos 10 anos…

  15. Fabiane says:

    Sabe uma coisa que eu sonhava em ser quando criança, mas que hoje me dá tremendo desgosto por ter realizado? Ser ilustradora.

  16. Hahah essa coisa do som do portão da garagem foi foda hehehe

    Acho q todo mundo tinha um warning sound desses… O meu era a tosse de fumante da minha mãe (se aproximando)no corredor do prédio… Ah.. bons tempos…

  17. Lunneth says:

    Huahuahua, lembro muito bem quando tinha uns 10 anos que eu queria mais que tudo um gameboy color, até sonhava com aquela budega. Hoje tenho vários portáteis, além do ds e do psp.

    Espero que os planos que tenho hoje assim como os do passado não soh se realizem como venham mto mais fodas do que eu imaginava XD

  18. Marcio says:

    Muito bom o texto.
    Pena eu não ter nada pra compartilhar =(

  19. SamuelBriito says:

    cara, eu realmente achei interessante essa ‘mudança de perspectiva’, quanto a parte de que nem tudo que organizamos na infância será realizado no futuro achei um bom “toque” de realidade, queria dizer que comecei a acompanhar seu blog e suas transmissões à uns 3 dias, e já te considero um bom exemplo de vida.. então, parabéns cara õ//

  20. Fábio Léda says:

    Caralho, baixar um filme de 800MB em 5min? #INVEJA forte da sua conexão… hahaha
    Mas pra quem usou durante muito tempo (e na casa dos outros) conexão discada, ter 800KB hoje é uma conquista. =P
    E falando em consoles, me lembro de uma grande frustração na minha vida: assim como pra 99,9% dos moleques da nossa geração, o sonho era ter um SNES. Só que infelizmente, meu pai devia achar que videogame era tudo a mesma coisa, logo comprar o mais barato daria no mesmo, enganaria o filhote e ainda sairia economizando. Resultado: me deu um Master System (mas me diverti muito com ele, apesar de continuar sonhando com o SNES).
    Com certeza, algumas coisas que tenho hoje me fariam extremamente feliz há 10 anos. E se não fosse a alta carga de impostos do nosso querido país, eu hoje poderia estar muito mais feliz com um Iphone (ou N97) e um Mac. =P
    Parabéns por mais um texto, Izzy. Minha atenção realmente fica presa lendo eles e garantindo minutos de ociosidade no meu trabalho. Abraço!

  21. Raph4 says:

    Por ter saído de casa cedo e arriscado, hoje eu me fodo um pouco, mas realizei mais do que esperava e me sinto sim realizado em alguns tópicos da vida. Muito legal esse tipo de constatação, já me peguei pensando mesmo..

    Passando rapidão, depois se lembra eu pulo aqui de novo e comento alguns pontos pessoais ;P

    Abs.

  22. DocFHDB says:

    Belo texto Kid! Ele me fez pensar: oq eu tenho hj que deixaria meu eu do passado sem palavras é “conhecimento”. E aí entra desde o conhecimento acadêmico até as experiências de vida mesmo. E tb saber que eu faço uma coisa q adoro, e não sou um empregado/funcionário frustrado por ficar num escritório o dia todo imaginando como teria sido divertido fugir com o circo.
    Mais uma vez, adorei o texto. Abs.

  23. Raph4 says:

    *”se eu lembrar”, acabei de te corrigir no português e como letra 🙁

  24. E, agora que eu já fui uma mala sem alça, o comentário oficial…

    Desses cinco, até agora só consegui um, e infelizmente foi o próprio computador. Se bem que, depois de 14 anos de computação compartilhada, faz uma bela diferença.

    Não vou me lembrar dos meus sonhos de infância exatamente(ou da minha infância, pra ser sincero), mas quando eu finalmente me vi comprando meu próprio console, com meu prório dinheiro, eu percebi que alguma coisa tinha mudado na minha vida.

    No mais, post fino, divertido e etcéteras de costume. E também não tenho saudades da conexão discada. =P

  25. Pierre says:

    Eu queria praticamente as mesmas coisas que você:

    1- Ter um computador só pra mim.
    4 anos atrás esse era um sonho quase impossível para mim. Hoje eu tenho 4 computadores.

    2- Ter algum console.

    10 anos atrás, quando eu sofria por não poder jogar no console do meu irmão, esse era um sonho grande.
    Bem, hoje eu tenho um portáil e nem mesmo tenho interesse em comprar outro console.

    3 -- Ser conhecido por escrever.

    Tive um recorde de uns 18 comentários no meu blog, mas que na verdade fica com a média de 0~3 comentários. Não é grande coisa, mas as vezes encontro amigos que não vejo a anos e eles dissem coisas como “cara. Eu nunca comento, mas eu adoro teu blog”.

    4 -- Ter uma conexão constante à internet.

    Err.. Isso ainda é sonho pra mim. Morar no interior é dose.

    5 -- Poder trepar em casa sem medo de ser pego pelos meus pais.

    21 anos e nunca peguei ninguém. Ser pego por meus pais está longe de ser o problema principal.

  26. Robson says:

    Cara, isso tudo que você comentou no post, foi resumido em uma frase do filme “Click” onde o cara que da o controle para o Adan Sandler diz: O leprechau, sempre está em busca do pote de ouro, e quando ele finalmente chega-la, são apenas cereais.

    Eu acho que realmente temos que dar valor ao processo da conquista, pois a conquista de fato não acho que seja tudo isso, pois eu também queria um computador só para mim, mas com detalhe, que fosse FODA, pra poder jogar. Hoje o tenho e nem jogo tanto assim hehe, querer ele e batalhar para pagar por ele foi a parte mais divertida talvez. Entendo perfeitamente seu post. Ainda não tenho todos os consoles hehe, pois no Brasil não é tãoooo facil.

    flw

    O trecho do filme: rel="nofollow">

  27. Henrique says:

    Cacete, cara! Muito bom esse texto, a essência dele foi meio diferente do que a gente encontra aqui no blog, o que é bom, de vez em quando.

    E pensar que eu fico satisfeito quando vejo que o meu torrent tá sendo baixado a 117kb/s.

  28. Robson says:

    Ah um detalhe bem legal das conquistas que esqueci de comentar, no forum do imasters (Para programacao e webdesign em geral) eu tinha na assinatura “Futuro Programador” e parei de mexer no site por uns 2 ou 3 anos, hoje sou programador e vi lá o exemplo do que queria e a conquista realizada.

    Falow !

  29. MuriloJacoby says:

    Bosta…q inveja da velocidade da sua internet! kkkkkão
    Compartilhando coisas q eu sonhava ter e hj nem dou tanto valor: ter uma cama de casal do quarto (infelizmente ainda moro com meus pais)
    Ser concursado e pagar todas as minhas contas (menos aluguel)
    Ter meu próprio notebook e tv a cabo no meu quarto! hehehe
    abração e excelente texto!

  30. Rafael says:

    Faço Computação, 5º período, e tá começando a ficar tenso, estuda bastante, ainda que de pra sair em igual proporção ainda.
    Agora, fazer física deve ser trampo desde o começo! ;/

  31. Adriano says:

    Excepcional o texto. Nunca havia parado para pensar sobre estas coisas e lendo o texto percebi quantos objetivos/desejos consegui alcançar e que já são suficientes o bastante para me fazer sorrir. Por vezes, reclamo e desanimo facilmente e lembrar destas conquistas é um ótimo antídoto. Também é importante ter essa consciência de que nem tudo aquilo que desejamos, alcançaremos. O importante é conseguir sentir felicidade e satisfação pelas conquistas alcançadas.

    Está de parabéns pelo texto.

  32. Reis says:

    DU -- CA -- RA -- LHO…

    Valeu Kid.

    Cara, o que eu mais queria há dez anos era a independência financeira. Só não o consegui como me possibilitou conquistar sonhos comuns: um apartamento, um carro e viajar muito.

    Mais uma vez, RI D+… ainda mais por ter feito parte da nossa breve e “triste” histórias infantis. Ainda lembro da Parati do seu pai, da sua casa, etc…

    Abraço.

  33. Pedro says:

    Muito bom o texto.. haha, eu lembro que quando ganhei meu primeiro PC, ele não tinha internet, e a minha única diversão nele era um jogo chamado ‘Dark Colony’.. então eu nem passava muito tempo em frente ao computador, preferia jogar bola com os amigos. Acho que 10 meses depois eu consegui colocar uma internet em casa.. não era muito rápida, devia ter 600kbps de conexão, mas dava pro gasto, depois disso eu já estava com o PC que estou hoje e com 10mb de internet, e isso foi o suficiente pra me manter grudado no PC.

  34. cwalewsky says:

    Eu também tive a clássica infância dos anos 80-90, mas com toda a diversão limitada por tempo. Minha mãe só deixava jogar meu SNES uma hora por dia, brincar com os amigos na rua, apenas das 6 as 8 da noite. Quando minha mãe comprou nosso primeiro computador e eu comecei a usar internet, minha diversão ficou ainda mais limitada. Nunca pude deixar o PC no meu quarto e era obrigado a ir dormir na hora que meus pais queriam, eu só poderia usar a internet no domingo, isso era muito foda, pq nessa época eu estava viciado em jogar Diablo 2 e Age com meus amigos do mirc. Hoje eu tenho meu próprio computador e tenho acesso livre à internet em casa, no trabalho e na faculdade. Posso jogar vídeo game o dia que quiser a hora que quiser isso foi um sonho realizado. Ainda moro com meus pais, mas já estou pagando um apartamento com minha noiva e logo logo não vou mais precisar me preocupar com barulhos que servem como alarme quando tiver namorando. Isso era impossível imaginar isso há uns 10 anos atrás.

  35. F@bio says:

    Kid tu esqueceu de mensionar o dia mais mitico do ano para quem só podia acessar a net depois da meia noite…..
    “a entrada do horario de inverno” quando se ganhava uma hora a mais para ficar na internet…

  36. romrocha says:

    hahaha muito boa kid!! me encontro exatamente no mesmo ponto q vc.. muito bom refletir na forma q vc falou!!! E outra aqui no Brasil tá cheio de oportunidades, basta correr atrás!! Hoje tenho tudo q sonhei qnd tinha 15 anos!!! Tenho 1 PC top e vou adquirir um notebook qnd iniciar a pós graduação, trabalho com o q imaginava, sou respeitado no trabalho, ganho uma bela grana para alguém q tem minha idade, e tenho os 3 consoles da atual geração, o DS eu tinha mas vendi… e tenho meu Iphone 32gb!!! Viajo para o exterior nas férias todos os anos. Só ainda moro com meus pais, mas é opção minha, porém agora adquirimos uma casa q eu tenho meu quarto c suíte, posso trancar a porta, tv42″, cama de casal box, ar-condicionado split, TUDO com controle remoto!! além do meu carro é claro! =D ehhehe tudo q eu sempre sonhei, conforto e privacidade em tudo!!! =D E olha q só tenho 24 anos!!!
    Also, me dá atenção no twitter cassete, falo contigo e vc simplesmente ignora!!! @romrocha

  37. GCDA says:

    muito bom o texto e, pensando bem, muita coisa eu ja consegui realizar.. mesmo não tendo a autonomia necessaria… hehehe

    boa leitura pra mostrar pra gente que antes de olhar pro futuro… a gente tem que olhar pro passado e ver o que ja conquistamos….

    quem sabe mais pra frente não escrevo sobre isso no meu tumblr

    falows

  38. Yamamoto says:

    é…

    Realmente é um assunto legal para refletir, relembrar…

    No meu caso, vivi também uma curta época de internets discada… longas madrugadas em claro baixando Evangelion(3 horas de espera para cada episódio, quando não caia no meio do nada :fuuck:), jogando Gunbound e outras coisas triviais…

    E hoje também tenho 1 pc , internet constânte e todos os jogos que jamais poderia sonhar na época do SNES, com o advento dos emuladores.

  39. Você vai se matar?

    LEILA LOPES FEELINGS.

  40. Ivo Foggaça says:

    Dias atrás vc já falava sobre isso no twitter, e naquela oportunidade eu já me peguei pensando no “Morcego” (apelido de adolescência, motivado pelos hábitos noctívagos e internetícios) e notei que eu tinha QUASE que exatamente os mesmos sonhos, mas eu ainda não realizei todos, como você.

    Ainda moro como meus pais, mas gozo de uma liberdade bacana. Sou concursado pela prefeitura de onde moro, tenho uma grana boa, uma namorada linda, inteligente e tão nerd quanto eu ( o/ ), e espero conquistar a liberdade plena por perto da sua idade (ainda conto com recém-feitos 22 anos).

    Assim como você, também me lasquei em planos de faculdade, já tranquei duas 🙁 estava cursando Direito, e parei no oitavo período, não aguentando mais… (acho que vou terminar um dia, é bom pra currículo) Agora vou começar algo relacionado à matemática que eu sempre amei. (BTW, passei no vestibular pra UFSC no curso de física também, mas preferi fazer engenharia em uma estadual ^^ ).

    Alguns sonhos já realizei. Um notebook foderoso+desktop punk. Um emprego massa (não pela grana, e sim que eu goste realmente de trabalhar), Uma namorada ao meu nível intelectual e ao meu gosto (coisa DIFICÍLIMA de encontrar, mulheres bonitas e inteligentes.[ah, e que não sejam travadas na cama, claro]) Ter independência financeira (por enquando é uma independência relativa, já que minha mãe continua comprando meus desodorantes e etc., mas não pedir dinheiro pra ir num motel já é UÓ!) e assim como você, também gostaria de ser reconhecido, mas de alguma forma qualquer, não sou lá dos melhores pra escrever, então não tive essa esperança de ser conhecido por escrever. Mas hoje sou reconhecido pelo movimento estudantil e pela política que participo. Minha faculdade conta com 13 mil alunos, e até que sou bem conhecido lá dentro, por causa do DCE e talz. Já é alguma coisa. Pra quem sempre foi travadíssimo pra falar em público e teve uma adolescência enclausurada nos confins do meu quarto, já tá bom. 🙂

    Ah, também sou um orgulhoso proprietário de um iPhone 3GS 32gb o/ e internet em qualquer lugar é realmente DUFUTURO. É IMPOSSÍVEL que a bateria dele dure um dia inteiro em minhas mãos, passo horas no twitter e tal 😀

    Enfim, pra mim tu é um herói o/ hauehuaehuahe conseguistes realmente conquistar uma vida adulta independente, e ainda realizando todos os sonhos de infância/adolescência ^^

    Parabéns Izzy o/

  41. Ótimo texto pra variar. 😀

    Passei por um período de acomodação muito grande nos últimos anos, por isso varias coisas que eu poderia ter realizado não se tornaram reais, ainda. O que acabou me levando a frustração com a faculdade, como você. Porem decidi que vou termina-la, ao menos pra ter uma renda fixa pra bancar outra faculdade que me agrade mais.

    Mas uma coisa tecnicamente simples da minha vida recente e que sempre foi um sonho de infância/adolescência é, além da independência para poder sair sempre que quiser, é poder fazer isso na posse de um veiculo automotor. Felizmente tenho um pai que não me impede de usar o seu carro, e também tenho uma moto que uso para ir pro trabalho e pra faculdade.

    E é engraçado também parar pra pensar que quando criança eu queria ser engenheiro civil ou arquiteto, e hoje, frustrado com a faculdade de analises de sistemas, é justamente esse o rumo profissional que pretendo tomar.

    Se tivesse acordado pra vida antes talvez hoje não me lamentasse por ter perdido 4 anos fazendo uma faculdade que não me agrada mais como eu imaginava.

    Também tinha o sonho de ter ao menos um console de última geração (passei por todas as ultimas gerações dos consoles com um mísero SNES surrado e muito valente). Se esse ano conseguir comprar um 360 mais um sonho de infância se realizará 😀

    Valeu Kid.

  42. Lucas Rudiero says:

    Caralho. Muito boa a postagem, man. É verdade, parando pra pensar, tanta coisa que eu tenho hoje e não dou tanta bola, se eu tivesse a 10 anos atrás, ou até menos, seria o cara mais feliz do mundo. HAHAHAHAHAHA. E sobre os fracassos que você fala no começo, esses dias tive que cancelar uma viagem que eu queria muito, e isso me deixa muito fudido.
    Parabéns, esse blog é do caralho mesmo, leio isso aqui diariamente, apesar de nem sempre ter a vergonha na cara e comentar. HAHAHAHA.

  43. Izzy demais esse seu texto! Parabéns!
    De fato é incrível como os objetivos alcançados/realizados se tornam tão ‘sem valor’ conforme o tempo passa!

  44. dashingdiner says:

    você está satisfeito sendo caixa de porn shop, já? acho complicado acreditar nessa dae

  45. Wat says:

    Felizmente posso dizer que compartilho de algum desses “sonhos” realizados. Tambem fui escravo de dial-up por um bom tempo, até que finalmente assinamos banda larga. Pra começar, a velocidade de 150kbps na época era coisa de outro mundo, e poder entrar na internet durante a semana então chegava a ser surreal. Levei um tempo para me acostumar que não precisava mais esperar fim de semana ou de madrugada pra entrar na internet.

    Porem, ainda tinha o problema do PC ser compartilhado. Durante o fim de semana, eram 4 pessoas usando o PC, incluindo 2 ‘heavy users’ (eu e minha irmã). Quando minha mãe começou a entrar na onda do orkut então ficou insuportável. Me indentifiquei quando você falou como seu tempo no computador passava em 3min enquanto o tempo que o seu irmão ficava pareciam séculos. Naquela época minha rotina consistia em ficar no computador, e esperar a minha vez de ficar no computador. 😛

    Felizmente a uns anos atrás consegui meu própio PC, e mais tarde foi comprado mais um note. Agora tem praticamente um PC por pessoa aqui em casa, e é bom que continue assim, me chamem de egoista ou que seja, mas não divido meu PC nem a pau! 😀

  46. Mico Angelo says:

    Mazaaaaa cara!!! Que DELÍCIA de texto. Lí cada parágrafo saboreando a tua felicidade em ter a vida que sonhou quando era guri.
    Eu fiz 2 anos de bacharelado em Física, mas acabei me irritando com os cálculos e acabei fazendo medicina. Hoje sou ortopedista e vou te dizer meu velho, sou LOUCO por coisas que muita gente chama de “besteiras”… iPhone, pc, boa internet, psp, etc… São coisas “simples” mas que assim como vc eu JAMAIS imaginei alcançar. Entendo demais essa tua felicidade.
    Bacana demais dividir isso com a galera. Sucesso Israel! Baita abraço!!

  47. Giordano Pachelli says:

    Fala Izzi, beleza?

    Começei acompanhar seu blog faz pouco tempo, desde sua participação no Nerdcast de imigrantes, e apartir dai virei grande admirador do seu blog… parabéns pelo seu trabalho e, porque não, pela sua vida, que é realmente do caralho!

    Cara, tenho que admitir que vivo na aba dos meus pais… e isso é uma realidade foda de ser mudada em terras tupiniquins, estou na luta para mudar essa realidade… tenho uma história de vida acadêmica parecida com a sua, durante um bom tempo pensei em casar com uma japa e ir morar no Japão, a meca dos videogames…

    Mas é isso ai chapa, continue com o seu exelente blog, invejo pra caramba sua coleção de airsofts, tenho uma bem mais modesta só que não consigo aumentar aqui no Brasil pq não vende mais…

    Grande Abraço
    Keep nice working!
    Guga

  48. Krishynan says:

    ASUHSAUHSAUHSAH
    Muito bom texto.
    Tão bom que resolvi postar esse comentário aqui,pra vc completar os 50 ! asuhsauhsushasauh

    Já ta no nivel dos caras lá hein :p

  49. Meu bom desempenho escolar e as palavras de minha família sempre me fizeram crer que seria uma pessoa super bem sucedida, ganhando rios de dinheiro. No entanto, em algum momento algo deu errado e agora trabalho num banco, contando dinheiro, ganhando pouco e recamando da vida (pelo menos ganho meu próprio dinheiro, já é um começo…)

  50. Raph4 says:

    Protesto!!!!onze/111
    Como assim você atualizou com pics para todos os itens menos o último? 🙁
    Bebbs NAU!

  51. Fernanda says:

    muito interessante essa mudança de perspectiva.. eu já tinha uma noção, mas não tinha parado pra analisar..
    ah! aquele barulhinho do conexão discada… eu querendo conectar de tarde e aquele barulho me denunciando hahaha
    realmente.. hj tenho banda larga razoável, tenho trabalho, faço faculdade -- um curso q eu jamais imaginaria fazer, durmo fora (inimaginável há uns 5 anos)..
    tenho uma liberdade mto grande mesmo morando com meus pais.. caraca! eu nem percebi que eu queria mto isso e hoje tenho..
    brigada izzy, alegrou meu dia!

  52. Francesco says:

    Cara, desde os meus 14 anos que almejo ser empresário.
    O mais interessante é que a minha família inteira tem aquela visão de arrumar um emprego público estável e de bom salário.
    Mas? Fazer o que, né? O caçula sempre chega pra fazer bagunça!

    Com 14 anos eu li “Pai Rico, Pai Pobre” que mudou completamente a minha visão sobre o trabalho.
    Eu lia sobre os assuntos relacionados e ia formando a minha visão sobre o tema.
    Hoje, com 21 anos, eu ainda não consegui abrir uma empresa, mas possuo vários projetos prontos e um deles está em fase de angariar financiamentos (R$ 120 mil, YAY!!!). Nesse contexto todo, o ponto mais importante que percebi foi, não o conhecimento, mas a visão e o modo de pensar que é totalmente diferente da classe média tradicional.
    Posso dizer, hoje, que tenho uma visão empresarial bem aguçada, percebo coisas do ponto de vista empreendedor, e como elas renderiam bons frutos caso fossem melhor investidas.
    Posso ainda não ter aberto uma empresa (aliás, até abri, mas fali a primeira vez com pouquíssimas perdas), mas sei que chego lá.

    O engraçado é que tive a mesma epifania que tu faz meses, quando me peguei pensando sobre a diferença do meu pensamento pro pensamento “proletário” tradicional. E nessa divagação, fui indo, indo, indo até que me dei conta de que eu havia me tornado o que eu sempre quis ter sido.

    Hoje estou terminando a faculdade de administração, vou me especializar na área financeira e em mercado de capitais (ações, mercadorias, futuros, etc) leio diversos livros a respeito de empreendedorismo, ações e finanças. Além disso, estagio numa empresa que não pretendo continuar por muito tempo, como é de se esperar, pq quero abrir minha empresa o quanto antes.

    Me falta o principal? Sim, mas sei que logo, logo chego lá!

  53. Lucas says:

    cara..so digo uma coisa..PQP..seus textos ficam melhores a cada dia…

    te seguir no twitter e começar a acompanhar essa bagaça aqui…foram uma OTIMA ideia no final das contas!

    😀

  54. LIKO says:

    Ahazou com o post Kid!

    Eu ainda não consegui o que queria anos atrás, mas só tenho 18 anos mesmo, daqui uns 5 se pah eu consigo *—-*

  55. Flavius Júnior says:

    |Aplausos| mais um texto memorável do Kid. Cara continue assim que eu comprarei seu livro. rsrsrs

  56. Taina says:

    O que é comum para hoje, me faz feliz hoje e me deixaria impressionada há 3-4 anos atrás. Agora me sustento e vou comprar um playstation…o primeiro console que eu pagarei. Minha infância inteira dependi do SNES e N64 do meu primo.

    E outra coisa muito legal é estar prestes a ter três opções de universidades públicas para estudar ano que vem.

  57. cwalewsky says:

    Será que vai demora pra sair o livro?

  58. Fernanda says:

    Excelente post Kid!! Tem dias que eu me pego pensando em quantas coisas eu imaginava quando era mais nova e que hoje, são completamente diferentes.
    Eu já me via, aos 25 anos, casada e com filhos e com uma carreira super bem estruturada.
    Ok, eu tenho 25 anos, estou solteira a um tempo considerável, acabo minha faculdade esse ano (a propósito, apresento meu TCC hoje, me parabenize?) e ainda trabalho no mesmo lugar de 4 anos atrás, por medo de sair da “bolha de segurança” que você citou alguns posts atrás.
    Mas também tenho o MEU carro, a MINHA moto, divido a casa com a minha irmã e nos damos super bem…

    Acho que a Fer de 15 anos ia gostar bastante dessa versão independente e dona do seu nariz que ela se tornou com 25!

    Abraços Kid!!

  59. Andropov says:

    quando pequeno, nos anos 80, eu sonhava em ter um Atari 2600. A maior frustração foi no dia que o pai foi comigo e meu irmão numa loja, perguntou o preço do console, ouviu e foi embora sem comprar ;(

    Depois eu sonhei em fazer um site sobre a história dos consoles, isso no começo dos anos 2000. Fiz uma caralhada de texto sobre vários consoles (alguns desconhecidos no Brasil), me juntei com mais um amigo que escreveu mais um tanto, publicamos a joça num hosting gratuito (epic fail) que depois de um ano mais ou menos, sumiu com tudo, sem choro nem vela. Quem sabe eu volte a fazer esse site um dia, o problema é escrever a quantidade de textos novamente. :/

    Outro sonho é viver no exterior, num pais decente. Pode ser o próprio Canadá, mas Austrália e Nova Zelândia parecem boas pedidas. Nesse caso tá faltando coragem mesmo, imagina se dá merda, tendo mulher e filha pra sustentar? Hehehe.

  60. Kid says:

    @Andropov

    CARALHO eu lembro do teu site. Que merda viu? Mas naquela época éramos todos amadores, era sempre esse esquema de host gratuito mesmo 🙁

  61. Bersilvs says:

    Tirar carteira de motorista foi um marco na minha vida! Toda aquela tensão envolvida. Hoje nem pensava mais nisso até ler o o digníssimo texto.

  62. Também passei pela agonia de dividir o PC com os irmãos. E eu meus pais só me disponibilizavam 1h! Mas ai sempre rolava aquela malandragem. Dava pra ficar pelo menos 1:30 sem que ninguém viesse me expulsar.
    Na minha infância também tinha o sonho de ter um computador só meu, no meu quarto, para que eu pudesse ficar quanto tempo eu quisesse. Como você mesmo disse, hoje parece até bobo pensar nisso, mas quando agente olha pra trás, vê que é um grande feito.
    Consegui também, sem perceber, realizar o meu sonho de 8-9 anos, de ser cientista. Só a pouco tempo fui reparar nisso. Não é bem o cientista que eu imaginava, mas ser químico também é ser um cientista. Ainda tenho muita coisa pra fazer. Uma delas é sair do Brasil. Espero fazer isso em mais ou menos 5 anos.

    Abraços Izzy.

  63. Aldo H. says:

    Caramba… lembro que quando vi os primeiros notebooks (tenho 24 anos) achava aqui dufuturo demais… e só imaginava que teria um quando fosse “gente grande”… hoje enquanto faço um trabalho da facul no notebook, ouço música, baixo um seriado qualquer, leio os site e blogs que sigo… e é algo normal…

    Eu ri com a parte do portão eletrônico e seus 20 segundos pra por a roupa… lembro que uma vez minha tia (moro com ela) chegou em casa e eu fornicando com a patroa da época, a porta destrancada, segurei a maçaneta na hora que minha tia tava abrindo e disse um “espera um pouco” sem graça… depois ela nem perguntou nada… hehehe

    Belo texto!!

  64. Andropov says:

    @izzynobre era foda mesmo, não havia tanta oferta de hosting pago a um preço razoável. Mas eu ainda vou pagar um e ver se dá coragem de recomeçar. Talvez fazendo um site mais genérico, onde eu comente sobre videogame, música, filmes etc.

  65. Danboy says:

    Nossa com certeza minha independencia financeira. Hoje posso fazer o que bem entender sem pedir dinheiro pra ninguem! Posso comprar os consoles que eu quero sem interferencia de ninguem. Isso era algo que eu desejava mto e hoje eu tenho.

  66. marcelo says:

    melhor post ja escrito no HBDia

  67. Ivan says:

    muito bom o post, tenho acompanhado seu blog a pouco, mais ja estou gostando.
    Lembro que a primeira coisa que fiz quando puis banda larga na minha casa foi entrar no site charges.com e pular de alegria ao ver a charge sendo carregada em 10s e não em 5min

  68. rhobsonv says:

    Quidê, esqueceu o mais importante: conquistar esass coisas SOZINHO, SEM A AJUDA(ou com pouca ajuda) dos pais.
    Pq ganhar computador acho que todos aqui já ganharam um pc dos pais. Minha alegria foi conseguir comprar um pc sozinho, com salário de estagiário. Demorei uns bons 6 meses, economizando a ponto de um mês cancelar qualquer saida com a namorada. Mas consegui. =]

    Agora vai pro próximo passo pra se tornar um adulto Kid, compra um carro! xD

  69. Eduardo says:

    Dê uma olhada aí em volta. O que você tem hoje que te faria MUITO feliz dez anos atrás?

    Isso: http://junka.blogspot.com/2009/05/moto.html

  70. É, Kid. Eu nunca me imaginaria hoje, aos 29, dono de meu apartamento, moto, casado, com tv modafoca presa como um quadro na parede e um ps3 plugado nele. E nem mesmo que eu trabalharia em algo que não seria o comércio da família, ou que receberia pelo meu trabalho o que recebo hoje. Isso me faz feliz, claro! Mas as perspectivas e os desejos tornaram-se muito complexos, assim como cada um de nós, com o passar do tempo. Espero que consiga, daqui a 10 anos, ter tudo o que eu quero hoje. Hoje, certamente, tenho tudo o que queria 10 anos atrás e muito mais.

    Belo texto. Parabéns!!!

  71. Bruno Mais says:

    Muito bom meu jovem ,vc é uma inspiração para nossa geração MSN! /

  72. i0i0 says:

    Conquistei praticamente as mesma coisas!

    Melhorou mto o meu dia, vlw tiozão Kid

  73. CCCC says:

    Bom texto cara… Bom mesmo…

    Eu também já pensei nessas coisas várias vezes, e acho tudo isso uma coisa realmente incrível e também totalmente “DUFUTURO”.

    Sabe, quando eu era moleque, eu tinha um SNES com apenas dois cartuchos e meu sonho era poder ter todos os jogos que eu “achava massa”. Mas na época o salário mínimo era de 100 reais e as fitas em média custavam cerca de 40 reais (pelo menos aqui na minha cidade), as fitas piratas do camelódramo estavam entre 15 e 20 reais, sendo impossível ter todas as fitas de videogame, porque meu pai era/é pobre e não achava uma boa idéia “investir” em mais fitas.

    Ele (meu pai) dizia: “Cê já tem essas duas aí, e esses trem é muito caro, num tem necessidade de comprar mais”. Com isso, eu ficava meio triste e imaginando se algum dia poderia ter todos aqueles sonhados jogos… Inclusive, tinha um moleque no colégio onde eu estudava, era riquinho, playboyzinho, almofadinha, merdinha, que, segundo a lenda que corria pelos corredores tinha um COFRE (veja só…) onde ele, em sua humilde residência, guardava cerca de 300 (!) fitas de Super Nintendo. Nem preciso comentar a inveja de morte que eu e meus colegas sentíamos daquele fdp…

    Mas, com a maravilhosa evolução dos computadores e o advento da emulação, hoje eu posso afirmar, com toda certeza, que sou um homem feliz e realizado! Eu tenho TODOS os jogos que “achava massa” na minha infância, além de outros que, se não fossem os emuladores, eu jamais teria conhecido. Jogos que sequer foram lançados no ocidente (Tales Of Phantasia, por exemplo), mas que são verdadeiras obras de arte. Além disso existe a grande vantagem dos jogos estarem arquivados no computador (imagine guardar esse tanto de cartucho, seria um saco) e aqueles que antes não tinham opção de salvamento podem ser salvos via “Save State”. Também é muito bom não ter que depender daquelas baterias de salvamento dos cartuchos, que volta e meia me deixavam na mão.

    Enfim, é como você disse no texto “Se eu pudesse viajar no tempo e dissesse pra mim mesmo quando criança que em 15 anos eu teria todos os consoles que quisesse, o eu do passado borraria as calças de emoção.” O meu “eu” do passado também.

    Kid viado, vai morrer de tanto desejo infantil realizado no cu.

  74. Ana says:

    HAHAHA

    Eu lembro que eu ficava adiando o relogio do meu pc pra poder ficar mais de 1 hora, agora tenho 2 pcs só meu, alem de morar sozinha. E já já outro sonho vai se realizar vou pra fora estudar…talvez Canadá..

    To com um sorriso também de pensar nas coisas que eu queria quando era pirralhinha e agora consegui, e as vezes, como você disse, tu nem presta atenção porque ja virou comum elas fazerem parte do seu dia-a-dia…

    Bom texto Kid!

  75. Guilherme Pilotti says:

    @Luiz Felipe
    Não sei o kid, mas, eu, estudante do 4º semestre de Física na UFRGS estou DOIDO pra sair daqui por um motivo simples: Não tenho vida. A faculdade suga tudo e a contrapartida é MUITO longe. Atualmente, um bolsista ganha R$330 por mês para ficar pesquisando estrelas no céu, para ganhar R$ 1100 precisa se formar e entrar no mestrado com bolsa -- e não é fácil, acredite -- e para ganhar R$ 2200 precisa entrar na porra do doutorado com bolsa. É um caminho longo, sinuoso e tortuoso.

  76. M says:

    Post foda, muito bom mesmo…

    Acho que o que eu consegui que realmente gostaria dez anos atras é ter o meu dinheiro pra comprar o que eu quisesse(inclusive o chaveiro do R2D2 que faz barulho) sem dar satisfação a ninguém. Simplesmente ir la e comprar…

    O problema é que fazer com o monte de caixas e cabos repetidos, que insistem em vir com as budegas que eu compro…

  77. Guilherme Pilotti says:

    Agora, sobre o post em si.

    Eu nunca quis muita coisa na vida. Eu tinha meu SNES e meu Gameboy e eu era extremamente feliz. Atualmente tenho o Wii para jogar Mário e a única coisau que realmente quero é um PS3 para dar continuidade à minha saga com GpW III.

    Na vida acadêmica tudo o que eu quero é poder sair da faculdade de uma vez e me dedicar à um emprego “de verdade” de programador. Não aguento mais as pessoas da universidade.

    Morei sozinho alguns anos e não foi tão bom assim -- trepar a qualquer hora foi a melhor coisa com certeza, mas digamos que eu não era “o garanhão que comia todas”.

    Nunca namorei sério e até conhecer uma mulher 7 anos atrás, nunca tinha sentido falta disso.

    Tive um blog cheio de visitas e comentários, mas como a maioria era de “valeu”, “legal”, “bah, muito bom” e “gostei do site” eu deletei-o sem prévia análise e parti para um intimista onde eu simplesmente escrevo, não recebo nenhum comentário -- ok recebo alguns -- mas sei que eu estou MUITO MELHOR hoje do que 2004 quando eu comecei errado.

    Tenho só dois sonhos fracassados o iminente de não me tornar cientista como eu queria quando tinha 12 anos e o de ter perdido por minha máxima culpa o amor da mulher que ainda amo, fora isso, sou realizado sendo um “loser” para muitos.

  78. picão says:

    Nossa sensação nostálgica agora.
    “Só podíamos acessar a internet na agenda do pulso único – ou seja, quando uma ligação telefônica não era tarifada de acordo com sua duração” Puta que pariu, que merda que era nossa vida. Ainda não temos uma banda larga de qualidade como a sua ai no gelo planetário porém depois que chegou a velox, passou a ser sensacional baixar algo a 20kbps! lol Graças a deus chegou o progresso!

    Bom texto garoto kid.

  79. Leonardo says:

    cheguei a te ver no Cefet com uma garota que acho que era a ex que te chifrou hehe

    hoje acho que a unica coisa que falta pra completar meus sonhos de adolescente é morar sozinho, mas nem sei se ainda quero isso. Quanto à grana, hoje sou independente financeiramente mas percebo que muito vem de empenho e um pouco de sorte 🙂

  80. davi says:

    O Kid virou adulto…

    Textos de humor dando lugar à filosofia…

    Vai mudar o nick também ou maturidade tem limite?

  81. ReVo says:

    Escreveu bonito KID.

    Depois de corrigir, pode deletar:
    No penúltimo parágrafo da parte “Ter uma conexão constante à internet”.
    O teu teclado engoliu o “C” de teori”C”amente.

    “Baixar um único filme, um fim de semana de cada vez, poderia teoriamente demorar anos.”

  82. Fernando Perazzoli says:

    Eae Nobre, tranquilo?

    Acompanho seu blog a tempos e sou um grande intusiasta do HBDTv. Sempre que posso faço aquele jabá bacana pros meus conhecidos hahaha.

    Lendo esse post, parei para analisar minhas conquistas até hoje também. Hoje, com 23 anos, percebi que assim como você, nunca imaginava a 15 anos atrás que tudo que eu sempre sonhava se tornaria lugar comum após alguns anos.

    Vivenciei o ínicio da internet na minha cidade (que é longe pra caralho -- Vilhena -- Rondônia, a 8 anos moro em Curitiba com meu irmão). E era o mesmo esquema, tinhamos um pentium 133Mhz e cada um da familia tinha direito a 2 horas na frente do pc.

    Mas uma das coisas que mais me impressionaram a lembrar disso tudo, foi o que vc disse no HBDCast 6. Eu NUNCA imaginaria que teria um console portátil capaz de rodar TODOS os consoles que eu jogava na época, e quando consegui finalmente comprar meu PSP, foi como vencer uma batalha em meio a um mar de guerreiros furiosos querendo minha cabeça.

    Hoje, formado, me preparando para a pós, paro e penso em como tanta coisa aconteceu, e muitas que ainda estão por vir.

    É bom fazer essas analises de vez em quando…

    Planos que ainda não botei em prática? Um blog e um videocast sobre videogames… hahaha

    Um abraço,
    Parabéns por todas essas suas conquistas, pelo site, e por ser um “problogger”, sua coluna no tecnoblog é ótima, leitura obrigatória por aqui.

    Sucesso Kid

  83. eric dutra says:

    realmente vc sempre queria ser notado por escrever as suas comédias.. e idéias fora de orbita.. conseguiu fazer nossas professoras te mandar pra coordenação por escrever redações loucas demais..

    imaginei que iria acabar assim, ou melhor.. ainda não acabou

    imaginei algo além de um blog.. =P

  84. eric dutra says:

    ou melhor, na época nem blog existia hsuiahsuia
    acho eu 🙂

  85. Cidraman says:

    Acho que, de todos os textos que já li neste blog, este foi o mais bacana.

    Parabéns, realmente.

  86. Ralf says:

    Mano, eu lembro que meu sonho de consumo era ter um notebook! Quando eu tinha lá meus 8 anos e tbm encarava conexões dial-up, ainda mais num pentium 133…esperar carregar o icq era um teste a sanidade!
    Mas eu lembro que eu sempre quis ter um notebook, era um sonho praticamente impossível pra mim. Na epoca quem tinha notebook era gente da alta sociedade…

    Ai meu primeiro notebook foi um que eu ganhei de um cara da escola, ele tinha ele jogado num armário e eu pedi na brincadeira: Po, ta jogado ae, da ele pra mim?
    ele “pode pegar!” …

    meus olhinhos brilharam…
    hoje eu lembro do aparelho, era um everex tão grosso e tão pesado que eu lembro que machucava minha mão ao carregar ele pra la e pra ca na mochila.

    Nao lembro o processador, mas ele rodava o Windows 3.11 para workgroups. E pasme: A tela era em preto-e-branco!

    Eu lembro que eu me divertia com o prince of persia nele!…

    Depois eu comprei um notebook mais decente, rodando xp e tal….só que o bixo era amarelo…
    Uma vez deixei ele baixando 1 filme de madrugada e o processador esquentou tanto que derreteu a placa mãe…

    Agora eu tenho um Dell…e ainda to insatisfeito…tipo…não é grande coisa…

  87. Knux says:

    achei desnecessário você lembrar por dois parágrafos que não está se gabando. se a pessoa não havia entendido isso até aquele ponto, provavelmente não deveria nem estar lendo seu texto.

    por outro lado, há a chance de que você queria evitar ter que escrever sobre isso nos comentários… e lá se vai mais um plano da sua vida, estragado pelo acaso 😛

  88. Raphael Barion says:

    uma coisa que eu sempre almejava e deu errado foi a migração para Buenos Aires, começaria a cursar a Faculdades de Ciências Médicas no começo deste mesmo ano e ao longo disso tive um relacionamento com uma fulaninha gostosa que dizia estar morrendo de amores e que me fez ficar no Brasil (claro que houve outros motivos, mas esse foi a gota d’água). Acabei não embarcando no avião no dia previsto da viagem, tive um wast de mais de R$3.000 só em documentação e alojamento facultativo. Acabei cursando 6 meses de Ciências Biológicas e não gostando de como era abordado o tema. Tranquei-a, hoje estou acompanhando seu blog e seus devaneios por Calgary. 😀

  89. Lobim says:

    Todos os consoles mesmo? Eu duvido muito =P

    Você tem o ColecoVision (Coleco), Playdia (Bandai), SG-1000 (SEGA), Atari Jaguar (Atari) e o Famicom Disk System (Nintendo)? (Observe que me atentei ao fato de você ter citado “Console”, por isso não citei portáteis e nem computadores.)

    Enfim, é que me chamou muito a atenção por você ter escrito tinha “todos os consoles disponíveis no mercado”, só quero confirmar tal dado ou ver se você só tem os principais/mais importantes/melhores/que o pessoal mais joga.

    Se julgar interessante, acesse o meu blog (no qual comecei a fazê-lo antes mesmo de acessar com frequência o HBD).

    PS: Sabia que traduziram o Super Mario World para o português, ou melhor, que sairam traduções recentes para ele?

    Abraços!

  90. Sly says:

    Putz quibe, emocionante esse post. Serião.
    Achei foda isso. huahuhaua
    Gz dude.

  91. Heron says:

    Putz cara, abri um sorrisão aqui depois que, ao ler o texto, dei uma olhada ao redor e percebi a quantidade de coisas que tenho hoje e não dou tanto valor, mas que no passado eu morreria pra ter.

    Em minha mesa tem uma cacetada de bonecos (Superman, Batman, Iron Man, Leonardo das Tartarugas Ninjas, Wall-E), ao lado dela uma bateria eletrônica (tinha uma acústica que vendi recentemente), atrás de mim uma coleção considerável de livros (Harry Potters, Senhor dos Anéis, etc) e uma quantidade absurda de cartas de Magic jogados em cima do guarda-roupas.

    Tudo isso sempre sonhei em ter quando moleque, mas as condições financeiras de minha família me impediam. Hoje, trabalhando e ganhando a minha grana, pude realizar muitos sonhos de moleque.

  92. Porkispin says:

    Cara, sinceramente, esse foi um dos melhores posts que já li aqui… se não o melhor!!
    Post bem humorado, maduro, engraçado pra caralho e muito cativante… perfeito! meus sinceros e humildes parabéns!

    ps.: dá pra adiantar alguma coisa sobre teu livro? =)

  93. Lp says:

    O que me faria feliz, 10 anos atrás ?

    Eu tenho banda larga, uma guitarra, e uma namorada. q

  94. Talamaska says:

    Cara sou mais velho que a maioria das pessoas que postam aqui. Quando eu ouvi o som do modem pela primeira vez já estava na casa dos 30. Foi maravilhoso colocar o cd da AOL e fazer a instalação sozinho.

    Mas minha infância foi bem penosa em relação a sua. Muita pobreza e só conheci meu primeiro par de tênis aos 7
    anos. Mas eu tinha um sonho de ser alguém e possuir coisas bacanas.
    Tenho o segundo grau feito nas coxas e
    abandonei a escola aos 16 anos para correr em busca do sonho.

    Hoje moro numa bela casa e tenho meu
    Land Rover na garagem.

    Quando falo da minha infância para certas pessoas elas acham que eu estou
    brincando. As vezes eu mesmo me acho um cara de muita…muita sorte.

    Mega abraço.

  95. Nina says:

    o sonho do computador próprio é o sonho de todo mundo :]
    lembro que quando tinha uns 11 anos, na época que todo mundo jogava the sims (lol) e ngm me deixava instalar no pc da casa, porque carregava. ai fui juntando os cofrinhos e meu bisavô tinha me dado uma conta no banco, com uns 200 reais quando eu nasci, e fui acumulando. ai comprei meu primeiro pc. na época, foi aquela coisa. ô, meu primeiro computador! hoje em dia, ele já não dá mais pro gasto, mas até três anos atrás, era ele que quebrava meu galho. era bacana, eu com meus 12 anos, brincando de formatar o pc hahaha
    e só discordo de voce em um ponto: desde quando se tornar ‘conhecido’ pela escrita não é algo relevante? queria eu estar no teu lugar. nunca me animei muito com blogs, por preguiça ou comodidade, mas já faz quase um ano que mantenho o meu, e coisa boa mesmo é quando alguém, além de você mesmo, curte o que você faz. é, é isso izzy :]

  96. Kmaleon says:

    Haha, URL do primeiro blog do Kid:
    http://kidblog.blogspot.com/

  97. Kid says:

    @CCCC

    Caralho, esse lance da emulação que tu falou é verdade demais. Se meu eu de 15 anos atrás soubesse que um dia ele poderia jogar qualquer jogo de SNES ou Mega Drive que eu quisesse, tanto numa TV de 42″ (que nem existia na época) ou num console portátil de 32 bits (idem), minha cabeça explodiria.

  98. Tayná says:

    Nossa, arrasou o post, infelizmente desse top 5, não tenho nenhum hauhauhauhaa. Mas ainda faltam 4 anos pra chegar aos 25, aí a gente conversa sobre isso de novo =D

  99. Ismael Jr. says:

    Tenho aqui do meu lado um pacote de biscoito que EU escolhi!! quando era moleque minha mae ia no mercado e trazia o biscoito em promocao da hora; nao que fosse ruim, eu comia do mesmo jeito, mas nunca era a “passatempo do cebolinha”, hehehe
    Nao lembro quando consegui isso pela primeira vez (comprar o que eu queria) mas isso é uma coisa que me deixaria muito feliz 10 anos atras (tenho 22).

    Ainda sou sustentado por meus pais, mas tudo bem… sei que logo isso passa.

    Parabens pelo site, merece o sucesso que tens!

  100. @kiranomutsu says:

    É… Quando você nomeou a geração de “Thundercats/Pense Bem/Passa ou Repassa/álbum de figurinhas do Brasileirão/Super Nintendo/Xou da Xuxa” eu lembrei que:
    1- Recentemente eu achei dois livros de Pense Bem no meu quarto, acho que tenho pics dele em algum lugar, se achar eu upo em algum lugar e linko.
    2- Achei também um album do brasileirão (98)
    3- Eu tive um SNES primeira geração xD.

    Agora, eu sempre me pego lembrando das coisas, principalmente tecnologicas, daquela epoca (principalmente por hoje em dia tecnologia ser meu trabalho).

    Eu também era hacker de netbus, usava irc e hackeava a brasnet e o chanserv na epoca que isso era facil e só se precisava de 3 ou 4 programas.
    Eu fui um felizardo de ter sido um dos primeiros a ter internet residencial, na epoca não havia isso e minha conexão de casa era feita atravez do provedor comercial da empresa da minha mãe. Eu digo a quem só viveu de banda larga que eles não sabem o que é contar hora pra chegar a meia noite e conectar a internet, demorar 5 min pra conectar (isso quando não dava ocupado) e mexer em poucos sites por ai. Verdade da internet discada: 70% das pessoas que usaram tem vicio por Paciencia/Freecell/Copas. Getright xD UAU! Eu havia me esquecido desse lindo programa.

    Eu tinha um SNES, qd saiu o PS eu ainda jogava ele. A briga que foi pq eu queria o PS e ninguem entendia o pq, acabou q não tive ele xD

    Eu queria ser conhecido pelo que escrevo, os unicos que sabem que escrevo e tal são amigos a quem mando textos e historias e todo resto. Eu ja tive 2 blogs mas por ser um cara extremamente preguiçoso quando eles começavam a se tornar algo eu desistia. xD Um dos blogs ainda ta no ar q é o http://tdragaoazul.blogspot.com/ . Tenho vontade de voltar a escrever num blog e tal, mas sei que a coisa não vai pra frente, assim como metade das historias que escrevo estão paradas por preguiça.

    xD Belo texto Izzy.

  101. Thiagone says:

    Mto bom texto como sempre, mas discordo de sua colocação de que no BR com 25 vc moraria com os pais…não falta oportunidade no BR, falta é gente preparada….vivo isso todo dia, mtas empresas tem centenas de vagas abertas esperando o povo q num se prepara direito….

    no resto, texto bãooooo!!!

  102. Thiagone says:

    e acrescentando, eu sempre fui a “ovelha negra” da familia, o cara que reprovou um ano, o que era suspenso, expulso, tinha os pais chamados na escola direto…enquanto os primos e o irmão eram os “genios” eu sempre fui o “revoltado burro que as tias acham q nao tera futuro”.
    eis que um belo dia com 17 anos resolvi trabalhar, e nunca mais parei. Tenho 30 anos hj em dia, e posso dizer que sou a pessoal mais bem sucedida na minha geração na familia, tbm sou conhecido no que faço, tenho as coisas que eu sonhava quando era criança (casa legal, carro legal, to bem casado e viajo pelo mundo, ganhando pra isso!!!)
    to escrevendo tudo iss pq nunca tinha pensado desta forma antes, de com 30 anos fazer um balanco da minha vida e te digo que hj eu não estava em um bom dia e que ele agora acaba de melhorar.
    pra gurizada que le o blog, não larguem os bets, quando vcs acham que a coisa cagou, continuem lutando, se preparem e FODA-SE o q os outros dizem.

    nunca esqueçam, o nerd de hj será teu chefe amanhã (caso vc nao seja nerd!)

  103. xavanty says:

    Muito bom o texto, acabei tendo muitos planos perdidos e abandonados fiz faculdade de engenharia por 2,5 anos e desisti , namorei por 5 anos e não deu certo, mas nunca tinha pensado pelas coisas que consegui e realmente consegui muito… vlw pelo texto

  104. Rafael Kapela says:

    Mas… Faltou você ter um carro… Ou você não gostaria de ter um carro, quando era criança?

  105. Diones Reis says:

    Este post realmente me fez lembrar de coisas que eu não tinha, ou não poderia fazer, e se eu for ver hoje em dia, se tornaram parte da vida, que acabaram sendo até triviais. E acredito que dá ainda mais ânimo pra fazer novas coisas, que mais pro futuro vai dar uma certa satisfação.
    Esta briga de consoles, vem de um tempo bem mais anterior ao seu, a minha foi na época do Odysssey vs Atari, e os “causos” que a gente ouvia de caras que tentavam colocar cartucho de Atari num Odyssey, e era raro quando alguém tinha os dois consoles.
    Enfim, bacana o texto, e nesta lista sua, acho que ainda podia caber mais um item, por exemplo “Liberdade e condições para comprar o gadget que quiser”.

  106. Marcos says:

    Sinceramente, nunca parei para pensar dessa forma: o quê, ao longo dos anos, eu consegui realizar. Em compensação, o que eu ‘não’ consegui sempre me perseguiu. Ainda moleque não tinha muitas aspirações para o futuro; me divertia, do alto dos meus 16 anos, com a motocicleta (CBX 750F) que meu pai comprou para mim e aquilo era o paraíso. Nem queria saber de faculdade, tanto que demorei a ingressar no mundo do nível superior.

    Depois de alguns empregos que não me trouxeram muita coisa, hoje (literalmente) estou ingressando em uma nova empresa, com uma perspectiva das melhores, fazendo exatamente o que gosto: mexer com a bolsa de valores. Adoro os cifrões subindo e descendo na tela (coisa de moleque mesmo).

    Nunca tive problemas com namoradas escondidas no armário ou santas na cama. Minha casa sempre foi muito grande e sempre tive minha privacidade. Hoje tenho 3 diplomas superiores (2 na área de TI e 1 de Letras -- Francês [nenhuma correlação, só meu cérebro querendo mais informações]), algo que jamais pensaria quando tinha 15, 16 anos.

    Era usuário assíduo de IRC e cheguei a ser IRCAdmin de 5 servidores, além de IRCop, o que me dava uma falsa ilusão de “sou conhecido!”. Nem preciso dizer que essa ilusão me deixou e que hoje tenho os pés nos chão e sei que poucos me conhecem, mas todos que conhecem me respeitam tanto pelas conquistas acadêmicas quanto profissionais.

    Ter um carro foi sonho de moleque; depois que conheci a mágica da economia financeira, descobri que é uma ótima forma para perder dinheiro; tenho um carro que não é novo mas que me leva para todos os lugares com segurança e conforto, e pretendo comprar outra motocicleta tão logo seja possíve e, tal e qual a quando adolescente, algo de “gente grande”.

    Mas, uma coisa que divisou águas na minha vida (e que é estúpida, do ponto de vista da maioria das pessoas) foi comprar um brinquedo que meus pais nunca me compraram quando fedelho. Com certeza os moleques da minha idade se lembram do Pegasus, Maximus e Colossus (da Estrela). Comprei um Pegasus com o primeiro salário que tive, e aquilo foi a minha carta de auforria. Me senti liberto e comecei a sonhar com muitas das coisas que já tenho hoje.

    Os sonhos nunca diminuem, e o meu próximo é começar a investir em imóveis -- um outro apartamento, na planta, é o plano traçado, para revender depois e fazer dinheiro prosseguindo com esse mesmo “approach”.

  107. Daniel F. says:

    Cacete, seu warning time para terminar a trepada era de 20 segundos. Que inveja! Eu tinha cerca de 6 ou 7 segundos para tirar de dentro, me vestir e fazer cara de bom moço. 7 segundos!

  108. Mateus says:

    Gostei muito desse texto, passa uma sensação extremamente positiva, algo que eu ando precisando. E curiosamente, cada desejo descrito se transfere pra mim, realizados da mesma forma (falta só o X360 e o PSP, ainda não tô com muito dinheiro à toa =P), e realmente é estranho constatar que o que temos hoje seria suficiente pra nos fazer tão felizes uns anos atrás. Mas acho que esses são desejos comuns a todos os moleques naquela época da nossa geração, o problema é olhar pros desejos individuais não realizados e perceber quanta coisa não tão trivial ainda falta. Eu tenho um emprego razoável, mas que está MUITO longe de todas as possibilidades que imaginei que estaria fazendo hoje. Não terminei a faculdade de biologia, apesar de ter conseguido entrar numa federal, não tenho mais banda nem ânimo pra tocar bateria ou estudar música, e todos os dias sinto o quanto odeio o meu trabalho. Mas é o que me paga, o que comprou quase tudo que eu tenho hoje, e o que me faz sentir preso. O que me remete a um post recente seu sobre a nossa “bolha de segurança” ou algo assim. Talvez eu esteja precisando de uma injeção de ânimo ou algum choque pra começar a olhar pros lados e andar em outras direções, saindo da maldita bolha.
    Enfim, excelente post. =)

  109. zoreba says:

    “Trepar em casa sem problema”
    Na minha casa,eu posso! Mas sem fazer barulho! Po,la se vai parte da graça.
    O moden dail up era TENNNNNNSO.
    Até onde me conste, eu era uma criança sem mt sonhos.
    Eu queria ter 18 anos pra comprar pornografia sem problemas.
    Bem eu tenho uma namorada agora,acho que supera !
    ( e internet banda larga, nunca esqueça da internet banda larga ! AUHUE)

  110. Lucas Rodrigues says:

    Eu tinha a velha internet discada, que tocava uma sinfonia pra conectar, eu só entrava das 0h até as 6h (de segunda a sexta) e no final de semana era a partir das 14h do sábado!(Via o começo do Calderão do Hulk, esperando dar a hora!) A velocidade era entre 0 bytes/s a 3KB/s. Não fazem muuuitos anos que eu me livrei dela não. Lembro que todo final de semana eu aguardava um pouco mais de 10 HORAS pra baixar um episódio da 1ª temp. de Lost. Cara, eu hoje tenho uma internet que baixa a 20KB/s. A evolução não foi nem um pouco grande, mas tem um significado enorme para mim! Hoje eu assito quase 20 séries e consigo baixar todas durante a semana inteira, fora podcasts, musicas, e etc! EU SOU UM CAMPEÃO! E em breve espero colocar uma internet mais decente!
    Valeu pelo espaço! Até a próxima!

  111. Yuri Hax says:

    Ter uma xoxota, ter dinheiro pra gastar com oque eu bem entender, e ter gadgets/eletronicos do momento eram coisas inimagináveis pra mim até alguns anos atrás.
    Pois é Kid, eu por exemplo, raramente escrevo aqui, mas frequentemente comento com amigos sobre seu blog e seus posts. Por pouco você não saberia que existo, e provavelmente nunca vamos nos conhecer, por conto do lugar onde eu moro, ams quem sabe um dia… a vida é aquela famosa “caixinha de surpresas”, que daqui a alguns anos vai ter acontecido coisas que antes nem imaginavamos.
    Então, quero que saiba que acompanho seu blog ha muito tempo e acho que você escreve/expressa idéias e informações colossalmente bem, adoro ler teu trabalho.
    Estás de parabéns. Pelo menos sabe que eu existo… haha

  112. Richard W. Van Dehrer says:

    Eu tinha várias ambições, comuns, tipo fazer faculdade de Ciência da computação, ter um PC top pra rodar todos os jogos do mundo e essas merdas. O tempo passou e 1) descobri que não aguentaria ser um profissional da computaria; e 2) desencanei de jogos e o PC top se tornou desnecessário; não preciso gastar 2k numa máquina pra rodar Compiz e emuladores de GBA e SNES. Hoje, vou levando num emprego qualquer numa loja avulsa aí e nem sei que carreira seguirei.

    É inútil ter ambições, nossos valores mudam muito com o passar do tempo, e aquilo que pensamos ser importante ou interessante pode tornar-se totalmente irrelevante.

    E sem essa de contar quantos calendários eu tenho.

  113. Toddy says:

    Mulheres, computador.
    É, acho que só…
    Abraço

  114. @floricultor says:

    Eu estou indo para o Canadá em breve, parece sacanagem até o que você disse sobre seu namoro..me identifiquei MUITO. 3 anos namorando, altos planos, e tudo termina subitamente =~ Mas acredito que a vida é assim, o destino é uma puta irônica, constantemente nos encontramos em situações que no momento não enxergamos muito bem, mas depois quando a poeira abaixa, a gente acaba percebendo que se encontra em um local muito mais privilegiado que o anterior.

    Quando uma amiga me mostrou seu blog ela me disse.
    “Po tem um cara nerd que mora no Canadá e ele escreve em um blog, Hoje é um bom dia, já ouviu falar?”
    Essa frase mudou minha vida, não só virei seu fã e do seu jeito carismático de postar, como tive uma visão interessante da cultura canadense através de seus posts, historias e fotos. Uma visão que nem conversando com conhecidos que moram lá puderam me disponibilizar. O tom humorado e as historias do dia a dia vendem uma imagem bastante positiva, inspiradora e animadora.

    Eu sou muito grato pela oportunidade de ter lido esse blog e principalmente este post . Ele literalmente me deu um wake up call, uma motivação que não consigo conter, um sentimento positivo que me faz não desistir dos meus sonhos por trivialidades e problemas passageiros da vida.

    Espero que essa minha animação persista e que eu consiga também olhar para trás e rir de todas os sonhos infantis que sem querer e por ironia do destino consegui realizar. Só quando a gente para para pensar é que nós damos o devido valor a todo o suor, lagrimas e cicatrizes que criamos correndo atrás de nossos sonhos, uma pequena vitória todo dia me torna agora um homem muito feliz e realizado.

    For a isso, te vejo no Canadá em breve.

  115. @floricultor says:

    Então. o destino é uma PUTA IRONICA no sentido de que PUTA é uma vagabunda veatinamita.

  116. Felipe Guio says:

    Parabens brother! Como sempre, ótimos textos.
    O seu blog é um dos poucos que frequentemente visito para conferir as novidades!
    Dentro os blogs que frequento, dou preferência aos “ociosos” da vida, que tem milhões de blogs em um só, que facilitam minha leitura diária de bobagens. Mas tenho q admitir que suas aventuras são bem mais divertidas!

    PS: Tenho um PSP para os momentos de folga mas tenho inveja de seus múltiplos consoles! aHUHAuha

    att,

    Felipe Guio

  117. Kuat says:

    Nossa… bastante coisa..
    Vamos tentar enumerar!(não na ordem de importância)
    1- Ter o MEU próprio video-game, sem ter que pedir ao irmão mais velho para jogar.
    2- Ter um emprego que consegui com meu esforço, e não dado pelo papai igual muita gente.
    3- Poder instalar jogos no computador, que na época do 133 era terminantemente proibído na minha casa, mas a gente sempre dava um jeito.
    4- Ter o meu próprio computador (demorou bastante para comprar o meu notebook, mas é meu e só eu ponho as mão nele, os outros ainda dividem o pc)
    5- Ter perdido o cabaço com uma gostosona (que nerd que nunca sonhou nos primórdios da junventude em trepar com a gostosona da sala?!?!)
    6- Ter uma banda e compor música pesada e nervosa!
    7- Ter a minha liberdade de expressão dentro de casa, e o mais importante, ser respeitado como um dos homens da casa que também paga as contas e não apenas um caçula aonde todo mundo passa a mão na cabeça e ignora o que ele fala
    E por ultimo e não menos importante!!!
    8- Ser um Game Designer/Level Designer/Game Enginer/o caralho a quatro e um pouco mais dentro de uma softwaer house caseira composta por menos de 10 “participantes”.

    É Kid, você fez a minha noite muito mais feliz e nostalgica! Obrigado!

    E como disse anteiormente em algum outro post: Parabéns por ter se tornado um adulto de respeito tanto pelos mesmos quanto pelos nerds (Não foi exatamente isso mas algo parecido)

    Minhas Congratulações meu caro

    By the way: eu sou só mais um leitor que acompanha as suas aventuras diárias como você sonhava ter um dia.

  118. Tiago says:

    Caramba! gostei muito do post! Acho incrível essa tua capacidade de encontrar esse sentimento comum a toda uma geração e exprimir essas coisas em texto. Teu futuro é a academia brasileira de letras ou algo paralelo no mundo virtual.

  119. Kuat says:

    Mais um comentário…
    Tanta gente falando sobre ter carro, não acho que seja algo assim tão importante. eu pessoalmente tenho o meu carro, um scort 94 azul modelo europeu 1.8 que foi do meu finado avozinho, e este carro é o xodó do meu pai, cuido dele como um filho (e gasta tanto quanto um devo dizer…) e nem por isso acho que foi uma conquista, pois nunca sonhei em ter um carro
    de fato, gostava bastante até nas tardes calmas pegar o baú e demorar uma hora e meia para chegar em casa, sosinho com meus pensamentos, ouvindo minhas músicas…
    É.. isso quando não tava lotado a ponto de ir com o braço pra fora da porta(sim isso já me aconteceu!)
    Mas gosto de ter o meu carro, e se precisa-se devolve-lo ao meu pai por algum motivo, nem discutiria!
    É melhor eu deixar de sentimentalismo barato e ir dormir, porque amanha cedo tenho que trabalhar…
    Abração Kid
    Um dia a gente se esbarra ai por Calgary, aonde pretendo morar (graças a você) daqui a um ou dois anos.
    Até!

  120. LPS says:

    Muito bom texto. Mesmo. Parabéns.
    A última frase me vez refletir o quanto minha vida é boa e eu não percebo no dia a dia.

  121. Anderson says:

    14 anos e ja fasia isso..caraio to mau na fita.. kkkkkkkk se for pensar isso e uma baita de uma grande verdade!! so que pra gente perseber isso,e meio dificio.as veses nós reclamamos atoa…tabom,quase sempre!

  122. Anderson says:

    Good texto!

  123. guty says:

    ” Tudo que eu citei aí acima é algo que praticamente qualquer pessoa da nossa idade e degrau social tem.” como faz pra ter uma internet fodastica assim no nordeste ?? ¬¬

  124. Bruno Pinheiro says:

    Bom texto porra! Rendeu umas 3-4 gargalhadas.

  125. Mytho says:

    We´re in the same league, inclusive os pontos que você exemplificou. Com algumas diferenças, óbvio, mas o essencial tá aí: PC, Net, Sexo, Casa, Grana, Carro, Gadgets… pra ser sincero tenho muito mais do que eu queria e imaginava ter 10 anos atrás.
    Abraço

  126. lucas says:

    eu entendi a referência da elo, haha

  127. Ajax says:

    Uma coisa que eu queria muito na infância, sempre gostei e achei que nunca ia conseguir era tocar violão… Hoje toco violão e vou até mais além: Sou um guitarrista. Frustrado, tudo bem, mas sou um guitarrista ^^

    Daí depois que eu comecei a tocar, sonhava em ter meu próprio equipamento, chutar a guitarra velha do meu irmão, desplugar a guitarra da entrada de linha do pc e mandar os programinhas emuladores de efeitos pra puta que pariu, e graças ao meu trampo recente, consegui tudo isso 🙂

  128. Nome (required) says:

    como q faz um blog? ehhah

  129. Foster says:

    Há dez anos eu era tão novinha que olhar pra fora da janela sem me matar já era uma conquista.

  130. d_ab says:

    Ótimo texto cara,
    Claro que tem mais coisas mas lembro de uma que me faz pirar bonito.
    Meu primeiro contato com jogos foi bem antes desse mas vamos lá. Meu irmão ganhou um N64 já nos primeiros dias de vida do Cubo. Minha vó ia comprar pra ele um PSone maas na loja não tinha vai o 64 mesmo, pirei na época mas blz. a situação é: eu comprava as Nintendo World’s da vida e ficava babando no Cubo. Era meu sonho ter um videogame atual. Um só, e era o Cubo, sonho modesto. Mario Sunshine me fazia pirar só de imaginar (hj não, mas na época..).
    Eu consegui comprar o Cubo no natal de 2007, isso mesmo, 2007. Pra minha felicidade, comprei o Wii 3 meses depois, e cara, lembro de ter dito pra minha namorada: Meu sonho era ter um videogame da atualidade, aquele que eu ia comprar revista na banca (compro e assino até hoje) e que vai falar principalmente sobre o console que eu tenho em casa. Acabei de realizar.
    Mto foda, meu EU de 15 anos atrás tbm ia surtar só de imaginar isso.
    Mais uma vez, ótimo texto o seu, simples e foda.

  131. Leo Alcantara says:

    Excelente post. Mas faltou a imagem referente ao 5º desejo…

  132. Marcelo Divê says:

    Fiquei até com “saudade” de escutar aquele som de conexão à internet.Até achei um link no Youtube:
    rel="nofollow">
    Assim como você Izzy, a minha vida também tem sido de excelentes conquistas, tenho uma namorada linda e maravilhosa com quem posso jogar videogame a hora que eu quiser -todo nerd sonha isso -, uma conexão jamais sonhada a alguns anos atrás, um videogame de última geração, entre inúmeras outras coisas que poderia ficar listando aqui eternamente.
    Obrigado por me fazer relembrar o tanto de acontecimentos bons que tem acompanhado a minha vida.

  133. patty says:

    aaah, lembrei de onde eu cheguei até seu blog! dos blogs dos seus primos q eu entrava td dia…

    aliás, eles são da época q eu tb tinha q esperar até depois da meia noite pra entrar na net… =/

  134. Nailson says:

    Massa d+ Kid, esses dias cheguei a mesma conclusão.

    Já tenho casa própria, tenho uma moto e posso ir a qq lugar. tenho meu PC (bem potente*) um NDS e um emprego estável. a uns 6 anos atrás eu era escravo do meu pai e da minha madrasta.

    e tem 10 meses que eu parei de fumar…

    * do tipo q roda MW2 no máximo com o iTunes rodando podcast

  135. hayne says:

    Alguns dos meus sonhos de infancia se realizaram, ter um piscina em casa, tv por assinatura, um tv gigante no quarto, ter um carro, viajar de avião, um dos poucos que não realizei, foi ter um aquário em casa.

  136. ChaosWarrior says:

    Parabéns Kid! Pelo texto e pela epifania!
    Temos que lutar no dia-a-dia e mesmo aqueles muitos q ainda dependem dos pais, mas ñ por parasitar, mas por problemas gerais. Realmente o Brasil tem menos oportunidades q um país organizado e com pouca população como o Canada. Temos q estudar muito para passar em uma faculdade boa, e mais ainda pra conseguir tocar um curso superior, como vc deve saber pela sua experiência com o curso superior de Física. Alias, este é sempre foda de se formar e a grana q dá em geral é pior q a maioria dos cursos. Puta incentivo a ciência…”Vamu lá meu Brasiusiusiusiu…ganha Copa do Mundo!”
    Mas a vida continua! Melhor focar nas coisas que conseguimos e relevar um pouco se erramos em algo no passado q poderia ser evitado, ou seja, aprenda com q fez certo e com q fez e rrado e vamos “prufuturu”!
    E mais uma coisa pqp 20Mbps de velocidade de download, aposto q ñ custa os R$500/mês q custa algo assim por aqui!

  137. oozi says:

    também sou privilegiado nesse ponto kid, tenho tudo que sempre sonhei quando moleque! o/ obrigado por me mostrar isso, agora to feliz!

  138. CCCC (discípulo) says:

    Kid viado, vai morrer de tanto top 5 no cu.


    é uma pena que os sonhos de infância realizados hoje não tenha a mesma empolgação.

  139. Darox says:

    Ah a uns 20 anos atrás quando eu tinha 10 anos eu só queria 3 coisas:

    -1 computador pc , meu primeiro foi um MSX
    (missão cumprida)
    -1 carro veloz (missão cumprida)
    -constituir família (em andamento)

  140. alpha says:

    “Baixar filmes, embora tecnicamente possível, era completamente impraticável. Baixar um único filme, um fim de semana de cada vez, poderia teoriamente demorar anos.”

    um mes, de sabado 2 da tarde ateh segunda 2 da manha, com milhares de reconnects. me lembro de ter baixado matrix desse jeito e a discografia do blaze bayley. m/

    “progenitores”

    eh genitores, kid, progenitores eh vovô e vovó, pelo menos assim eu aprendi. to com preguiça de conferir. ^^

    fornicar sem preocupação. isso é uma utopia pra mim. eu tenho um pai que parece a mãe do howard de the big bang theory… por isso que soh faço concursos pra cidade vizinha. no começo de 2010 serei nomeado pra trabalhar em uma outra cidade e te escreverei um e-mail “yes, i can!” 😀

    quanto a parte do video-game, eu keria um snes e minah mãe me comprou um atari 2600 e ainda tinha akela lenda que gente velha inventou pra molecada sair do vicio dizendo que video-game ligado mto tempo queimava a televisão, daih a molecada preferia jogar pouco a naum jogar nada se queimasse. eu acreditava nisso.

    agora eu: quando eu era guri eu sonhava com um home theater com uma tv de 29″, um videocassette panasonic, um som sony, um sofazão mto confortavel, um ar condicionado(viva a bahia!), um arcade e um frigobar, tudo isso pra assistir rambo! na verdade acho que nem existia o conceito de home theater, eu que fazia as vias de “arquiteto eletronico” em minha cabeça.

    otimo texto, kid!

  141. FL says:

    “Poder trepar em casa sem medo de ser pego pelos meus pais”

    Com certeza é o melhor motivo de morar sozinho. Enquanto todos meus amigos precisam ir para um motel para trepar, eu posso fazer isso na minha cama.

  142. DuduH says:

    Muito bom o texto Kid !

    Cara posso te dizer que com os meus míseros 16 anos, eu tive a “oportunidade” de usar internet discada, ouvindo aquele barulinho escroto, que acordava os meus pais à meia noite. Hoje tenho os sensacionais 2MB de Internet ( Sensacionais mesmo ! Para quem tinha internet de 28kbps, isso se torna coisa de outro planeta. )

    Pior ainda foi meu primeiro computador que era um Pentium 166mhz , antigão pra caramba.

    Olhando hoje, me sinto o cara mais sortudo do mundo. Tenho PlayStation 3 e um PC Gamer totalmente equipado, para rodar qualquer game da atualidade.
    Não que foi fácil arranjá-los, pelo contrário, meus pais deram duro pra pagar. E eu nem imaginaria, eu tendo toda essa tecnologia à alguns anos atrás, em que eu ficava no PSone jogando Winning Eleven.

    Ainda tenho muitos sonhos…

    Dar uma trepada com minha primeira namorada;
    Entrar na faculdade e fazer Engenharia da Computação;
    Aprender Inglês;
    E por incrível que pareça, muito antes de eu conhecer seu blog, eu já tinha o sonho de ir para o Canadá ( E não, pode ter certeza, que não foi por tua causa. Eu realmente sonhava a muito tempo morar no Canadá, por ter amigos de infância que foram para lá =/ )

    Acho que é isso por enquanto.
    Construir uma família, não está nos meus planos futuros. Mas quem sabe ? A vida é um game, pronta para ser devidamente jogada e conquistada.

  143. Rafael Lacal says:

    Show de texto, kid!

    Bom, meus objetivos agora atingidos, que eu sempre quis qdo criança:

    1. Ter minha própria casa;
    2. Ter minha própria moto (fiquei mto triste qdo meu pai não autorizou a tirar carta de moto, mas nada que o tempo não resolva);
    3. Ter uma noiva linda;
    4. Ter um desktop E um notebook;
    5. Ter um salário de 4 ou mais dígitos (ainda estou no 4º, mas quem sabe no futuro eu consiga o 5º?);

    Entre outros (texto vai ficar excessivamente grande x-x)

  144. Mingau di Mixirica says:

    absolutamente fantastico….
    acho que é o primeiro post que me fez pensar de verdade sobre essas coisas…

  145. dh says:

    Aqui também demora 5 pra baixar um filme. Semanas.

  146. Lana says:

    Bom, há 10 anos atrás eu tinha 8 anos, então minhas ambições se extendiam a ter tv a cabo em casa pra assistir desenhos no Cartoon(sonho ainda não realizado).

    O que eu queria estar fazendo aos 18 anos era desenhar bem pra caralho e estar fazendo faculdade de música e cá estou eu, fazendo ciência da computação e não solo bosta nenhuma na guitarra. Mas meu maior sonho mesmo é não ter que dividir minha comida com ninguém e poder comer o que eu quiser(minha família é ultra-natureba e sempre que a minha mãe compra alguma coisa boa tipo chocolate aqui pra casa, quase rola tapa pra ver quem pega o maior pedaço).Os tempos mais felizes da minha vida foram quando eu começei a almoçar na escola e minha mãe parou de regular o que eu comia.

    Enfim, já estou organizando minha mudança pro curso de artes plásticas e vou tentar a escola de música mais pra frente, só tenho medo de morrer de fomee de que daqui há 10 anos estejamos morando no subsolo graças ao holocausto zumbi =p

  147. Algust21 says:

    Alto nível esse ein… parece que o HBD voltou com tudo mesmo!

    Sobre o texto: E sabe o mais curioso disso tudo? AQUELE PASSADO FAZ FALTA!

  148. Júlia says:

    Tava comentando com uma amiga que eu leio esse blog desde 2004 e a tua evolução é embasbacante. Não que tu fosse um retardado cinco anos atrás, mas até tu deve achar que era bem mais infantil e/ou grosseiro. Dá pra ver um amadurecimento de longe e foi legal ver que isso foi bem recebido. Porque teoricamente o público, que era cheio de imbecis (e muita gente legal pra caralho, é claro. Beijo FHBD de 3 anos atrás!), não ia gostar. Não tem muita relação com o post, eu só queria comentar porque estava falando com essa amiga que achou o mesmo, e porque dias atrás o namorado, que também lê desde 2004, falou algo nessa linha.

    10 anos atrás eu tinha 8. Não tinha videogame, ia recém ganhar um PC, não tinha tv a cabo, estudava numa escola que eu achava ruim, tinha pânico de andar sozinha por aí e, principalmente, achava que ia morrer sozinha, porque sofria bullying pra caralho e nada estava mais claro pra mim no mundo que todos os seres humanos da face da Terra não tinham outra função senão dirigir seu ódio latente pra mim. É meio parecido com o teu caso até. A coisa mudou drasticamente: namoro tem quase cinco anos, moro com o namorado (e com a minha mãe, que não poderia ligar MENOS se estamos trepando pela quinta vez ao dia. Beijo mãe), ando pra tudo que é lugar, mamãe provê tv a cabo e se não puder mais prover a gente dá um jeito porque eu descobri, ao longo de uma década, que não sou uma merda. hahahaha É uma descoberta super legal de se fazer cedo na vida.

    Qual o assunto do livro?

  149. Caá says:

    Texto foda, cara. Tô numa situação mais ou menos que lembra a tua: 23 anos, casado, vindo dum interior (Bauru no meu caso) pra cidade grande (SP). Ler esse tipo de post é bacana, pra mim. 🙂

    E ow, Elo Internet é algo que pessoas que passavam as férias com PRIMOS em São Luís também entendem, ok? 😀

  150. crissthunder says:

    Mais um texto show de bola!

    quando lançar o livro vou querer comprar um cara.O legal do livro vai ser compartilhar com as pessoas sobre todo o processo de ler o blog e um dia estar com o livro na mão!

  151. n00bz0rd says:

    Muito bom o texto, Kid, serião. Faz a gente pensar. Apesar de ter 17 anos ainda tenho noção de como é isso.
    Daqui alguns anos vou comparar minha vida com a de hoje. Mudanças que sempre quis, mas que realmente pareciam impossíveis. Mas enfim, Parabéns.

    btw: quando lançar o livro, cuma cópia pros leitores 😀

  152. n00bz0rd says:

    ter 17 anos ainda, tenho noção de como é isso*** Essa vírgula mudou o sentido lol

  153. Bera says:

    Hahaha!
    Muito bom! Tô rindo muito aqui!
    Me identifiquei muito com o post, pois eu era o unico cara da minha rua que tinha Mega Drive(meu preferido), SNES, e Game Gear! Na época eu me acha o máximo por isso!
    Abraço!

  154. Paulo says:

    Opa, encontrei seu blog agora e me identifiquei 90% com seu post..

    Apesar de só ter uma conexão de 1 mega e mora no Brasil ainda, todos os demais itens se assemelham com a minha vida. Ri muito com a parte do mIRC e super invasões de netbus

  155. BrunoMuska says:

    Cara, eu me contendo em ter uma placa de vídeo aceleradora… Sempre dou uma risadinha de canto da boca quando olho para o meu pc. Na minha infância regada por Joinnet (algo pros mineiros de plantão) eu sonhava em ter uma voodoo banshee.. Outro, ter carteira de motorista e por aí vai ^^

  156. BrunoMuska says:

    *contento OK?
    Esqueci! Hoje eu consigo levar menos de 3 horas pra baixar pokémon!

  157. Candyman says:

    o que me deixa feliz hoje e eu não tinha 10 anos atrás?

    internet.

    só isso, simples e puramente.

  158. Gui says:

    Um dos melhores posts que já li por aqui. Sim, refletirei sobre a questão que você lançou, e logo comentarei. Parabéns.

  159. Thito says:

    Aqui em Ctba era todo dia após meia noite :), foi aí que minha vida de notívago começou ( nunca mais voltou a mesma). Pra mim só falta morar sozinho hahaha =D

  160. George Assis says:

    Só para constar, a ELO internet ainda existe aqui em São Luis, quase morrendo mas existe =D Eu era do megadrive, na época só queria um videogame, mas eu queria mesmo um SNES. Depois de um tempo eu consegui comprar mas ai ficou impossível pedir pros meus pais comprar os novos consoles, afinal eu já tinha 2 videgames certo? Hehehe. Também consegui realizar muitas coisas, mas falta muito pra abraçar todas as minhas obrigações da vida adulta.Belo post Kid

  161. Joao says:

    Cara, essa de entrar depois da meia noite, programar pra desligar as 6 é minha adolecencia kkkk. Férias era o paraiso pq nao tinha que acordar pra aula no outro dia.
    Naquela época sonhava em ter internet rápida (fiquei desesperado quando colocamos e nao funcionou. Uma semana pra concertar) e ter uma camera digital (eu so conhecia UMA pessoa que tinha uma, de 2 megapixels).

    Mas cara, internet com essa velocidade é algo que ainda sonho hoje em dia. Mas tem estatísticas que mostram que a internet do Brasil é tipo uma das piores do planeta em questão de evolução. Esse ano que planos de 10mb estão sendo vendidos a consumidor final . Já celular com internet (nao quela porra de wap) é coisa do futuro por aqui. Até tem celulares com internet, mas os planos são tipo rídiculos. Ainda funcionam por transferencias de dados. Por 69,90 vc tem 500 MB de “internets”. Nem falam em velocidade. Um mundo tecnológico melhor pra brasileiros era meu sonho e é até hoje u.u

  162. Andrey says:

    Irmão, falar o que? Só posso dizer tu é foda, levantou a moral de geral inclusive a minha, mandou muito bem meu camarada, são coisas que já sabemos, estão esquecidas e precisamos ouvir para acordar, se dar conta que o inatingivel do passado é o trivial hoje, e o inatingivel hoje, pode ser o trivial de amanhã. Parabéns irmão.

  163. Grama says:

    Kid mto foda esse post, me fez refletir bastante e bate exatamente com a realidade que estou vivendo agora. Fazia tempo q não lia um post bom como esse nos blOgs q eu freqüento. Abracos sucesso!

  164. Rojinho says:

    realmente gostei, esse negócio de simplesmente esquecer sonhos que a 2 anos atrás me seriam SUPER LEGAIS é comum, o que antes ter internet em casa era algo sensacional onde agora que disponho disso a hora que eu quiser se tornou fútil, “nossa se eu tivesse internet poderia baixar, escrever, ler, NOSSA, ‘EU SERIA O CARA'” hoje não faz TANTA diferença!

    Valeu!

  165. Toloko says:

    Gostei do tema Kid, parabéns pelo texto! 😀
    Eu tenho 20 anos, e como também peguei gosto pela informática desde pequeno, fiquei tenso só de lembrar quando você mencionou “…setecentos arquivos .ZIP e programando o GetRight…”
    meoooooooo deosssssssssss uhahuahuhaa
    E pra levar rom de pokemon e emulador pra casa dos amigos conhecerem a tal maravilha de jogar Pokémon no pc??? Dividi tudo em trocentas partes e ainda fica pondo e tirando centenas de diskets igual um asno hahaha xDD

    Uma coisa que veio a cabeça quando você falou pra gente pensar nas nossa vida, foi uma coisa que por incrível que pareça contei pra minha mãe a algumas semanas, porque fiquei feliz com o ocorrido e quis compartilhar com ela
    -- Quando eu era pequeno vivia ouvindo dos meus pais “sai desse computador e vai ler um livro”. Teve uma época que chegaram a chantagear eu e meu irmão dizendo que se a gente não lesse nada, não teria pc! Mais papo pra assustar, o precioso nunca foi tirado de nós! =D
    La pelos meus 14~18 anos eu comecei a ler algum livro que me INTERESSASSE. Porém demorava MAIS DE 6 meses pra terminá-lo. Eu estudava de manhã, a tarde/noite livre era no PC ou vídeo-game. Eu lia apenas quando fosse pra casa dos meus avós, onde não tinha nada dos meus “brinquedos”, então levava o tal troço de páginas. Como eu ia pra lá a cada 15 dias, então realmente demorava zilhões de anos pra terminar um livro.
    Hoje eu faço ADM a noite e no período da manhã faço um estágio ridículo (que só faço por me garantir a bolsa na faculdade – particular) onde eu fico na recepção durante 5:30h por dia. Meu PC é o único que não tem internet naquela bosta! Então eu tinha que arrumar um jeito de passar o tempo. Como não queria levar o PSP ou instalar nada no computador (que era um Pentium com 32mb de ram e hd de 8gb, rodando Windows 95, hoje é um Celeron 1.1, 256mb e hd de 40gb – continuo sem internet) me deram a dica de levar um livro. E levei. Minhas manhãs hoje se resumem a leitura.
    Foi quando fiz um balanço dos livros que tinha lido e fiquei tão surpreso com o resultado que resolvi contar pra minha mãe. Em 14 meses de estágio eu li 21 livros!!! Fiquei bobo. Bobo feliz. Nem imaginava que aquele nerd que demorava mais de 6 meses pra ler um único livro, iria ler em média 1,5 livros por mês.
    *Poderia ler mais ainda, porém continuo passando meu tempo livre no computador/game deixando pra ler apenas no estágio. Mas mesmo assim fiquei feliz comigo mesmo =D

    Qualquer dia vou te mandar um e-mail com umas perguntas, daí se for do seu interesse responder, eu agradeço.

    Flw Izzy, Abraço

  166. Ajax says:

    Outra coisa, tatuagem. Sempre quis ter, e hoje, tenho metade de um braço fechado 😛

  167. ZZ says:

    É Kid, eu concordo com você quanto ao “parasitismo” das pessoas em relação aos pais. E o pior é que tem gente que acha que a gente é babaca por citar coisas assim (vide alguns ex-amigos). Mas acredito que eu tenha, assim como você, conquistado já várias coisas que queria quando adolescente.

    Eu tenho 24, ja moro só desde os 23, moro em Brasília e a maior conquista de todas foi viver na capital e morar sozinho, ser totalmente independente financeiramente e não ter feito nem concurso público e nem estudado numa federal. (Sim, eu detesto a federal e eu acho serviço público um parasitismo pior que o dos próprios pais).

    E das minhas conquistas posso listar:
    1 -- Ter minha casa e, também, poder copular aonde bem entender.

    2 -- Ter um computador só meu e ter 1 console de video-game. Nunca quis ter mais de um, nunca fez muito sentido para mim. Mas, poder jogar durante 12h seguidas era, literalmente, utópico.
    Para piorar a situação, minha mãe DEU o meu SNES para o meu primo. Simplesmente pq um dia fiquei jogando até as 2h da matina. Pior castigo EVER.

    3 -- Ter meu próprio carro e poder sair de onde eu quiser para onde quiser sem precisar “chorar” pela chave do carro.

    4 -- Ter uma televisão maior que 14 polegadas. Minha familia nunca foi muito ligada em tecnologia. Por isso mesmo televisão maior que 14 polegadas era um absurdo. Eu finalmente tenho a minha e ela é maior que 30. 😀

    5 -- Não precisar dar satisfação de algumas coisitas familiares/caseiras. Essa é a mais sublime e suprema de todas. O simples fato de eu chegar em casa às 6h da manhã e perceber que só a minha cama me aguarda é fantastico. Lembro-me que quando morava com a minha mãe. Tinha que dar satisfação da gasolina gasta, do horario chegado, da companhia (caso houvesse uma) e pra piorar tudo ela só dormia quando eu adentrava meu quarto.

    6 -- Emagrecer. Essa foi árdua, mas depois de me formar eu consegui emagrecer 12 Kgs. E atualmente mantenho uma atividade física (e o peso) que amo. Só tenho que aprender a respeitar agora a minha genetica.

    Ainda falta eu ter uma batera maneirissima (que por morar no Brasil vai demorar uma DW custa o valor de um carro. 🙁 )e comprar minha casa. Mas agora é necessário paciência.

    Acho que basicamente é isso.
    Ah! E só uma coisinha
    Se você pensar é muito “feliz” a sua ex ter te traido. Assim você casou com uma mulher que parece gostar muito da sua pessoa. A gente costuma não entender muito os propositos das coisas que ocorrem ao nosso redor (vide, vc ter perdido o emprego naquela época) mas quando respiramos e deixamos o primeiro soco da vida passar. Começamos a enxergar muito melhor as coisas.

    Abraços

  168. Marc says:

    Hahaha! acho que se você voltasse 10 anos e falasse pro kid-boy tudo isso, a primeira reação dele seria: “Esse gordo sou eu?”

    Enfim, o início do texto está muito bem escrito!

  169. Estevão says:

    wow..Kid…você ja ouviu falar de uma banda canadense chamada Broken Social Scene?

  170. Rafa says:

    tenho “apenas” 14 anos, então ainda não realisei tantos objetivos assim, mas ainda sim consegui alguns, como: ter o video-game do ano(no caso o X360, mas como o seu deu 3rl), mas ainda tem outros como: morar sozinho, trabalhar, ter todos os video-games disponíveis, meu próprio pc. Também vivi a época da conexão dial-up durante 6 anos, quando consegui uma banda larga foi de apenas 200K, e estou com ela até hoje.

  171. Kid Saraiva Jr. says:

    Me lembro ao ler o texto do lendário Diálogo (ou trialogo, ou quadrialogo…enfim) com o Merovingiam no filme MATRIX….

    Muito bom post! Parabéns!

  172. Markim says:

    Porra Kid essa lista foi otima, raxei…

    Na minha lista em relação a sua, esta faltando o ultimo item, mas a adrenalina de ser pego pelos pais é o melhor…kkkkkkkkkkkkk

    Abraços.

  173. Ezequiel says:

    Nossa fiquei várias horas lendo todos os comentários, que além do texto trazem uma coisa muito boa, acho que é a sensação de ver pessoas com situações parecidas com as suas…
    Me fez refletir várias coisas…

  174. Marcus says:

    Lendo esse texto a sensação de fracasso é inevitável: Enquanto o Kid mora em um país de primeiro mundo, tem casa, gadgets e mulher à vontade, eu aqui no Brasil não pego ninguém há um tempão, não tenho emprego e nem faço faculdade. Um perfeito LOSER.

  175. R says:

    Tenho 19 anos, então acho que ainda tenho muito tempo pra realizar sonhos infantis.

    Mas antigamente eu queria ser advogado, pqp eu nem reclamo de nunca realizar isso

  176. 18milTin says:

    Centésimo septuagésimo sestão! Conquistas infantis, as minhas eram mais tipo ver pokémon sem ouvir algum dos meus pais gritando: desliga essa porra q é do demonio!

    ou Jogar o q eu quizer sem ouvir:Isso aí é sangue?

    tbm: Ter meu próprio pc e rodar todos joguins q eu tanto amei como last blade ou ffvii e claro como yu yu hakusho final de snes q desde q eu tinha vendido o meu snes ou qria jogar denovo sem ouvir meu padrasto dizer: tira essa porra do satã do MEU computador muleke do capeta!(*rindomuitoaltomesmopkraioabeçaxD)*

    última a adicionar e única não alcançada: fazer sexo(não solitário no sandrinha, sandrinha é só um exemplo hentaipie é o meu atual)podem rir da minha desgraça.

  177. Aston says:

    Legal, mas ai é tudo material, é obvio saber ou não, mesmo coisa um pedreiro desejar um dia ter uma ferrari.
    E acho que faltou coisa ai Kid, vc poderia colocar como sendo sortudo ser tao banhudo, cearense e feioso e ta no canadá com uma loirona, ou então se for verdade a ultima parte do post, q vc magrelao nerdão como na foto do seu 1º dia no canada pegou umas caiçara lá.

  178. noko says:

    Newfags can’t TRIFORCE
      ▲
    ▲ ▲

  179. Thiagone says:

    WTF?????????

    Newfags can’t TRIFORCE

    ▲ ▲

  180. Leandro says:

    algumas coisas eu já consigo, como trepar em casa com a namorada sem ser escondido e ter meu próprio pc em casa, sem ter que passar dias na casa de primos/tios pra poder entrar no mIRC T_T
    e hoje tenho meu próprio contra-baixo, que paguei com meu próprio salário *o*
    me orgulho muito disso, e se eu falasse isso pra quem eu era a 10-5 anos atrás
    com certeza seria um choque! XD

  181. Anyh says:

    aaahh nem fale em ter um pc só pra mim ainda tenho esse sonho *-*
    verdade ter conexão constante a internet era meu sonho quando eu era pequena tbm
    eu só podia usar duas vezes por semana a internet por que se não saia muito caro --‘
    agora ter vááários video games quem não tem esse sonho?? *-*
    acho que é o sonho de todo mundo q é viciado em joguinhos XDD

  182. Fernanda says:

    Noussa.. esse lance de sexo é engraçado mesmo.. eu em casa, era toda recatada e com 15 anos fazia sexo como uma louca porque achava gostoso e legal, eu tinha vários carinhas que eu saía.. Eu dava na escadaria do prédio, no carro em tudo quanto é lugar.. menos em casa que minha mãe nunca saía de lá.. Aff..
    Hoje, com 28 anos, malho, vou à academia e me aperfeiçoei em usar meu corpo para conseguir o que quero.. e hoje eu tenho tudo.. Ainda bem que sou bonita e gostosa e não uma gorda feia coach potatoe 😀
    Bem.. aproveitem a vida.. ela é curta!

  183. Wanessa says:

    No final das contas seu POST ficou show. Foi mais uma lição do que qualquer outra coisa.
    Você fechou muito bem, pedindo pra olharmos para o lado e perceber as coisas, ser feliz!

  184. vinicius maciel says:

    parabéns kid, mais um texto ótimo.

  185. Great Expectations « A PESSOA COMUM says:

    […] Dezembro 17, 2009 — Julio César Mulatinho Lendo o post do @izzynobre sobre como de repente ele se deu conta de que realizou todos os seus objetivos de […]

  186. Lucas Simão says:

    Mais um texto bom 😀

    Coisas q eu só e somente sonhava a anos atras:

    -notebook
    -um dos ultimos consoles (xbox360)
    -tv huge modafocker 40” (nakela epoca era)
    -trabalhar com informática (software developer)

    bem é isso 😀

  187. Pooly says:

    Nossa eu ri mto lendo este post!
    Um dos meus sonhos era mudar de escola, desde da 7ª série sonhava com isso! Agora esse sonho era até tosco, pq não era tão aquilo que imaginava!

  188. Xong Lee says:

    Izzynobre também é auto-ajuda! heheheh

  189. Parabéns ótimo texto.
    Ter meu computador, minha faculdade de TI, minha casa. Foram grandes objetivos atingidos em minha vida. Falta só a familia…

  190. Breno says:

    Tô com 31 e me sinto na mesma geração que você. A diferença é que devo ter vivido mais a fase Atari. Não me sinto loser apesar de depender dos meus pais pra muita coisa. Hoje farei as últimas provas rumo ao meu terceiro curso universitário. Sou formado em Jornalismo e Artes (música). Agora minha meta é Direito. São 100 vagas e estou em 41º. Confio em Deus para o sucesso.

    Acho que todos de nossa geração tem sonhos parecidos. Já alcancei alguns dos seus (que também são meus), mas pra mim, o fundamental e saber que estou avançando. Que não estagnei nem comecei a andar pra trás.

    Boa sorte com seu futuro, Izzy!

  191. Cynthia says:

    Bolar planos, realizá-los e partir para outros; nunca parar. Isso é vida 🙂

  192. phpones says:

    Esses dias até comentei com a patroa que se eu pudesse voltar no tempo, lá pra 1990~1995, eu levaria meu PSP carregado de emuladores.

    E não só me visitaria e blowaria minha mente, mas faria questão de visitar a Nintendo, a Sega (e falar que eles iam se foder) e etc.

  193. Karolline Paiva says:

    “O portão automático da nossa garagem demorava mais ou menos 20 segundos pra abrir completamente e permitir a entrada da Parati do meu pai. Com isso meus progenitores perdiam o elemento surpresa; eu e a minha namorada da época nos tornamos especialistas em nos vestir em tempo recorde.” ri muuuuuuito com essa aí! até porque aqui em casa também há o portão automático, e quando faço algo não permitido eu tenho o alarme das engrenagens para me salvar haahaaa, mas não para sexo. Sou uma garota casta B-)

  194. Leandro says:

    Viu, Kid, quando eu tinha mais ou menos uns 19 para 20 anos, meu objetivo era conseguir jogar no meu velho Pentium 233, o Settlers IV -- que não rodou nem a pau.
    Resolvi vender o micro (por R$900,00 na época) e com o dinheiro abri uma pequena loja de informática na minha cidade, que anos mais tarde teria mais de 25 computadores.
    Posso dizer, que hoje, jogando The Settlers IV no meu Athlon X2 chinfrim, me sinto razoavelmente realizado.
    Por causa desse jogo bendito eu resolvi trabalhar duro para conseguir um micro melhor para poder rodá-lo.
    Acho que essa é a essência da vida.
    Sonhar para tentar realizar.
    Vale a pena.

  195. @xande360 says:

    Simplesmente resuniu a minha vida.
    Ótimo texto Kid.
    Lendo isso meda coragem de tentar os sonhos q tive…morar fora do pais e talz…Sua historia de vida me faz acreditar q tb posso.
    Abraço.

  196. Afonfo says:

    Eu to com 15 e não tenho nem metade disso realizado…principalmente a parte de trepar! Mas isso agente resolve, hoje em dia puteiro é o que não falta…brinks

  197. Higor says:

    Que lindo, tio Quide lê o que eu digo *-*

    Não sou tão velho quanto você, mas alcancei os tempos de barulhinho de conexão de internet discada… era a mesma emoção de ganhar uma copa quando conectava…

    Excelente post!

  198. Kerol says:

    Até hoje não consegui ter a Ferrari rosa da Barbie!

  199. mônica says:

    “Mas o raciocínio por trás deste texto é que há uma grande chance de que, daqui a dez anos, muita coisa que eu almejo hoje se torne parte fundamental da minha vida, a ponto de que eu nem perceba que atingi esses objetivos. E isso é o suficiente pra me fazer sorrir hoje.”
    Simplesmente lindo…
    =)

  200. João Roberto Wasem says:

    Eu perdi um intercâmbio para o Canada, sim exatamente o país que você está morando. Por não ter estudado e ter que fazer prova em Fevereiro

  201. Gian says:

    Ótimo post Kid!
    Pô cara, quero fazer uma pergunta não ligada ao texto, mas, você pretende voltar pro Brasil pra morar? Ou pretende ficar no Canadá?

    É só uma curiosidade, abraço!

  202. Sério, cara, achei seu texto FANTÁSTICO.
    Começou como um comentário satirizando a si mesmo mas no final, talvez não intencionalmente, passou a quase um lembrete de ver o lado bom das coisas. Pode ser porque eu também não estou curtindo tanto meu curso na área de exatas quanto esperava, mas a vida acadêmica às vezes se torna um porre violento.
    Mesmo sem atingir o objetivo-mor que desde pequeno tenho, que é a independência financeira, já consegui outras coisas que antes eram praticamente intangíveis. Hoje É um bom dia.
    Abraços o/

  203. BRuno Lopes says:

    “Lá pelos meus 14 ou 15 anos, arrumei minha primeira namoradinha que não se chocava quando minha mão boba explorava áreas femininas que eu só conhecia através do formato .jpg.” <<< Essa foi a melhor.. huahauhauhau

    BEm, um "sonho" de infância realizado foi, assim como tu (eu não poderia deixar de ser cacofônico nesse caso =P), ter internet rápida (para os padrões da minha cidade) a toda hora e ter um PC com placa de vídeo show de bola… hehe
    Outro foi a aquisição do meu carro.. É incrível como um leque de possibilidades se abre a partir disso…

  204. Thaís e Nina says:

    ótimo texto! tu escreve extremamente bem (:

  205. Jordy says:

    transar em cima do fogão?!!!

  206. carol animaker says:

    Engraçado. Eu já pensei e penso nisso às vezes (não tenho sua idade ainda, nem realizei tantos desejos). Isso é importante.

    A vida é assim: Você não tem A MÍNIMA NOÇÃO de quando e como as coisas vão acontecer com você. Você pode simplesmente desejar e planejar.

    Lembrar de como você desejava algo que tem hoje, e brincar de voltar pro Eu do passado e dizer “PORR*, MOLEQUE!1 DAQUI A TANTOS ANOS TAL COISA VAI ACONTECER!1” e se imaginar borrando as calças de emoção é algo impagável!

    Deve ser o Eu do passado vivo ainda em nós que nos faz sorrir. Snif, snif.

  207. WILLIAM says:

    parabens pelo site.
    visite YOUTUBE sessão TRAPINHASTUBE e assista VIRGINIA DE MAURO a LULLY de BETO CARRERO com musicas como CAVALEIRO DA VITÓRIA , MEU PADRINHO BETO CARRERO entre outras ao lado do eterno cowboy.
    VIRGINIA DE MAURO é seu ultimo desejo. movido pelas mãos de Deus

  208. Leandro Kotonete says:

    legal a história,po a guerra dos video-games era loka…
    muitas coisas viraram fase dois do jogo,coisa de se fazer pq tem q faser mesmo…
    bem legal

  209. […] Desejos Realizados: Top 5 desejos infantis que eu consegui realizar […]

  210. José says:

    A única coisa que conquistei que faria o meu eu de 10 anos atrás sujar as calças de emoção é a banda larga de 3mb e acesso o dia todo, apesar de que ela apresenta sérios problemas. De qualquer forma, ainda livo com meus pais, e eles pagam a internet, então acho que não foi uma conquista minha. Aliás, esse acesso constante à internet foi o que me transformou no fracassado que sou hoje, socialmente, profissionalmente e em todos os outros aspectos da vida. VDM

  211. Theus says:

    Cara, texto muito bom. Tenho hoje 15 anos e, meu “maior” sonho atualmente, talvez não atualmente, mas em um determinado prazo, é ser independente financeiramente.

    Nem deveria pensar nisso -- ou deveria? -- hoje, mas penso. Quero trabalhar na área de informática, algo como análise, programação ou webdesign, e me imagino independente dos meus pais em questão financeira. Oh 🙁

  212. Felipe (jump) says:

    Conheci seu blog hoje. Já tinha visitado seu twitter várias vezes, mas não tinha me interessado o suficiente. Passado!

    Fiquei emocionado ao terminar de ler seu texto. Tenho 18 anos ainda, mas já vivi várias coisas e ainda vou viver tantas outras. Você disse que às vezes não damos valor àquilo que conquistamos. Sinto que algumas vezes já fiz isso na minha vida, só reclamei e esqueci de agradecer por aquilo que conquistei.
    No entanto, hoje, dou valor as coisas que conquistei. Os meus bens materiais ainda estão um pouco longe de conseguir já que não trabalho, ainda. Mas quanto a minha formação e educação estou orgulhoso já que meus pais e minha tia e madrinha lutaram juntamente comigo pra que eu conseguisse mais essa vitória. Digo que é uma vitória porque sou o 1º da minha família a entrar em uma universidade. Eis, aí um desejo meu de quando criança sendo realizado.

  213. Bia Almeida says:

    Bem, dos sonhos que eu tinha não me lembro muito. Acho que a internet e a faculdade eram os principais.

    Mas dos meus sonhos de agora eu sei: quero ser pesquisadora (tô me formando em química), quero ser “conhecida” pelo que escrevo (eu não estou colando de você, acredite), quero ser fotógrafa e ter minha Nikon D90, quero viajar pra Fernando de Noronha pra fotografar…

    Basicamente é isso. E tem um cara que ultimamente anda nos sonhos também, mas isso é mais difícil.

  214. Camilo says:

    aproveite qu eesta empolgado com posts e hbdtv’s e continue escrevendo teu livro .. . todos nós certamente alcançaremos objetivos que antes pareciam impossiveis … mas isto nos prova o quanto evoluimos ..

  215. Bru says:

    10 anos atras?..

    bom, agora tenho meu pc e net ilimitada oq era impossivel antes xD
    td bem que nao tem 19 mb HSUUHSHU mas eh algo *-*

    uma coisa que mudou msm foi o fato de eu querer cursar Artes na faculdade.. e hoje eu faço Direito, deixando artes mais pra hobby xD

    importante msm eh ser feliz e realizado como da né!?

    (mas eu queria todos os consoles do mercado T-T)

  216. @leonardoafs says:

    Muito legal seu texto , Izzy . Nostalgia pura … Vivi quase as mesmas coisas que vc , só que com uns 7 anos . Era todo sábado , comendo um franguinho de padaria com uma coca bem gelada , ouvindo aquele barulinho irritante , mas prazeroso . Entrar na internet era algo mágico , coisa que hoje em dia nem é mais … E eu agora estou vivendo esse dilema do “o que será meu futuro” , experiências sexuais , orientação política etc. E para complicar mais ainda , terei uma parte do meu ( nosso ) sonho realizada : vou morar 2 meses na França . Não é que eu odeie o Brasil , mas quero sair pelo mesmo motivo que você apontou : as oportunidades . E assim tentarei levar minha vida , descobrindo quem eu sou , e quem serei . Essa é a graça da vida ! 😉

    PS : Izzy , como sou pobre , vou comprar uma cam no freeshop , e se quiser ver alguns videos (talvez meu vlog) a partir de Dezembro , é só seguir no twitter . E se tu leu mesmo esse comment , dxa um reply lá ! FLW Izzy , até um x2 no MC2 !

  217. Renata says:

    Texto otimo… Sou mais feliz hj por sua causa… A gente tem a capacidade de sempre diminuir o q temos e q o do outro eh muito melhor. Valorizemos nossas conquistas!
    Obrigada!

  218. Gustavo Borges says:

    Estou começando agora a vida de blogueiro, e a algum tempo a de escritor,achei fantástico o seu texto,especialmente a parte “Lá pelos meus 14 ou 15 anos, arrumei minha primeira namoradinha que não se chocava quando minha mão boba explorava áreas femininas que eu só conhecia através do formato .jpg.” Certamente darei uma checada melhor no site para conhecer outros textos…

  219. @deadlyweapons says:

    Muito genial esse texto, cara. Espero, daqui 10 anos, poder olhar pra trás e ver que muita coisa que seria boba me faria uma das pessoas mais felizes do mundo hoje [enrolei tudo aqui, né?].
    Mas é isso aí, congrats pelo post e pelas ‘conquistas’ haha. 🙂

  220. Camila says:

    Depois de ler todo o texto, entendo porque fosses chifrado.hehee

  221. Melhor texto EVER! Nunca vi algo tão verdadeiro e que me fez pensar em como era nos anos 90, ter a minha idade, 15 anos.
    Eu usei MUITO internet discada apenas nos fins de semana. Até hoje lembro do barulho do dial-up. Ás vezes eu deito na cama e começo a lembrar de como era a divisão de tempo no Pentium 166MHz com 32MB de RAM em casa. Eu lembro que demorava mais de uma hora pra baixar o Windows Media Player 9 no meu Windows 98.
    Kid, melhor texto seu esse. Gostei!

  222. Tonny says:

    Eu tava quase sorrindo com esse texto, mas daí percebi uma coisa: além de não ter realizado absolutamente NENHUM dos meus “sonhos” de 10 anos atrás, e desses aí que vc falou eu só tenho computador e internet (e o computador na verdade é um netbook =/). Ou seja, mó derrota minha vida até agora, só conquistei coisas que eu não queria, ou que não me deram muito trabalho =(
    [sobe o solo triste de violino]

  223. stripolias says:

    que bonitinho. mas é verdade, é a máxima do “eu quero sempre mais”. Sempre terão objetivos a serem alcançados, senão, qual a graça de viver? só desfrutar da felicidade sem buscar mais felicidade, aquela a qual não experimentamos ainda?

    quando eu quero piveta coisas que eu queria fazer/ter e já fiz/tive: beijar na boca (tenho 23 anos e já tive dois namorados, fazer isso é absolutamente normal. haha), sair do país (morei um mês na argentina e fiz um mochilão de 40 dias pra europa), dirigir (ok, ainda não 100%, mas sou habilitada e tenho um veículo automotor pra chamar de meu), usar salto alto (coisa de mulher, saca?) e comer sobremesa antes das refeições (afinal, agora minha mãe não briga mais comigo, eu não vou deixar de ingerir vitaminas necessárias mesmo tendo comido um pedaço de bolo antes. COisas pequenas, né? mas ainda quero muito mais. haha!

  224. Thallis says:

    Lá pelos meus 14 ou 15 anos, arrumei minha primeira namoradinha que não se chocava quando minha mão boba explorava áreas femininas que eu só conhecia através do formato .jpg. TRUE

  225. Thallis says:

    MEUS OLHOS ENCHERAM DE LAGRIMAS IZzy, EU TENHO 19 ANOS …

  226. Alexandre says:

    Tenho fé de que um dia eu terei esse mesmo pensamento que vc teve ao escrever esse texto cara 😉

    E só uma coisinha, mas que internet dos diabos heim, sem querer faltar com educação mas tambem sem conseguir segurar a curiosidade, quanto é a mensalidade dessa sua internet cara? ‘-‘

  227. @jahminho says:

    Aqui eu com 22 anos, sempre quiz ter um computador, desde que eu ficava em lan houses, sempre quiz ter um para mim, pois era realmente um saco, aquela algazarra vc usava com um relativo desconforto as maquinas eram ruins, travavam direto, e tinha o problema das horas, já que você tinha que pagar por elas na época era coisa de R$ 2,00 por 1h de uso, mas hj finalmente tenho meu desktop aqui onde eu posso ver o site que eu quiser e na hora que eu quiser sem ninguém para encher o saco, e sem risco da hora acabar, mas ainda tenho outro pequeno sonho que é ter um videogame hj eu me contento jogando um psp mas ainda quero ter um videogame, deve ser porque nos meus 15 anos todos meus amiguinhos tinham um em casa e eu sempre ficava de fora dos assuntos gamers, simplesmente por não ter um, mas ainda eu comprarei o meu.

  228. Doze says:

    Bom, acho que pro pessoal de 18 anos como eu. Ter um celular era como um: Sou fodão e popular. E hoje passa batido.

    Apesar de ainda morar com meus pais, e receber mesada deles, pode escolher as próprias roupas já é algo inimaginável a uns anos atrás.

    Assim como beber e fumar sem me encherem o saco (mais ou menos).

  229. Daniel says:

    Clap clap clap!
    Tens mérito pelo item “Ser conhecido por escrever”! A meu ver, pode citar isso sem problemas!

    E realmente, aos meus 23 anos e independente financeiramente, morando em uma cidade longe e ajudando com algumas contas bestas da minha casa-natal, sinto essas “conquistas” que citou…algo que antes era épico, hoje vira óbvio e necessário.

    Enfim, a vida ainda tem mais “Achievements” para conquistar!

  230. Yuri says:

    tudo que eu queria, demorou taaaanto para realizar, que eu já nem quero mais.

    minha infância foi tipo um estado de estupor, eu simplesmente NEM TINHA DESEJOS e se tinha um desejo inalcançável (como um salgadinho tal) não pedia. Nunca pedi nada. Passava um quinto do ano doente.

    Com uns 12/13 anos meu sonho era comer PASTEL e COMPRAR GIBIS (já tinha que me compravam, talvez a única coisa que eu gostava e me compravam)… quanta inocência. Nunca ganhei nem meio centavo.

    Hoje tô com 21 anos e só agora começo a ter mais desejos, mas não consegui realizar nem um décimo de algum deles. Sou uma criança grande, minha vida é tipo a mesma de quando tinha 14 anos, a única diferença é pegar transporte público.

    Fica uma dica aí pro pessoal mais novo: NADA MUDA. Se tu és um merda agora com 14/15 anos, continuarás a ser um merda, a não ser que mude TODOS os seus valores, se tranforme em outra pessoa. Encarna um personagem e tenha frieza, desapego e retidão. Não se apaixone (a explicação não cabe aqui, mas não faça isso).

    A vida é sem dúvida uma merda sem tamanho.

  231. Jey says:

    Cara, zanzando pela internet (quando na verdade deveria estar escrevendo minha monografia), não sei como vim parar aqui no seu blog. Li vários dos seus posts. Todos muito bons. Confesso que fiquei com preguiça quando vi o tamanho do primeiro, mas a narrativa era tão envolvente que o scroll foi rolando sem esforço.

    Esse post me fez pensar que (além de te dever parabéns e um feedback pelo seu texto) tem muita coisa hj na minha vida que é tão comum, mas eu não imaginava há dez anos atrás, quando eu era apenas uma menina sem graça de 14 anos, que acabara de perder o pai, iniciando o Ensino Médio e um cursinho de informática, onde DOS e Windows 98 eram os assuntos mais importante.

    Há 10 anos eu desejaria ter meu próprio PC e uma máquina fotográfica, aquelas com filme em rolinhos. Também sonhava em iniciar a faculdade, que deveria ser pública, já que minha mãe não tinha dinheiro pra pagar uma particular.E meu maior sonho (ah.. o maior sonho) era estudar fora. Me imaginava nos corredores daqueles centenários colégios ingleses. E chorava quando o devaneio passava e eu sabia que isso não estava próximo da minha situação.

    Hj, com 24 anos, essa pequena termina a faculdade de Desenho Industrial em uma das melhores escolas de design da América Latina, em uma universidade estadual.Esse mês completou 4 meses que eu estou de volta ao Brasil, depois de um intercâmbio (com tudo pago pela minha faculdade :]) em uma famosa escola alemã. A menina que sonhava apenas em estudar fora, fez mais que isso. Conheceu Paris, Londres, Amsterdã e outras dúzias de cidades europeias. Voou de avião, fez novos amigos, provou novos sabores, teve poucos e grandes amores.

    Computador? 2: um desktop e um laptop. Câmera? Uma profissional. Carro? Tão logo eu pare de enrolar a auto-escola. Posso arcar com muitas das contas da casa pra ajudar minha mãe. E pra quem não tinha nem mesada, ter um salário razoável e 4 cartões de crédito com um limite legal, é MUITO LEGAl!

    Mas os bens materiais não são nada comparados a pessoa que me formei. Ao caráter que minha mãe se empenhou em me ajudar a construir. Os amigos que são verdadeiros irmãos; até mesmo aqueles que deixei lá do outro lado do Atlântico. Ralei muito, suei e fiz valer a pena cada momento que me trouxe até aqui.

    Izzy, obrigada por me fazer refletir sobre tudo isso. Sucesso aí no Canadá (e no restante do mundo, pq não?) Depois posta alguma coisa sobre como foi sua chegada e coisas brasileiras de que vc sentiu falta aí. Se vc já fez, desconsidere. Não ví o blog todo.

    Bj grande

  232. Tablito says:

    quando tinha lá por 15 anos, sempre quis entrar em uma balada e encher a cara (com uma smirnoff ice é claro)…

  233. T.K. says:

    Primeira visita aqui no blog e caiu num momento bem pra baixo da minha vida, tão pra baixo que não consigo pensar em nada que tenha sido realizado.
    Um dos meus primeiros sonhos de infância (que me lembro) era fugir de casa; fiz cartas de despedida, planos de roubar dinheiro e comida mas nunca fugi. E ainda estou aqui, com 18 anos, totalmente dependente dos meus pais e sem perspectivas próximas de mudança, não muito diferente de uns 10 anos atrás.
    Gastei quase todo dinheiro do meu tão sonhado primeiro estágio pagando cursinho pré-vestibular e acho que foi em vão. Divido pc, quarto, TV e todo o resto da minha vida…
    Ainda quero muita coisa e espero que daqui há 10 anos eu possa me orgulhar das minhas conquistas mas hoje, exatamente hoje, não consigo me ver de outra perspectiva a não ser a de derrotada por suas próprias fraquezas.

    Gostei bastante do seu texto; volto com certeza. Beijos!

    E, a propósito, morri de inveja da sua internet!

  234. andré says:

    eu te ouvi hontem no programa horaculo jovem pam
    esse cara tem uma historia legal de vitorias
    eu me identifico com isso pois eu até os 19 anos eu era um nada da vida,sem pc sem namorada tinha uns bens avaliados em 200 reais uma bicicleta velha,e um mega drive, era um pobre otario, hoje com 22, comecei a trabalha com 20, e ganho pouco mais de mil conto por mes, no lugar de uma tv de 20 agora tem uma lcd de 42polegadas com um ps3 e mais 240 jogos (o meu é desbloqueado) ainda falta a moto, e a namorada acho que mais um ano eu consigo essas paradas.

  235. Izzy, eu te acompanho pelo 99vidas e conheci este blog através de um post no face. muito bom! não sabia até então que você trabalhou aqui na elo em são luís! que legal! nossa cidade completou 400 anos, mas o atraso é grande! realmente hoje tenho muitas coisas que antes era inatingível. gostei muito do post da compra do carro, estava fazendo as contas e para comprar um carro popular a vista teria que passar 2 anos guardando mil reais, se nao quiser pagar 60 parcelas e o dobro do valor! abraços

  236. Gideão Milanez says:

    Cara esse seu texto é de mais, tenho 15 anos. esse texto me alegrou um pouco tanto ao futuro. acho que um sonho de “hoje em dia” vai se tornar um sonho realizado no futuro. Assinto seus vídeos no youtube, e um dos meu sonho é ter uma câmera que filme em full HD.

  237. Paulo says:

    Que bom que eu li esse post! Parabéns Izzy!

  238. Daniel Beckman Guimaraens says:

    Izzy consegui meus maiores sonhos morar no Canadá,e virar rico com mineração e emprestimos

  239. […] Ou pintaram de branco, ou o sol maranhense castigante desbotou o muro. Na minha época, a casa era claramente rosa (ou “salmão”, como minha mãe um dia explicou, e virou meu principal argumento pra me defender de galhofagens dos amiguinhos). Era essa casa que tinha um portão elétrico automático que servia como alarme de que meus pais haviam chegado em casa, dando a mim e a minha namoradinha da época mais ou menos 20 segundos pra nos vestirmos. […]