Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

Tentou roubar uma moto, TOMOU NA BUNDA

Postado em 13 October 2013 Escrito por Izzy Nobre 26 Comentários

Olhaí um vlog novo, turma! Vamos assistir juntinhos aí:

Como sempre, imploro: deixe joinhas, favorite, espalhe o vídeo entre seus amiguinhos pra ajudar essa porra a crescer. Quanto mais feedback um vídeo recebe, mais empolgado eu fico pra criar mais. Não te custa nada, porra! 😀

Caso você prefira assistir no youtube, basta clicar aqui!

Grato e tenha um belo dia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: vídeo

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 30 anos, também sou conhecido como "Kid", moro no Canadá há 10 anos, e sou casado com uma gringa. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

26 Comentários \o/

  1. Em primeiro lugar:
    Velho, tu me lembra muito o Renato Russo.

    Não vou ficar defendendo o ladrão. Se fosse eu, queria é que tivesse morrido. O problema todo é que um caso desses atiça o fascismo dentro das pessoas. Vendo 99% dos comentários no youtube, percebo que os argumentos partem de um maniqueísmo absurdo, de “trabalhador coitadinho” e “ladrão mau”.

    Neste contexto, certamente o policial agiu certo, até porque o candango não morreu. Mas o espírito de “ladrão bom é ladrão MORTO” implica num podar da liberdade de outras pessoas (“ninguém tem direito de viver senão sob minha visão do que é correto”). E isso é perigoso.

    O que leva alguém a roubar (e matar) outra pessoa é a incapacidade de se colocar no lugar do próximo, falta de empatia. Acontece que ficar gozando porque o pivete se fudeu, e ficar gritando aos 4 cantos que “tem que matar esses putos mesmo” só acentua a nossa própria falta de empatia, e nos torna menos humanos. Vai que alguém com uma moral extremamente rígida e religiosa ao extremo vê todos os que não fazem parte de sua religião como “emissários do Mal”, já sem empatia alguma, se vê na oportunidade de “fazer o trabalho de Deus” e “limpar” a Terra dessa “escória”. Entende meu pensamento?

    No mais, creio que se a segurança pública por aqui fosse mais eficaz, assim como a educação, o brasileiro médio não alimentaria tanto esses sentimentos mórbidos. Se um dia isso acontecer, coitado do Datena…

    • Douglas says:

      Vc está fazendo a vitimização exata do bandido, que tanto critica.

      Esse tipo de bandido que vc citou, morreu ele não existe mais. Hoje se rouba por pouco.

      O dia que você e um brother seu forem assaltados (o que eu espero que nunca aconteça) e o cara falar que o teu brother tem cara de playboy e mete um tiro no peito dele pq segundo ele “playboy tem que morrer” aí talvez você entenda que esse mundinho utópico onde as pessoas dançam como em Glee de tão felizes que são, não existe.

      Hoje não se comete crimes pra se sustentar e sim pra ostentar… Esses rapazes iriam usar essa moto pra fazer um peão ou então um cavalo. Ele não ia roubar essa moto pra vender e poder viver, pagando seu aluguel e/ou etc…

      Hoje a única opção é mostrar que o crime não compensa, como? Começando com um rigor maior em cima de vagabundo, fazendo-o pensar 13 vezes antes de fazer o que faz…

      Vinicius vou te deixar uma pergunta:

      Se o vidaloka aí tivesse atirado no motoqueiro, você teria essa mesma opinião? Aliás, você estaria aqui?

      Se está com dó, ele está em um hospital do Tatuapé ZN de SP, é só perguntar que te passo o endereço dele, se bem que ele tá pedido já, então só deixar que a natureza cuida do resto.

      Sobre ser ou não humanos, vemos a diferença clara no vídeo.

      • Eu não fiquei com dó. Eu concordo que é preciso de mais vigor. O que estou tentando fazer é uma análise racional, não movida por qualquer emoção, o que seria muito difícil caso a vítima do assalto fosse eu.

        Só acho que a questão é MUITO mais profunda do que só sair matando. Em primeiro lugar, mais policiamento e penas mais duras. Depois disso, que fosse pensada educação e infraestrutura.

        Em momento ALGUM do meu comentário eu critiquei a ação do policial, inclusive reforcei que foi “merecido”.

        • M.P.V says:

          Boa noite Izzy.

          É muito difícil eu me manifestar no seu blog embora o acompanhe todos os dias então antes de mais nada agradeço por este ótimo blog que você mantem, parabéns pelo seu ótimo trabalho.

          Bom a minha opinião sobre o assunto é meio feia talvez mas realmente é o q penso e como eu respondo a estas situações.

          Em primeiro lugar acredito que a forma com que você ou qualquer outro estrangeiro pense é a forma correta de se pensar e eu entendo isso. Porem isso ocorreu dentro da cidade de São Paulo, nesta cidade as coisas já são tão absurdas que assalto parou de ser algo incomum e se tornou rotineiro.

          No brasil a média de impostos é de 50% sobre TUDO ou seja o nosso poder de compra REAL é de metade do nosso salario, o salario médio no brasil é uma porcaria, qualquer coisa que uma pessoa queira comprar é um esforço absurdo. São Paulo é um das cidades mais caras para se viver o que já leva mais uma boa grana das pessoas.

          Agora pensando neste contesto Izzy imagine o que é para um individuo que compra com muito sacrifício QUALQUER coisa neste pais gasta uma grana absurda em impostos e ainda tem seu bem levado desta forma.

          Isso por si só é motivo de revolta. mas não é só isso, em SP nos temos de comprar algo pensando “bom quando roubarem comprarei outro” porque em grande maioria dos casos vão te roubar e furtar. Nós nos condicionamos a aceitar o assalto como algo rotineiro e logico que isso deixa em nos um ódio tremendo, que acaba por gerar este ódio do bandido como não sendo um ser humano.

          No meu caso, já fui assaltado um bom numero de vezes e não sei se por reflexo ou por ser idiota na grande na maioria das vezes eu reagi inclusive dei uma facada em um dos bandidos que me assaltou, confesso que não é uma sensação boa, você se sente realmente mal em primeiro por pensar que o homem esta morto (no meu caso ele não morreu mas eu demorei umas horas a saber disso) e em segundo caso, se ele esta vivo o que vai ser de você caso ele queira uma vingança? Acabei ficando em estado de paranoia por isso a tal ponto que sempre ando com uma faca, fiquei alguns anos sem conseguir sair de casa sem uma e só agora 4 anos depois do ocorrido que consigo sair de vez em quando sem uma.

          Pouco tempo depois deste caso fui assaltado novamente, colocaram a arma na minha cabeça, eu estava indo viajar e acho que quase tudo q eu tinha estava em minha bolsa. logico que eu não reagi, nem teve muito como reagir, ainda tentei seguir o cara que estava em uma bicicleta mas ele entrou na favela e sumiu. a sensação de impotência é algo absurdo a situação se repete em sua mente. até hoje não comprei todas as coisas que eu tinha naquela mochila.

          Então eu digo, ok não acho certo imaginar um bandido como alguém sem coração sem família e apenas como um grande vilão. Mas sei que quando ele se sujeita a fazer o que faz, seja la por qual for os motivos dele, ele ta aceitando o risco de não voltar para casa a noite, e portanto se ele se der mal, ótimo menos uma pessoa que poderia ME roubar nas ruas!

        • Douglas says:

          Então Vinicius, sou contra matar, acho que as pessoas erram sim e merecem uma segunda chance. Só que no Brasil hoje, pessoal mata sem qualquer razão (não que deva ter uma razão para tal), a partir do momento que o bandido tiver a real chance de perder a vida, ele vai pensar N vezes antes de cometer o crime.

    • Aleluia says:

      Vinicius Dali…
      Que belo comentário!
      Principalmente essa parte:
      “Acontece que ficar gozando porque o pivete se fudeu, e ficar gritando aos 4 cantos que “tem que matar esses putos mesmo” só acentua a nossa própria falta de empatia, e nos torna menos humanos.”
      Historicamente houve uma mudança da execução das penas no sentido de as tornarem mais “humanas” justamente porque as mais violentas representavam uma ameaça aos poderosos que a instituíam e a executavam, como um tiro no pé.
      Quem quiser ler: Foucault, vigiar e punir ou Beccaria, dos delitos e das penas.
      Difícil alguém da área não jurídica que tenha uma visão como a sua, por que a maioria fica gritando as mesmas besteiras sem se darem conta da complexidade do fenômeno!

      Não queria enfiar discurso religioso junto, mas todos sabemos que não dá para apagar uma fogueira jogando gasolina nela. O budismo (como em qualquer outra religião)explica que o ódio só termina com uma força contrária. Se não dá pra amar um vagabundo desse, ao menos que apliquem uma pena de segregação social humana, pois o Estado como força superior ao indivíduo deve dar o exemplo de compaixão, ao contrário de instigar ainda mais a violência como ocorre aqui.

      • Douglas says:

        Tudo muito bonito e utópico. A vida é diferente dos livros e da internet.

        • Aleluia says:

          Discordo.
          Um livro do século 19 de um cientista jurídico que mudou o sistema prisional no ocidente inteiro é algo utópico.
          Sabia que a taxa de reincidência de crimes na noruega é de apenas 20% com suas prisões humanitárias.
          Enquanto aqui no Brasil que criaram o inferno na Terra a mesma taxa é de 80%.

  2. Ontem fui assaltado aqui em Fortaleza e embora eu gostaria que o bandido aí da Hornet estivesse morto, sou contra a pena de morte no Brasil: só morreria gente “pobre e preta”.

  3. clovis says:

    como ja diria o cap. nascimento: Não da pra perdoar, traficante não perdoa.

  4. Paulo Maia says:

    Ao que me parece a própria PM de S.P. em nota diz que o policial agiu dentro da lei ao presenciar e impedir um crime. Além disso o fato de o policial atirar no abdomem e na perna do bandido contam ponto a favor do policial já que claramente o objetivo não foi matar o bandido mas sim impedir um assalto.

    É claro que se nessa abordagem o policial erra o tiro e acerta alguém que passava pela via ou ainda o próprio assaltado que filmava a ação, aí vão dizer que ele agiu errado, que não deveria ter atirado e que o correto seria chamar reforço e coisas do tipo.

    Minha opinião pessoal: valeu o risco.

    O que precisamos aqui no Brasil é uma reforma nas leis para que um bandido pense dez vezes antes de cometer um delito. Como regra geral em quase todo assalto tem sempre um “de menor” que é quem porta a arma ou é quem bota fogo na vítima e depois de cumprir uma medida educativa está de novo nas ruas para barbarizar novamente.

  5. Crisforton says:

    Ei, sério q me bloqueou izzy? q coisa feia meu, estou tentando te ajudar mesmo q não saiba interpretar isso…, tou vendo que é dono de uma mente frágil, já dá pra perceber na sua pessoa, o T.O.C. já é um sinal de uma futura loucura.

    Agora é sério que precisamos de mais um estrangeiro, um enfermeiro medíocre estrangeiro criticando nosso pais, como se não bastasse a mídia internacional sempre dando destaque para as negatividades do Brasil, ainda temos um enfermeiro q se acha só porque saiu de um páis com dificuldades e vive bem agora, porque cidadão canadense que critica o Brasil é facil, lá de longe no seu Mustang, que conta pra mulher e a mulher para outros canadenses e o Brasil virá um antro de pensamentos negativos, que aqui só tem violência, assassinato e o brasileiro com mais um vídeo de merda negativo fica sem interesse em levar este pais pra frente, pq o que vemos neste pais, não só na TV e agora na Internet e este tipo de MERDA, eu sai da TV Brasileira a 10 anos atrás pq vi q ele continha este tipo de noticia, o jornal inteiro é de morte, assassinato, politico roubando, ai vou na net para esquecer e ainda tem a porra de canadense postando essa merda, e pior um enfermeiro de merda q não tem nem instrução provavelmente q fica no tédio por alguma razão, vc sabe pq razão, vc que não quer abrir os olhos, pq ai vc vive num emprego de merda digno de um latino mesmo comprando o que vc quer num pais q te dá, mas vive preso ao Brasil fazendo videos e tentando sonhar que um dia esta terra vai ser o Canada?, quer ajudar o Brasil?, não fique criticando, pq tanto vc qto seu pai, só sabem ficar lá longe na boa vida jogando na cara dos brasileiros com se fosse crianças que acabaram de receber um brinquedo e nem mesmo sabem a verdadeira realidade pq não moram a mais de 10 anos por aqui e acham que tem a razão de criticar o nosso pais, querem ajudar? virem políticos e votem corretamente, pq a mídia estrangeira já faz isso demais, de nos negativar e não ajuda em porra nenhuma, façam videos positivos, pq não fazer videos sem tocar em Brasil, por isso vcs ficam nessa, limitados a 10000 views por videos, pq isso não interessa mais a nos, já estamos cansados de nos mesmos criticar o pais, de ver na midia toda esses videos incansavelmente e vcs são mais uns q nos criticam, a diferença e que vcs o fazem em videos, sejam criativos e originais.

    • Izzy Nobre says:

      Eu aprovei seu comentário com um único objetivo: compartilhar com os outros leitores o tipo de insanidade com a qual tenho que lidar às vezes.

      Velho você encheu meu saco incessantemente e fez inúmeros comentários de natureza sexual sobre minha mulher. Por várias semanas; aliás, acho que meses até. Chegou ao ponto de que eu via seu avatar e já me preparava pra ler alguma merda; eu fiquei condicionado a não esperar nada além disso de você.

      Eu sou um cara bem paciente, tanto que permiti essa encheção de saco por um bom tempo. Aí um dia você me pega de mau humor, eu decido que cansei e te bloqueio (coisa que a maioria de pessoas teria feito já há algum tempo, eu te garanto).

      Em vez de move on e/ou tirar 2 segundos pra fazer uma auto-análise e perguntar a si mesmo “uma pessoa tomou a decisão de NUNCA MAIS querer se comunicar comigo; o que eu poderia ter feito pra que isso não acontecesse?”, você corre aqui pra soltar esse rant raivoso, amargurado e incoerente…?

      Get a fucking life.

    • Lucas Paiva says:

      “…por isso vcs ficam nessa, limitados a 10000 views por videos, pq isso não interessa mais a nos…”

      realmente “só tem” 10.000 (DEZ MIL) pessoas interessadas na opnião dele, e VOCÊ caro colega, com certeza, é uma delas.

      Sai da internet, faça amigos (se conseguir) e pare de chorar no site dos outros, se alguém critica esse país é por culpa de gente como você que nao faz nada de bom e ainda fica reclamando.

    • Daniel says:

      Cara, de onde vc tirou que ele quer ajudar o Brasil? Se o vídeo não te interessa, é chato e batido, não assiste. Vc saiu da tv aberta há 10 anos, e ainda não percebeu que a maior qualidade da internet é essa: VOCÊ SÓ CONSOME O QUE QUISER.
      Outra idéia: se vc tem ideias de vídeos muito melhores, faça-os e fique rico.

    • Paulo says:

      Manezão!

  6. Gabriel Almeida says:

    Antigamente eu acreditava que quem roubava fazia por necessidade, que não tinha escolha. Acreditei que quem roubava merecia uma segunda chance, hoje, não penso mais assim. Por que?

    Porque durante uma tentativa de assalto, dois bandidos tentaram roubar a mim e minha namorada, quando estávamos chegando da aula e um deles tentou abusar dela no meio da rua enquanto o outro me ameaçava com uma faca de cozinha. Não pensei duas vezes e parti pra briga, fui esfaqueado cinco vezes e tive que levar mais de quarenta pontos na barriga porque meu intestino e baço foram perfurados pelas facadas. Sobrevivi por pura sorte e evitei que o pior acontecesse com ela. Dois dias depois, enquanto eu estava internado os dois foram presos. Ambos já tinham várias passagens pela polícia e o motivo por terem resolvido nos roubar? Porque minha namorada era muito gostosinha e eles estavam entediados.

    Depois do inferno que passei eu não acredito em recuperação de bandido, pra mim, se o cara passou duas vezes pela cadeia, já merece pena de morte.

  7. Fábio says:

    Só digo uma coisa:
    Counter-terrorists WIN!

  8. Thiago says:

    Ladrão bom é ladrão morto. Infelizmente não é o que acontece sempre. Estamos a mercê desses putos.

  9. Nuno says:

    Sempre é bom lembrar que bandido também vê esse vídeo. Também vê essas comemorações. E é por isso que eles tenderão a ser mais violentos. Porque sabem que, cada vez mais, todos querem a máxima violência contra eles.

    Sou a favor da atitude do policial que teve, aliás, muita coragem para fazer o que fez (tem que ter muita coragem e senso de dever em se expor a levar tiro).

    Mas, de qualquer forma, “escalada de violência” é isso: um ato de violência repercute, e tende a gerar mais violência.

    E não sei qual a solução. Naquele momento, era sim atirar no bandido. Parabéns ao policial. Mas realmente não sei se a sociedade ficou mais segura com isso.

  10. xavier says:

    ǹ entendo o debate, o policial atirou, num bandido armado, ǹ o matou, e ainda levanta-se um debate a respeito.

  11. Nachsieben says:

    Opa, pelo visto (até hoje) sou uma das 3 pessoas.

  12. Leo says:

    Não vou mentir, como brasileiro eu gostei da cena, eu não deveria ser assim, mas curti.