Arrumação doméstica e retrospectiva

Cheguei em casa do trabalho hoje e, tendo jogado todos os jogos e lido todos os livros e assistido todos os filmes que possuo, resolvi fazer algo inédito – arrumar meu armário.

Nos mudamos pra este apartamento em setembro, e desde então tínhamos algumas caixas ainda lacradas e entulhadas dentro do armário. Sabe nos desenhos animados, quando o sujeito abre a porta do armário e cai tudo em cima dele? Digo sem exagero nenhum – a situação era a mesma. Deslizava a porta pro lado, caiam calça, cintos, sapatos e outros badulaques aos meus pés. Eu catava uma camiseta do meio de uma bola de roupas acumulada em cima de algumas caixas, chutava a bagunça de volta pra dentro do armário e fechava a porta. Aqui está a única foto que eu encontrei da bagunça de outrora, e confiem em mim, esse era o MELHOR estágio de arrumação antes de hoje:


Isso porque não dá pra ver o outro lado do armário, o que eu acessava menos (já que minhas roupas ficam ali do lado direito) e que por causa disso havia se tornado uma montanha de malas, caixas e roupas sujas. Como você pode ver nessa foto, após a abertura da porta do armário, alguns itens rolaram pra fora cartunescamente.

Quatro horas depois, aí está o resultado:

Estou orgulhoso de mim mesmo. Como nem preciso dizer, a namorada ficou felicíssima.

Saí procurando fotos antigas do estado original da bagunça total do armário, e encontrei fotos dos nossos primeiros dias aqui no apartamento. Como essa:

Foi assim que passamos a primeira noite na casa nova – colchão no chão, uma mesinha com abajur embutido no canto do quarto, uma mala com algumas roupas e aquela sensação de aventura. Naquele dia, eu me despedi da minha família e abracei com minha namorada um estilo de vida que até então eu nunca havia experimentado antes – independência PLENA.

Seis meses depois, este é o meu quarto:

Falta algumas coisas, mas o que eu mais preciso (computador, TV de 32″, cabo S-VHS ligando os dois e HD externo com 300gb de South Park, Simpsons, My Name is Earl e filmes diversos) já está aí. Aproveitei o embalo e arrumei até a mesa do meu PC, que geralmente se encontra em perene desorganização.

O resto da casa está também lentamente tomando forma. Essa era nossa sala, poucos minutos após a mudança estar oficialmente terminada. Meu pai trouxe as últimas caixas, se despediu da gente, pulou de volta no SUV dele enquanto eu e a namorada nos abraçamos e víamos exatamente essa imagem:

Nada sensacional – uma TV tubão herdada do meu velho, duas poltronas pre-históricas, um laptop roubando a conexão do vizinho. Hoje, essa é a nossa sala:

Acho que o que eu estou querendo dizer é que os últimos seis meses foram sensacionais. Se já meio ano atrás eu estava muito assustado com o prospecto de morar por conta própria, hoje eu vejo que deu muito certo pra mim. Quando eu cheguei neste país em 2003, não tinha nem metade do que tenho hoje, e olha que eu era sustentado pela família. Me dá um orgulho besta ter conseguido tanto em tão pouco tempo. Chego em casa, jogo o paletó na cadeira, tiro os sapatos, me jogo no sofá e não conviso evitar um grande sorriso, lembrando dos tempos das vacas magras, quatro anos atrás, quando eu tinha que dormir no chão de uma casa que tinha mais ou menos o mesmo tamanho desta, mas tinha que comportar seis pessoas.

Vejamos o que mais o futuro me trará.

Se eu acreditasse em alguma divindade, estaria todo dia de joelhos agradecendo-a pelos bens materiais que acumulei ao longo do último semestre. Entretanto, eu sei que nenhum ser imaginário moveu pauzinhos em meu favor – eu tenho tudo que tenho por esforço próprio.

 ***

Por algum motivo, sempre que posto imagens centralizadas algumas linhas não quebram e os parágrafos ficam colados às imagens. Alguém saberia me explicar por que isso está acontecendo? Meu sexto sentido nerd indica que o editor visual do WordPress fica adicionando tags center onde não deveria. Que porra é essa?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

38 comments

  1. Tá de parabéns Kid, mas eu vi uma baguncinha de caixas ali debaixo da sua mesa do computador, aeuhaue

    E porra, é a mesma sala nas duas fotos? Na primeira foto parece que é menorzinha, o espaço que tem a janela, dividindo uma parede e outra.

  2. Quem sabe daqui uns anos veremos você postando algo do tipo, mas uma casa maior, o desejado emprego de advogado e voce com um filho dizendo, quem diria que um dia eu teria uma familia completa uma casa grande com piscina um filho etc etc…

  3. declaro aberta nos comentarios seguintes a maior sessao de lambeçao de bolas do canada da historia

    sem mais subscrevo-me

  4. Tecnicamente, fui quarto.

    E sem querer, enviei o comentário sem a consideração: deve ser coisa com os CSSs e a ferramenta do WordPress. Tem umas tag center, mesmo, Kid…

    E adoraria ter um apartamento também… mas “pseudo-porão” por ora tá muito bom.

  5. Também arrumei meu quarto nesse domingo XD

    estava sem nada para fazer, e a estante estava muito cheia e o quarto uma zona!

    Tirei uns 300 gibis da estante e coloquei numa caixa no armário (ps. preciso me livrar dos gibis, se alguem quiser comprar, entre em contato XD), organizei e guardei os mangás, tirei o pó de tudo e organizei os cabos do ps2 e dos 2 pcs!

  6. comentario feminino: a casa tá legal, mas TV e computador no quarto podem acabar com uma relação :p

    se puder ter um lugar somente para estes itens, faça-o

  7. Tipo, tire uma foto por dia e depois monte uma animação de como a bagunça vai ser formando. ahhaha… aposto que não dura 1 semana. 😛

  8. O meu também tá precisando… FIz uma dessas outro dia, mas misteriosamente a bagunça se torna maior poucos dias após… 🙁

  9. Filho, meus parabéns;

    Esse tipo de coisa é reflexo da sociedade em que você vive (além do trabalho próprio, lógico). Em 4 anos você não teria essa sala no brasil nem fudendo.

  10. Fico feliz por você Quide! Bonito post -- muito motivante, especialmente por ser fruto do seu esforço e não um ‘presente’ do papai.

    Mas como perguntaram aí, o que a Gótica faz da vida?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *