Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Daily Vlog: O problema com os linchamentos

Postado em 7 May 2014 Escrito por Izzy Nobre 19 Comentários

Sempre que eu toco nesse assunto, sou criticado por uma quantia considerável de leitores e inscritos no YouTube. Por um lado eu até entendo o argumento que eles fazem — o que não é uma justificativa do comportamento, que fique claro –; por outro, quando acontece algo como o que acabou de acontecer no Guarujá, seria omissão quase criminosa não se pronunciar.

Eis os frutos da sua histeria justiceira de “FODAM-SE OS BANDIDOS TEM MAIS É QUE MATAR MESMO!!!!”: nesta semana, mataram uma mãe de família com histórico de problemas mentais. O crime cometido pela mulher foi… bom, nenhum.

Ela teria sido confundida com uma suposta sequestradora de crianças. Não há registro sequer dos tais sequestros; ao que indica a história inteira foi fabricada como um boato de Facebook que, numa fatalidade, saltou da internet pro mundo real e vitimou uma mulher inocente.

É exatamente dessas cenas que pessoas como eu, que se opõe incondicionalmente a cultura de linchamentos (seja o sujeito culpado do crime ou não), têm medo. E sim, eu sei que depois da reforma ortográfica o “tem” plural não tem mais acento circunflexo mas EU VOU CONTINUAR DIGITANDO ASSIM E NÃO HÁ NADA QUE VOCÊ POSSA FAZER. Idéia, pára, pêlo, asteróide, lingüiça!

Mas voltando ao assunto. Essas cenas horríveis de assassinato covarde de inocentes (você pode ver o linchamento mulher aqui, se tiver a disposição. Desnecessário adicionar que são imagens fortes e revoltantes) vão continuar se repetindo enquanto vocês continuarem com esse brado de “bandido bom é bandido morto, dane-se o devido processo legal porque ninguém jamais foi acusado de algo que não cometeu, não é mesmo?”

E eu sei que é impossível corrigir isso de um ponto de vista macroscópico; esse pensamento é endêmico, especialmente entre as classes mais baixas e sem educação (o fato de que esses linchamentos geralmente acontecem em periferias não é coincidência).

Mas VOCÊ, leitor do meu site, que as estatísticas de uso do meu site indicam ter um nível razoável de educação civil e formal, não deveria se unir ao coro dos linchadores. Uma pessoa instruída não deveria precisar testemunhar a cruel tortura e morte de uma mulher indefesa pra concluir “é, pelo jeito há um motivo pelo qual inventamos um sistema jurídico…”.

“Ah, mas o sistema jurídico é ineficiente”

Não se troca um sistema ineficiente por um de completa brutalidade e troglodice. É uma substituição imbecil. Alguns criminosos não cumprem suas penas, então por isso deveríamos abolir o sistema legal completamente e dar o poder de execução a populares, embasados em nada além de uma mera acusação?

Diz-se muito que pessoas como eu não seriam tão “bonzinhos” com marginais se as vítimas de seus crimes fossem nossos familiares. Eu então volto o questionamento a você — e se a mulher assassinada pela multidão fosse sua mãe, pelo crime de se parecer um pouco com uma mulher suspeita de um crime que sequer foi provado…?

Você ainda estaria justificando a execução vox populi?

“Dessa vez a população errou, mas às vezes pegam a pessoa certa”

Não. Você precisa entender que desgraças como essas acontecem JUSTAMENTE pelo pensamento endêmico de que “às vezes” matam a pessoa certa; legitimizar as vezes em que a execução “acerta” é um mal que precisamos cortar pela raiz. Tenha em mente que mesmo quando matam um criminoso, essa execução continua sendo ILEGÍTIMA quando é aplicada fora da lei, e pela mesma entidade responsável por acusar o indivíduo de um crime; por que você acha que existe uma separação entre poderes…?)

Pelo simples fato desse hábito (que horror chamar o linchamento de pessoas em plena luz do dia de “hábito”, mas não há outro termo pra isso considerando o quão frequente é essa merda) transformar pessoas comuns em assassinas e tornar o terreno fértil pra morte de inocentes, ele deveria ser combatido.

Meta na sua cabeça que o real problema nesta tragédia não é “ah, é porque dessa vez específica pegaram um inocente”.

Primeiro que não é a única vez que isso acontece; segundo, porque essa é a conclusão trágica e inevitável, é a cagada final. O REAL PROBLEMA, a raiz da parada, é a mentalidade de que suspender a lei e matar qualquer pessoas acusada de um crime é uma boa idéia.

É daí que surgem essas barbáries, é esse pensamento que as perpetuará — e se valer da idéia de que “ah mas às vezes matam a ‘pessoa certa’ né, vítimas inocentes são casualidades inevitáveis” não é um bom embasamento moral.

Não vá na onda dos Alborghettis da vida. Aliás, se você é um desses que ainda defende que TEM QUE MATAR MESMO BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO, eu insisto que você assista o vídeo da execução da mulher e tente internalizar o inegável fato de que você está legitimizando a morte de inocentes como se eles fossem uma casualidade aceitável no combate à violência.

Como se a vida humana não tivesse qualquer valor.

Dessa forma, totalmente despido da empatia pelo seu próximo, você se tornou indistinguível do monstro a quem você odeia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: vídeo

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

19 Comentários \o/

  1. Izzy, como estou no trampo não dá para ver o vídeo aqui, mas pelo texto do blog só tenho uma coisa a dizer: Parabéns! Excelente texto, não consigo entender como alguém pode sequer pensar diferente disso. Bandido bom não é bandido morto, é bandido julgado, condenado e, posteriormente, reintegrado a sociedade. Enquanto a sociedade achar que a solução é matar bandidos ou simplesmente prender e depositar em prisões lotadas (e sem a mínima condição) não teremos menos bandidos nas ruas. Acho que seria interessante se você explicasse como funcionam os presídios e o sistema judiciário canadenses, tenho a impressão que por aí existe uma tentativa de que os criminosos se reintegrem a sociedade de maneira digna, diminuindo a reincidência.

  2. Adler says:

    Disse TUDO Izzy. E adiciono aqui uma reflexão:

    A mulher era acusada de fazer rituais satânicos com crianças raptadas. Mas ela não precisava disso. Já temos demônios o suficiente dentro de cada um de nós.

  3. Bruno Guedes says:

    A contradição que nunca se percebe aí é:

    O sistema judiciário deixa solto um criminoso = o sistema é falho, é inútil, tem que acabar!

    Linchadores matam inocente = foi só uma exceção, ainda tá certo.

    Tem que ser meio tacanho, mesmo.

  4. David says:

    A analogia com “cagar no sofá da sala” ficou perfeita!

  5. Tiago says:

    Izzy, muito bom seu texto disse tudo cara, tenho acompanhado muitas noticias deste tipo e a maioria dos comentários sempre é “bandido bom é bandido morto” e tal, mas ninguém pensa e se for da minha família como fica, fora que com todo o problema de corrupção que temos aqui no brasil e esse sistema falho pra caramba isso nem de longe é a solução.

  6. Pedro says:

    “EU VOU CONTINUAR DIGITANDO ASSIM E NÃO HÁ NADA QUE VOCÊ POSSA FAZER.”
    Eu concordo com isso, o governo não tem o direito de mudar a lingua por decreto.
    As pessoas é que mudam a lingua ao longo do tempo, de forma natural.

    “Bandido bom é bandido preso”, esse é o meu lema.
    Só falta reduzir a maioridade penal e a polícia prender os bandidos, incluindo os “dimenor”.
    Quando isso acontecer a quantidade de linchamentos e justiçamentos irá reduzir DRASTICAMENTE.

    Mas enquanto o pensamento esquerdista predominar no Brasil, isso não vai ocorrer, é óbvio.
    http://lucianoayan.com/rotinas-esquerdistas/

    Essas pessoas que mataram a mulher são um bando de imbecis pois:
    Eles estavam em MUITO MAIOR NÚMERO e a mulher não oferecia nenhuma resistência, bastava imobilizá-la e chamar a polícia.

  7. Nino says:

    Perfeito!

  8. Mauricio says:

    Ainda não assisti o vlog, mas só o texto já está ótimo.

    Um fato à acrescentar ao caso da Fabiane: O retrato falado que foi divulgado na tal página “Guarujá Alerta” aparentemente foi feito pela Polícia Civil do Rio de Janeiro em 2012 (!), após denúncias de que uma mulher havia sequestrado uma criança do colo da mãe na rua. Além disso uma outra pessoa (Do Rio de Janeiro) havia sido acusada pela própria página e teve a imagem divulgada junto com o retrato falado como sendo a suspeita. Ela mesma escreveu no facebook dizendo que não tinha nada a ver com o caso e que nem morava mais no Rio de Janeiro.

    Além desse pensamento idiotil do povão de colocar a lei de talião em prática, o mau uso da rede social em divulgar uma informação que além de antiga era provavelmente falsa foi o start dessa porra toda.

    Já diz o ditado: Muito ajuda quem pouco atrapalha. O que uma página do facebook que não tem capacidade pra averiguar informações e evidências policiais estava fazendo ao divulgar esse tipo de coisa eu não sei.

  9. Fico pensando que poderia ser a minha mãe no lugar. Fico pensando que, quem apoia linchamentos, não pensa que poderia ser a própria mãe no lugar.

  10. Douglasss says:

    Sou a favor do linxamento pois quem age fora da lei se torna criminoso também, assim QUANDO a justiça agir para punir quem participou do linxamento, vai remover da sociedade um monte de pessoas estúpidas e colocar elas onde elas merecem: em jaulas.

    Um mal necessário para higienizar a humanidade.

    • André says:

      Só existem linchamentos porque a polícia está sendo ineficiente.
      Se a polícia é ineficiente então ela não vai prender nenhum envolvido no linchamento.

      • Discordo em termos do André, mas realmente o que o Douglasss falou será falho:
        A polícia ser ineficiente não significa necessariamente que ela não vá prender NENHUM envolvido no linchamento… Mas as chances de (pelo menos) ALGUM envolvido escapar são grandes. E, realmente, “apenas algum” escapar é ser bem otimista: no presente caso mesmo já se apurou que houve mais de 200 agressores, e só estão atrás de cinco confirmados.

        Ou seja: ALGUÉM vai acabar sendo preso, sim, e “justificando” a idéia do Douglasss; mas também vai ter gente impune, como o André bem disse!

      • Pia says:

        E a policia é ineficiente porque o povo não cobra DELA sua obrigação em servir ao povo.

        Vagabundagem circular.

        Intencional? Manobra política?

        Não importa, o povo merece tudo de ruim que acontece, por ser tão passivo e alienado aos assuntos democráticos.

  11. Jackson Vidal says:

    Honestamente, eu até compreendo quando o cara é pego NO ATO e tudo mais. Mas esse tipo de coisa medieval, além de estupido também foi preconceituoso, por que a noticia que o site divulgou foi que a mulher sequestrava crianças pra fazer “magina negra”… eu te dou 100% de certeza que isso foi o maior catalizador pro resultado, justamente pela baixa escolaridade dos ‘executores’.

  12. Patrick Pereira says:

    “Dessa forma, totalmente despido da empatia pelo seu próximo, você se tornou indistinguível do monstro a quem você odeia” Linchadores matam um assassino, por ser assassino, agora o que eles próprios são? Me dói ver galerinha de classe média barbarizando, dizendo que tá cansada de ser assaltado e isso e aquilo… Se depender deles, vamos ter um genocídio pq roubaram os iphones deles

  13. Wagner says:

    Acho curioso as pessoas falarem que o problema é impunidade ( ele é um dos, mas não o único, se resolvêssemos isso ainda acho que a violência continuaria, tlvz sofresse uma redução pequena ). Infelizmente aqui no Brasil não caiu a ficha que todos os lugares mais violentos são periferias e que a violência SEMPRE foi alta. Nos anos 90 tinha a ROTA e um esquadrão da morte na zona sul de SP que matavam bandido igual Charles Bronson e a violência nunca baixava. Onde eu morava ( Guaianases ) tiroteio, roubos a mão armada e toques de recolher eram constantes, meus pais que tinham comércio em São Miguel paulista ( onde rolou aquele video do assaltante da moto tempos atrás ) e em 1 ano foram assaltados 14 vezes. Isso em 1996. O bairro onde minha namorada mora por ex, tem traficante que pega criança pequena pra entrar no crime. Meu primo ( foi solto no outro dia pq era réu primário e vinha de boa família -- o que é boa família? ) foi preso por tráfico exatamente por isso, foi laranja.Não entregou quem aliciou ele pq se entregasse a família toda dele seria jurada de morte. Acho a merda toda MTO mais complicada que só impunidade. (y)

  14. André says:

    Brasil é tipo o Planet of The Apes.

    A população em si, psicologicamente, não tá muito distante de um traficanete marginal FDP.

    Por isso que quando eles tem a chance de iniciar uma selvageria sem serem punidos, eles vão em frente.

    É um problema de psicologia mesmo, a falta de educação domestica. Crianças são, literalmente, animais; a famailia é que precisa ensinar a criança a ter auto-controle, moral e regras da sociedade.

    Sendo que hoje em dia ninguem recebe isso, então as crianças crescem e tornam adultos sem auto-controles, burros e que não sabem viver em sociedade. O resultado é isso.

    O Brasil atual não é muito diferente do Brasil colonial.

  15. Juninho says:

    “E sim, eu sei que depois da reforma ortográfica o ‘tem’ plural não tem mais acento circunflexo mas EU VOU CONTINUAR DIGITANDO ASSIM E NÃO HÁ NADA QUE VOCÊ POSSA FAZER.”

    Na realidade, o acento diferencial permanece nas palavras em que é usado para diferenciar plural de singular (têm, vêm e derivados como intervêm).

    Além disso, por (prep.) e pôr (vb.) continuam, bem como pode e pôde.

    Fonte:
    http://michaelis.uol.com.br/novaortografia.php