Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Recomendação de Podcast ] My Brother, My Brother and Me

Postado em 2 March 2017 Escrito por Izzy Nobre 12 Comentários

Olá, meus amigos. Peço desculpas pelo meu sumiço. Ultimamente, escrever não me dá o mesmo prazer que antes — mas estou motivado a voltar à ativa neste site. Make HBD Great Again tal.

E hoje trago uma recomendação que espero melhorar sua vida o quanto melhorou a minha — o podcast gringo My Brother, My Brother and Me.

O My Brother, My Brother and Me (ou MBMBaM, frequentemente pronunciado “muh-bambam” pelos apresentadores) é um podcast de conselhos pra vida. Os três irmãos McElroy pegam dúvidas existenciais/problemas pessoais explicados no Yahoo! Answers — quanto mais sem sentido melhor, aliás (frequentemente os hosts já começam a rir só de ler as perguntas) — e oferecem conselhos/respostas ainda MAIS esdrúxulos.

Aliás, alguém ainda usa a palavra “esdrúxulo”? Você já sequer ouviu alguém falar isso em voz alta…?

Disparate, sim. Bizarro, também — é até bem comum. Mas ESDRÚXULO? Eu acho que sou a única pessoa que ainda fala isso.

A química entre os três é excepcional. Imagino que eles têm experiência em comédia improvisacional, o famoso “improv” — não importa quão maluca seja a premissa da resposta de um dos irmãos, os outros dois conseguem ir desenrolando o papo e acrescentando maluquices à coisa. O resultado é uma comédia orgânica mais engraçada do que qualquer filme de comédia que já vi na vida.

É difícil de descrever, mas é um podcast realmente engraçado. É meio que uma versão em áudio de Seinfeld — um problema bem trivial que alguém tenta resolver da forma mais absurda possível, o que só poderia render os resultados mais Larry Davidianos.

O MBMBaM já é, há algumas semanas, meu podcast favorito — do tipo que eu ouço assim que sai, e saio ouvindo o catálogo anterior inteiro em ritmo de maratona. Eu tenho a impressão que a química entre os três irmãos, seu jeitão “gente boa” deles, e o humor absurdista vai te agradar pra caramba.

Baixe o podcast, ouça, e vá lá no Twitter dos caras e falem que o @MrNobre recomendou. Vai ser engraçado ouvi-los no próximo podcast tentando explicar, à moda caralha deles de sempre, como diabos eles subitamente criaram um fanbase brasileiro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: recomendação

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 32 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas, e sobre notícias bizarras n'O MELHOR PODCAST DO BRASIL. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

12 Comentários \o/

  1. Pandelicia says:

    Eu tentei ouvir o podcast uma vez, mas pouco tempo depois eu descobri que os irmãos McElroy não são lá flor que se cheire. Pra começo de conversa eles são parte do Polygon, um site de videogames ridiculamente parcial e que é conhecido por fazer race/gender-baiting.

    A gota d’água foi depois do tiroteio em uma boate gay em Orlando. Os corpos das vítimas mal tinham esfriado e o Justin McElroy tava tentando mover a culpa pra cima da malégna indústria dos videogames e as pessoas horríveis que ousam achar que atirar em bonecos virtuais é divertido.

    • Izzy Nobre says:

      Serem do Polygon eu descobri hoje de manhã lendo a Wiki. Torci o nariz mas deixei passar.

      Mas essa segunda aí é lasqueira mesmo. Será que ele não falou isso ironicamente, parodiando a galera que fala isso a sério…?

      • Pandelicia says:

        Infelizmente era sério http://i.imgur.com/buws4Ft.jpg

        Os artigos e tweets dele costumam ter aquele ar de ”videogames são arte, mas só aqueles que eu considerar arte. E ai de quem publicar um jogo com protagonista branco”.

        Eu não consegui relevar a parte dele ser editor da Polygon quando eles publicaram coisas como um artigo “cobrindo” o evento de lançamento de Rock Band 4 que consistia de quase 20 paragrafos do correspondente reclamando sobre o quanto ele não queria estar no evento, postaram um video onde o host apresenta um simulador de armas de fogo equanto fala o quão assustadoras e malvadas elas são.

        Uma das situações mais agravantes em relação à Polygon (e que ajuda a ilustrar o modus operandi da polygon e seus editores) aconteceu quando tentaram levantar uma controvérsia pintando The Witcher 3 (e a CD Projekt por proxy) como racista pelo fato de o jogo não conter nenhum personagem negro. O que eles decidiram não considerar é que a série The Witcher é baseada no povo e folclore escandinávo (onde, surprise surprise, só existiam pessoas mais brancas que a fuça de um adolescente pego no ato da auto-ajuda)

  2. Cara, você também é adepto do “movimento da real”? creio que sim pois você é um Beta !!! fale-nos mais como é ser beta no Brasil e fora do Brasil!!

  3. Camargos says:

    Também fiquei sabendo a pouco tempo o significado real da palavra Bizarro. Achei muito bizarro.

    bizarro
    adjetivo
    1. que se destaca pela boa aparência ou expressão pessoal; bem-apessoado.
    2. que tem bom porte ou boa postura corporal; garboso.
    3. elegante nos gestos e nos trajes.
    4. primoroso no comportamento; gentil.
    5. dotado de magnanimidade; nobre, generoso, liberal.
    6. dotado de valentia; brioso.
    7. que demonstra insolência; arrogante.
    8. infrm. bem-disposto física e/ou moralmente; que tem ou está com boa saúde.
    “anda b. e feliz”
    9. infrm. que é esquisito, estranho, excêntrico.

  4. Platão says:

    Eles também acabaram de lançar uma série de TV pelo Seeso. Achei legal que eles conseguiram manter a vibe do podcast e são ainda mais esdrúxulos em carne e osso.

  5. Marlon Ruttmann says:

    Polêmicas e mau-caratismo à parte, eu uso muito a palavra “esdrúxulo”. Acho o som muito legal… =P

  6. Bruno Fernando says:

    Nessa levada de podcast de humor esdrúxulo recomendo o (finado) toscochannchada podcast.