Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Uma breve análise de Thrift Shop, do Macklemore

Postado em 12 April 2013 Escrito por Izzy Nobre 45 Comentários

Não sei o que anda tocando nas rádios/mp3 sem fone de ouvido pelos ônibus do Brasil afora, mas historicamente o que toca aqui na América do Norte acaba sempre virando bem popular aí embaixo também. Então — no momento, a música número um das paradas é Thrift Shop, do Macklemore.

Thrift Shop“, caso o clipe não tenha deixado claro, é uma loja de usados que geralmente opera em prol de alguma caridade, como é o caso da Good Will — mais de 80% do que eles lucram é redirecionado para treinar pessoas com problemas mentais, ex-presidiários tentando começar de novo, esse tipo de coisa. Fazem um trabalho bacana.

Na música, o rapper tá glorificando o ato de fuçar uma thrift store procurando algo bacana (“…looking for a come up“; a expressão significa basicamente “tou atrás de me dar bem”. No contexto de uma loja de roupas usadas, tá procurando algo legal que custe pouco). Na música inteira ele meio que tenta tornar “cool” a idéia de se vestir com roupas usadas, compradas numa loja que tem como público alvo pessoas de renda baixíssima.

Eu, por exemplo, quando tinha acabado de chegar no Canadá — sem nenhum tostão no bolso — comprei muita coisa em lojas do tipo. Foi um tempo miserável da minha vida que causou efeitos que só fui notar muito tempo depois.

Em 2007, enquanto fuçava numa loja dessas (a Value Village) pra achar um terno barato que eu pudesse detonar para uma fantasia de Halloween…

E ficou foda, diz aí!

Essa aí.

…eu descobri que o típico detergente que eles usam pra limpar a loja (um bem barato, por motivos óbvios) se fixou pavlovianamente na minha cabeça, e ao sentir aquele cheiro de novo eu me tornei LITERALMENTE DEPRIMIDO por estar colocando os pés naquela loja mais uma vez.

Então. O interessante do Macklemore é que ele meio que vai contra a maré tradicional do rap/hip hop. Aliás, assim como 99% da população mundial eu desconheço a diferença entre rap e hip hop mas ao menos sou honesto sobre minha ignorância — uma característica não compartilhada pelos inúmeros que vão comentar aí embaixo tentando explicar as divergências entre os estilos, quer apostar quanto?

A questão é que o Macklemore é conhecido por ter uma mensagem com um pouco mais de substância, e meio subversiva ao status quo rapper. Em Same Love, o Macklemore critica homofobia, que é lugar comum no gênero e na internet:

If I was gay, I would think hip-hop hates me

Se eu fosse gay, acho que o hip hop me odiaria

Have you read the YouTube comments lately?

Cê andou lendo comentários do YouTube ultimamente?

“Man, that’s gay” gets dropped on the daily

“Cara, que gay” é usado o tempo todo

We become so numb to what we’re saying

A gente nem percebe o que anda falando

A culture founded from oppression

Uma cultura fundada de/baseada em opressão

(…)

Call each other faggots behind the keys of a message board

Nos chamamos de “viados” atrás de teclas em fóruns online

Em Thrift Shop, a crítica da vez é sobre a cultura consumista que, novamente, é bastante comum na cultura norte-americana em geral, e no gênero rapper em particular — com seus clipes mostrando Escalades com calotas rodopiantes, adereços de ouro e artistas jogando dinheiro pra cima — o famoso make it rain, ou “faz chover” –, como quem diz “pff, isso aqui é o troco do pão panóis”

imakeitrain2

E infelizmente essa cultura de ostentização chegou na música popular da periferia brasileira

Em Thrift Shop, o Macklemore zoa malucos que pagam 50 dólares por uma camiseta, dizendo que foram tapeados por uma empresa.

They be like “Oh that Gucci, that’s hella tight”

E eles dizem “Caralho, Gucci, que foda”

I’m like “Yo, that’s fifty dollars for a t-shirt”

E eu digo “porra, 50 dólares por uma camiseta?!”

Limited edition, let’s do some simple addition

Edição limitada, vamos fazer umas continhas

Fifty dollars for a t-shirt, that’s just some ignorant bitch shit

50 dólares por uma camiseta, isso é coisa de nego ignorante, porra!

I call that getting swindled and pimped, shit

Chamo isso de ser enrolado e prostituido, porra!

I call that getting tricked by business

Chamo isso de ser tapeado por uma empresa

(Disclaimer: BUSINESS é, mais tradicionamente, “negócio”– só que na frase, a falta de artigo faz o BUSINESS tratar-se mais de uma entidade empresarial não-definida. Em outras palavras, tá sendo tapeado pelo capitalismo)

E mais na frente, ainda zoa o cara que pensa que vai azarar as gatinhas porque pagou caro nas roupas:

Trying to get girls from a brand?

Tentando pegar as minas por causa duma marca?

Man you hella won’t, man you hella won’t

Véi, tu nem vai. Nem vai mermo.

Acho isso foda porque, como mencionei, ele está vendendo essa música pra um público que está há décadas pensando que ser foda é jogar dinheiro fora em roupas de marca, ou literalmente jogar dinheiro fora “making it rain”. Não é uma imagem fácil pra essa galera digerir, e no entanto a música tá na liderança da Billboard já tem um tempo.

mackle

Passou 6 semanas no número 1, e agora tá no número 2

Além do apelo humorístico da música e do clipe, penso que a mensagem central de “deixa de ser otário gastando dinheiro com essas roupas de marca aí” do Macklemore tenha sido ajudada pela atual crise financeira nos EUA. De repente, o sujeito que sempre idolatrou rappers esbanjadores (e agora mais que nunca sabe que seu estilo de vida é diametralmente oposto destes) ouve a música, vê o vídeo, olha pra própria carteira e pensa “quer saber? Esse maluco tá é certo mesmo”.

Rap/hip hop (tô ligado que você tá quase pra EXPLODIR de vontade de explicar a diferença. Vai, explicaí) não é minha praia, mas gosto da música do Macklemore simplesmente porque é um novidade bem vinda nesse cenário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Música

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

45 Comentários \o/

  1. Heber says:

    Hip Hop é musica tipo as musicas do EMINEM, LIL WAYNE..
    Enquanto rap é musica tipo as musicas do EMINEM, LIL WAYNE..

  2. Fernando says:

    *Macklemore e Ryan Lewis, é uma dupla

  3. Douglas says:

    Acho a letra e a mensagem da música muito interessante, mas a música em si, acho genérica.

  4. Bruno Wingerter says:

    Teve um NerdCast sobre hip hop,oque eu entendi da diferença é que Hip Hop se trata mais de toda a temática.Enquanto rap é só a musica msm

  5. Patricia Motta says:

    Vi esse clip qdo vc soltou o link num tuite. Tb não é minha praia mas o I’m gonna pop some tags é grudento demais e ficou na cabeça. E tá tocando por aqui, Izzy. Há 2 dias pela manhã estava na Jovem Pan num daqueles quadros de mais pedidas. E advinha: só eu sabia o refrão! hahaha

    Valeu o Engrish Challenge nas explicações da letra. 😉

    Keep writing!

  6. Bruno says:

    Posso estar redondamente enganado, mas pelo que me lembro dos tempos da adolescência quando ouvia um pouco de rap é que hip hop é o movimento como um todo: grafitti, break dance e tal. E o rap é a expressão sonora desse mesmo movimento.

  7. Claus says:

    Rap é a técnica vocal (falar rapido e rimando) e hip hop é o estilo musical, por exemplo Rage Against the Machine tem rap, mas não é hip hop, sacou?

    É bem simples, e um não existiria sem o outro, por isso ultimamente os dois termos começaram a ser a mesma coisa pra galera que manja um pouco menos.

  8. Pedro Mota says:

    Sério mesmo, tem alguma coisa muito errada, o branquelo que deveria ser um consumista faz uma música sobre brechó e a galera roots do rap, que nasceu em periferia e bairros violentos ao invés disso ficam vangloriando dinheiro, sério mesmo que eles não sabem que eles só estão nessa situação ruim por conta de que tem muita gente ESBANJANDO DINHEIRO?
    Sorte que no Brasil te Criolo, Emicida e outros que fazem um rap sério, que atinge a todos, e que representa uma imagem real de quem são.

  9. Ancelio says:

    Nunca nem tinha ouvido falar no cara, mas gostei da análise que você fez a respeito. Não parei pra ver o clipe e ouvir a música ainda, mas farei isso depois.
    Já com relação a diferença entre rap e hip-hop, houve uma época que eu sabia diferenciar(ou achava que sabia, sei lá), mas hoje eu não faço a mínima idéia da diferença e não faço questão de saber. Pra mim música é música, independente do estilo ou gênero e só se diferencia entre a boa e a ruim. Ou a que eu gosto e a que não gosto, pra ser mais franco.

  10. Zeno says:

    E também lembrando que ele cresceu como artista independente, ele não tem uma grande gravadora por traz dele. As letras dele, de acordo com ele,as músicas não são apenas uma crítica a sociedade contemporânea, mas também uma forma de se sentir melhor consigo mesmo, criando por consequencia uma legião de fãs que felizmente estão aderindo a sua forma de pensar, uma boa mudança para o padrão sexista e homofóbico do hip-hop.

    P.S. Acho que esse assunto merecia um daily vlog, a análise critica por trás das letras, e do impacto que tiveram nos jovens hoje em dia, da um assunto muito bom 😉

  11. Fábio Alves Corrêa says:

    Bom, até onde eu sei, Hip Hop é um movimento cultural, que envolve dança, música e artes plásticas. A dança é o break dance, a música é o rap e as artes plásticas é basicamente o grafiti. Portanto não é que rap é diferente de hip hop, rap faz parte do hip hop.

    • Elisa says:

      Cara, concordo plenamente com seu comentário. Explicou muito bem a dúvida que eu tinha, eu não sabia expressar os dois… Agora entendo, valeu!!!

  12. Victor says:

    O rap é uma parada mais crua, só o “drop bombs” mesmo, enquanto o hip hop é mais aquela coisa Flo Rida com refrãozinho e tal.

  13. Faeru says:

    Criei um respeito muito grande pelo cara por causa das críticas inseridas nas músicas.
    Tenho um primo que não tem vergonha de dizer que gastou 500 reais numa blusa da Hollister (que são do mesmo material de uma blusa normal e são feias para caralho com aquele “Hollister” escrito nelas).

  14. João Rafael says:

    Hip Hop é a cultura. O Rap (Rhythm and poetry)faz parte dessa cultura, juntamente com a dança(Breakdance) e o grafite. Agora, não é só o Macklemore que fala da “realidade” em vez da ostentação, pra quem ta interessado, procura por Nas, Wu-tang(que é um grupo, cujo parte do vocabulário dos caras é científico).

  15. Angelo Jr says:

    Izzy, essa música já tá passando sim (pelo menos em SC). O ritmo dela é legalzinha, mas é bom saber oq eles dizem (meu ingles é bom pra ver séries sem legenda, mas nem a pau que entendo rap)

  16. Michele Dutra says:

    Caram, como vc consegue comprar roupa no Value Village? Lugar nojento e com energia pesada daporra :/

  17. IBG says:

    Que FODA essa música. Nem curto rap/hip-hop, mas amei demais ver (FINALMENTE) um rapper passar esse tipo de mensagem desse jeito: não só fazendo com humor mas também sacaneando uma mensagem super persistente no meio em que ele tá entrando. Mais um fã pra ele. Foda. E valeu por publicar aqui 🙂

  18. bill says:

    Pelo que ouvi hip hop seria o movimento como um todo, juntando gafiti e tudo mais. Já o Rap seria a música do movimento. Como se fosse movimento punk, música punk rock. Uma coisa mais ou menos assim.

  19. Sed says:

    Izzy, tem um rapper chamado Hopsin que faz algo parecido. Na música Ill Mind of Hopsin 5, ele faz uma crítica enorme sobre o cenário hip hop e como o pessoal desse “mundo” se comporta.

  20. Eric Zaonite says:

    Se você não sabe a diferença, então você está atrasado nos Nerdcasts ou pulou pq não gosta do tema. Mas procura o 335, tem um pessoal que já explicou certo: Hip Hop é a cultura, Rap é o estilo musical.

  21. jkd says:

    Eu chamo de Hip Rap

  22. Newton says:

    Conheci esse clipe quando a galera do Galo Frito fez uma paródia e achei fodastica a letra, vou procurar mais músicas dele;
    Quanto a Rap/Hip-Hop, ouvi ne um Nerdcast o Rashoid falando que Hip Hop é a cultura e Rap a música, então…

  23. Heber says:

    Sempre chega uma hora, nos comentários dos textos do Izzy que os caras discutem profundamente coisas que nem é o assunto principal. aushaushaushasuh

  24. alpha says:

    i wear your grandpa’s clothes, i look incredible!

  25. matheusteixeira says:

    jah achava a musica legal por ter um delorean com aro 20”, agora q eu vi a letra, curti mais

  26. Vitor says:

    Eu também penso a mesma coisa que você, na primeira vez que ouvi Same Love, achei engraçado e a o mesmo tempo crítico. Sério, eu acho Macklemore ainda tem muita para dar.

  27. Mrs.Ferguson says:

    Macklemore é um gostoso 🙂

  28. Carlos Galvani says:

    É legal quando alguém aparece na grande mídia escrevendo letras que fazem você pensar. O problema é que ninguém pensa o que a letra quer dizer (pelo menos, a maioria). Me lembro do começo dos anos 90 quando o Renato Russo falava em toda introdução de Pais e Filhos que a música era sobre suicídio, não era uma coisa bonita. E nego lá cantando pra namoradinha às 4 da madruga no fim de festa e todo mundo achando lindo ATÉ HOJE!

  29. Gara says:

    E eu que só descobri que tinha um brechó desses na minha cidade no final de 2010. Pô, eu ia ser o cara mais legal da escola se tivesse comprado um terninho antes…

  30. Kaue Gibelli says:

    Basicamente, hip hop é toda a cultura, que envolve o grafitte, a dança E o rap. O rap é o estilo musical da cultura do hip hop.

  31. Pedro says:

    Gostei do texto, Izzy. Acho que o mais interessante no fato dessa música ficar tão famosa é o fato de ser diferente do rap que tem sido consumido na América do Norte nos últimos anos. Esse rap “ostentativo” mencionado no texto não chegou no Brasil ainda, mas já dá pra perceber uma popularização do rap entre a classe média -- o que acabou causando essa transformação no rap americano.

    PS: A diferença entre Hip-Hop e Rap é que o rap é um dos bens culturais da cultura Hip-hop. É como punk rock e cultura punk, entende ?

    • Pedro says:

      PS2: Escute Unbound Allstars (em especial “Mumia 911”) e Immortal Technique quando puder. É totalmente diferente do rap “moderno”.

  32. Vanessa says:

    Gente, Macklemore & Ryan Lewis não são uma dupla de rappers, são parceiros!
    Mack é rapper, enquanto Ryan é produtor e DJ!!!
    Ben (nome verdadeiro dele) é foda!
    Ele coloca suas ideias e vivências na músicas, o tornando diferente dos outros!
    O cara é tão foda, que mesmo não tendo gravadora faz um puta sucesso.
    Ouça Otherside e Wings, e se surpreenda mais!!!
    Vlw Izzy!

  33. Carlos says:

    O cheiro do Value Village entranha nas veias. rs
    Eu já comprei um casaco de neve bem maneiro no Good Will.

    Essa música tá tocando direto nas rádios do Rio, mas aposto o dinheiro q for q 99% das pessoas que escutam não tem nem idéia do assunto que a música trata.
    Tanto pelo língua quanto pelas referências.

  34. Leticia says:

    Estava pesquisando sobre ele pra ver se tinha previsão pra algum show no Brasil e encontrei esse post aqui.Surpresa boa, adoro o HBDia e não esperava q o Izzy fosse curtir hip hop/rap (tbm não sei a diferença haha)
    Estou viciada em Wings,que tbm vai nessa de ir contra a maré da cultura(?)rap. Letra e clip sensacionais, recomendo.