Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Pergunta do dia ] Qual a discussão mais louca que você já teve?

Postado em 28 May 2015 Escrito por Izzy Nobre 30 Comentários

louco

Por usar a internet há TANTO tempo — quase vinte anos, mano! –, eu já me meti em muita discussão maluca. Porém, acho que a mais maluca de todas, a mais frustrantemente circular, a mais ENLOUQUECEDORA, foi uma que tive com um broder do colegial.

Quando cheguei no Canadá, eu era muito velho pra fazer high school “normal”. Por isso, tive que optar por uma escola “alternativa”: aquela escola menor, com má fama, pra onde a galera que engravidou na adolescência/foi expulso do sistema educacional por envolvimento com crime ou drogas/foi reprovado repetidamente vão parar. A escola tem um nível um pouco menor, pra ajudar essa turma a pelo menos terminar, finalmente, o segundo grau.

Nessa escola, eu conheci uma garota chamada Barb. Era ela super gente boa. Esta história não é sobre a Barb.

É sobre um maluco que estudava na mesma escola, com quem eu não conversava muito, mas era próximo à Barb. Um belo dia há alguns anos, vi a Barb compartilhando no Facebook um post desse maluco cujo nome eu não lembro. No post ele se propunha a “acabar com a pobreza no Canadá”. Sim, existe pobreza aqui.

A idéia do cara era a seguinte: uma loteria obrigatória. Todo os canadenses com idade para trabalhar (acho que dá uns 10 milhões, mais ou menos) teriam 1 dólar descontado de seu salário todo mês. No mês seguinte, rolaria um sorteio entre esses caras, e um felizardo ganharia 10 milhões de dólares. Ele então seria removido da loteria, e começava novamente no mês seguinte. Através dos cálculos dele, após um número X de meses, todos os canadenses estão milionários e acabou a pobreza.

E para o meu desgosto com o sistema de educação deste país, os amiguinhos do cara estavam tudo “porra que boa idéia mano vou mandar um email pro primeiro ministro essa idéia é muito boa!“. Me senti compelido a entrar na discussão.

Expliquei pra ele que loterias já existem, e nem por isso a pobreza se resolveu porque loterias não criam riqueza, elas apenas tiram um pouquinho de cada um e dão pra um outro. E que o sistema que ele descreve funciona mais como uma pirâmide financeira; é matematicamente impossível que todos ganhem porque o sistema vai eternamente depender de “não-ganhadores” contribuindo na base pra gerar a bolada lá em cima. E ainda pensei em mencionar o argumento de que um sistema compulsório de redistribuição de renda não é, historicamente, o melhor método de combater desigualdade socioeconômica, mas deixei quieto.

O cara não queria de forma alguma dar o braço a torcer. Ele continuava argumentando que seu sistema era essencialmente perfeito, que bastava os governantes do Canadá “darem uma chance” à idéia dele. “Em questão de poucos anos todos seríamos milionários, seria o primeiro país de milionários no mundo!“, ele repetia.

Tentei explicar que se subitamente as pessoas tivessem um monte de dinheiro, isso apenas criaria inflação. Ele rebateu que não, porque o governo não está imprimindo novas cédulas, apenas redistribuindo o que já está em circulação. O que é uma admissão não-intencional de que nada está sendo adicionado à economia do país; logo, será impossível criar valor através de redistribuição.

A discussão se estendeu por algumas horas. Mandei links explicando teoria econômica básica, esquemas de pirâmide, mas o cara estava completamente irredutível. Na cabeça dele, todos estamos a um passo de sermos milionários — basta o governo canadense pôr em prática o plano dele.

Essa foi possivelmente a discussão mais frustrante que eu tive na VIDA. Qual foi a sua?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: pergunta do dia

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 32 anos, também sou conhecido como "Kid", e moro no Canadá há 13 anos. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas, e sobre notícias bizarras n'O MELHOR PODCAST DO BRASIL. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

30 Comentários \o/

  1. Leonardo Azzi says:

    A discussão mais louca que já tive foi há anos atrás, quando tinha 6 ou 7 anos. Estava eu e um amigo na tradicional “Piscina do clube” (básicamrnte um mini parque de piscinas para sócios do clube da cidade). A mãe dele tinha nos levado. Então começamos a discutir sobre golfinhos (wtf), até que, através do grande intelecto em biologia de uma criança, disse que golfinhos não existiam, eram apenas tubarões não evoluídos (wtf x2). A discussão chegou a um ponto que o cara me afogou na piscina. Eu não sabia mergulhar direito, então não consegui resistir à entrada de água no nariz. Comecei a me estapear frenéticamente. Quando voltei à superfície, como uma boa criança, fiz o maior escândalo. Nunca mais me levaram no clube. Esta foi a minha discussão mais frustrante.

  2. dhnsilva says:

    Tipo aquela ideia de cada brasileiro doar 1 real. Pegar os 200 milhoes de reais e dividir pra todo mund! Genial! \o/

  3. Bom, já perdi uma tarde discutindo com um rapaz, um dos namorados de uma das minhas vizinhas, que dizia que Jesus nunca tomou bebidas alcoolicas. Segundo ele, na época de Jesus o vinho não tinha alcool porque não havia cana na região. -_-

  4. Juninho says:

    Bem, eu discuti religião :\

  5. De cara, sem pensar muito, já vejo 4 problemas com o plano do cara:
    1. Conforme os contemplados vão saindo do bolo, o valor arrecadado irá diminuir, e por consequência os seguintes irão receber cada vez menos, até que o último receberá o $1 descontado dele próprio. “Ha! Mas novos participantes vão entrar conforme vai chegando na idade de começar a trabalhar.” Sério que acha que filho de milionário vai querer trabalhar? Na melhor das hipóteses irá começar o próprio empreendimento…
    2. …o que levará a um país só de patrões, sem empregados para fazer os negócios andarem. Não haverá ninguém pra varrer chão, lavar pratos, entregar as pizzas… E já vimos em Bioshock que isso leva a consequências terríveis…
    3. Só quem participa é quem trabalha, já que o $1 é descontado da folha. E os desempregados, seja por impossibilidade, falta de oportunidade, ou por opção? Nunca será um país 100% de milionários, porque nem todos poderão participar da loteria, já que nem todos tem renda.
    4. Com sorteios mensais, vai levar pelo menos 1 milhão de anos para todos serem contemplados, se, claro, a quantidade de trabalhadores permanecer estagnada, o que não permanecerá… E Star Trek já nos ensinou que dinheiro perderá importância muito antes disso…

    • lolerson says:

      Temos um gênio aqui, pessoal.

    • André says:

      Isso aconteceu na Espanha do século 17, a Espanha extraia muito ouro e prata e levava tudo pra casa, só que tinha tanto ouro que as pessoas que o detiam começaram a pagar mais pelos produtos que elas consumiam, até que chegou um ponto em que os mais pobres não tinham dinheiro pra comprar a cara comida.
      Os países estrangeiros não compravam mais nada da Espanha porque tudo era muito caro, e os espanhóis compravam de fora porque tudo era mais barato, ou seja, o país entrou em crise porque ninguém mais produzia nada.
      Ou seja: Não importa se aqui no Brasil nós descobrirmos nióbio, petróleo, ouro. Nem mesmo se todo mundo tivesse uma mina de ouro em casa nosso país (ou qualquer outro) seria rico.

    • bakerhop says:

      doctor who prova o contrario de star treck, o dinheiro sempre existira pois uma miniora precisa de forma de provar que eh melhor que a maioria

  6. DoAssogue says:

    “Certa feita” discuti sobre o nome “lasanha de berinjela” estar incorreto pois se você substitui a massa de lasanha por berinjela, automaticamente você tira toda a lasanha do prato. Ou seja, o nome teria que ser berinjela ao forno ou qualquer outra coisa do tipo!

  7. Leonardo Gaboardi says:

    Como estudante da sccola de economia da universidade de Chicago eu PRECISO ler o post do cara. Quem sabe até repassar pros professores que tem nobel, compõem gabinetes econômicos, etc

  8. Trillian says:

    Isso é muito parecido com um esquema de consórcio que andam fazendo. Meus colegas de trabalho fazem todo ano e pelo que eu entendi é assim: você junta, por ex, 10 pessoas. Cada uma paga 100 reais, ao longo de um ano. Cada mês uma pessoa é sorteada e recebe 1200 reais (mas continua pagando até inteirar as 12 parcelas). Isso é apenas uma espécie de poupança compulsória. Pode ser legar se a pessoa não tem disciplina financeira nenhuma e não consegue poupar -- nesse caso, o grupo te “obriga”. Mas não tem absolutamente diferença nenhuma de você investir direto no banco.

    • Leonardo says:

      Já trabalhei com uma empresa que vende consórcio e é isso aí mesmo… não existe nenhum fundamento econômico mas pode ser um instrumento de disciplina (apesar de ser geralmente mal sucedido neste ponto)

  9. Cris says:

    Foi com um cara com sérias dificuldades cognitivas, numa matéria sobre planejamento familiar e aborto. Ele reclamava que era um absurdo ele transar sem camisinha, e caso engravidasse alguém, não poder impedir uma mulher de interromper a gravidez (ou não poder obrigá-la a interromper a gravidez caso ela queira manter) e ter que pagar pensão. Comentário após comentário eu tentava explicar pra ele o que é responsabilidade, que ele tem que ter alguma no sexo, ou se previne pra não engravidar a parceira ou paga a pensão do filho, afinal o pobre moleque tem o direito de não morrer de fome porque papai de repente achou que chupar bala sem papel não era uma boa ideia. Mas acabei desistindo depois que ele falou que é perfeitamente correto e aceitável que ele abandone a mulher grávida e o filho, afinal homens não engravidam e podem fazer isso… tô até hoje me perguntando porque um ser humano criaria alguém pra se tornar essa coisa abominável.

  10. Danilo Lion says:

    Já tentaram pegar um vídeo de acidente veículo x ciclista e tentar apenas “Repartir” responsabilidades com o ciclista ……..em um debate com m cicloativista? Pois é…… essa foi minha mais recente e duradoura.

  11. Adriano Garcez says:

    E a resposta mais óbvia você esqueceu? Só 12 pessoas por ano seriam contempladas, logo isso não iria diminuir em nada a pobreza, além de aumentar a diferença social.

    Nobre, libera o Disqus aí pra gente.

  12. Knux says:

    Não passou pela cabeça do rapaz que, com um sorteio por mês, levariam dez milhões de meses para sortear todos os cidadãos? (isso só os iniciais, fora os que forem entrando na lista a medida que o tempo passa). E que na hipótese de haver um canadense imortal que sobreviva por milênios e milênios até ser sorteado, ele receberá exatamente aquilo que contribuiu?

    Tipo, não é tão difícil de ver o que está errado, eu acho até que você fez uma refutação demasiadamente complexa.

  13. Nicolas says:

    Por incrível que pareça já entrei em uma discussão com um cara que dizia que não podemos garantir que a ciência é uma verdade, que tudo pode ser uma conspiração da nossa sociedade e nós “normais” estamos sendo enganados. No meio desta o tal soltou uma pérola dizendo que ninguém pode saber se a Terra tem o seu formato “esférico” e que ela pode muito bem ser plana e a ciência que nos “obrigou” a acreditar nisso.

    • Leonardo says:

      Sinceramente acho o ceticismo dele saudável… por mais idiota que seja hoje questionar que a Terra é esférica, há uns séculos atrás o maluco era aquele que questionasse que a Terra é plana.

      Hoje em dia tem muita informação que são nos dado como “fatos provados cientificamente” que podem muito bem serem questionados por algum tipo de viés na pesquisa, ou erro sistêmico do estudo, ou algum tipo de puro azar. Exemplo: dizer que o CFC é o causador do buraco na camada de ozônio, ou que aquecimento global tem causas artificiais, ou que independência do Banco Central é ruim para um país (falácia dita na última eleição presidencial).

  14. Gustavo C. says:

    Eu pronunciava o email do Google com a letra G tendo som mudo, igual na palavra “digno”… fica “gui-mail”. Aí as pessoas começaram a me corrigir (e me zuar também), dizendo que o certo é falar “gê-mail”. Mas isso me soou tão esquisito que eu encuquei que o correto era “gui-mail”, como se GMAIL fosse uma palavra mesmo, e para provar que eu estava certo fazia as comparações com outras, como digno, estagnado, signo, mas ninguém concordava comigo… porém eu notava que sempre que eu falava meu email pras pessoas, muitas me olhavam estranho ou não entendiam que email era.. aí eu falava GÊ-mail… até hoje eu acho que fica mais bonito falar “gui-mail” mas me rendi à maioria e falo “gê-mail”. Foi a discussão mais besta que já tive na vida e também o comentário mais besta que já postei num blog.

    • says:

      Eu ainda pronuncio “Gui-Mail” ‘-‘ (BTW, se levarmos em consideração que o Google é americano, a pronuncia correta seria “Di-Mail” :v)

  15. André Henrique says:

    Eu posso dizer que já me envolvi em muitas discussões frustrantes, e é uma merda, principalmente quando você vê que é um cara que não vai mudar a opinião dele por nada. Uma que me lembro agora, foi quando um cara tava falando que colar em provas não era ser desonesto, eu falava que ele estava sendo desonesto com o professor, com a escola e com ele mesmo, e ele insistia em dizer que isso não afetava em nada o caráter dele.

  16. bianca says:

    Quando eu era mais nova eu era da igreja e sempre discutia religião com os amigos da escola explicando o que eu acreditava…
    Hoje em dia percebo que é completamente inútil e não discutir religião mais qualquer coisa, cada um tem sua opinião não vai ser eu que vou mudar, olha seu exemplo ficou 1h argumentando e não obteve resultado….
    Prefiro nem me dar o trabalho…kk

  17. Rafael Silva says:

    Quem nunca teve essa idea ahahahha

  18. Thiago says:

    A minha foi sobre jogos antigos x nova geração. Éramos em 3 amigos, e eu em oposição a opinião deles defendia que os jogos das produtoras de hoje perderam em proporcionar diversão mútua, jogos pró-gráficos não são pra reunir a familia -- minha mãe ou irmã não jogariam, mas jogariam os da Nintendo e Kinect. Resumindo, foram horas de discussão que não deram em nada. Quando se trata de gosto cada um com o seu, e ninguém está realmente errado.

  19. Foi esses dias. Eu fiz um vídeo sobre Jogos Desconhecidos do Nintendo 64 e um cara foi me chingando, me chamando de criança e talz… Mas aí, de repente, no meio da discussão, o cara fala: “não leva pró lado pessoal..não tenho nada contra VC OK..comentei apenas do vídeo…sei q VC ainda pode melhorar muito…fica na paz aí parça!”

    Eu não entendi nada! O cara tava todo revoltado e de repente quer fazer as pazes? Oloco!.-.

    Eu tenho como provar que isso aconteceu mesmo! Vai neste vídeo https://youtu.be/FYbkwLrPHgg e vai nos comentários que você vai ver a discussão. O nome do cara é Wellkiller Ultra