Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

3 coisas que eu precisarei fazer em 2014 (e você também!)

Postado em 27 December 2013 Escrito por Izzy Nobre 50 Comentários

goodbye

Rapaz, como esse ano passou rápido! Ok, isso é um lugar comum do caralho, mas DESSA VEZ eu realmente observei isso como em nenhum outro ano antes.

Parece que foi ontem que eu estava num barzinho com amigos celebrando a chegada de 2013.

O ano de nosso Senhor dois mil e treze (ou “twenty-thirteen”, a forma que os gringos falam — que eu acho mais elegante, mais hollwoodiana e tal) chegou e passou, e foi sem qualquer sombra de dúvidas o meu ano mais intenso. Pra melhor E pra pior.

2013 foi facilmente meu ano de maiores conquistas pessoais. Rolou coisas incríveis que já compartilhei aqui — terminei meu curso (e já tou upgradeando pra outro), tirei certificações nacionais, consegui emprego na minha área logo de cara, tive incríveis oportunidades de impulsão de carreira, comprei o carro dos meus sonhos, atingi 100 mil inscritos no meu canal, meu “trabalho” na internet começou a se tornar um pouco mais tangível…

E teve algumas outras coisinhas que não cabe explicitar aqui neste site. No balanço total, mesmo com alguns solavancos, posso dizer que 2013 foi um dos melhores anos da minha vida, isso se não ocupar o primeiro lugar no pódio.

Mas mesmo com tudo isso, 2013 ainda deixou a dever. E fazendo uma análise extremamente auto-crítica aqui — algo que é meu modus operandi, nem um nó no cadarço eu dou sem ficar avaliando intensamente minha performance –, existe uma série de fatores que poderiam ter tornado de 2013 um ano ainda melhor. Eu poderia estar comemorando mais ainda hoje.

Pra que 2014 seja melhor que 2013, eu vou precisar…

Parar de comer fora de casa (e mais especificamente, parar de comer porcaria fora de casa)

Este era eu em 2002, menos de um ano e meio antes de vir pro Canadá.

DCP_1104

EU INVENTEI A SELFIE

Como você pode averiguar nesta imagem, eu tava só a capa do Batman, como se diz. Não está convencido ainda? Veja essa foto, tirada no começo do mesmo ano. Esta é ainda mais deprimente:

meu deus

Não, eu não usava crack

Os últimos 10 anos comendo porcaria várias vezes por semana me fizeram upgradear o chassi de grilo pra esta cara gorda de hoje que você conhece e ama. Alguns dirão que eu mudei “pra melhor”; estes alguéns definitivamente não são o meu cardiologista. Tá bom que numa ou outra fotinha extremamente bem tirada, com os filtros corretos aplicados, minha aparência tá melhor do que aquela do adolescente raquítico que eu era. Só que meu estilo de vida sedentário e de comer porcaria diariamente vai provavelmente me matar antes dos 60 anos, então preciso fazer algo a respeito disso.

Então, pra que 2014 seja um ano foda eu preciso parar de ser obeso. E o primeiro passo disso é parar de comer porcaria na rua.

(O efeito colateral é que com isso eu economizarei dinheiro pra caralho, também)

Desenvolver disciplina

Eu passo, pelo menos, umas 6-7 horas por dia na frente do computador. Tudo bem que boa parte dessa atividade online toda se converte em rendimento financeiro, o que justifica um pouquinho o vício, mas eu estaria mentindo loucamente se dissesse que toda a energia que invisto/desperdiço na internet se reflete diretamente na minha renda. Então, numa diagnóstico otimista, eu desperdiço pelo menos 5 horas por dia. E eu venho mantendo esse comportamento há uns 10 anos, no mínimo. Na real, eu vivo assim desde que tinha meu próprio computador no meu quarto, ou seja — esse hábito começou lá por 1999.

A calculadora do Windows me diz que eu desperdicei então, na melhor das hipóteses 18250 horas da minha vida. De acordo com este livro, que prega que pra ficar MUITO BOM em alguma coisa você precisa investir 10 mil horas naquela prática, eu perdi a oportunidade de desenvolver quase dois skills de forma quase profissional. A essa altura do campeonato eu podia ser um Jimi Hendrix ou um Pelé; podia ser um exímio programador, ou fazer manobras maluquíssimas em cima dum skate. Em vez disso eu… não sei fazer porra nenhuma.

E a culpa é o fato de que eu não tenho disciplina. A internet e suas milhões de tabs simultâneas satisfazem o minha TDAH — que é um “Transtorno Hipercinético”, algo que assim como tudo que você colocou no seu currículo soa muito mais legal do que realmente é –, mas o custo disso é que horas e horas e horas vão pelo ralo quando poderiam estar sendo investidas em, sei lá, me tornar um astronauta ou aprender alemão.

(Ler o artigo da Wiki sobre TDAH chega a me causar arrepios, porque literalmente TUDO que você lê ali me descreve fielmente, sem tirar nem pôr. TUDO. É como se a parada se chamasse Distúrbio Crônico de Izzynobrice. Aliás, ler esse artigo me convence que eu preciso voltar à terapia e/ou partir pros fármacos, porque ler um artigo que detalha minha personalidade tão esmiuçadamente realça muito claramente o inferno que é viver assim.)

Então pra que meu 2014 seja ainda melhor que 2013, eu vou precisar injetar doses cavalares de disciplina na minha vida e investir meu tempo livre em algo com retorno mais tangível.

Aprender a abrir mão de certas coisas

Eu sou um overthinker do caralho; alguém que fica pensando e repensando trivialidades ao ponto de obsessão debilitante/necessidade de tomar medicamentos pra se acalmar. Com esse tipo de temperamento psicológico, eu acabo me fixando demais em algumas coisas que definitivamente não merecem o investimento emocional.

Apego-me MUITO facilmente a pessoas, coisas, e situações. Tenho teorias de por que isso aconteceu — que bateram precisamente com algumas observações que meu terapeuta fez anos atrás, o que me fez pensar que também tenho algum gene nato pra analisar a psiquê fodida –, mas evidentemente envolvem fatores da minha criação que são pessoais demais pra destrinchar aqui.

Sou o tipo de pessoa que fica mal pra caralho com mudanças, quando uma postura muito mais saudável e madura seria simplesmente reconhecer quando tá na hora de abrir mão de alguma coisa, dizendo “quer saber? Foda-se, I’m out“, arrematado com uma meia volta volver sem nunca mais olhar pra trás.

(Caso você tenha curiosidade, “meia volta volver” é “about face” em inglês)

É um skill valiosíssimo que se transfere pra inúmeros contextos. Vejo amigos que têm o poder de falar “foda-se, I’m out“, vejo o quão mais fáceis suas vidas são por isso, e invejo essa habilidade de total desapego. Pode parecer frieza — e em algumas circunstâncias a indiferença deles de fato se traduz como frieza –, mas é um extremo do espectro de envolvimento emocional que eu penso ser melhor de lidar do que o em que eu habito.

Em 2014, eu vou me esforçar em ligar o proverbial botão “foda-se” com mais frequência. Porque, na real, existem poucas coisas nessa vida que eu preciso levar a ferro e fogo.

O que você precisa mudar em 2014? Compartilhe aí conosco.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Top X

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

50 Comentários \o/

  1. Mariana says:

    Em 2014 eu preciso parar de reclamar. Se eu não tô satisfeita com meu emprego, eu não tenho que reclamar. Eu tenho que tomar vergonha na cara e procurar uma porra de um emprego melhor. E assim vai… rs

  2. Mariana says:

    Preciso parar de reclamar. Se eu não tô satisfeita com meu emprego eu não tenho que reclamar. Eu tenho é que tomar vergonha na cara e procurar a porra de um novo emprego. E por aí vai rs

  3. Matheus says:

    Muito bom o texto, izzy. 2014 vou pro 3º ano e pretendo estudar mais do q eu estudo pra ver se passo em medicina na ufc

  4. Rafael Bulsing says:

    “A essa altura do campeonato eu podia ser um Jimi Hendrix ou um Pelé”

    Na verdade, de acordo com essas contas (ter gasto 18 mil horas, precisando de 10 mil pra cada skill), dava pra você ser um Jimi Hendrix E um Pelé.

  5. Henrique says:

    Preciso me dedicar mais à arte. Faço faculdade de design e vejo que isso tá me tirando um pouco do rumo. Achei que ajudaria, mas não. Agora nas férias é que eu me dei conta de como eu consigo me dedicar a isso sem ter que fazer a faculdade, ou perder tempo na internet. Tenho usado umas 2~5 horas do meu dia para, ou desenhar, pintar, ampliar meu repertório artístico, assistir a tutoriais/aulas online. Vejo que isso não é o suficiente. Mas vamo que vamo, 2014 vai começar com rítmo de fim de 2013

  6. Thamissa says:

    Oi Izzy, quase nunca comento nada mas o segundo item ai me fez concordar muito contigo, eu desperdiço muito tempo da minha vida, principalmente na internet, somos TDHA e me senti horrível na época em que li sobre isso porq me descrevia muito bem e isso é assustador.
    Eu estava adiando pensar nessas coisas para o ano que vem mas agora eu tenho q pelo menos tentar resolver isso, correr com algumas coisas na minha vida que tenho adiado e desistido.

  7. Taina says:

    Essas três coisas listadas que devem se refletir na organização de minha vida financeira. E melhorar meu francês.

  8. Rodrigo says:

    Assino em baixo….

  9. Suelen says:

    Vou me esforçar para valorizar mais as pessoas que eu amo e as minhas conquistas pessoais… Tenho uma vida considerada massa por muita gente, mas… Sei lá, parece que nada disso importa muito, eu só venho me afastando das pessoas que eu amo e sempre que conquisto algo penso “é, legal” e só. Também quero conseguir me organizar, isso inclui mais tempo estudando e menos tempo reclamando no twitter da pilha de coisa que tem pra ler, conseguir levar a sério minha saúde e continuar minha terapia.
    Bem, espero que você também siga firme nas suas metas, kid.

  10. Ééé Mr. Izzy sobre seu 2013, 80% do seu testo reflete em minha pessoa, costumo apegar-me e dificilmente solto alguns hábitos como por exemplo: muitos de meus amigos conseguiram emprego em outras cidades, outros namoradas e com os que ficaram, não era a mesma coisa nossas reuniões de farra, então coincidiu ser a época que conheci essa parada de podcast.

    Comecei ouvindo o nerdcast, fiquei maluco e obcecado que em canto eu estava cumprindo minha missão de vida que seria baixar todos, encontrei o MRG, 99vidas e rapaduracast que os esculto independente do temas.

    Seus videos, provavelmente falta assisti só uns 50, mas enfim.. e isso são coisas relacionado a você, que eu digo sobre apegar-se as coisas. Tem muitos conteúdos da internet que poderia citar mas ficaria ou já está grande para ser comentario hahahaha..

    vlw.. cara que 2014 possamos diminuir e trocar mais esse tempo que gastamos com computadores em outra coisa tipo videogame ”brincadeirinha”

    abraço aqui do Ceará.. e fui 🙂

  11. Fernando says:

    Olha, tem muita descrição sua aí que soa como autoelogio. E, na boa, você deveria reconhecer que muita coisa aí não é exclusiva sua, ou não é uma habilidade para se gabar.

    Falarei de VOCÊ. Algumas coisas podem soar hate, mas, dane-se.
    -- Se quer ganhar dinheiro no YouTube, faz logo um canal de games. Dá lucro fácil e o nível de criatividade é baixo. Você tbm pode partir pra esquetes de humor, mas aí demanda investimento em várias áreas. Vc já tenta fazer tiradas “espirituosas” em mtos vídeos, o que odeio, mas se ir além disso, pode conseguir mais seguidores. Coisas que te igualam a grande parte do YT é que vc fala pra caralho de coisas nerds, geeks e comenta “notícias” da vez. Odeio tudo isso, mas é o que essa molecadinha que reclama de preço de PS4 quer, e ela é o público do site. Eu gosto mais das abordagens de seu dia a dia, preferencialmente acompanhado da Bebba, mas você falou que sua vida social é limitada, então, quem gosta dessa vertente ficará de escanteio.

    -- Pare de se expôr tanto no Twitter. Tem muita msg lá que assinala carência excessiva. E babaquice, tbm. Tipo, “hoje vou comprar meu novo produto da Apple”, “qual Pokemon eu pego hj?”, etc. É de um attentionwhorismo insuportável. Ainda sobre o microblog, procure falar mais com seus seguidores (“fãs” é mto baba-ovo). Se você for ver que não manterá isso por muito tempo, repense a ideia de ficar adicionando meio mundo. Parece carência e oportunismo para fidelizar o público dos seus conteúdos.

    -- Já falaram isso em algum lugar: tire aquilo de “brothers dão RT”. É uma retórica cretina, que pressiona o seguidor a fazer o pedido. Ele se pergunta “será que sou brother?”. Na maioria das vezes, vc nunca nem falou com ele, que retuíta na esperança de atrair atenção de sua webcelebridade. Você não é brother da maioria de seus seguidores. Então, peça retuíte sem essa ênfase.

    -- Naquele vídeo do computador do Walmart, embora vc defenda a loja (o que acredito justo), percebi um dos raros momentos de maturidade sua ao enxergar o lado do consumidor brasileiro, que se vê fodido por todos os lados. Você contextualizou; achei bacana. Por favor, tenha mais desses momentos.

    ————

    Minha resolução para 2014 é, curiosamente, parar de te acompanhar. Não acho seu conteúdo importante pra minha vida, mas fico numa obsessão de acompanhar vídeos e eventualmente ler seu Twitter. O segundo, zero de aproveitamento, pois, como já disse, vc attentionwhoriza demais; cria uma interatividade vazia com o leitor. No YT, tenho certeza que perderei uma ou outra coisa boa, mas nunca comprarei um produto da Apple, as nerdices que te entusiasma não me causa mesma comoção e as “notícias” da internet eu checo em segundos num tweet ou numa manchete de portal. Ou nem tomo conhecimento, o que não me fará perder grande coisa. O que gosto é o que te diferencia do resto. Olha só, até vlog de brasileiro no exterior (ou mesmo no Canadá) já tem parecido por aí. E os principais pontos já foram abordados por você ou um concorrente. Então, não parece que verei coisa nova. Curioso, enquanto isso, novatos surgem fazendo as perguntas de praxe -- como você foi praí, qual o custo de vida, etc.

    Então, como você diz: foda-se, estou fora. Espero.

    Boa sorte pra ti.

    • Felipe Sali says:

      Quantos anos você tem?

    • kblosnack says:

      “te amo mas te odeio”…

      mas meio que concordo com o lance dos “brothers dão RT”, poderia ser feito de um jeito melhor tipo “RT aí, brother” que passa uma mensagem de “puxa, ele me acha brother, vou dar RT então :)” mas posso estar falando abobrinha

    • Izzy Nobre says:

      Seu comentário é tão extenso e maluco que merece uma resposta caprichada. Deixa eu chegar em casa do trabalho 🙂

      • Fernando says:

        A minha intenção era dar um feedback. Falar de coisas que parecem boas ou ruins no material produzido. Agora, se você quer “jogar pra galera”, atacando a pessoa, e não os argumentos, sinto muito. É fácil ter um monte de fãs aplaudindo o que fala, mas não ouvir as críticas que valem.

        Aliás, isso vai soar gratuito, mas tem a ver: você e o Pablo Villaça, rivais de internet, são parecidos. Têm o ego inflado, simplesmente. Parecem duas crianças brigando. Ele coloca sobrenome de político em perfil do Facebook e você coloca nome de gente em carro. Ou vocês são dois ridículos ou dois autênticos.

        Voltando: qual o problema se me estendi? Como disse, gosto de algumas coisas de seu canal, são relativamente originais, mas outras são mais do mesmo no YT. Sou obrigado a gostar ou não incondicionalmente de ti?

        Responde os followers que convém, né? Já vi muitos ficando no vácuo. Não sei como eles não se tocam. Enquanto você ironiza meus comentários, tem algumas pessoas dando reply e confirmando a situação.

        Só de você me chamar de psicopata, meu estômago já revirou. Tá arrumado um forte motivo para não entrar mais em nenhum de seus sites. Valeu.

        As informações que usei estão disponíveis no que você produz. Eu acompanho(ava) pra valer era o vlog. Quer dizer, quem te segue no Twitter ou no FB e conhece MUITO mais sobre vc, é mais psicopata do que eu, certo? Fale pra eles.

        Não se dê ao trabalho de responder, pois não pisarei mais aqui. Só peço pros leitores pegarem cada coisa que falei e ver se disse alguma mentira. Sem fanboyzismo. Na humildade.

        Falou, John Lennon. O papel de Chapman não é meu. Tenho uma louça esperando pra ser lavada. Cansei de ferir o ego dos outros, tão grande quanto as minhas mensagens. Fique com os elogios e joinhas dos seus seguidores. Se a maioria aplaude, eu devo ser um grande idiota, psicopata e invejoso por estar violando seu sagrado blog. 😉

        • Izzy Nobre says:

          Depois daquele imenso TCC que você postou aqui, tu ainda tava 1) me seguindo no tuiter e 2) vindo aqui checar minha resposta? Lol.

          Você é obcecado mesmo. Enfim, minha resposta completa será postada quando eu chegar em casa.

          Also, aposto 100 reais que ainda verei MUITO seu ip aqui no meu servidor. Quem quer sair MESMO apenas sai. Seria infinitamente mais fácil dar um unfollow e não entrar mais aqui, que redigir esses dois imensos comentários cheios de magoa por uma aparente atração nao correspondida.

          O que você quer é atenção.

          • paulo says:

            Izzy, o Fernando te deu um feedback do que ELE acha que pode te ajudar a melhorar, do que ELE gosta/não gosta no conteúdo que você produz.

            Você sempre reage mal a feedbacks? Precisa ficar “incitando” o pessoal no twitter a vir te “defender”?

            Sinceramente, a sua reação ta sendo um pouco exagerada.

            Abraços

          • Izzy Nobre says:

            O cara chilica pra CARALHO e se eu falo “turma, olha o que esse cara falou publicamente aqui”, eu sou o filho de puta…?

            Não estou “incitando” ninguém a nada. E se eu fosse tão contra “feedback” nao teria nem aprovado o comentário dele.

          • Eduardo Rabuske says:

            Ele provavelmente não ganhou resposta sua no twitter. :/

          • paulo says:

            Não disse que você é o filho da puta, disse que acho que você ta exagerando.

            Enfim, pra mim foi só um feedback , encare como quiser.

          • Izzy Nobre says:

            Claro que pra você foi “só feedback”. Nao foi você que ele atacou, ué.

          • Hugo says:

            Não seria uma excelente oportunidade para criar o hábito de abrir mão de coisas que não valem o investimento emocional, ou do seu tempo? No caso até deve valer pela segurança da sua família ajjajaaja!

            E, Fernando, você parece um Stan, maluco. Re-leia o que você escreveu, você fala no desejo de conseguir parar de “acompanhar” o Izzy em 2014 (que pelo seu comentário o termo mais apropriado seria “perseguir maniacamente”), creepy pra caralho.

        • André says:

          Pra que comparar o Pablo e o Izzy? Deixa ele lá no canto dele e o Izzy por aqui. Se não gosta dos dois, é bem simples: pare de acompanha-los. Não perca tempo os odiando; vá fazer algo que você gosta.

    • Leandro says:

      Inveja define

    • Hugo says:

      kkkkkkkkkkkkkkk olha essa análise, not sure if…

    • Fernando boas observações, mas vou tentar resumir qual a intenção do Izzy, e você se lê esse meu comentário, pode lê-lo só até a frase(intenção), ou continuar se quiser, eis a frase:

      (Falem bem, falem mau mas falem de mim!)
      charlie brown jr

      ”Sempre achei que era obvio de todos os bloggers”

      Só uma coisinha antes.. O Izzy comemora 100k inscritos acho estranho, pois ele dedica muito tempo para escrever, editar e anotar sobre o que vai falar, sendo que muitos, com menos de um ano de YTube tem muito mais, deve ser alguma coisa que não sei, mas tudo bem..

      Sobre retorno financeiro para ele, vindo da internet eu penso assim.. sempre que vou comentar algo que alguém acabou de comentar, na boa eu só curto, já que eu ia dizer o mesmo! Se não curti deixo pra lá, ”só fecho a aba” pelo que parece você ”quer” gostar do Izzy por ter alguma categoria que ele faz que lhe agrada, mas ”quer” odia-lo pelas outras..

      Eu assistia só os hbdtv e o engrish challenge por causa das edições, mas depois de vez em quando assisto um daily vlog também.. são bons também!

      Enfim, um texto desse seu vai gerar somente algo positivo, já que o Izzy vai-lhe responder e provavelmente você também vai responde-lo de volta e no final gerar o pensamento da frase que coloquei no começo.

      Ou seja, se você responder esse meu comentário, vai gerar algo que mesmo que não seja minha intenção, porém iria gostar muito, que é sua resposta, se não concordar, de boa deixe pra lá 😉

      vlw

  12. Aurelio says:

    Eu acho engraçado como as pessoas são.

    Este tipo de “desabafo” é tão comum na internet que nem é mais um clichê, é algo maior que isso é como uma regra em qualquer site que tem algum sucesso.

    Uma pessoa produz conteúdo, passa um bom tempo até construir uma base de seguidores, seja no youtube, facebook ou twitter, e aí aparece uma pessoa para dar um “feedback” que parece mais uma tese que mistura inveja com elogio e sempre buscando a resposta.

    Eu conheci os vídeos do Izzy pelos retweets do Jovem Nerd então acho que ele pedir para as pessoas retwitarem seus vídeos funciona, cabe aos seguidores fazerem isso ou não. O fato dele chamar de brother não quer dizer que é seu amigo, é apenas uma forma de expressão. Se vc viu o vídeo e gostou o que tem de mais em divulgar? Ou mesmo assim, é uma opção sua não fazê-lo.

  13. Mônica says:

    PI-PO-CA!! PIPOCAA!! QUÊMM… QUER… PIPOCA!

  14. Seph says:

    Izzy, tu já deu o fora em algum macho por aí?

    O texto que o cara escreveu é digno de garotinha de 15 anos rejeitada que resolve ser stalker ao invés de partir pra outra.

  15. […] post sobre coisas que eu preciso fazer em 2014, o Fernando postou o seguinte comentário. É importante reproduzi-lo aqui em sua totalidade, pra […]

  16. José Teixeira says:

    Sétima coisa: Migrar para o Android definitivamente..

    • ibmin says:

      NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!

      Use tizen, ubuntu Touch, windows phone, firefox OS, IOs, o futuro Sailfish , ou até mesmo o falecido symbian.

      MAS PELO AMOR DE CTHULHU NÃO USE ANDROID!

      é uma droga… lerdo, precisa de 2x mais hardware do que os concorrentes para o mesmo rendimento, suas informações são repassadas aos apps e ao google (no android 4.3 não existe opção) e o pior VIROS! é uma droga! continua com o IOs mesmo… melhor não trocar se for para pegar algo incompleto…

      PS: Não uso IOs….

  17. 1) Ter uma alimentação mais saudável -- Engordando em média 3 quilos por ano. Como diria o Away, uma Bola de Gordura.
    2) Fazer o intercâmbio que tenho adiado há alguns anos -- Faltava grana e não quero fazer empréstimo no banco para depois voltar e suar sangue para pagar juros nessa merda.
    3) Executar as merdas dos meus projetos, porque meu Evernote tá cheio de ideia e dei seguimento a apenas um.

    Sobre o comentário do hater(?), não entendi o porquê após ler este texto. Mas a vida seria tão simples sem a tal carência…

    Não te seguia no twitter porque as vezes vc floodava a timeline. Mas depois voltava sem ficar dando lições de moral e ensinando “como fazer conteúdo”. É para isso que o botão unfollow está lá.

  18. Não sou muito dessas coisas de fazer listas de coisas a fazer no novo ano. Apenas continuo sempre fazendo o de sempre: tentar se o melhor possível em tudo que me for dado a fazer. Por exemplo: atualmente estou mudando de curso na faculdade, porque no anterior eu não estava sendo capaz de dar o máximo de mim e estava indo mal.
    Gosto de me esforçar pra fazer as coisas da melhor forma e pronto.
    Mas se fosse pra fazer resoluções uma delas com certeza seria: levantar a bunda da cadeira e fazer algumas viagens e praticar algum esporte uma vez ou outra.
    Já estou inclusive planejando com um brother pra irmos fazer um salto de bungee jump.
    Outra coisa seria aumentar o investimento em mim mesmo. Pronto. É isso.
    =]

    P.S.: Me identifiquei muito com a parte do TDAH, inclusive fui diagnosticado com isso esse ano. Mas meio que aceitei a condição. No meu caso não é tão forte.

  19. Carlos Alberto says:

    Essa Jif com a Bebba ta foda, ela e muito alegre mesmo.
    O cara que ta do lado dela me lembra um ator do Monk Um Detetive Diferente.

  20. […] Caralho, minha gente! Sobrevivemos mais um ano, mas que beleza! Como foi o seu 2013? Está pronto pra tentar algumas coisas melhores no ano que vem? […]

  21. Rodrigo says:

    Em 2013 eu descobri que eu sou um cara que pensa muito pouco antes realizar algumas ações. Uma das principais delas é falar: eu nunca parei para refletir sobre o que eu estou prestes a dizer, para calcular as consequencias que o que eu falo pode trazer, para verificar se um tal comentário ou brincadeira realmente deve ser feito ou não. O meu mecanismo mental de autocensura e verificação nunca funcionou direito. Eu, mais frequentemente do que imaginava, falo besteira, dou bola fora, etc. Fui assim a minha vida inteira (17,5 anos), e só percebi esse ano porque foi nele que eu tive a chance de enxergar o estrago que isso pode fazer: eu perturbei, ofendi, machuquei e/ou decepcionei amigos próximos de maneira completamente não intencional, e isso bastou para causar em algumas amizades danos que são provavelmente irreversíveis.
    Eu estou tentando mudar isso e quero conseguir em 2014. Preciso passar a refletir mais e melhor antes de realizar ações que possam afetar outros, e parar de afetar as pessoas ao meu redor com esse defeito.

  22. Carlos Alberto says:

    Caraca essa foto do Izzy de quando era magro faz ele parecer um brazileiro magrelo como todo mundo, porque a forma de se vestir, o cabelo e a tamanho da magreza e igual de muito carinha, parece que mudar ao passar doz anos fez ficar com corpo mais redondo e com estilo melhor de roupa e corte de cabelo.

  23. Giovani Carvalho says:

    Em 2013 acho que arrisquei pouco,fiquei com receio do iria acontecer, pretendo dizer mais “sim” as coisas, as boas claro.

  24. Pedro says:

    Ei! Foi o Paul McCartney que inventou o selfie -- rel="nofollow">

  25. Neto says:

    Meu filho de 7 anos tem TDAH predominando em desatenção. Foi diagnosticado esse ano. O pior foi saber no dia da consulta a médica dizendo que se ele tem, um dos pais provavelmente tem também. Ou seja, eu. Hoje ele toma ritalina e o medicamento faz milagres. Mesmo assim ele só toma no horário de ir à escola.

  26. Ciça Santos says:

    Oi, Izzy!
    Não sou de comentar, mas hoje acho que tenho a obrigação em função da tua segunda resolução, sobre tratar o TDAH. Vai em frente!!!
    Sou esposa de um TDAH que se trata e posso te garantir que nossa vida é outra desde que ele tomou consciência da doença e começou a fazer terapia e tomar medicamentos. Confesso que sofri muito no período em que ele não se tratava e tivemos várias vezes a ponto de nos separarmos. Uma das características do transtorno são as mudanças de humor e a impaciência, que acabam afetando de forma mais aguda quem está mais perto -- no caso, a esposa.
    Se vc ama sua esposa, e isso é óbvio, coloque na balança o sofrimento DELA e use isso como mais um motivo pra cumprir essa meta.
    Boa sorte!

  27. marcos says:

    caralho no gif da bebba eu so fiquei olhando para o peito dela

  28. Luis Cesar says:

    Essa questão da disciplina me surpreendeu. Se eu for colocar na ponta do lápis, acho que já teria umas 5 skills fodásticas, rsrsrs. E um dos maiores vilões (no meu caso) foi o comodismo: não estudei o quanto devia por ter aquele emprego razoável pertinho de casa, não tinha muitos gastos… Enquanto isso, Murphy foi trabalhando silenciosamente. Quando eu espantei, estava fora do emprego, sem grana pra nada e o pior, vi o quanto de tempo eu deixei passar sem ter desenvolvido NADA. Aprendi com a coça. Estou quase terminando engenharia civil e estou vendo o imenso retorno de quando você possui alguma skill que os outros demandam. P.S. só lembrei disso pra poder postar aqui. Lamentação por não ter feito o que devia é pra ser totalmente esquecido.