Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

HBDtv: Meu VideoFAQ com as perguntas que vocês vivem me fazendo

Postado em 29 January 2013 Escrito por Izzy Nobre 31 Comentários

Olhaí um vlog novo, turma! Vamos assistir juntinhos aí:

Como sempre, imploro: deixe joinhas, favorite, espalhe o vídeo entre seus amiguinhos pra ajudar essa porra a crescer. Quanto mais feedback um vídeo recebe, mais empolgado eu fico pra criar mais. Não te custa nada, porra! 😀

Caso você prefira assistir no youtube (até porque é só lá mesmo que você pode deixar joinhas e tal), basta clicar aqui!

Grato e tenha um belo dia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: vídeo

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

31 Comentários \o/

  1. Paulo Maia says:

    Achei que esse video foi uma boa idéia, assim esclarece algumas questões cotidianas a todos. Claro que tem algumas perguntas que me parecem meio sem sentido, mas acho natural que alguém as faça. Achei legal a resposta sobre se você falava inglês quando foi para o Canadá. Acho que isso acaba acontecendo com todos que precisamos do inglês ou gostamos dessa lingua. Eu descobri que não sabia nada de inglês quando participei de uma reunião de trabalho com um texano e compreendi uns 40% do que foi dito. Naquela oportunidade eu já deveria ter acumulado uns 5 ou 6 anos de cursinho… (Só que os professores falam português).

    • Angelo Jr says:

      eu já to me esforçando bastante, to tentando ver Top Gear (tipo auto esporte, mas britânico) sem legendas, e deu pra pegar uns 60%, menos na parte em que um convidado veio, e o maldito sotaque escocês do cara me fez entender bulhufas

  2. Felipe says:

    Izzy, quanto tempo você demorou depois de passar a morar ai no Canada, para ficar fluente em inglês?

    Digo isso porque assim que eu me formar no curso de inglês aqui onde moro, pretendo fazer um intercambio para o Canada, em 1 ano de intercambio se pega fluência?

  3. Jonas Felix says:

    Oi Izzy, muito bacana o Video. Só queria fazer umas observações sobre os erros de gravação no final.

    Eu achei que ficaram muito colados com o final do video. Como assim? -- Tipo: Vc acabou de falar a PÁ! já entram os erros. talvez uma tela com links para seus videos antigos e perfis na internet (assim como muitos fazem)fosse bacana para dar um espaço entre o conteudo e o material “extra”. Um outro detalhe é sobre a musica de fundo, eu particulamente acho mais interessante nos erros de gravação ser uma parada mais crua, só o audio original mesmo. è assim que faço em meu podcast, por exemplo, e muitos outros seguem o mesmo esquema, acho que só a imagem em P&B já dá uma diferenciada bacana.

    Bem é isso.

    Seus Videos estão cada dia melhores.
    Muito Sucesso cara. VC merece ^^

    p.s -- Eu penso em português, por exemplo, porque eu raciocino falando comigo mesma na minha cabeça. Logo se vc conversa com vc mesmo em inglês na sua cabeça vc pensa em inglês, ou no caso de estar resolvendo um problema de matematica ou coisa do tipo, vc provavelmente vai estar “conversando” consigo para achar uma resposta.

  4. Angelo Jr says:

    tá, minha pergunta, oq era akele rifle que vc mostrou num vídeo um tempo atrás???? achava que vc era anti-armamentista

  5. nononono says:

    Uma pergunta pro teu adendo: Tu já pediu o teu visto de turista no Consulado Brasileiro pra botar no teu passaporte canadense, dado o fato de que quando você se naturalizou, perdeu a nacionalidade brasileira?

    • Izzy Nobre says:

      Você quer se aprofundar em outros assuntos que você claramente não entende ou vamos falar só de imigração mesmo?

      Já ouviu falar de “dupla cidadania”?

      • nononono says:

        Kra, errar é humano. Persistir no erro….é burrice. Quando você se naturalizou coloquei vários artigos e leis pra você ler e tirar suas próprias conclusões. Se ainda assim você acha que é brasileiro…paciência. Envelhecer é obrigatório. Amadurecer é opcional.

        Só te recomendo uma coisa:

        https://www7.dpf.gov.br/sinpa/inicializacaoSolicitacao.do?dispatch=inicializarSolicitacaoPassaporte&UF=DF&CD_MUNICIPIO=9701&CD_LOTACAO=274

        Quando você for requerer um novo passaporte brasileiro (não renovam mais) observe que ao preencher esses dados, eles não exigem que você declare outras nacionalidades, além da brasileira. Nesse caso você CASO DECIDA DECLARAR A NACIONALIDADE BRASILEIRA estará cometendo o crime de falsidade ideológica (crime do art. 299 do CPB), por inserir declaração falsa ou diversa da que deveria ser inscrita.

        Por óbvio, dada a sua ignorância no direito, caso o juiz tivesse que sentenciar, te absolveria por erro de proibição (procura no google), mas você teria problemas em entrar no Brasil de novo.

        Se você realmente acha que eu tô só te trollando e não querendo de boa fé te impedir que você cometa um erro banal e desnecessário, pergunte ao seu amigo Gravataí Merengue.

        Por fim, deixo a letra da Constituição para que você reflita novamente sobre o seu erro:

        CAPÍTULO III
        DA NACIONALIDADE

        Art. 12. São brasileiros:

        I -- natos:

        a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país;

        b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil;

        c) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam registrados em repartição brasileira competente, ou venham a residir na República Federativa do Brasil antes da maioridade e, alcançada esta, optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira;
        c) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira;(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãebrasileira, desde que sejam registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 54, de 2007)

        II -- naturalizados:>

        a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral;

        b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há mais de trinta anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.

        b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        § 1º -- Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro nato, salvo os casos previstos nesta Constituição.

        § 1º Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos nesta Constituição.(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        § 2º -- A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos previstos nesta Constituição.

        § 3º -- São privativos de brasileiro nato os cargos:

        I -- de Presidente e Vice-Presidente da República;

        II -- de Presidente da Câmara dos Deputados;

        III -- de Presidente do Senado Federal;

        IV -- de Ministro do Supremo Tribunal Federal;

        V -- da carreira diplomática;

        VI -- de oficial das Forças Armadas.

        VII -- de Ministro de Estado da Defesa(Incluído pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)

        § 4º -- Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que:

        I -- tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em virtude de atividade nociva ao interesse nacional;

        II -- adquirir outra nacionalidade por naturalização voluntária.

        II -- adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos: (Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira; (Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao brasileiro residente em estado estrangeiro, como condição para permanência em seu território ou para o exercício de direitos civis; (Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

        Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.

        § 1º -- São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.

        § 2º -- Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão ter símbolos próprios.

        • Izzy Nobre says:

          Atente a este trecho:

          >> II – adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos: (Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

          a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira; (Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

          O Canadá reconhece minha nacionalidade brasileira. Logo, não a perco. É simples assim.

          Eu conheço não um, não dois, mas INÚMEROS brasileiros que naturalizaram-se canadenses ou americanos e continuaram podendo tirar novos passaportes (“renovar passaporte” é a pista de que você não sabe do que fala, visto que jamais se “renovou” passaportes, você sempre tira um novo). Nenhum deles jamais teve problema algum em retornar ao Brasil.

          Ademais:

          http://frankfurt.itamaraty.gov.br/pt-br/nacionalidade_brasileira:_brasileiros_natos,_aquisicao,_perda_e_reaquisicao.xml#PerdaNacionalidade

          Sua interpretação (errônea) é bastante comum àqueles que conhecem os trâmites diplomáticos relativos a imigração apenas de passagem — ou que só leram o suficiente para “ganhar” uma discussão na internet.

          Eu, por virtude do fato de ser um imigrante, conheço as leis relevantes com um pouco mais de intimidade.

          Mas como falei: sua interpretação errada é comum pros leigos. É equivalente ao ignorante que, graças a novela, acha que ao casar com uma americana, ele se torna americano também.

          Pra você ter uma noção da realidade da coisa, pra perder sua cidadania você tem que PEDIR através de um formulário. Tem toda uma burocraria (pra variar): http://sistemas.mre.gov.br/kitweb/datafiles/Frankfurt/pt-br/file/RequerimentoPerdaDeNacionalidade.pdf

          Não que eu faça muita questão de ter a cidadania brasileira. Não serve pra nada, pra ser perfeitamente sincero.

          • Paulo says:

            Izzy, a interpretação que você fez desta alínea está incorreta.

            O reconhecimento de nacionalidade originária se refere aos casos em que o país adota o jus sanguinis, ou seja, considera nacionais aqueles que são descendentes de outros nacionais.
            É o caso muito comum por aqui daqueles que tem a nacionalidade italiana reconhecida. Eles não deixam de ser brasileiros por isso (são brasileiros, moram no Brasil e tem a nacionalidade italiana reconhecida).

            No caso de você se naturalizar, a regra é perder a nacionalidade brasileira, exceto nos casos do §4º citado acima.

            Se você naturalizou canadense por vontade, fora dos casos apontados, você pode ter perdido sim. E isso não depende de nenhuma declaração formal do Estado brasileiro, é automático.

            Mas como não conheço a sua realidade, não posso afirmar nada. Apenas apontando os fatos.

          • Izzy Nobre says:

            http://frankfurt.itamaraty.gov.br/pt-br/nacionalidade_brasileira:_brasileiros_natos,_aquisicao,_perda_e_reaquisicao.xml#PerdaNacionalidade

            CTRL F

            “Perda da nacionalidade brasileira”

            Obrigado. Se preferir tá aqui, direto da Emenda:

            http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/ecr/ecr3.htm

            Ademais:

            No caso da alínea (b) -- imposição de naturalização por Estado estrangeiro -, é preservada “a nacionalidade brasileira daquele que, por motivos de trabalho, acesso aos serviços públicos, fixação de residência, etc., praticamente se vê obrigado a adquirir a nacionalidade estrangeira, mas que, na realidade, jamais teve a intenção ou a vontade de abdicar da cidadania originária. … A perda só deve ocorrer nos casos em que a vontade do indivíduo é de efetivamente mudar de nacionalidade, expressamente demonstrada.”

            Na PRÁTICA só perde a nacionalidade brasileira quem pede.

        • Jonathan says:

          No link que vc postou, consta a frase:

          “(para brasileiros com múltipla nacionalidade selecionar Brasil)”

        • wilbac says:

          Esse saca. Leu a constituição para tentar passar em algum concurso e já quer se passar por sabichão.

          • nononono says:

            Izzy, como o Paulo bem apontou lá em cima. Você está equivocado. De nada interessa para a lei brasileira que o Estado Canadense reconheça que você mantém a nacionalidade brasileira. Para ele interessa se você foi forçado a se naturalizar para exercer atividades comezinhas da vida civil, ou se você decidiu se naturalizar.

            O entendimento do Itamaraty para aquilo que você aponta como sua “exceção” que “garantiria” a sua nacionalidade brasileira, não se aplica no seu caso, porque o Estado canadense, garante, assim como qualquer país minimamente civilizado hoje em dia, que com um visto de residente (que sabemos que era o seu caso) ou quiçá até mesmo visto de trabalho, você mantivesse sua nacionalidade e pudesse exercer suas atividades ordinárias da vida civil (trabalhar, estudar, andar na rua, essas coisas básicas).

            A partir do momento em que você voluntariamente decidiu ser canadense, como qualquer um vê no video do seu vlog, na cerimônia de naturalização, voce ABDICOU DO SEU DIREITO DE SER BRASILEIRO.

            É EXATAMENTE PARA ISSO QUE EXISTEM VISTOS. Para que o estrangeiro não seja tolhido nos seus direitos mais básicos da vida civil, de acordo com a finalidade que motivou aquele estrangeiro a se deslocar para o referido país.

            Como eu já disse naquela oportunidade, você pode recuperar a qualquer momento sua nacionalidade, existindo apenas divergência doutrinária quanto à se você retornaria como brasileiro nato ou naturalizado (eu acho que deveria voltar como nato), ABDICANDO, é óbvio, daquela que você adquiriu.

            Agora como já disse no outro comentário. Se ainda assim você acha que tô te trollando.Paciência.

            Vai lá e liga pro consulado e pergunta assim:

            “Ei tem um babaca que ta me trollando no meu blog dizendo que eu num sou mais brasileiro porque eu me naturalizei voluntariamente canadense, esse idiota tá errado, né?”

            Ai tu espera a resposta do consulado.

            Consulado Geral do Brasil -- Canadá

            Endereço:020-666 Burrard StreetCidade:Vancouver

            Cep:V6C 2X8

            Telefone:(00xx1-604) 696-5311 Fax:(00xx1-604) 696-5366 Email:consbrasvancouver@gmail.comSite:

            http://consbrasvancouver.wordpress.com/

            Caixa Postal: 191

          • nononono says:

            Outra coisa que tu talvez não saiba: na hora que a merda acontece, e aperta, num é a portaria do Itamaraty ou do Ministério da Justiça que vai te ajudar não. É o Ministério Público Federal e a Justiça Federal,com suas visões bem menos “elásticas” do que essa a que você tá se propondo, que vão apreciar se você ainda é brasileiro ou não.

            Essa portaria 172 de onde você chupinhou o texto é ato administrativo meramente declaratório, CUJA INTERPRETAÇÃO VOCÊ TEM DADO ;E COMPLETAMENTE EQUIVOCADA, que não se sustenta nem um piscar de olhos na frente de um juiz federal.

            Vai por mim, pede teu visto. :p

          • Izzy Nobre says:

            Site do Consulado Brasileiro em Roma:
            http://www.consbrasroma.it/faq/index.html#dupla01

            1) Estou tentando conseguir também a minha cidadania italiana. Quando eu obtiver a cidadania italiana, perderei a cidadania brasileira?
            Não. O(A) Sr.(a) ou qualquer brasileiro(a) pode ter duas ou múltiplas nacionalidades e passaportes. A única forma de perder a nacionalidade brasileira é mediante a manifestação expressa do interessado de que não quer mais ser cidadão ou cidadã brasileiro/a.

            Conforme a prática atual consagrada em tribunais brasileiros, que reconhecem o direito à dupla (ou múltipla) cidadania, o(a) brasileira(a) que se naturalizar só terá decretada a perda da nacionalidade brasileira se manifestar, por escrito e de maneira inequívoca, sua vontade de perder a nacionalidade brasileira, necessariamente sob a forma de requerimento endereçado à autoridade consular brasileira competente – isto é, à Repartição Consular brasileira em cuja jurisdição se incluir a localidade onde o(a) interessado(a) reside oficialmente.

            Site do Consulado Geral em Toronto:
            http://toronto.itamaraty.gov.br/pt-br/nacionalidade_brasileira.xml

            A perda da nacionalidade brasileira originária só ocorrerá nos casos em que haja manifestação expressa da vontade do indivíduo de efetivamente mudar de nacionalidade, documentada em requerimento pelo qual solicita a declaração de perda. O processo de perda da nacionalidade brasileira deverá ser instruído com os seguintes documentos:

            requerimento dirigido ao Ministro da Justiça, no qual declare haver adquirido voluntariamente a nacionalidade estrangeira e desejar perder a brasileira;

            cópia autenticada do certificado de naturalização;

            original ou cópia autenticada da certidão de nascimento, ou, ainda, original ou cópia autenticada de certidão de casamento da qual constem nome do cartório e número do livro e da folha do registro de nascimento do interessado;

            documento (por exemplo: certidão de casamento) que comprove eventual mudança de nome, se essa não constar do certificado de naturalização;

            e tradução oficial do certificado de naturalização e, no caso previsto no item anterior, do documento que comprove a mudança de nome.

            Chupa. Você está errado.

            Aguardo você dizer que o Itamaraty está errado, ou que estava “trollando” o tempo inteiro.

            Edit: LOL ele sumiu da discussão.

    • Igor Miranda says:

      Sou membro do MPF, nonono.
      Vc está errado! O Izzy somente perderia a nacionalidade após processo administrativo do Ministério da Justiça (seja mediante requerimento do próprio Izzy ou, ainda, de ofício caso seja do interesse nacional).
      E outra… Não existe esse MPF malvado que deseja tirar a nacionalidade das pessoas. Hehe

  6. Daniel says:

    Também não penso em língua nenhuma, o ato de pensar para mim é relacionar objetos com informações- isso não se faz numa língua.

  7. André says:

    Vc virou canadense, ok. Mas vc vira tipo alguém de algum estado ou cidade ai? Ou vc é só canadense e que se foda o resto?

      • Angelo Jr says:

        ele quer saber se você tem uma cidade natal, tipo fortaleza-CE, para sua cidadania canadense, ou se a sua cidadania simplesmente diz que vc é canadense, sem nenhuma cidade de referencia.

      • Acho que ele quis dizer: “Sou brasileiro, mas também fluminense, pois nasci no Rio de Janeiro” No Canadá, você seria algo além que canadense? Mas nesse caso a resposta seria não, pois esse tipo de classificação serve apenas para rotular um cidadão pelo seu local de nascimento, e você não é um nativo canadense.

      • Francisco says:

        Ele quis dizer algo como o fato de além de ser brasileiro, vc é cearense. Aí no Canadá, vc é só canadense mesmo?

      • Eduardo says:

        A pergunta é: Se vc se torna ‘paulista’, ‘cearense’, ’tilambucano’ etc.

      • Vinicius Ayelo says:

        Acho que a analogia foi a seguinte:
        Aqui tu era brasileiro e cearense.
        Aí tu é apenas canadense ou tem um gentílico relativo ao estado/cidade?

      • Jonathan says:

        “Calgariense”

    • Rafael says:

      Acho que o que ele quis dizer é se tem tipo “Quem nasce em São Paulo é Paulista” etc, se você que mora em Calgary tem algo do tipo!

    • @mos_axz says:

      Ele é Brasileiro e Canadense, residente em Calgary -- Alberta e nascido no Ceará. Onde ele nasceu não muda por uma questão de lógica. A lógica é a mesma de você nascer em Pernambuco e morar em São Paulo. Você continua sendo pernambucano. Ele não é canadense realmente, é naturalizado canadense, que apesar de ser tratado de maneira igual(suponho eu, não entendo das legislações canadenses. Sendo sincero entendo porcamente as brasileiras) ele não é canadense igual a Bebba.

      De qualquer forma se eu estiver errado ele vai me corrigir quando for aprovar o comentário.

  8. Tadeu says:

    O Izzy pensa vendo uma simulação do Mário se metendo em altas confusões

  9. Gary M. Silva says:

    “Você tem vontade de voltar pro Brasil?” Não, se você está vivendo maravilhosamente bem num país com impostos baratos, baixíssimo índice de violência e corrupção, educação excelente, etc., etc., porque diabos você voltaria pro Brasil?

  10. Juliana says:

    o que você está cursando na faculdade? enfermagem, medicina?