7 cagadas clássicas na tradução brasileira de filmes!

Diz-se que tradução é uma arte. Não basta apenas jogar o o termo correspondente nacional no lugar do estrangeiro; é preciso compreender as nuances semânticas e até mesmo culturais das duas línguas pra criar uma boa adaptação.

O problema é que as distribuidoras brasileiras tem um hábito histórico de cagar na tradução dos filmes quando eles chegam no nosso país. Por exemplo…

Total Recall = “Vingador do Futuro”

o-vingador-fut

Em inglês, Total Recall significa aproximadamente “lembrança total”, ou “memória perfeita“. No filme, os bandidos alertam que em breve o protagonista terá “Total Recall”, ou seja, ele vai lembrar de tudo e vai dar merda.

No entanto, por causa do sucesso de Exterminador DO FUTURO (outra tradução cagada que visa emburrecer o título do filme, entregando explicitamente o componente de viagem no tempo já de cara), a distribuidora achou necessário fixar na mente do possível espectador a pífia conexão entre os dois filmes — um ator em comum.

E nem foi a única vez que isso aconteceu.

Teen Wolf = Garoto do Futuro

teen wolf

Total Recall pelo menos se passa no futuro, o que justifica um pouco melhor o uso do sufixo. E Teen Wolf (“Garoto Lobo” numa tradução livre), uma comédia adolescente a qual anexaram “…do Futuro” simplesmente porque estrelava o Michael J Fox…?

Este é literalmente o único motivo por trás da estapafúrdia tradução. “A galera gostou de De Volta para o Futuro, né? E esse filme aqui tem o mesmo ator. Como fazemos pra lembrar a galera disso de uma forma sutil?”

Essa técnica aparentemente não existe na gringa, aliás. Não houve necessidade ou desejo dos produtores de associar os dois filmes pro público norte-americano usando um título-trocadilho; por que a indústria brasileira apelou pra essa estratégia…?

Esse “do Futuro”, junto dos igualmente icônicos “da Pesada” e “do Barulho”, acabou indo parar em muitos filmes na época. Como outro exemplo…

Cyborg = O Dragão do Futuro

dragao

Cyborg (que dispensa tradução, né) virou O Dragão do Futuro porque o Van Damme era conhecido nestas bandas como protagonista de O Grande Dragão Branco (originalmente Bloodsport).

Aí entramos numa meta-cagada — o título óbvio de Bloodsport deveria ter sido Esporte Sangrento, né? Exceto que deram esse título pra um outro filme.

(Existem outros exemplos desses nomes trocados, aliás)

Mallrats = Barrados no Shopping

Barrados.no.Shopping

Mallrats é um termo meio pejorativo que significa mais ou menos “aqueles moleques desocupados que vivem no shopping” — uma definição perfeita pros protagonistas, aliás.

Já no Brasil o filme virou Barrados no Shopping porque estrela a Shannen Doherty, que vivia a Brenda no seriado Barrados no Baile (outra tradução nonsense, aliás, pra Beverly Hills 92010. O título original era simplesmente o bairro/CEP da área em que a série se passava)

A sacanagem é ainda maior aqui porque realmente induz o cliente a pensar que o filme é relacionado à série. Beira a propaganda enganosa.

My Girl = Meu Primeiro Amor

meu

Além da tradicional emburrificação do título — não basta o filme ser claramente um romance entre duas crianças, tem que deixar BEEEEEM explícito no título que é o PRIMEIRO amor dos indivíduos –, “My Girl” virar “Meu Primeiro Amor” não foi lá uma grande cagada…

amor

…até a continuação sair. Como assim, Meu Primeiro Amor PARTE 2?

Memento = Amnésia

amnesia

Temos aqui outra cagada em dois níveis. Primeiro, o protagonista repete inúmeras vezes durante o filme que não tem amnésia; segundo, Memento significa souvenir, a famosa “lembrancinha” — um item ou artefato que tem como princípio te trazer uma memória.

Ou seja: na tradução brasileira, “Lembrança” virou “Amnésia” — o total oposto.

The Hangover = Se Beber, Não Case

case

Como os exemplos dessa lista são todos antigos, talvez você esteja pensando que a indústria brasileira não anda mais cagando tanto. Olhaí, você se engana.

“Hangover” significa “ressaca”. Logo, o título óbvio seria “A Ressaca”.

Acontece que entra em jogo aí a tradicional cultura de “o público brasileiro é burro, vamos explicar bem direitinho a premissa no título”. E assim a distribuidora criou essa piadinha/trocadilho de “Se Beber, Não Case”.

No ano seguinte pintou um filme com o título “Hot Tub Time Machine“, onde a premissa é uma banheira de hidromassagem que funciona como uma máquina do tempo. Aí a distribuidora surpreendeu: em vez de deitar e rolar com o seu tradicional DO FUTURO (que aqui seria perfeitamente justificável, tipo “Os Malucos do Futuro”, sei lá), eles nomearam o filme de…

a ressada

E não podemos esquecer que no último Se Beber, Não Case não há sequer um casamento na história.

Ah, e ainda em 2010 saiu este outro filme:

louco

Foi empregada aí a mesma lógica que vimos em exemplos anteriores. A presença do Zach Galifianakis no elenco tornou necessário que se estabelecesse alguma conexão com o filme pelo qual o ator é mais conhecido pelo público brasileiro, nem que seja apenas no estilo de frase similar dos títulos dos filmes.

Esqueci de algum bom? Deixe aí nos comentários!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

64 comments

  1. Fala ae, Kid:
    Primeiramente to feliz pra caralho de voltar a ter texto aqui e não tudo em vlog, HBD raiz.

    Depois, faça um post nos mesmos moldes só que com séries.
    É um prato cheio, que vai de Eu a Patroa e as Crianças a Um Maluco no Pedaço, passando por milhares de coisas adaptadas pelo SBT como Bigbang: A Toria.

    Tchau 🙂

    1. Não são adaptados pelo Sbt, mas pelas distribuidoras. Basta ver que os dvds têm os mesmos nomes.
      Por exemplo: http://www.americanas.com.br/produto/6785378/colecao-dvd-big-bang-a-teoria-1-temporada-completa-3-dvds-

      http://www.pontofrio.com.br/dvdsebluray/DVDs-BoxesColecoes/DVD-Colecao-Big-Bang-A-Teoria-Temporadas-Completas-1-5-The-Big-Bang-Theory-Collection-Seasons-1-5-16-Discos-1742435.html

      http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3663460

      Lembrando que, nesse exemplo, a série foi dublada\adaptada muito antes de ser exibida pelo Sbt.

      ou esse exemplo
      http://www.americanas.com.br/produto/111623294/box-dvd-gossip-girl-a-garota-do-blog-5-temporada-completa-5-dvds-

      O Sbt ainda faz um esforço pra agradar a galera afrescalhada e quando mostra o nome da série durante a exibição, mostra os dois nomes. O Adaptado e o original.

      Ps.: “Eu, a patroa e as crianças” é sim uma boa adaptação.

  2. Um dos piores certamente é Ocean’s Eleven que teve a brilhante tradução para Onze homens e um segredo. E até hoje não entendi qual o segredo que o título se refere, afinal o filme se trata de um assalto e não de um drama familiar! rs

    1. Existe um filme antigo, salvo engano com o Henry Fonda, que se chama 12 Angry e foi traduzido para “Doze Homens e uma Sentença” -- no caso, a tradução é razoável embora o “Angry” do título original traz ao título o peso da raiva ao título e, sem spoiler, se vê que é infundada. Aliás, é um ótimo filme. Ao ver o doze/onze dos títulos devem ter pensado que a remissão seria genial…

  3. A série Knight Rider foi renomeada no Brasil como A Super Máquina (na série dos anos 80) e como A Nova Super Máquina (na série de 2008).

    E MacGyver virou Profissão Perigo…

    Me lembrei dessas até agora.

  4. Fico put# com essas traduções. Sem contar os subtítulos:

    Minority Report -- A nova lei
    Top Gun -- Ases indomáveis
    Kick-Ass -- Quebrando Tudo

    1. É justo que haja esses acréscimos. Um pouco melhor que mudar o nome original. Lembre-se de que para um cara que não sabe nada de inglês, o nome Minority Report não quer dizer absolutamente nada.

  5. A tradução do filme “step up’ tb foi cagada!! o filme foi traduzido como “ela dança eu danço” que é o refrão de uma musica que na é poca do lançamento do filme no brasil estava na moda!!!! A lista de títulos com péssimas traduções é grande! Porem, a tradução do step up é uma das traduções que eu sempre lembro, devido a referencia a uma musica do momento…

  6. Tem dois curiosos:
    “Inception”, que virou “A origem” aqui no Brasil e achei um título um tanto estranho pro filme.

    O outro é de uma confusão total:
    O filme “Wrong Turn” chegou ao país com o título de “Pânico na Floresta”, e pouco tempo depois um filme que se passava mato adentro também chamado, “Timber Fall” foi traduzido como “Pânico na Floresta 2”, provavelmente só pra chamar público.
    Porém quando “Wrong Turn 2” foi lançado tiveram que traduzir para “Floresta do Mal” pra evitar confusão.

    “Wrong Turn 3” foi chamado de “Floresta do Mal: O Caminho da Morte” apenas.

    Nos filmes seguintes nem sei como foi a tradução.

    1. A Origem eh o q eu ia falar. É uma tradução MUITO retardada mano.

      E o filme novo do Cap America q foi traduzido como “Capitão América 2: O Retorno do Primeiro Vingador” em vez de um simples “Capitão América: O Soldado Invernal”?

      Ah tomar no cu.

      1. Cara, posso estar enganado, mas antes do Thor 2 passou o trailer do Cap. America 2, e tenho quase certeza que o subtítulo era “O Soldado Invernal” e não “O Retorno do Primeiro Vingador”.

    2. Mas “Inception” significa “Origem” em inglês. Não teve nada de errado com o título (tirando talvez o “A”, que era desnecessário).

  7. Nunca vi o filme, mas o filme adolescente Bandslam foi “traduzido” como “High School Band” porque a protagonista era a atriz principal em High School Musical.

  8. Lembrando que há uma lei que obriga produções internacionais terem títulos\subtítulos em português quando lançados por aqui, ainda que apenas para catalogação. Até quando não chegam a nossos ouvidos, eles ganham títulos nacionais. Alguns não pegam, por exemplo: “Blade Runner -- O Caçador de andróides” e alguns são registrados, mas simplesmente não são divulgados, por exemplo: Batman Begins, que acho que ‘oficialmente’ se chama “Batman Begins -- O despertar de um herói”.

  9. Putz, lembrei de um que entra na onda de “vamos colocar esse nome pq tem aquele cara que fez aquele outro filme que fez um sucesso grande”. It’s kind of a funny story, que virou “Se enlouquecer não se apaixone”, porque tem o Zack Galifianakis no elenco.

    O pior? As pessoas podem perder um bom filme achando que ele é comédia besteirol igual o Se beber não case. Sim, é um filme bom.

  10. São tantos filmes! Um que me vem a mente é “Meet the Fockers”, que virou “Entrando numa fria”. O mesmo grau de “tradução” também seguiu nas suas continuações.

    1. Pra ser bem preciso …e corrigir uma coisa que está na internet há CINCO ANOS!!!

      “Meet the parents” virou “Entrando numa fria”
      “Meet the Fockers” virou “Entrando numa fria maior ainda”
      “Meet the Kids” virou “Entrando numa fria maior ainda com a família”

      É aquele tradicional caso de um título em inglês que permite várias brincadeirinhas na hora de nomear a sequência e por uma adaptação inicialmemte bizarra vai ficando cada vez pior. Na minha opinião, “Conhecendo os pais/os agregados ou sogros (pra não deixar Fockers no título) /as crianças” seriam títulos perfeitamente aceitáveis.

      Provavelmente não vai existir, mas se fossem fazer o quarto com a menina levando o primeiro namoradinho para o personagem do Ben Stiller conhecer seria bem engraçado o que o tradutor ia fazer “Meet the boyfriend” ia virar um “Entrando numa gelada total” ou algo assim kkkkk

  11. Texto! Finalmente texto de verdade!
    Diferente da maioria dos “leitores”, tenho preguiça de ver vídeo. Já estava deixando de acessar o hbdia.

  12. Tem o “84 Charing Cross Road”. A tradução do título é um dos piores spoilers, pois entrega não só todo o enredo, mas o final da história: “Nunca te vi, sempre te amei”.

  13. Em Portugal é ruim também… As vezes colocam o final da história no titulo… O livro Animal Farm, que aqui chama Revolução dos Bichos, lá se chama Triunfo dos Porcos hahaha.

    voltando para o Brasil, já falaram também de Meet the Fockers, que aqui virou Entrando numa Fria. Analyze This virou Máfia no Divã.

    1. Pra quem tem preguiça de pesquisar, mas quer saber, Spaceballs vira “S.O.S. -- Tem um louco solto no espaço” em português.
      Triste isso.

  14. Um post meio clichê na blogosfera, mas, vá lá, se for para criar um conteúdo direto aqui (e não lembrança que tem vídeo novo no You Tube).

    Há muitos títulos ruins, mas eu sou MUITO contra apenas se não existe relação alguma com o filme. Há uma padronização de títulos, mas o circuito de cinema tem vários tipos de padronização: títulos originais com nome de personagens, estética dos posters (tem um site aí que até fez uma matéria sobre isso, mostrando repetição de cores e posição de elementos).

    Parte dessa burrice do espectador que vc referencia é compreensível. Há tipos de títulos que não vendem, como de nomes de personagem. Creio que há pesquisas sobre a influência de títulos com o mínimo de explicação (daí o uso de subtítulos) na cabeça do espectador/consumidor.

    Por fim, se essa superexplicação é notada em títulos mais como um hobby, o mesmo não é muito abordado nas histórias, pela comunidade nerd. Há muitíssimos filmes direcionados a eles, ou ao grande público, cujos roteiros só faltam pegar na mão do espectador e conduzi-lo até o final da projeção. É irritante.

    1. Putz, verdade. Wayne’s World é um puta filme sobre Rock n Roll e dois amigos tentando se virar no mundo das corporações e eles botam um título escroto desses.

  15. Ótimo texto, Izzy! Parabéns pela iniciativa!

    Foi citar aqui alguns exemplos bizarros de traduções de títulos de filmes:

    1 -- O filme “National Lampoon’s Vacation” recebeu o título em português “Férias Frustradas”. Até aí, nada demais, uma vez que o roteiro do filme foi inspirado em um artigo publicado na revista americana de humor chamada “National Lampoon”, onde, na história do artigo, o sujeito tirou férias com a família e tudo deu errado. Não ficou uma tradução tão ruim, no fim das contas.

    A lambança mesmo vem na tradução que deram aqui para a sequência de “Férias Frustradas”. O segundo filme chama-se no original “National Lampoon’s European Vacation”. O título mais óbvio seria ou “Férias Frustradas 2”, ou “Férias Frustradas na Europa”. Porém, o pessoal das distribuidoras resolveram se superar no quesito Defecação Cerebral e deram o seguinte título: “Loucas Aventuras de Uma Família Americana Na Europa”. Sim. O título que deram foi esse. O bizarro foi ver a chamada desse filme na Globo e o título era tão grande que só escreveram “Loucas Aventuras…” na imagem.

    2 -- Outra grande lambança envolvendo “Do Barulho” e “Da Pesada”. Em 1985, Johnny Depp estrelou um filme chamado “Private Resort” (Resort Particular ao pé da letra), onde o personagem dele e um amigo vão passar um final de semana em um resort e aprontam todas. No Brasil, ficou conhecido como “Férias do Barulho”.

    Na mesma época, foi lançado um outro filme estrelado pelo Tim Robbins onde ele e mais dois amigos (sendo um deles um nerd bem cabaço) vão passar um final o “spring break” num resort em Palm Springs. Esse filme tem o título original de “Fraternity Vacation”, mas para fazerem o link com o filme do Johnny Depp já que ambos eram exibidos na mesma emissora de TV (SBT), batizaram-no de “Férias da Pesada”. Tempos mais tarde, quando este filme foi para outra emissora e rebaixado para a classe dos filmes velhos-que-as-emissoras-exibem-de-madrugada-só-para-não-passar-nada, deram um outro nome ele: “A Primeira Transa De Um Nerd”, título que, praticamente, entrega por completo o final do filme.

    3 -- O History Channel e o Discovery Channel são mestres em fazer traduções cagadas para os seus programas. No Discovery Turbo, passa um programa de TV britânico onde os dois apresentadores compram um carro razoável por um preço baixo, fazem uma pequena reforma nele e o vendem por um preço mais alto para terem um lucro a cada episódio. O nome do programa original é “Wheeler Dealers”, que é um termo que se usa para definir negociantes sem escrúpulos e, ao mesmo tempo, um trocadilho da palavra “wheeler” com o fato do programa ser totalmente focado na negociação de carros. No Brasil, deram o nome horroroso de “Jóias Sobre Rodas”, um nome que não tem nada a ver com o programa, muito menos com os carros negociados e restaurados neles.

    4 -- Outra tradução tosca do History: existe um programa chamado “Mounted in Alaska” que exibe o dia-a-dia de uma empresa de taxidermia no Alasca. Entretanto, o nome que esse programa recebeu no Brasil foi “Reis da Taxidermia”. Esse nome foi dado em cima do nome em inglês da empresa “Knight’s Taxidermy”, entretanto, o “Knight” do nome da empresa não é nenhuma alusão a uma figura heróica ou majestosa, mas sim, é o sobrenome do dono da empresa: Russel KNIGHT.

    Desculpe pelo comentário, longo!

  16. O pior de todos é a tradução lusófona de “Planet of the Apes” pra “O homem que veio do futuro”, sendo um spoiler, já que o fato de ele estar no próprio planeta em um tempo diferente só seria revelada no final do filme, e ainda é um spoiler errado, pois ele vem DO PASSADO, não do futuro. Tanto que no final ele vê a estátua da liberdade afundada no mar.

  17. Teve o caso do filme “The Edge” que passou nos cinemas com o título “No Limite”. Até aí tudo bem, mas quando passou na Globo, eles não quiseram usar o título “No Limite” porque coincidia com o reality show homonimo da época, então anunciaram como “The Edge -- No Limite”. Fica parecendo que um filme do guitarrista do U2…

  18. Isso sem contar quando o tradutor troca as letras na hora de digitar. Lembram do caso de Return of the Jedi, que deveria ser O Retorno dO Jedi e virou O Retorno dE Jedi?

  19. Bandslam ficou conhecido aqui como High School Band, por conta da Vanessa Hudghens, que é protagonista do High School Musical, seguindo a linha do Teen Wolf e Total Recall…

  20. Queima de arquivo, com o Schwarzenegger, originalmente se chama “Eraser”.

    Mas não é só nos títulos que eles traduzem porcamente… nesse filme,NA VERSÃO DUBLADA, tem um diálogo em que um cara cheio das treta passa as dicas pro Schwarzenegger dos perigos que ele encontrará ao cruzar uma floresta X por causa dos traficantes que tem por lá… e diz algo assim:

    “tome cuidado porque se eles pegarem você vão pegar sua cabeça, enfiar no seu rabo e vão fazer você rolar montanha abaixo”

    e na legenda: “tome cuidado porque se eles te pegarem vão fazer coisas muito feias com você”

    1. Discordo do “Eraser”, quase-xará
      Se fosse APAGADOR ia ficar engraçado PACAS! E essa traduçao, a meu ver, tem relação com o nome original E com o tema do filme, já que, de fato, é algo que acontece no filme.

  21. vcs se eskeceram da pior de todas. O classico “the rock n roll swindle” foi traduzido como “Os grandes suínos do rock n roll”…sid vicious deve ter rolado na tumba…

  22. O longa de animação infantil inglês “Tale of Despereaux” (algo como “O Conto de Despereaux”) contrapõe na história um camundongo bonzinho (o tal do Despereaux) e ratos, os malvados da história. Em Portugal não se usa a palavra camundongo, e sim “ratinho”. Mas parece que resolveram usar o material de divulgação português no Brasil (ou foi mesmo ignorância pura), e o título ficou sendo “O Corajoso Ratinho Despereaux”.

  23. Deixaram pra trás a pior perola de todas. Parenthood (acho q seria Paternidade) … Mas aqui é “O tiro que não saiu pela culatra”. Alem de horrível resume ao belo ao coito… Terrível!

  24. Concordo que os títulos são traduzidos da pior maneira, mesmo se torna incoerência engraçado que eles têm. Pela maneira, viram Identity Thief? A comédia do diretor Seth Gordon aposta nas boas atuações dos protagonistas, mas peca pelo excesso de informação em um filme que tinha tudo para ser uma excelente comédia. Melissa McCarthy, quem ta, também estrelou o remake do Ghostbusters, deixo mais detalhes do filme aqui: http://br.hbomax.tv/movie/TTL603389/Cacafantasmas, está hilária, contagia e dá ritmo a comédia. Ela é a responsável pelas cenas realmente engraçadas. Para quem gosta do gênero pode se divertir e dá umas risadas. Porém, uma “Ladra Sem Limites” acaba sendo mais um filme de comédia sem nada de extraordinário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *