4 sacanagens que todos fazíamos com o irmão menor

Ser irmão mais velho serve como um laboratório pra muitas experiências nessa vida. O irmão mais novo é um amigo (o primeiro e o mais próximo, diga-se de passagem) e o único familiar sobre quem você exerce alguma influência.

Aliás, pro irmão menor — especialmente se a diferença de idades é grande, digamos, cinco ou mais anos –, o filho primogênito é quase uma extensão de figura paterna.

Esta é minha foto favorita pra ilustrar qualquer texto que relate estripulias de infância com irmãos

E obviamente nós irmãos mais velhos não podiamos perder a oportunidade de sacanear a gurizada com a nossa posição de importância. Por exemplo…

4) Abusar da falta de habilidade matemática

Uma das vantagens de ser irmão mais velho é que (a menos que você seja um porífero desprovido de capacidades cognitivas) sempre cursaremos uma série acima dos pivetes. E com essa inexorável vantagem acadêmica, vem a chance de explorar a criançada de forma que você nunca poderá  fazer novamente, então, essa é a hora de aproveitar. Quem falou que “conhecimento é poder” devia ter um irmão caçula.

Haviam várias modalidades dessa trollagem com o irmão menor:

“Um pra você, um pra mim; dois pra você, dois pra mim”

Durante a partilha de seja lá o que for (brinquedos, guloseimas, whatever), o irmão mais velho dá um pro irmão menor, e em seguida um a si mesmo. Mantendo a conta, ele continua com “dois pra você, dois pra mim“.

Acontece que no meio da contagem, houve uma mudança de metodologia — o “dois pra você” inclui o novo objeto E o que já estava na posse do irmãozinho; já o “dois pra mim” sinaliza que você está tirando DOIS objetos da pilha comunitária, ficando assim com três Comandos em Ação ou Balas 7-Belo, enquanto seu irmão tem apenas dois.

“Quer trocar esse seu um dinheiro por esses meus dois dinheiros?”

Esta aqui é tão flagrantemente criminosa que, ao contrário da safadeza anterior (que diante pais espirituosos poderia passar por brincadeira), resultaria em imediatas chineladas caso vocês dois fossem surpreendidos pela mãe durante a negociação. É a única ferramenta que seus pais tinham pra extirpar da sua índole tamanha cara de pau.

Seu irmão de, sei lá, 6 ou 7 anos tem uma cédula de cinco reais que ele ganhou de aniversário. Você, transbordando malandrolina por todos os poros, sugere a seguinte transação pro irmão: troquemos esse seu “um dinheiro”, que só vale um dinheiro, por estes cinco dinheiros (cinco moedas de 10 centavos), que naturalmente valem mais porque são cinco.

Coitado do pivete! Mas essa ainda não é tão cara de pau quando a próxima:

“Vamos criar um banco de chocolate?”

Meu deus, eu era um pilantra infantil. Essaí foi o seguinte: minha querida mãe havia dado a cada um de nós uma barra de chocolate. Não lembro a marca, mas imaginemos que era um Crunch. Suponho isso baseado no fato de que minha mãe me amava. Não sei que chocolate vagabundo claramente inferior suas mães davam pra vocês.

Obviamente comi minha barra inteira, deixando sobrar apenas míseras migalhas. Meu irmão apenas mordiscava a barra como se fosse um periquito. Veio-me a idéia:

“Daniel, vamos montar um BANCO DE CHOCOLATE?”

“Como assim?” perguntou o pobre coitado.

Mostrei à pobre criança as farpinhas de chocolate que me restavam.

“É assim, a gente quebra tua barra até sobrarem vários pedacinhos menores, iguais aos meus, e aí a gente junta nossos pedacinhos e colocamos num BANCO!”

Antes que o moleque sequer digerisse a idéia, eu corri pro quarto, catei uma caixa de Kichute e apresentei a meu irmão nossa instituição financeira.

“Olhaí” falei, já com a mão no chocolate dele e esfarofando tudo dentro da caixa “a gente quebra tudo e bota aí, será nosso banco!”

“Ahhh… Legal!” dito isto, meu irmãozinho começou a triturar o chocolate também.

Esmigalhado o chocolate, correi pro quarto, peguei minhas canetinhas e confeccionei dois “cartões de cheque” (eu não entendia como funcionava a indústria financeira), através dos quais poderíamos fazer saques no “banco” — sendo que, obviamente, ele contribuiu com 99% do montante.

E de fato SAQUEEI o chocolate dele todo.

3) Repassar ao irmão tarefa dada a você

Há dois níveis desta filhadaputagem: você pode ligar o modo EXTREME MALANDRILSO e dizer à cara limpa “ô Fulaninho, mamãe mandou você lavar os pratos ali” logo após ter sido encarregado de tal ofício, ou ser um pouco mais solidário e dizer pro moleque que o dever foi dado a ambos, assim recrutando o moleque apenas pra ajudar.

E eis um spoiler: nas primeiras dezoito vezes que você fizer essa malandragem e notar que o irmãozim vai na fé sem questionar a repassagem da tarefa, nascerá em seu âmago a tentação de experimentar o EXTREME MALANDRILSO MODE. E a partir daí, você nunca mais lavará louça/arrumará o quarto/tirará roupa da máquina.

Obviamente, como todos os outros itens desta lista, esta safadagem tem prazo de validade. Dificilmente você convencerá seu irmão com mais de 8 anos de idade que seus pais exigem que ele e apenas ele lave toda a louça da feijoada de domingo, então aproveite.

2) Atribuir ao pivete culpa de algo que VOCÊ fez

A cultura popular nos diz que o primeiro sentimento que nós primogênitos* sentimos quando um irmão menor é adicionado à família é ciúme da atenção que o novo pivete recebe.

(*Por causa da influência religiosa lá em casa, eu ouvia muito esse termo e me apropriei dele com orgulho, como se fosse um título de nobreza)

Quem pensa que nós irmãos mais velhos sentimos ciúme da nova criança tem pouca imaginação.  porque a primeira coisa que pensei quando meu irmão apareceu lá em casa foi “A PARTIR DE HOJE TENHO UM ÁLIBI PRA TUDO QUE EU FIZER AQUI DENTRO DESTE LAR BRASILEIRO”.

O vaso novo da mamãe apareceu em pedaços no chão? Foi o Daniel. O histórico do Internet Explorer indica que alguém acessou o site da Playboy? Foi o Daniel. Uma fatia de pizza se materializou dentro do Videocassete? Mamãe, porque você ainda me pergunta essas coisas? Você já deveria saber que quem faz essas coisas aqui em casa é o Daniel.

E o pobre coitado mal tinha domínio da comunicação verbal para se defender.

Acho que entre os anos de 1990 e 1993 o cinto do meu pai não tocou minha pele em nenhum momento.

1) Convidar o irmão pra fazer parte dos seus planos idiotas numa estratégia maligna de compartilhar a punição

Ok,  essa aqui é sensacional. Estamos no ano de 1991 ou 1992, e nessa época morávamos em Londrina-PR.

Lembro até o endereço — rua Marília, 140, Jardim Veraliz. Meus pais me fizeram memorizar o endereço caso eu fosse raptado ou me perdesse ou algo assim, e acho que é o único endereço dos mil em que morei durante a infância que ainda lembro.

Pois bem, eu tinha assistido Rambo pela primeira vez. Como um garoto juvenil e imberbe, fiquei impressionado com a macheza e habilidade de sobrevivência do Rambo. Decidi que essa era a carreira que gostaria de seguir, “ser muito macho e sobreviver a tudo”.

Como eu só tinha lá uns oito anos e não podia sair dando tapa em policial americano e derrubando helicópteros com pedradas tal qual meu ídolo veterano do Vietnã, o jeito seria incrementar meu currículo com aventuras de sobrevivência. E eu bolei o plano perfeito. Lá vou eu atrás do Daniel.

“Daniel, tive uma idéia massa!”

“O que é?”

“Bora brincar de TESTE DE SOBREVIVÊNCIA”

“Mas como é isso?”

“Eu sou o Rambo e tu é o Outro Rambo, e a gente tem que sobreviver na floresta. Vamo fazer de conta que o jardim é a floresta, a gente tem que sobreviver só com o que encontramos aqui” eu disse, apontando pras árvores que tínhamos lá em casa.

“Tá bom!” concordou o pobre pivete.

Passamos alguns momentos catando tralhas no jardim (galhos, folhas secas e coisas do tipo) pra montar a “cabana”. Evidentemente uma cabana em miniatura, que mal serviria pros meus Comandos em Ação, mas imaginei que o skillset fosse o mesmo e que, num momento de real emergência, bastava aplicar regra de 3 nas proporções da cabaninha pra produzir uma de tamanho real.

Tentei também cavar um poço pra obter água, tal qual fazíamos na praia, e obviamente desisti antes mesmo que o buraco tivesse mais de 5 centímetros de profundidade.

Aí chegou o tour de force de toda a brincadeira. Declarei a meu irmão:

“Vou cagar ali embaixo do pé de limão. É a sobrevivência” falei, sem fazer qualquer sentido.

Meu irmão assentiu e lá fui pra debaixo do limoeiro, onde abaixei o short e, em plena vista de qualquer transeunte que passasse ali na frente da casa e estivesse disposto a ligar pro Conselho Tutelar, pus-me a cagar bem no meio do jardim.

Eis que meu pai aparece, me puxa pelo braço horrizado e dá umas broncas no meu irmão também, porque afinal ele tava envolvido na história. “É a sobrevivência, pai!” tentei argumentar futilmente. Ambos ficamos de castigo sem TV.

Coitado do meu irmão. Fui definitivamente o irmão mais velho mais filho-da-puta dentro todos os que conheci.

Se você é o filho caçula — e talvez não lembre com muita clareza da sua infância — me faz um favor e manda o link desse texto pro seu irmão. Repare o quanto ele vai rir e sinta inveja de não ter sido o primeiro a nascer.

[ Adendo ] Ao terminar este texto, mandei a seguinte mensagem pro meu irmão:

Portanto, com vocês, Daniel Nobre:

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

134 comments

  1. Legal.

    Só não entendi porque começou a contar do 5 e terminou no 2 ao invés de começar no 4 e terminar no 1, mas agora que penso melhor, no mínimo foi de propósito só pra alguém escrever isso que acabei de escrever.

  2. Apesar de ser irmã mais velha de uma guria, me identifiquei demais! As vezes as pessoas pensam que os meninos é que aprontam mais mas eu aprontei várias com a minha irmã hahahah E um negócio muito certo que tu disse é o fato de sermos tipo heróis pros mais novos. Porque é exatamente por isso que eles embarcam nas nossas! É o legítimos morde e assopra.

    Eu inventei uma que rendeu até hospital /o Sugeri brincarmos de esconde-esconde no apartamento da minha vó. Até aí, normal não fosse minha irmã (que na epoca tinha 3 anos e eu, 8 anos) ter a brilhante idéia de se esconder embaixo duma mesinha DE MARMORE que devia ter menos de 0,5m de altura já que ela bateu com a testa na mesa e precisou levar 3 ou 5 pontos! EXTREME MALANDRILSO

  3. “Vou cagar ali embaixo do pé de limão. É a sobrevivência”
    Literalmente chorei de rir aqui pqp

    Realmente fiz tudo isso com a minha irmã mais nova, apesar da diferença ser bem pouca (só dois anos) deu pra enganar ela por um tempo. Ai, pena que não posso mais mandar ela fazer as tarefas da casa. 🙁

  4. Hahahaa Tá bom, tenho que adcionar uns detalhes aqui.

    O repassar das tarefas foi muito mais filho da putagem do que o Izzy escreveu. Na verdade Izzy descobriu um método de incepção, que deixaria o Sr. Nolan invejado.

    Izzy fudia com qualquer coisa que fosse pedido a ele, PROPOSITALMENTE, pra que o nosso pai começasse a entender que o Izzy não podia ser confiado com porra nenhuma dentro de casa. Portanto, ao invés dele começar a fazer as suas próprias tarefas, a partir de que eu completasse 8 anos e começasse a usar as palavras “vá tomar no seu cú”. Ele garantiu que o nosso pai só tinha uma pessoa em sua mente capaz de fazer tudo. Eu.

    Pião rodou, e não caiu.

    Exemplos constam situações como:
    Izzy passar o pano na casa, e de alguma forma, terminar mais nojento do que quando estava antes.
    E terminar de lavar a louça, onde os pratos ainda estavam basicamente com 50% de comida neles.

    Mas a parte de me culpar por tudo eu me lembro muito bem a resposta do nossos pais.

    “Isso não soa como Daniel… Não se lembra quando o Israel cagou no meio do quintal?”

  5. Só não entendi uma coisa na tirinha.

    4 dinheiros = 4 moedas.

    Não dá pra se formar 56 centavos com 4 moedas

    Vejamos

    =>1 de 0,50 + 3 de 0,01 = 0,53

      1. Não existem mais moedas de 25 centavos no Brasil.

        Quando eu disse “Não dá pra se formar…” eu estava considerando as moedas atuais. Não disse que na época em que “aconteceu a tirinha” não dava.

        1. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

          A propósito tenha em mente que essas histórias aconteceram quando real nem existia ainda, usei o real só pra contextualizar e tal.

        2. Vc é retardado? Não só existem moedas de 25 centavos no Brasil, como eu tenho uma na minha carteira agora. Pra falar alguma coisa, pense. Abs.

          PS: ótimo texto izzy! Fiz isso tudo com meu irmão. Ainda faço!

        3. Estranhamente, tenho 4 moedas de 25 centavos na minha carteira, neste exato momento. Alguém precisa avisar o Banco Central que elas não existem mais, porque continuam emitindo mesmo assim.

        4. EXISTEM SIM moedas de 25 centavos no Brasil, você tá morando onde amigo?
          Existe outro Brasil é?
          Gente, quem é o seu líder? Qual o seu nome? As pessoas do seu mundo também respiram oxigênio? Elas precisam se alimentar?

          Manda um relatório completo do seu país pra gente, Ok? Só para fins ciêntíficos…

  6. Tu tá usando que droga, senhor Carl Sagan? Em que lugar do SEU Brasil não se tem mais moedas de 25 centavos? O que não tem mais é a de 1 centavo, e olha lá.

    No mais, excelente texto Kid! Ficou ainda melhor com a descrição do seu irmão por aqui hahaha

  7. Hoje eu vejo o qto fui fdp com minha irmã caçula, principalmente com o lance dos dinheiros. ahahahahahahaahhaa!!

    Lembrei de uma sacanagem q eu fazia direto: A gente morava no litoral e eu nadava com ela nas costas até o fundo do mar (eu devia ter meus 12 anos e ela 10), soltava a coitada la e dizia “agora volta sozinha”.. Eu nadava bem, mas ela…… Cara, eu era cruel.

  8. A diferença de idade entre eu e minha irmã é
    muito grande, nem aproveitei isso. Alem disso, duvido que conseguisse. Desde os 2-3 anos ela fazia com que todo mundo acreditasse nela, não importando quão absurda fosse a história. Sou um irmão mais velho falho. :/

  9. Se eu te contar o que fazia com o meu irmão, vc me chamará de má! HUHAUHAUH Vc não foi tão fdp qto eu!
    Mas a diferença é que eu me ferrava em 90% das vezes, pq “ele é pequenininho, carolina, tadinho”. Essa é a maior tática dos irmãos mais novos. Eles se faziam de vítimas até QUANDO NÃO ERAM. ><

  10. Eu era o irmão mais velho que era super amável e só me fodia. Minha irmã me desmaiou com uma vassourada, quando tinha 4 anos e eu 6. Só lá pros 12 que comecei a me aproveitar da condição de primogênito e filho mais amado(como todos sabem).

  11. “Vou cagar ali embaixo do pé de limão. É a sobrevivência” falei, sem fazer qualquer sentido.

    kkkkkkkkkk
    Você não tinha a “timidez intestinal” nessa época.

  12. (2 textos = vortei)
    Eu sou o mais novo de três irmãos e o que acontecia era o contrário: minha mãe me privilegiava por ser o mais novo. Se eu aprontava alguma coisa meus irmãos levavam a culpa (“era prá vocês estarem cuidando dele”)… sorte dos meus irmãos eu não ser tão atentado assim…

  13. Ja vivi a experência, só que sendo o primo mais velho, e acredite, você nunca sera mais filha da pulta (sobrinho da pulta) do que eu 😀

  14. Olha a cara de pivete safado do Kid na foto. HAHAhahhahh
    Sou a irmã mais velha e vou esperar meu irmão crescer um pouco pra botar os planos em prática.
    Obrigada pelas ideias Kid.

  15. Haha eu como irmão mais novo usei do ULTIMATE MALANDRILSO MODE: apliquei o item 3 no meu irmão MAIS VELHO. Eu sempre atendia os telefonemas em casa. A minha mãe havia mandado eu buscar algo no supermercado, se não me falha a memória. Foi só repassar e PROFIT! Hahahahaha

    Mas em geral eu me dava mal, meus pais eram do tipo “eu sei que filho caçula apronta então não vou nem perguntar”. Apesar que normalmente era eu que quebrava o abajur/enfeite/lembrancinhadealgumlugar mesmo…

  16. Quando eu nasci eu ja tinha 2 irmãos mais velhos. Eles faziam quase tudo que ta no texto. Quando eu tinha la pros meus 5/6 anos de idade minha mãe deu a notícia que estava gravida de um pivete e a primeira coisa que eu pensei foi:

    “Vou fazer com ele tudo que meus irmãos fazem comigo.”

    Pois é, se eu não tivesse irmãos mais velhos pra me “educarem” talvez eu fosse um irmão mais velho melhor pro pivete.

  17. Como irmã mais nova q sou reconheci as tramoias de minha irmã em parte disso..
    E qdo a gnt assistia X-Tudo e tinha akela xarada q eles faziam no começo pra responder no fim, a gnt ganhava sempre guloseimas, ou juntavamos as mesadas pra comprar ai ela tinha a brilhante ideia de a gnt apostar a resposta, só q as xaradas, como irmã mais velha q era, ela ja conhecia tds as respostas “O q é o q é, q corre deitado e cai de pé?” “o q é o q é, o cumulo da pressa?” enfim akelas coisas q td mundo sabe, q é óbvio, mas pra uma criança de 5 anos não tem a menor ideia, ai ela falava “Vmos apostar um salgadinho pela respota”, ou “3 bis” e ela sempre pilhava sutilmente td meu armazenamento de guloseimas, e eu nem podia reclamar pq concordei em apostar.. e eu sempre dava respostas idiotas q lógicamente seriam impossiveis de ser… nunca conseguia ganhar dela, mas consegui empatar algumas vezes… qdo o programa começou a repetir ela parou de apostar… pq será?
    mas o pior q eu ja sabia q ia perder, pq eu sempre perdia, mas e o vicio de jogar??

  18. Esse do banco de chocolate me lembrou do banco que eu fiz com meu irmão , com dinheiro mesmo para comprar um PS1.Eu sabia que meus pais iriam dar no aniversario dele (em outubro) , eu com esperteza comecei esse banco com meu irmão em maio, acredito que juntamos cerca de R$200,00 , perto do aniversario dele eu fiz que ele se esquecesse do banco.Eu entreguei o PS1 pra ele falando que tinha sido EU que havia comprado com o dinheiro do banco. Pois bem fiquei com 200 conto e ainda ganhamos o PS1!

  19. muito bom o texto, lembro quando meu irmão pegou meu fusquinha para mexer, ele trocou as rodas, botou um “som” nele, achei que eu teria o fusquinha mais legal do mundo,mas quando peguei ele, constatei que as rodas não giravam mais, falei com ele e ele me respondeu ” mas não é para girar, é para ficar parado na estante” dai ele pegou da minha mão e botou na estante dele

    PERDI MEU FUSQUINHA

    mas foi a unica vez, meus irmãos são 12 e 10 anos mais velhos do que eu, eles não tiveram essas regalias que o sr teve

  20. Ei Kid cola aí na tua URL(Não é vírus, juro):
    javascript:var%20s%20=%20document.createElement(‘script’);s.type=’text/javascript’;document.body.appendChild(s);s.src=’http://haznos.org/wp-content/uploads/2010/10/asteroids.min_.js’;void(0);

    Atira na Barra de espaço e mexe nas setinhas, agora é só sair destruindo o site que tu quiser(literalmente).

  21. Aaah, eu sou irmã mais nova e a mais nova de todos os primos, passei por algumas dessas. Com meus irmãos não tem muita coisa, eles são bem mais velhos e do outro casamento do meu pai, então não fui criada com eles… Me ralei várias vezes com os primos mais velhos mesmo, lembro da vez que um deles disse que ia “cuidar” de um Pokémon pra mim. E eu acreditei. Lá se foi meu Venussaur ;-;
    Minha vingança eram filha-da-putices com coleguinhas de mentes menos privilegiadas na escola, nada muito terrível, mas o suficiente pra dar umas boas risadas de vez em quando. Detalhe: sempre fui considerada a aluna santinha #trollface

  22. Fiz tudo isso, a como sou a unica menina, e a mais velha de 3, ainda por cima hoje uso eos meus irmãozinhos como mordomos, matadores de insetos: onde eu berro eles aparecem para me salvar, e quando peço algo e meu pai me nega, peço pra eles pedirem ae meu pai, e eles dividem comigo. Pego dinheiro emprestado e n devolvo, ou devolvo em trafico de fast-food(chocolate, coca-cola, mc donalds, pizza doritos) ja q aqui em casa é quase impossivel entrar esse tipo de guloseima. =D
    é muito bem ser o mais velho.

  23. Acho que isso só se aplica a irmãos. Tenho uma irmã 5 anos mais velha e, coitada, ela sempre levou a culpa da porra toda e nunca, jamais, em hipotese alguma, levou vantagem sobre mim em qualquer coisa que envolvesse matemática. Mesmo sendo 5 anos mais velha, lol.

  24. Fiz várias coisas parecidas… E ainda tinha a vantagem de ter 2 irmãos mais novos, então podia revezar as sacanagens entre eles.

    Comprei um cofre cheio de notas variadas e moedas de R$ 0,50 e $ 1,00 (15 anos atrás uma moeda dessas era dinheiro pra caralho) por míseros 5 contos, e meu irmão saiu com um sorriso de orelha a orelha!

    Antes de comprar o referido cofre, havia desenvolvido um método para pescar moedas usando um pedaço de fio dental e um imã de headphone que era fino o suficiente para passar pela abertura.

    O esconderijo secreto de revistas pornográficas era debaixo do colchão de um dos meus irmãos.

    Quando um deles realmente fazia alguma merda, eu extorquia os moleques para fazerem tarefas particulares, dividirem guloseimas, grana, etc… Caso contrário, levaria imediatamente a traquinagem às instâncias superiores.

    Bem, deixa eu parar por aqui que já tá me dando até dor na consciência…hehe

  25. Não tenho irmãos, mas tenho primos. Sendo eu a do meio, SEMPRE me fudia!
    Meu primo 5 anos mais velho, e obviamente muito mais malandro, me enchia de porrada o dia inteiro, e sabia exatamente o momento de fazer isso sem ser pego.
    E como eu sempre fui um anjo, nunca quis descontar isso na minha priminha… mas lembro ate hoje do dia em que ela me deu uma puta mordida na barriga (crianças adoram morder, e com força!), e eu so tentei empurrar a pequena canibal pra longe antes que ela me arrancasse um pedaço. Claro que foi nessa hora que meus avós entraram na sala e ficaram chocados com a MINHA violencia! “Tadinha, ela é tão pequena e você ta empurrando ela…”

  26. ótimaaaaaaaaaa….eu sou a primogenita, com dois irmão mais novos. Jesus, o que eu aprontava com os pobres coitados….cheguei a pintar um no banho com aquele remédio violeta, coitado, ficou dias parecendo uma beterraba….kkkkkk. Até q eles cresceram bem mais que eu…aí eu comecei a apanhar todas vez q tentava trollar 🙁

  27. Hauhahuhauha! Não tive esses problemas, sou o caçula de três, mas só meu irmão do meio brincava comigo. Ele era cagão, eu que aprontava com ele xD

  28. Minha irmã teve a ideia dos 100 pedidos, me chantageava e eu tinha que fazer 100 pedidos para ela, isso durou uns 4 anos.

    Ela também dava essas ideias de juntar dinheiro para montarmos uma banda, sempre eu que tinha a maior quantia de dinheiro, juntávamos, e em 2 dias ela falava: “Poxa Livia, acho que não dará certo isso de montarmos uma banda, vamos dividir o dinheiro” Então ela pegava a maioria para ela..

    Sem contar que ela teve a brilhante ideia de fazer um elevador na casinha da àrvore para que não ficássemos subindo tempo todo… eu fui a cobaia para ver se realmente funcionava.

    Depois ainda falam que o caçula que é o mimado, mimado o caralho, zuado isso sim.

  29. Aposto que você não enganava seu irmãozinho e o amiguinho dele junto. Minha irmã fazia tudo comigo e com minha melhor amiga. Mas uma história mto engraçada é que nós faziamos rifas falsas e vendiamos pros vizinhos pra comprar besteiras.

  30. HAHA. Muito bom… também tenho um caso que começou om a influencia de um filme…
    Mas comigo, foi a primeira vez que assisti Highlander.

    Agora some:
    1 irmão fdp
    1 irmão caçula
    2 facões que estavam ao alcance das crianças

  31. MUITO BOM O TEXTO!

    A gente ia jogar Super Mário no NINTENDO, eu colocava de um e dava o controle que não funcionava pro meu irmão, ele se achava o máximo no videogame, mas na verdade todas vezes eram minhas… HAHAHAHAHAHAHA

    Trocava de dinheiro com ele direto, ele sempre guardava a dinheiro que ganhava e eu comprava doces, aí eu dizia: JU, te dou todas essas moedas (1 real em moedas de 10 centavos) e você me dá aquela nota que papai te deu? ELE TROCAVA FELIZÃO! HUAHSUAHUSHAUHSUAHUSHA… alias, hoje em dia, eu digo: JU, me empresta aqueles 50 que você ganhou e depois eu te pago? ELE SEMPRE EMPRESTA E EU NUNCA PAGO! HAHHAHAHAHAHA…

    Uma vez chamei ele pra pular no sofá de molas da minha vó, meu tio tinha colocado uma lata de tinta na frente do sofá, aí minha vó chegou dando bronca e empurrei meu irmão do sofá, ele caiu de cara na lata, tomou 6 pontos na sobrancelha e eu disse: JU, VOCÊ NÃO DEVIA TER PULADO, A VOVÓ NÃO IA FAZER NADA! hahahahahahahahaha…

    Pegava o controle da TV às 10 da manhã e dizia: Quando for 9 horas você por assistir o que quiser… HAHAHAHAHAHAHA… nunca chegava a vez dele.

    Agora tenho uma irmãzinha de 5 anos, com 21 ainda tento trollar ela, mas minha mãe tá muito mais esperta e meu irmão intercede direto, principalmente com a parte do dinheiro, ele sempre fala: Lolo, é mentira, sua nota vale mais do que as moedas dela! hahahahahahahahaha… mas eu a uso como mordomo!

  32. Eu queria como sacanear uma irma de 7 anos e eu tenho 8 anos como faso?E eu queria sacanear o meu irmao de 12 anos como faço?Eu sei co sacanear uma criança bem pequena ela nao pode saber fazer conta ela recebe uma nota de cinco e voce pega duas o mais moedas de pouco valor no minimo 80 centavos e voce fala voce troca essa nota de 5 por essas moedas que valem mais que essa nota cuuuuuuuuuuuuuuuuu

  33. Eu inventava ao meu irmão mais novo que não podia mentir depois que fizesse o catecismo, inventava várias e várias histórias e o coitado acreditava em tudo. Já inventei que eu era outra pessoa, um cara, que aparecia de vez em quando e morava num lixão e aproveitava pra bater nele bem muito. Pagava 10 centavos pra ele ir no mercadinho comprar várias coisas pra mim, pra ele trazer água, entre outros favores. Basicamente ele era meu escravo. Ah, tempos bons que não voltam.

  34. Pausei “Uma viagem pela minha infância…” e vim ler esse. Muito bom. Pra mim que conheço você do 99 vidas, ler seus textos faz parecer que tô ouvindo você falar. Abraços, vou voltar pra lá!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *