Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Day of Reckoning

Postado em 13 August 2008 Escrito por Izzy Nobre 112 Comentários


Esta é uma Kawasaki Ninja ZX-12R, uma motocicleta de fabricação japonesa que se tornou popular em competições por causa da sua performance e design icônico. O veículo tem seis marchas, velocidade máxima de 240 quilômetros por hora, e vai de 0 a 100km/h em menos de 5 segundos.

Andar de motos em geral é essencialmente subir num motor com rodas e tentar o máximo desviar dos veículos mais seguros com os quais você tem que dividir a estrada, todo mundo sabe disso. Acontece que nenhuma se compara com Kawasaki Ninja – somente com ela você poderá arrebentar-se inteiro embaixo de um caminhão de cimento com a característica eficiência japonesa.

Isso pra não falar no estilo. Pode ter certeza que os bombeiros que rasparão seu cadáver do asfalto com uma pá te considerarão o presunto mais bacana cujos restos mortais eles limparam de uma via pública naquele dia.

Isso era o que eu conseguia pensar enquanto o Trevor costurava feito um maluco pelo trânsito caótico da Crowchild, a rodovia expressa mais movimentada da cidade.


Este é o Trevor. Como todas as pessoas extremamente inteligentes que conheci na vida, antipatizei com o cara IMEDIATAMENTE, pra logo em seguida nos tornar melhores amigos. Não deixe a pose de nightclub douchebag enganar você, o maluco tá cursando um bacharelado de Microbiologia na University of Calgary.

Além de muitas coisas, Trevor é meio… louco. O gene de auto-preservação que a maioria de nós têm não se desenvolveu no moleque. Talvez seja por isso que ele é um paraquedista E bungie-jumpista. Aliás, queria fotos dos saltos dele pra ilustrar melhor a maluquice do cara, mas são fotos “de verdade” e eu não tenho saco pra ir à casa do cara pra escanea-las.

Então.

Na noite anterior descobrimos que a esposa do meu parceiro da sala de controle tinha dado luz ao filho deles, e por isso o sujeito estaria ausente do trabalho por alguns dias. A chefia apontou o Trevor pra cobrir a vaga, o que é bacana porque agora eu teria um parceiro pra jogar emuladores de SNES o dia todo – além de uma carona pro trabalho na manhã seguinte.

Normalmente o horário de trabalho dele começa uma hora após o meu. Trabalhando no mesmo horário, ele poderia me dar uma carona pro trampo.

Na noite anterior ele veio na minha casa. Passei vários jogos com capacidades multiplayer pro PSP dele, e combinamos a ida pro trabalho na manhã seguinte.

Entre outras coisas, Trevor é rico. O pai dele é engenheiro, e a mãe é microbiologista. O moleque não apenas tem uma Kawasaki Ninja, ele dirige uma BMW (comprada por ele mesmo). Acontece que a BMW tá na oficina – ele bateu o carro durante uma porra-louquice qualquer, o que deveria ter sido um sinal pra mim -, e por isso teríamos que ir na moto.

À primeira instância não me preocupei tanto com as implicações do plano. Isso iria mudar em breve.

Na manhã seguinte lá tava o maluco, sentado no meu sofá e zapeando pela televisão. Eu estava ainda sonolento, vestindo meu terno mas ainda com as calças do pijama, preparando um lanche rápido na cozinha. Termino minha rápida refeição matinal e volto pro quarto pra completar o figurino enquanto o maluco acompanha uma reprise de Colbert Report.

“Não demore, seu viado” falou ele. “Foda-se, sua bicha” veio como resposta do meu quarto.

A namorada acorda com essa agradável troca de gentilezas e pergunta se é o Trevor que tá lá fora. Eu confirmo, no que ela se vira em direção à porta e berra “Hey, Trevor!”. Meio que me senti naqueles filmes ou seriados americanos que mostram um sujeito chegando na casa do outro com total familiaridade e interagindo com a família como se fizesse parte dela, algo que eu não vi com muita frequência no Brasil.

Terminei de me arrumar e antes que eu pudesse sair do quarto a namorada, ainda debaixo das cobertas, estende os braços em minha direção. É proibido um de nós sair pro trabalho sem dar um beijo de despedida no outro (especialmente nos últimos dias, nossas agendas estão completamente incompatíveis e só nos vemos de noite), então eu me inclino em direção a ela pra um abraço.

Love you, hun” ela falou, de olhos fechados e se aconchegando pra voltar ao sono.

Yeah, I love you too and whatever. Gotta go.” eu disse, simulando desdém e parafraseando um quote de Futurama. A namorada, que conhece a brincadeira, só responde “Get out of here, go” rindo.

Caminhando em direção ao Trevor, um pensamento insólito atravessa minha mente – não seria TRÁGICO se alguma coisa acontecesse comigo na viagem ao trabalho e minhas últimas palavras à minha amada fosse “I love you and whatever”?

Exponho a preocupação pro amigo (na semi-brincadeira), que simplesmente responde com um “agora já era” ao mesmo tempo que estende o capacete na minha direção. A forma como ele não automaticamente desmereceu a minha preocupação foi fatalmente perturbadora. Estaria ele legitimando meus medos? Eita porra.

Donos de motocicletas compram capacetes extras a contragosto e por uma necessidade que não envolve a segurança DELES, e por isso estes capacetes destinados às caronas geralmente custam menos de uma fração do capacete “oficial”.

Como resultado eles se parecem menos com isso…

 

…e mais com isso:

 

Enquanto o capacete do Trevor era bem estiloso e parecia ter custado uma pequena fortuna, o que ele me deu era tão simples e não-sofisticado que sugeria que ele teria me dado um travesseiro amarrado com um cadarço caso não fosse legalmente obrigado a me fornecer um capacete.

Montei no negócio e me preparei mentalmente pra viagem. E surgiu um dilema – como vou me segurar na moto?

A última vez que andei de moto foi com um tio, e eu devia ter uns 12 anos. Naquela época, me parecia que a única forma de se segurar na garupa era abraçar o motoqueiro. No contexto social atual, tal gesto poderia ser equiparado a uma latente vontade de ser analmente penetrado. Abraçar o motoqueiro seria visto como profunda baitolagem.

Enquanto o Trevor me dava algumas rápidas instruções (“não se mexa muito, tente não bater seu capacete contra o meu quando eu freiar”), eu tentava analisar o apoio oferecido por aquela barrinha de metal atrás do assento. Me parecia um apoio precário, mas pra defender minhas masculinidade valeria a pena tentar.

Ele virou pra trás no máximo permitido pelo capacete e perguntou “tá firme aí?”

“Tou”.

Get ready then” dito isso, ele fechou o visor do capacete teatralmente “this is your day of reckoning“.

E riu. Eu ri junto; apesar de não entender o que ele quis dizer com aquilo, eu não queria parecer o tipo de retardado que não entende as piadas contadas pelos amigos.

“Day of Reckoning” pode ser traduzido livremente como “dia de prestação de contas”, ou o “dia do julgamento”. Eu só fui entender mais tarde – ele estava prestes a embarcar numa tentativa de me fazer borrar as calças.

O Trevor saiu do estacionamento do meu condomínio e mal tinha alcançado a avenida quando girou o acelerador sem nenhuma cerimônia e mandou ver.

Rapidamente minhas convenções sociais foram abandonadas em prol da minha sobrevivência. Assim que o maluco parou num sinal (fazendo a inércia me arremessar em direção a ele), joguei os braços ao redor do maluco.

A avenida nos levou à Crowchild, rodovia expressa que corta a cidade de leste a oeste. Minhas preocupações aumentaram imediatamente quando vi aquela imensa fila de carros se movendo em alta velocidade na rodovia. O Trevor acelerou pra alcançar a velocidade dos carros, e se enfiou na avenida.

Na Crowchild há pouquíssimos semáforos, e o maluco aproveitou a ausência deles pra dirigir como se estivesse tentando manter a primeira posição de um Gran Prix.

Sem nenhum aviso pra eu me segurar melhor nem nada, o desgraçado saiu se enfiando no meio de carros, cortando as faixas numa velocidade tão grande quanto a sua desconsideração pela própria sobrevivência. Lutando contra os sons das buzinas soando ao nosso redor, eu perguntei pro moleque aos berros se ele era louco.

Não sei se ele apenas não me ouviu, ou se me ouviu e por causa disso resolveu sacanear, mas logo em seguida eu notei que o maluco havia passado pra uma marcha superior, tornando o ruído do motor mais agudo e sua pilotagem ainda mais errática. “Caralho, soa exatamente como uma moto de corrida!” pensei, enquanto o infeliz ultrapassava UM CAMINHÃO. Apertei os braços com força, tentado a olhar pra trás pra medir a distância entre a carreta, mas com medo de que qualquer movimento, mesmo milimétrico, me ejetaria da moto.

Quando finalmente tive coragem de espiar o velocímetro, averiguei com total terror que o filho da puta estava indo a 160km por hora, e ainda desviando dos carros ao som de buzinadas nervosas dos outros motoristas. O limite da Crowchild é 100km/h, se não me falha a memória. Os carros ao nosso redor estavam presumivelmente trafegando no limite permitido, enquanto eu e o Trevor passávamos por eles como se os carros nem estivessem se movendo.

Vamos fazer deste texto uma experiência literária interativa. Belisque levemente qualquer parte do seu corpo. Você perceberá que o corpo humano é coberto por um extenso órgão macio conhecido como “pele”. Assim como a sua pele, você é cheio de outros órgãos bastante frágeis e relativamente desprotegidos – seu fígado, por exemplo.

Essa é a Natureza te relembrando que o ser humano não foi feito pra desenvolver velocidades acima dos dígitos triplos.

Cada vez que ele tava uma guinada pro lado e eu sentia meu centro de gravidade mudando de posição, eu conseguia praticamente ver a cena do acidente, ou as notícias que seguiriam. “Imigrante brasileiro pinta a Crowchild com seu intestino delgado”.

O “capacete” que ele me ofereceu não tinha visor, e por causa disso o vento na cara tava literalmente enxugando meus olhos. O humor aquoso escorria pela minha face, o que é razoavelmente irônico porque àquela hora eu estava quase CHORANDO de tanto pavor.

Eu não queria dizer pro moleque diminuir porque sabia que iriam me encher o saco por causa disso pro resto da vida, mas por outro lado o terror de estar se locomovendo a mais de cem quilômetros por hora sem um carro ao meu redor era suficiente pra fazer meu esfíncter se contrair a uma circunferência quase nula.

Além disso, a falta de luvas (um problema que o Trevor deveria ter antecipado e me avisado a respeito, graças a sua experiência superior a minha em andar de moto) fazia minhas mãos quase congelarem. Eu não conseguia nem manter os olhos abertos, com as mãos se contorcendo de tanta dor, tendo que ajustar o corpo cada vez que o desgraçado guinava pra ultrapassar um carro. A queda e subsequente atropelamento parecia iminente. Me perguntei: se eu me mijasse de tanto pavor aqui, quem perceberia primeiro? Eu, ou o maluco cujas costas se encontram firmemente pressionadas contra a minha virilha?

Quando vi o prédio do tribunal no horizonte, simbolizando a chegada ao centro, soltei um suspiro de alívio. Trevor puxou a moto pra fora da rodovia, e diminuiu a velocidade. Quando ele finalmente estacionou e me deu a oportunidade de saltar daquela morte sobre rodas, puxei o capacete pra fora e entreguei pra ele, apressando o passo em direção à porta. Ouvi a risada dele, que me garantiu que aquela maluquice toda na Crowchild só poderia ter sido proposital.

Me pergunto se o porteiro conseguiu notar que minhas pernas cambaleavam enquanto eu entrava no prédio.

 

*****

O novo HBDtv está no ar. Esse episódio foi curtinho, porque eu estava sem tempo mas mesmo assim queria praticar novamente as ferramentas de edição de vídeo que tenho a disposição.

O próximo será mais longo, e trará um convidado especial.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: Vida maldita

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

112 Comentários \o/

  1. Motta says:

    o.o

    primeiro? o.o

  2. Kid says:

    PRIMEIRÃO.

    Agora vai!

  3. Hobbes says:

    PC lento demais pra ser o primeirão…

  4. Motta says:

    “Na noite anterior descobrimos que a espora do meu parceiro”

    tem um arrinho aí em espora (esposa*) acho que não ví mais nehum no texto o

  5. Kid says:

    ahhh vão tomar no cu :/

  6. Kid says:

    @Motta

    Eu já tinha corrigido antes de você apontar 😀

  7. Motta says:

    @Kid

    Sério?é q eu li o texto td e depois fui comentar heauohe xD

    btw, tá difícil ser o primeiro hein? agora foi por pura sorte heouaeh xD

  8. Billy says:

    “analmente penetrado” kkkkkk,
    me fez lembrar da minha primeira esperiencia em motos, que no caso era uma cb500.
    pena que o transito era o do Rio de Janeiro, então o perigo é incrivelmente superior.

  9. Galada says:

    Porra, Kid, do jeito que tu falou no começo pensava que o Trevor tinha morrido num acidente de moto com uma Ninja ou sei lá o quê, aí tu tava prestando uma homenagem. XD Te foder, vai dramatizar assim no inferno.

    Flws.

  10. w1zard says:

    seria mais interessante se fosse uma convidada especial..

  11. R-Melo says:

    Motocicletas são fodas, queria ter independência financeira para tirar carteira de motorista e comprar uma moto sem que TODOS meu familiares me dessem um sermão de meia hora sobre “os perigos de um motociclista perante os carros numa cidade”
    =/

  12. rcrd says:

    absdiuashdiauhdiusahd que divertido

    ia vir tua namorada aqui fazer um depoimento tipo o do marido da tina:

    “…Kid, que postou nesse blog a longo atrás está agora morto…”

  13. Alexander W. says:

    Top 20???

  14. Conrado says:

    Top 20?

    E eu li tudo, wow 😀

  15. Conrado says:

    HUE
    já passei por VÁRIAS dessa, inclusive com moto-táxi. não adianta, por mais que você implore, andar devagar com uma moto parece um absurdo

  16. XxMPxX says:

    Haha! Gostei muito do post. HIT!

    Que isso? Três hbdtvs em quatro dias? Medo…
    Agora dexa eu ve essa merda aqui

  17. Fábio says:

    Caraio, eu na garupa do meu irmão a 120 Km/h na Twister e a roupa já começa a bater ardido na pele, imagina o Kid hahaha…
    Da próxima vez vai de bicicleta, e queima aquelas calorias que vc precisa queimar.

  18. Tonywalker says:

    A Kid 160KM/H numa Kawasaki Japonesa né nada!!!
    Quero ver ele enfrentar 80km/h na minha Dafra Speed 150 chines…err Brasileira.

    Falows!

  19. Chico says:

    O cara anda numa Ninja e reclama? Tsc tsc…

  20. Kayaphas says:

    já passei por algo parecido =P

    mas não me borrei, igual vc

  21. Dafne says:

    Eu nem ia falar nada, juro, mas aí o infeliz lá falou e vc se incomodou, aí eu não resisto!
    Cada vez que ele dava, e não tava, e de estar me locomovendo, e não se.
    =P
    E, só pra constar: você é uma moça ou o quê?!

  22. Rafael R says:

    Quando eu passei por algo parecido era uma ZX9, porém não com menos potência ou voracidade em relação aos demais carros da via. Mas ao contrário de você, quando eu consegui espiar o velocimetro, estavamos a nada menos que 210km/h e eu de imediato ja fiz as minhas preces. Obviamente, elas foram em vão porque eu continuo aqui.

  23. Angelo says:

    Cara, sempre leio seu blog mas nunca comento, mas dessa vez merece..

    CARA COMO ISSO FOI ENGRAÇADO!!!

    AuaHuaHuaHa

  24. megapanka says:

    kid es uma puta!

  25. pedro says:

    um post desses por semana faria vários rapazes latino-americanos suportarem por mais algumas semanas suas míseras existências fikdik

  26. guifig says:

    motos são legais 🙂

  27. Thito says:

    nunca peguei isso com moto, mas com uma parati 1.0 já peguei 195km/h 😀

  28. Thito says:

    ah e a foto do capacete fudido tá com link quebrado.

  29. hyoga says:

    Caralho, kid é muito froxo, nem parece ser nordestino
    arre égua siô

  30. alpha says:

    gazilionésimo segundo!!! o/

  31. Cassiano says:

    Ri pra caralho
    AEUhuahuaehuae

    sério mesmo

  32. Mateus Arcanjo says:

    uASHuASHASUhasUh
    putz
    chamei a atenção de todos aqui no serviço com as gargalhadas!

  33. mcfly81 says:

    Tive uma experiencia parecida recentemente, só que foi num quadriciclo subindo numa duna aqui em Fortal…

  34. Speed Racer says:

    Genial. Ri demais do “No contexto social atual, tal gesto poderia ser equiparado a uma latente vontade de ser analmente penetrado.”

    Excelente.

  35. Pete says:

    Putz, Kid, já passei por isso aqui no RJ, na av Brasil, cara… sinistro!
    Quanto ao HBDtv3, já virou quadro fixo “As SENSACIONAIS decisões de mercado da Sony” -> PSP azul é deplorável!

  36. Kenshin Br says:

    Tem um video desse cara no Youtube:

    rel="nofollow">

  37. Nighto says:

    Vai de bike pro trabalho, oras!

    Eu gosto de fazer “isso” de bike. Entre aspas pois como não tenho um foguete nas costas, vou a uns 40km/h (o que é muito para uma bike) enquanto os carros vão a ~10km/h no engarrafamento 🙂

    Falando sobre os jogos do HBDtv: arruma um celular com Symbian S60v3 e GPS (tipo o N95) e experimenta o Nokia Sports Tracker. É maneiro bagarai. Funciona assim: ele registra sua posição no mapa mostrando a velocidade e altitude média, mínima e máxima, plota uns gráficos velocidade x altitude x distância E mostra as músicas que estavam rolando no player. Fodão! 😀

    Aliás, o N95 também tem um contador de passos (Nokia Step Counter) que funciona de forma semelhante ao trequinho lá do DS.

    []

  38. Renato" Filho says:

    terceiro

  39. perini says:

    auUAEHUeahuaehueahuae muito bom texto kid!!
    motinho bem humilde essa tche

  40. duuardo says:

    UAHSDIUAHSIDUH
    Caralho, deve ter se borrado!!
    o_o’
    Eu odeio parque de diversão, imagina,
    um “brinquedinho” desse… ¬¬’

    AUISDHIUASHD

    HBD tv: Mais erro que conteudo ;D
    Mas mesmo assim engraçado,
    boa sorte. ó/

  41. CCC says:

    Kid viado vai morrer de tanto erro de gravação no cu.

  42. Koji says:

    meu sonho é ir numa porra dessa *.*

  43. Weslly says:

    top 30

    o/ o kid voltou a atualizar frequentemente

    😛

  44. iRenato says:

    Kid, que experiência maravilhosa! 😀 Eu me lembro bem da minha primeira volta de moto, eu era bem pequeno e foi muito muito louco. E óbvio que o infeliz fez questão de praticamente voar usando a moto, não posso mentir mas gostei muito haha

  45. iRenato says:

    Post triplo: Ueba! 😀 Se quiser junta tudo pra deixar mais organizado.

    1) O psp azul é bonito
    2) Próxima pessoa: Facadiiiiiinha
    3) Relógio bonito
    4) Eu falo mais rápido

  46. ciberdek says:

    Já passei por coisa semelhente com um tio e uma CB 400.

    Mas acho que sou masoquista porque com o tempo acabei gostando de moto e comprei uma CB 400.

    A mentalidade gringa é interessante. Seu amigo tem dinheiro e trabalha. Se fosse aqui no patropi, ia virar playboizinho vagabundo.

  47. Jonh B. God says:

    Cara, show esse HBDtv!!! tenta gravar um no trabalho (Hellooo… Se meu k750 filma, seu k850i (ou 950, sei lá… deve quase ser uma camera proficional…) essa coisa de cara sozinho em casa é deprimente… corneta teus colegas de trabalho e taca tudo no youtube… kkkkkkkk… Ah, eu vi um HBDtv#3 lá nos seus outros videos, aquilo é um easter egg ou algo assim? Cara, ainda bem que valeu a pena, por que eu gastei 20min da internet do meu vizinho (!!!) pra assistir isso ao invés de continuar baixando episodios do House, então ve se mantem a qualidade…

  48. ciberdek says:

    Ah sim.

    Eu já cai 3 vezes, tenho o ombro esquerdo zuado e na ultima vez fui atingido em cheio por uma S10…

  49. Argus says:

    Kid, na boa? Quem eu tenho curiosidade de ver é a tua IRMÃ. Personagem mais misteriosa da história do HBD, cara.

  50. Darox says:

    “Cada vez que ele tava uma guinada pro lado e eu sentia meu…” , seria dava uma guinada ou to viajando?
    Fortes emoções hehehe,é bom adrenalina, num carro preparado ele te cercando é nulo, fica igual a moto, acidente fatal certo hehehe.

  51. Kayaphas says:

    agora to em casa, pude assistir o HBDtv3 e tb posso comentar direito (no trampo tenho q digitar meio q muquiado)

    Meu pai andava de moto, fazia trilha e tal…aí, qd era pequeno, eu sempre saia pra dar umas voltas com ele ^^
    mas dpois d anos peguei carona com um camarada até o cinema e vish….fdp costurou o caminho inteiro…acho moh bosta…não tenho moto (inclusive não tenho carteira de motorista)mas se tivesse seria num estilo mais “slow ride…take it easy”…pegar estrada e tal…diliça…
    qt ao HBDtv, manda o convidado dar um backflip o/

    tá….é isso…

  52. marcellus says:

    pqp Kid!

    estou chorando de rir! num texto!

    só o Morroida e o Morph (do Judao) conseguiram isso!

    pqp!²

    vlws!

  53. Trailblazer says:

    Kide, posso dar uma sugestão pro HBDTv?

    Você poderia incluir uma pequena vinhetinha (de 1 ou 2 segundos, do Mario batendo num bloquinho de “?” por exemplo) cada vez que for mudar de assunto.
    Tem hora que fica abrupta, rápida e direta demais a mudança de assunto…

    Sobre o post, muito bom!

  54. -- Kid, aos 2 min. e 38 segs. do HBDtv #3:
    “Eu vou fazer o máximo, dentro do possível, pra trazer aquilo que vocês querem pra vocês”.

    -- Giancarlo Zer0:
    “Em apenas uma palavra: BECCA”!

  55. Eduardo says:

    porra,a Ninja é foda.pena que você quase se cagou de medo na viagem,pq andar numa moto dessas deve ser bem legal.

  56. Renan says:

    Billy:

    ” ‘analmente penetrado’ kkkkkk,
    me fez lembrar da minha primeira esperiencia em motos, que no caso era uma cb500.
    pena que o transito era o do Rio de Janeiro, então o perigo é incrivelmente superior.”

    Hmmmm
    “analmente penetrado” te dá lembranças é boneca?

  57. Geek In The Pink says:

    São os críticos que te dão inspiração? Hmmm, continuo com minha proposta de um strip da tua namorada.

    Isso não foi bem uma crítica, mas convenhamos, é uma solicitação que aumentaria um bucado tua audiência E admiração.

  58. Bob Espumone says:

    @Thito
    195 km/h com um carro 1.0? Tá louco? Tava descendo num declive 85 graus com o carro em ponto morto, né? Só pode… (o_O)

    Faço coro com Geek In The Pink e Giancarlo Zer0: QUEREMOS BECCA DE LINGERIE no HBDtv!!! Com todo respeito.

    Pq é tão difícil achar uma canadense aqui no RJ? :/

  59. Marsson says:

    hehehehe… ri pacas.
    no trampo…
    se me demitirem a culpa eh sua kid.

  60. Gustavo says:

    HUAHUAHUAHUAHUAHUUAH post foda 😀

  61. Darox says:

    Igual aos donos de motos que compram o capacete reserva somos nós do videogame, ou vai dizer que vcs tem um carinho especial pelo segundo controle???

  62. Hulk says:

    Porra kid, sou motociclista e sei bem como é isso aí…
    Mas dê GRAÇAS A DEUS de ser uma Kawasaki Ninja… a Yamaha R1 atinge com facilidade 320 km/h! Isso somado a um capacete sem visor ia arrancar seus olhos fora!

  63. Luiz Felipe says:

    Dei risada, muita risada.

    EAUhuaehueaeUAE

    Belo post.

  64. fah says:

    é isso ae muleq, num da móle não, a única experiencia que eu tive com um moto foi com uma 100cc, e por não saber andar naquela porra eu eu dei uma MORTAL PRA TRAZ com aquele demônio…

    ficar vivo é o que interessa

  65. Rocky says:

    Nunca subirei numa moto… A unica vez que andei em uma o cara saiu da estrada em 80 por hora, por sorte era uma motor daquelas estilo motocross e conseguiu andar tranquilamente na terra……

  66. Junior says:

    AHAHAHAHAHAHAH…..muito bom. Sorte tua que isso não aconteceu no inverno, senão tu ia chegar no trabalho igual acontece em alguns filmes, com o ranho congelado na cara.

  67. ruskiii says:

    Vc tem que vir aqui em São Paulo, na marginal Tietê…
    bem emocionante 🙂

  68. Cab says:

    Imigrante brasileiro pinta a Crowchild com seu intestino delgado” -- Hauhuahuauhuahua =D

    Eu nunca tive nem terei coragem de subir em uma moto por toda minha vida, o mais próximo que eu cheguei disso foi nos meus 15 anos em cima de um quadriciclo a, no máximo, 80 km/h e já foi deveras emocionante. =P

  69. leitor vouyer says:

    ahahahha nossa que situação, excelente post.

  70. R. Lacal says:

    Post mto foda!! xD

    Nota: /me apaixonado por motos *.*

    Eu quero comprar uma Yamaha Fazer 250cc pra mim, mas minha mãe não quer deixar… Acho que é pq eu tenho a mesma característica (mtos diriam defeito) do Trevor, eu não tenho senso de auto-preservação…

    @Kid: Faça um HBDtv com a sua patroa!! o/ (coloca legenda nas falas dela pra ela num ter q falar PTBR -- ou deixa em inglês mesmo lol)

    @Bob Espumone: Cara, 195 eu nao sei, mas ja pus 180 num Gol Special 2002 1.0 8V… nao tenho fotos do feito, entao nao tem como provar, mas eu juro q é verdade o.o”

  71. Thito says:

    @Bob Espumone: Não foi numa queda livre não, Foi com uma Parati 1.0 16v Turbo, ela chega em 205km/h, eu tirei foto do feito se eu achar ponho na net.

    @kid: Concordo com o Argus, sua irmã foi algo repentino e misterioso.

  72. Vinícius K-Max says:

    Bela históra, mas é FAKE, seus palemermas.
    Kid me contou no msn 😀

  73. Antonio F. says:

    Queria ver é andar numa Suzuki Hayabusa, num ia nem ter o tempo de fechar o cú. Ela é mais rápida q o esfíncter…kkkk…Assim q puder terei uma moto desse nipe(vai demorar, vida de estudante é uma merda), vou andar a uns 320Km/h em alguma estrada, de madrugada, obviamente! O radar nem pega uma moto nessa velocidade…acho! Mais rápido q pular de paraquedas, colado no asfalto, é insano!

    obs.: vi o HBDtv#3 agora…Ai q burro dá zero pro kid! Num comprou o adaptador logo! Gastando dinheiro assim uma hora acaba, aja cartão de crédito pra cobrir, vai ficar rolando dívida como pobre em crediário, tá fudido….brincadeira!
    obs2.: Porra quantos ms tem de delay na sua TV seu puto, tem q ser 8ms ou menos pra funcionar razoavelmente com jogos. Mas vê se num “acontece um acidente” com ela como ocorreu com o PSP falecido!

  74. Stan says:

    Ahh Kid, toma no seu cu! Eu com uma Fazer botei 160 aqui na FreeWay! Andar numa Ninja e não passar dos 200 chega a ser ultrajante!

  75. dreadful says:

    aqui no brasil agora ta na moda a r1, que chega nos seus 300km/h…
    se você se cagasse a merda iria praticamente sumir em tal velocidade.

  76. Thiago says:

    Kid, não nos enrole! A foto da moto é uma kawa 250 cilindradas, note a ausencia de um segundo disco de freio na roda dianteira e tbm faltam 2 coletores do escape, o que caracteriza uma 2 cilindros. Uma kawa Zx 12 chega a 100km/h em menos de 3 segundos, e nao 5. E o top speed dela é de 300km/h. 240 faz a minha, uma B650. e deixe de ser bicha, a 160 por hora aposto que ele estava de segunda marcha ainda!

  77. Kid says:

    E é? Eu só procurei “Kawasaki Ninja” no Google Imagens e mandei a primeira moto que encontrei cujo modelo se assemelhava com a moto do meu amigo.

    E perguntei pra ele por telefone qual o modelo da moto dele.

  78. dreadfu1 says:

    que entendido de motos…

  79. CCC says:

    Kawa de cu é rola.

  80. deivid says:

    Eita porra rsrs o maluco sobe na moto sem saber como se segurar UHSAUH xD

  81. LeandroR99 says:

    Medo. Pensei que ia ler morte.

  82. Equilibrium says:

    Rapidamente minhas convenções sociais foram abandonadas
    em prol da minha sobrevivência.”
    “Imigrante brasileiro pinta a Crowchild com seu intestino delgado”.

    Me mijei de rir aqui.
    Ps: Nunca terá a Beca nos HBDtv????

  83. […] no Road Rash a melhor moto de todas, a Diablo: deve ser horrível, pior do que manter de pé uma Kawasaki Ninja ZX-12R. Digo deve porque eu nunca consegui comprar a Diablo, mas as que eram mais lentas já eram […]

  84. Lorrene says:

    @kid O trevor não tirou foto (mesmo de celular) de vc morrendo de medo quando chegou no tribunal? Acho que não, se tivesse, já estaria no post.

    Eu tenho medo até de moto pop (a mais fraquinha da Honda) andando a 60Km/h.

  85. HeryckDM says:

    “Essa é a Natureza te relembrando que o ser humano não foi feito pra desenvolver velocidades acima dos dígitos triplos.”

    Não seriam digitos duplos? acima de 3 é milhar…

    — x —

    O problema dessas motos é que ela passa uma segurança absurda pro piloto e o cara senta a mão! =p

    um dia terei minha Ninja por falar nisso…

  86. Vinícius K-Max says:

    Voltando dias depois pra desmentir meu comment anterior -- como se alguém tivesse acreditado 😛

  87. Lembrei do pequeno passeio que dei com meu tio, que tinha uma CBX 750… na primeira acelerada perdi meu boné (a uns 90 por hora), fomos só ate 140, mas o medo foi imenso… mesmo assim ainda quero ter uma moto

  88. Braulhio says:

    Fumo sempre um bom derby antes de andar de moto.. ajuda a relaxar.

  89. Guilherme says:

    100 km/h não é grandes coisas já cheguei a isso andando na minha 125cc…

    Além disso, Honda Varadero >>>> Kawasaki Ninja 😛

  90. Fabrídio says:

    Meus olhos assim como o seus lagrimegaram muito, todavia o meu foi de tanto rir lendo esse relato =D

  91. Rocknaveia says:

    Po só 160 e vc ficou se cagando heuhehueuhe

    Eu dava 160km numa CB400 ano 1980 que eu tinha, agora nao passo de 140km na twister 🙁

    Rocknaveia da Hardmob 😉

  92. {BDPC} says:

    Como vc tem coragem de andar numa moto com esse animal????????
    Muito bom!

    Da próxima vez dá uma porrada nele!!!

  93. {BDPC} says:

    Como vc tem coragem de andar de moto com esse animal???????????
    Muito bom post só que da próxima vez que ele fizer isso vingue-se!!!HUAHuhauhUAHuhauHA

  94. gordao says:

    seria mais interessante se ele morrece!!!!

  95. Francisco says:

    Off: Venho acompanhando seus posts e não sei se você sabe mas existe uma versão mini do browser Opera pra celular (Opera mini o nome duh) ele faz um simples Siemens C75 (Procura no Google Imagens pro impacto ser maior) acessar wikipédia e youtube. Imagino o que deva fazer com esse Sony Ericsson seu.
    Abraços.

  96. Bira says:

    1- Essa foto não é da Ninja ZX-12R. É da Ninja 250.

    2- A Ninja ZX-12R chega a BEM MAIS de 240 km/h e faz de 0 a 100 em BEM MENOS de 5 segundos.

    3- Moto é pra quem pode. Cocotinha.

  97. Henrique says:

    minha primeira e única experiência até agora com motos foi com um parente de um primo meu, ele tinha uma DT e levou pra praia. Além do barulho ensurdecedor daquela moto eu ficava subindo e descendo as dunas e batendo com o nariz nas costas dele (tava sem capacete). Fique branco que nem o background do blog.

  98. Hawk says:

    Qual o preço de uma motoca dessas?

  99. Doidon says:

    saindo completamente do assunto..

    entrando em um assunto nem construtivo nem importante, e provavelmente eu seja o unico que num parou pra ler a respeito, mas..pq as setinhas a cima do texto(<>) uma indica: HBD-TV 2 e o outro HBD-TV 4? Onde está o 3?
    no lugar deste post deveria estar o 3
    O.O

  100. Kauany says:

    tipo eu nem li issuh tudo
    😀

  101. heliton says:

    oi al guem

  102. Games – Top 5 jogos mais difíceis de todos os tempos « Blog do Alessandro Lisboa says:

    […] no Road Rash a melhor moto de todas, a Diablo: deve ser horrível, pior do que manter de pé uma Kawasaki Ninja ZX-12R. e por incrível que parece nunca conseguir comprar a Diablo e sei que muitas pessoas também não […]

  103. Games – Top 5 jogos mais difíceis de todos os tempos says:

    […] no Road Rash a melhor moto de todas, a Diablo: deve ser horrível, pior do que manter de pé uma Kawasaki Ninja ZX-12R. e por incrível que parece nunca conseguir comprar a Diablo e sei que muitas pessoas também não […]

  104. […] no Road Rash a melhor moto de todas, a Diablo: deve ser horrível, pior do que manter de pé uma Kawasaki Ninja ZX-12R. e por incrível que parece nunca conseguir comprar a Diablo e sei que muitas pessoas também não […]

  105. Samuel Lustoza says:

    Izzy, a motocicleta da imagem é uma ninja 250.Possui 33cv e velocidade maxima em torno de 150km/h. Bem diferente da que vc cita no texto.

  106. […] Eu e o Farney, rindo e ajeitando os ternos, momentos antes do meu casamento. O cara no meio é o Trevor, um grande amigo canadense que também já foi personagem coadjuvante de causos aqui no HBD. […]