Alluda Majaka: O melhor filme indiano que eu já vi

Você deve saber que a Índia, além de monopolizar call centers e competir com a China pela posição de provável superpotência mundial nos próximos 20 anos, tem uma afeição por cinema.

Acredito que isso aí é o equivalente indiano de “Senhor e Senhora Smith”. London deve ser “Smith” em indiano.

E a máquina do cinema indiano – referida carinhosamente como “Bollywood” – não se limita a comédias românticas não recomendadas pra diabéticos nem drama mela-cueca, não! De vez em quando um estúdio qualquer libera alguns quatrilhões de rúpias (a Índia, como qualquer país fodido que se preze, deve ter uma inflação astronômica), e algum Steven Spielberg de bigode põe a mão na massa e tentam emular a ação cinematográfica americana.

Olha só. Se você alguma vez se lamentou pelo fato de que o cinema brasileiro não faz tentativas similares, rapidinho você vai entender que isso é na verdade uma benção. Xeu explicar por que.

O cinema indiano é que nem a menina de 7 anos que, após observar a mãe se arrumando pro trabalho, pega o estojo de maquiagem e pinta a cara com oito cores diferentes, passa baton na orelha, come um pouco do ruge e vomita em cima da cama: através da observação eles pegaram a idéia principal, mas a execução – além de falhar catastroficamente – é uma das coisas mais engraçadas que você já viu na vida.

Estava eu noutro dia passeando por um desses fóruns em que os usuários, unidos pelo amor pela pornografia, trocam largas quantidades de links pra todo tipo imaginável putaria. Um dos foristas devia ter dado Ctrl C no link errado, porque o que ele postou no tópico foi isto aqui.

O épico acima se chama “Alluda Majaka”, e a única coisa que sei sobre ele é que é um filme de ação indiano lançado em 1995.

O forista misterioso, que nunca mais retornou ao tópico aliás, não nos deu nenhum contexto em relação ao filme ao qual a incrível cena pertence. Fomos obrigados a teorizar que é um trecho de Puta Que Pariu! – O Filme.

O filme (vou tratar a cena como se fosse O FILME, tá? Mais fácil que ficar falando “naquela cena do filme…” o tempo todo) abre com o nosso Herói algemado e sendo levado de camburão à delegacia – provavelmente.

Que crime o sujeito teria cometido? Podemos ver que ele adere pelo menos a uma das leis indianas mais importantes, que é manter um bigode de pelo menos 8 centímetros de comprimento. Então, não deve ser um completo fora-da-lei.

Como o Herói tinha coisas mais importantes a fazer naquele dia (“não ser espancado por policiais corruptos de terceiro mundo”, logo após “levar o menino pro dentista”), ele nem pensa duas vezes – com potentes chutes bem no meio do peito de seus captores, ele os projeta pra fora do camburão, derrubando as portas laterais que estavam presas por um clipe de papel aparentemente.

O Herói salta pra fora do veículo, desce o cacete em mais um policial armado. Enquanto ambos dançam um balé coreografado, o policial dispara vários projéteis.

Considerando que a Índia é um dos países mais populosos do mundo, cada uma daquelas balas deve ter matado ao menos cinco transeuntes. E se os tiros forem à queima-roupa, estamos falando de vários metros de bigodes chamuscados.

O policial então é arremessado contra o primeiro de muitos parabrisas que explodirão ao longo do filme. Um outro tira apanha o rádio e chama reforços, e então começa a perseguição mais alucinante (e surreal) jamais capturada em celulóide.

O Herói sai correndo no meio de um engarrafamento, e um dos policiais acredita que é uma boa idéia persegui-lo DE MOTO, EM ALTA VELOCIDADE. Previsivelmente o motociclista se enfia no primeiro veículo  que bloqueia sua trajetória, e o impacto projeta o pobre policial a órbita geosíncrona.

blastoff

O Herói jamais pára, nem mesmo após ter praticamente iniciado o programa espacial indiano. Dois jipes tentam bloquear sua correria, mas o habilidoso indiano pula por cima dos dois como se fosse um ginasta olímpico. Se o Herói fosse um personagem de 3D&T, ele e seu bigode juntos teriam oito pontos de Habilidade.

O cara então decide que esse negócio de andar no chão é meio perigoso e decide sair correndo por CIMA dos carros. Quando menos se espera, o espaço aéreo da região é invadido por uma moto voadora inexplicável (que diabo de técnica de perseguição policial é essa? “Jogue uma moto contra o suspeito!”?), mas o Herói desvia com habilidade e escapa.

E aparentemente ele gastou toda a habilidade dele, porque na queda ele engancha o pé entre dois carros. De longe vemos outro jipe da polícia, em alta velocidade ao seu encalço. Nosso Herói se tornará pizza de asfalto em poucos segundos, e os créditos rolarão.

O nosso MacGyver asiático então remove um pedaço do carro sob o qual ele se encontra preso, e o arremessa contra o jipe que se aproxima. O troço se prende à grade do jipe e por motivos que desafiam tudo que conhecemos sobre as leis naturais que regem o universo, isso faz o jipe sair voando.

Futuramente disponível no Flight Simulator - Indian Edition

A única maneira dessa sequência fazer sentido é se as viaturas policiais indianas têm um “modo avião”, assim como o meu celular, mas de forma mais literal. O susto provocado pelo cano arremessado contra o jipe fez o policial apertar um botão sem querer, que causou o jipe a decolar com destino à altitude comercial de trinta mil pés.

Infelizmente como a decolagem súbita não foi antecipada pelo motorista/piloto,  ele falhou em checar todos os sistemas pré-vôo. Por isso, o reversor da turbina invisível (outra tecnologia indiana que um dia dominará o ocidente) não foi desativado, resultado num desastre aéreo que vitimou os tripulantes do carro/aeronave.

Agora, a próxima cena é importante. Eu imagino que eles mataram uns sete ou oito cavalos filmando essa sequência.

Uma inexplicável cavalaria aparece em perseguição do Herói. Por que afinal de contas, se motos e carros não conseguiram alcançar o cara, talvez um downgrade nos modos de transport… wait, isso não faz o menor sentido, porra! Eu imagino que o diretor do filme ganhou esses cavalos numa rifa ou algo assim, e decidiu que ia coloca-los na fita não importa o que.

(Aliás, deixa eu mencionar aqui que a trilha que toca na cena é familiar porque uma musiquinha muito semelhante foi usada no filme A Rocha)

Na tentativa de apreender o fugitivo, um dos policiais montandos enfia as patas do cavalo por mais um parabrisas. O Herói, mais safo que um sabonete besuntado com KY, escapa por um fio mais uma vez.

É nessas que dois dos tiras chegam mais perto e, usando laços que soam como QUALQUER COISA menos laços, conseguem capturar o Herói. E eles saem arrastando-o pela rua, levantando ainda mais questões sobre os procedimentos policiais indianos.

Eis que um poste se aproxima. Os policiais que seguram as cordas vão um pra cada lado do post, o que implica que eles planejavam realmente matar o protagonista, ou não entendem como o corpo humano funciona.

O Herói, agindo rapidamente pra salvar a própria vida salta do chão e… acerta o poste com a virilha. Isso mesmo. ESSE ERA O PLANO DELE: bloquear o impacto com os testículos.

Essa acrobacia – que se tivesse acontecido no planeta Terra teria partido o personagem em duas fatias simétricas – não apenas salva a vida do cara, como também faz os cavalos que o arrastavam dêem uma cambalhota em câmera lenta e caiam num mangue que brotou ali nas rendondezas.

Alguém escreveu essa cena, leu-a, e pensou "yep, é assim que o mundo real funciona"

E pra tornar a coisa maleficamente hilária, você pode ver claramente os fios que usaram pra fazer os cavalos tropeçarem de cabeça na água rasa. E seus jóqueis saem voando, como praticamente tudo no filme.

Mas ainda há outros policiais montados atrás do protagonista. Usando a corda que o prendia (e que não está atada a nada, lembre-se), ele derruba o resto da cavalaria inteira.

Novamente, atente pros fiozinhos atados nas pernas dos pobres animais. Dá pra ver elas por um segundo, logo antes do momento em que os bichos enfiam a cara no chão enquanto desenvolviam velocidade máxima.

O Herói, que até então tava se dando muito bem a pé, decide pegar emprestado um dos cavalos que não sofreu traumatismo craniano na queda. E surgem do éter indiano mais policiais montados correndo atrás do cara.

E chega um momento icônico do filme, imortalizado na internet no formato .GIF. Quando um caminhão bloqueia a trajetória do Herói e seu cavalo, o cara faz a coisa mais fisicamente impossível jamais concebida por um escritor de filme de ação. Nem quando brincava com meus bonequinhos eu desrespeitava tanto as leis universais que descrevem movimento e fricção.

O cara poderia ter pulado o caminhão com facilidade, já que  a cena inteira parece acontecer num cenário montado na Lua. Ao invés disso, ele DESLIZA COM O CAVALO POR BAIXO DO CAMINHÃO, como se este estivesse deitado em cima de vários skates.

Já o jipe que perseguia o cara passa voando sobre o caminhão, de acordo com o esperado.

cena

Tou sem palavras pra descrever o resto do filme. Há mais sequências-clichê de gente (e objetos inanimados) voando, parabrisas sendo estilhaçados, nego caindo por cima de balcão de feira de fruta, tá tudo lá.

Tal qual o exemplo da criança tentando se maquiar, todos os elementos da perseguição hollywoodiana estão lá, mas misturados exageradamente um por cima dos outros, de uma forma que o resultado final é praticamente uma paródia do objetivo desejado.

E pra não dizerem que faltou explosões, a seqência termina com a ignição espontânea de uma frota inteira de carros, e o uso mais evidentemente óbvio de chroma key que eu já vi na vida.

Industrial Light and Magic, filial de Nova Déli

Se você achava que o uso da técnica em Chaves era hilariamente forçado, think again.

A cômica incorência do filme se estende até ao artigo da Wikipédia que o descreve. Segundo ela,

The movie was directed by E.V.V. Satyanarayana and was released in 1995, at a time when Chiranjeevi was slightly less obese than usual.

Ou seja, o filme foi lançado em 95, quando o ator principal “era menos obeso do que de costume”. Não “menos gordo”, veja bem.

Menos OBESO. O ator principal da película é alguém que, quando em seu melhor condicionamento físico, é referido como “MENOS OBESO”.

O humor não-intencional de Alluda Majaka é tão denso que passa por osmose até mesmo pras mídias relacionadas, como esse artigo da Wikipédia. O descompromisso com a realidade é tamanho que, perto desse filme, Comando Para Matar e Stallone Cobra parecem documentários.

Temo que o imperialismo norteamericano que oprime a indústria de locadoras aqui  do bairro me impedirá de assistir Alluda Majaka em toda a sua glória e esplendor, mas eu sinto que esses cinco minutos aí do youtube me mostraram tudo que eu precisava saber sobre o filme.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

119 comments

  1. HAHAHAHAH muito bom!

    Toda vez que alguem fala de produções indianas eu lembro de Who wants to be a Millionaire e aquele final tosco, onde todos os atores coadjuvantes aparecem junto ao ator principal do nada e começam a dançar.

  2. Vi de novo o vídeo. Repare em 2:40 a mão do cara segurando a corda/fio sendo projetada no lado direito da tela.

    Logo após dá pra ver as rampas que os jipes saltam para passar entre os carros. ¬¬

  3. Kraca HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA muito bom, coitado dos cavalos huaehuah preciso mostrar pra minha namorada veterinaria, com certeza ela vai ficar indignadissima hehehe, excelente texto kid parabens.

  4. Kid…. Ficou faltando esclarecer que além de todas essas proezas e quebra de paradigmas (gravidade, força, explosões e etc) nosso super herói estava devidamente algemado.

    Isso sim é que cabra macho !

  5. Caráleo, que filmaço! Preciso assistir esse filme completo! hhuahuauhauha

    Detalhe: acho que contrataram o sonoplasta do Jaspion para fazer os efeitos sonoros do filme. Não é possível!

    Vocês falam que a índia é pais de terceiro mundo, mas lá eles têm carro voador!

  6. É tosco é, mas que eu ri demais a primeira vez que vi isso, ri sim. Não me importaria de ver 1 hora e meia disso daí se tivesse com humor para tal no dia.

  7. Hahaha, hilário! O jipe saltando ao ser atingido por UM CANO é a vma mais inexplicável do cinema mundial! Huahuahua

    @Kid, uma ideia: pq vc não pega essa resenha, o vídeo e uma tela verde e grava um HBDtv mostrando o filme e comentando as cenas? Seria de rolar de rir! ;D

  8. O cavalo só consegue deslizar debaixo do caminhão porque é um animal sagrado na índia!!! Ele pode fazer o que ele quiser!!
    O cara poderia ter voado com o cavalo pelo mundo todo, mas preferiu andar com ele pelas ruas! =D
    [zoando ‘-‘]

  9. Hahahahaha… simplesmente sensacional! Eu já tinha visto esse video no youtube mas com a descrição do Kid ficou muito mais hilário.

    Não consigo parar de rir toda vez que imagino aquela cena do cara passando com o Cavalo embaixo do caminhão no melhor estilo de velozes e furiosos 😀

    Sensacional

  10. auhahuahuhua…. isso EU TENHO QUE VER TODO…. se esse trecho ja é assim… imagina a versão completa disso… huahuahuahuahu

    falows

  11. Ah sim, tem partes em que ele claramente aparece sem algemas… e logo depois com algemas… e assim sucessivamente. Ele faz uma espécie de mágica a la Criss Angel o tempo inteiro. (:

  12. KKKKKKKKK’ Ver o video é impossível, mais só pelo texto percebe-se que o filme não passa de uma grande comédia! 😀

    ” ele DESLIZA COM O CAVALO POR BAIXO DO CAMINHÃO ” -Voou litros de saliva em meu monitor. RI DEMAIS ! 😀
    Muito bom, Parabéns!

  13. sensacional tb é a cena que eles correm dentro d uma loja (ou algo do genero) em q todas as portas não seladas hermeticamente por vidros da pior qualidade. As portas não seladas mas por algum motivo tem um tapete vermelho no caminho inteiro, diferente do resto da loja onde o chão é de terra batida

  14. Oww putaria mah.. o filme é ilário por si e fica ainda melhor com essa narração” do Kid..
    Viva as leis da física indiana!

  15. O Herói, agindo rapidamente pra salvar a própria vida salta do chão e… acerta o poste com a virilha. Isso mesmo. <<<< melhor parte!! minha mãe se assustou com o volume da minha risada… huahuaua

  16. Huahuahua…foda!!
    Na cena da explosão o pior de tudo é que não é chromakey! Gravaram duas cenas no mesmo ângulo e juntaram. Uma do cara correndo com o cavalo e uma da cena da explosão. AÍ, juntaram toscamente, “recortando” o cara correndo à cavalo!!! Huhuaauhau

  17. @Fabiott

    Tem razão, aquilo não é bem um chroma key. Pareceu assim na primeira vez que vi o vídeo mas, quando assisti de novo pra tirar o screenshot, notei que era outra técnica (e mais rudimentar ainda)

  18. Além de todos esses fatos já citados, há de se destacar que logo quando aparecem os cavalos CORRENDO atrás do nosso herói, ele não perde o pique e nem a animação e mantém uma velocidade AINDA MAIOR que a dos quadrúpedes. Admirável.

    Acho que a cereja do bolo nesta cena é o fato dele estar algemado. Sem isso, NADA faria sentido.

  19. Laços rodando e alta velocidade produzem sons semelhantes aos latidos de um cachorro.

    E sobre a cena do jipe é fato que ao lançar o cano em direção ao radiador a pressão liberada após seu rompimento produz uma força equivalente a uma turbina de um 747, facilmente compreendida por quem possui pouco ou nenhum conhecimento de física

    Outro fato apontado no “filme” é de que vidro na Índia deve ser extremamente barato e de péssima qualidade.

    Sobre o saltos, é fato também de que devida a enorme população do país surgiu um campo gravitacional inverso ao da terra, novamente explicado pela física.

    A vaca é tratada como animal sagrado, mas após ver estas cenas acho que o cavalo é considerado animal do inferno merecido ser tratado com extrema crueldade.

    No resto ótimo texto

  20. Eeeeeei, tudo bem que isso aí é bem tosco, mas isso não só não é Bollywood, como o cinema indiano não é só isso! Se eu me esforço tanto pra manter o blog Cinema Indiano ativo com postagens decentes, faço também questão de deixar claro que na Índia muita coisa boa é feita também!

    Abração

  21. Devem ter matado um cavalo por minuto nesse trecho do filme.
    Se essa moda pega em Bollywood, é bom aproveitarmos os ultimos dias de nossos queridos cavalinhos.

  22. amigo, cada dia mais vc se supera com seus textos bacanérrrrrrrrimos, ja disse, adooooooro seu humor e tadinhos dos cavalinhos ô judiação meu Deus.bem q eles deveriam colocar umas vaquinhas né!!!!! kkkkkkkk

  23. Pqp! Que post horrível heim? Chato pra caralho, nem terminei de ler, cansei da enrolação. Vou ver a bosta do link q você passou pra ver se é pelo menos mais dinâmico que sua narrativa.

  24. hahahaha eu vi esse video tem cerca de um mes na comunidade de um jogo q eu jogo! eu mijava de rir vendo isso…a parte q ele desliza com o cavalo eh demais!

  25. A cena aos 1:35 min é impagável.

    Não perca jipes voadores, parabrisas de plástico e cavalos de sabão em Alluda Majaka -- Gravidade zero.
    This summer.

  26. Porra, o filme parece ser muito bom hehe. Melhor que muitas porcarias nacionais.

    Agora a parte do cavalo embaixo do caminhão é sensacional, tô rindo até agora.

  27. Cacete eu ri muito aqui com as cenas aouahuoahauo
    A exposição máxima do abusrdo. Sério, a física foi destruída, assim como o corpo humano.
    No poste eu duvido que o sujeito seria partido, mas certamente suas bolas saltariam pela boca. Ou ocupariam o local dos globos oculares, lançando-os para fora da caixa craniana.
    E o cavalo fazendo aquela coisa que parece uma mistura de drift com rolimã?

    Bom.. vc comentou o que mais chamou a atenção.
    Ri demais e PRECISO achar o filme. Não observei, mas espero que seja falado em “inglês” (você entendeu o porque das aspas.. aliás, sotaque indiano me faz rir de graça haha).

    Post bom como não via há tempos… Abs crente/faggot/amikow/besha!

  28. My name is Bond, James Bond.

    Concordo com o comentário acima, onde disseram que o cara tem um “Q” de Jackie Chan. A diferença é que o Chan não usa doublé/stuntman (já o Sean Connery teve alguns).

  29. Caralho! Que saudade de um post assim, Kid. Ri muito!

    Bem oldschool, mesmo!

    Detalhe pra qualidade duvidosa dos jipes indianos, que ao fazer uma curva muito fechada ja sai com o farol dianteiro pendurado.

  30. Já tinha visto esse vídeo, mas muito bom o texto, Kid !
    O muleque ali em cima tem razão, você tinha que gravar um HBDTv comentando as cenas no melhor estilo “Piores clipes”.

    Espero que na índia eles tenham aqueles vidros feitos de açúcar, senão coitados dos cavalos!

  31. “Eis que um poste se aproxima. Os policiais que seguram as cordas vão um pra cada lado do post, o que implica” , tão viciado com posts que esqueceu do “e”. Muita ação, meus batimentos foram a 200, mas de tanto rir, no mínimo deveriam ter raspado os pelos do cavalo de um lado pra ficar mais bonito depois da cena hahahahah.

  32. hahahaha, muito bom!

    Ledo engano afirmar que rola um chroma key na cena da explosão. Aquela ‘coisa’ que envolve o herói é um mega portal ativado pelo mestre dos magos.

  33. “…mas eu sinto que esses cinco minutos aí do youtube me mostraram tudo que eu precisava saber sobre o filme.”

    NÃO CARA!
    Veja esse filme completo, é 1:30hs de cenas assim, o negocio é estupidamente excelente.

  34. -amortecimento de impacto com poste via bolas enquanto puxa dois cavalos fazendo-os capotar
    -carros iguais parados perpendiculares a rua subindo a guia
    -jipes com a habilidade do Mach 5 de saltar, pousando rolando como um barril
    -power slide com cavalo passando sob uma carreta sem motivo
    -sequência de carros explodindo com a passagem do protagonista sem qualquer aparente razão, talvez seja o poder dele(qui? OVER9000?)

    obs.:ñ consegui postar via Firefox 3,6GB, dá algum problema com o WordPress!

  35. No inicio tava IGUALZINHO aos filmes chineses mais antigos do Jackie Chan. Só depois começou a ficar tosco e absurdo. LOL.

  36. já tinha visto essa cena, mas é sempre bom rever essa obra-prima do cinema indiano. hollywood é para os fracos.

    e lol@ “menos obeso” XD

  37. …acho que nunca ri por tanto tempo de um só post de um blog…, até os comments tão uma “cena a parte”…. pô… fazer uma ficha de rpg desse cara seria tenso… na boa ?!… ri alto até antes de ver o video…depois então… preciso ver o filme todo !!

  38. haha cara, muito bom! Parabéns, vc escreve muito bem! Um dia crio coragem pra perguntar como vc aprendeu XD

    Abraços.

  39. Genial! E reitero, esse é o Golimar!!!! Pelamordedeus! Aquele boneco pulando do chão antes da sacada postal foi o ponto alto. E o composite Chroma Key deixou o Aerolito do Chapolin no chão!

  40. rhobsonv:

    HAHAHAHAH muito bom!

    Toda vez que alguem fala de produções indianas eu lembro de Who wants to be a Millionaire e aquele final tosco, onde todos os atores coadjuvantes aparecem junto ao ator principal do nada e começam a dançar.

    [b]O título original do filme é “Slumdog Millionaire” e o filme é BRITÂNICO e o mesmo que você tentou minimizar venceu SÓ OITO Oscars, incluindo o de MELHOR FILME e a coreografia que você citou aqui, a musica também rendeu um Oscar, agora se você não gostou do filme por conta dos créditos finais (quando a trama já estava finalizada), ai já é com você.

  41. Uma -- das muitas -- falha de continuidade na cena em que ele quebra o pescoço da cavalaria real indiana é que todos os cavalos estão usando celas. Porém aquele cavalo sobrevivente à fúria heróica de Chiranjeevi não usa mais cela alguma. Seria mais um dispositivo hi-tech indiano de ejeção para caso de acidentes inexplicáveis com a cavalaria? Ou um erro grotesco? Agredito mais na primeira hipótese.

  42. Acho que você se enganou quanto a trilha sonora.

    É uma clara cópia de “Velocidade Máxima”.
    (Aquele filme do ônibus que se diminuir a velocidade para abaixo de 60MPH, ele irá explodir).

    Você pode até conferir aqui:
    rel="nofollow">

    Abraços

  43. A descrição da sequência foi hilária!!
    O único filme indiano que eu vi também era de ação, se chamava Dhoom:2 mas era muito bem produzido apesar dos cliches e forçações de barra absurdas. Assisti pq um colega foi pra Índia ser dublê em uma perseguição de patins! Ele conseguiu a cópia com legendas automáticas em português de portugal. Devia ter umas 3hs de duração com diversos clipes musicais de uns DEZ minutos inseridos. Sem falar em um dos protagonistas com polegar duplo. Teve cenas gravadas no Rio de Janeiro e foi o primeiro filme indiano a ter uma cena de beijo (acho que gente de biquíni também). Olha o cartaz: http://nomoredarkness.files.wordpress.com/2008/08/dhoom2-2006-25b.jpg

  44. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!

    Cara, eu já tinha ouvido falar dessa pérola, mas nunca tinha visto a sequência inteira, quase me mijei de rir, muito bom!!!

    Mas você não viu nada, Kid: sabe que a Índia também copia nosso estilo pop por lá (do jeito deles, claro), e o ícone dele se chama Prabhu Deva!

    Sente só o naipe: rel="nofollow">

  45. HAHAHAHAHAHHAHAHAH

    Engraçado é que nas portas de vidro sequer há macanetas. Os caras pensaram: “Ah, vamos por aqui só pra quebrar mesmo.”

    hahahahahahha
    ótimo review.

  46. “Dennis:Qualquer um percebe que esses jipes são de Rock’n Roll Racing!”

    LOL, eu pensei o mesmo.

    Esse cara consegue ser mais foda que Chuck Norris. 😛

    Será que os cavalos sobreviveram? 😛

  47. Qualquer semelhança da Trilha Sonora com VELOCIDADE MÁXIMA 1, que também foi lançado nessa época é mera coincidência 🙂

  48. Bah, é o Golimar sim.
    Esse cara é considerado um ídolo incontestável na India.
    Eu tenho esse filme (Alluda Maazaka), mas ainda não tive coragem de assistir… hehehe
    Vou esperar o dia que a casa estiver cheia, pra ver com a gurizada toda e a farra ser garantida.
    Té.

  49. Ah, acho que o motivo de ter que fugir da polícia é porque a sua amada está se casando com outro cara em outra parte da cidade, então ele tem que chegar lá pra estragar a festa.
    Té.

  50. Hahahaha… Prazeres que so o youtube pode nos proporcionar… Se procurássemos a definiçao de globalizaçao no dicionario com certeza encontrariamos “Rir do cinema indiano em qqr lugar do mundo”…

    Melhor ainda sao as lutas do filme rel="nofollow">

  51. O amião, tem que ser muito imbevil pra não perceber que isto é uma parodia, certamente uma tentaiva Indiana de fazer comedia.
    Não da pra achar que é um filme serio.

  52. auhauhsuahs

    Karaleoooo esse ai é o mais melhor di todos os karas Oo

    pqp manolo o sujeito é o superman terraquio lols dorgas puras

  53. Meu irmão, foi a melhor sinopse que eu já li de um filme. Eu ria tanto que o pessoal veio ver se estava engasgado ou com alguma convulsão. Parabéns, ganhei a tarde!! Abraços.

  54. Suas resenhas de filme são muito legais. De vez em quando passo no HBD do blogspot pra reler as antigas.
    Esse é um dos posts que eu mais dou risada (desses mais recentes)!
    PS.: Parece que o vídeo foi removido.

  55. Percebam que há um momento em que os jipes viram cavalos em uma corrida de obstaculos, eles pulam 3 fileiras de carros parados de um modo inexplicado. E nem Neo faria a derrapagem com cavalo que esse cara fez!

  56. Não é modo avião, é modo canguru! Percebam que esse modo é usado pelos jipes diversas vezes ao longo da cena. E eu que achava que A Corrida Maluca era desenho animado…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *