Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Pergunta do Dia ] E se todo mundo acima de 10 anos morresse do dia pra noite?

Postado em 29 April 2013 Escrito por Izzy Nobre 73 Comentários

mundo destruído

Outro dia no Reddit alguém postou a seguinte pergunta: e se todo mundo com mais de 5 anos morresse subitamente, o que aconteceria com o planeta Terra?

Achei a pergunta um pouco inviável no aspecto de discussão porque velho, na boa, você já viu uma criança de 5 anos? Se só sobrassem elas no planeta, eles seriam comidos por ratos em pouco tempo.

Então resolvi reformular a idéia pra tornar a hipótese de sobrevivência mais viável — e se todo mundo com mais de 10 anos morresse? Aí sim.

O que imaginei:

– A grande maioria iria morrer. Essa é a maior certeza. Com a morte súbita de todos os mais velhos, todas as crianças em aviões/carros/trens e qualquer método de transporte morreriam junto.

– E os que sobrevivessem estariam bem fodidos. Sem adultos pra gerenciar a infraestrutura mundial, energia, água e essas coisas iriam parar de funcionar bem rapidinho. Em pouco tempo todas as pilhas e baterias morreriam, e seria o fim da tecnologia eletrônica moderna. A internet deixaria de existir também. Aliás, foda-se a internet, como essa molecada ia beber água…?

– Sem poder dirigir ou pegar qualquer tipo de transporte público, as pequenas comunidades de criança que invariavelmente surgiriam após isso seriam bem localizadas (ou seja, a turma dificilmente iria pra muito longe do seu bairro).

– Inicialmente, quem se daria melhor são as crianças que moram perto de algum hipermercado, um Walmart da vida ou algo assim. Se duvidar, muitas inclusive se mudariam pra lá. Exceto que eles teriam que usar lanternas lá dentro, porque como já mencionei, energia elétrica não duraria muito tempo sem ninguém gerenciando a parada.

– A dieta da criançada estaria totalmente fodida. Primeiro, não haveriam adultos nem limitações monetárias impedindo que a molecada comesse exclusivamente porcaria. Além disso, frutas e verduras iam apodrecer em pouco tempo, sobrando de fato apenas comidas porcaria — Ruffles, chocolate, essas porras. O mundo 20 anos depois, supondo que a criançada conseguisse sobreviver esse tempo todo, seria um mundo habitado por gordos com problemas do coração.

– Como as crianças de 10 anos cuidariam das menores? Seria dureza. Com 10 anos a criança não tem muita noção de nada, e as mais novas seriam bem negligenciadas e só se alimentariam de porcaria, como as mais novas.

– As crianças com 10 anos seriam vistas como anciãs pelas mais novas, de 4 ou 5 anos. Supondo que essa nova civilização de criança sobrevivesse até os 40, praticamente toda a sua psiquê seria diferente de um adulto de 40 anos que viva hoje em dia. Além disso, como eles contariam para os mais novos sobre como o mundo antes da morte dos mais velhos…? Seria uma narrativa bem peculiar, imagino.

– Que tipo de religião ou mitologia essa criançada nutriria…? Sem pais pra explicar que não há monstro embaixo da cama nem fantasmas, imagino que a sociedade resultante fosse bastante supersticiosa. Talvez existissem religiões baseadas em personagens infantis como Ben10 ou coisa parecida — e os mais novos só teriam conhecimento dessas coisas ao ver desenhos e fotos.

– Dinheiro evidentemente não teria mais valor. Que moeda seria usada para troca de bens e serviços…? Considerando que são um bando de crianças abandonadas, sem nenhum skill rentável que possam vender e num mundo em que não realmente precisam mais comprar nada, é bem provavel que o mundo financeiro como conhecemos simplesmente deixassem de existir pra sempre.

O que mais você acha que aconteceria?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: pergunta do dia

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

73 Comentários \o/

  1. gabriel says:

    O Senhor das Moscas. Recomendo essa leitura pra quem se interessou por essa questão de crianças vivendo em anomia.

  2. Lucas says:

    Putz religião baseada no Ben 10 kkkkkkkkkkkkk

    Muito massa o texto Izzy.

  3. Eduardo says:

    quando/se essas crianças chegarem em idade reprodutiva, a população sofreria então um boom, ainda que momentâneo, pois elas não teriam ninguém pra ensinar-lhes sobre sexo, e possivelmente todas transariam desprotegidas.

    por outro lado, o índice de DSTs cairia drásticamente.

  4. Some1 says:

    As usinas nucleares iriam explodir, todas as termoelétricas uma hora ou outra iriam explodir também, liberando uma quantidade MEGAPUTAQUEPARÍVEL de poluição, e provavelmente varrendo do mapa um bom pedaço de terra, as hidroelétricas uma hora ou outra iriam ir pro saco(já imaginou a Itaipu transbordando), as indústrias poluidoras iriam colapsar e liberar sei lá quantos fucktons de poluição em todos os lugares.

    Fora todas as armas de destruição em massa que tem por aí, que se não estourarem sozinhas as crianças vão usar uma contra as outras.

    Fora o monte de arma convencional que vai ficar dando sopa por aí esperando, pros moloques se matarem e matarem uns aos outros.

    E se mesmo assim sobrar alguma coisa, algum vírus secreto de algum laboratório vai vazar e exterminar todo o resto da vida da terra.

    TLDR: Vai ser o fim da humanidade

  5. Guilherme Machado says:

    Bem bolado, Izzy, mas sobre a parte de religião, acredito eu que aqui no Brasil o cristianismo ainda existiria. Infelizmente, existem muitas crianças que são DOUTRINADAS desde cedo :/

    • Carlos says:

      Infelizmente por que? Agora virou ditadura onde ninguém pode ter religião? Belo exemplo de preconceito.

      Todo mundo é livre, seja para crer ou não. Viva o livre arbítrio!

      • damnerd says:

        Eu não posso ter opinião contra alguma coisa? Achar que o mundo seria melhor sem isso ou aquilo? Até onde eu sei, preconceito é quando você julga uma PESSOA que você não conhece baseada em um rótulo. Eu acho que religião e funk são dois exemplos de coisas ruins, que desagradam muita gente. Mas preconceito é achar que todo funkeiro não tem cultura. xD

      • Guilherme Machado says:

        “Todo mundo é livre, seja para crer ou não. Viva o livre arbítrio!”

        Inclusive as crianças devem ter a oportunidade de acreditarem ou não naquilo que bem entenderem. Abraço.

        • Danilo Lion says:

          …todos tem liberdade para acreditar no que quiserem, e ele tem direito de expressar a plenos pulmões (ou teclas) que acha ruim.. tanto quanto você pode dizer que acha bom! para que a raiva? nem tudo que é contra é preconceito….

      • Luan says:

        Infelizmente porque crianças (principalmente as menores de 10 anos) não têm como pensar sobre qual religião seguir, então essa doutrina a que elas são submetidas não é opcional, e isso vai contra o que você disse, não vai? “Todo mundo é livre, seja para crer ou não. Viva o livre arbítrio!”

      • Gustavo says:

        Mas esse é o ponto, Carlos: essas crianças de até 10 anos doutrinadas numa religião, estão exercendo o livre arbítrio? Acho que não.

        • D says:

          Portanto, seria errado ensinar a uma criança que “Deus não existe”? Acho que não… Assim como não acho errado ensinar uma religião, desde que isso não seja prejudicial.
          Os pais têm o direito/dever de cuidar dos seus filhos como achar melhor para eles, e eu acho isso justo desde que isso não prejudique a formação da criança.
          Eu, por exemplo, cresci em um lar católico, hoje sou ateu e não culpo meus pais por me ensinarem a religião católica, e também não acho que eu seria alguém melhor o pior se fosse ateu desde criança.
          Enfim… é muito pano pra manga hehehe

          • Roger says:

            Já eu nem acho que é questão de a pessoa se tornar melhor ou pior… Até porque religioso ou não, existe muita gente boa e muito filho da puta e ser ateu não torna ninguém pior ou melhor.

            Dito isso, crescer recebendo a doutrina da religião tem o potencial de cegar a criança para a ciência e as explicações do ponto de vista científico/racional… E isso na minha opinião é um crime contra a curiosidade infantil, que é morta logo cedo quando os pais ensinam que é assim “porque eu disse”.

            Já dizia Carl Sagan que toda criança é como um cientista que busca respostas. A religião mata isso colocando ela num mundinho menor que o real.

  6. Stanley says:

    Gordos com problema de coração? em no máximo 2 anos toda porcariada já teria acabado ou estragado… eles seriam obrigados a comer frutas verduras ou animais.

  7. Piovesan says:

    Eu acho que quem iria se dar bem seriam as crianças que vivem em fazendas no interior, geralmente aprendem desde novas a cultivar alimento, cuidar da fazenda, etc…

    • rodrigo says:

      isso q eu penso tb, as da cidade se matariam, morreriam de fome e desespero em alguns meses, usariam carros e avioes sem saber como controla-los, matariam com armas de fogo por motivos torpes, as do interior podiam ate se matar e ter grandes problemas, mas acho que depois de um tempo, criariam-se “comunidades” que viveriam em fazendas, usando o conhecimento de seus pais nas plantaçoes e na criaçao de animais, o problema seria o abate e outros trabalhos mais meticulosos e que exigem mais maturidade

  8. Daniel says:

    Muito boa a analogia, Izzy!

  9. Pedro says:

    Isso me lembrou um episódio de South Park em que todos os adultos da cidade foram presos acusados (falsamente) de terem molestado seus filhos e então a cidade virou caos, já que só sobraram as crianças.
    É o episódio 16 da quarta temporada, chama “The Wacky Molestation Adventure”

    • Fábio Alves Corrêa says:

      Me lembrou também de uma parte do jogo Fallout 3 chamada Little Lamplight, que é uma caverna habitada somente por crianças, e todas com menos de 15 anos, porque quando uma criança completa 15 anos ela é expulsa pelo bando e normalmente vai morar num vilarejo próximo.

  10. Rafael says:

    Ok, vou levar essa questão com um pedantismo EXTREMO, mas apenas pra ser uma resposta diferente das demais. Você perguntou sobre se os maiores de 10 anos morressem do dia pra noite. Quais seriam as diferenças imediatas se levarmos isso ao pé da letra, isso é, eles morressem LITERALMENTE do dia pra noite.

    Primeiramente, vamos considerar que a transição do dia pra noite ocorra às 6:00PM

    As pessoas não morreriam todas ao mesmo tempo. Ao inves disso, pouco a pouco as pessoas iriam morrer, conforme o planeta gira. Num lugar aberto e relativamente cheio, seria possivel ver as pessoas morrendo ao longe, e a onda de morte se aproximando muito, muito rápido.

    Nos polos e latitudes mais extremas em geral, teriamos um problema: a morte acontece no horario, independente da posição do Sol? Porque se depender da posição do Sol, essas latitudes mais extremas podem abrigar adultos por mais alguns meses.

    Outra coisa: alguem que se movesse para o Oeste, ganharia mais tempo de vida. Caso essa “maldição” só funcione nessa primeira passagem de dia para noite, alguem que cruzasse de um meridiano para o outro dando a volta no Mapa Mundi estaria vivo da maldição, e isso provavelmente aconteceria acidentalmente para algumas pessoas.

    Se isso nao acontecesse porem, e essa onda de mortes continuasse girando o planeta (mas de alguma forma não afetando quem tinha até 10 anos na época em que a maldição ocorresse pela primeira vez), seria possivel continuar ganhando algum tempo, mas seria basicamente impossivel de se enteder o que estava acontecendo para tomar atitudes preventivas, ou seja, continuar viajando ao redor do planeta, e mesmo assim, não seria possivel viajar rapido o suficiente para escapar das 6PM por muito tempo.

    Um caso especial seria o pessoal da ISS, e a qual horario ocorreria a morte pra eles, se ocorresse.

    Anyway, ja pensei demais sobre isso. Provavelmente teriam mais algumas coisas que eu não previ aí, se souber de alguma, comenta ai lol

    • Porkispin says:

      Essa visão é muito boa. Acredito que após esse sumiço do dia pra noite, seria um festival de choradeira e desespero. E isso demoraria alguns dias. Isso provavelmente ditaria a forma que essas crianças agiriam.
      As crianças de rua e menos favorecidas provavelmente comandariam a parada, uma vez que muitas vezes são desapegadas a vínculos familiares e bem conscientes, até certo ponto, dos acontecimentos do mundo. Logo, papocando todo mundo, ELAS seriam a nova ordem!
      Vai mexer com o pivete!!!

    • Gustavo says:

      Ta, só faltou levar em conta a velocidade de rotação, a qual invalida metade disso aí.
      A outra metade também não faz sentido, mas exige uma explicação maior.

      • Rafael says:

        …como eu não levei em conta a rotação, se é justamente a rotação que normalmente é ignorada e eu resolvi considerar lol

        • Gustavo says:

          Pô cara, meu comentário tinha 2 linhas e mesmo assim você falhou em entender o ponto que levantei?

          • Rafael says:

            Você não levantou ponto nenhum, apenas disse “não faz sentido porque não faz”. Elabore o que você quer dizer, aposto que você é eloquente o suficiente pra explicar algo que você acha tão obvio 😉

    • Marcelo says:

      Isso me lembra a personagem “Meia Noite” dos Combo Rangers.

  11. Larissa says:

    Puts, tem um livro que fala mais ou menos isso, se chama GONE de michael grant, do nada todos os adultos e jovens com mais de 15 anos “pufam” e desaparecem, e mostra o lado mais cruel da molecada, o legal é que tambem envolve um pouco de ficção cientifica, mas é bem tenso por que sempre pensamos que crianças não são capazes de fazer maldades e no livro mostra que podem sim. recomendo muito!

  12. Pedro Mota says:

    me baseando em Lord of the Flies… creio que vai dar em uma merda homérica, mas acredito que a hipotese mais aceitável pela idade é que eles iriam virar vida l0k4s na primeira semana, depois iam achar muito esquisito o sumiço de todos os pais e iriam encontrar uma forma de se organizar no limite do aceitável, se houver algum genio ele provavelmente seria o guia deles, os crimes iriam a quase nenhum exceto pelos moleques loucos cheira cola que iriam ficar soltos fazendo merda, mas como os supermercados e tudo mais sumiu até esse tipo de pessoa iria desaparecer.

  13. Enrico says:

    Acredito que estas suas teorias se aplicariam a países de primeiro mundo. Países com subdesenvolvimento teriam uma realidade muito diferente! Nem todas as crianças do mundo são criadas com leite ninho!

  14. Douglas says:

    Kid, há uma série de 6 livros, chamada GONE, de Michael Grant, que fala sobre uma cidade onde todos com mais de 15 anos sumiram do nada. E ela foca bastante em uma coisa que vc nem comentou: violência. Seres humanos são animais, com instinto. E sem uma sociedade pra controlar esse instinto, as crianças passam grande parte do tempo tentando se impor por meio da violência. É tão cruel e faz tanto sentido que chega a dar medo… Mas tem umas que tentam reestabelecer a ordem. Qualquer detalhe adicional é spoiler então paro por aqui. Ótimos livros!

  15. André says:

    Tem um filme razoavelmente bom que tem um conceito parecido. Nele, porém, as mulheres não tão tendo mais filhos. Na epoca do filme a pessoa mais jovem tinha uns 18 anos acho, e ela morre. Ai sai a noticia em todos os jornais: “morre a pessoa mais jovem do mundo”.

    Algo assim, não lembro direita. Procura nos Googles que vc acha.

  16. Rapino says:

    Você subestima muito os filhotes de Homo Sapiens Sapiens, meu irmão com 8 anos já sabe dirigir um carro bem o suficiente pra ir do outro lado da cidade e voltar sem ser pego, Além disso, como já não existem muitos animais selvagens até eles retornarem as crianças já teriam uns 15 anos, o negócio ia se ajeitar.

  17. BrunoHe says:

    Acho q ia levar um tempo pra criançada deixar td certinho de novo, mas acho q conseguiriam sim.

  18. Murdock says:

    O mundo seria dominado por aqueles poucos a quem os pais prepararam ou largaram. Eu, por exemplo, já sabia cozinhar com 10 anos mas perto de um moleque criado na rua eu estaria fodido. Esses seriam os verdadeiros reis, Capitães da Areia, ou Marechais Supremos do Asfalto e da Areia.

  19. @AndPeroty says:

    History channel fez um documentário interessante a uns anos atrás.
    “O Mundo sem Ninguem History Channel”
    https://www.youtube.com/watch?v=oDZ_ICZcE6k

    O mais interessante é sobre as usinas de energia.

  20. Bruno Guedes says:

    Sobre religião/mitologia… até onde sei os moleques costumam estar já às portas da Primeira Comunhão aos 11, então uma sociedade com anciãos de 10 anos provavelmente continuariam tendo acesso a isso.

    Mas sim, provavelmente a civilização voltaria pra idade da pedra, ou um pouco menos, com “tribos” extremamente localizadas em centros urbanos e tals. O trunfo estaria com os menores abandonados e da área rural em geral, que provavelmente teriam mais condição e iniciativa pra se virar e sobreviver de algum jeito, a não ser que algum grupo conseguisse atingir algum tipo de supremacia intelectual estratégica.

    …Acho que eu já estou indo longe demais nessa viagem. 😐

  21. Ana Carolina says:

    Fiquei com pena dos bebês, principalmente os recém nascidos. Morreriam? Não sei, mas criança de 10 anos trocando fralda e amamentando nunca vi!

  22. Bem interessante refletir sobre isso Izzy. Tem um filme que -se não me engano- passava na “Sessão da Tarde” da Globo, bastante vezes. Chamava-se “A Cidade das Crianças”, apesar de engraçado, retrata um pouco do tema tratado. Link: http://filmow.com/a-cidade-das-criancas-t15329/

  23. Heber says:

    seria um recomeço da vida na terra. eu ja imaginei isso varias vezes quando pequeno, só que pensava que ia ser legal. cresci e vi que seria legal tbm.

  24. pedrocnbp says:

    Acho que uma parte importante foi esquecida. As crianças de origem indígena e de tribos, com certeza continuariam a viver de forma muito semelhante a de que viviam antes da morte dos maiores. Pois desde pequenas já aprendem a caçar, pescar, preparar alimentos,executar determinados rituais sobre suas crenças, e construir moradias, logo não sofreriam um impacto tão grande como as crianças de áreas urbanas.

  25. Robson says:

    Seguinte.

    Seria um caos total, no mais puro sentido da palavra.

    Primeiro, somente os mais fortes sobreviveriam algum tempo e acho até que alguns chegariam a fase adulta, muito nego com 8~9 anos é muito inteligente. A energia elétrica seria a primeira a ruir e após isso, haveria o canibalismo. Nada como vemos hoje existira neste hipotético futuro. Seria tudo ruina.

  26. Lucas. says:

    Sobre a religião: Bem, acredito que a religião que surgisse seria baseada num passado “fantástico e bom” transmitido por histórias pelos mais velhos. De algum modo, segundo essa religião, as pessoas grandes foram punidas e os pequenos – os “especiais” – não. Os ben10 da vida seriam adaptados com o tempo para figuras mais mitológicas, deuses mesmo. Logo os senhores – leia-se crianças de rua – ofereceriam a “salvação” através de algum tipo de submissão social. Haveria resquícios das religiões locais, mas acredito que logo seriam abandonadas, e na melhor das hipóteses, modificadas para algo totalmente diferente das originais. Talvez algumas gerações seguintes, decorrente da incapacidade para compreender o que são todos aqueles “objetos fantásticos” depositados nas cidades, estas seriam consideradas locais sagrados. Ah, e outra coisa: imagina a suruba que seria quando essas crianças virassem adolescentes.

  27. Marcelo says:

    Eu acho que a molecada ia toda morrer de fome/subnutrição, mesmo. Iam comer só porcaria até acabar, aí já era.

  28. Ronaldo says:

    Meninos de rua seriam os novos imperadores da bagaça com certeza!

  29. Enzo says:

    Seria uma pergunta legal pra fazer pro “What If?” do Randall Munroe (autor do xkcd).

    E, como algumas pessoas falaram, tem a referência clássica do Lord of the Flies. Acho que entre crianças de 10 anos já rolariam algumas das questões sociais apresentadas no livro.

  30. Ahoy says:

    Plot twist: de repente os adults voltam (depois de alguns anos).

    Sim, sim, eu sei que é biologicamente impossível, mas acho uma questão interessante pra pensar. Como estes adultos seriam recebidos? Já haveria um poder estabelecido? Se sim, tentariam derrubá-lo? As crianças poderosas os veriam como ameaça?

    Ou só ficariam muito felizes, correriam para os braços da mamãe e tudo voltaria ao quase normal?

  31. Diego de Castro says:

    Muito bom Izzy.

    Curti muito sua “viagem” cara!

  32. Lembrei de “Colheita Maldita”.

  33. Arthur says:

    Isso dá um BOM livro!

    Com certeza a maioria das crianças morreria, devido a sua super dependência em relação aos pais. Mas pra quem fosse mais esperto, esse apocalipse viraria o paraíso. Poderiam comer o que quiser, se divertir como quiser (sem eletricidade). Encarariam tudo como uma grande brincadeira.
    Mas e depois, quando a comida e todos os outros recursos começassem a se esgotar? Essas crianças rapidamente se tornariam mini adultos, a situação vai forçar um amadurecimento. A infância como a gente conhece vai pro ralo rapidamente. Sem saber operar a tecnologia deixada pelos mais velhos, as crianças com certeza se juntariam em pequenas comunidades baseadas na caça, coleta e em noções básicas de agricultura. Voltaríamos milênios atrás.

  34. Tati says:

    Eu acho que seria um caos.
    Como já disseram, os indigenas seriam os únicos a sobreviver, pois não afetaria em nada no cotidiano deles. Agora as crianças da cidade… essas estariam ferradas. Primeiro que quando não é mãe, é babá, e segundo que elas são cada vez mais tecnológicas e sem saber fazer nada. Iam sofrer com a ausência de um adulto, de fazer comida, dar banho… até atinarem pra ir num supermercado e tal. Tem tmb as com deficiências. Fora as que estariam num prédio sosinhas e presas, de 0 a uns 5, 6 anos. As doentes em hospitais tmb morreriam, os recém nascidos. Acho que só de cara morreria muuuuuuita criança. Depois com as explosões que falaram, os aviões que cairiam, a energia que acabaria. Até ai, quem sobreviveria as explosões? Acho dificil! Se sobrevivessem seriam poucos, e acho que os mais velhos e mais espertos msm.

  35. Ludwig says:

    As crianças de hoje em dia são todas marombeiras.

  36. Jefferson says:

    As crianças da cidade, morreriam em alguns anos, pois nao conseguiriam controlar simples doenças e infecçoes… uma simples gripe ou virose seria fatal e altamente contagiosa. Creio que sobrariam mto poucos humanos dentro de 5 anos. Mas os humanos nao seriam extinto, algum lugar do globo forneceria condiçoes mais simples para a adptaçao da mulecada!…

  37. Lucky says:

    Tô atrasado, mas achei inevitável falar que as crianças criariam cultos baseados em pilotos de aviões a la Mad Max 3.

  38. Rafael says:

    O primeiro saque seria à GameStop. Certeza. A molecada toda ia querer um Nintendo 3DS com Mario, e ia se dar bem quem conseguisse pegar um antes.

    A porcariada ia acabar toda em pouco tempo né, afinal as indústrias também parariam de funcionar, então adeus Ruffles, Fandangos, Oreo e qualquer coisa do gênero em pouco tempo.

  39. Nicolau says:

    Imediatamente lembrei de capitães de areia… mas enfim…

    Eu acho que a sociedade em que vivemos não é dessa forma por coincidência.
    Acho que é inerente ao ser humano a maturidade que temos hoje é algo natural e, grossamente, independente do ambiente em que vivemos. Digo grossamente porque é óbvio que certos detalhes, moda, exposição da tecnologia, enfim, certas coisas dependem de influências externas. Mas em geral acredito que as crianças ao crescer ao ver o mundo na merda iriam convergir para uma sociedade como a que temos agora… Acho que é a tendência natural… como colocar gelo em um copo d’agua, a temperatura vai sempre convergir para um equilíbrio. No exemple que você questiona só levaria muito mais tempo…

    Não digo nada disse como verdade absoluta, só é o que eu acredito…

  40. Bateu uma vontade de escrever a sério sobre isso..

  41. Laudews says:

    Mais alguém aí pensou nas crianças que a partir dos seis anos começam a colecionar medalhas de olimpíadas científicas e coisas do tipo? Não sei se é valido afirmar que eles se tornariam líderes (já que inteligência não vem, necessariamente, acompanhada de maturidade) mas fiquei intrigado sobre os que os mais ousados destes fariam. Grupos de crianças violentas provavelmente fariam um grande estrago no começo também, mas será que haveria algum tipo de resistência organizada pela maioria ou apenas uma rápida adesão a tais grupos por motivos de auto-preservação?

  42. João L. says:

    Elas se reunirão em volta de uma fogueira a noite depois de caçarem cães e gatos selvagens com estilingues, e contarão histórias dos tempos idos. Em uma delas, Homer Simpson criou o mundo em 12 dias usando uma ferramenta cósmica chamada Minecraft.

    Dirão que no inicio havia apenas Mario e Peach, e que eles comeram o cogumelo e foram expulsos da Zona Especial.

    Aqui nas terras do Sul da América, canções antigas serão entoadas como forma de passar o conhecimento oral adiante:

    “Hoje é festa lá no meu apê
    Pode aparecer
    Vai rolar bundalelê
    Hoje é festa lá no meu apê
    Tem birita
    Até amanhecer”

    No final, acho que crianças psicopatas ou sociopatas teriam mais chance de sobreviver em um ambiente extremamente hostil e passarem seus genes adiante. E ao final de algumas gerações a humanidade seria muito mais violenta e cruel do que jamais foi.

    Por fim, a natureza reclamaria seus domínios antigos e as cidades seriam cobertas por fauna e flora.

    Se o conhecimento científico foi preservado de alguma forma pode ser que a civilização floresça de novo. Se não, continuaremos no estado de natureza por milênios.

  43. Breno says:

    Na realidade a sociedade inteira entraria em colapso e desapareceria, porquê mesmo que se alimentasse em Wallmarts, essas crianças não tem condições de produzir alimentos por si só, uma vez esgotada a fonte de alimentos perecíveis, todos pereceriam por fome, doença e até mesmo confrontos entre grupos, afinal, crianças sem pais não teriam freios para sua violência.