Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Se você compra um tablet Android em vez de um iPad, você é maluco. Eis o porque.

Postado em 19 March 2012 Escrito por Izzy Nobre 37 Comentários

Abaixem suas tochas e seus foices e ao menos leiam os argumentos antes de chilicarem e me chamarem de applefag cego.

Então, o novo iPad.

A Apple resolveu (sabiamente) aniquilar esse esquema hollywoodiano de numerar sucessores e padronizou a nomenclatura do produto, da mesma forma como já fazia com Macbooks, iMacs, iPods e o caralho. Anunciado no começo do mês e posto em vendas neste último fim de semana, o novo iPad estraçalhou completamente — COMPLETAMENTE — os recordes de venda de seus antecessores.

Pra você ter uma noção: o novo iPad vendeu três milhões de aparelhos em apenas 3 dias. Vamos supor que venderam apenas aparelhos de 16gb, os mais baratos, de US$ 500 (o que não é o caso). A Apple teria feito 1.5 bilhão de dólares num fim de semana, isso na pior das hipóteses (se é que um rendimento na casa dos bilhões de dólares pode ser de qualquer maneira interpretado como “pior” de alguma coisa).

Compare com o iPad 2, que vendeu um milhão no primeiro fim de semana. O primeiro iPad, o que eu tenho, demorou um mês pra chegar ao primeiro milhão. Como você pode ver, o aparelho que fez muitos geeks torcerem o nariz (“mimimi é um iPhone gigante que lixo“) tornou-se essencialmente sinônimo de uma categoria inteira.

E isso me faz pensar — por que ainda se fazem tablets Android?

É sério, não é fanboyzice. Quando você para pra analisar o desastre incrível dos aparelhos que se prestavam a ser “iPad-killers” (notem aliás que esse termo caiu em desuso, assim como “iPhone killer”), uma coisa é certa: o mundo não quer tablets — quer iPads.

Compare por exemplo o Motorola Xoom, que era um dos mais celebrados tablets Android. “Olhaí, esse já vem com Honeycomb, é dual core, tem saída HDMI JESUS MAS QUE APARELHO INCRÍVEL ME VÊ DOIS AÍ POR FAVOR. E COLOQUE UM TERCEIRO NO MEIO, COMO SE FOSSE UM SANDUÍCHE QUE ESFREGAREI NO CORPO“, diziam os fanboys do robozim verde. Bom, pelo menos um deles deve ter dito. Vivemos num mundo grande, afinal de contas.

Esta maravilha tecnológica que iria estuprar o iPad com areia e cal vendeu ridículas 100 mil unidades nas primeiras seis semanas de vendas. Inacreditavelmente, a Motorola planejou fazer um sucessor dessa merda.

E o Blackberry Playbook, da aparentemente sem rumo RIM? Lembram da propaganda agressivamente arrogante do negócio? Aliás, esqueça a propaganda por um momento. Vamos focar no nome da parada.

 

Quando eu digo “sem rumo”, é porque creio que a RIM tava mais perdida que criança bêbada quando projetou essa merda. Primeiro de tudo, se a proposta do seu tablet é ser sério e voltado a produtividade, não coloque o verbo BRINCAR no nome da parada. São duas mensagens completamente opostas.

Em segundo lugar, um tablet “profissional” sem cliente de email nativo só pode ser uma pegadinha do Sílvio Santos em forma de gadget, daquelas em que o Ivo Holanda apanhava e pedia socorro à produção que demorava propositalmente a ajuda-lo.

E tem esse slogan. “Amateur hour is over” é a forma anglófona de dizer “saiam crianças, agora é a hora dos adultos”, como quem diz “esse iPad pode ser legal mas deixa eu mostrar como é que se faz”. O que a RIM mostrou como se faz, no caso, é passar vexame. Esta entrevista do CEO da RIM (que tem o nome mais infeliz que já permitiram que alguém tivesse e chegasse a cargo de CEO) para o Bloomberg é de dar calafrios de vergonha alheia:

 YouTube Preview Image

Se você não fala inglês, eu traduzo pra você: essencialmente, a repórter perguntava “mas e as críticas ao seu tablet, o que você tem a dizer delas?”, e o cara respondia lendo a lista de features que provavelmente ilustram a caixa do Playbook — ou seja, não rebatia os pontos críticos, só dizia “ahhh mas sabia que ele tem um navegador com flash???”

A RIM perdeu quase meio bilhão de dólares só pra baixar um pouco o preço dessa merda pra ver se algum idoso tecnologicamente analfabeto comprava por acidente ou algo assim.

Resultado: em seis meses eles enviaram 700 mil Playbooks para lojas (ou seja, isso não é nem número de venda). E a grande maioria tá encalhada por aí.

Você pode elogiar seu celular Android até talvez convencer a si próprio de que foi uma boa compra, mas não há como defender o mercado de tablets. É um navio afundando. Quem você acha que vai perder tempo desenvolvendo apps pra tablets Android quando há uma plataforma que vende 3 milhões de novas unidades num mísero fim de semana?

Ironicamente, a situação é tal que vale mais a pena comprar um tabletzim Android xingling desses do Deal Extreme (como este aqui que eu resenhei) do que um tablet Android topo de linha. Para usos específicos (ler quadrinhos, livros ou acessar a web no sofá ou na cama), um tabletzim humilde e barato desses é uma bela escolha pra quem quer economizar. E pior, as diferenças que separam um tablet xing ling de um topo de linha não são tão grandes quanto as que separam um tablet topo de linha e um iPad, por exemplo.

Isso é bizarro, e ilustra a insalubridade do mercado de tablets Android — essa situação de que tablet baratinho chinês ser melhor recomendado que tablet de empresas maiores é totalmente absurda, mas é a pura verdade.

Eu ia dizer que me admiro que alguém ainda compra essas merdas mas, como podemos ver, o problema é justamente que ninguém está comprando.

E não, não é que o iPad é melhor só porque vende mais. Que ele é melhor é auto-evidente; que ele vende mais é a constatação disso. Por que você acha que o iPad tem mais apps? Porque todos os devs do mundo são seguidores cegos do Steve Jobs? Não, porque a base instalada é maior, porque a consistência dos aparelhos contribui para uma experiência superior, e faz mais sentido fazer apps pro aparelho que vende 3 milhões de unidades num fim de semana, do que pra um que mal vende um milhão em 6 meses.

O ecossistema de apps por si só prova que o iPad é uma escolha que faz mais sentido. O fato de que ele vende mais confirma e perpetua esse status quo.

Agora chiliquem loucamente nos comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Tech Toys

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

37 Comentários \o/

  1. Wesley Coimbra says:

    Fato!

  2. Ronaldo says:

    No Canadá, pode ser que quem compre um tablet Android em vez de um Ipad seja maluco. Mas no Brasil, quem compra um tablet Android em vez de um iPad não é maluco, é pobre. Nem todos tem condições financeiras de ter um iPad, ainda mais com a carga tributária exorbitante imposta no Brasil.

  3. Kazulius says:

    Fato. Em um país como o Brasil, iPad não é uma opção popular por causa de seu preço proibitivo, resultado da ganância do governo.
    Outra coisa. Foi mencionado no título do post “Tablet Android”, mas no texto, os xing-ling foram excluídos. Certeza que são MUITO mais vendidos que os “de marca”, e não duvido que, ambos somados deem uma surra nas vendas do iPad.
    Ainda assim, também acho iPad melhor que os demais tablets. 😉

    • Gustavo Santos says:

      É vc fala q vende milhões d Ipad em um final d semana, ok, só q Ipad é Ipad e só existe um. Agora pensa nos tablets com anseio. A motorola pode ter vendido pouco. Mas e os tablets samsung? E os xing ling? Todos com android? Vc ainda acha q se juntar todos esses tablets com android na.o supera a venda do ipad nao? Ai eu refaço sua pergunta. Quem vai querer programar apps para androi? So um louco q n consegue ver q andrioid vende mto mais. N to falando d aparelhos, estou falando do sistema operacional android

      • Menezes says:

        Mas quando vc faz um aplicativo pro iPad ele serve pra todos os milhões de iPads que existem por aí. O aplicativo que vai em um playbook não necessariamente vai num galaxy tab e com certeza não é compatível com um xing ling

  4. Claudecir says:

    O playbook se tivesse mais aplicativos nativos, disparado seria o melhor, pois é o unico de todos os tablets com um O.S. realmente multitarefa. Eu mesmo achava que era uma porcaria até usar um. Experimente usar um playbook e vc vai descobrir o que estou falando. Pra navegar na internet é o melhor.

  5. Klinger says:

    Izzy, a biblia é o livro mais vendido do mundo, esse é o motivo para eu acreditar nela ?

    • Fernando says:

      Não, mas o motivo de a bíblia ser um sucesso é principalmente indocrinação religiosa e (ou lavagem cerebral); e por mais que alguns fãs da Apple sejam fervorosos, eu não vi nenhum dizendo que Jobs ressuscitou até agora.

      XD

  6. @GM_Bermeo says:

    Fatisse isso.
    Concordo com 99%.

  7. Alex says:

    Comprei um Nexus 7 nas Casas Bahia e não me arrependo…. 😉

  8. Moisés Ferreira e Silva says:

    O CEO da RIM fica segurando o playbook que nem um retardado mental na mesma posição

  9. João Oliveira says:

    Mano esse kid ta muito fanboyola nos ultimos dias, já não chega de passar dias e noites no twitter reclamando ainda posta matéria só pra isso? to perdendo meu tempo vindo aqui

  10. Daniel Portilho Loureiro says:

    Olá Izzy. Desculpa, mas desta vez não dá pra concordar com você. Estava esperando melhores argumentos para preferir o Ipad, que até concordo ser melhor que os produtos que portam o Android , mas não pelos motivos apontados. “Quem você acha que vai perder tempo desenvolvendo apps pra tablets Android quando há uma plataforma que vende 3 milhões de novas unidades num mísero fim de semana?” A revista INFO deste mês cita que atualmente, “500 milhões de aparelhos rodam o Android, o que dá ao Google a liderança, com 68,1% do total, contra 16,9% da Apple”. E tem outra coisa, as duas empresas já contam com centenas de milhares de aplicativos cada uma (550 mil apps em 2012, contra 400 mil da Google Play). Me diga quantos desses você já instalou em seus gadgets – 1000, 2000 (e olha que eu peguei pesado ). Sei que na batalha dos aplicativos, o sistema que mais encantar os desenvolvedores terá forte vantagem, mas, convenhamos, quem precisa de 500 mil aplicativos?

    • Barbosa says:

      Quem precisa de 500 mil aplicativos? Ninguém, vamos deixar só a calculadora na loja, então quem sabe todos os androids conseguem rodar (com muita sorte e força de vontade).

  11. Daniel Portilho Loureiro says:

    Durante décadas, computadores com o windows bateram os Macintosh em vendas, em proporções absurdas, e ninguém, em sã consciência, diria que os Mac eram piores (muito pelo contrário). Só acho que número de vendas nunca foi base para se criticar um produto.

  12. Fabiano says:

    Nunca da pra ver as imagens paia.

  13. Pedro says:

    O unico problema é que você só comparou com o Xoom, que nem tá disponível nas lojas americanas e no site oficial da Motorola nos EUA e com o PlayBook, que só por ter Blackberry antes do nome já dá pra desconfiar. Deve ter “esquecido” do Galaxy Tab, Nexus 7 ou 10, Sony Xperia S Tablet e outros gadgets fantásticos de Android.
    Vale dizer que EU TENHO UM IPAD. Vamos repetir. Eu tenho um iPad, o de terceira geração. Mas, vale também dizer que na mesma casa tenho um membro da família muito feliz com seu novo Galaxy Note de 10 pol. Eu uso com uma certa frequencia, e acho extremamente competente, tão bom quanto o iPad.
    Também devo dizer que sou um grande fã de tecnologia e tenho acesso ã muita coisa pra estar dizendo isso.
    Ou essa matéria foi tendenciosa demais por voce ser um fã da Apple ou foi feita pra causar polêmica e te dar mais acessos.

  14. alberto says:

    Tablet o ipod bom, sera aquele que funcione como un destkop e aceite rodar programas pesados de imagem, video, cientificos, etc ..que usualmente roda qualquier Pc… Nehum ipod nem “tablet” faz isso, ate agora. As duas são merda mesmo…melhor: brinquedo de vagabundo ou ferramente de burócrata.

  15. Héctor says:

    Olha o mercado de tablets não tem discussão mas no caso de celulares os bons programadores ainda podem defender os droids que são muito melhores pra fuçar. Eu por exemplo montei vários softwares pra me ajudar no trabalho coisa que no meu iphone eu não posso fazer mais (apesar de ter vários apps que são semelhantes).

  16. Jeff says:

    interessante é notar como o Android cresceu nesse tempo. Atualmente, o Galaxy SIII é mais comprado que o novo iPhone (nos EUA), por exemplo, exemplificando a mudança de cenário que está acontecendo. Acho que os tablets com Android vão aumentar exponencialmente, e concordo em parte com os otimistas que acreditam que até o início do próximo semestre, a venda de iPads seja menor que a de Androids. Acho que era de se esperar isso pois, afinal, os aplicativos mais importantes estão no Android (em geral) assim como no iPad, e pela tecnologia estar cada vez mais próxima. Cada dia mais fica menos importante saber da tecnologia do processador usado, pois estão ficando cada vez mais similares. Talvez as pessoas prefiram um tablet semelhante a seu smartphone, e provavelmente, em breve, o mercado de ambos estarão bem espelhados em relação ao market share.

  17. Leonardo Grison says:

    Sou fã de android. Já tive vários celulares. Considero todos superiores ao iPhone. Mas tablet é iPad. As vezes tenho vontade porque tenho muitos apps android, mas acabo não trocando o iPad.

  18. Cristiano says:

    Tá certo Izzy… Mas comprei agorinha um Galaxy Note de 10″, porque precisava literalmente “escrever” na tela… Essa seria uma função essencial para mim. Tentei antes escrever no iPad, putz… A experiência foi ridícula, embora ache o iPad visualmente muito mais bonito, contudo, não fora tão funcional para mim. :¬)

  19. Nuckz says:

    Izzy só esqueceu do detalhe que vc encontra android em muito mais marcas, e somando as grandes marcas com os ling lings vendidos com toda certeza dará um número superior à venda do iPad 🙂 Logo os programadores não tem motivo pra deixar de criar aplicativos android.

    • Nuckz says:

      xing* ¬¬

    • Bruno Monteiro says:

      Eu como programador devo dizer que temos sim motivos para não criar para android.
      Principalmente por que os aparelhos são >extremamente< heterogêneos, tanto em hardware quanto em firmware.
      O desenvolvimento acaba se tornando muito mais caro, seja pelas horas/trabalho gastas em testar em diversos dispositivos, ou o valor pago pra comprá-los.
      E além disso nada garante que um usuário instale o aplicativo em um dispositivo não suportado, fique enfezado e deixe avaliações negativas na Google Play. 🙁
      Além do fato de ser muito mais fácil monetizar o app se ele estiver na App Store.
      Gráfico de Downloads/Vendas: http://cdn.macrumors.com/article-new/2013/04/app_annie_1q13.jpg

      Se é uma aplicação simples, o transtorno não é tanto. Mas pra coisas mais elaboradas é necessário analisar se é viável o esforço (Se o app for grátis e a intenção for o maior alcance possível pode ser uma boa).

      • Bruno Monteiro says:

        E que fique bem claro que não prefiro nenhuma marca! Não gosto nem do iPad nem do Galaxy Tab, hehe.
        Acho que não sou o público-alvo de tablets.

  20. João says:

    Eu tenho um tablet Android há um ano e sim, estou satisfeito com ele. Escolhi assim por alguns motivos: posso usar como telefone (ele é meu telefone, e não, não coloco ele na cara, uso um headset bluetooth), poder instalar aplicativos de fora da app store e pelo Swype que, para mim, é uma killer feature. A digitação é muito melhor usando ele. Claro que o iOS tem suas vantagens: é um sistema mais polido, que não tem alguns problemas que o Android tem (que eu consigo contornar com facilidade), mas ainda assim sou mais Android.

  21. Thiago says:

    Eu fico satisfeito com meu tablet genesis que não trava e nada a app store até o pou (Jogo) é pago.Invés de pagar 2000 reais num iPad prefiro comprar um genesis de r$400,00
    que tem dual core,3D ACCELERATOR,bluetooth,rooteado da fábrica,de 7″(MESMO QUE O IPAD SEJE MAIOR),etc!
    Mas não quero um tablet do mesmo preço que seja de uma marca qualquer (CCE,por exemplo)a bateria fosse ruim por exemplo 3200 mAh,etc! Não quero ter um tablet de 200r$ porque todos deste preço são ruins
    bom esta é minha recomendação tablets economicos são sim bons mais depende qual você quer comprar.
    Sansung por exemplo é ruim e caro demais vc pode jogar gta 3 num genesis que custa 400 reais rodando lisinho e sem lag!
    Gosto do android porque tem celulares (tipo o moto g e o moto x da motorola abro vários apps deixo aberto e ainda não trava).
    alem que o moto x é mais prático tem 10 mega pixeus
    e etc então é isso tchau!