As músicas mais “anos 90” do mundo

Os anos 90, onde habitam as nossas infâncias (nascidos em 1984 represent!), foram marcados por inúmeros fenômenos culturais — o boquete da Monica Lewinski. A primeira guerra no Iraque. Aqueles filminhos da Turma da Mônica. A nossa Copa mais vitoriosa.

E tivemos também uma leva de músicas que essencialmente MARCOU aquela época. E digo “marcou” no sentido mais definitivo mesmo, tal qual pincel atômico permanente numa parede branca recém pintada pelo seu pai. Músicas conseguem capturar perfeitamente o espírito de um período da nossa vida; ouvi-las anos mais tarde é basicamente uma mini-viagem no tempo.

Então, entre no meu Delorean musical e voltemos ao longíquo ano de Nosso Senhor mil novecentos e alguma coisa.

Te Levar, do Charlie Brown Junior

Tirando algumas bandas locais de forró, que realmente não contam, o Charlie Brown Junior foi a única banda brasileira que eu vi ao vivo. E essa música aí foi eternizada por seus anos como canção de abertura de Malhação, que começou como uma academia, virou escola mas manteve o nome relacionado a puxar ferro porque afinal de contas, fodam-se, that’s why.

Bitter Sweet Symphony, do Verve

Bitter Sweet Symphony, melhor conhecida como “aquela música lá que toca no final do filme Segundas Intenções, que eu assisti empolgadíssimo mas não tem nenhuma putaria”, foi um raro one hit wonder que literalmente arruinou a banda. O que acontece é que a banda foi processada pelos Rolling Stones, os reais autores da música, e isso supostamente levou os caras à falência.

Rhythm of the Night, do Corona

Este clássico incomparável dos anos 90, recentemente ressucitado através da infâmia do Rei do Camarote, deve ter sido catapultado para o estrelato no Brasil da mesma forma que 90% desses eurodances foi: empregado como tema de alguma novela.

Linger, do Cranberries

Essa aqui era A música típica pra anotar a tradução numa folha de caderno e entregar pra namoradinha — tradução esta inevitavelmente cheia de erros de concordância, gramática, e falsos cognatos, como toda tradução de música pra namorada era.

Tubthumping, do Chuparola (estou com preguiça de dar Ctrl C no nome dessa porra dessa banda).

A música foi trilha do World Cup 98, que é mais um motivo pelo qual o jogo é inferior ao FIFA 98 com seu inesquecível Song 2. Um remix porradíssimo dessa música tocou na primeira boate que eu fui na vida, marcou minha adolescência.

Torn, da Natalie Imbruglia

A Natalie Imbruglia sumiu completamente, né? Essa música é notável porque entra naquele rol de “músicas cover que ninguém sabe que é cover”. Isso rende um texto, aliás. Olha a versão original dela como é diferente.

I’m The Scatman, do Scatman John

https://www.youtube.com/watch?v=y6oXW_YiV6g

Essa é DELICIOSAMENTE anos 90, com aquele eurobeat safadíssimo de música de novela. Pra quem não manja, “scatman” não é porque o John era chegado numa escatologia (ou de repente ele era? Vai saber!), é uma referência ao estilo musical scat, nascido no jazz e atualmente sendo estragado pelo Jack Black, como basicamente qualquer outra coisa em que ele toca com a notável exceção do Tenacious D. Sério, o que diabos aquele corno estava fazendo no remake de King Kong? Garantindo que seria terrível?

Quais eu esqueci?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

16 comments

  1. faltou wind of changes do scorpions e november rain do guns n roses. essas duas musicas são boa referencia a essa epoca. alias, eu nasci em 93, vivi essa epoca na infancia, e acho que bebi muito da “fonte” (não vi a copa nem o senna e nem me importo). as maiores refencias da minha vida são dessa epoca em todos os sentidos (gosto musical,filmes,jogos,seriados,desenhos,brincadeiras e claro o “é o tchan”).

  2. Tô entregando minha idade (35), hehehe mas vamos lá:

    What Is Love -- Haddaway 1993

    " rel="nofollow">

    Crazy -- Seal 1991

    " rel="nofollow">

    U Can t Touch This -- MC Hammer (1990 -- dá pra considerar)

    " rel="nofollow">

    Laid So Low (Tears Roll Down) -- Tears For Fears 1992

    " rel="nofollow">

    E tem essa do Elton John que eu só ouvi em 1992. Apesar de não ouvir as músicas dele, eu gostei muito dessa por tê-la associado na época com Barcelona 92. Nem lembro se era uma das músicas-tema da Olimpíada, sei lá.

    " rel="nofollow">

  3. O que lembro dos anos 1990 são o grunge, Red Hot Chilli Peppers, Sepultura, Faith No More, “fase ruim” do Black Sabbath, AC/DC (show de Donnington), Iron Maiden (saída do Bruce e fase bosta), Raimundos, despedida dos Ramones, Seleção do Lazaroni e o fim da URSS.

  4. Stars -- Simply Red
    DNA feat. Suzanne Vega -- Tom’s dinner
    EMF -- Unbelievable
    KLF -- 3 a.m. eternal
    The Cardigans -- Lovefool

    entre outras fodásticas…
    Sim, nascidos em 1984, represent!

  5. Apesar da única indicação brasileira ter sido o Charlie Brown Junior, não podemos esquecer dos Mamonas Assassinas 1995–1996 🙂

  6. Muito boa seleção Izzy. Me lembro de todas essas que você postou e muitas outras que marcaram os anos 90. Essa do Seal eu ouvia até a fita embolar no toca fitas haha!
    E falando naquela maravilhosa década perdida, me vem na mente, como, naquela época quase todo mundo se definia enquanto “serumanu” através das músicas que curtia. O estilo músical preferido definia praticamente a vida inteira da pessoa.

    As minhas músicas mais anos 90:

    Primeiro o cânone da música eletrônica:

    https://www.youtube.com/watch?v=a4eav7dFvc8

    Esse clipe de For An Angel na Love Parade parece cômico hoje, mas naquela época, com 14~15 anos, explodiu minha cabeça. A idéia de ter milhares de pessoas num mesmo lugar curtindo música eletronica foi o que pegou. E anos 90 foi isso cara, foi a década das grandes raves e dos grandes nomes do estilo:

    https://www.youtube.com/watch?v=vQ70dhCIrO8

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *