Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ News ] Cenas fortes: Carcereiro mata presidiário “acidentalmente” nos EUA. Adivinha como!

Postado em 18 December 2013 Escrito por Izzy Nobre 31 Comentários

carcereiro

Antes de mais nada, fica aí o aviso: as cenas do vídeo que linkarei aqui são meio fortes. Não há sangue nem fraturas expostas visíveis ou coisa do tipo, mas é uma pessoa morrendo de qualquer forma. Então se tem crianças pequenas aí na frente do computador, coloque o vídeo em tela cheia pra elas poderem ver melhor.

Markeith Council, um carcereiro americano, estava lá de boa passeando pelo presídio ou seja lá o que carcereiros (“carcereiam”?) fazem quando Shon McClain, um dos detentos, se aproximou de forma meio agressiva. Os dois começaram a discutir, o prisioneiro levanta a mão no rosto da otoridade — bad move — , e o carcereiro empurra o detento pra longe agressivamente com a facilidade de como se este fosse feito de caixas de sapato vazias.

Aparentemente ignorando o fato de que o carcereiro 1) tem o dobro do seu tamanho e 2) é um carcereiro, um oponente que vai sempre vencer um confronto com um detento — ou simplesmente achando que seu sobrenome  o imbui das habilidades do clássico personagem de Duro de Matar –, McClain parte pra cima do do Council mais uma vez, jogando os braços espasticamente em todas as direções no que eu imagino ser algum tipo de tentativa de ataque.

O oficial domina o detento com a facilidade e indiferença de alguém que está carregando um saco de lixo parciamente vazio. Em seguida, o guarda enfia o sujeito no chão, de cabeça, como se estivesse tentando encontrar um lençol freático usando para isso o corpo do detento como uma broca industrial.

A força do impacto é perfeitamente registrada pelo fenômeno de ejeção dos sapatos do coitado — algo que acontece sempre em atropelamentos e outras circunstâncias de incrível cacetada –; calculo que o impacto foi suficiente pra quebrar o pescoço do detento como se este fosse um palito de dente sendo usado pra suportar o peso de um cofre de chumbo cheio de âncoras.

O guarda, não satisfeito em reduzir o detento a uma pilha de ossos fraturados, pega o sujeito e manda o replay real time da cacetada — enfia o pobre coitado no chão novamente. E a toa, porque o maluco já passou dessa pra melhor na primeira porrada.

Legal é que o guarda em seguida põe algemas no sujeito completamente desativado — algo tão desnecessário quanto ativar o freio de mão num carro sem rodas. O detento passou alguns dias na UTI, e aí morreu.

Já o guarda foi preso, julgado, e condenado ao equivalente de homicídio culposo. Por causa das circunstâncias, o juiz o condenou a apenas 90 dias na cadeia. Na mesma cadeia em que a parada aconteceu, aliás. That’s gonna be interesting.

Agora eu jogo a bola pra vocês. O guarda tava na execução de seu serviço, sim, mas teria sido aqueles dois body slams um leve exagero…? MATAR o meliante foi justificado…? Caso faça grande diferença, o crime do carinha não era violento: ele foi pego bebendo numa parada de ônibus e com “drug paraphernalia”, que era provavelmente um cachimbo de fumar maconha ou coisa similar.

E aí? Mereceu morrer ou o guarda exagerou…? E a pena do guarda? Tá no grau, ou ele merecia algo mais severo…?

E a pergunta mais importante: estaria aquele detento na esquerda do vídeo no telefone com o Papa ou algo assim? Porque porra, tem nego morrendo ali do lado e nem assim o cara interrompeu a ligação!

parça

“Fala mais alto aí parça, é terça feira, tão matando um cara aqui do lado já”

Tenso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: news

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

31 Comentários \o/

  1. Anderson says:

    talvez o segundo body slam foi exagerado, mas 90 dias tá de bom tamanho… esses carcereiros devem passar cagaço todos os dias, quando um prisioneiro vem pra cima, a rotina deve ser mandar o cara pro além mesmo…

    • Higor says:

      Como assim cara? você fala como se os caras estivessem no carandiru, você viu o por que do sujeito estar preso? a penitenciaria provavelmente era de nível baixo para crimes leves, não é como se eles andassem armados todos os dias. Eu não costumo defender esse tipo de acontecimento, mas o que esse cara aí fez no Brasil ele não estaria nem preso. Seja lá qual foi o motivo da discussão isso foi desnecessário, primeiro por que o agente certamente tem um rádio e um cassetete no mínimo, ele poderia chamar ajuda e ainda tinha como se proteger, não viu a velocidade que os outros agentes chegaram depois? Enfim, 90 dias é muito pouco pra uma assassinato, não é como se o cara tivesse matado 3, estuprado 2 e saísse impune como acontece no Brasil. Uma pena ter gente que concorda com a atitude do agente e ainda acha bom o cara ter morrido.

      • Angelo Jr says:

        velocidade que os outros guardas chegaram???? tá louco??? demorou uns 30 segundos do começo da briga até os outros carcereiros chegarem!! nesse meio tempo o cara já morreu, e ainda levou um segundo body slam!! Se fosse realmente rápido, tinha chegado em uns 10~15 segundos depois do primeiro empurrão, briga em presídio tem de ser controlada rapidamente, senão o efeito manada acontece e aí é rebelião!!

  2. Anderson says:

    ps.: alguém corrigindo o McClain em Duro de matar em 3, 2, 1…

  3. Joao says:

    Que post inútil!

  4. Pablo.Pacato says:

    Cara uma má ação não justifica outra, se o detento fosse sei lá, assassino ou algo assim, mata-lo, sem um julgamento justo é imoral, sou a favor da pena de morte, com julgamento é claro, escolher a hora de matar uns aos outro é o pue nos difere dos animais irracionais.

    P.s. logicamente a pena do carcereiro foi branda DEMASSSS.

  5. cristiano says:

    O que está errado aí é terem condenado o carcereiro. O preso foi lá provocar, foi afastado e ainda retornou para agredir o funcionário. Se ele tivesse sacado uma arma e dado um tiro, seria reação desproporcional, mas ele simplesmente pegou o meliante e jogou no chão. Se quebrou o pescoço, azar … foi uma infelicidade. Duvido que o carcereiro tenha pensado: “Vou quebrar o pescoço do cidadão”.

  6. Darox says:

    Não vi abuso nenhum, o mundo tá do jeito que tá por ficarem amolecendo pra gente ruim.

    • Pablo.Pacato says:

      Sim cara, mas vc viu o crime do cara? era só um vagabundo qualquer, o pior crime que o cara poderia cometer era bater uma carteira.

      • Angelo Jr says:

        é, mas vamos falar a real, o cara foi um completo IDIOTA, o carcereiro tinha literalmente o DOBRO do tamanho dele, quis comprar briga, e dá pra ver claramente que não foi culpa do grandão. Mas, como coloquei em outro comentário, o carcereiro acabou esquecendo também a diferença de tamanho entre os dois.

        • Pablo.Pacato says:

          Véi, o cara tava preso, lógico que era um idiota, vou dar um exemplo pratico, eu sou um nerd franzino e trino Taekwondo, todos os fortões durante o trino tem um controle de força para não machucar muito os companheiros, um guada treinado, tem toda noção do tamanho dele em relação ao “presidiburro” ele sabia exatamente o que estava fazendo, inexcusável.
          Também vi num comentário acima que o se o guarda não agisse rápido poderia haver inicio de rebelião, véi EUA não é Brasil, rebeliões não são algo tão recorrente.

  7. Guilherme says:

    Não precisava dar um pilão no maluco né

  8. lolerson says:

    Em um país de primeiro mundo, que consegue controlar bem os criminosos? Excessivos. No Brasil? Podia dar um terceiro e repetir o mesmo em todos os outros do estabelecimento.

    • Angelo Jr says:

      é estados unidos cara, controlar os próprios presidiários, só o brasil faz pior, pq oq tem de morte no presídio lá não tá na conta

  9. Jairo Silva says:

    Izzy, eu acho que a melhor forma de avaliar a atitude do carcereiro e nos pormos em seu lugar, o que faríamos em situação semelhante, tendo passado e vivenciado tudo pelo que ele já passou e vivenciou. Eu, muito provavelmente agiria da mesma forma, afinal, criticar sentadinho em uma sala com o ar condicionado ligado é muito fácil.

  10. Raid says:

    Pelo que li, o detento tinha 1.70 e 65 quilos, enquanto o carcereiro tem 1.90 e pesa 140 quilos. Realmente não tinha como dar certo isso.

  11. Angelo Jr says:

    Izzy, tu q estudou no ensino médio canadense, já visse competições de wrestling (luta greco-romana)??

    creio que foi esse o método pra “imobilizar” o detento.

    E quanto a ser uma reação desmedida ou não, creio que o “guardinha” fez oq ele aprendeu na academia, MAS, esqueceu de considerar o próprio tamanho e o do detento, tendo uma reação desmedida SIM, mas não intencionalmente, como, na minha opinião, bem observou o júri ou juiz que julgou o caso. 90 dias pra uma morte não intencional de um detento abusado, digno de um Darwin Awards, acho até exagerado. 45 dias tá mais do que bom.

  12. Bernardo says:

    Como já disseram aí: “tem que descer o cacete nesses vagabundos mesmo”.
    Aliás, se essas coisas acontecessem mais no Brasil, isso aqui seria melhor.

    Contudo, se um carceireiro tivesse feito isto aqui no Brasil, teria a cabeça cortada por todos os detentos ao redor no momento que encostasse no carinha lá.

    Vagabundo tem que apanhar mesmo.

  13. saru says:

    menos um.
    Vai ser malandro la no inferno.

  14. Vinícius Martarello says:

    Triste, ele poderia ter imobilizado o cara ou algo do tipo, mas esses carcereiros devem ter ódio desses caras…

  15. andre says:

    Hahahahaha
    Ainda to chorando de rir com o último parágrafo.

  16. wesley G.M says:

    bem,eu realmente acho que o segundo bate-estaca foi um pouco de exagero,mas em uma situação como essa realmente tem que se controlar a situação o mais rápido possível. Como alguns aqui disseram pode ter feito a diferença entre a vida e a morte o segundo golpe ,porém eu acho que realmente foi em legitima defesa então até acho que 90 dias foi um exagero(daria uns 70,60 dias)fazer o que?foi uma fatalidade e inclusive o carcereiro seguiu o procedimento padrão após ‘imobilizar’ o detento então pra mim isso mostra que ele não tinha a intenção de fazer algo desse tipo por vingança ou etc.

  17. Danish says:

    Eu tenho uma filosofia que diz que ninguém merece morrer, não existe nada que a pessoa possa fazer pra que tenham o direito de mata-la, não importa quem o faça. Eu acho que o agente agiu de forma exagerada, era certo que alguma coisa havia de ser feita, mas não a esse ponto.

  18. MatheusSchaefer says:

    Um tanto desnecessário, dada a situação. Uma segunda voadora (porque a primeira foi ok) dava conta do recado.

    Com o tamanho do carcereiro bastava apenas ele se deitar sobre o detento para matá-lo.

  19. Nailson says:

    Foi exagerado, isso é fato. Mas na boa, prisão é barra pesada véio! Tem que pensar que tu pode morrer a toa, ou pior, te currarem.

    A pena, IMHO foi curta.