4 objetos astronômicos que sua frágil mente humana mal conseguirá compreender

O universo é igual as condições da cozinha do restaurante onde você está almoçando ou o passado sexual de uma namorada: pro seu próprio bem estar mental, é melhor você não ficar pensando muito nisso. O que você acaba descobrindo pode alterar fundamentalmente o seu usufruto da experiência.

A imensidão cósmica ao nosso redor, as escalas de tempo inconcebíveis, as forças literalmente astronômicas que coordenam as mecânicas celestes… Quero dizer, eu já sabia que era insignificante, só que tem algumas estruturas astronômicas que ALOPRAM COMPLETAMENTE e esfregam na nossa cara o quão minúsculos nós realmente somos. Como por exemplo…

Messier 87, a galáxia que vomita plasma

A inacreditáveis 53 milhões de anos luz do nosso planeta encontra-se a galáxia Messier 87, assim nomeada porque um sujeito chamado Charles Messier foi o primeiro a apontar pra sua direção e falar “olha, uma galáxia ali”. Imagino que naquela época era um pouco mais fácil porque pra todo lado que você olhava tinha um monte de coisa ainda não descoberta.

Aliás, esses caras tinham pouquíssima criatividade. Eu jamais teria desperdiçado a oportunidade única de dar nome a coisas que seriam estudadas por séculos mais tarde pelos humanos mais inteligentes entre nós, que seriam obrigados a usar estes nomes em papéis científicos de extrema importância.

A academia astronômica deu sorte, isso sim. Se eu tivesse nascido 3 ou 4 séculos atrás você estaria hoje rodeado de Constelação Estrovenga Milenar, Estrela Quem Deu A Bundinha Dê Uma Risadinha e a Nebulosa Seu Cu Em Chamas Meu Pau Ao Resgate.

Mas enfim, essa porra encontra-se a 53 milhões de anos luz daqui. A propósito, pare pra pensar nisso por um instante — 53 MILHÕES DE ANOS LUZ. Luz emanada pela M87 demora 53 M I L H Õ E S de anos pra chegar aos nossos olhos. Um objeto localizado a 53 anos luz já seria uma distância completamente impraticável pra qualquer tipo de exploração dentro da escala de vida humana; é difícil compreender totalmente o que essa distância significa porque nada no contexto humano é tão longe assim.

Pra mim, as duas horas que demoro pra dirigir pra cidade da minha namorada é longe pra caraio. Como é que eu conseguiria contemplar o que 53 anos luz de distância representa…?

Agora imagina algo literalmente um milhão de vezes mais distante1. É lá que fica Messier 87. Se “a puta que te pariu” fosse literalmente uma posição geográfica (como o insulto clássico que o convida pra ir lá insinua), seria perto da M87.

É longe pra cacete.

A M87 é uma galáxia elíptica supergigante que fica ali na esquina da constelação de Virgem, fazendo um rolezinho com várias outras galáxias:

Como é que isso aí fazia os povos antigos pensarem em “virgem” eu jamais entenderei.

Apesar de estar tão absurdamente longe do nosso planeta, M87 é um dos sinais de rádio mais intensos do universo observável. Mais impressionante que isso é o fato de que há um jato de plasma imensamente rápido (“jato relativístico” é o termo correto, justamente porque sua aproximação da velocidade da luz o torna sujeito às leis da relatividade).

Mais impressionante que isso é o fato de que esse jato de plasma (não o plasma do sangue, plasma do quarto estado da matéria) se estende por cinco MIL anos luz.

A parada é tão longa e tão rápida que as primeiras medições computaram erroneamente uma velocidade 5 ou 6 vezes maior que a da luz — o que é obviamente impossível, e fez os astrônomos bolarem outros métodos pra medi-la. Não apenas isso, mas cientistas também detectaram que suas emissões energéticas provocam ondas sonoras — 56 oitavas abaixo do Dó, o que significa que M87 só precisa aprender mais 3 notas pra poder sair refutando pelo YouTube afora.

As torres espaciais de Pilares da Criação

Os espaços vazios aí é porque não se trata de uma fotografia só, e sim uma composição de várias exposições do Hubble.

Comparados à Messier 87, a Nebulosa da Águia tá até bem pertinho — “apenas” 6 mil anos luz daqui. Pra dar uma noção de escala (que a gente não consegue compreender mesmo, já que somos micróbios basicamente), isso é próximo do comprimento daquele jato relativístico vomitado pela M87.

Ou seja, se M87 fosse um folião do carnaval que se encontra na outra calçada, o vômito com sabor de Corote não chegaria até você, mas alguns respingos talvez pegassem no seu chinelo.

Os Pilares da Criação (que na verdade é o nome da fotografia, tirada em 1995 pelo telescópio Hubble, e não dos objetos em si) são estrutura gasosas localizadas na Nebulosa da Águia. Aqui estão os pilares comparados ao resto da estrutura:

O maior pilar, o da esquerda na foto, tem aproximadamente quatro anos luz de comprimento. É difícil compreender uma estrutura contínua com tamanho de vários anos luz, mas aí está.

Mais interessante que isso é o seguinte: embora ainda seja possível ver os pilares através de telescópios, acredita-se que eles foram destruídos mais ou menos 5 mil anos atrás. Astrônomos detectaram uma densa nuvem nas proximidades dos pilares, e determinou-se que trata-se da onda de choque causada por uma supernova. A posição e velocidade da onda deixa aparente que os pilares foram atingidos por ela há milênios atrás, e quase certamente destruídos, mas por causa da distância da nebulosa e da velocidade finita da luz, ainda vai demorar mil anos pra que possamos ver isso.

UY Scuti, a maior estrela conhecida

UY Scuti fica localizada na constelação Scutum, ou “Escudo” em bom português.

Novamente eu tenho que paralisar o texto pra fazer uma piadinha sobre o tipo de maconha estragada que os antigos sábios fumavam pra imaginar que as linhas imaginárias conectando as estrelas em constelações produziam objetos e criaturas míticas.

Se isso aqui é um escudo, só mesmo um bonequinho de palito poderia usa-lo de forma eficiente pra se defender de alguma coisa.

NA REALIDADE, o nome não é nem tanto porque isso aí lembra um escudo, e sim porque o seu descobridor, o astrônomo polonês Johannes Hevelius, queria mandar um salve pro rei John III Sobieski — que havia no ano anterior ganhado a Batalha de Viena. O cara queria pagar um pau pro monarca, e não tinha com dizer que esse losângulo parecia com o rei sem ir pra guilhotina, então ele falou “ahhh… é o ESCUDO dele então, pronto!”, o que não me faz qualquer sentido porque esses ângulos de Scutum remetem muito mais a uma espada do que a um escudo.

Ou, pelo menos, remete MUITO mais a uma espada do que a outra constelação2 que ganhou esse nome, a Espada de Órion:

A área que eu circulei de vermelho seria a “espada” de Orion, e nem com muita boa vontade eu consigo ver a arma branca aí. Talvez o favoritismo do nome seja porque Órion foi descoberta muitos séculos antes (a constelação já era conhecida nos tempos pre-históricos, aliás), mas como eu falei antes: maconha estragada é também uma boa teoria.

Aliás, os povos antigos deviam estar compartilhando essa maconha, porque os chineses coincidentemente também associavam aquele losângulo com arma bélica — no caso, o “Capacete Celeste”.

Então. Em Scutum fica UY Scuti, que é atualmente a maior estrela conhecida — e provavelmente permanecerá assim, porque existem limites pra massa e volume que um objeto celestial consegue atingir ainda mantendo sua continuidade. É possível que um objeto MAIOR que UY Scuti não conseguiria se “organizar” como uma estrela.

Pra que você entenda o tamanho de UY Scuti, aqui está o Sol e a Terra próximos um do outro, em escala:

Agora, esta é a comparação de UY Scuti e o nosso sol, novamente em escala:

UY Scuti tem quase MIL VEZES o diâmetro do sol. Pra você ter uma noção, o diâmetro do sol é apenas 109 vezes maior que o da Terra. Ou seja, UY Scuti é dez vezes maior que o Sol, do que o nosso Sol é maior que a Terra.

A propósito, essa estrela gigante fica a quase dez mil anos luz de distância de nós, o que é excelente, porque se a estrela se localizasse no nosso sistema solar, a fotosfera dela chegaria em Júpiter.

UY Scuti é TÃO grande que um objeto viajando em sua superfície na velocidade da Luz demoraria oito horas pra percorrer o seu equador. O mesmo objeto demoraria apenas 14 segundos pra percorrer a mesma trajetória ao redor do Sol.

Ou seja, UY Scuti é aproximadamente do mesmo tamanho que eu estava em 2017, antes de tomar vergonha na cara e começar a comer como um ser humano normal.

Tava ruim, mano

A Aglomerado da Escova de Dente

Embora a criatividade dos antigos em dar nome aos objetos astronômicos pareça às vezes movida a base de psicotrópicos, devo admitir que há mais poesia em nomear os astros com títulos que remetem a figuras míticas e coisa do tipo. O Aglomerado da Escova de Dentes me faz pensar que, se os antigos sábios fossem como nossos astrônomos atuais, no céu noturno veríamos a Nebulosa do Graveto ou a Constelação de Uma Pedrinha Que Eu Chutei Ontem.

Essa “estrutura” verde que compõe o cabo da escova tem o comprimento de 6.5 MILHÕES de anos luz, e é composto primariamente de emissões de rádio. A parte roxa seriam sinais de raio X. E o nome chique do aglomerado é “1RXS J0603.3+4214”, cujo significado eu não chego nem perto de compreender. Vai “Escova de Dente” mesmo.

Sabe-se relativamente pouco sobre o aglomerado, o que me impede de fazer mais piadinhas a seu respeito, além do fato de que a Escova de Dente quase certamente não existe mais da forma que a detectamos da Terra.

Eu gostaria de finalizar esse texto dizendo algo como “uau eu subitamente não me importo mais tanto com minhas preocupações terrestres” exceto que isso não vai pagar minha multas de excesso de velocidade, então continuo intimamente preocupado com a minha vidinha humana insignificante sim.

Boa tentativa, Universo, mas se eu não pagar essa porra eu vou preso e isso é imensamente mais urgente do que uma estrela gigante ou sei lá mais o que diabos você inventou.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

14 comments

  1. Ainda bem que você coloca piadas no texto, pra aliviar aquela angústia quando você se dá conta do quão merda você é pro universo.

  2. Pingback: TREVA CRIATIVA
  3. Izzy Disse: “Boa tentativa, Universo, mas se eu não pagar essa porra eu vou preso e isso é imensamente mais urgente do que uma estrela gigante ou sei lá mais o que diabos você inventou.”

    Ai no Canada você vai preso por não pagar as dividas? Aqui na pátria de bananas, seu nome fica sujo e nada acontece feijoada. EU mesmo estourei 6 mil num cartão comprando um ps4, um switch e abrindo um estúdio de tatuagem e não tenho nem intenção de levantar dinheiro pra pagar a fatura esse mês xD

  4. Mermão, fazia tempo que não lia textos tão bacanas assim aqui no HBD, fico feliz de te ver novamente motivado a escrever Izzy, sem dúvida é algo que você faz bem pra caralho! Inclusive, a escova de dente parece bem mais com uma espada que a espada de órion, não? Tem até o cabo com um protetor p mão…

  5. Boa, Izzy! Seria legal se você voltasse a escrever histórias sobre sua infância também(Ou qualquer fase na real) Amo ler/ouvir histórias. Fica aí uma dica de podcast, inclusive: Você e um convidado contando histórias engraçadas e situações bizarras pelo os quais vocês passaram. Eu ouviria toda semana, com certeza!

  6. Muito bom texto Izzy.

    Mas essas estrelas grandes deixaram de me impressionar depois que eu descobri que elas não passsam de um balão inflado.

    Acho mais interessantes as estrelas supermassivas, que começam a se despedaçar e pulsar, na iminência de se desfazerem e explodirem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *