5 comportamentos mais chatos no twitter

O tuíter é muitas coisas para muitas pessoas — um lembrete constante de que você teria mais amizades se morasse em outra cidade, uma forma de expor ao mundo as mágoas que você tem de diversos colegas de trabalho, quem sabe talvez até um meio pelo qual você pode conquistar novos parceiros (e doenças) sexuais.

Pra mim, o tuíter é uma vacina contra tédio. Sempre tem alguma merda polêmica acontecendo naquele lugar (o fato de que quase sempre estou envolvido é mera coincidência), sempre tem algum escândalo, alguma briga legal de assistir, alguma empresa falando uma merda pela qual terá que se desculpar horas mais tarde.

E tome relações públicas!

Além de todas essas coisas bacanas, o tuíter aparentemente ocupou um papel importante nas revoluções recentes do Oriente Médio, o que prova de uma vez por todas que não há nada que uma mensagem de 140 caracteres não possa fazer.

Sim, o tuíter é muitíssimo divertido. Entretanto, há algumas pessoas que parecem se esforçar em transformar o tuíter numa central de encheção de saco. Observe a seguir os cinco comportamentos mais chatos do twitter:

5) Usar mil hashtags em todos os tweets

Hashtags são pequenas marcações que nos permitem acompanhar discussões sobre um determinado assunto. Eu, por exemplo, costumo dar uma olhada na hashtag #yyc, que identifica tweets sobre a cidade onde moro. Quando rola um evento aqui (digamos, o Calgary Stampede), fico prestando atenção nos tweets com a tag #stampede.

O problema é que tem pessoas que acham que hashtags são pontuação e salpicam várias delas em todos os tweets que postam. Ignore por um segundo que dedicar uma hashtag para as palavras “Lucas” ou “eu” é completamente desnecessário; ao usar diversas hashtags indiscriminadamente, você está apenas criando barulho e tumultuando as buscas de quem procura aqueles termos.

Eu já vi neguim dedicar mais caracteres para as hashtags do que a mensagem em si. O sujeito acaba aparecendo na sua search por um determinado assunto, mas sem NADA pra falar a respeito. É mais ou menos como se numa busca qualquer no Google, metade dos resultados são links que não levam a lugar nenhum.

Sem contar que o tweet da pessoa fica parecendo um campo minado de links. É um saco.

4) Dar RT em elogios

No Desencontro, minha querida amiga @JuDacoregio levantou um interessante ponto sobre o polêmico ato de dar RT num elogio. O argumento dela é que quando alguém te admira e te elogia no tuíter, essa pessoa vê o seu RT do elogio dela como você acenando de volta pra ela, dizendo “opa, eu vi o que você falou, obrigado!“. E por isso, frequentemente a pessoa que te elogiou se sente até lisonjeada de ver o username dela na sua timeline.

Fui obrigado a concordar, porque nas poucas vezes que interagi com algum famoso e a pessoa me respondeu, rolava isso do sujeito dar RT no meu tweet antes de me responder, e de fato me senti reconhecido pela pessoa.

Entretanto, na esmagadora maioria das vezes, o RT num elogio não é uma cortês forma de agradecer um fã. É, ao invés disso, uma desesperada tentativa de afirmar ao resto das pessoas que te seguem que sim, há ALGUÉM que te valoriza.

Todos sabemos que o tuíter já tem a má fama de ser uma rede social para ególatras; os RTs em elogios não tão ajudando.

3) Mandar replies com ponto final antes da arroba, numa tentativa transparente de polemizar uma briga

Há alguns anos, o Twitter mudou a maneira como lida com mensagens. O novo formato dita que, se você estiver falando com o @fulaninho, só verão as mensagens quem seguir vocês dois. Se um seguidor seu não dá a mínima pro tal @fulaninho, ele não verão seus replies “ownando” o cara.

Pessoas carentes por atenção e por aprovação alheia acharam esta mudança a pior decisão jamais tomada na história da humanidade, perdendo apenas pra Solução Final de Heinrich Himmler e olhe lá. E agora, como os seus seguidores saberão que você é um mestre da eloquência e retórica se seus petardos virtuais só serão lidos pelo seu desafeto?

A solução é  jogar um ponto final antes da arroba, o que descaracteriza o tweet como um reply direto ao seu antagonista. Assim, toda a sua timeline lê você trocando tapas com o sujeito. Porque TODOS deviam ler aquela analogia engraçada que você fez desmerecendo o argumento do cara, oras!

Não faça isso. A impressão que a maioria das pessoas tem é que você é um drama queen tentando angariar cheerleaders virtuais.

2) #FollowFriday

Vamos reconhecer algo de uma vez por todas: ninguém jamais seguiu ninguém por causa de um FollowFriday. Ninguém. Absolutamente ninguém.

Aliás, ironicamente, eu acho que o FollowFriday gerou muito mais unfollows do que follows — se eu vejo uma desgraça dessa na minha timeline, meu dedo corre RÁPIDO pro botão de demitir o cara do meu círculo tuitístico.

Então, qual o propósito de um #FollowFriday? Os gringos, como sempre, têm uma palavra muito bonita pra definir isso — “Sycophancy“. Na nossa bela língua lusófona, isso se traduz pra “puxa-saquismo”. O único real intuito do #FollowFriday é servir como uma massagem no frágil ego daqueles que você citou na sua “indicação”.

Aliás, sabe qual a evidência clara disso? Há quem dê RT nos FollowFridays que recebe. Se FollowFriday já é inútil, imagina então reproduzi-lo pra quem já te segue.

1) Propaganda nos tweets

Poucos conceitos são aceitos universalmente. A diversidade de culturas e personalidades é tão rica nesse nosso mundão que é quase impossível achar um conceito que ressoe uniformemente num demográfico qualquer.

Apesar disso, há algo que todos concordam ser globalmente execrado: vendedores da Herbalife. Estes sujeitos estão constantemente empurrando mercadoria pro seu círculo de amizades, tentando tirar proveito do contato e da atenção que você o dá pra ganhar umas migalhinhas.

Pois bem, gente que veicula propagandas nos tweets são essencialmente vendedores da Herbalife.

Vou cagar uma regra aqui e foda-se: tuíter não é lugar de empurrar mercadoria pros amigos, me perdoe. Aliás, nenhum lugar é lugar de empurrar mercadoria pros amigos. Já somos bombardeados constantemente por propagandas por todo lado; só o que me faltava mesmo eram meus próprios broders virarem outdoors.

O orgasmo mais longo da história aconteceu quando a galera das mídias sociais decidiu que poderia crowdsourcear propagandas (estão ejaculando por causa disso até hoje). Nada contra a turma ganhar um dinheirinho honesto e tal, mas porra, imagina que chato é aquele cara na rodinha de amigos insistindo que você compre o pó de milkshake de erva mate ou seja lá o que diabo a Herbalife vende esses dias.

E sim, estou ciente de que sou o cara mais chato do tuíter. Mas se não podemos cagar regra na internet, might as well cancelar minha conta com meu provedor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

68 comments

  1. Faltou gente que dá RT em coisas que evidentemente só interessam a ela, sendo que os elogios se enquadrariam dentro desta categoria.

    Tipo gente que fica dando RT em tweets sobre o signo dela. Horóscopo já é uma merda, e a pessoa (mulher) ainda acha que todos querem ler os 10 RTs que ela deu sobre o signo X. Pqp.

  2. Preciso dizer que já comecei a seguir gente superinteressante por causa de follow friday. O maior problema é que as pessoas geralmente indicam seus próprios amigos, ao invés de perfis com conteúdo útil.

    1. Eh, algum tempo atras eu lia ff de pessoas interessantes que indicavam perfis com bom conteudo pra seguir. O que eu tb não aguento eh indicar amigos so por indicar. Hj nem leio mais os ff.

  3. Esse 3 é bem interessante. Uma vez fiz um questionamento totalmente válido sobre uma asneira escrita por um certo crítico de cinema ateu, esquerdista, gayzista, e amigo do Izzy Nobre (não necessariamente nessa ordem), e o cara fez questão de colar o que eu escrevi na resposta que ele deu publicamente. O objetivo era, obviamente, fazer com que metade dos “fãs” dele com mentalidade semelhante viessem me encher o saco via Twitter, me xingar e exaltar a resposta medíocre dele.

    No final das contas ele apenas perdeu vários seguidores, que também não gostaram da atitude idiota dele. E eu ganhei alguns (não que faça alguma diferença), que concordaram com meu questionamento.

  4. Quanto a regra numero 5.

    Ser obrigado a fazer propaganda de seus posts por causa do pei uit a tuit pode né? Afinal, voce é o melhor e todos sao honrados ao ler propagandas de seus posts.

  5. Concordo com todos os pontos exceto o Follow Friday. Eu realmente puxo saco para alguns perfis que sigo, como @DeveloerWorks, que é um canal sensacional para programadores, ou o @GameOfThronesBR, blog do qual participo e que realmente tem conteúdo bom (quando não sou eu não que posto :P).

    Então, eu posso estar dasalinhado com a prática geral mas, meus #ff normalmente são o suprassumo das minhas indicações. Às vezes abuso, mas também há vezes de eu só indicar 3 ou 4 perfis que acho realmente muito bons.

  6. Kid esqueceu do mais importante! A corrida armamentista pra ganhar mais followers.. blogueiros SORTEIAM até xbox pra ganhar follow! ( nao ligo, pois quero ganhar a bagaça xD ) mas é BEM PIOR que dar RT em elogio.

  7. Pior é quando, além de colocar o ponto no início do tweet, a pessoa ainda não se dá conta de que o tweet está caracterizado como reply, pelo simples fato de que ele clicou em “reply” pra fazê-lo.

    Não basta colocar o ponto, tem que digitar o username do fulano se quiser que todos vejam. Principalmente se estiverem usando Tweetdeck ou similares.

  8. Kid, você é bem culpado do item 3, né? Responder com RT (estilo “izzynobre: Você que é RT @fulano: bobo”) é exatamente a mesma coisa que polemizar com .@

  9. #ad é até suportável, #ff já me fez começar a seguir muita gente interessante e o .@ eu já substituí por alt+0160 pra não dar muito na cara (lol)

    ainda acho que o mais chato é conversação através de RT, tipo

    @juju: eu também // RT @fufu: adoro coxinha

    uma ou outra até dá pra aguentar, mas ver isso direto é um porre

    e esses promoções, sorteios com RT e tal… são chatos pra caralho e quando acho alguma interessante, mando o hootsuite agendar pra mandar o tweet lá pelas 3 da manhã. amém

    tchau

  10. O #ad eu resolvi usando o TweetFilter. Já de quebra filtro signos, pregações, futebol em dias de jogo etc…

    A maioria dos clientes Twitter também suporta filtrar essas tags.

  11. ué… eu sigo as pessoas que são indicadas pelos FF (quando tem alguma coisa a ver com o que eu gosto ou foi indicapo por alguém que eu sei que não indicaria merda)

  12. sim, te culpo de empurrar sua mercadoria livrística aos meus coleguinhas de twitter!

    ou será que a culpa é minha? ah, dane-se. eu não uso aquela merda mesmo.

  13. Pra mim o pior mesmo é dar reply como RT! Nossa, é mto irritante! Tem gente que responde TUDO dando RT. E na grande maioria das vezes não interessa o que a pessoa tá conversando/respondendo a outra. RT pra mim é para você divulgar/citar algo de interessante que a pessoa tenha dito, não ficar toda hora nisso.

    Mas esses citados são bem chatinhos tb! hahaha

  14. izzi, acho q vc nem pode reclamar de propaganda, pq vc mesmo tem aquela coisa de “pagu seilaoq com um tweet”, como vc acha tosco uma coisa q vc induz pessoas a fazer?

  15. Aqueles do tipo : Quem seguir @fulano nos próximos 5 minutos eu indicarei (ou seguirei) ; Quem der retweet nisto eu seguirei… entre outros, devem se encaixar nas propagandas, de quem precisa de atenção até nas redes sociais.

  16. O pior mesmo é quem fica tweeta letra de música ou poemas no twitter.
    Pqp, eu paro pra ler o tweet e só depois que termino percebo o conteudo inutil =_=

  17. Discordo do #FF, já segui perfis por causa dele.

    Claro que depende MUITO. Não vou seguir os amigos queridos que o fulano followfrydeiou…

    Mas acho super válido pra divulgar idéias legais, blogs, campanhas, enfim, é só usar com sabedoria!

    Hoje mesmo, mais cedo, dei #FF para divulgar blogs e sites que tive contato essa semana e achei muito fodas, como o @nos_vc, @khanacademy e por aí vai.
    Aliás, inclui o @izzynobre justamente porque acho que o blog vale muito ser divulgado, é muito divertido e interessante!

    Só que as pessoas tem mania de dar #FF nos AMIGOS que não tem nada de interessante pra acrescentar no mundo, já que é objetivo de vida colecionar seguidores, algo que eu realmente não entendo.

  18. Realmente. Podia fazer até um décimo item que ainda sim iria faltar o que as pessoas fazem para deixarem o twitter um porre. Nas minha lista está:
    1 -- Link do Tumblr/Formspring/outros sites: ninguém quer ver um “Photo: tumblr.com/” a cada 3 segundos na timeline. O mesmo vale pro tweet button e “Read My Response to” do forms.
    2 -- #FF: realmente uma merda, tem gente que faz até 6 follow friday’s em 1 dia. Já segui sim, mas poucos.
    3 -- “SIGAM O FULANDO AGORA PRA GANHAR MAIS DE 300 SEGUIDORES! VOU INDICAR AGORA (CONFERINDO)”: e o pior é que tem uns que dizem “vou indicar pra mais de 100 mil” sendo que nao tem nem 20 mil.
    4 -- #ad: Realmente um saco. Fizeram até um advento no twitter para excluirem o perfil @PiadasHomer (acho justo excluírem) pois, além de copiar piadas de outros usuários, usa o personagem Homer da Fox pra ganhar dinheiro SEM DIREITO DE IMAGEM! Ele já fez muitos #ad’s por aí…
    5 -- Elogios: sim, uma puxação de saco, mas pra quê RT? Porque não Fav? Mais fácil, e ainda fica alí pra você dar uma infladinha de ego quando quiser rs.
    6 -- RT em signo: Eu não quero saber o que vai ou não acontecer com o seu dia, nem sua cor do dia, número do dia, nem relação com colegas e amores.
    7 -- RT’s em twitters de frases manjadas: vi esses dias na minha timeline: “RT @FrasesBobMarIey: E quantas vezes você digitou mas não teve coragem de mandar?”. Senhor Bob retornaria a terra pra ver isso e morrer de novo, pois nem computador existia enquanto ele estava vivo.
    8 -- Depressão, tumblr, café, livros, Liverpool, fotografia: GENTE ASSIM É UM SACO, vamos combinar. “Adoro o frio de Liverpool” -- nunca foi pra lá, e mesmo assim reclama pra cacete do friozinho que bate de vez enquando PELOS PAMPAS… Sobre depressão e/ou bipolaridade: ambas são doenças, e nem no twitter você estaria pra reclamar. Estaria tomando remédio e se tratando.
    9 -- Falar da sua vida no twitter: isso mesmo. Falar da minha vida não acrescenta nada a vida de quem me segue. Sei que o propósito do Twitter é esse, mas do que adianta eu falar sobre meu dia se 80% dos meus followers não me conhecem pessoalmente? “Vou sair”, “Cheguei!!!”, “bom dia!!” e “comendo bolo rsrsrs” não dão seguidores à ninguém, me desculpem os que tem hábitos de twittar sobre isso.
    10 -- #nowplaying: PORQUE RAIOS EU GOSTARIA DE SABER O QUE PASSA EM SEUS OUVIDOS. O mesmo se coloca pras pessoas que só twittam letras de músicas. Se eu quisesse seguir um twitter de frases de músicas, eu seguia.

  19. Não entendi porra nenhuma desse texto, pois não tenho twitter e sou muito mais feliz que todos vocês que tem que se incomodar com . sem . e com # e @, foda-se vão estudar bando de desocupados.

  20. Texto muito bem escrito, mas o vício da palavra “círculo” me incomodou um pouco.
    Concordo com os 5 comportamentos mais chatos citados, apesar de eu não suportar o Twitter, e usar muito pouco.

  21. O que o senhor disse, Seu Izzy Nobre? hahaha
    Concordo com cada linha desse post, principalmente sobre as propagandas.

    Aliás, faltou citar sobre os bots que são programados pr spammear de hora em hora a mesma coisa, e nunca é conteúdo interessante.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *