Você está a breves minutos de entender por que este indivíduo está levando um bicudo na cara

Caso você não saiba como é o esquema aqui na HORA DA JUSTIÇA, eu explico porque é bastante simples: nesta seção do blog, eu irei caçar pela internet afora (a fora?) as cenas mais deliciosamente schadenfreudísticas que foram capturadas por uma câmera.

E no episódio de hoje, temos um embate mais clássico que Fla x Flu no Maracanã, Cruzeiro x Atlético no Mineirão, ou Ferroviário x Itapipoca no Castelão pra vocês cidadãos cearenses: BULLY VERSUS O IRMÃO MAIS VELHO DA VÍTIMA!

Nossa cena começa em algum tranquilo bairro norte-americano onde uma criançada provavelmente se diverte. Como é sempre o caso, a filmagem só começou depois que o cinegrafista percebeu que a situação daria merda, então mais uma vez perdemos o contexto da altercação.

Mas não importa. Como sempre, dá pra sacar quem é o antagonista e quem é a vítima, só pela postura de ambos participantes da porrada. E obviamente, o rapaz de camiseta branca (cujo constante uso de termos racialmente delicados denota que ele está entre pessoas com quem tem intimidade) é o valentão da história.

Como tantos outros bullies antes dele, o cara de branco provoca a sua vítima a desferir o primeiro golpe, provavelmente imbuido de um senso desmerecido de auto-defesa. Talvez na cabeça do bully, se a vítima for suficientemente provocada e bater primeiro — por desespero, como é o caso dessas situações –, a partir desse momento o valentão pode bater até cansar porque estava “apenas se defendendo”.

O carinha de branco empurra o outro moleque, mas ainda sem a reação desejada. Decidindo que terá que iniciar o componente físico do conflito por si próprio, o bully senta uma mãozada na cara da criança.

Foi a gota. Exibindo habilidades quase acrobáticas, a vítima produz um pedaço de pau do nada (depois que revi o vídeo, notei que estava na mesa), dá um exímio rodopio e quebra-o na cabeça do valentão. Infelizmente o tal pedaço de pau era aparentemente o fêmur de um senhor de 93 anos de idade, porque se desintegrou completamente com o impacto — e sem o efeito desejado.

AGORA SIM, pensa o bully, que avança pra cima do outro rapaz. Primeiro eles se abraçam carinhosamente como dois amigos de longa data que não se reveem há anos. Quando a briga vai pro chão e o rapaz de branco estabelece a superioridade bélica na situação, socos voam de todos os ângulos permitidos pela nossa realidade tridimensional, cada um deles conectando dolorosamente com o nariz, orelhas e olhos da vítima.

Só depois que o menino já levou o equivalente a a um ano inteiro de punições paternas condensadas em 6 ou 7 segundos, os “amigos” intervem. A vítima, sangrando, sai de cena — mas prometendo que irá chamar seu irmão e que seu agressor não escapará da terceira lei de Newton.

O vídeo continua no que é presumivelmente dias mais tardes. A vítima cumpriu o prometido e enviou seu irmão, Justiceiro-style, atrás de seu algoz.

E a briga começa logo. Os dois se engalfinham, o irmão mais velho com óbvia vantagem. Uma vez no chão, o bully outrora valente adota a estratégia “tatu-bola” e se comprime no menor volume possível, cobrindo a cabeça com os braços. O irmão aplica alguns poderosos chutes na cabeça do bully, que tenta fugir mas é trazido de volta à porrada.

Novamente no chão, o irmão entrega golpes nas seguintes áreas do corpo do bully: o rim esquerdo, a orelha direita, o suvaco esquerdo, a vértebra L3 e o que eu acredito o fígado do valentão. Finalmente, o coup de grace da performance porradística: um tiro de meta olímpico na cabeça do bully, que manda uma garrafinha qualquer que ele segurou bravamente durante todo o ataque voando pelos ares.

Dou ao vídeo 8 de 10 na Escala Capitão América de Justiça. O cara teve tanto o seu corpo quanto seu orgulho completamente moídos de forma praticamente profissional.

Vamos à historinha de hoje criançadaaaaaa

O sargento (nem sei se é sargento mas não há uma tradução muito boa pra OFFICER) McNevin estava fazendo suas rondas de rotina comendo suas rosquinhas quando observou uma indivídua indo a 82 quilômetros por hora numa área de 55.

O simples fato de que o policial tem um nome similar ao do meu artista favorito de quadrinhos já me coloca legalmente do lado dele em qualquer situação.

O quadrinho foi uma bela bosta mas a arte das capas tava bacana

Pois bem. O policial para a mulher, explica o motivo de ter parado-a — além de estar indo acima do limite de velocidade, ela não está usando cinto de segurança, seu parabrisas está quebrado e uma de suas lâmpadas traseiras está zoada também.

Ou seja, é um pobremóvel em situação precária. O policial pede para ver os documentos do carro e a carteira de barbeira da mulher.

A motorista (claramente beligerante) decide desde o começo que não quer colaborar, porque foda-se e pronto. É, sem dúvida, um péssimo estado mental para resolver um conflito com um policial armado, como veremos em breve.

Primeiro a mulher reclama (muito) usando obscenidades e enchendo o saco do policial. Finalmente o tira manda-a desligar o celular e sair de seu veículo semimotor — tá caindo aos pedaços, afinal de contas. Vem o alerta final: SAI DESSA PORRA OU TU VAI TOMAR UM CHOQUE NAS IDÉIA. COM ACENTO.

A mulher escolheu a opção A. O policial respondeu com a B.

9.6 na Escala Capitão América de justiça. Não apenas merecido, como propriamente aplicado e de preferência deixará sequelas permanentes (como, por exemplo, respeito à autoridade policial de agora em diante e TALVEZ a perda daa vontade de dirigir feito louca em área residencial).

Nos últimos dias eu iniciei uma “brincadeira” (se é que podemos chamar disso) no tuíter entitulada A HORA DA JUSTIÇA. Ela consiste de divulgar vídeos de pessoas se fodendo de maneiras incríveis e, mais que isso, de maneiras total e karmicamente justas.

Sim, e maneira justa. Como se sabe, algumas pessoas devem se foder. É a forma que o Universo tem de balancear as merdas que estes indivíduos cometeram. E a única coisa que deixa alguém mais feliz que presenciar a desgraça alheia, é presenciar desgraça alheia merecida.

O pessoal gostou tanto da experiência que achei que seria justo trazê-la aqui pro HBD.

Neste espírito, aprecie então a HORA DA JUSTIÇA — com os caps locks que tal cerimônia requer. Se você imaginar o Datena narrando as chamadas destes vídeos fica melhor ainda.

Vamos lá.

VAGABUNDO É PARADO PELA POLÍCIA E RESOLVE DESCER A BALA; POLÍCIA TEM IDÉIA SEMELHANTE PORÉM MELHOR MIRA.

VALENTÃO INCITA BRIGA, VÍTIMA RESOLVE ATENDER OS PEDIDOS

PROFESSORA METE UM TAPÃO NA CARA DE POLICIAL. POLICIAL SENTA A MÃOZADA EM RESPOSTA

httpv://www.youtube.com/watch?&NR=1&v=SCkp8CWboNE

BARRAQUENTA CAUSANDO ESCÂNDALO NO MEQUEDONALDS POR CAUSA DO LANCHE, POLÍCIA CHEGA, DÁ VOZ DE PRISÃO E SENTA A CHIBATADA

MALOQUEIRO TENTA ROUBAR CELULAR DURANTE PROTESTO, CHEGA UM CIDADÃO DE BEM E DESCE A PUA

PLAYBOYS TENTAM EMBAÇAR PRA CIMA DE SEGURANÇA. ACABA CAINDO DE BUNDA NO CHÃO REPETIDAMENTE

PRESIDIÁRIO TENTA DESCER O CACETE EM CARCEREIRO QUE É BRODER DOS OUTROS MELIANTES, TAIS ELEMENTOS ENCHEM O PRIMEIRO DE CHIBATADA

ARRUACEIRAS TENTAM ATACAR COZINHEIRO DE FAST FOOD E ACABAM PERDENDO 3 DE SEUS MELHORES DENTES

RAPPER FALANDO MERDA DE UM OPONENTE; TAL OPONENTE ESTAVA POR PERTO E APRESENTOU SEU PUNHO À BOCA DO ESPERTALHÃO

E por hoje é só. Fique ligado para a próxima HORA DA JUSTIÇA.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...