[ A Hora da Justiça ] Invadiu a casa alheia, tomou BALA

Admito que já esbocei opiniões bem contrárias à idéia do armamento civil como uma alternativa ao combate a criminalidade. Continuo achando que não é essa solução mágica que alguns proponentes do conceito parecem achar — até o melhor dos remédios ainda tem efeitos colaterais nocivos… –, mas sou obrigado a dar o braço a torcer que existe, sim, precedente pra acreditar que um “cidadão de bem” (odeio essa expressão) armado não é a pior idéia do mundo.

Em vez da imagem do sujeito gente boa que se renderia à tentação de fazer merda num momento impensado caso estivesse armado, admito que existiriam diversos outros casos em que a pessoa usaria sua arma de forma plenamente defensiva para proteger sua família.

E o motivo são vídeos como este.

https://www.youtube.com/watch?v=R2Kf4dQViDE

No vídeo, os moradores acompanhavam o chilique de um vizinho encrenqueiro. Sendo algo já corriqueiro no prédio, ou talvez tendo ouvido ameaças veladas no passado, dessa vez o cara resolveu montar a câmera apontada pra porta, tranca-la, e deixar a arma próxima.

O rapaz não tentou “dar jeito” na situação, pagar de valentão armado, coisa alguma — em vez disso, fez o possível pra registrar o acontecimento, armou-se (com o cuidado de seguir o “trigger discipline”, o dogma de que não se põe o dedo no gatilho a menos que se esteja no meio de um combate), e trancou a porta.

Só que ele certamente não esperava que a porta fosse feita de biscoito wafer e batata palha. Twain Noel Thomas, o agressor armado com uma pexeira imensa, passou pela porta feito o Jason — com bicudos intensos e decidos, o maluco esfarelou a porta em segundos.

Mostrando um auto-controle impressionante, o morador se limitou a alertar o invasor de que ele estava armado. Eu possivelmente já teria atirado ali mesmo, no susto/reflexo. Twain entrou no apartamento e partiu pra cima do morador armado, que sentou o dedo e disparou três vezes contra o vagabundo. Nossa Senhora, que embora rogue pelos pecadores desse aí não teve pena, guiou os projéteis pro meio do peito do Twain e a ameaça foi neutralizada à base de chumbo quente.

Enquanto o maluco agoniza no chão, o morador expressa claro arrependimento, berrando frustrado contra o invasor dizendo que “não queria ter que fazer isso“.

Twain Noel Thomas tá internado, prestes a ter que responder por duas acusações de tentativa de homicídio.

E eu fechei a aba pensando “se o maluco não tivesse uma arma, ele e sua esposa estariam mortos”. O próprio Twain admitiu, enquanto manchava o carpete da casa do vizinho com alguns litros de sangue arterial, que a sua intenção ali era assassinato.

É difícil manter impassivelmente a opinião de que o cidadão correto deve estar completamente desarmado vendo um vídeo como esse.

ESCALA CAPITÃO AMÉRICA DE JUSTIÇA: Nunca fiz isso aqui antes no site, mas terei que dar um 10 pra esse. O agressor não foi apenas neutralizado de forma comedida e ponderada, mas também viverá para encarar a justiça/pagar seu débito com a sociedade. Foi realmente o melhor resultado possível; só falta mesmo alguma alma caridosa substituir a porta de papelão molhado do casal.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

13 comments

  1. carai to rindo ate agora do cara derrubando a porta igual ao jason hauahauahauahauahauh
    depois ele fica gemendo igual a menina do filme do exorcismo, talvez o espirito do exu tava tentando sair e possuir outro corpo para continuar com a ação.

  2. Falta a polícia nesse cenário, não?
    O cara poderia ter denunciado as ameaças desse cara e evitado o que aconteceu.

    Sobre a arma ter sido a salvadora do dia ao ser o instrumento do cidadão de bem na defesa da família, ele poderia ter usado uma taser, ou spray de pimenta.

    Não serei babaca e dizer que o cara estava errado ao neutralizar o agressor.

      1. Um taser certamente pararia.
        Eu concordo que o civil comum deve ter direito a se defender, as a arma de fogo gera uma consequência letal e final. Você pode ter, pra sempre, a morte de alguém em suas mãos, quando poderia tê-lo derrubado e entregue às autoridades.

        E acredite, um taser é suficiente pra parar praticamente qualquer um. E se um taser não for suficiente, acho que uma arma de fogo com a mira de um civil também não vai ser.

  3. Parabéns Izzy por ter coragem de admitir ter mudado de idéia, ou melhor, pelo menos ter entendido o ponto de vista de quem quer ter o direito de poder se defender.
    Lembro-me um tempo atras que voce bateu boca com “armamentistas” sobre algum twitt seu sobre seus motivos “desarmamentistas” e acabei nem lendo porque já sei que seria como discutir religiao, politica ou futebol com fanaticos, mas me lembro ate que o Bene Barbosa estava envolvido.
    Digo a voce que a situacao aqui no Brasil esta feia, pois já tinhamos as leis mais restritivas ( e ilogicas) do mundo e aos poucos eles aumentam mais o desarmamento.
    Eu gostaria de poder me defender como este cidadao americano fez, mas sou impedido pela lei distorcida deste país.
    Fora isso tentei praticar o esporte de tiro, para que pelo menos eu tivesse o conhecimento melhorado sobre armas de fogo, defesa e afins e agora as leis estão capando até o esportista.
    Já penso em deixar o país…. como anda o Canadá? Gosto de frio…

    Um abraço.

Leave a Reply to Marta Resende Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *