Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

3 dicas de câmera pra pessoas que filmam como se fossem macacos bêbados

Postado em 2 February 2012 Escrito por Izzy Nobre 4 Comentários

Ok, primeiro de tudo: eu não sou nenhum profissional da cinematografia. Aliás, sempre que vejo minhas filmagens antigas consigo apontar 800 erros por tomada, e isso quando examino o que considero minhas melhores filmagens. Entretanto, com a prática constante de gravar e editar vídeos você acaba adquirindo alguns macetes importantes.

E como toda vez que peço pra alguém filmar algo pra mim a gravação é completamente INÚTIL de tão horrível que é o resultado, achei que seria um bom serviço público dividir algumas dicas simples porém importantes com a massa de milhares de fidalgos que acessam este site diariamente. Assim você talvez aprenderá a manipular uma câmera com destreza superior a de um portador de mal de Parkinson no meio de um ataque epilético.

Vamos lá.

1) NUNCA filme em portrait. NUNCA.

Para você que é leigo em relação a cinematografia (ou que nunca teve que imprimir nada na vida), eu explico. Portrait é a orientação “vertical”.

Gravações em portrait se tornaram um problema na era dos smartphones. Como essa é a posição natural em que um segura um celular, as pessoas naturalmente o segurarão da mesma forma quando estão filmando. E eis o motivo pelo qual essa é a maior estupidez possível.

Você já viu uma TV vertical? Que tal uma tela de cinema vertical, tem alguma na sua cidade? Monitor de computador vertical, cê já viu? Ok, este último até existe, mas é dedicado a usos bem específicos. Tirando aquelas telas de aeroporto que mostram o seu vôo (e apenas o seu vôo) sendo atrasado, praticamente toda tela que você já viu na vida era horizontal.

Existe uma razão pra isso.

Toda a mídia visual existente (filmes, desenhos animados, seriados, videoclipes, TUDO) é filmado e exibido em landscape. E o motivo disso é que essa é a forma como vemos o mundo — em landscape. Seres humanos tem um ângulo de visão de 180 graus horizontais, mas apenas 100 graus verticais.

O mundo que vemos é praticamente widescreen, e por isso vídeos deveriam seguir o mesmo formato.

Isso sem mencionar que, se você tá vendo uma cena qualquer, o centro e as laterais são as áreas de maior importância. O chão e o céu, que você acaba capturando quando filma em portrait, não oferecem muito contexto numa filmagem e são piores que inúteis.

Em resumo: há um motivo pelo qual resoluções de filmes são 1920×1080 e não 1080×1920.

2) Observe a cena exclusivamente pelo viewfinder

Olha, eu vou usar um monte de termo em inglês porque esse é um assunto técnico e não sei nem se existem palavras lusófonas equivalentes. Se isso te irrita, favor meter o dedo no cu e rasgar. Você está na internet acessando um blog clicando em links com um mouse num browser. Desde quando palavras em inglês começaram a te irritar, seu merda?

Viewfinder é a “janelinha” através da qual você observa o que a câmera está capturando. Hoje em dia ninguém mais realmente usa o viewfinder já que tudo tem telinha de LCD, mas o princípio é o mesmo — quando você está filmando, observar a cena por essa telinha é de suprema importância. Um dia aliás viveremos num mundo civilizado em que filmar uma cena observando-a por “fora” do viewfinder será passível de espancamento público e multa.

Deixa eu explicar por que isso é tão importante. Você já experimentou dirigir sem olhar pra frente do carro (digamos, olhando pros lados ou jogando Angry Birds)? O que acontece é que o carro vai migrar lentamente da sua faixa pra faixa do lado, aterrorizando os passageiros da Escort roxo ao seu lado.

Isso acontece porque o carro tem naturalmente a tendência de não seguir numa linha perfeitamente reta. O feedback visual é preciso pra que você faça as pequenas correções de trajetória necessárias para não atropelar alguém.

E isso é a mesma coisa que acontece quando você não presta atenção no viewfinder de uma câmera. Apontar a câmera na direção do que está sendo filmado não é suficiente; você precisa colar o olho naquela porra daquela telinha pra garantir que o enquadramento e o foco estão corretos.

Uma vez eu pedi ajuda à minha mulher pra ela me filmar falando algo pro meu vlog e quando fui ver a gravação, durante metade do tempo ela frameou a tomada na gola da minha camiseta. O braço dela naturalmente abaixou um pouco durante a filmagem, graças à inexorável força da gravidade inventada por Einstein, eu saí do frame e ela não notou porque não estava prestando atenção. Desde esse dia passei a ama-la uns 40% a menos.

Se você presta atenção no viewfinder, você se verá instintivamente corrigindo a tomada à medida que seu bracinho flácido começa a cagar a cena. Sabe quando você vê um vídeo “extremo” no youtube (tipo uma briga, batida de carro, alguma coisa assim) e assim que a ação interessante começa, o sujeito abaixa a câmera? Isso acontece porque o débil mental decidiu observar a cena por fora do viewfinder — o que aniquila o propósito de estar filmando a coisa.

Dá raiva né? Não seja esse cara.

Se você não presta atenção no que está filmando — e a única forma correta de fazer isso é manter os olhos no viewfinder –, as chances da gravação viraram desperdício de espaço no cartão de memória tendem a 100%.

3) Sabe a linha de horizonte? Então, ela tem este nome por um motivo

A linha do horizonte é um conceito de fotografia que se aplica à cinematografia. Essencialmente, a tal linha do horizonte é uma linha imaginária que conecta uma lateral do frame à outra, do lado oposto.

E o nome “linha do horizonte” deixa evidente que esta linha deve ser horizontal. Em outras palavras, você deve segurar a câmera na horizontal, e manter essa inclinação de zero graus.

Isso também é feito, como no esquema de filmar em landscape, pra simular a forma como nós humanos vemos o mundo. Nossos olhos se posicionam numa linha horizontal, portanto nós temos uma “linha de horizonte” embutida.

Quando você filma algo e inclina a câmera (algo que pode ser evitado se você seguir o passo número 2), a filmagem fica automaticamente uma merda.

Filmagem “inclinada” é às vezes, admito, usada pra atingir um estilo específico. Este estilo chama-se “cagar o filme”. O filme Battlefield Earth, considerado amplamente como o pior filme jamais gravado em celulóide, foi filmado quase inteiramente em dutch angles. Portanto, tudo que você puder fazer pra diferenciar sua filmagem de Battlefield Earth — seja segurar a câmera horizontalmente ou não contratar o John Travolta — é de extrema importância.

É isso aí. Agora você já é um cinematografista melhor do que 99% das pessoas que colocam vídeos no youtube.

p

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Top X

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

4 Comentários \o/

  1. Franco Pan says:

    Discordo quanto à inclinação da câmera. Coloca-la de um ponto mais alto ou mais baixo pode te passar ideias e não somente meras imagens. (Ex.: se temos uma pessoa e filmarmos debaixo para cima, temos uma sensação de grandeza. De cima para baixo, o efeito contrário.).

    • Renan Greca says:

      Outro tipo de inclinação, cara. Ele está falando de girar a câmera em sentido horário ou anti-horário, não de apontar para algo de uma posição acima ou abaixo da convencional.

  2. Luigi Carlo says:

    Muito boas as dicas, Kid