Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras

Postado em 22 September 2009 Escrito por Izzy Nobre 256 Comentários

Quando eu era moleque, eu sempre dizia que queria ser “um cientista” quando adultos me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse. Não importava que ramo científico eu praticaria. “Um cientista, tia!”.

Ora, mas que tipo de ciência? Astronomia? Bioquímica? Herpetologia (que, por algum estranho mistério, é a ciência das cobras e sapos e lagartos, e não da herpes)? Eu não sabia. Meu contato com a “ciência” se resumia a filmes em que um sujeito com óculos e um jaleco branco explicava alguma situação usando termos bem científicos e importantes como “exponencialmente” ou “microorganismos” ou “nitroglicerina”. Aí o mocinho reclama dos termos complicados e o cientista explica de forma mais simples – “Vamos todos morrer a menos que você faça X”. Aí ele vai, faz, ninguém morre e o filme acaba.

Eu queria ser aquele cara. Eu queria trabalhar num laboratório, usar um microscópio, saber palavras importantes e explicar coisas complicadas pros outros. Afinal, eu já usava óculos mesmo, obviamente o resto devia ser mais fácil (estudar algum ramo científico por dez anos e arrumar emprego numa empresa relacionada ao meu ramo de estudo).

Ontem, eu decidi que queria ser outra coisa – Um paramédico. Assim, eu poderia prestar melhor socorro à minha noiva, que quase quebrou o pescoço por minha causa.


Foi assim. Quando a namorada chega em casa do trabalho, ela costuma vir correndo pro quarto, se joga em cima de mim e, naquele clima de casalzinho recém-casado, a gente se joga na cama e fica lá rolando feito idiotas, fazendo cócegas um no outro, essas merdas que vocês que têm namoradas devem saber como é.

Eu, por outro lado, tenho o péssimo hábito de chegar em casa, jogar as roupas no chão, e depositar meus gadgets na cama. O PSP e o iPhone, na maioria das vezes. O PSP pra jogar Super Mario World durante o expediente, e o iPhone pra músicas e navegar na internet.

Então. A namorada chega aqui em casa, vem correndo correndo pro quarto, me puxa da cadeira do computador e se prepara pra se jogar na cama. Acontece que meu celular estava exatamente no ponto em que ela cairia.

Usando cada grama de destreza que eu possuo, meio que “guiei” a namorada pro lado, pra longe do iPhone. Entendeu mais ou menos o cenário? Ela pulou pra cama me puxando junto, e eu empurrei a menina pro lado. Não sei como explicar essa sentença de forma que faça sentido, tentem imaginar a cena.

O resultado da minha manobra foi que a menina acabou ultrapassando sua área planejada de aterrissagem. Ao invés de cair sobre a cama macia, seu franzino corpinho gringo acertou a cômoda em cheio.

Bem no pescoco.

A menina caiu como uma boneca de pano no chão. Após o susto inicial, percebemos que ela estava bem. Mas durante aqueles cinco minutos em que ela berrava de dor no chão, o terror da possibilidade de uma fratura no pescoço me fez desejar que eu tivesse me formado como paramédico. Afinal de contas, médicos detém conhecimento que faz a diferença entre a vida e a morte, e por isso inspiram um incomparável senso de confiança. Não importa o que aconteca, um médico está a caminho e tudo vai ficar bem. Meu vizinho é médico, vou chamá-lo. Vou ligar pro meu médico. Se acalme, eu sou um médico.

O admiração da capacidade dos médicos é tamanha que na nossa língua, é coloquialmente comum (a engraxates e flanelinhas) se referirem a alguém como “dotô” em forma de reconhecimento de sua importância, a despeito do fato que desencravar a unha do dedão do pé com a ponta da faca é o limite de sua habilidade cirúrgica. Embora, como você está prestes a ver, há alguns séculos atrás isso seria mais que suficiente pra conferir a alguém o título de doutor.

Aí eu parei pra pensar. Não estaríamos cometendo um erro gravíssimo depositando tanta confiança nos profissionais de saúde…? Afinal de contas, a história nos mostra que algumas vezes, a ciência exercida pelos doutores não ficava muito acima daquela executada por um aprendiz de açougueiro em seu primeiro dia no serviço.

Trepanação

Na Idade Média, entrou em moda o princípio médico de “equilíbrio corporal”. Qualquer tipo de perturbação na sua saúde era indício de algum tipo de desequilíbrio nos seus “fluidos” (pra medicina medieval, tudo era “fluidos”), e o trabalho dos médicos da época era re-equilibrar seu sistema.

Impressionante que uma teoria que soa tão científica (e que tenha algum embasamento, como explicarei depois) tenha dado origem a técnicas tão absurdamente retardadas.

Sabe quando um colega da sua turma de Álgebra claramente entende a proposta de um exercício matemático, mas fode completamente os cálculos e chega a um resultado que faz você olhar pra ele e se perguntar o que diabos ele está fazendo numa faculdade? Então, essencialmente isso é a teoria por trás da trepanação.

A técnica, que na verdade é uma dos mais antigos procedimentos cirúrgicos da história, consiste em fazer um grande buraco no seu crânio – grande o suficiente pra que o osso não seja capaz de se reconstituir e você fique passeando por aí com um buraco na cabeça. Ou seja, estamos usando um significado bem liberal pro termo “procedimento cirúrgico”.

A idéia é que alguns distúrbios mentais (e alguns outros que não tinham nada a ver com o seu cérebro) eram causados por um desequilíbrio na sua pressão craniana. Então, pra resolver o problema, bastava arrumar alguém que estivesse disposto a abrir um rombo na sua cachola. E assim você estaria curado do seu resfriado.

Lembre-se, nego tava apelando pra arrebentar cabeças alheias na mesma época em que se acreditava que “maus espíritos” provocavam moléstias. Não preciso nem explicar o absurdo da idéia.

Não que a técnica seja absolutamente inválida – em alguns casos de traumatismo craniano, fluido cerebroespinal se acumula no crânio e aplica uma pressão que pode causar sequelas permanentes. Nesses casos (e só depois de analisar todas as outras opções), um competente cirgurgião coloca o maluco em anestesia geral e abre um pequeno orifício na cabeça do infeliz pra aliviar essa pressão. Ou seja, é uma operação cuidadosa que, além de só ser executada em última instância, é conduzida com a maior das cautelas. E enquanto o paciente estava sob anestesia, um luxo que os infelizes da Idade Média não tinham.

Agora compare com a imagem lá de acima que eu arrumei no Google. Me diz se não dá até pra imaginar que o maluco da figura mal tinha acabado de dizer “Nossa Senhora, que terrível inflamação de garganta me abateu hoje” pros outros dois já sairem catando no chão qualquer instrumento mais ou menos afiado pra arrebentar a cabeça do coitado.

A comunidade médica em geral abandonou a trepanação como método de curar doenças há alguns séculos, mas a técnica não está totalmente morta. Nos últimos anos, a turminha que é chegada nessa onda de viagens produzidas por alucinógenos inventou uma complexa pseudo-ciência que prega que trepanação serve como um método de atingir o nirvana, ou alguma coisa assim, o que confirma o velho adágio popular que profetiza que “existe doido pra tudo nesse mundo”.

Sangria

Sangria, conhecida em inglês como “bloodletting” caso você tenha vontade de pesquisar sobre a parada, é mais uma maluquice medicinal da escola de pensamento que pregava que problemas de saúde eram produzidos por algum tipo de desequilíbrio corporal.

Um grego chamado Erasistratus formulou o conceito de plethoras, ou seja, doenças provocadas pelo excesso de substâncias. E que substâncias seriam essa, você me pergunta? Bem, a idéia era inspirada nos conceitos alquimistas que explicavam que tudo no mundo era composto por quatro elementos – água, fogo, terra e ar.  Da mesma forma, tudo no seu corpo deveria estar associado a quatro elementos. No caso, eles seriam sangue, muco, bile preta e bile amarela. E seja lá qual seja a doença, existem grandes chances de que ela está sendo provocada porque você tem sangue demais no seu corpo.

E havia duas formas de balancear o volume do seu sangue – o “médico” te dava alguma coisa pra induzir vômito, tornando assim sua corrente sanguínea mais concentrada (a lógica é que vomitar reduziria o nível de outros fluidos no seu corpo, fazendo do sangue o fluido predominante), ou fazer buraquinhos no seu braço e observar o sangue indo embora.

Nos dias de hoje, você faria o máximo pra evitar ser furado por aí à toa. Há alguns séculos atrás, era o tratamento mais padrão que existia. Inventou-se até um elaborado sistema pra determinar exatamente QUANTO sangue deveria ser tirado, e levava-se tudo em consideração: sua idade, seu peso, altura, a região onde você morava, que time você torcia, os últimos cinco dígitos do seu perfil no orkut, sei lá mais o que.

A parada ficou ainda mais sofisticada com o tempo, quando decidiram que remover sangue de diferentes partes do seu corpo produziria resultados em locais diferentes. Tirar sangue da mão resolveria sua calvície; tirar sangue da orelha consertaria sua impotência. Aí decidiram que não precisava nem ficar doente pra apelar pra sangria – começou-se a furar os outros como meio de vacina contra certas doenças. Quanto pior a doença, mais sangue era necessário arrancar do infeliz, e pra piorar as coisas, a tontura que resultava do procedimento era sinal de que a técnica estava dando efeitos satisfatórios. E pra tornar a parada ainda mais putariosa, começaram a empregar sanguessugas pra chupar o fluido vital da galera. A procedência dos parasitas não poderia ser mais duvidosa, e o risco de infecção era mais ou menos 98%.

Se você tem alguma idéia de como funciona o corpo humano deve ter concluído que muita gente morreu no meio da sua sangria mensal. A desculpa era praticamente embutida – a doença estava num estágio avançado e ceifou a vida do paciente antes que a técnica pudesse fazer efeito.

Na minha terra isso se chama “gaiatice”.

Lobotomia

Dê uma olhadinha nessa foto ao lado. Se você precisava de alguma prova definitiva de que a confiança que médicos inspiram em leigos é ao mesmo tempo impressionante e assustadora, aí está ela em conveniente formato jpg.

Em 1890 um méd… um psicopata chamado Friederich Golz teorizou que a melhor forma de mudar o comportamento de um indivíduo seria DESTRUIR PARTES DO CÉREBRO EM QUE TAL COMPORTAMENTO ESTIVESSE LOCALIZADO. Após chegar a essa brilhante conclusão, maluco  nem perdeu tempo – afiou suas faquinhas e experimentou o procedimento no próprio cachorro. Naturalmente, o pobre cachorro ficou totalmente sequelado, o que Golz interpretou como sucesso total. Ora, quem pode culpá-lo? O cara queria reduzir o comportamento agressivo do cachorro, e após a cirurgia tudo que o totó faz é deitar na frente da casa por horas a fio, sem se mexer, com os olhos fixos em posições diferentes. Tecnicamente falando, a experiência foi um sucesso.

Demorou mais ou menos quarenta segundos pra que alguém decidisse que o procedimento deveria ser experimentada em humanos. Gottlieb Burkhardt, o chefe de um hospício suíço, ouviu sobre a maravilhosa proeza do outro maluco e resolveu experimentar em seis esquizofrênicos que ele tinha sobrando em seu hospício. Aparentemente o Burkhardt fez uma cagadeira ainda maior que a do Golz, já que aquele ao menos teve uma taxa de 100% de sobrevivência naquela sua primeira lobotomia no cachorro. No caso dos esquizofrênicos, bem, digamos que depois desse dia Burkhardt passou a ter apenas quatro esquizofrênicos sobrando.

Ao invés de identificar a técnica como o estraçalhamento totalmente irresponsável do mais importante órgão humano e bani-la pra todo o sempre, a comunidade médica do comecinho do século XX continuou a namorar a idéia de resolver problemas comportamentais através da técnica de fazer purê com os miolos de seus pacientes.

Foi finalmente um médico português chamado Egas Moniz (que coincidentemente tem o sobrenome de uma das minhas chefes, que de fato é descendente de portugueses. Perguntarei à mulé se ela tem algum bisavô chamado Egas) que “aperfeiçoou” a técnica. Moniz percebeu que esculhambar o cérebro de um indivíduo de fato foderia com a pessoa, então o que ele tinha que fazer é estraçalhar apenas algumas conexões nervosas isoladas, e não pedaços inteiros do cérebro. O sujeito acabou eventualmente ganhando um prêmio Nobel por causa disso, e se isso não é uma lição assustadora de quão enganada a comunidade científica pode estar a respeito de alguma coisa, nada mais é.

Enquanto isso continuamos tomando prozac, tylenol, vacinas variadas, viagra, advil e outros trocentos tantos medicamentos ou tratamentos que utilizamos baseados exclusivamente na confiança do que a indústria médica diz pra gente.

Não sei você, mas se eu tivesse um amigo que insiste em me oferecer sucos que mais tarde se revelam não ser exatamente sucos e sim água misturada com veneno… da próxima vez que ele viesse com um copo na mão, eu enfiaria um soco no meio do bucho do cidadão.

***

(Leitores voyeurs, se manifestem. Vocês talvez não saibam, mas esse feedback que eu recebo de vocês é JUSTAMENTE o que me motiva a atualizar esse site, especialmente com esse tipo de texto – mais longo, mais elaborado, do tipo que requer um certo trabalho de pesquisa e coisa e tal – aqui no HBD. Deixem a vergonha de lado e publique sua opinião aí. Eu quero saber o que esses 80% de visitantes silenciosos pensam a respeito deste site)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Top X

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

256 Comentários \o/

  1. RT: @izzynobre: HBD atualizado: Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://bit.ly/1xstD (RT para a grandiosa vitória!)

  2. tiophio says:

    HBD também é cultura!
    first! o/
    ajeiojeajioeajioeiojaojejioea

  3. fah says:

    2º muahahahahahahahaha

    dexa eu le a bagaça….

  4. Estamos aqui pra isso Kid!

  5. fah says:

    seu mothafucker… pelo menos tira a parte de que a becca “quase quebro o pescoço” se não serão 2 tentativas de assassinato no espaço de 1 ano (eu acho)…

  6. rodrigo says:

    e a preguiça de um novo texto..

  7. Tonkiel says:

    Tem um maluco chamado Bart Huges (que estava vivo até o último censo) que fez uma auto-trepanação depois de ficar muito doido com lsd. Ele anda por aí com um buraco na cachola até hoje. Tipo, mil ano depois que descobriram que o procedimento era uma completa idiotice, nego ainda fura a cabeça tentando atingir o nirvana.

  8. Taboada says:

    Acho que já li este texto por aqui…

  9. ronald says:

    Caraca, esse Kid é um safado mesmo. Postou um rerun, e nem pra tirar a história da Becca quase quebrando o pescoço(sem contar que ele fala do acontecido como sendo o dia de ontem novamente).

    To de brinks kid 😛 , texto muito bom.

  10. Tenho a impressão que já li isso antes por aqui… aliás, esta é uma das postagens mais engraçadas do Kid…
    Estou esperando a continuação há mais de um ano… hahahaha

    Abração

  11. Unas Riseth says:

    E a despeito q a medicina está tão avançada nos dias de hj, com ferramentas como RM, tomografia, cirurgias com vídeo… São muitos avanços, mas o exame de próstata ainda continua sendo uma dedada ¬¬
    Espero q daki a 15 anos isso tenha mudado.

  12. Ellison says:

    Tenso a parada. Gostei da parte da GAIATISSE! Deu saudade de ouvir isso na minha terra natal 🙁

  13. Nagasava says:

    Concordo que não podemos depositar 100% de nossa confiança nos médicos. Eu mesmo já passei por uma situação na qual tive que buscar uma segunda opinião. Pois o primeiro especialista realmente havia cometido um erro na hora de receitar a medicação.
    Por outro lado, é notável os avanços na área da saúde. Principalmente se considerarmos o aumento da expectativa de vida da população.
    Porém, depois do que me aconteceu, sempre que o médico não me passa confiança, procuro uma segunda opinião.

  14. Fernando Fry says:

    Toda vez que vejo House M.D. me bate uma vontade de ser médico também O.o

    O lance é que não há muita opção ou “tenta” confiar no médico ou começa a rezar (pode também ir em benzedeira, padre, curandeiro, ansião, mago, monge, etc…), e a eficácia de ambos não tem nenhuma garantia =D

  15. Igor Harã says:

    Daqui a 50 anos vamos saber pq tem tanta gente morrendo de cancer e ninguem entendeu hoje! eheheh

    Muito engraçado e instrutivo o texto!

  16. Porkispin says:

    Recordar é viver! Muuuito bom esse texto! hehehehhhe
    parabéns =]

  17. José says:

    Kid, sua bichinha incólume, da próxima deixa o celular se estrupiar e salve vossa mulher, que decerto deve valer mais do que alguns caraminguás gastos nessas porqueiras digitais.

  18. Elis says:

    Sei lá, mas eu sempre fico muito de cara com o lance da Trepanação, não que as ademias insanidades praticadas não fossem algo no minimo bizarro, mas a Trepanação em particular… Credo >.<

    Post mto legal! 🙂

  19. Facchini says:

    Excelente post kid. Mostra bem como o povo leva certas coisas sem nexo algum como a salvação do mundo. Eu do risada lendo todos os posts, o jeito que você escreve é bem dahora, não importa o tamanho do texto ele nunca fica cansativo. Good work!

  20. Luiz Felipe says:

    O meu fidibéque é esse: bom texto, continue escrevendo mais lorotas, nós leitores agradecemos.

  21. duaardo says:

    hahaha Muita doideira esses “tratamentos”.

    Imagina agora com até robô operando os outros hahaha a gente tá tudo fudido :/

    Muito bom o texto, Kid. Boa! 😀

  22. Marta says:

    uaheuhauheuahe sua namorida tá bem?

    Post fantástico. Mesmo me dando arrepios.

    Uma coisa que vão olhar pra trás e dizer “que bobagem!” é aparelho nos dentes. Pode escrever.

  23. hericky says:

    deixa a gente lurkar, deixa.

    o George Washington morreu por causa de sangria, aliás. ele ficou doente depois de cavalgar na chuva e tiraram 4 litros de sangue dele. D:

  24. Fábio says:

    Se, por um lado, médicos são carniceiros que usam furadeiras Bosch para operar menininhos que quebraram a perna, é graças a esses mesmos “doentes” que as coisas vão avançando, e temos muito mais remédios e tratamentos.
    No fim das contas, é sempre um threshold. No pain no gain, não é isso?
    Agora, fico só imaginando o noticiário local:….”Homem mata namorada por causa de IPhone”… tsc tsc…
    Abraço

  25. […] Top 3 Práticas medievais assustadoras […]

  26. Sendo parte dos 80%, eu te digo: muito bom!
    Gosto de ver como tu consegue escrever sobre coisas tão diversas (medicina, airsoft e joguinhos pra iPhone) com a mesma desenvoltura.

  27. Jurado says:

    Belo texto, rapaz. Continue assim. OBS: Comentário induzido pelo seu apelo contra o anonimato. Este é o tipo de coisa q eu realmente não faço 🙂

  28. Leandro LOL says:

    Sou parte dos 80%. =(
    Eu gosto do teu site, é meu prefirino entre os rss. 😀
    Na verdade esses teus contos meio exagerados da tua vida e infância fazem minha vida parecer até meio sem graça. idahsdiu

  29. Eu tenho certeza de já ter lido isso antes, mais especificamente em 7 de Abril de 2008…

    Isso significa que você já quase quebrou o pescoço da tua noiva duas vezes? Estou chocado…

  30. Alexandre says:

    Bom texto, quide.
    Interessante questionar se há de fato um limite que simplesmente anule o risco permitido no procedimento científico.

  31. Thiago says:

    Po ficou muito bom o texto! Parabéns

  32. Dr. X says:

    “seu franzino corpinho gringo” foi foda XD

    Flawless victory esse texto. Rolava de mais fazer um “Top técnicas de execução” pra agregar a sessão de brincadeiras Hannibalnianas hehehe

  33. Savastano says:

    Vi crânios de múmias trepanadas na Bolívia. É algo que me fez pensar WTF!!! E lá eles ainda dizem que dava certo.

  34. gabo says:

    só tô postando pra ”deixar minha opinião”.

    particularmente, eu achei a imagem que ilustra a lobotomia bastante desconfortável.

  35. Pati says:

    Pelo amor de deus, essa sua cama tá amaldiçoada! Não foi lá que você quase quebrou a coluna? Em nome do senhor, tira o capeta da sua casa.

  36. TioSolid says:

    Calma, tá tudo bem agora.

  37. Renato Filho says:

    Excelente texto Quide. Este post prova como a Medicina está avançando rapidamente, e que em breve será comum tomar alguma vacina contra AIDS ou coisa parecida (ou não!)

    No mais, temas assim só fazem aumentar meu interesse pela Medicina, atualmente curso Odontologia, mas se tudo der certo ano que vem serei um estudante desta bela ciência.

  38. Trovalds says:

    Bom, comentando sobre a noiva:

    Primeiro do ponto de vista nerd: nada como uma manobra “radical” para salvar um de seus gadgets.

    Agora do ponto de vista “social” ou “comportamental” ou qualquer merda desse tipo: o que passa na cabeça de um cidadão que é capaz de quase matar a própria companheira, mesmo que não seja propositalmente, para salvar um telefone? Eu particularmente alimento desprezo por pessoas assim. Claro, quando fazem mau uso de alguns dos meus “mimos”, eu fico puto de raiva, mas daí a tentar cometer assassinato, é algo que vai além do meu entendimento.

    Eu particularmente gosto dos documentários no Discovery Health, principalmente os de tratamentos alternativos. Só para descrever um bizarro: usar larvas de moscas esterelizadas para tratar necroses no corpo. Detalhe: é um tratamento promissor, diga-se de passagem, já que as larvas só consomem o tecido necrosado, não o sadio.

    Outra coisa interessante, não lembro o porquê do tratamento ou cirurgia: o cidadão, sob efeito de anestesia local (aka lúcido), sem a parte superior do crânio com a massa encefálica exposta enquanto o médico identifica pontos de coordenação motora na cabeça do cidadão com pequenas etiquetas, tocando elas e perguntando oq o cidadão sente ou de que forma ele reage a cada toque do cirurgião no cérebro exposto.

  39. Cobra says:

    Sensacional. Infelizmente, a gente não tem outra opção se não confiar nos açougueiros diplomados, porque eles tendem a acertar mais do que a errar. Mesmo naquela época… muitas dessas maluquices funcionavam, ainda que muitas outras falhassem fantasticamente.

    Idéia pra um post no mesmo estilo desse: Top práticas odontológicas medievais assustadoras. Os dentistas conseguiam ser mais mentecaptos que os médicos, trust me. 😀

    []s
    Cobra.

  40. Raph4 says:

    Não preciso nem falar que endosso o texto, de tanto que chateio meus médicos com perguntas aleatórias aos milhares!

    O problema do re-post assim é o distúrbio temporal, garanto que a sua chefe não é mais a mesma, depois vão te perguntar e você vai se confundir.
    Ao menos foi uma oportunidade de ler mais um dos HITS HBD 😀

  41. E depois acham ridiculo uma galera ter medo de ir ao médico !

  42. Kacey says:

    Poxa, eu devia ter procurado ler seu blog antes, gostei muito. (:

    Enfiim… realmente, as técnicas medievais eram um tanto quanto… bestas. Ao ponto dos “cirurgiões” barbeiros terem mais expertise e conhecimento anatômico que os próprios médicos (já que eles só queriam sangrar até a morte e tals D:).

    Sobre os remédios… sim, tenha medo. Os laboratórios desenvolvem e jogam pros médicos e, aqueles que não desconfiam e correm atrás dos métodos de teste e todo o processo, acabam sendo levados pela gaiatisse. Até que se prove que a droga não funciona, já inventaram um remédio novo…

    That’s all, abs :**

  43. deuso says:

    muito bom, quide.

    Vc poderia escrever sobre torturas medievais…Acho que material tem de sobra =)

  44. Giovanny says:

    Eu já bisbilhoto teu blog faz um tempão, e só agora que me manifesto. 🙂

    Quanto à palavra herpes (doença) e herpetologia (ramo da ciência que estuda répteis), a raiz é a mesma, e vem de algo como “rastejante” (herpes rasteja?). Dá uma olhada nesse link que eu encontrei:

    http://cvc.instituto-camoes.pt/bdc/lingua/boletimfilologia/09/pag351_355.pdf

    Abraço!

  45. Jonas says:

    Não se encaixa na Idade Média, mas tem gente praticando a chamada auto-hemoterapia, que consiste em retirar sangue de algum ponto do corpo e aplicar em um músculo. Segundo eles, assim como esses tratamentos medievais, essa simples injeção do próprio sangue seria a cura para muitos distúrbios do corpo. Esse tratamento partiu dos estudos de algum médico do início do século XX que, como de costume, foi distorcido. É interessante observar como, mesmo se tratando das mais absurdas teorias pseudocientíficas, sempre há centenas de defensores ferrenhos.

  46. cwalewsky says:

    Essa técnica do Friederich Golz eu ja conhecia, só não sabia quem tinha tido a ideia.
    Muito bom!

  47. Guten says:

    …reciclagem?

    @Deuso
    Leia o Malleus Maleficarum

  48. Diogo says:

    Po kid.
    é um enorme prazer ler esses seus artigos. Ainda mais aqueles que nos fazem observar as incriveis absudidades que vemos todos os dias e não percebemos.
    Muito bom o blog, não pare de escrever por favor!!

  49. Giovanny says:

    Ah, e aquela imagem do começo, do cara com funil na cabeça, tem todo um significado… O funil, na simbologia medieval, significava loucura, e no fim das contas a imagem era uma crítica à prática de “expulsar demônios” (sessão do descarrego da época), pois um louco (o do funil) abria um rombo na cabeça do infeliz para expulsar o demônio da loucura alojado nele. 😉 Chutando, deve ser do Hyeronimus Bosch essa pintura, mas to com preguiça de olhar a Wikipedia agora 🙂

  50. dikdik says:

    New kids vc sabe que eu não posto só leio e eu gosto dos seus textos ( bem , da maioria ) senão não acompanhava a tantos anos .

  51. Rocky says:

    Poderia ter citado também os primeiros tratamentos “quimicos”.

    E sua noiva, te deixou quantos dias sem sexo depois de você quase matar ela?

  52. Sisi says:

    Li o texto inteiro e só conseguia pensar coitada da Becca que quase teve uma fratura no pescoço por causa do iphone na cama.

    Fica a dica kid, na proxima vez deixa o PSP e o Iphone na comoda e a noiva na cama, não o contrario viu.

  53. Dudu Maroja says:

    A anestesia em qualquer procedimento no cranio é local apenas, se vc precisa abrir o cranio! vc precia do paciente acordado e bem, por que durante todo o procemendo o paciente passa por porguntas e testes de logica para saber se algo não esta sendo danificado sem querer!

    o cérebro não precisa de anestesia por que não tem sesores de dor! no momento que o cranio é aberto e a meninge cortada, vc nao sente mais nada naquela área! pode cutucar a vontade ( e claro que deixara belas sequelas cutucando onde não deve )

  54. GCDA says:

    otimo texto e porra, essa tua cama ae ta foda viu… 2 tentativas de assassinato ja… uhahuauhahuahu

    agora sobre o texto… caramba, e pensar que o povo ficava feliz por ter um buraco na cabeça, sem contar que até hoje tem uns retardados que fazem sangria para tratamento de doenças, se funciona nao sei mas eu não faria… MEDO EXTREMO

    falows

  55. Dudu Maroja says:

    O problema de certos eventos como esses, não é da comunidade científica, o problema são pseudo cientistas que não seguem o método científico e buscam resultados a qualquer custo!

    as vezes se estuda anos e anos pra comprar algo que ja se sabe, como açucar engorda! isso faz da pesquisa desnecessaria? não! se for bem condusida, pode ajudar a entender como o açucar faz engordar e como poderia ser evidado!

    esses casos que vc exemplifica ai, são casos de pseudo cientistas que se usam de suas crenças fantasiosas como fatos! e não verdadeiros cientistas que pesquisam por anos e colhem evidencias para tirar algum tipo de conclusão

  56. Blue says:

    Não entendo esses povos antigos, o que leva um sujeito em sã consciência a chegar a conclusão que destruir seu cérebro é a melhor forma de curar uma doença?

  57. Junior says:

    To lendo todos os textos do HBD linkados ali em cima e li esse ontem. 🙁

  58. Eurritimia says:

    E o Iphone está bem?

  59. Yuri says:

    A medicina sempre foi um tanto estranha.
    Mas atualmente as coisas melhoraram demais em relação ao conhecimento antigo.

    Com relação a costumes estranhos já foram usadas abelhas, sangue-sugas e até larvas. o_O”

    Relacionado às profissões é complicado esse lance, pois médicos, paramedicos, enfermeiros, bombeiros, cada um deles tem uma relação diferente na area da saúde, e na maior parte das vezes há rivalidades entre as areas.

    O mais engraçado é que ontem escrevi a respeito deste tipo de serviço. LOL

  60. Kuat says:

    Só porque você inssistiu tanto, gosto dos teus comentários e longos textos, o que me faz passar o tempo nas horas vagas, mas chato é entrar todo dia após quase uma semana e ver que não tem nenhum update.
    Parabéns.

  61. Eddie says:

    Kid….

    E a namorada ????

    Tá viva ????

  62. KuroNaya says:

    Bom,leio esse blog ja faz quase 1 ano,porem nunca comentei antes,e se comentei,esqueci.Porem eu nunca comentei porque simplesmente nunca tive nada para dizer!Isso nao significa que eu nao goste dos textos,muito pelo contrario!Apenas se eu tinha uma opinião,alguem ja tinha se expressado por mim,e eu realemente prefiro nao comentar a postar opiniões repetitivas.Mas nao se preocupe!A partir de hoje vou comentar,nem q seja pra dizer”LoL,gostei do texto!”.
    Por falar nisso,vc quase mato sua namo por causa do iphone?!Vai ser geek assim lá no ceará,heim?
    Ps:AGORA eu to curioso.quem sao as patricinhas intercambistas escrotas?

  63. Eduardo Bizarro says:

    Percebam que ele deliberadamente deixa de lado a parte do sexo selvagem que rola na chegada ao lar (ou talvez não aconteça mesmo), seria isso um indício que o convivio com a industria do bizarro e ilegal meio porno canadense estaria afetando sua visão da realidade?

    Abs forte.

  64. Caetano says:

    eu sempre disse que não acredito em nutricionismo e suas dietas doidas, afinal se ficarmos magros não vamos dar dinheiro para eles…

  65. Robson says:

    ctrl+c ctrl+v EXTREEEEEEEMO veio!! nem a dedicatória aos voyeurs foi retirada!!

  66. ripplemelo says:

    Quide, a sangria é utilizada até hoje! E existe sim “excesso de sangue”, pelo menos em certos casos:

    http://en.wikipedia.org/wiki/European_Medical_Leech#Today

  67. nuss says:

    Cara, tenho estomago fraco para esse tipo de coisas, essa foi uma das razoes para nao ter escolhido seguir uma carreira na area de saude.

  68. Piteco says:

    Nada como cultura inútil pra alegrar a terça-feira!

  69. @Jonas, Há milhares de testemunhos da eficácia da Auto-hemoterapia. Infelizmente ela não é aceita por que realizar os testes metodológicos científicos é caro de mais.

    Não tem nada de absurda e denunciarei este site no STF por calúnia e difamação. Caso não saibam o IP de vocês fica registrado e através dele é possível conseguir nome e endereço.

  70. gabrieldread says:

    Li e gostei: Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://migre.me/7w6A #gReader

  71. kidiabo says:

    Parabéns muito legal seu post , mas não tenho certeza, ainda acho q fazer meu irmão sangrar é uma boa técnica. kkk

  72. Edecildo says:

    É tudo verdade. Putz cara, tu escreve engraçado demais. Adoro!
    Só acrescento que apesar de tudo, A CIÊNCIA é o melhor método que temos para adquirir benefícios nessa vida.
    Estamos aqui usando-a sem fio, via-satélite, o escambau… sem perceber e E ESTAMOS ADORANDO.
    O mundo só tem tanta gente hoje graças às técnicas modernas agrícolas, e tals… e em algumas décadas seremos virtualmente imortais pela engenharia genética. Hoje já vivemos no mínimo 2x mais! Muitos de nós só estamos vivos hoje graças às vacinas, por exemplo.

    Mas o caminho é assim mesmo:Cheio de cai-e-levanta…É a raça aprendendo.

  73. eric says:

    @Marcelo Fetha
    Viaja não, filhão!

    @Kid
    Então, entre repostagem e silêncio eu fico meio em dúvida…

  74. eric says:

    “silêncio”, ok

  75. j says:

    o que eu penso desse blog?
    bem legal, por isso que eu sempre leio ele! hahahaha
    mas é, não costumo comentar porque tenho preguiça…

  76. Heiny says:

    comecei a ler hoje e to cascando o bico uhauhea continua ae

  77. AndreR says:

    o que eu penso? VSF!

  78. R says:

    Kid quebra a namorada mas não perde os gadgets ahauhauhauhauah
    Eu não suporto ver essas imagens de trepanação

    A maioria das vezes eu não comento por preguiça mesmo |:

  79. Colin Clark says:

    Fico imaginando se, daqui a uns dois séculos, a galera vai avacalhar dos métodos que os médicos aplicam atualmente! Já imaginou se descobrem que quimioterapia é falho? (Y)

  80. marcus says:

    AMIGO MUITO ENGRASSADO O TESTO CONITUNE ACIM PAÇA NO MEU BLOG E COMENTA TABÉM OK

  81. mooglez says:

    @marcelo_fetha

    Leia o FAQ.

    : )

    Sinta-se feliz e seja bem-vindo.
    O dono do site não mora no Brasil e ele não tem responsabilidade pelos comentários.

    *olha lá um avião.

  82. Nuno says:

    Este tipo de texto é o meu preferido. Você escreve bem e torna o assunto divertido.

    Mas, é impressionante que, depois de 23978 anos sendo blogueiro, você ainda é inseguro quanto a isso.

  83. Nuno says:

    @Marcelo Fetha: Você parece um religioso, sendo agressivo (e bobo -- denunciar ao STF?) assim, do nada. Se a homo, digo, hemo-terapia tem base científica e sucesso comprovado, todos estaremos felizes em aprender como melhorar nossa saúde.

    Sinta-se a vontade para nos iluminar.

  84. Nuno says:

    E, por fim, Kiddddd: você tuíta tanto, que não sei como primeiro não upou a foto da Bebba se contorcendo no chão antes de atendê-la.

  85. Alone_ says:

    Caralho. Lobotomia é uma das maiores insanidades que a medicina já criou, se não a maior :P.

  86. DaN-NiLo says:

    Esses lances de medicina medieval são bem sinistros mesmo, perde apenas para os aparelhos odontológicos desse mesmo período.

    Quanto ao lance da auto-hemoterapia, eu acho bem bizarro. Há um tempo atrás eu achava pura canastrice, entretanto, conheci um cara que tava de cama fudido com câncer e melhorou,só morreu posteriormente quando o tratamento foi paralizado. Se foi a força do pensamento que melhorou o cara por ele estar crendo que aquilo tava trazendo resultado pra ele eu não sei, só sei que a melhora foi visível, o que fode a coisa toda é o embasamento científico que inexiste…

  87. brunoruchiga says:

    ótimo, isso ae é loucura mesmo (só pra comentar e deixar o autor feliz)

  88. Xong Lee says:

    Muito bom!
    Kid, naquela série ROMA da HBO, em um determinado episódio do primeiro ano, mostram um guerreiro que teve afundamento de cranio sendo operado a sangue frio pelos ‘cirurgiões’. E como é HBO, eles realmente fizeram uma pesquisa legal e mostram o mais próximo possivel de como se passava na época, com instrumentos de bronze, etc. Vale a pena ver.. fora que a série é foda!
    Eu pessoalmentem tenho preconceito de médico. Acho-os todos arrogantes, nojentos, e se acham acima dos ‘leigos’. Só tomo remédio em ultíssimo caso! Pra mim a medicina ainda é muuuuito medieval! ¦-]

  89. Leandro says:

    ô Kid, sangria em seu outro sentido não é ruim. Cantina da Serra ta ai pra se mostrar como exemplo. :p

  90. Savio says:

    Post bacana, deu até pra imaginar você empurrando a Becca, no ar, em slow motion em direção ao criado-mudo. Seria cômico se não fosse trágico (mentira, é cômico mesmo, hahah!).

    Sobre a sangria (também chamada flebotomia), atualmente ela é uma opção de tratamento da hemocromatose (doença causada por acúmulo excessivo de ferro no organismo). Não sei se existe alguma outra utilidade para o método.

    Auto-hemotransfusão, pelo que sei, pode ser usada como método de reserva de sangue em cirurgias eletivas. Fora isso, só Deus sabe.

  91. Daniel says:

    Eu não tomo remédios!!!
    Até que não sou o único louco.
    Nunca tomei remédio pra dor de cabeça!

  92. Lena says:

    Muito bom o post, Kid. Já tinha ouvido falar da lobotomia e da sangria, mas da primeira não. Continue fazendo esses textos ótimos!

  93. Samuel says:

    Voyeur? Eu só tenho esse blog no reader pra saber qd tem foto nova da loirinha seminua! 😀

  94. Tymon says:

    Repost, denovo Kid?

    Also:

    “AMIGO MUITO ENGRASSADO O TESTO CONITUNE ACIM PAÇA NO MEU BLOG E COMENTA TABÉM OK”

    Esse manja do português.

  95. Bardes says:

    Iphone ou namorada? eis a questão…

  96. Sensacional o texto, Kid! Tu consegue mesclar muito bem humor negro com informações relevantes. Foda!

  97. Aíquis says:

    O importante é que os gadgets estão salvos!kkkkk,só o kid mesmo

  98. Reragon says:

    Daqui a um tempo vao falar

    “Mas que porcaria e essa de radiologia?”

  99. cccc says:

    Kid vai morrer de tanto comentário no cu desgraçado.

  100. Mingau_di_mixirica says:

    Eu também tenho a impressão que já vi isso por aqui, mas continua valendo, e muito
    aHUAhUAhuaH

  101. G.Viotti says:

    Salve Dr. Kid, tudo bem? acompanho via Google reader a pouco tempo (6 meses), mas meus irmãos mais novos tem uns 4 anos de HBD na veia… cheguei a postar no meu blog sobre o killdozer (ideiasabertas.wordpress.com) baseado no seu post. continue com os textos (longos mesmo) e o HBDTV. abs!

  102. TioJoao says:

    C podia ter explicado melhor pra galera leiga como funciona a lobotomia. É seccionado o lobo pré-frontal que regula basicamente o comportamento social da pessoa. O primeiro caso em humanos foi num pedreiro que teve essa regiao do cerébro lesada por uma pá que penetrou acima do olho dele.

    Usaram isso muito tempo em prisioneiros, o cara passava de agressivo e uma ameaça pra sociedade pra um estado “vegetal” socialmente falando.

  103. @foscarini says:

    Rapaz, sou um dos leitores calados, que só veem as atualizações via RSS.

    Curto suas histórias e acho que tu escreve bem pacarai.

    Sorte e sucesso.

  104. subs says:

    se eu mostrar isso pra minha avó ai que ela não vai mesmo no hospital mesmo, a veia tem uma parada de que deus e chá curam tudo, ate perna quebrada ¬¬

  105. Luciano says:

    PUTA MERDA!
    Adorei a forma como você descreveu os métodos de cura tão difundidos (e fodidos) da história.

  106. joão do caminhão says:

    Procurem o comentário do Tymon neste post do Kid: http://migre.me/7wbI Mais uma pessoa enganada, extra, extra

  107. MattSimonato says:

    Repost contextualizado isso?

  108. Pericolo says:

    Bem interessante o post! Eu já fiz semelhante com a minha namorada, mas como o espaço no qual o meu portátil estava encostado era grande, eu o empurrei pro lado, dessa forma ela caiu sentada numa área vazia. Sem ferimentos =P
    E sobre o texto, é pesquisando que encontramos práticas científicas cada vez mais bizarras. Isso sem falar naquele clássico gráfico da evolução científica humana:
    http://i126.photobucket.com/albums/p109/Arthur_Vandelay99/DarkAges.gif
    Dá-lhe idade Média!

  109. zan says:

    Hauhaua, muito bom esse post.
    Mas a figura mais interessante da medicina medieval pra mim é o Plague Doctor, com aquela máscara sinistra de pássaro.

  110. Zhandor says:

    pois as vezes eu prefiro um açougueiro desses a um dia de trabalho, já me ferrei uma vez por causa disso, fui pegar atestado indo pra a dentista e a miserável achou uma cárie em mim… foi triste, mas pelo menos ganhei 2 folgas no trampo!!! parabéns ai pelo texto garoto

  111. Leandro Travaglia says:

    Acho doido os escritos aqui… só pra constar… continue a escrever porra… e de preferência escreva em forma de HBTv…. hehehe.

  112. Marcelo says:

    Kid, só pq vc pediu com jeitinho, informo a vc que eu existo!

    E seu propósito sempre se faz presente (dou muita risada com cada post seu).

    []’s

  113. Grush says:

    Não contente em quase se matar ARRUMANDO a cama, quase fornica com a vida da moça induzindo-a ao pilão na cômoda.

    Eu não tomo remédios pra qualquer coisa e costumo duvidar da soberania desses médicos.

  114. Leandro says:

    Como sempre, um ótimo texto, Kid. Mais uma vez você está de parabéns, mas sentí um pouco sério demais… o que acontece? Falta de House tá te afetando no lado sarcástico? Bom, de qualquer forma, continue assim e melhorando sempre.

    Abraços.

    Leandro.

  115. Jose Henrique says:

    Quando li o texto lembrei que tinha visto um cartaz duma miniserie da BBC “Blood and guts, a History of surgery”, vou ver se acho em algum lugar para ver.
    “Ora, quem pode culpá-lo? O cara queria reduzir o comportamento agressivo do cachorro, e após a cirurgia tudo que o totó faz é deitar na frente da casa por horas a fio, sem se mexer, com os olhos fixos em posições diferentes. Tecnicamente falando, a experiência foi um sucesso.”
    huaheuaheuhaeuhaeuhae!

  116. Lana says:

    Quase deixou a patroa morrer por causa do Iphone, Kid! Espero que isso não tenha acontecido de novo desde 2008!

  117. erminio says:

    tem que ver isso ae

  118. Jota Pê says:

    Gostei do texto, Kid. (Y)

  119. Fabio says:

    Muito tempo atrás, tinha um video de uma Médica e pesquisadora que fez “Trepanação” em si mesma… ela resolveu testar já que sofria desse problema no cérebro…. detalhe que foi filmado inteiro o procedimento e tinha esse video no youtube….lembro que esse caso foi TOP 5 em auto-cirurgia

  120. Rafael says:

    Estou postando aqui só pq vc pediu 😛 haha

    Adoro os textos do blog e tenho que confessar que achei a tua história com a Becca mais interessante que o post em si xD

  121. Antonio says:

    A trepanação era comum desde a antiguidade, como no Egito, etc.
    Já a sangria era também bem popular no final do século 19, “Memórias de Um Sargento de Milícias” anyone?
    Hj usa-se algumas técnicas antigas como o uso de larvas pra comer tecido necrosado, q aparece no filme “Gladiador” qnd o escravo negro coloca-as no braço ferido do General Maximus q havia sido capturado como escravo.
    As sangue-sugas estão ganhando um papel importante na reimplantação de membros como dedos, evitando o coágulo, falta de circulação e posterior necrose e rejeição do implante.
    Com relação a lobotomia, hj ainda usa-se eletrochoque q se ñ me engano é uma derivação “ñ invasiva” da primeira, mas ainda assim muito controverso! A Neurologia ainda é uma ciência relativamente recente, com um conhecimento ainda limitado devido a complexidade do cérebro!
    Agora com relação aos Advil, Tylenol, da vida, tenho mais medo das indústrias farmacêuticas, além dos médicos de araque q se vendem pra vender o produto destas mesmo sem testes adequados. Algo bem comum nos EUA, afinal a FDA é mais vendida q putinha do centrão!

    @Pericolo

    Essa opinião de que a Idade Média “atrasou” o progresso ñ é propriamente aceita no meio científico. Durante a Idade Média q se construíram as grandes universidades européias. E comparando com os avanços e os problemas causados a ciência por “crenças” de “cientístas”, políticos e religiosos de eras anteriores e posteriores nota-se que sempre foi assim. Na idade antiga tinha muita coisa q atrapalhou o progresso por questões q iam muito além da religião como na IM. Na renascença ainda havia perseguição à novas idéias e quebrem com o Status Quo, assim como hj ainda há. Olha a quantidade de “crente” nesse mundo q ñ aceita a ciência, quer proibir pesquisa com células tronco e outros! Olha a quantidade de pessoas q ñ aceita q o impacto das atividades humanas acelerou e intensificou o processo de aquecimento global.
    E para comparação olha o “progresso” do Império Bizantino, Otomano e dos Árabes durante a Idade Média, eles conseguiram inicialmente se adiantar um pouco por causa da menor imposição clerical na ciência, mas logo em seguida(com o conhecimento da ciência das universidades medievais) a Europa DOMINA O MUNDO TODO! Com a Inglaterra chegando a dominar acho q um quinto da superfície terrestre por uns 2 séculos!

  122. L.G.B.Paiva says:

    Por que diabos o “medico” da primeira imagem usa um funil na cabeça?

    A parada da sanguessuga parece que tem algum fundo científico verdadeiro, só não sei qual é. Mas se você pensar que jogar larvas de mosca numa ferida evita infecção, então tá certo (as larvas se alimentam das bactérias que infeccionariam sua ferida).

    E agora vê se responde meus tweets das madrugadas em que eu pergunto coisas sobre o Nintendo DSi. Pare de me ignorar e me ajude a ser mais um proprietário desse destruidor de futuros.

    E por último, poe um gelinho na nuca da Bebba que fica sussa.

  123. Rudá says:

    Kid eu gosto dos seus posts pseudociêntifico, faz com que os interessados pelo assunto, vão atrás de informações sobre o assunto.

  124. Motta says:

    Lobotomia neles!

  125. izzynobre says:

    Pra quem ainda não viu: Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://bit.ly/1xstD (RT para a grandiosa vitória!)

  126. Beikom says:

    RT: @izzynobre: Pra quem ainda não viu: Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://bit.ly/1xstD (RT para a grandiosa vitória!)

  127. Raphaël says:

    OLD COPYPASTA IS OLD.

    Mas não, sério, como vai o sonho de ser paramédico?

  128. Vitor says:

    Muito bacana. Gosto de posts assim. Sai um pouco daquele assunto twitter e pro-bloggers. =)

  129. Felipeee says:

    To rindo alto aqui no trampo, kkkkkkkkkkkkkk.

  130. Tyara says:

    Kid, adoro seus texto. São ótimos e inteligentes. Sim, eu era leitora voyeur, sorry!

  131. Taina says:

    Por isso que digo: tu vai no médico para voltar pior do que estava.

    Don’t trust in docs!

  132. Dennis says:

    bom texto! só faltou falar da cirurgia de fimose e do exame de próstata, coisas muito mais assustadoras

  133. Casilhas says:

    RT @izzynobre Pra quem ainda não viu: Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://bit.ly/1xstD (RT para a grandiosa vitória!)

  134. Keroseni says:

    Cara, até mesmo hoje em dia eu acho que é depositada confiança em demasia aos médicos. Claro que a medicina evoluiu infinitamente desde a idade média, mas convenhamos, os médicos (especialmente aqui no Brasil) parece que têm o rei na barriga e se julgam deuses que não podem ser contestados. Porra, o fato de eu não ser médico não me impede de pesquisar algo na internet e questionar ao médico. Mas alguém já tentou fazer isso? Eu já ouvi “afinal, rapaz, quem é o médico aqui?” ao questionar um oftalmologista que estava me atendendo. Respondi a pergunta com outra: “afinal, doutor, quem está prestando um serviço aqui e quem vai pagar pela consulta: eu ou você?”. E claro, a vontade de mandar ele ir tomar no meio do cu foi forte.

  135. Naro says:

    Tinha um serial killer, não me lembro o nome agora, mas ele lobotomizava suas vítmas pra tentar estabelecer um controle total sobre ela, scary shit.

  136. Profundamente cultural, agora que tal falar das tecnicas medievais de tortura e os costumes relativos a mulher, como por exemplo, nada de orgasmos a mulher, senao ela nao pode ter filhos?! 😀

  137. KFZ says:

    Por isso medicina é ciência não Seita religiosa, métodos cientificos são sujeitos a erros e EVOLUEM conforme sua utilização apesar de que eu não gostaria de ser a cobaia mas alguém tem que ser, fazer o que? o show tem que continuar pessoas devem morrer pra outras sobreviverem.

  138. Colin Clark says:

    Quem quiser ler "Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras", do @izzynobre, eu recomendo: http://tinyurl.com/npfnzn

  139. […] Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras -- Eu ainda acho que, daqui a uns 500 anos (se os humanos ainda existirem), olharão para o passado e acharão nossa medicina bizarra […]

  140. Edy says:

    Quando trabalhava em um hospital, certa vez em um mes morrerão cerca de 4 pacientes quando a media, (no período em que trabalhei lá) era de uns 6 por ano, me lembro que na época, a enfermeira avia comentado que se tivesse problemas na estrutura óssea, morria em casa 🙂

  141. eric says:

    kid nao responde comentário de repost

  142. André Fernandes says:

    Poxa kid, denovo esse texto?

  143. Herbert Monteiro says:

    Conheci recentemente teu blog e olha, um dos melhores sem dúvida, parabéns e continue o ótimo trabalho!

  144. Digos says:

    Muito bom texto, muito boa pesquisa, mas…
    E o texto das patricinhas intercambistas kid?
    Serio… frequento o HBD faz uns 4 anos, sei lah, talvez mais, e voce falou que um dia iria escrever esse texto. Por favor… de pelo menos um parecer… diga que esqueceu a historia, pelo menos isso.

  145. Chicão says:

    Por que a reprise???
    Mas, enfim, o texto é espetacular, valia a pena ser lido de novo mesmo!
    Meu pai é médico, eu SEMPRE fico com um pé atrás quando eu espirro e ele fala “meu filho, acho que você tá precisando de um antibiótico, hein!”

  146. João says:

    Juro que na primeira foto achei que era o implante de cabelo!
    Muito bom o texto. Só conhecia a sangria, a mais sinistra das três…

  147. Agagê says:

    HAHAHA fazia tempo que u não via um texto tão interessante assim no HBD =D

  148. Luciano says:

    aaah, então isso que é lobotomia, sempre ouvi falar e nunca soube o que de fato era. interessante!

  149. Nuno says:

    Compre o roomba. Sem susto. Apenas verifique a localização da assistência técnica mais próxima. Caso dê algum problema (em geral dá nas rodinhas) você vai precisar remeter o bichinho por correio.

    Ah, sim: compre o original, recuse imitações.

  150. Jeff says:

    Bom post!
    Ainda hoje vemos algumas práticas bizarras como essas… tem cada charlatanisse, principalmente em trataemntos ditos (isso é moda) orientais: acunpuntura pra cá…. shiatsu pra lá e coisa vai…. só que hoje em dia o pessoal é mais esperto: percebeu que pode ganhar dinheiro com essas charlatanisses….
    Só achei que faltou um tratamento digno de nota: há não muito tempo atrás as mulheres que sofriam, digamos, de uma forte tpm eram tratadas com diversos “briquedinhos sexuais” pra alivar a tensão delas. Numa sociedade tão conservadora isso realmente era um paradoxo…. vai entender….

  151. Jeff says:

    Alias, só sai da moita dessa vez pelo pequeno “incentivo” no fim do texto…. 😉

  152. Acho que hoje em dia nós devemos confiar na medicina
    Na idade média realmente era difícil saber como funcionava o corpo humano de verdade,mas hoje,a bioquímica e a medicina chegaram a níveis absurdos de desenvolvimento,reduzindo os erros a quase zero.
    E mesmo assim,se alguem médico maluco descobre um remédio “milagroso”,ele não sai aplicando injeção em todo mundo a esmo.Primeiros são feitos testes em animais,depois em pessoas selecionadas que aceitaram servir de cobaia.
    Pode parecer mas não sou médico,não sou nada na verdade.Sou estudante e vou prestar vestibular para engenharia,mas sei reconhecer o poder da medicina

  153. werneck says:

    Nem conhecia essas tecnicas, só a lobotomia, que é o nome de uma música do GD (before the lobotomy) ai pesquesei para saber. e ainda sim, confiamos nesses seres que chamamos de “dotô”. aoshasoashsas

  154. Nick-kun342e says:

    amor do kid pelo iPhone > do que o amor do kid pela Becca

    pronto falei.^^

    posts republicados ftw

  155. Pabl[r]o says:

    Cara, MUITO medo dos médicos… Mas é bem assim, a gente não entende as coisas, e fica com medo. Ou então não entende, inventa uma caralhada de besteiras e sai testando nos outros, como nossos “dotôs” tem feito através da história. D=

  156. Biel says:

    Cara, Kid ruleia vlh!
    Melhores textos evah!

  157. Lurker says:

    Três palavras que usei hoje no laboratório (biologia molecular): polimerase; eletroforese; dideoxinucleotídio.

  158. Philippe says:

    Ae Kid. Tou aqui.

  159. 00:00 says:

    Kid = the spoon killer:
    ..and again, and again, and again, and again, and again, and again..

    mesmo assim, ótimo post..e se na idade média os médicos não tinham noção das lambanças que faziam, hoje em dia com tanta informação, facilidade e tecnologia, eles só apertam botões =/

  160. Anderson says:

    cario…num a atoa que a idade media e chamada idade das trevas…so tinha puto infelis e maniaco na quele tempo!

  161. Anderson says:

    abri a cabeça do maluco…e sem anestesia!!! vixe…nem comento…kkkkkkkkk

  162. Anderson says:

    National Geographic Channel e Discovery Channel a porra do caraio!! HBD sim,que e informação!!!

  163. Léo says:

    ahueuhae é cara.. hj as coisas tão mais complicadas para serem levadas a serio assim… não é mais tão simples como antes.. felizmente.. se não iamos ter cada loucura.. q dá até medo.. e certamente não teriamos essa confiança toda nos médicos.. mas imagina.. se não confiarmos em pessoas que estudam pra exatamente cuidar da gente.. vamos confiar em quem ? na receita da vovo ? uahehuae

  164. admilson says:

    não ia falar nada, mas como vc insistiu.

    vc não ta querendo instigar que deveremos parar de tomar remédios e confiar nos médicos, esta?

  165. victor ss says:

    booooaaa garoto!:)

  166. Tomas Ujo says:

    Blog foda, texto foda… Tu escreve pra carálho, sériamente….

    Só n entendi a parte onde tu faz um cálculo mental sobre o que vale mais: a tua linda mulher gringa, ou um celular. ae tu escolhe o celular.. isso é quase bizarro oO

    mas tá massa, são textos como esse q fazem desse um dos melhores blogs q eu já vi ^^

  167. Gabriel says:

    Massa o texto hein?

    Parabéns velho… blog massa. Gosto destes tipos de texto, mais do que os de jogos.

    manda ver.

    falou

  168. Guty says:

    texto tao bom quanto aquele famoso deck chuta bundas… haha

  169. Duduxm says:

    Muito bom o texto! Íncrível como técnicas antes tidas como revolucionárias são hoje tidas como absurdas.

  170. Lunneth says:

    Por isso que eu só tomo remédios em casos extremos, eu tomo um cataflan quando minha garganta tah mto inflamada, e um xarope pra tosse, mais que isso já assusta…

    E pensar que tem amiga minha saudável que na minha idade (20) já toma mais de 7 remédios td dia, só pra frescuras, tipo dor de cabeça, cansaço…

    Ateh meu professor de química, que eh cardiologista sabe, remédio soh em último caso, quando ele tem dor de barriga apela pra compressa com água quente.

    Flw negada

  171. Diogo says:

    AEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
    EU COMENTO NO HBDIA!!!

  172. Nailson says:

    Poisé Izzy! E pensar q já foi assim!

    quanto li gaiatisse quase rachei de rir! faz tempo q não ouço/leio isso! moro no Tocantins e aqui só tem maranhense e goiano.

    quanto ao noni aquilo era uma merda msm, aquilo tinha um gosto de vinagre. ainda bem q não entrei nakilo! e hj é proibido no Brasil!

  173. Ri demais com “os ultimos 5 digitos do perfil no orkut”.

  174. Júlio Sandes says:

    Bem,eu não sou bem um “voyeur”,já comentei aqui antes. Mas,erh…eu acompanho o blog a cerca de um ano e comentei…uma vez. Legal,eu acho.

    O post tá massa,Kid. Adoro esses seus posts com inúmeras referências históricas. E valeu por oferecer algum embasamento para minha antipatia a médicos.

  175. Tiago says:

    Nem sei o que comentar mas gostei de ler o post.
    A medicina enquanto poder para curar e tratar é algo sedutor. Viver de fazer isso pode não ser tão atrativo.
    Whatever

  176. Medrik says:

    Muito bom, idade média muito tensa

  177. Kinetick says:

    E quem disse que saímos da Idade Média? A diferença está no fato dos bárbaros de hoje usarem orkut e celular.

  178. Kvalo says:

    Cara, eu ia mais uma vez ler e não comentar (como faço sempre) …sempre leio os seus posts, seja em casa, na facul ou no meu estágio…porém somando o fato de com esse último post eu ter que fazer um esforço imenso para não me gastar de rir na frente do meu chefe (o qual tem a sua mesa posicionada de frente para a minha) e atendendo ao seu apelo pela manifestação de nós, leitores voyeurs, aqui vai o meu post “inspirador”…cara, teu blog é realmente engraçado…sempre dou boas risadas com o seu senso de humor, que em muito se parece com o meu..como eu já havia dito, sempre leio o seu blog e quando fico um tempo sem ler, por qualquer motivo que seja, sempre leio os posts que perdi..HUhuAuhAUHuhuh…enfim é isso cara, parabéns pelo seu blog e sucesso aí no Canadá..abraço!

  179. neryuuk says:

    HBD Best Stories, Golden Collection.

    Mas ainda sim, um ótimo texto =D

  180. Ri alto da parte “…seu franzino corpinho gringo acertou a cômoda em cheio.”
    Quanto ao texto, ele esta bem legal, e realmente faz pensar se o que e´ cientificamente correto para a ciencia hoje continuara o sendo depois de alguns anos (se pensarmos na pratica da lobotomia, que persistiu ate´ no sec. XX, ou ainda o eletrochoque, que continua em alguns locais).
    Talves eu esteja viajando demais, mas, seu texto me fez pensar/lembrar das experiencias medicas nazistas, onde os medicos faziam experimentos em prisioneiros de guerra e judeus presos em campos de concentraçao, hora bizarros (ex: juntar dois gemeos cirurgicamente para tentar criar um gemeo siames artificial) , hora crueis (experimentos sobre hipotermia, onde deixavam os presos imersos em agua no inverno e calculavam o tempo que estes aguentavam e os sintomas).

  181. luiz th says:

    Eu tenho certeza de já ter lido isso antes, mais especificamente em 7 de Abril de 2008…

    Isso significa que você já quase quebrou o pescoço da tua noiva duas vezes? Estou chocado…
    [2]

  182. luiz th says:

    [2]
    Eu tenho certeza de já ter lido isso antes, mais especificamente em 7 de Abril de 2008…

    Isso significa que você já quase quebrou o pescoço da tua noiva duas vezes? Estou chocado…
    [2]

  183. Hugo says:

    Interessante, quase matar sua esposa pra nao quebrar o iPhone.

  184. Eduardo says:

    é um belo texto,sem dúvidas.ainda dá uma agonia de imaginar a Becca batendo de pescoço na cômoda…

  185. Niptuck says:

    Esse post me lembrou dos primeiros episódios de Roma.

  186. BRuno Lopes says:

    cara, muito bom o texto!! Sei que posso ser considerado um desses “voyeurs”, mas queria que soubesse que acho interessante o modo como você relata as comédias (que pelo jeito não são poucas) que acontecem contigo… Também sou um desses caras que funcionam melhor a noite (também trabalho a noite. Diz onde? num terminal de ônibus aqui em Fortaleza[no seu tempo já tinha neh?] ai imagina aew o tanto de putaria que acontece) e acho que tô pegando “inspiração” nesse seu “hobbie” de escrever (se é que posso chamar assim).
    Parabéns!

  187. Top 3 Práticas Medicinais Medievais Assustadoras http://j.mp/dQ6Ij

  188. leilinha says:

    TE ODEIO,FDP

  189. Tenho lido textos aleatório do seu blog há um tempo já, agora começarei a acompanhar ele sempre. Parabéns pelos textos (esse inclusive, muito informativo para que eu não abra a cabeça de minha namorada se algum dia ela lesionar uma costela), ganhou um leitor (e um seguidor no twitter).

  190. Bruno_Silent says:

    sou um dos stalkers que te perseguem nesse blog 😆

    falando sério, fiz a mesma merda com a minha namorada diferença que foi pra salvar o DS

  191. marcosr. says:

    A Becca é infeliz.

  192. Materia bem loca, dale paciencia para pesquisar, e qnto ao leitores voyeur eu to postando ai e manda brasa(To confiando q meu email naum sera publicado).

  193. Pedro Lanza says:

    legal izzy, texto muito bem elborado

  194. Márcio says:

    Só atendendo ao parênteses:
    Você escreve bem, rapaz. O conteúdo interessante somente soma-se ao prazer de lê-lo.
    É verdade que, ao ver o tamanho do texto, fui deixando o momento da leitura para uma hora em que eu tivesse mais tempo disponível (ou menos coisas pra fazer). Mas invariavelmente volto aqui e leio.

  195. Dread says:

    Não sabia exatamente o que era Lobotomia, e achei interessante. (6)

    Ótimo texto rapaz. =D

  196. Micox says:

    “Eu quero saber o que esses 80% de visitantes silenciosos pensam a respeito deste site”
    Poxa, mas você fala que “Não vou ler esses XX comentários”

    hahhehee

  197. Carol says:

    Muito legal o post, parabéns =D

  198. CCCC says:

    cccc vai morrer de tanto plágio no cu.
    Kid viado vai fazer uma trepanação no meio do cu.

  199. Top 3 medicinas medievais assustadoras: http://bit.ly/o45Kv

  200. Buddles says:

    Sensacional o post cara, adoro essas curiosidades!

  201. Tayná says:

    Desses aí eu só não conhecia a Sangria. Mas também, o povo naquela época era tinha tanto tempo livre, que não acho estranho alguém pensar em uma coisa (muito bizarra), e todo mundo pagar pau.

    A trepanação é tão famosa, que tem até um mangá (excelente) sobre o assunto.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Homunculus_(mang%C3%A1)

  202. Jorge ferrera says:

    Você precisa de motivação?

    Precisa é de mais trabalho porque pelo que pude perceber tá com muito tempo livre.

    Abraço.

  203. Renata says:

    Adorei! hahaha

  204. Trepanação, sangria e lobotomia…. http://bit.ly/4tklE | a medicina como ela é! Hardcore!

  205. Pedro says:

    Ser Médico agora não tem tanto glamour quanto antigamente…

  206. Godoy says:

    Opa, leitor voyeur na área.
    Sorry quide, eu adoro seus textos, mas nunca venho aqui deixar opinião porque, honestamente, não tenho nada interessante para dizer.
    Só passei aqui agora para atender ao seu apelo.

    Abraço, obrigado por me divertir com teus textos.

  207. Alexandre says:

    Esse foi o post mais engracado que ja li aqui…

  208. Taigoara says:

    Olha só, Israel… muito legal o seu texto.

    Concordo plenamente que daqui algum tempo (pouco, no caso), a comunidade científica vai se horrizar diante dos “absurdos” que fazemos hoje em dia, montados em todo o nosso “conhecimento científico”.

    E é muito louvável que você tenha a capacidade de reconhecer isso.

    Agora me diz… essa regra também se aplica a outros ramos da ciência?

    Seria um ótimo início para um debate filosófico do tipo Criacionistas x Deusnãoexisteeaciênciaéaleisupremistas, hehe… mas eu tenho aula agora.

    Fica pra próxima.

    Abraços.

    Eu sou um leitor voyeur, by the way.

  209. Alisson says:

    po kid, mto bom o texto…
    mas eu ainda prefiro acreditar nos medicos… se eu vou morrer, prefiro tentar ate o fim… huahuahuahuahuaahu…
    alguém tem q acertar uma hora ne?
    XD

  210. Oto says:

    Caraca. Impressionei. PArabéns pelo trabalho.

  211. Luan says:

    Eu tenho uma leve impressão que ainda existem pessoas que entre um fim de semana e outro resolvem por em prática esse tipo de medicina .-.

  212. Minhocoloco says:

    Pronto, ta ai o meu coment’s, sai do anonimato, acompanho o site a mais de 1 ano quase todos os dias, ta ai um pouco dos seus 80% de leitores silenciosos, abraço e continue atualizando a bagaça.

  213. Zaboobs says:

    Daki a 200 anos vai ter um MindBlog falando sobre as técnicas brutais que eram aceitas como tratamentos cirúrgicos no século 21…

  214. Ramon says:

    207º merda já fui melhor nisso!

  215. Julia says:

    eu nunca confiei em médicos mesmo……….

  216. Henrique says:

    Cara, eu acho q nos depositamos confiança demais nos medicos, mas tendo em vista q sao esses caras q podem salvar as nossas vidas, mesmo fodendo tudo as vezes, eles merecem o reconhecimento q tem.

  217. fabio says:

    … e ainda hoje é a mesma coisa, certamente. no futuro, se a humanidade sobreviver, dirão o mesmo do q fazemos hj

  218. carla reis says:

    meu caro amigo….apenas gostaria de salientar o incrível trabalho desenvolvido pelo Egas Moniz_ e que de resto sendimentou a esoclha do prêmio nobel em 49_ que foi a angiografia arterial.não querendofazer apologia à técnica desenvolvida(lobotomia)..resta-me apenas salientar que este grande médico também realizou trabalhos bastante interessantes e impulsionadores na medicina do séc XX e não devemos julgá-lo apenas por um lado das suas investigações.gups

  219. Henrique says:

    Kid,
    Muito bom seu texto. Muito interessante o assunto.

    Valeu!

  220. ddlima says:

    Também fiquei com sensação de déjà vu…
    não sei se foi repost, não li todos os comentários, só os 6 ou 8 primeiros…
    Não deixa de ser legal!!
    Até!

  221. Mr Smile says:

    Me lembro da vez que eu levei um golpe no olho, fui em um hospital(emergência do público ), 1 médico e um monte de enfermeira e enfermeiro ficaram examinando meu olho como se eu fosse uma chance única na vida, queriam fazer uma cirugia, falaram que eu ia ficar cego com um coagulo no olho e descolamento da retina ( não entendi nada mas já tava pronto pra quebrar o proximo que abrisse meu olho machucado pra não fazer nada ).

    Bom, para me deixar mais nervoso minha mãe não acreditou no que o médico do hospital público disse, resolveu comprar 2 colírios e botar um bífe gelado do meu olho … ta tudo certo.

    Resolvido na roceiragem , mas queria ver se ela ia fazer isso se fosse o olho dela.

  222. camilo says:

    auahuahauah essas tecnicas são ” fichinha”
    perto das de eletro-choque , mutilações desnecessarias , transplantes de kbça ..
    etc etc …. felizmente hoje a medicina esta bem evoluida ( ou não )

  223. camilo says:

    eu sempre quis ser medico cirurgião 😀

  224. camilo says:

    eh eu vih cedilha … mas agora jah foi ¬¬’

  225. Jordy says:

    a humanidade está perdida

  226. jao says:

    cara aposto q esse mano tentou todos esses metodos com sua namorada

  227. Martha Amorim says:

    Meu filho foi indicado p/ a cirurgia de Lobotomaia tenho muitas duvidas estou sem chão.

  228. @kaduvrp says:

    Texto fodaço hahaha

  229. Laura says:

    Adoro esse tipo de postagem, faça mais delas!

  230. PR says:

    Post bom pra cacete o/!

    Mas deixa ver se eu entendi: você quase matou a sua namorada pra salvar o seu celular? o_o’

    foda! xD

  231. Romualdo says:

    Irado!Saber que a comunidade cientifica também faz merda, esse exemplo da lobotomia é irrefutável.

  232. Kine says:

    “You can fool some of the people all the time, and all of the people some of the time, but you cannot fool all of the people all the time.”

    Em pleno século XXI, digo em alto e bom som: NÃO CONFIEM NOS MÉDICOS, period.

    Procurem dois livros importantes a respeito do tema: ‘Fire Your Doctor’ e ‘Doctor Yourself’ do mesmo autor.

    O que as pessoas precisam entender é que médicos dependem da existência de gente doente. Não tem nada a ver com conspiração isso, embora pareça. Da próxima vez que forem ao médico, façam a lição de casa: pesquisem sobre o que estão sentindo, passando, etc. “Ah, mas o médico disse…” Foda-se o que médico disse. Não tô dizendo pra desligar a lógica e sair em busca de curas espirituais, mas acho que as pessoas deveriam parar de depositar tanta confiança (cega) nessa classe.

    Se informem, usem o Google. É um puta aliado em busca de opiniões divergentes sobre um mesmo tema. Tirem suas próprias conclusões e não se sintam pressionados a fazer o quê o ‘dotô’ falou.

    Enfim, fui meio redundante, mas a mensagem tá passada.

    • Vini says:

      Realmente, nao devemos confiar em pessoas que estudaram anos pra exercer tal profissão, devemos googlear e buscar a opinião de desconhecidos.

  233. Chirimpola says:

    Putz até deu uma saudade da minha primeira trepanação!!!

  234. Vini says:

    o que eu penso do seu saite?

  235. Eu acho que esses 80% que não comentam, e daqueles que voltam gostam do teu texto e das coisas que tu aborda, como é o meu caso. Nem sempre tenho saco pra querer comentar uma postagem, mas quando eu gosto, volto sempre. Mantenha o conteúdo Izzy, e tu terás sempre leitores fiéis como eu. De um post X até hoje eu li todos, quando arranjar mais tempo livre, vou buscar o primeiro post e ir lendo. Obrigado, tu serve de inspiração pra minha pessoa.

  236. Yuri Vidal says:

    Gostei da expressão Leitor Voyeur’
    EOIHEOIEHEH

    Já tinha falado com você uma vez no Twitter, mas foi coisa rápida’
    Gosto muito do seu blog (Pouco clichê essa fraze)
    E, admito que você despertou em mim a tal vontade de morar no canadá’
    E, pra finalizar, porque eu to com sono e preciso dormir, peguei seu msn (Se é que ainda é o seu msn) no post sobre a trollada do Felipe Neto e te adicionei’

  237. gabriel says:

    cara, nessa primeira tecnica ai fiquei imaginando nego andando na rua com o cerebro exposto, ao melhor estilo zumbi!

  238. Théo says:

    acho massa esses seus textos relacionados a medicina! ficou um pouco longo (na minha opiniao). o melhor ainda é o das profissoes mais esquisitas!

  239. maria says:

    que coolllllllllllll

  240. @axsx says:

    Velho, esse post sobre as “maravilhas da medicina” e ESPECIALMENTE o último (sobre lobotomia) me fez lembrar que vira e mexe essas merdas cientificas VOLTAM com outros nomes ou de formas mais rebuscadas.
    Sobre a lobotomia, recentemente (acho que os estudos começaram aqui no Brasil, no HC) médicos estão eufóricos com um novo tratamento para TOC e Trourret que utiliza de rais gama ultra-focalizados em uma determinada região cerebral e voilà! EXTRIPA ESSA REGIÃO SEM A NECESSIDADE DE CORTE.
    Ou seja: É A LOBOTOMIA DO SÉCULO XXI!
    Sem contar que teorias também voltam. Por exemplo tecnicas que mostravam como um individuo era DETERMINADO a fazer tais coisas por alguns sinais do corpo (leiam sobre CRANIOMETRIA) hoje falamos as mesmas coisas mas usando GENES (veja PROJETO GENOMA). Antes os cientistas sabiam quem era criminoso por anomalias osseas no crâneo, hoje pelo genes.
    Não é atoa que vira-e-mexe nas revistas “superinteressantes” da vida sempre sai uma reportagem sobre o “gene da homossexualidade”.
    EXCELENTE TÓPICO. Meus parabéns!

  241. Tiago says:

    Otimo Post… mesmo 2 anos ainda muito bom de ler.

  242. Felipe says:

    Muito bom o ‘artigo’
    boas fontes de pesquisa, e com muito humor

    Abraco

  243. Luis Renato says:

    Então, eu te sigo a um tempinho no twitter e esse é o primeiro texto do blog que eu leio. A minha opinião é que ele é muito bem escrito, apesar de longo não é cansativo, e fácil de ler, parabéns, de verdade

  244. Anny says:

    A história da lobotomia é a mais macabra e mais recente, ainda por cima. Sugiro dar uma olhada no caso da Rosemary Kennedy. Se não me engano ela tinha “problemas de comportamento” e foi sujeitada à isso e depois enfiada em um asilo às escondidas, porque o negócio além de corrigir o problema de comportamento dela, “corrigiu” também todas as funções normais do cérebro, deixando ela quase em estado vegetativo. Também tem a história de uma mulher que passou por um troço parecido nos dias atuais, só que ao invés do lóbulo, ela perdeu outro pedaço do cérebro por causa de uma infecção, e perdeu a capacidade de sentir medo. Felizmente isso era uma coisa que os médicos tinham testado só em ratos e chegado a conclusão de que tirando aquele pedaço, a criatura perdia completamente a noção de medo, e essa mulher confirmou isso. Mas isso bem que daria para uma das histórias medonhas da medicina na idade média. Imagina se os médicos tivessem descoberto isso uns séculos atrás? Um exército de “pessoas sem medo” viria a calhar nas guerras mundiais |:

  245. leumas says:

    Eu não tenho namorada……… : (

  246. Manoel says:

    Cara seus textos são incríveis,realmente muito bons! Adoro ler-los pois eles prendem a minha atenção de uma forma engraçada e séria ao mesmo tempo:é um paradigma de idéias eu diria. Parabéns e continue com seu ótimo trabalho!

    ps:Se não fosse o seu comentário eu não teria comentado haha

  247. allyson carlos carvalho says:

    cara , fala comigo, esse seu jeito de escrever é muito bem pensado né? não me diz que é tudo de veneta, sai tudo na hora, porque não tem como, é tudo muito inteligente, sarcástico, e cômico ao mesmo tempo, ou você tem ajuda, ou googlismo mesmo, ou é loucura da sua cachola que te ajuda a transparecer seriedade e sátira cômica ao mesmo tempo.

  248. Brito says:

    Tem um projeto de crítica à indústria farmacêutica aí que ia ser legal vocÊ explicar, cara…

  249. Thiago tt says:

    Muito bom kid, tenho 16 anos e não sou muito fã de leitura, porém meu intelecto vem se desenvolvendo à algum tempo graças ao seu trampo. Mesmo sem comentar frequentemente, e a forma cômica que aborda temas bizarros, chama-me a atenção e em vosso humilde site as vezes aprendo coisas que jamais iria pesquisar a respeito, mesmo sabendo da existência, e acabo descobrindo que o assunto pode ser interessante.

    Quanto à industria Farmacêutica, e tocando em um assunto que ta bem na moda hoje em dia, você poderia fazer um post sobre a Maconha. Não sei as atuais condições legais aí, mas se não me engano era legalizada à um tempo atrás, e aqui no nosso Brasil, vem sido discutido bastante ultimamente. Sugiro que caso nunca tenha visto, assista ao documentário: The Union: The Business Behind Getting High, de 2007, tem disponível no Youtube. Ele fala inclusive que a indústria farmacêutica vem usando substâncias imitando as da Maconha em remédios famosos, e que a mesma só não é legalizada pois tem grandes benefícios e que eles não querem legalizar uma erva que você pode plantar em casa, e não gastar seu dinheiro suado enchendo o cofre deles.

  250. Monique says:

    Sou hipocondriaca e confio nos medicos.
    Vou morrer com 30 anos, beijos.

  251. Lincoln says:

    Pow, tem um episódio do Dr. House em q furam a cabeça do cara, tbm…

    e tbm, nos livros da saga Guerra dos Tronos, em que se passa na era medieval, é comum as pessoas “sangrarem” pessoas em estado epilético ou doentio; isto é, aplicarem sangue-sugas nos pobres coitados, como que para melhorar o quadro.

    Ainda bem que a ciência só evolui, e cada vez mais temos mais e mais segurança nessa parada. Até tem, agora um cilindrozinho pra exame de próstata! Fora o dedo do médico! \o/ tbm tão vendo sobre exame de próstata à lazer…

  252. Fabric_ says:

    hahaha, adorei o texto izzy, ainda vou ter esse talento pra escrever um dia \o