Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

AH CARALHO, quero chegar logo no Brasil

Postado em 15 November 2009 Escrito por Izzy Nobre 66 Comentários

Meus caros amigos e inimigos, como os senhores sabem eu estou retornando triunfalmente à pátria amada idolatrada salve salve entre outras mil é tu Brasil, em virtude do casamento de minha querida prima Talita – que sempre foi uma das minhas mais próximas.

(Also ela tem um PHD em física – seguindo os passos da mãe, doutora na mesma ciência -, portanto respeitem e invejem o garbo e sofisticação acadêmica da minha família)

Por ter morado longe da terrinha por tantos anos (6 anos no Canadá, 3 no Paraná, 3 no Maranhão), acabei perdendo todos os importantes eventos familiares – aniversários, casamentos, formaturas, etc. Aquela sensação de distanciamento, por mais desligado da família e das suas raízes que você seja, acaba te afetando eventualmente.

E por mais que eu tenha vivido essa distância da família por boa parte dos meus anos formativos (e toda a minha vida adulta, na real), você nunca se acostuma totalmente com isso. Sempre que alguém fala que foi visitar a avó ou que estava passeando com o primo, bate aquela fortíssima inveja.

Quando a Talita me falou que estaria se casando em janeiro, pensei “Puta merda, que timing horrível – fica muito em cima da hora fazer outra viagem dessa em menos de um ano“. Eu só me fodo mesmo!

Pra quem não lembra do contexto, eu fui ao Brasil em março, duas semanas após perder meu emprego, e apenas porque tudo já estava pago mesmo (cartão de crédito é pra perdedores, o quanto mais rápido você aprender isso, melhor sua vida será). Meu futuro financeiro estava em dúvida naquela época, e definitivamente não havia como se comprometer a um retorno tão breve. Pra ilustrar a situação, uma passagem de ida e volta ao Brasil, partindo da minha cidade, custa mais ou menos 1800 dólares.

Haja vontade de rever a terrinha.

Mas isso seria lógico demais pra familiares que estavam felizes em se rever após meia década. Apesar de saber perfeitamente que provavelmente não teria os fundos pra retornar tão cedo assim (afinal, eu havia perdido o emprego, e estava disposto a finalmente retornar aos estudos, o que complica mais ainda), prometi a todos que estaria de volta em janeiro pro casamento da minha prima. “Daqui pra lá eu dou um jeito”, eu tentava me convencer.

Minha mulher, não captando minha “mentira”, empolgou-se e reiterava pra minha família (com o adorável português torto dela) que voltaríamos sem dúvida. E eles começavam a fazer planos – alugar uma casa de praia, leva-la a um forró* qualquer, etc.

Meses depois do nosso retorno ao Canadá – quando fui sortudo o bastante pra arrumar um emprego que não apenas pagava o mesmo que eu fazia antes no tribunal, mas que é também mais divertido -, comecei a verificar minhas finanças e repensar na promessa feita aos parentes.

E quando vi que a situação tava tranquila – faculdade sob controle, contas em dia, a poupança continua crescendo todo mês (eis minha segunda dica de orçamento – trate sua poupança como prioridade financeira máxima), pensei “por que não ir ao Brasil em janeiro, como prometi?”.

Expus a idéia pra noiva. Ao invés de pular de felicidade, ela se entristeceu.

Há algum tempo, minha patroa perdeu o emprego. A tal da crise parece ter finalmente chegado ao Canadá, porque a mulher demorou quase um mês pra achar outra função. Quando ela finalmente descolou posição de gerente de uma grife chique do shopping próximo, a grana dela já tava pelas últimas, e algumas outras despesas tomavam precedência.

E por isso, não daria pra ela me acompanhar dessa vez.

Ela se empolgou por saber que eu poderia cumprir a promessa feita meses antes pra família, mas dava pra notar que ela estava triste por não poder ir comigo.

Fiz um cálculo mental rápido e pensei “foda-se”. Tirei uma grana da poupança e comprei as duas passagens. Esta é a minha terceira filosofia financeira, aliás – cuidar da sua grana tem prioridade alta, mas nunca se esqueça que a gente só vive uma vez.

Da última vez que viemos ao Brasil, as forças misteriosas do destino substituiram nossas passagens por passagens de primeira classe. Os mimos de um vôo internacional de primeira classe são algo que tornam a sua viagem infinitamente mais prazerosa – e curta. Graças ao assento automático que vira uma cama, consegui dormir por 10 das 15 horas de vôo.

Não será o caso desta vez. Como todo bom plebeu, teremos que esperar os ricos embarcarem primeiro, e então seguir às nossas cadeiras microscópicas. A comida não é das melhores, as atendentes te tratam com muito menos sorrisos ou interesse, e as instalações sanitárias são consideravelmente menores e menos elegantes. A sua comida não é escolhida de um menu francês chique, e não há uma bolsinha com desodorante/pasta de dente/toalhinhas higiênicas/outras necessidades embaixo do seu assento.

Tentar dormir num assento econômico de vôo internacional de quinze horas é quase enlouquecedor – aquele momento em que você tira os sapatos é o último conforto que você terá em toda a viagem.

Pra começar, a poltrona só reclina metade de um grau. Humanos são experts em adaptação, mas dormir sentado é algo que nem os melhores entre nós conseguem fazer de forma satisfatória.

Aí começa a dança – na fútil tentativa de atingir uma posição mais agradável, você dobra os joelhos e põe os pés na cadeira, próximos ao peito. Achando por um segundo que essa postura é melhor que a anterior, você suspira, se vira pro lado direito, e fecha os olhos (ao mesmo tempo que tenta distribuir aquele cobertor de 20cm quadrados de forma que todo o seu corpo esteja protegido do frio).

O alívio dura aproximadamente seis segundos. Já com raiva, você tenta virar pro outro lado, como se essa simples manobra fizesse o assento aumentar 10cm magicamente.

Repita o procedimento umas 8 mil vezes e você terá uma idéia do que é viajar internacionalmente na classe econômica.

Foda-se. Ao menos verei minha família novamente.

* Meta o seu elitismo musical bem no meio do olho do seu cu. Forró faz parte da nossa identidade cultural, quer você more no Acre ou no Rio Grande do Sul. Não vou levar a mulher ao Brasil apenas pra leva-la em boates de playboy pra ficar ouvindo Chris Brown, Akon, Lady GaGa e outras coisas que ela já ouve por aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Vida maldita

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

66 Comentários \o/

  1. Ryan Matsua says:

    Hell yes, post novo na hora que eu acordo 8D

    gogo kid!

  2. Ryan Matsua says:

    By the way, tá certíssimo. Gastar mais pra ir com a gringa > ir só.

  3. Bacones says:

    Faça essa viagem com uma caixa de um monitor de 22″ no espaço que ficaria sua perna.
    Fiquei sem andar por um tempo depois daquilo.

  4. alkhs says:

    Quinto o/.
    Que o avião exploda e só a tua noiva sobreviva 😀

  5. Catabroc says:

    Não sei como é no Canada, mas com Cartão de Crédito você pode voar de graça, uo ganhar upgrade de graça.

    O problema são os que não sabem controlar os gastos do cartão e gastam mais do que ganham, sabendo usar, é um grande aliado.

    Kid, traz muamba para mim?

  6. Flavius Júnior says:

    Não tem nada como a pátria!!!

  7. luke says:

    Fala Kid
    Acompanho seu blog faz um tempo e acho mto 10!
    Meu, viagens longas assim são MUITO desconfortáveis. Só fiz uma em toda minha vida. Valeu pelo passeio, mas a parte do avião… putz!
    Sobre o forró, bem, acho q devo então tomar naquele lugar q vc falou. Não curto forró. Mas veja, não sou daqueles babacas que pregam contra o forró, eu só não curto e fico na minha, sorte de quem curte pq esses são mais felizes q eu =/
    Boa viagem!
    Abç

  8. Heron says:

    Ah caralho, um forrozin é bom demais. Não só pela dança e as possibilidades que ela trás, mas musicalmente também é bastante interessante.

    Temos grandes músicos por aqui. Não vou citar o nome dos tremendões (Luiz Gonzaga, Sivuca, Dominguinhos, etc), que todos devem conhecer, mas peço que procurem umas MP3 dum cabra chamado Flávio José. A música desse cara deixa qualquer um com um largo sorriso na cara.

  9. Sly says:

    Você fala que o forró é identidade cultural e blá blá blá porque não vive no Brasil e não tem que ouvir constantemente pérolas de bandas como “Forró do Miúdo” ao dizer “Nosso amor é uma torre de babel, era bom mas miou”

  10. Z3hr0_C00l says:

    Elitismo musical não inclui Chris Brown, Akon, Lady GaGa e minha identidade cultural com forró muito menos!

    Muito desprezivel a noite em Fortaleza, so rola forró nessa carniça.

  11. Kirano says:

    Viagens longas são realmente um saco. Principalmente se voce não for acompanhado de pessoas conhecidas ao seu lado, e der a “sorte” de pegar um cara chato pra viajar contigo, mas enfim, o pós sempre compensa a parte do avião.
    E tenho quase todas as suas filosofias financeiras. Principalmente a de se viver apenas uma vez, o foda-se de vez em qd é a melhor coisa a se fazer.
    Agora quanto ao forró, não vou tomar no lugar pq por mais que eu não goste, acho valido alguem que vem de fora, principalmente se for pro nordeste, ir para algo mais “brasileiro”. Baladinhas regadas a musica eletronica tem em qualquer lugar, um forro de raiz só aqui ( e segundo moradores nordestinos, só no nordeste).

    Boa viagem.

  12. Hodes says:

    ‘Você fala que o forró é identidade cultural e blá blá blá porque não vive no Brasil e não tem que ouvir constantemente pérolas de bandas como “Forró do Miúdo” ao dizer “Nosso amor é uma torre de babel, era bom mas miou”’

    ~rimuito

  13. Hodes says:

    Isso sem falar nas versões de Michael Jackson que tão surgindo agora, uma pior que a outra.

  14. Lucas says:

    PhD em física? Família nerd do caralho

  15. Nuno says:

    Abra uma contano Pagseguro (o PayPal daqui) e peça doações, para a viagem (ou para qualquer outra coisa). Uns 200 você arruma.

  16. LHDias says:

    Vai pra que estados dessa vez? Vai ficar por muito tempo???

    Já desejo a vcs uma boa e tranqüila viagem… Quem sabe o destino não dá um upgrade nas passagens de novo???

    []´s

  17. Sergio Sanchez says:

    Gostei!

  18. Já tinha lido mais cedo nos feeds, mas: RT @izzynobre: HBD atualizadim http://bit.ly/Xhp8X

  19. Eduardo says:

    um forrozinho tem seu valor, leve ela sim, Kid.

  20. asdfasdf says:

    “Humanos são experts em adaptação, mas dormir sentado é algo que nem os melhores entre nós conseguem fazer de forma satisfatória.”

    Lies, viagem de 12 horas eu geralmente durmo 8 ou 9. E sem remédios e etc. Deve ser a companhia, sempre viajo de British Airways

  21. Klinger says:

    “* Meta o seu elitismo musical bem no meio do olho do seu cu.”

    uhahuaua hauauhauhahuau ahauhahuauhuah
    Perfeita essa afirmação !!!
    Mas kid, na boa eu evitaria de leva-la ao forró, não por elitismo e essas merdas do tipo e sim que as musicas grudam na cabeça dos estrangeiro de uma forma extremamente irritante. Boa sorte na viagem !!!

  22. CCCC (discípulo) says:

    Kid viado, vai morrer de tanta passagem para o Brasil no cu.

  23. Colin Clark says:

    Hahaha, família nerd do caralho foi foda, sorte a de vocês! 😛

  24. Emilia says:

    Sly não tem razão. Moro no Brasil, sou cearense, gosto de forró (pra dançar) mas não ouço não.
    Ninguém é obrigado a ouvir música ruim, a não ser que se predisponha a ir a um lugar com música ruim. Eu ouço o que eu quero.

  25. CCCC (discípulo3) says:

    Kid viado, vai morrer de tanta comida barata da classe economica no cu

  26. Sonic Y. says:

    se for passar no Rio te pago 2L de guarana antartica e um saco de 7 belo

  27. Ramos says:

    Kukukaia é o canal (o lugar melhor) de forró pé-de-serra, o verdadeiro forró.

    Tira uma dúvida: existe TPM nas mulheres canadenses?

  28. Gaúcho! says:

    Certamente o forró não faz parte do folclore do Rio Grande…

  29. Kid says:

    @Gaúcho

    Você não é apenas gaúcho -- você é antes disso brasileiro.

    • Éberson says:

      Questão de ponto de vista. Isto faz parte da identidade nacional, não quer dizer que faça parte da de todos, afinal, é uma pais grande demais.

  30. Carol says:

    Kid,

    O dinheiro de vocês dois é separado? Cada um paga suas contas e pronto?

    Só pergunto porque como vocês são casados (não interessa se não tem um papel dizendo isso), achei que a grana era do casal.

    E leva a Becca nas Tapioqueiras dessa vez.

  31. Fivio says:

    Viajei do maranhao ate o rio de janeiro de onibus. 76 horas.

    Ganhei.

  32. bertim says:

    Realmente é uma pena que vc não possa vir ao Maranhão =/

  33. ripplemelo says:

    Pior é viajar 15h com brasileiro em econômica. É dose aguentar dois babacas bêbados falando merda alto enquanto todo mundo tenta dormir -- até as 3 da manhã.
    Fora a sujeira nos corredores que fazemos questão de contribuir.

  34. Nailson says:

    (* Meta o seu elitismo musical bem no meio do olho do seu cu. Forró faz parte da nossa identidade cultural, quer você more no Acre ou no Rio Grande do Sul. Não vou levar a mulher ao Brasil apenas pra leva-la em boates de playboy pra ficar ouvindo Chris Brown, Akon, Lady GaGa e outras coisas que ela já ouve por aqui.)

    C- C- C- C- C- COMBO BREAKER!

    ouvir forró naum tenho saco naum, mas dançar forró é massa. ralaa bucho é bom ^^

  35. Anderson says:

    Ve se num fais merda em!! kkkkkk to zuando kid! gogo num esquese de um bom e comprido(uiii) artigo sobre a viajem!

  36. Filipetremere says:

    Cara, tô morando em Fortal agora vindo de Recife, e devo dizer sinceramente que não gosto desses forrós de hoje em dia, que abundam na “cena musical” de Fortal.
    Eu me arrepio ouvindo Fagner, Elba, Luís Gonzaga, mas tem coisa feita hoje em dia que não presta.
    Masisso não importa quando você vai prum forró, que quer queira ou não, é um lugar que você vai se DIVERTIR. Eu concordo plenamente, e até vou de vez em quando.
    E sim, faz parte da identidade cultural da gente, não adianta fugir. Só não precisa escutar umas bostinhas que tocam por aí…

  37. ” – cuidar da sua grana tem prioridade alta, mas nunca se esqueça que a gente só vive uma vez.”

    Parabéns! Excelente equilíbrio.

    Desejo tudo de bom na viagem.

    Tira fotos pra postar no blog! 🙂

  38. Logan says:

    Não escuto nenhum dos estilos musicais citados.

  39. tcraposo says:

    Kid, quero um celular sinistrão pra me dar de presente de natal. O Iphone é tudo isso que tu fala ou devo olhar Omnia II e HTC Touch HD?

  40. Tota says:

    Bah, além de rir da descrição de uma viagem, achei muito massa o final.

    Identidade cultural é MÚSICA daqui. Não Funk Carioca…que creio ser o único tipo de “música” brasileira que eu não respeito.

    Boa Kide!

  41. fah says:

    “Fiz um cálculo mental rápido e pensei “foda-se”. Tirei uma grana da poupança e comprei as duas passagens. Esta é a minha terceira filosofia financeira, aliás – cuidar da sua grana tem prioridade alta, mas nunca se esqueça que a gente só vive uma vez.”

    mando muiiiiito bem, ta de parabéns!

  42. Kaqui says:

    Eu tb tô indo pro Brasil o/ Desde 2005 que não passava um Natal lá, e isso tem um peso ainda maior pois a minha afilhada e ÚNICA sobrinha tinha um aninho naquela época. Finalmente vou poder passar um Natal com ela em que ela vai estar falando sobre os presentes que ganhou 😀 hehehehe
    Nesses quase 4 anos fazendo o doutorado aqui em Portugal já fui duas vezes pro Brasil, foi questão de sanidade mental nos 2 primeiros anos. Agora tô tão bem adaptada aqui que 1 -- não penso em voltar definitivamente pro Brasil tão cedo, 2 -- as viagens pra ver a família e amigos por lá estão esparsando para poder fazer a poupança crescer mais rápido, já que são 1000 euros por cabeça para ir e voltar pra Porto Alegre.
    Mas como eu nunca tive essa sorte da porra que tiveste de ganhar classe executiva, eu sempre tive que me virar na econômica. O que aprendi é que um bom estoque de filmezinhos pra ver ajuda muito mais do que um bom livro (porque geralmente apagam as luzes todas do avião no meio da viagem e só a luz de leitura não ajuda) e que aquelas almofadas estranhas de colocar em volta do pescoço realmente te deixam mais confortável para dormir sentado. Então sugiro a compra dessa porqueira mesmo.
    E mesmo quando se demora 24 horas para chegar no teu destino (eu já fui pra Porto Alegre com duas escalas ao invés da habitual uma pra poder economizar uma graninha) a gente esquece completamente do transtorno todo. Até a hora de embarcar novamente 😛
    Boa viagem!!! =)

  43. João Pedro says:

    Kiddito

    Mandou muito bem. Viajar com a mulher vai ser muito melhor do que viajar sozinho.

  44. ciberdek says:

    ” – cuidar da sua grana tem prioridade alta, mas nunca se esqueça que a gente só vive uma vez.”

    Verdade. Por isso que acabei de comprar uma moto e estou duro.

  45. Darox says:

    Muito bem.

  46. Fabricio says:

    O problema do banheiro da classe econômica não é apenas ser pequeno, o problema é que tem apenas 3 ou 4 banheiros pra 300-400 pobres, isso quando não tem algum entupido/não funcional (o que aconteceu no meu último vôo da AirCanada). Essa proporção de 1 banheiro pra 100 pessoas até funciona de madrugada quando todo mundo está fazendo tentativas frustradas de dormir, mas gera algumas filas chatas quando o vôo está no final e as pessoas “acordam”. Além disso tem os(as) fresquinhos(as) que entram na fila só pra escovar os dentes (custa esperar um pouco e ir no banheiro do aeroporto pra não atrapalhar quem realmente precisa do banheiro?).

    Outra coisa chata em vôo Canadá->Brasil é que todo mundo (eu inclusive) resolve levar as 2 bagagens de mão que tem direito c/ todos os gadgets eletrônicos que seriam roubados se estivessem na bagagem despachada, e aí não tem espaço suficiente pras malas de todos nos bagageiros, conseqüentemente o pouco espaço que seria pra dar uma esticada nos pés acaba ficando pra bagagem.

  47. Tayná says:

    HAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAU Adorei a ilustração.. Cara, mostra Calypso pra ela, imagino que ela nunca viu algo parecido com tecnobrega huahauhauha

  48. Bat says:

    isso aí forró na veia

  49. JohnRamalho says:

    isso ae massa mesmo

  50. Gabriele says:

    @Gaúcho:
    Só se você vive numa chácara isolada, comendo churrasco e ouvindo Teixeirinha o dia todo. Também vivo no RS, e conheço muitas pessoas que adoram forró, brega, etc. Se as pessoas se identificam com as músicas, faz parte da nossa identidade cultural também.

  51. Peter says:

    So uma coisa, os passageiros de primeira classe e executiva sao os ultimos a embarcarem e nao os primeiros como voce falou. A explicacao e’ simples, essa nata fica menos tempo mofando no charuto enquando a bagaca nao decola.

    ps: fodasse a pontuacao, to em um note com teclado gringo e nao tenho capacidade suficiente para mudar o idioma e conseguir usar acentos!
    Passar bem.

  52. Kid says:

    @Peter

    Então aí no Brasil é feito diferente. Aqui, primeira classe embarca primeiro.

  53. Fabricio says:

    Acho que depende da companhia. Pelo que vi AirCanada e Delta Airlines embarca primeira classe e classe executiva primeiro sempre, em vôo com origem no Brasil, EUA ou Canadá. Não lembro como é Gol e TAM, talvez seja diferente. E quem é das classes privilegiadas também não precisa ir correndo embarcar, já que eles tem uma fila exclusiva.

  54. Fabiane says:

    É tão ruim quanto classe econômica de busão?

  55. CCCC says:

    Kid viado, vai morrer de tanta bolsinha com desodorante/pasta de dente/toalhinhas higiênicas no cu.

  56. Raph4 says:

    Achei muito legal você ligar o foda-se e comprar a passagem dela também.. não sei se conseguiria fazer uma viagem internacional de sei lá quanto tempo sem a patroa, hoje em dia…

    E admiro seu papo sobre dançar forró aqui. Não é meu gênero nº1 mas faz mais do que sentido.

  57. Platos says:

    Se o Kid vem para o Brasil sem a noiva, mesmo que por questoes financeiras, eu o chamaria de filisteu cafajeste escroto. Por mais que ela falasse nao ligar, ela ia ficar malzona. Afinal, 1800$ eh uma boa grana, mas sera que vale mais do que 6 anos de namoro/noivado/juntar os trapos?

  58. Higor says:

    Belas dicas orçamentárias.

    Bom post!

  59. Cynthia says:

    Encarei 10 horas de classe econômica pra chegar à Itália sem dormir, só com uns cochilos terríveis. No avião que eu vim ficava passando nos monitores a evolução do percurso em tempo real e outras informações (como tempo restante, distância, altura, velocidade). Eu só ficava olhando desesperadamente aquele aviãozinho que parecia não sair nunca de cima do lado de lá do Atlântico 😛

  60. camilo says:

    to loco pra ler o post prometido sobre como vc lida com tua grana ( tenho mto que aprender ) apresar de jah lidar bem melhor com o dinheiro doque a uns tempo atras 😀

    a proposito pra ver a familia vale qualquer ( ou quase) sacrifício classe economica de avião ateh 10 horas de viagem de busão ¬¬’ que farei essi fim de ano pra ver a parentada no paraná

  61. i4nd says:

    3 DIAS agora sim vc deve ta ancioso