Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Perguntinha do dia ] Qual é um segredo da sua profissão que é melhor que os clientes continuem sem saber?

Postado em 12 March 2013 Escrito por Izzy Nobre 226 Comentários

Nova categoria no HBD (parem de se referir ao site como HBDIA, porra): Eu faço uma pergunta e vocês respondem nos comentários. Simples a idéia, não? Vamos lá.

Eu já trabalhei num restaurante, como contei aqui neste texto apropriadamente entitulado “Trabalhando no Restaurante“. Durante este período, eu fiquei terminantemente convencido de que todos os restaurantes do mundo devem ser um pardieiro de asquerosidade inigualável, e que eu finalmente tive um pequeno vislumbre neste mundo insalubre.

Aliás, olha o local aí:

Tudo bem que é um restaurante pequeno e humilde, mas meus colegas que trabalham em restaurantes chiques confirmam práticas sebosas similares

Uma das práticas mais sebosas do estabelecimento era a seguinte — usávamos uns paninhos brancos para enxugar pratos. Os panos iam ficando cada vez mais asquerosos, e ao final do dia estavam praticamente marrons numa combinação de resto de spaghetti, gordura de bife, calda de chocolate — era uma salada demoníaca.

O protocolo no restaurante é que esses panos iam pra um balde de água sanitária concentrada (que fazia meus olhos lacrimejarem sempre que eu passava perto), e ao fecharmos o restaurante — num espírito de reciclagem digna do Capitão Planeta –, usávamos aqueles panos para desinfetar todas as superfíceis do local.

Incluindo os assentos das privadas. Sério. O mesmo pano que enxugava o seu prato era usado pra limpar suor de bunda da privada meras horas mais tarde. Depois, voltavam ao molho da água sanitária, e finalmente eram jogados na lavanderia. A despeito da água sanitária e da lavenderia no final do processo, é definitivamente uma prática que nenhum freguês ficaria satisfeito em saber, eu aposto tudo que tenho na carteira no momento (um passe de ônibus, um clipe, um post-it amassado e uma moeda de cinco centavos).

Tenho certeza que graças ao seu trabalho, você tem acesso a informações que os clientes prefeririam não saber. Compartilhe com a gente nos comentários, rapá!

(Se quiser usar conta falsa para não se comprometer, sinta-se à vontade)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: pergunta do dia

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

226 Comentários \o/

  1. Helio says:

    Saca aquele projeto foda que vc pagou fortunas?! Foi o estagiario que fez. #HBDIA

  2. Amon says:

    Meu trabalho não presta nem pra existir, af.

  3. Fábio Neves do Amaral says:

    Não sei se serve, mas posso dar vários exemplos da industria farmacêutica que talvez só quem é da área sabe. Ex.: Uma marca muito conhecida por suas “sacanagens” diz que seu remédio A é bom. Um trabalho mostra que um remédio B é melhor e prova que o “A” causa algum problema cardíaco. A empresa do remédio A diz que na verdade o remédio B é que é cardioprotetor. E assim continua vendendo o A.

  4. Trabalho numa loja de roupas onde a numeração das calças vão de 38 a 50. Quando chega um cliente procurando uma calça tamanho 52 ou até mesmo um número com o qual trabalhamos mas não temos disponível no momento, dizemos que vamos até o estoque conferir e daí pegamos uma calça do mesmo modelo (porém com uma numeração a menos) e brincamos de cabo de guerra, segurando pela cintura da calça, até que ela ceda o suficiente para deixar o cliente satisfeito.

    Disclaimer: Na verdade, a calça iria ceder de qualquer forma (é algo que ocorre normalmente após um tempo de uso), nós só adiantamos o processo.

  5. Técnico de Informática says:

    O que meus clientes não sabem é que eu sei fazer mais coisas além de arrumar impressora haha

  6. Renan says:

    Trabalho com suporte em TI, então dá pra imaginar que muitas vezes vejo coisas simplesmente absurdas. Não é nada difícil eu receber pedidos de atendimento de coisas do tipo “mouse não funciona” sendo que o digníssimo ser nem ligou o computador. O que essas pessoas não sabem (mas devem imaginar) é que existe um tempo enorme de procrastinação entre eu levantar de minha mesa e eu ir ver o que elas querem, fora todos os tipos de rezas conhecidas pela humanidade para me dar paciência quando vou atender uma pessoa já conhecida, num sentido nada agradável.

    • Ricardo says:

      já recebi um chamado que o corretor ortográfico não funcionava, falei pra apertar f7, a pessoa liga reclamando dizendo que já apertou o f sete vezes e nada aconteceu.

      • Doug says:

        Já me ligaram dizendo que o teclado estava com problema, pois quando ela apertava o @ aparecia a tecla 2, ai falei, aperta a Shift, e ela disse que não tinha nenhuma tecla dessa no teclado dela.

    • JusticeiroDigital says:

      trabalho com TI então constantemente tenho que dar “golpes” pois muitas vezes os clientes praticamente nos forçam.

      Ex.: Cliente deixa a máquina com argumento de que a internet não funciona, enche o saco um tempão e o único problema é que a placa de rede esta desativada, daí invento alguma coisa pra cobrar, afinal tempo é dinheiro.

      Muitas vezes também os clientes “espertos” deixam a maquina pra orçamento e depois não aprovam (afinal só queriam o diagnóstico de que o problema é TAL pra ele mesmo arrumar, ou um primo que entende), nesses casos já tenho mutos processadores, memórias, HDs, etc com defeito pra fazer a troca.

      e eu me acho muito honesto e justo na minha área, só não gosto que me façam perder tempo ou tentem me fazer de trouxa.

      • Justiceiro uma ova says:

        JusticeiroDigital? Você é um pilantra e mal caráter de marca maior, isso sim! Deveria prestar seu serviço como lhe é solicitado, não enganar os clientes que mal entendem os produtos que tem na mão. Pessoas como você são os corruptos deste país, que depois vem reclamar da política. Rato!

  7. Já trabalhei numa pizzaria por 2 dias (foi só um extra) e quero só confirmar a coisa de todo restaurante ser nojento, meu pai e meu tio trabalharam com hotéis boa parte de suas vidas (gerentes inclusive) e contam estórias similares.

  8. João Pedro Sousa says:

    Trabalhei como bibliotecário numa escola. Na qual eu era aluno. Descobri que os outro bibliotecários muitas vezes pegam os livros sem anotar, as vezes danificam e não pagam nada. Não quero generalizar, nem sei se era só no meu caso. Abraços, Kid!

    • Rodrigo says:

      Nossa que triste isso… Denúncia já!

    • JB says:

      NÃO é comum. Generalizou, sim.
      Abç.

      PS: vc não trabalhou como bibliotecário, sim como auxiliar de biblioteca. Para ser bibliotecário tem que ter graduação.

      • MM says:

        1) Sou professor e já dei aula em pelo menos 15 escolas. Em todas elas a prática de funcionários retirar livros sem anotar na lista de empréstimo é comum. Inclusive o fato de livros “sumirem” do nada. Triste, eu sei.

        2) Ele pode ter trabalhado como bibliotecário sim, mesmo sem formação específica, e isso pode acontecer de muitas maneiras =)

        • JB says:

          1) Pode até ser comum em escolas acontecer a prática dos funcionários de retirar livros sem anotar. Mas se você notar, escolas dificilmente tem bibliotecários, o que faz com que a biblioteca não seja uma biblioteca, mas sim uma sala de leitura.
          É claro que existe bibliotecário caloteiro, mas esses caras são verdadeiras exceções.

          2) Se não tiver formação, não é bilbiotecário. Se não tiver curso técnico, inclusive, nem auxiliar é.
          A lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962 (!) versa o seguinte:

          “Art 1º A designação profissional de Bibliotecário, a que se refere o quadro das profissões
          liberais, grupo 19, anexo ao Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 (Consolidação das
          Leis do Trabalho), é privativa dos BACHARÉIS EM BIBLIOTECONOMIA, de conformidade com as leis
          em vigor.

          Art 2º O exercício da profissão de Bibliotecário, em qualquer de seus ramos, só será
          permitido:

          a) aos Bacharéis em Biblioteconomia, portadores de diplomas expedidos por Escolas de
          Biblioteconomia de nível superior, oficiais, equiparadas, ou oficialmente reconhecidas;

          b) aos Bibliotecários portadores de diplomas de instituições estrangeiras que apresentem
          os seus diplomas revalidados no Brasil, de acôrdo com a legislação vigente.

          Parágrafo único. Não será permitido o exercício da profissão aos diplomados por escolas
          ou cursos cujos estudos hajam sido feitos através de correspondência, cursos intensivos,
          cursos de férias etc.” (!)

          (1) Brasil. Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962. Dispõe sôbre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício. [Internet]. Brasília, DF; 1962. [acesso em 2013 mar. 22]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/1950-1969/L4084.htm

          PS: Oppa Vancouver style!

          • Bjs says:

            mas eh mto metido esse JB. pode até ser ilegal, irregular, mas o cara pode sim ter sido contratado como bibliotecário e ter as mesmas funcoes que um. talvez vc nao tenha percebido mas o mundo real ainda eh BEM diferente do ideal

          • JB says:

            METIDO?!?!?!
            Defina e dê 42 exemplos.

          • JB says:

            Respondendo ao bjs agora:
            Cara, falar q um cara sem graduação trabalhou como bibliotecário, é o mesmo que dizer que eu poderia ser contratado como um pesquisador em genética aplicada ao meio ambiente. Ou seja: tentaríamos exercer a profissão, mas sem o conhecimento, estaríamos fazendo outra coisa diferente.
            Não disse que não acontece, só que é exceção, caro amigo de bolso do Izzy analfabeto funcional.
            Ser bibliotecário não é (só) ser um vigilante de biblioteca. Isso qualquer professor reformado é (o que acontecia nas escolas do governo até pouco tempo).
            Salvas as exceções, para ser bibliotecário, médico, enfermeiro, engenheiro de produção é CRUCIAL ter diplominha, alémd e outros requisitos.
            “Ou quei”?

          • JB says:

            Q fique claro q o Izzy não é sujeito de “analfabeto funcional” nessa oração.

  9. Girafales says:

    Quando eu era monitor de uma matéria na universidade, a gente acelerava correções de provas desenhando um alvo no chão e jogando elas pra cima. Quanto mais perto do centro, maior era a nota. As que caíssem fora levavam zero.

  10. Iae izzy.
    Sendo dono de padaria e tendo uma vida inteira de convivência devido a empresa familiar. posso assegurar que se soubessem de tudo que passa por qualquer estabelecimento que trabalha com alimentos ninguem iria comprar xD.
    Vou deixa aqui só alguns dos que eu mesmo aboli na empresa.

    Usar luva para passar mel no pão, embalar torrada, pegar o pão e ingredientes de sanduiche e lavar a pia… A MESMA luva (sim aquelas brancas que rasgam facil)

    Deixar o pegador de pão cair e fingindo que ninguem viu colocar novamente na caixa de pão.

    Armazenar sucos em recipientes que ja foram usados para outras coisas.

    Colocar devolta em balcão produtos não embalados que cairam no chão.

  11. Rodrigo says:

    Rapaz, trabalho no ramo de supermercados e sei que na seção de laticínios, todo alimento embalado a vácuo ou bandeja, por ventura, podem não estar “frescos”, descofie. Pode estar vencido, ou bem pertinho de vencer. Então cuidado com o salaminho, lombo canadense, copa…

  12. Xubiruba says:

    Faz tempo atrás que eu trabalhava com importação e um dos processos que eu cuidei era de uma importação de um container lotado de sementes de gergelim para uma rede de fast food (muito famosa).

    A empresa que vendeu descobriu que as sementes estavam contaminadas com salmonela. O problema era que a mercadoria já estava em alto mar, quase chegando no Brasil.

    Conversa vai conversa vem, a empresa terceirizada da fast food decidiu importar a mercadoria de vez, alegando que como as sementes iriam para o forno junto com os pães, a salmonela toda iria morrer.

    Desde essa época eu nunca mais comi um lanche sequer desses caras.

    • Leonardo says:

      A Salmonela realmente morre em temperaturas acima de 65 graus. E se não morrer, no máximo dá uma caganeirazinha de leve…

      • Cristina says:

        CARALHOOOOOOOO qual o seu problema? Tá manjando bem de Salmonella heim, sabe até escrever… Faz o seguinte, procura aí no google Maria tifóide, e me vem falar que Salmonella só causa caganeirazinha de leve.
        Vai estudar doenças transmitidas por alimentos antes de falar tal coisa..

      • Guilherme says:

        O nome certo da bacteria é Salmonella,, e ela pode causar morte se acometer idosos ou crianças pequenas; e, se ingerida em quantidades fora do comum, podem matar até adultos..

    • cristiano says:

      Pra se assegurar, basta pedir um “Dois hamburgers, alface, queijo, molho especial, cebola, picles,num pão SEM gergelim”

    • Lóren says:

      Se for o BK já sei o motivo de ter quase morrido ano passado.

    • Flavio says:

      Arcos dourados?! Rei do Hamburger? Robert’s?

  13. CCCC says:

    Sabe aqueles 5k que eu pedi pra fazer teu site? Usei wordpress e um template piratex. Gastei nem 20min e 0 dilmas. Obg

  14. um cara says:

    trabalho com e-commerce e certo dia eu e outro cara fomos dar uma olhada nas senhas dos clientes, um deles era um respeitado medico da nossa cidade e a senha dele era “techupo”. o engraçado é que as pessoas costumam usar a mesma senha em todos os lugares, daí pra entrar no facebook ou email deles era facil, ainda bem que não sou mal intencionado haha

  15. Anonimamente Falando says:

    Vamos supor que eu trabalhava em um hospital. Supor apenas. E que a maior parte da minha experiência lá, se deu no setor de Emergência. E várias vezes os pacientes ali, esperando por uma consulta, escutavam de mim que ‘O médico está em procedimento’ ou ‘O médico teve que atender um paciente internado na clínica’ enquanto, na verdade, o médico estava no quarto dos médicos comento torta, salgados fritos ou pior: dormindo. Mas como eles sempre dividiam o lanche com os colegas de plantão, relevemos.

    • Daryl Dixon says:

      Você é um grandíssimo Filho da Puta!

      • E que um dia ainda pode ser a pessoa precisando de emergência.

        • Anonimamente Falando says:

          Estamos falando de pessoas querendo uma consulta apenas para ganhar um atestado e não ter que trabalhar. ÓBVIO que, quando era um caso sério, eu chamava o médico.

          • Eduardo says:

            Exatamente!

            90% das pessoas que vão em emergência estão lá por “atestadites” ou pra coisas que nao deveria ser resolvido numa emergência.

            E sim, fazemos esperarem de propósito.

    • Filipe says:

      Acho válido, pois médicos e enfermeiros pegam vários plantões gigantescos, tem que ter um tempinho, se não o diagnóstico pode sair errado

    • Justiceiro uma ova says:

      Grande merda que algumas pessoas vão para pegar atestado. Seus papeis como agentes de saúde são atender e identificar quaisquer problemas que os pacientes tenham. Nem que seja para recusar atestado, mas não vai dormir no trabalho. Tipos como você que fazem esse país feder, depois vem reclamar de políticos. És muito pior.

  16. Alguém says:

    trabalho com contratos de importação em um grande banco, então vejo faturas de incontáveis empresas que enviam dinheiro para o exterior através do mesmo. marcas como Redley, Cantão e outras grandes compram suas peças da china, em quantidade exorbitante. até aí tudo bem, é prática normal hoje em dia. o que não é normal é eles pagarem 4, 7 dólares na peça e te cobrarem 80~120 reais só porque agora tem a etiquetinha deles… casacos saem por volta de 15 dólares, e na loja é comum custarem mais de 200 reais…

  17. Anon says:

    Aqui é um professor de um certo curso preparatório para concursos: nós somos orientados a não comentar sobre a real possibilidade de aprovação de um aluno em um concurso.

    Muitas vezes eu vejo que alguma pessoa não tem a capacidade de ser aprovado numa seleção, mas não posso ser sincero nem pedir para ele pensar se concurso público é o que ele realmente quer.

    Certa vez, a instituição na qual dou aulas abriu um curso preparatório para a Receita Federal. Quem conhece este mundo de cursinhos sabe que esta é uma prova que exige dedicação de, pelo menos, 2 anos de estudos diários. É uma das provas mais difíceis do Brasil. A parte suja é que esta minha instituição abriu este curso faltando apenas 3 meses para a prova, prometendo que “era possível”.

    Como previsto, nenhum dos 135 alunos matriculados foi aprovado, mas o lucro para mim, meus colegas e meus chefes superou as expectativas.

    • Felipe says:

      Se vocês cobraram 500 reais de cada um dos 135 por 3 meses, vocês ganharam mais de 200 mil reais.

      Cara, pra onde mando meu currículo? kkkkkkk

  18. Leonardo says:

    Cara… que coincidência! Por acaso saiu semana passada que o restaurante Noma, creditado como o MELHOR DO MUNDO tem práticas de higiene asquerosas

    http://www.ft.com/intl/cms/s/0/1ce0e416-8800-11e2-b011-00144feabdc0.html#axzz2NNumjbEZ

  19. Luiz Eduardo says:

    Trabalhei em uma montadora de motos em Manaus e perdi a conta de quantas vezes dávamos um jeitinho em peças defeituosas. Super-Bond e durepóxi eram ferramentas clássicas para o pessoal da revisão.
    Depois que saí de lá nunca deixei ninguém conhecido comprar daquela marca, apesar de saber que isso é um pouco generalizado nesse meio.

  20. Seu joílson padeiro fake sigilo says:

    Também venho de um empreendimento familiar padeirístico,E lhe afirmo, se as coisas que acontecem dentro da cozinha do estabelecimento, fossem vistas pela vigilância sanitária, ninguém comeria mais pão, história que repercutiria mais do que a carne de cavalo nas zoropa. segue uma história menos brutal srsrsr. uma vez comprou-se um pouco mais de iogurte(danone) do que o normal, pensávamos que iria vender tranquilamente como sempre, só que não foi bem assim, algumas plaquinhas venceram e pra evitar o prejuízo inventamos um “doce” de iogurte hahaha estragado, o pesssoal comprava, pedia mais e elogiava e até encomendavam sem saber, óbvio que aqueles maravilhosos doces iriam causar uma diarreia monstra, hahaha, faturamos o triplo naquele dia.

    • Natan says:

      Isso é mentira,porque toda empresa que vende esses produtos,se passar da validade você pode trocar ele,todos sabem disso

      • Mr. Danone says:

        Acho que você não entendeu, eles faziam um doce do iogurte. Tiravam tudo dos potinhos -- que tinha a data de validade -, misturavam e vendiam. Ninguém poderia dizer que o produto estava estragado, no máximo reclamariam avisando “que tem algo errado”, no fim, dariam um nome diferente pro doce e continuariam vendendo kkkkk.

        • Kauê says:

          Na realidade, o que o Natan quis dizer é que empresas que compram, por exemplo, iogurte em grande quantidade, possuem o direito de trocar com o fornecedor caso não atinjam a meta de vendas e alguns dos produtos expirem.

  21. Batmatt says:

    Trabalho numa loja de Magic, acho que não tem nenhuma “tramóia oculta” em separar cartas pra gordinhos que precisam de sutiã haha

    • The Dude says:

      Na real, conheço uma loja que só deixa as cartas merdas na pasta em cima do balcão. Se quiser o produto top, o real deal, vc tem que pedir pela outra pasta aquelaque fica debaixo do balcão.

  22. dani says:

    Professores: eles falam sobre você com outros professores.

  23. Químico says:

    Trabalho neste ramo faz mais de 6 anos, nestes passei 4 anos em uma grande multinacional que produz tintas e outros materiais. Como a empresa é muito grante, havia uma estação de tratamento de água dentro da empresa. Descartar protudos na pia era procedimento padrão e segundo o engenheiro que cuidava disto: “se você pensar na quantidade que está indo pela pia comparada com a quantidade de água que é tratada na estação, é como se não tivesse nada”

  24. Ellen Müller says:

    trabalhei um tempo no Mc Donald’s, e se vocês vissem as nojeiras que eu via nunca mais comeriam lá, é uma falta de higiene absurda, por várias vezes eu vi funcionários derrubando pão no chão e por ordem do próprio gerente pegando de volta e montando lanche com ele como se nada tivesse acontecido, e pior, alguns davam aquela sopradinha ao pegar do chão kkk as batatas e os nuggets são fritos no mesmo óleo durante um bom tempo, só se troca quando está mesmo ultra nojento, e tinha uma espécie de zoação com clientes chatos, os caras cospem no hamburguer, coçam “as partes” e pegam no lanche entre outros absurdos, é sério, melhor comerem uma coxinha no barzinho da esquina, deve ser mais limpo rs

  25. Ilton Alberto Junior says:

    Trabalhei tempo atrás como web designer e posso afirmar que 50% de tudo que era feito seguia na base da gambiarra PURA! O cliente pedia algo dinâmico, desenvolvido especialmente pra ele e eu fazia a gambiarra mais bizarra do mundo. Eu era funcionário, então já não dava tanta bola e meu ex patrão me apressava e as vezes incentivava as gambiarras.

    Por ex.: Meu chefe “desenvolveu” um sistema de banners com gerenciamento de cliques. Basicamente, ele baixou o plugin AdRotate do WordPress e fez eu mudar o nome em todas as linhas de arquivo do PHP pro nome que ele escolheu, o “*NOMEDAEMPRESA* Analystics” (ocultarei o nome do lugar pra não manchar a imagem. Ele fez isso com outros 2 plugins, o MailPress e o PHPLive!

    Outra coisa era o cliente ligar e pedir alteração no menu, acreditando ser algo dinâmico e simples, mudando um nome num campozinho bonitinho, enquanto eu corria pra alterar o código do header. Era engraçado. E cansativo.

    • Carlão says:

      Caso clássico de “Programação Orientada a Gambiarra”…ehehehehe!!!!

      Todas as profissões e funções têm os seus métodos particulares que se o grande público ficasse sabendo, a merda ia ser grande. Sou pesquisador de uma grande universidade brasileira e o que mais acontece é o uso de, digamos, “atalhos heurísticos” para acelerar os resultados de um experimento. A maioria das vezes, isso não configura fraude, porque não se inventam dados nem conclusões, só se escolhem, em um rol de métodos possíveis, alguns que se sabe de antemão que darão um resultado “mais bonitinho”.

  26. Bom, é meio bobão, até por que um monte de Desenvolvedores como eu acessam isso aqui. Mas, uma coisa que eu acho que assustaria todo mundo é o fato de que com 5 ou 6 argumentos dependendo da rede Wifi, pode-se obter e capturar os dados de qualquer coisa conectada a ela.
    E quando eu falo de qualquer , falo também de redes de aeroportos, redes públicas, etc.
    É só criar um mirror com um notebook ou dispositovo que aceite o modo monitor na placa de rede e ficar capturando dados.

    • Diogenes says:

      Redes sem criptografia, não é?
      Ou redes com criptografia ultrapassada WEP, que se quebra com um netbook + linux facilmente.

      Hoje com as redes usando WPA2-AES já fica mais complicado.

      • Stay says:

        Nem precisa de Linux, com meu Macbook e o software KisMac faço isso em redes WEP tranquilamente.
        Agora realmente, WPA2 já fica mais complicado.

  27. Fellipe says:

    Eu não sei de segredo nenhum, mas deixo pra vocês pensarem: Sabe aqueles tomates meio estragados que você jamais compraria? Até os bichados? Você acha que a fabrica de molho de tomate ou catchup tira eles da linha de produção, ou mói tudo junto?
    Mesma coisa goiabada. Será que tiram os bichos das goiabas?
    Ou imagine aqueles tonéis gigantes onde são feitas coisas como chocolates, doces e outros. Se cai um bicho ali dentro, alguém para tudo pra tirar?

  28. Anonymous says:

    O segredo que eu tenho é o seguinte: Meu patrão é urologista especializado em disfunção erétil. O detalhe é que ele tem um bocado de pacientes famosos, então eu sei quem são os famosos que são broxas e precisam de remedinho pra levantar o ~garoto~.

    Aliás tem uns que colocaram até prótese peniana pra ficar de pau mais ou menos duro o tempo todo.

    Quem? Aí eu já não divulgo.

  29. Seja um Designer Gráfico e sofra eternamente com logotipos em .doc, pessoas que falam “LOGOMARCA”, arquivos sem sangra e em RGB, pessoas que querem contar sua vida nukm cartão de visitas e por aí vai!

    o cliente pediu:aumenta mais o logo
    eu não aumentei e disse q sim, ele aprovou e pronto hahahaha

    • CCCC says:

      Sofre com logomarca pq quer. Reclamar da palavra “logomarca” é uma das coisas mais tiopavêzisticas que existe.

      • Chantal says:

        Infelizmente isso é gerado por muitos professores universitários. Boa parte dos meus ficavam tiopavezando com esse lance da logomarca e eu saí com isso na cabeça.

        Mas a palavra é feia mesmo vai hahaha

  30. Vinicius says:

    Gerência de TI/Administração de rede.

    Eu sei TODOS os sites que você acessa. Geralmente faço vista grossa. Se você tentar burlar qualquer bloqueio ou restrição, eu vou descobrir. E vou fazer vista grossa.

    Se você um dia me tratar mal, tenha certeza que vou transformar sua vida num inferno. Rede que “estranhamente” deixa de funcionar, emails que “magicamente” desaparecem, dados “incompreensivelmente” digitados errado.

    E vou deixar de fazer vista grossa.

    Não é que você foi demitido por minha causa. Era por minha causa que você ainda tinha um emprego.

    • Guilherme says:

      Não é bem assim. Se eu não quiser que você saiba algum site que eu entro você não vai saber. Jamais. 😛

      O dia que um netAdmin descobrir os sites que eu acesso escondido teremos um sério problema de segurança no mundo inteiro ou o cara é um stalker absurdo sem nada pra fazer.

      • Everton says:

        Na verdade o Adm de redes pode sim saber TODOS os sites que você acessa ou tenta acessar. O que pode estar acontecendo é que o cara não está olhando pro lugar certo.
        Se você está em uma rede interna, com proxy e tudo mais, TODAS as requisições de seu IP estão gravadas. Se liga ae!

        • Tiago says:

          Monte um tunel ssh e configure o firefox(network.proxy.socks_remote_dns=True) pra fazer as requisições por dentro do tunel.

          O net admin pode até derrubar a conexão mas nunca vai saber o que foi acessado

    • Izzy Nobre says:

      CARALHO. Deu até medo esse.

    • Daryl Dixon says:

      Estamos juntos nessa.

    • Outro Admin de SI says:

      Trabalho como Analista/Administrador de Sistemas de uma grande multinacional BR, minha função é fazer o Sistema da Intranet funcionar perfeitamente e tambem fazer com que os dados compartilhados cheguem na sede em São Paulo sem nenhum problema, como estamos no Brasil, mesmo com um link dedicado da Anatel algumas vezes a comunicação pela VPN é demorada porque passam alguns teras de dados por dia. Na hora do almoço teoricamente era pra deixar Facebook/Youtube liberados, fizemos o teste 2 dias, a rede simplismente não aguentou, todos os funcionarios começaram a ver videos no youtube em 720p/1080p, nunca mais liberamos esses sites na empresa, os únicos departamentos que continuam com acesso é o de Market que precisa disso para funcionar e o de TI que é o departamento dos brother. como o Guilherme falou é um tanto quando dificil pegar a navegação de alguem que sabe usar o Tor na rede, só que para isso temos um sniffer rodando que captura tudo que é navegação fora do padrão da rede, assim que indentificado o funcionario pelo Login que ele usa na rede nos o alertamos e falamos para parar, caso o funcionario não pare nos mandamos um relatorio para o RH e o funcionario é desligado da empresa creio eu que por justa causa.

    • Mr. Danone says:

      Daria Like se pudesse.

    • Doug says:

      Infelizmente digo que se você é esperto o suficiente desse tipo, tome cuidado pois há pessoas tão espertas quanto você.

      Se a pessoa souber que você faz vista grossa, ela pode usar a prova dela pra incriminar você. Já vi Adm de Rede ser despedido exatamente por isso, o usuário imprimiu todo o histórico dele de tempos, pois ele já sabia que o cara ia foder com ele, qdo aconteceu ele tacou na cara do dono da empresa que fazia isso a muito mais tempo e que o tal fulano de rede, fez vista grossa até rolar uma troca de interesses.

      Resultado: 2 novos empregos abertos na empresa.

    • Ciclano says:

      “Se você tentar burlar qualquer bloqueio ou restrição, eu vou descobrir. Se você um dia me tratar mal, tenha certeza que vou transformar sua vida num inferno.”

      Eu e o gerente de TI da minha empresa vivemos uma espécie de guerra fria. Um dia ele me pegou levando trabalho pra casa e passou a vigiar o meu computador.

      Descobriu várias das minhas táticas de burlar os bloqueios e conseguiu bloquear alguns. O resto da equipe de TI fica do meu lado, pois eu sou legal com eles e sempre estou passando filmes, programas, peças velhas (HDs, cabos, cases, etc.) e dicas de informática. Já até emprestei o computador quando um dos caras perdeu o dele de casa numa queda de luz.

      Com tanta gente acessando Facebook, Orkut, IRC, GTalk, Youtube, joguinho de Excel, uTorrent, eMule, navegando o dia inteiro, eu e um cara hacker éramos os caras mais vigiados e bloqueados da empresa.

      Mas como eu disse, é uma guerra fria. Todos tem as suas armas. O gerente de TI tem Facebook, assiste Youtube e passa o dia inteiro em sites de notícias. O gerente de TI não digita tão rápido que a gente não consiga ver sua senha. Há programas na máquina dele que vão de encontro às normas que ele mesmo escreveu. E ele já perdeu inúmeros documentos do servidor em migrações mal-feitas.

      E, se eu fosse um pouco mais malicioso, o gerente de TI também deixa o HD externo plugado no PC quando vai pra casa. Também é muito fácil entrar na sala dele à noite e instalar um keylogger de hardware em seu teclado. E a empresa inteira desconfia de um caso dele dele com uma colega de trabalho, que poderia acabar com o seu casamento, bastando um e-mail com fotos.

  31. Djow says:

    Trabalhei muuuuuuuito tempo com assessoria de comunicação em diversos lugares. Meu primeiro trabalho foi em uma secretaria do governo do meu estado. No segundo dia de trabalho, escrevendo uma matéria pra enviar pra imprensa, minha chefe na época me ensinou como fazer matéria com retalhos de textos antigos sobre o mesmo assunto. Basicamente tinhamos uma base de dados com todos os textos feitos pelo pessoal da Assessoria, bastava buscar pelo tema e sair copiando, colando e atualizando informações antigas. Era um texto pronto em menos de 5 minutos. Descobri depois que isso era quase regra em jornais e empresas de comunicação.

    Na tal da secretaria também, descobri que o RH incentivava funcionários e estagiários (como eu, na época), a dizer que precisava tomar 4 ônibus por dia (2 na ida e dois na volta), idependente se você iria a pé ou só precisava de um ônibus por trecho. O beneficio do vale transporte era em dinheiro, então até os estagiários de orgãos publicos nesse país embolsam grana do governo. Não aceitei. Pedi pra sair uma semana depois.

  32. Juliano says:

    Dois casos que amigos me contaram, um que trabalhou em uma padaria e outro em supermercado, só que os dois casos se aplicam nos dois locais.

    1o caso: Bandeja de frios já pesadas e com preço, várias vezes, quando estão perto de vencer, o pessoal do local faz a pesagem novamente alterando a data de validade, dando uma sobrevida aos frios.

    2o caso: Mais uma vez com frios, queijos, presunto e demais frios perto de vencer ou já fora da validade são usados nas pizzas feitas pelo estabelecimento e postas no freezer pra vender com ingredientes fora da data de validade.

    • Alenonimo says:

      Prazo de validade não é um indicador da condição do produto. Ele pode estar bom mesmo estando passado do prazo. A diferença de segurança pode ser até de seis meses pra mais.

      Existe uma obrigação da Vigilância Sanitária de ter esse prazo estampado, e ele tende a prezar pela segurança do consumidor (também conhecido como prezar pelo desperdício para que o vendedor compre mais vezes o mesmo produto).

      O único jeito de saber se um produto tá estragado mesmo é vendo se o produto tá estragado mesmo. Isso é difícil com alguns produtos, mas outros são bem óbvios.

  33. Day says:

    Eu trabalhava em um supermercado e lá faziam os próprios produtos também, aí quando eles venciam, simplesmente trocávamos a embalagem.

  34. Xunda says:

    A ANAC nao fiscaliza nenhum dos aeroportos deste país a nao ser pelos do Rio, São Paulo e Brasília. E nem chega a ser um segredo isto, nao. Vá ao aeroporto da sua cidade (supondo nao ser uma das três citadas) e peça pra falar com alguém da ANAC ou pergunte onde é a sala deles.

  35. Tiozinho anônimo says:

    Fui webdesigner de um grande portal de notícias esportivas. Diversos mecanismos e “dinamismos” desse site, na verdade, eram grandes gambiarras, já que o pessoal que pedia estes mecanismos não tinha a menor ideia de como funcionava e queria coisa pra ontem. Planejamento era um conceito totalmente inexistente por lá.

    Um dos clientes que eu tinha como freelancer era uma banda um tanto conhecida. Logicamente, eu não só tinha que atualizar o site como também ir a alguns shows fotografá-los para produzir algum conteúdo com o mesmo. Por conta disso, eu tinha acesso livre aos bastidores e ao camarim e cansei de presenciar diversas celebridades que muitos nem ousam imaginar consumindo drogas ilícitas junto aos membros da tal banda. Era praticamente um reality show daquele filme “Quase Famosos”.

    Obviamente, não vou citar o nome das celebridades, nem o da banda.

  36. ALAN says:

    cara já trabalhei em um mc donalds aqui de são paulo e quase sempre os pães caiam no chão na hora de pássalos na maquina de tostar,as batatas fritas ficavam em um óleo que quase nunca era trocado.

    quando tinha muito movimento as carnes iam de qualquer jeito crua ou não, já vi funcionários cuspirem em lanches que os clientes mandavam voltar, SIM ACONTECIA MUITO DISSO.

    e quando uma carne ou lanche caia no chão o gerente sempre falava deixa passar “A qualidade dos nossos produtos e que fazem o consumidor sempre voltar”. e sempre sorrindo kkkk foda foi um dos meus piores empregos.

  37. Ex-Livreiro says:

    Trabalhei por um tempo na única livraria que existe na minha cidade, e nós eramos responsáveis por fazer encomendas de apostilas de uma escola particular.Era um inferno…
    Muitos pais queriam os livros de última hora, ou quando o estoque tinha acabado, e tentavam colocar a culpa no funcionário pela sua displicência e falta de organização.
    Tirando quando os “ricaços” da cidade davam calote e ficávamos a ver navios…
    A parte cômica da parada era lidar com a falta de conhecimento do brasileiro pela literatura. Era comum clientes pedirem o livro “HP do Pe. Reginaldo Rossi” ou lamentar que a Clarisse Lispector não lançou nehum livro esse ano… Eu nunca sabia se ria ou se chorava…

    • Israel Del Duque says:

      Conhece o [manual prático de bons modos em livrarias]?

    • Ambient Works says:

      “lamentar que a Clarisse Lispector não lançou nehum livro esse ano”

      PUTA QUE PARIU!!! E pior que eu sei disso, gosto de ler e realmente quando se vê a lista dos livros mais vendidos(não só aqui do Brasil) é de se perder a fé na humanidade.

    • Ex-Livreiro says:

      Cara eu conheço o blog sim e te garanto que 99,9999% realmente acontece dentro de livraria.
      Uma que aconteceu comigo foi um cliente super chato e irritado querendo desesperadamente um livro novo do Paulo Coelho… Colocou todo mundo maluco para conseguir o livro. Quando finalmente conseguimos, ele foi lá e me pediu para tirar uma foto, porque a SARAIVA ESTAVA SORTEANDO IPADS para quem mandasse a foto… Por causa da “ética”, não pude mandar ele pra casa do c…. mas tirei a pior foto possível e sim, ele não levou o livro, que ficou encalhado por meses…

  38. Donnie Brasco says:

    Não é contra os clientes o meu caso,mas é interessante e até malvada.

    Trabalho num Posto de gasolina,e como os frentistas são a frente de todas as transações,são sujeitos a erros e a maracutaias diretas quando pegam o dinheiro,pegam cheques e recebem cartões.
    Eles mal sabem que fazemos um pente fino com os dados bancários e qualquer centavo fora é percebido.

    Mas quando tem algum frentista roubando descaradamente,deixamos ele agir por um tempo e depois quando prejuízo é grande,desmascaramos ele,ferramos com a vida do maldito ou mandamos ele embora sem perguntar muito e recebemos um seguro do banco.

  39. Gesiel says:

    Trabalho num órgão público federal. Um Conselho Regional, pra ser mais exato. Prefiro não falar exatamente qual o órgão.
    Trabalho 40h semanais (8-12/13-17) e em cada um dos dias da semana eu faço o procedimento daquele dia (são mais de 5 procedimentos, mas alguns tem pouca demanda e faço assim que surge). São no máximo 15 documentos por dia que tenho pra colocar meu carimbo e assinatura e cadastrar no sistema. Depois que eu faço isso e deixo tudo pronto pra enviar perlo correio, eu pego meu notebook na bolsa (quando eu não o tiro da bolsa antes e começo de fato a trabalhar só as 9h) e fico vendo besteiras na internet, jogando e assistindo a séries o resto do dia. Eu trabalho numa espécie de “filial” desse órgão. A sede fica na capital e temos algumas “filiais” espalhadas pelo estado. Na sede trabalha bastante gente, porém nessas “filiais” geralmente são só duas pessoas, sendo que uma fica fora o dia todo, fazendo serviços externos. Portanto, fico o dia todo sozinho (tem pouco movimento) e posso ter essa liberdade.

    • Bianca says:

      Mas muita gente que trabalha em prefeitura me fala que o esquema é esse aí também, muitas vezes ficam lá a toa, sem fazer nada…

    • Diego says:

      Tu trabalho para o COFECI, no CRECI. Conselho Regional de Corretores de Imóveis.

      É o pior orgão que possa existir no mundo. Não valoriza nada e só serve pra pregar multas nos corretores. E tu? Devia é ter vergonha na cara de se sujeitar a este tipo de trabalho. Que comodismo.

  40. Tiozinho anônimo says:

    Me lembrei de mais uma, dessa vez, da época em que eu trabalhava em uma produtora.

    Uma grande emissora de TV nos contratou para produzirmos uma série de vídeo de merchandising pagos por uma marca de produtos energéticos.

    Os vídeos seriam exibidos durante um programa vespertino que ia ao ar semanalmente no final de semana e era voltado para o público jovem.

    Os vídeos consistiam em cenas mostrando um artista da tal emissora praticando alguma atividade física ou esporte de sua preferência e hábito e, além de incentivar os espectadores, apareceria bebendo o tal energético.

    Pois bem, dos dez artistas da tal grande emissora que gravamos, apenas DOIS tinham mesmo o hábito de praticar tal atividade física ou esporte com determinada frequência. Grande maioria não tinha a menor intimidade com a coisa, por exemplo, teve uma atriz que disse que sabia patinar e a gravação teve que ser interrompida diversas vezes por causa de tombos homéricos que ela levava. Outra, por sua vez, resolveu escolher o surf e demorou quase duas horas para pegar duas míseras ondas (detalhe que o mar estava em condições favoráveis à pratica de surf na ocasião).

    Ah, sim, a seleção dos artistas era na base do “quem tá disponível” e seguido do “meu filho, o que você sabe fazer”.

  41. Israel Del Duque says:

    Quando eu era moleque meu pai tinha uma banca de jornal, e vendia que nem água no deserto aquelas figurinhas de álbuns que davam prêmios . Eu e meu irmão, que não eramos bobos nem nada, abríamos os pacotes na moralzinha pra pegar as figurinhas que a gente ainda não tinha, e colocávamos as repetidas de volta no pacote. A molecada nunca entendia porque vinha, as vezes, três figurinhas iguais no mesmo pacote…

  42. Anderson says:

    como analista/programador os meus podres costumam ser gambiarras quando o prazo não ajuda, e procrastinação… o básico da área de programação… rsrsrs

  43. Zé Ninguém says:

    Trabalhei um período em uma empresa famosa de cartões virtuais. O sistema de cartões era só uma desculpa para montar um gigantesco banco de dados de emails. O grosso do faturamento vinha de mala direta contratada por outras empresas, muitas vezes sem consentimento do usuário.

    Outro produto que eles não divulgavam muito era uma série de sites com conteúdo de auto-ajuda e misticismo, o mais rasteiro possível. O conteúdo era pago mensalmente, mas os sites paravam de ser atualizados depois do sexto mês.

    Entre os “felizes” assinantes havia um sorteio mensal de algum gadget da moda. Mas o sorteio, que pela legislação deveria ser realizado ao vivo, na presença de um público, era feito com uma query no banco de dados SOMENTE com usuários que moravam NO MESMO ESTADO DA EMPRESA, para economizar no frete.

  44. Anônimo total says:

    Trabalho na área de TI para uma das maiores instituições financeiras do país. E se vocês soubessem como são feitos e testados os sistemas que lidam com o dinheiro de vocês vocês voltariam a:

    * guardar dinheiro no colchão
    * freqüentar agencias bancarias exigindo recibo de tudo e guardando-os com sua vida
    * emitiriam extratos semanas e guardariam

    Tenho outra. Um dos meus melhores amigos é Mecanico em uma cia aérea das maiores do mundo. Ele nao voa mas nem fodendo. Só viaja de carro mesmo tendo passagem quase que de graça.

    • Zéninguém says:

      Tirando 1 centavo de cada cliente a cada semana se faz uma fortuna em muito tempo.

    • Anônimo says:

      Cara eu trabalho na área de TI pra um banco grande também e concordo plenamente contigo. As pessoas não tem nem noção das merdas que acontecem com a grana delas, os erros em produção, etc, hahaha

  45. Daniel Vila Nova says:

    Acho que nunca mais vou fazer nada na minha vida. Só ficar em casa mesmo. UAHEUHUAEUAEUAEUHAEUHAEU

  46. DEVOGADO says:

    Eu divido o escritório com mais duas colegas advogadas.
    Fico fazendo o expediente “até mais tarde” e depois levo algumas PUTAS ou AMIGAS para lá, e como em cima da mesa mesmo! Inclusive na mesa delas!

    Depois arrumo tudo, jogo um aromatizante no ar e no dia seguinte o expediente corre normalmente, como se nada tivesse acontecido.

    Raramente paguei motel na minha vida, novamente….

  47. O cara da baia na frente da minha do trabalho (desenvolvimento/programação), que fica de costas para a parede (ou seja, ninguem consegue dar aquela olhada marota sobre os ombros dele), foi na midnight sale do novo god of war ontem. Hoje ele zerou o jogo. No trabalho. Sim, o cara levou o PS3 para o trabalho e passou o dia jogando. Fazemos projetos para orgãos públicos, então fique sabendo mais um lugar por onde vaza o seu dinheiro.

  48. Artemis says:

    Bom, no meu caso, eu não trabalho “para clientes”… mas talvez algum dos casos abaixo sejam interessantes.

    1º Trabalhei em uma autarquia do Governo de São Paulo. O superintendente de lá recebia um salário de R$19mil, aproximadamente. Aparecia somente às terças e quartas-feiras, das 14h às 16h.
    Todo mês, afanava cerca de R$2mil das “vendas” (se revelar muito, posso me comprometer). Como? Todo produto vendido era registrado no bloco de notas fiscais. Ele contava o valor recebido em dinheiro e anulava algumas notas, alegando erro de escrita ou outra coisa, até alcançar o valor do dinheiro em espécie.
    Quando aconteciam feiras em outras cidades, o superintendente e o vice se hospedavam em hotéis 5 estrelas, almoçavam e jantavam lagostas. Sobrava para nossa equipe arranjar notas fiscais com valores maiores que os consumidos, para justificar a utilização de R$5mil em um fim-de-semana. Aí era preciso procurar um caixa masculino e mostrar decote agressivo, jogar uma conversinha e etc. Nojento…
    E aconteciam outras coisas, mas o texto ficaria extenso. A gente costuma saber só dos peixes grandes, mas rola muito desvio de grana nas esferas menores da política. Essa autarquia tinha 10 funcionários (desses, somente 3 concursados) e uns 8 estagiários.

    2º Setor de programação de uma instituição cultural mantida por contribuições de um setor da economia nacional. Quem era amigo do gerente recebia remuneração de R$150~R$200 por hora/aula de oficina. Caso contrário, baixava para R$60~R$80 por hora/aula.
    Já fomos obrigadas pelo gerente a expor um artista com umas obras de merda e pagamos por tudo que o cara usou (tintas, telas, assistentes…), além do cachê. Total: R$15mil cachê e R$5mil em materiais.

    3º -- [Mais direcionado a crianças e adolescentes] Todo mundo já deve saber, mas muitos professores estipulam uma nota com peso maior na base do “cara-crachá”. Ou seja, se você foi preguiçoso ou tumultuou a aula, a média abaixa. Se foi esforçado, a nota aumenta (Mesmo que tenha entregado um trabalho ruim).

  49. Anonimo says:

    Quer saber o que é putaria?

    Putaria é advogado perder a causa de propósito para que o cliente (mesmo tendo razão) tenha que recorrer da decisão e contratar o advogado novamente.

    Outra putaria é advogado perder algum prazo e dizer para o cliente (leigo) que ele perdeu a causa. Realmente, o cliente perdeu a causa, mas foi porque o advogado irresponsável não fez as coisas do jeito certo.

    • Ambient Works says:

      Espera nunca precisar de um advogado pois se descubro que eles fazem essas coisas comigo eles que irão precisar de um bom advogado(ou até legista)

  50. alex says:

    Trabalhei com estoque em uma concessionaria e eramos instruídos pelo gerente de peças, a colocar peças paralelas em pacotes de originais quando tava em falta para não perder a venda.

  51. otro anonimo says:

    Eu tenho uma fabrica de uniformes e e o pré concurso mais chique da cidade é meu cliente. Quando alguma gostosa vem comprar uma blusa de uniforme eu esfrego o pau e o saco na blusa. No final do dia o cheiro de suor ja ta foda então algumas reclamam do cheiro perguntando se alguém ja tinha vestido, eu falo que é o cheiro da tinta serigráfica. Algumas parecem que reconhecem o cheiro e ainda sim não pedem para trocar. Faço isso a uns 8 anos só porque meu chefe nunca botou internet no pc e eu fico horas sem fazer absolutamente nada…

  52. alexandre says:

    Galera, só comentando aqui algo q já vi meu tio fazer, ele é açogueiro de industria, e quando comerem uma salsicha com partes durinhas ou um pedaço muito mole suspeitem. Sabism q por exemplo na de porco, logo apos do abate caso precise terminar de ocupar o tonel da maquina pra acelerar o trabalho, eles colocam QUALQUER carne disponivel na hora, e isso inclui sim até cabeça ou o pedacinho de um orgao. Isso sem falar no abate,garanto que sr a maioria de vcs vissem como ê feito a maioria, viraria vegetariano.

    • Fellipe says:

      Como eu comentei, as fabricas dessas coisas tão moendo tudo. Embutidos, doces, pates, etc…

      Mas… eu prefiro me enganar achando que é feito assim:

      rel="nofollow">

      • Doug says:

        Li o post comendo uma deliciosa fatia de salsicha, grelhada com um bacon e o vídeo, assistirei almoçando m delicioso pedaço de bisteca fresca, que eu gostaria que tivesse vindo de um animal recém abatido.

  53. Anon says:

    Trabalho no departamento de TI de um hospital federal.
    Sou relativamente novo aqui e já posso afirmar que entendo porque diversos órgãos públicos não funcionam direito: PÉSSIMOS gerentes e coordenadores, pessoas que acham que ao trabalharem estão fazendo FAVOR, infraestrutura antiga e cheia de gambiarras (a rede por exemplo, cheia de hubs 1/10, switchs aberto nos corredores).
    O pior disso tudo, é que você chega e tenta “fazer a sua parte” e prestar um serviço de qualidade e é IMEDIATAMENTE CRUCIFICADO E PERSEGUIDO por seus colegas de trabalho. Como se trabalhar bem fosse errado.
    Aqui é comum falar: “NOSSA EQUIPE ESTÁ EMPENHADA PARA RESOLVER SEU PROBLEMA” e na verdade, praticamente todos no facebook e youtube.
    Resultado: mesmo ganhando relativamente bem estou DESESPERADO pra sair logo daqui.

    • Anônimo says:

      Sou da TI de uma instituição pública também e compartilho do seu sentimento. Querer resolver problemas nesses ambientes e trabalhar bem é pedir para se indispor com colegas e superiores hierárquicos. Para quem gosta do que faz é um inferno.

      Temos servidores abertos para Internet que não recebem atualizações de segurança há anos e ninguém deixa mexer; bancos de dados com informações importantes com acesso de administrador para todo mundo; o acesso físico a vários servidores é praticamente irrestrito entre muitas outras merdas.

  54. Já fui terceiro de uma operadora de telefonia que não posso citar o nome …
    eu trabalhava no atendimento aos funcionários ( service desk), quando a fila chegava perto dos 50, derrubávamos todas as ligações para cumprir o SLA.

    Desde então entendo quando ligo para um help desk e a ligação cai =D

  55. Robersvaldo Demétrio Silvestre Silva Sauro says:

    Seguinte

    Trabalhei como corretor de imóveis em uma das maiores imobiliárias do Estado de SP.

    E tipo, esses caras, (os donos) tem um relacionamento monstruoso com grandes construtores e pegam tudo deles para vender, em especial, os tais “imóveis na planta” ou “lançamentos”.

    A comissão de uma imobiliária ou corretor autônomo, vário de 6% a 10% dependendo do tipo de imóvel. Ai você pensa, mas a Construtora paga essa comissão em cima do valor cobrado, sim realmente, mas ela EMBUTI no mínimo, 6% a mais no preço real, ai você faz aquela lavagem cerebral no cliente, para ele aproveitar o preço especial de lançamento, que realmente é mais barato do que imóvel pronto, mas nem tanto, e o cliente paga sorrindo e você ganha em um 1 semana de serviço, o equivalente a 5 mil, 10 mil, 15 mil, já vi nego faturando no mês, 130 mil reais, um único corretor, sentado em uma cadeira tomando café, de domingo à domingo.

    O mais engraçado é que, o cliente não é obrigado de nenhuma forma negociar com um corretor. Podendo comprar diretamente da Construtora, pagando, 10, 15 ou 20 mil reais a menos.

    É meus amigos, é um bom emprego. Mas tem que ter QI -- Quem indica, além de falar bem e saber convencer o cliente.

    Sem falar que, tem corretor que usa números de celulares diferentes durante o período que trabalha na Imobiliária, pois, caso o empreendimento dê algum problema durante a fase de construção e atrase a entrega do apto ou casa. A primeira pessoa para quem o cliente vai ligar, é o corretor. Mas ai meus amigos, o número que ele usou e passou para o cliente já nem existe mais.

  56. Professor says:

    Sou professor, se minha filha fosse aluna, exigiria professoras mulheres. O resto você consegue imaginar, e é daí pra pior hahahahaha. As que têm namorados são as mais safadas :p

  57. olha essa Izzy says:

    uaheuaheuaheua eauehauehuaheuahea

  58. Um amigo meu é funcionário público em uma cidade que fica na região metropolitana de Fortaleza. Creio que o Izzy deve lembrar da cidade de Caucaia.
    Pois bem, meu nobre amigo o pequeno buda é responsável por uma “repartição pública” na cidade. Sendo que deveriam haver outros com ele, mas como onde ele trabalha é mais afastado, na maioria das vezes só tem ele mesmo. E lá ele faz o que quer. Ele deveria trabalhar até às 17:00 hrs, mas quando são 11:30, ele vai embora. Ano passado, ele foi visitar a namorada em São Paulo, passou uma semana por lá e sequer sentiram a falta dele no trabalho. Quando o chefe dele diz que algumas pessoas foram lá à tarde e estava tudo fechado, ele dá de ombros e diz: “Eu estava lá, não apareceu ninguém não.” O chefe dele aceita isso de boa, nem sequer dá uma bronca nele. Quando ele começou, esse chefe queria que o pequeno buda vendesse umas muambas dele na repartição para pessoas que iam ser atendidas lá. Meu amigo como estudante de direito e pseudo-conhecedor das leis, se negou a fazer isso sob ameaça de denúncia. Ainda hoje ele guarda algumas provas juntadas por ele contra alguns funcionários públicos da cidade e alguns políticos envolvidos em algumas falcatruas, segundo ele, quando sair vai jogar a merda no ventilador só pra fazer o mal. Houve um episódio em que ele estava na outra sede desta “repartição”, que fica mais próxima do centro da cidade e tem mais pessoas trabalhando por lá. O pequeno buda se engraçou com um mina que lá trabalhava com ele, e quando todos saíam, ele fechava as portas jogava ela em cima da mesa do chefe e mandava ver. Essa história perdurou até a menina dizer que era crente e não podia mais fazer aquilo e ele também tinha que voltar para a “repartição” da qual ele é o responsável.

  59. anônimo says:

    Trabalho numa empresa que vende equipamentos. Vendemos peças usadas como nova, enganamos clientes modificando as coisas em pdf. Cobramos um absurdo para “tirar pó” dos equipamentos.

    Só tem falcatrua por aí. E como exposto no texto, não é uma exclusividade do Brasil.

  60. Anononon says:

    Trabalho na assessoria de um figurão brasiliense, provavelmente um dos que metem a mão no dinheiro do contribuinte mais do que os outros.

    O cara não tem o mínimo cuidado em esconder as provas do que faz, pedindo-me muitas vezes para xerocar ou arquivar documentos comprobatórios e um zilhão de notas frias, além de licitações para até 2014 (fim do atual mandato da Dilma), e umas que se estendem até 2016,17, na certeza da reeleição dela para dar continuidade no esquema, tudo já com nome de empresa de amigos e parentes que vencem licitações sem sequer a necessidade processual.

    Eu, obviamente, tiro segunda via de tudo e guardo pro dia que for demitido ter chance de jogar tudo no ventilador só pelo lulz.

    Além das centenas de escândalos sexuais que correm lá dentro de putaria entre assessoras e políticos.

  61. Lucas says:

    Trabalho em uma empresa que presta serviços de tanatopraxia, que é uma espécie de embalsamamento moderno, fazemos preparação de cadáveres para velório.. enfim, procurem =).

    Quando vamos conversar com o cliente (parente do falecido), que geralmente está aos prantos, temos que explicar o procedimento. E o modo como falamos isso à pessoa faz toda a diferença.

    O que eu geralmente falo é: É realizada uma incisão na altura da clavícula onde é dissecada a artéria carótida direita e veia jugular direita, o tanatofluído arterial é injetado pela carótida, para conservação e fixação dos texidos, enquato o sangue é drenado pela jugular. Uma outra incisão é feita no abdomen e através de uma sonda, realizamos a sucção dos líquidos e gases abdominais e toráxicos. Após isso, injetamos o tanatofluído cavitário na cavidade abdominal e toráxiaca para concervação das víceras. Realizamos também massagem para diminuir o inxaço e melhoramento da coloração da pele, total assepsia, tamponamento das vias aéreas, reconstituição facial e necromaquiagem.

    Que nada mais é do que: Vamos pegar o seu ente querido, cortar o pescoço dele, fazer a sangria, injetar um líquido laranjado na corrente sanguínea dele, espremer o rosto e as mãos dele para sair o roxo, espetar a barriga dele com uma sonda em forma de lança que chamamos carinhosamente de “espeto”, perfurar as víceras dele com vontade enquanto uma bomba hidráulica suga todo o sangue, gases e fezes que tiver dentro de seu inchado corpo (isso se ele não tiver sido necropsiado, neste caso a gente retira toda a “barrigada” e trata em separado, pondo em um saco e colocando novamente dentro dele). Injetamos um líquido azul pra evitar que ele inche feito um balão e venha a expelir sanque pela boca e nariz. Enfiamos algodão até dizer chega em TODAS as suas cavidades, damos um banho, um tapa no visual e mandamos lindo e cheiroso para o funeral. =)

    • Engenharia says:

      Nunca esperei nada de diferente disso. Lê um livro médico ou mesmo a descrição da Wikipédia sobre o que acontece depois da morte.

      Uma das primeiras coisas que acontecem é o cadáver perder a “força” no esfíncter e ser encontrado todo cagado e mijado. O que vem depois é ainda pior.

  62. Doug says:

    Aqui temos algo que chamamos de Máfia das HDs, não entrarei em detalhes rs…

  63. MaOe says:

    O que me deixa triste é o tanto de gente que aparentemente pode fazer alguma coisa para acabar com algum esquema ou falcatrua e em vez disso fica esperando caso seja demitido.

  64. Engenharia says:

    Ah, a Engenharia. Milhões de dólares e a vida de toda a sua família dependendo de um garoto de 20 anos não dormir na sala de aula…

    Se alguém aqui tiver um conhecido que trabalha com Segurança do Trabalho, peça pra ele mostrar aquele PPT maldito, censurado pelos direitos humanos (preocupados com a sanidade mental de quem vai assistir).

    Primeiro dia de canteiro de obras, eu tinha acabado de ser contratado e estava na fila para pegar o Equipamento de proteção individual. Na minha frente dois homens com EPI “defeituoso”. Um segurava DUAS METADES de um capacete azul. Sabe aquele cara que tira o capacete para coçar a cachola? Dê uma porrada nele pra mim. O senhor estava segurando duas metades de um objeto que lhe salvou a vida e estava na fila para pegar um segundo para poder atravessar aquele campo de guerra que a gente chama de OBRA e ser levado pelo motorista da empresa até o hospital mais próximo.

    O segundo cara segurava o óculos de segurança, no qual um parafuso, voando a trocentos quilômetros por hora cravou no visor tal qual uma flecha, a 1 milímetro de seu olho. Ainda eram 8 da manhã e eu encontrava 2 caras, um que quase teve o crânio esmagado e outro que acabara de levar um “headshot”. Um amigo meu já enterrou metade de um trabalhador. A metade de cima virou uma mancha que só saiu do piso quando foi coberta com cimento.

    Um conhecido meu já trabalhou em navio e teve um amigo maconheiro que simplesmente sumiu. O cara se escondeu em algum lugar pra fumar maconha e desapareceu, nunca mais foi encontrado. Imagina você transitar por um lugar do tamanho de um prédio, sozinho, um lugar de um barulho ensurdecedor (onde ninguém vai ouvir você gritar) e saber que lá, em algum lugar, tem um cadáver pronto para ser descoberto. Não é incomum também pessoas se acidentarem nestes lugares e os outros tripulantes ficarem procurando por dias, ouvindo as batidas de martelo do cara pedindo por socorro até morrer de sede (ou afogado em um tanque de óleo).

    Tem uma fábrica onde foi cometido um erro grave. Não posso dizer qual é, mas todos os engenheiros de lá conhecem. Os peões não, vai que alguém quer se vingar, foi corneado ou algo do tipo. Basicamente tem uma placa gigante, de frente para o operador, com as instruções em caixa alta “NÃO DEIXE O MOSTRADORES 15 E 16 PASSAREM DE 90%”. Os mostradores de 01 a 40 (mais ou menos isso, cada um tinha um nome) podiam chegar a 100% e não ia acontecer nada. O limite é físico e não lógico. Os mostradores 15 e 16 especificamente, representam dois sistemas cuja função teve que ser limitada para cobrir esse tal erro. Mal sabe o operador que se ele dormir em serviço ou deixar de monitorar os mostradores, FUDEU! Felizmente, hoje a fábrica passou por uma reforma e o problema não existe mais.

    Outra fábrica, em outro estado, onde trabalha outro conhecido meu, teve um incêndio. Os jornais noticiaram como uma coisa menor: “o fogo já foi controlado”, “ninguém morreu”, “meia dúzia de pessoas feridas”, etc. Bom, uma coisa leva à outra e um sistema vital de produção ficou desassistido durante o incêndio e vazou A P…. DE LÍQÜIDO MORTAL SE TOCADO, INALADO OU QUEM SABE ATÉ OLHADO DE CARA FEIA. Foram semanas de trabalhadores e engenheiros vestidos de astronauta a limpar o pátio e evitar danos ambientais, a contaminação do rio e morte de TODA a fauna da região.

    Um engenheiro bem velho, de caráter um pouco duvidoso, me contou uma estória de quando ele trabalhava num desses orgãos ambientais. Desastre ambiental em XXXXXX, o cara é chamado ao gabinete do prefeito. Nas mãos dele um orçamento. Basicamente ele e mais três caras vão de carro até o local, levando teodolito, máquina fotográfica, trena, frasco para coletar amostra de água e solo, etc. Eles nunca vêem o prefeito. O acessor dele leva o relatório, entra no gabinete, fica lá uns 10 minutos e volta: “não aprovado, tá muito barato”. Esse engenheiro resolve colocar mais um carro no relatório, lancha, envolve mais técnicos e entrega o novo papel, escrito a caneta, pro acessor. O acessor entra no gabinete e volta: “ainda tá barato”. Entram mais lanchas, helicópteros, mais equipes de terra, mais engenheiros, etc. e o relatório é aprovado pelo prefeito, que nunca falou nada com eles. No fim eles vão em dois carros para o local e ficam um dia lá (o necessário). No relatório a operação dura algumas semanas e esse cara e sua equipe ganham 10% do “lucro”.

    Queen Mary II é um dos maiores transatlânticos do mundo. Ao seu término, estava em um dique seco, prestes a ser lançado. A empresa deu uma mega-festa para as famílias dentro do navio. Para chegar do estaleiro para o navio era necessário passar por uma passarela de madeira, que cedeu quando haviam algumas pessoas em cima. Desesseis pessoas, entre trabalhadores, suas mulheres e crianças caíram de uma altura de mais de 40 metros em direção ao fundo de concreto do dique.

    Liguem a televisão no History Channel ou Discovery e assistam Mega-Construções, Feras da Engenharia ou algo do mesmo estilo. Sempre tem uma operação na obra, ou um momento em que as pessoas acompanhando quase que literalmente “mordem a cadeira”. Uma coisa errada, um errinho e “morte e destruição”.

  65. Newton says:

    Esse mundo é todo uma farsa haha

  66. Ofudoumyou says:

    Senta pra negociar com chineses a compra de peixe e você vai ver o que é podridão lol. .. Sabe aquela corzinha rosa do salmão que você adora? Câncer puro

    Nenhum peixe importado chinês chega com química nos padrões da oms

    • Vinicius Brenny says:

      Na verdade o grande problema é com a truta salmonada, que é vendida em 90% dos lugares como salmão. O alimento dela tem um elemento cancerígeno para deixar a carne rosada, parente daquele vermelhão da salsicha.

      O salmão é naturalmente rosado e até onde consta não deveria ser mais cancerígeno que uma maçã.

  67. Patologista says:

    Já trabalhei em um laboratório público de análises clínicas e posso dizer duas coisas:

    1 -- Sabe aquele seu exame de sangue, crucial pra seguir em frente com as consultas, que o laboratório leva dias pra entregar? Então, muitas vezes fica pronto em 10 minutos. O que acontece (principalmente em órgãos públicos) é que tem uma burocracia atrelada à ineficiência, falta de pessoal ou preguiça que atrasa todo o trabalho administrativo. Aí os resultados levam dias pra ser entregues, quando na verdade bastava perder cerca de 2 horas pra fazer um volume de 60 exames, mais 1 ou 2 horas pra registrar no sistema, imprimir e entregar tudo.

    2 -- Há uma boa chance daquele seu exame importante de HIV ser feito por um estagiário com poucas semanas de trabalho. Mas não se preocupe, éramos bons. Os outros devem ser também. Eu acho.

  68. Jack says:

    Tenho um amigo que trabalha como projecionista em um cinema bastante conhecido. Ele pega dois rolos de filme, um pornográfico, e um qualquer ( de preferencia infantil) corta o frame do pornô, e injeta no familiar, junto do frame do audio. Ninguem percebeu, mas estava lá, só um beija flor podia ter visto o trabalho sujo dele kkkkkkk

    Ele também trabalha em um renomado restaurante da cidade, ele me contou que já chegou a mijar na sopa.

    Ele faz sabão,e como todo mundo sabe, sabão é feito de gordura, mas ele pega gordura humana, das clinicas de lipo-aspiração, e transforma-as em sabão, ou seja, ele vende às madames gordonas a mesma gordura que elas pagaram para tirar.

  69. Vinicius Brenny says:

    Trabalho em um centro de suporte em que os engenheiros atendem a TI de GRANDES empresas. Ou seja, estas histórias de sujeira da TI ou de sujeira coberta pela TI são fichinha.

    Os dois bancos públicos e até onde sei também os 4 maiores do BR são atendidos lá, e já supervisionei casos que vão de sistema de contabilidade ‘paralela’ a sistemas usados para maquiar balanços.

    Grandes corporações normalmente têm ambientes de desenvolvimento, teste e produção. Não é incomum encontrar gente mexendo livremente no teste e mudando para produção, fazendo com que os dados sejam aqueles que foram cuidadosamente escolhidos.

    Conexões entre concorrentes e sistemas obviamente com fins de lobby também são recorrentes. Isso sem contar na quantidade de informação privilegiada que é livre e indiscriminadamente trocada.

    Depois que comecei a trabalhar lá, senti a NECESSIDADE de investir na Bovespa -- que por acaso também é atendida pelo grupo.

  70. Neo Fahrenheit says:

    Altas tretas aqui. ;D

    Algumas até assustadoras. Outras, absurdas demais para serem verdadeiras… Acho.

  71. Diego says:

    O que irei falar é um tanto quanto revelador.

    Trabalhei por muitos anos como assessor de um homem de “alto escalão”, por assim dizer, de um país desenvolvido e muito bem conhecido.

    Meu serviço era simples, representa-lo em reuniões, marcar conferências e preparar relatórios.

    Acontece que, neste meio, descobre-se, ouve-se, coisas até então, inacreditáveis, que via-se somente em filmes de ficção, coisas que fazem você abrir os olhos e finalmente enxergar como algumas coisas no mundo funcionam, precisei de anos de terapia quando deixei o serviço para me recuperar das minhas experiências.

    Vou tentar ser breve e relatar algo, que, dos males, é o menor.

    No mundo todo, existem os ditos ‘países desenvolvidos” e os “subdesenvolvidos”, é de prache e não é surpresa para ninguém que, os tidos como desenvolvidos, são o que são hoje, graças a exploração em cima dos mais pobres de outrora com um pouco de controle mediático e lavagem cerebral nas pessoas. O serviço deste homem, que eu representava algumas vezes era o seguinte: Ele prestava seus serviços a grandes corporações (barões do petróleo, carvão, minério e etc), serviços estes que são: análise e procura de países com vastos recursos naturais, análise do perfil do Presidente ou representante daquele país, para ver se ele é corruptível ou não. Parece mentira, mas não, não é. Isto existe e acontece bem abaixo de nossos olhos. Pois bem, o país a ser “invadido” era escolhido a dedo, principalmente aqueles quais eram representados por líderes com requintes socialistas, eles davam um jeito de instaurar um escândalo neste país, tal como o mensalão do Brasil. Eles agem da seguinte forma: Primeiro: mandam homens como o que eu representava até o país escolhido, para convencer o Presidente de que o país dele NECESSITA dos serviços da Corporação que ele representa, oferecendo a eles um empréstimo estratosférico do BC ou do FMI (não sei como eles convencem o BC ou FMI a emprestar dinheiro, deve ter o controle de tais instituições também, naõ sei) para a construção de, por exemplo: escolas, hospitais, faculdades, metros, rodovias, obras de saneamento básico e etc. Como eles fariam isso? Acontece que, eles sabem que o pais não terá condições de pagar o empréstimo e se afundará em dívidas, mas quando acontecer isto o presidente já foi corrompido e em troca, a corporação negociará o direito de explorar por tempo indeterminado a região do país com a qual o mesmo não tinha condições de explorar, como: regiões que concentram petróleo, gás natural, minérios em gerais e etc, em troca da quitação da dívida. Quem ganha com isso? O presidente, que nesta altura já estará milionário e a corporação, a explorar um país por toda a vida. Quando o homem que eu representava, não conseguia realizar seus serviços, eles criavam um escândalo no País, tiravam pessoas do fim do mundo e enviavam aquele país pare começar uma rebelião popular ou até mesmo uma guerra civil a fim de depor o Presidente do posto e caso ainda assim, isto também não funcione, eles mandam os “Chacais”, Matadores de aluguel, assassinos que, executavam os principais líderes daquele país de forma muito bem planejada (acidentes aéreos, trem que descarrila, acidentes de carro, acidentes domésticos e etc) e colocavam no poder, pessoas corruptas escolhidas a dedo e o que vem em seguida é o controle total daquele país. Guerras, invasões, ataques terroristas, não são apenas porque aquele ou outro feriu os direitos humanos ou ter armas biológicas em seu quintal. O que vocês veem na televisão, perto do que vivenciei, é uma linda história da Disney.

    Por fim, se não acreditarem, pesquisem o que aconteceu com o Chile, na década de 40 a 60.

  72. Diego says:

    Trabalho num forum numa vara de familia e o que pouca gente sab e que a prisao civil para devedor de pensao alimenticia dura no maximo (isso se o valor for muito alto) 3 meses…e q o devedor nao e misturado com os criminosos de verdade…logico!

  73. Eu (fake total né...) says:

    Uma frase para resumir o ramo de Sistemas:

    “Software é como linguiça: se você ver fazer você não compra”.

  74. Leonardo Anacadios says:

    Eu já trabalhei em um super mercado, na area de frios. Rolava cada coisa que tu nem tinha noção auhsuhsauhasuhas Mas com certeza era mais limpo que muitos lugares, então disso só tenho uma coisa em mente, lugares que mechem com comida, sem excesão, tem suas “peculiaridades”

  75. Telio Oliveira says:

    Quando eu trabalhava como fotógrafo, as fotos que não ficavam boas, eu aplicava “efeitos” e falava que eram artísticas.. e não é que os clientes adoravam? Daí depois do instagram todo mundo percebem que dá pra disfarçar uma foto de merda enchendo de efeito.. rsrs

  76. trabalho com maquiagem virtual e correção de fotos, e uma das grandes diversões nossa é ficar tirando a roupa das modelos no tempo vago e fazendo coisas feias com as poses delas

  77. Tati says:

    Tenho um parente que trabalha no forum, na area de causas familiares. Por muitas vezes, ele e até outros funcionarios, miseros concursados de ensino médio, redigiam audiencia porque a juiza tinha algum compromisso. E ai a pessoa achava que era apenas um conciliador la, rs.
    E sabe tmb aquele dinheiro que do nada aparece na tua conta? Vc pode e deve retirar, e não tem que pagar nada. Eles usam sua conta pra fazer transações, as vezes tiram seu dinheiro pra botar em outra conta, so pra tal cliente ter algum beneficio com isso e tal. Mas uma coisa que vcs devem sempre fazer é devolver aquele troco errado que o caixa possa ter te dado, aquele dinheiro sai do meu bolso e de outros colegas. A pior coisa que tem é na pressa vc digitar um zero a mais e ver que no final do dia deve 10 mil reais, rsrs. Ou então dar 100 reais ou mil a mais enganado pra alguem. E ah…. se sobra o dim dim vai pro banco ta?

  78. Julian fake says:

    Aquele investimento que o gerente do seu banco recomendou vai te dar um prejuízo fudido, MS ele vai bater a meta.