As Patricinhas Intercambistas

Yep. Você leu o título. O dia chegou. A partir de hoje as brincadeiras perderam seu sentido. Toda uma era literalmente acabou.

Pelos últimos quatro anos, as Patricinhas Intercambistas foram mencionadas por vocês um sem-número de vezes, consolidando a expressão como parte do folclore popular do HBD (e ao mesmo tempo confundindo os leitores novatos ao ponto de que eu tive que explicar quem ela eram no FAQ do site). Eis a descrição que coloquei lá:

Quem são as tais patricinhas intercambistas escrotas que os leitores sempre mencionam nos comentários?

Longa história, camarada. Resumidamente foi o seguinte – em 2005, eu conheci três garotas que moravam em Oshawa, Ontario. Elas conheciam meu site, me adicionaram no MSN, e me convidaram pra ir a Toronto fazer compras com elas.

E os eventos que se passaram naquela tarde, cujos detalhes nunca revelei mas prometi elucidar num post, renderam-nas a alcunha de “patricinhas intercambistas escrotas”. Os leitores aguardam a explicação da história há ANOS, e por isso mencionam as meninas como uma forma de me provocar a finalmente escrever o texto.

E eu tou escrevendo, porra. Mas, como diria a 3DRealms sobre o Duke Nukem Forever, “it’ll be ready when it’s ready“.

Coloquei essa breve explicação no FAQ e deixei o assunto fermentar.

Bem, se passaram quatro anos. Devo-lhes a explicação.

Meu approach com HBD é muito descompromissado. Como não ganho nada com este site, não há deadlines, não há pressa alguma pra escrever nada. A vantagem disso é que eu não me estresso com a parada; escrevo quando dá na telha.

E a desvantagem é que às vezes eu procrastino tanto que acabo nem escrevendo o texto. Escrevo dois parágrafos, salvo nos drafts, e nunca mais retorno ao texto. E a história das Patricinhas Intercambistas foi um desses casos.


Pensam que tô brincando?

Mas enfim. A história em questão se passou em 2005, a menos que a memória me falhe. Eu morava em Oshawa, Ontario, uma cidadezinha satélite de Toronto. 150 mil habitantes, praticamente nenhum brasileiro.

Aquela era uma época em que eu ainda acalentava a esperança de fazer amizades tupiniquins. A distância da terra natal e a inexistência de uma forma de interagir diariamente com compatriotas (oi twitter) me tornava sedento de contatos brasileiros. E por isso eu vasculhava o orkut – hahahah mas que desgraça ter que depender daquilo pra fazer amizades – pra encontrar outros brasileiros perdidos por aqui.

Não lembro exatamente COMO encontrei as famosas intercambistas; se não me falha a memória uma delas lia HBD, e fui “apresentado” às outras pelo orkut. Uma delas morava em minha cidade, as outras, em cidades vizinhas.

Para não escrotizar TANTO, me referirei à ela como M. E não se assanhem tanto; a M, como todo ser humano que passa uma temporada num país frio, tinha ganhado consideráveis quilinhos na época que a conheci.

(Assim como eu fui de raquíticos 56kg aos lamentáveis 82kg que peso atualmente. Sim, eu era magricelo total.)

Pics or didn’t happen

A M, se a memória me serve bem, era a que conhecia meu site – o primo do vizinho da amiga da escola havia mencionado o HBD alguma vez, ou algo assim. Ela me adicionou no orkut, revelou que morava na mesma roça canadense que eu.

Quando digo “roça canadense”, não é uma expressão exagerada pra efeito cômico. Pra você ter uma idéia do abandono, eis uma foto da avenida mais movimentada do centro da cidade.

Daí tu tira a desgraça interiorana que era aquela cidade. Sendo uma cidade pequena, não havia nenhum núcleo brasileiro.

Conhecer a M foi emocionante porque até então eu não tinha nenhum amigo brasileiro em Oshawa; sendo uma cidade pequena, eu imaginava que seria uma propabilidade baixíssima esbarrar com outro brasileiro por lá.

Convidei-a pra alguns eventos sociais na minha casa, e como todo bom intercambista ela se isolou num canto e não falou com ninguém (tinha “vergonha” de falar inglês aparentemente). Apareceu então a V, uma amiga brasileira dela de Toronto que ela havia convidado pra comparecer a uma das festinhas. Nisso elas puderam se isolar juntas num cantinho da casa, conversando em português a noite inteira e não fazendo o menor esforço em se integrar ao grupo.

(A V não era intercambista, ela era imigrante mesmo. Ou seja, ela tem menos desculpa pra esse tipo de comportamento)

Achei uma incrível CUZICE o fato de que eu convidei a infeliz pra interagir num evento social com gringos (algo que deveria ser o objetivo de um intercâmbio) e a mulher se limitou a sentar no sofá muda, respondendo monossilabicamente as perguntas que faziam a ela. Porra, ela me reclamava que não tinha muitas oportunidades pra desenvolver um grupinho de amigos gringos, e quando dou essa chance pra ela, a mulé me faz essa desfeita?

Mas tudo bem. Imaginei que ela apenas estava meio tímida naquele dia, por se ver rodeada de um imenso grupo de amigos que se conheciam bem entre si. É fácil se sentir intimidado quando é o estranho do grupo. Dei um descontinho.

Em subsequentes conversas com a menina me revelaram o que pouco a pouco foi cimentando minha opinião sobre intercambistas até hoje. Como quase todos os outros intercambistas, M era a típica filha da burguesia – uma turma geralmente nascida em berço de ouro (senão ao menos prata), filha de pais abastados. Afinal, não fosse o paitrocínio, ela provavelmente nunca teria pisado no Canadá.

Duas coisas são características clássicas do tipo de gente cujos pais com condições financeiras acima da média. A primeira é que eles não estão exatamente acostumados a se adaptar ao ambiente; a graninha dos pais é geralmente empregada pra adaptar o meio a elas. E a segunda é uma derivada da primeira – por causa dessa vida “maleável”, filhos de pais endinheirados não sabem se acostumar a desafios, e eles levam a vida achando que ela os deve alguma coisa.

Eu suspeito que é daí que vem esse papinho cara-de-bunda que tu já deve ter ouvido de muitos amigos que fizeram intercâmbio – “os gringos são muito frios, cara!”. Acostumada à popularidade a a bajulação, essa turma não sabe como reagir quando não são o centro de afeição do seu grupo social. E nisso o intercambista fica inerte, sem tomar iniciativa, reclamando sempre que “ninguém fala com ele”, achando que os gringos deveriam o dar atenção redobrada pelo fato de que ele é especial, é estrangeiro.

(A grande ironia é que o Canadá é um dos países com mais imigrantes no MUNDO; gente de outra nacionalidade aqui é lugar-comum.)

Além disso, há outro detalhe – intercambistas não estão aqui pra ficar. Portanto, se adaptar à atmosfera e à fauna social canadense não é exatamente uma prioridade alta pra eles. É daí que vem esse apego à turma e coisinhas brasileiras.

Duvida? Dê uma averiguada nas comunidades no orkut do Canadá, ou Inglaterra, ou Austrália, ou de qualquer outro país que é destino comum de intercâmbio. Toda semana algum neófito abre um tópico pra perguntar se a cidade X tem bastante brasileiros (e adicionando que não quer ficar “sozinha no meio de um monte de gringo” ou algo que o valha), ou se cidade Y tem onde comprar feijão e arroz.

(Sim – na cabeça dos intercambistas, feijão e arroz são itens encontrados APENAS no Brasil.)

Sei que pareço meio hipócrita em denunciar o desespero dos intercambistas em se agarrar a qualquer coisa que os lembre do Brasil, quando eu de vez em quando me taco do outro lado da cidade pra gastar $5 numa latinha de guaraná Antártica, mas tenha o contexto em mente – moro aqui há SEIS anos, e só visitei o Brasil UMA vez.

Em contrapartida, essa galera vem passar UM MÊS aqui. Se eles não estão disposto a experimentar o país do jeito que ele é por UM MÊS, qual é o propósito de convencer papai e mamãe a gastar alguns milhares de reais enviando o sujeito pro outro hemisfério?

Talvez toda a minha antipatia com intercambistas se resuma nisso – focos diferentes. Enquanto eu tou aqui tentando decidir uma carreira me esforçando em achar aquele mítico grupinho de amigos ao qual você pertencerá a vida toda, intercambistas estão contando a conversão do dólar pra real pra comprar iPod, e tirando foto de neve pra pôr no orkut. Eu chego achando que rolará uma afinidade instantânea pelo fato de que ambos falamos português, mas na realidade os caras tão sintonizados em algo completamente diferente do que eu estou.

E nem vou mencionar o profundo papelão (pra não dizer PAUNOCUZISMO) de gente que vem passar um ou dois meses, e fica enfurnado em casa nos seu tempo livre chorando no MSN com mãe/irmã/melhor amiga/namorado, se lamuriando por ter que aguentar a opressiva solidão. Dá licença.

Imagine aí a pessoa desperdiçar o que pode ser a maior aventura da vida dela porque é incapaz de se distanciar temporariamente da mãe/namorado/qualquer outra muleta existencial.

Hmm, onde eu estava mesmo? Ah, sim – essa impressão de que intercambistas são um tipinho acomodado e sem muita vontade de realmente experimentar as terras gringas se solidificou em conversas com a tal M. Mas tudo bem, era minha PRIMEIRA amiga brasileira no Canadá, eu não tinha muita escolha e resolvi relevar.

E aí ela me convida pra ir a Toronto no Boxing Day. Pros que desconhecem, Boxing Day é como os canadenses e ingleses se referem ao dia após o Natal, quando as lojas precisam torrar tudo que não vendeu pro feriado natalino. O foco maior é em eletrônicos – computadores top de linha de mil (ou mais) dólares são vendidos por $600. Câmeras digitais de marcas top que geralmente custam pra lá de 400 paus saem por menos de $200, dependendo da loja.

É liquidação agressiva geral que gera tanta movimentação nos shoppings que por um momento você pensa que as leis naturais que impedem que dois corpos ocupem o mesmo lugar ao mesmo tempo foram temporariamente suspensas.

Se você acha por um momento que eu estou exagerando (como faço dois bilhões de vezes por texto), vá ao Google imagens mais próximo e pesquise qualquer combinação dos termos “boxing day shopping” pra ter uma idéia do volume de pessoas que esses preços atraem.

Poisé.

M, sua amiga G, a patroa e eu nos encontramos na estação de trem de Oshawa, onde pegaríamos o Go-Train (trem que conecta as cidades próximas a Toronto, às margens do lago Ontario) com direção à New York canadense.

Esse trem é muito bacaninha, aliás. É uma das coisas que sinto falta em Ontario.

Pois bem. Eu, minha (na época) namorada as duas intercambistas embarcamos no tremzão aí. A viagem de Oshawa pra Toronto, se não me falha a memória – tenham paciência comigo caralho, estamos falando de uma série de eventos que aconteceu há quase cinco anos – demorava em média 50 minutos. É o tipo de situação que, por falta de qualquer outra distração, acaba fazendo que os companheiros de viagem se ocupem conversando e se conhecendo melhor.

É uma pena que não foi o caso.

M e G estavam muito mais preocupadas em discutir minúncias sem importância sobre eventos de sua escola (a do Canadá ou a do Brasil, não lembro, mas sei que era igualmente desimportante). Em português, ainda por cima, o que alienou a minha mulher totalmente.

Vez ou outra eu puxava um assunto em inglês, meio que tentando dar o toque que minha companheira não domava o português o suficiente pra acompanhar suas fofoquinhas adolescentes, mas não adiantava – elas respondiam monossilabicamente em inglês, antes de voltar à papagaiada lusofone.

Parecia quase um esforço consciente em marginalizar a minha mulher, que me lançava olhares como se perguntasse, com semblante triste, “o que elas tão falando?”.

A trivialidade do assunto e meu desinteresse em atribuir a ele qualquer impressão de importância que as fizessem continua-lo (no caso, traduzi-lo) me fez apenas dispensar o pedido da minha mulher. Eu já tava ficando bastante irritado naquele momento. Vale lembrar que não era apenas a minha mulher que se sentia ignorada por causa do papinho adolescente babaca non-stop; eu também me sentia totalmente por fora porque o assunto não me dizia respeito de qualquer forma.

Então seguimos em nossa viagem, sentados juntos mas tendo conversas completamente paralelas. A frustração aumentava gradativamente.

Chegamos em Toronto. Na Union Station, encontramos a terceira intercambista, a L. O bando lendário de quem vocês tanto ouviram falar estava pela primeira vez, diante dos meus olhos, reunidos.

As garotas se abraçaram, trocaram breves elogios em relação suas aparências, perguntaram sobre as novidades escolares… enquanto ignoravam agressivamente a mim e minha mulher. O desinteresse era absoluto. Era como se não estivéssemos lá.

Decidi que não tinha como tanto descaso ser apenas incidental. Rebobinei minha fita mental pra tentar me lembrar se eu havia dito ou feito alguma coisa que as causou a retaliar passivo-agressivamente dessa forma. Não achei nada.

Olhei pra minha mulher e a tristeza era praticamente palpável em seu olhar.

Elas finalmente se viraram pra mim. O plano seria ir ao Eaton Centre, um dos maiores shoppings de Toronto, pra aproveitar as liquidações e comprar X, Y e Z pra primo/tia/amigo da escola no Brasil.

Ok.

E aí veio a parte mais revoltante de todo aquele dia.

A parte que, quando me lembro, me causa gastrite de tanto arrependimento.

Pensar que aturei todas as desfeitas anteriores ao menos me dá alento porque imagino que ganhei bastante pontinhos de karma pra balancear meus incontáveis pecados. Mas quando lembro DISSO, a revolta é absoluta.

Uma das garotas estava indo passar o resto do fim de semana na casa da outra. Por isso, ela havia empacotado TODAS as suas posses (duas maletas imensas), e estava trazendo-as a tiracolo.

Chute aí quem foi o eleito pela turma pra carregar as duas malas durante toda a coisa.

Yep. Sendo o único detentor do cromossomo Y, minhas colegas decidiram que eu era o único capaz de exercer o serviço de um animal de carga. Tentando ainda ser educado, aceitei.

E lá foi a caravana – as três amigas de braços dados caminhando alegremente e batendo papo animado sobre alguma trivialidade qualquer, e eu uns 10 metros atrás carregando as malas, com a futura esposa tentando ajudar, e tristíssima.

O semblante de derrota dela é o que me dá mais ódio hoje. Quem já viu algum vídeo meu em que minha mulher aparece deve ter notado que ela é incrivelmente bem animada, e muito amigável. Ver essa menina que é a personificação de alegria se sentindo tão triste por ser rejeitada me causou um desgosto impressionante.

Em um momento naquele shopping absolutamente lotado, arrastando duas malas abarrotadas e se esforçando pra manter o passo e não perder as meninas de vista, pensei em simplesmente largar as malas no chão, dar meia volta e voltar a Oshawa. Expus a idéia pra mulher e ela, uma santa, se recusou – a canadense falou que devíamos tentar alcançar as meninas e entregar as malas, e dizer que estávamos voltando pra casa.

Pensei no bom karma que já havia acumulado até então. Se eu sacaneasse as meninas àquela altura do campeonato, voltaria pra casa sem o saldo positivo, e todo aquele suplício teria sido completamente em vão. Concordei com a mulher.

Mas cadê as desgraçadas? Durante essa conversa acabamos perdendo as meninas de vista. Com aqueles dois milhões de canadenses ao nosso redor, era como procurar uma agulha num palheiro.

Agora eu já estava ficando com dor de cabeça de tanta raiva. A mulher estava se impacientando também, mas a decisão de devolver as malas antes de irmos embora era irredutível.

Eu esticava o pescoço em todas as direções, tentando encontra-las. Nada. Era impossível. Não sou particularmente alto (1,73m), especialmente pros padrões canadenses. Seria impossível acha-las.

…até que eu lembrei que uma delas havia mencionado especificamente que queria comprar uma câmera digital. Pra minha sorte, só havia uma loja de eletrônicos na área próxima.

Entrei na loja lentamente, por osmose, sendo pressionado por todos os lados pela multidão. Fui à seção de câmeras e, maravilha, lá estavam as meninas! Respirei aliviado. Elas me viram antes que eu me aproximassem e a surpresa…

“Ei, que tal a gente se separar e se encontrar no fim do dia, quando for pra voltar pra casa?”

Fiquei sem resposta. As meninas deviam estar planejando se desvencilhar da gente mesmo, porque a pergunta foi muito de supetão. Sem reclamar, entreguei as malas e me virei pra me retirar. Nisso ouço uma delas falando “não esquece de perguntar antes pra ele!”.

Me viro e uma delas têm em mãos um mapa de Toronto. Elas queriam que eu explicasse, antes de ir embora, como chegar de um certo ponto da cidade a outro.

E aí que eu entendi a coisa toda. Elas mostravam completo desinteresse em interagir comigo ou com minha mulher porque de fato nutriam completo desinteresse em conversar comigo ou minha mulher. Do começo ao fim era óbvio, mas só naquele momento a coisa ficou perfeitamente clara – eu era o burro de carga/guia turístico delas, e nada além disso.

Entreguei-lhes as malas e não lembro nem se dei tchau. Eu havia passado do ponto em que me preocupava me manter as aparências de civilidade. Peguei a mulher pela mão e saí daquele inferno lotado de gente, para nunca mais ver aquelas meninas na vida.

E esse, caros leitores, é a lendária história das patricinhas intercambistas.

Vale lembrar que algo ainda PIOR aconteceu na vinda de volta pra Oshawa. Chamo esse acontecimento de “A fatídica viagem de trem”, que deveria ter durado 50 minutos e acabou se estendendo por quase 6 horas, colocando em risco a minha vida, a da patroa, e de um pobre skatista que se viu junto conosco numa desesperada aventura da vida real. Acabei indo parar numa cidade que eu nunca nem tinha ouvido falar na vida, e nesse dia pela primeira ver perdi minha carteira desde que me mudei pro Canadá.

Mas isso é uma história pra outro dia…

E aí está. Finalmente escrevi o texto. Se este post não alcançar um recorde de comentários, morrerei decepcionado com todos vocês. Façam-me sentir que essa espera de 4 anos valeu a pena 😀

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

516 comments

  1. Cara eu moro 5 anos em Lima e já cansei de bloquear gente que me add no msn só pra me perguntar quanto tá o cambio ou quanto custa a cerveja…. quando comecam perguntar preco de passeio turistico eu já mando pro google e bloqueio…. nao tenho menor paciencia….

    apesar deu ter um grupo de amigas Brasileiras casadas com Peruanos que se reunem a cada 2 ou 3 meses eu já me acustumei morar no Perú, tanto é que agora eu acho extranho ter uma conversa em portugues… mas é isso q é viver em outro pais.

  2. Depois de ler este texto só me vem uma palavra em mente para resumir as patricinhas: VACAS.

    Depois reclamam que o povo é frio, mas a tua noiva lá junto e elas não falavam nem um pouco de inglês para se enturmar, ficaram só olhando pro próprio umbigo. AAAA que raiva, deveria pelo menos ter chutado a mala das meninas e mandado elas tomarem no cu…

    E agora mais 4 anos pra ver a continuação…OMG.

  3. Foi tudo o que eu precisava pra acabar de vez com meu rendimento da madrugada, o Kid aparecer com esse texto lendário. Mas interessante, eu acho que faria a mesma coisa, mas teria perdido a paciência um pouco (muito) antes. Ou não.

  4. Eu ia escrever que era inacreditável, mas não é. Tem tanta gente desse jeito que não me surpreendo. Pena que quem deveria ler esse texto, provavelmente, não tem a capacidade de ler algo com essa extensão.

  5. Sinto muito pela sua experiência, mas o pior é que essas pessoas sao assim mesmo, acho que uns 80% dos brasileiros que vao pro exterior andam só com conterrâneos, nao interagem com os locais e tudo o mais. Essas mocas foram particularmente escrotas, mas o esterótipo de intercambistas é assim mesmo. Nem me dou o trabalho de me relacionar com brasileiros (moro na Alemanha), porque eles nao vao me agregar nada, e nao fui para meio mundo para fazer excrusaozinha com ninguém. Excecao disso naturalmente sao amigos meus de longa data, que sao sempre muito bem vindos.

    Btw, este post apareceu pela metade do RSS no fim de semana, nao sei se estava bugado ou algo do tipo.

  6. Conheci o blog hoje, e justo num post épico! Intercambistas são mesmo indignos, a maioria, ao menos. E fiquei com raivinha das gurias u_u
    Bem, gostei muito do modo como você escreve 🙂 e que você não perca a carteira de novo (?).

  7. Seria MUITO legal, se uma das meretrizes lesse o texto e viesse de mimimi.
    Na boa. Parece mais que elas são classe média-baixa que os pais apertaram os cintos em casa, quebraram os cofrinhos e se endividaram até a alma, para poder proporcioná-las um passeio para elas dizerem para as amiguinhas que passaram uma temporada no Canadá.
    heheheh

  8. acompanho o hbd desde 2005. não tenho costume de comentar em blogs, por isso nunca escrevi nada aqui também. mas a grandeza do momento exige pelo menos que eu venha aqui assinar a lista de presença.

  9. Poxa, depois de 4 anos de espera achei a história sobre patricinhas se aproveitarem de você tão comum…
    Esperava algo com mais efeitos pirotécnicos.

  10. Parabéns Izzynobre, que emoção, uma gota líquida escorre neste momento do lado esquerdo da minha face.

    E você foi muito muito muito paciente com essas patricinhas escrotas, eu já teria abandonado-as bem antes.

  11. Quem pergunta o preço da cerveja ou se tem rice and beans pra vender em outro país são as pessoas que acham que no México as pessoas só comem burritos e nachos com suco de tomate gritando “arriba”.

  12. O Detalhe desta parada toda não é o Intercâmbio, e sim o Patricinha, elas são assim aqui quanto mais num lugar onde ninguém ta dando a mínima pra qual gorda é a conta corrente do pai dela.

    Experimenta conversar com um grupo onde tenha UMA patricinha e leve o assunto pra algo que ela não seja profunda conhecedora…A Cara de “Que nojo” seguida de ironização do tema e mudança pra algo mais coerente e importante como: “Por que o Casal era tão Fofo no Big Brother se separou aqui fora”.

    P.S. O Kid desrespeita o Guia Manoel Carlos/Glória Peres de Histórias…eu esperava um casamento e a morte das vilãs no final desta novela.

  13. Israel, você é um nerd escroto, i heite yu.

    tire miña foto agora ou eu processo você.

    como se não bastasse o preconceito dos estranjeros em terras longíquas, agora recebo fogo-amigo??

    Que morra! Vou pra NY, meu pai é gerente de banco, deu muito duro e sofreu mto nessa amálgama vida p/ me “paitrocinar”.

    Nos vemos no tuiter.
    C-ya.

    ps: aprendi inglês aos 5 anos, quando fui a Disney. Não achei legal falar aí por causa do sotaque, ¿flw?

  14. OMFG agora posso parar de ler o HBD, o texto que me prendeu 4 anos aguardando ansiosamente neste blog foi finalmente publicado!

    (Not.)

    Sério, deu nojinho dessas meninas (e de toda a raça que elas representam). Não dá pra não comparar com os intercambistas que vêm pra cá e que, sabendo que as chances de encontrar alguém que seja da mesma nacionalidade que eles são nulas, se esforçam por se enturmar e acabam se tornando pessoas populares de tanta simpatia.

    Você foi um santo, na moral. Eu já teria abandonado meu esforço em ser hospitaleira depois da segunda festinha.

  15. Que minas toscas. Ano passado, quando trabalhava numa escola de inglês, uma menina dos EUA veio para o intercâmbio aqui. Ela estava super afins de amizades e conhecimentos da nossa terrinha.

    O foda é gente com grana para aproveitar e conhecer o mundo e achar que não passa de uma excursão escolar de longa duração.

  16. Não acredito que tu teve a oportunidade de mandar elas pra ROÇINHA de Toronto, com todos os presentes pra família na mão, e não fez isso.

    🙁

  17. Você definitivamente foi muito bom moço, ainda mais não tendo nenhum interesse sexual nelas.

    Eu já carreguei duas pesadas malas por curtos períodos, e sei que é bem desagradável. É o tipo de coisa que você só faz pra si próprio, pra namorada/noiva/esposa, ou pra algum parente que você realmente preze e não tem as mesmas condições físicas que você(mãe, irmã ou avó).

    Sei que as convenções sociais nos fazem ser bunda mole em muitas situações na vida, mas acho que nesse caso eu teria dito um sono “não” à gentil oferta de servir de burro de carga, e teria sacado nessa hora que elas só queriam me explorar.

    E como não acredito em karma, iria embora nessa hora mesmo, sem me despedir ou dar qualquer instrução turística.

  18. P.S Seria realmente legal se a M. ainda visitasse o HBD [2]

    O Kid é um santo, eu ja teria perdido alinha e escrotizado elas a muito tempo. ABS

  19. MEL DELS!
    Eu quase não comento aqui mas nesse não tem como ignorar, preciso ao menos comentar que “eu li” =V

    E no feed do iPhone da pra ver as fotos sem a censura que o kid colocou pq já acharam uma das intercambistas no twitter (não sei se já falaram isso, mas de qqr forma ta aew)

  20. caraca, vc tá muito canadense mesmo… eu já teria dado umas porradas nessas desgraçadas! -- talvez não fisicamente, mas teria sacaneado muito essas critaturas.

    (duvida: por que no google reader as tarjas nos olhos não aparecem?)

  21. Pingback: romariz
  22. Pingback: gabrieldread
  23. é isso ae… Quem aqui já não fez o papel de idiota, servindo de empregado para os outros? E SEM GANHAR NADA!!!!
    Pega Fogo Cabaré!!!

  24. Maaaaaaaaaaaaano, saiu. Sou leitor novo e ja li todos os posts que estão salvos ali do lado <~ e putaqueparil Kid, foi o post que eu mais esperei *—*

  25. Eu já vi esse filme aqui na Nova Zelândia. Eu você não poderia ter explicado melhor.

    Intercambista que tem medo de sair da zona de conforto deveria ficar em casa e economizar a grana do papai.

  26. Depois de ter sido xingado de mau-carater pela Barbara Gancia, eis que Kid coloca um post no qual ele fez uma belíssima ação, carregar as malas dpas patricinhas intercambistas escrotas . Muito massa a história, acho que se fosse eu teria mandado-as para puta que pariu em bom português 🙂

  27. Brochei…

    Tanto suspense pra tão pouco…
    e eu achando que vc’s tinham ido
    parar em um motel e todas elas te
    fizessem de escravo sexual…

    Espero essa história da viagem de trem…parece umas 500x mais interessante, kid and bebba, skates, trens e mto mais no próximo episódio aprontando altas confusões!! /o/

  28. Caralho, se eu fosse você tinha é deixado as malas desde o começo, com um bilhetinho cheio de frases amorosas, e uma granada que explodiria ao abrirem as malas, isso é, se achassem as malas. Sua mulher deve ser uma pessoa extremamente bondosa, para nao dizer masoquista. Patricinhas intercambistas escrotas!

  29. velho, a espera foi relativa 😡 eu achava que era uma historia de sexo, drogas e rock’n’roll D: [/brinks~ bela historia, e sacanagem das meninas 😛

  30. Finalmente, depois de tanta espera! Nunca comento aqui, mas esse post lendário eu não vou poder deixar passar em branco hahah.
    Como já disseram acima, achei ridícula a atitude delas, bem coisa de gente mimada e antipática.

    E confesso que estava esperando uma vingancinha mais maligna no final da história xP

  31. Genial o teu jeito de prender os teus leitores para todo o resto de suas vidas… Acho que é agora que a gente espera mais 4 anos pela história da “fatídica viagem de trem”. =P

  32. Juro que pensei que este post não existisse de verdade e fosse só invenção pra prender a atenção.

    Mas serviu pra provar um ponto de vista. Brasileiro é uma merda em qualquer lugar do mundo, seja pobre ou rico.

    E esta acinado o gatilho para mais alguns anos esperando o post do trem.

  33. Acabo de presenciar um momento histórico da internet tupiniquim-canadense…Sinceramente, Kid, estou emocionado. Post muito legal, eu já teria largado elas antes de entrar no shopping, tu é realmente muito paciente, não?
    Enfim, guardarei esse post no meu coração e em um documento do Word que colocarei na minha pasta particular para coisas preciosas da internet. Parabéns, Kid!

  34. Eu imaginava algo mais escroto, mas me pondo no seu lugar imagino que toda a sua espectativa de encontrar um acalento brasileiro e se deparar como um prestador de serviços (nao remunerado).

    Mas poxa, você se deparou com outros intercambistas que agiam de maneira semelhante? Nao estaria você generalizando o grupo?

  35. Vale lembrar que algo ainda PIOR aconteceu na vinda de volta pra Oshawa. Chamo esse acontecimento de “A fatídica viagem de trem”, que deveria ter durado 50 minutos e acabou se estendendo por quase 6 horas, colocando em risco a minha vida, a da patroa, e de um pobre skatista que se viu junto conosco numa desesperada aventura da vida real. Acabei indo parar numa cidade que eu nunca nem tinha ouvido falar na vida, e nesse dia pela primeira ver perdi minha carteira desde que me mudei pro Canadá.

    Mas isso é uma história pra outro dia…

    xiii, lá vamos nós esperar mais 4 anos por um texto 🙁

  36. Nem acredito que li isso, depois de tanto tempo. Se fosse nos dias de hoje eu tenho certeza que você largaria as malas no meio da galera e iria embora dando risada ainda, agora o spoiler da viagem de volta me deixou muito ansioso. Realmente esse povo é escroto, mas ainda acho pior aqueles que viajam ao exterior, arranjam um subemprego, são pegos pela imigração pois o visto não permite trabalho e quando chegam ao Brasil pensam que ganharam o nobel, só se for da imbecilidade.

  37. Caráleo! Esse post tava mais embassado pra sair do que o final de Lost. Demorou mais vc tomou vergonha nessa sua cara redonda e cearence e escreveu! Agora msi um mistério que levará mais 4 anos para ser elucidado pela vossa cearência: A Fatídica Viagem de Trem.
    Será que viverei para ver esse feito? Bom, ao menos vivi para ver o post das patricinhas!

  38. Eita, Kid tirou as fotos das patricinhas, alguém salvou a versão de manhã como PDF?

    E qual o twitter da patricinha que encontraram?

    E o que aparece antes, o post lendário da volta de trem ou starcraft 2?

  39. intercambistas normalmente sao assim mesmo, digo por experiencia, muitos brasileiros que foram pra mesma cidade que eu fui na espanha resolveram morar com brasileiros, eu morei soh com gringos e agradeço demais ter tido a cabeça de poder me socializar, le-se beber, com eles 😛

  40. Caralho!… eu li o texto! 🙂 mas falai kid… se fosse hoje elas iam encontrar ao invez de malas, dois pequenos amontoados de cinzas no beco mais proximo!

  41. Morre a lenda das Intercambistas… E nasce a lenda da Fatídica Viagem do Trem. Vc acaba de criar um novo motivo pros leitores ficarem te cobrando nos comentários.
    E quem ficou desapontado com o texto depois de tanto “suspense”… Não dá pra entender. O Kid nunca falou que era uma história ÉPICA, que envolvia atos sexuais ou assassinatos. Vocês que ficaram imaginando bobagens depois dele citar a história, há 4 anos.
    Agora, a Viagem do Trem… “colocando em risco a minha vida”. Tou esperando pra ver

    Btw, gostei bastante da história. São realmente escrotas essas intercambistas

  42. Nunca fiz intercambio mas qdo viajei aos EUA a passeio fiz questao de socializar -- ficava na piscina puxando assunto com quem aparecia e ate cheguei a ser interprete de um Mexicano para um americano.

    Essa galerinha eh fods, nao conseguem entender o principio basico de um intercambio.

    Se eu o fizesse faria questão de nao ir com conhecidos, e se fosse evitaria ao máximo o português.

  43. Finalmente a história das intercambistas.
    Ok, valeu a espera, mas bem que poderia ser um combo “Patricinhas Intercambistas” + “Viagem de Trem”, seria no mínimo lendário (e faria da lenda de ambas as histórias algo bem maior).
    E só para constar, eu ja teria desistido no momento que percebesse as malas.
    Parabéns, vc ganhou MUITOS pontos de karma (Y)

  44. Puro interesse.

    Já vi o Jerry do Brazil Australia falar muito sobre esse tipo de atitude dos imigrantes/intercambistas tupiniquins, o que é uma pena. Mas ainda bem que sempre tem uns que se escapam.

  45. Gostei da história Kid, acho que teria largado as malas no chão se eu fosse você… ou não.

    Ei, teremos que esperar mais quatro anos para a outra história? XD

    Um abraço.

  46. Huahua! Incrível como as mulheres tem o dom da escravização mental masculina, são treinadas desde criança a usarem os homens pra coisas do tipo, principalmente motorista xD Não sei pq mas em algum lugar de minha mente eu achava que essa história se resumia a uma orgia com 3
    intercambistas o.o perv mode on!

  47. Haha isso é bem engraçado mesmo… brasileiro quer ir pro exterior encontrar outros brasileiros.
    Nesse caso daria vontade de largar as malas por lá mesmo e ir embora, mas pelo jeito elas ainda tinham algum contato com você. tostando em pão épico.

  48. Sou leitor relativamente novo e já estava apreensivo… Imagina a galera das antigas.

    Quer dizer que essa foi a maior trollada que vc já levou? =] Foi foda mesmo… Eu acho que teria chutado o balde antes, mas só estando lá na hora pra saber a reação.

    ps: eu vi a foto de manhã… como disseram: quem viu, viu.

  49. FINALMENTE!!!
    Só um comentário:
    Esse final do texto me pareceu um Season Finale. Tu esperou uma caralhada de tempo pelo episódio, e no final vem aquele “To Be Continued”…

  50. Fiquei assustado quando vi o título, até arregalei o olho kkkkkk.
    É verdade que o Kid nunca falo que era a história do século, mas considerando que ele fez suspense por quase um inteiro, esperava que fosse algo de proporções maiores msm…

    Agora, quando eu li sobre a viagem trem só pensei “filho da puta!” nao sabe terminar um mito sem criar outro. kkkk

  51. PUTA QUE O PARIU!!

    Acompanho esse blog desde o começo, e acho que nunca comentei aqui. Ontem uma amiga minha veio me avisar que o Kid tava escrevendo esse post e não acreditei.

    Milagres existem. Minha crença em Deus deve ser reavaliada…

  52. porra.. intercambistas ESCROTAS.

    enquanto elas jogam a grana delas no lixo eu to aqui juntando a minha pra “morar” um mês nos states ou no canadá com o objetivo de conhecer mesmo o país, as pessoas e tudo mais…seria isso um auto-intercambio?

    o mais irritante é que eu conheço varios intercambistas e eles são desse jeito mesmo… falam que o povo dos outros paises são mt frios, mas depois de ouvir o lado do kid, mando todos eles tomarem redondamente no cú… e tenho dito

    Otimo texto e agora é a espera pela fatidica viagem de trem….

    falows

  53. Porra Kid, tava crente que era um post muito mais interessante… 4 anos de esperar… me decepcionou, podia ter contado antes, ou inventado alguma história de orgia com essas patricinhas… sei lá…

  54. Não tinha um lugar pra deixar a bagagem? Qualquer loja grande tem… hehehe
    Cara, duvido que elas tenham tido o “mau-caratismo” de pensar em vc como burro de carga e guia… É mais a “inocência” de patricinhas mesmo, que vivem na ilusão de que todos devem serví-las e tratá-las bem… mas enfim, não muda muito a coisa. Eu teria escondido as malas em um lugar pra ter certeza que nunca mais achassem.

  55. Pingback: Guilherme Santos
  56. Puxa… até derramei algumas lágrimas. Nem mesmo sei se li alguma coisa. Tudo se esvance no ar, diante deste post.

    Porém, depois da adrenalina: acho que eu não tenho mais motivos para voltar ao HBD.

  57. Eu simplesmente não acredito que estou vivo pra ler este post. E acredito menos ainda que esta porra de post existe!

    Que escrotas. Burguesinhas me irritam, puta que me pariu.

  58. Ahh na minha cabeça essa história era muuuinto melhor, só posso dizer que envolvia sexo e violência…
    Brincadeira, como leitor de longa data do HBD tinha que deixar aqui meu comentário. A história até que ficou dentro das minhas expectativas. Agora estou aqui na espera de Duke Nukem Forever e do post da fatídica viagem de trem. Vamos ver qual sai primeiro :p

  59. Mal posso acreditar que finalmente li essa porra. Isso fez meu dia!

    Kid, e você faria meu mês se encontrasse as patricinhas no orkut/facebook/twitter, só pra ter certeza de que eles lerão este post. Mais do que digno.

    []’s

  60. Sim, valeu a pena. Uma espera de tantos anos, seria impossível não ter grandes expectativas, aliás acho que até Jesus se voltasse dps desses 2 mil anos quebraria expectativas (ahn? o filho de deus é so isso…? sem cabelo de holy flames nem nd? ._.)
    Mas valeu a pena a espera, n me senti trapaceado e a história é realmente indignante, além de que eu me identifico com ela, pq tbm conheço pessoas que caem nesse estereótipo.
    enfim, eu nunca havia postado pedindo o texto das patricinhas, mas, já q vc sabiamente deixou o gancho… (algo PIOR ainda? hahaha youre so cheap) CADE A HISTÓRIA DA FATÍDICA VIAGEM DE TREM ?!

  61. eu to a espera é de Half Life Episode 3. Aposto que o kid conta a viagem do trem, casa, se forma, e fecha o blog antes da Valve lançar essa porcaria.

  62. Izzy, leio o HBD há pouco tempo, mas tô adorando. Seu texto consegue me prender na leitura, mesmo num post tão logo como esse (mas afinal, são 5 anos acumulados né hehehe).
    O legal é que mesmo com uma história com personagens tão escrotos (tirando você e sua patroa, claro), você consegue dar um tom muito hilário!
    É foda, já passei por situação muitíssimo parecida. Em quase tudo. Agora, espero ansioso pelo post da “fatídica viagem de trem”.
    Vê se não leva mais 5 anos, hein! hehehehe
    =)

  63. Kid, sou um famigerado leitor voyeur, mas esse texto eu tenho que comentar, sensacional! Nunca vi meus sentimentos sobre (a grande maioria dos) intercâmbistas tão bem descritas!
    Um abraço!

  64. acompanho o hbd desde 2005. não tenho costume de comentar em blogs, por isso nunca escrevi nada aqui também. mas a grandeza do momento exige pelo menos que eu venha aqui assinar a lista de presença.

    Secundado.

    Achei que não viveria para ver este dia! Carácolis!

  65. Acredito que foi uma putaria diferente da que tinhamos imaginado. Bem vindo ao mundo da escrotíce ao extremo! Está definitivamente de parabéns pela paciência, eu já tinha chutado o balde, ou no caso as malas logo na primeira menção que fizeram em deixar as mesmas pra você carregar. PQP Um VAI TOMAR NO CU bem grande. Se eu fosse você deixava o orkut das infelizes estampado no post e deixar a galera se vingar por você! rsss Não é uma má ideia né?

  66. Gostei muito do texto… mas agora quero saber oq aconteceu na viagem do trem… historias com riscos de vida são geralmente mais interessantes…

  67. eu tenho vontade de ir para o Canadá terminar os meus estudos no inglês, porém se eu for, eu não iria para fazer compras, e sim para estudar e me divertir, conhecer, cultura e costumes diferentes.
    eu já me meti em Rondônia, na aldeia dos índios cinta larga, só para conhecer um pouco da cultura deles.
    patricinhas é uma coisa chata, ainda mais quando viaja com algum dinheiro na bolsa, e uma lista de presentes.

  68. Então o que eu não esperei para ler sobre as tais patricinhas porque nunca tinha lido aqui vou ter que esperar pela viagem de trem. Isso sim é que é karma.
    E como diriam por aí:

    Karma is a bitch.

  69. 5 anos de espera… por isso ?

    sem nenhum peitinho nem nada ?

    me sinto como um garoto que pede um ps2 e ganha um daqueles genericos =~

  70. Puta que o pariu, agora me sinto na obrigação moral de comentar o post mais épico da história do HBD!

    Cara, nem sei o que sinto primeiro: obrigação de ir até aí (sim, aí mesmo, no Canadá), só pra apertar sua mão e parabenizá-lo por seu exemplo de cavalheirismo e boa educação; se sinto pena da sua pobre mulher, que não merecia tamanha falta de respeito; ou se compartilho do mesmo ódio por patricinhas intercambistas que voce.

    No mais, parabéns também por essa jogada de gênio. Afinal, você encerrou um meme histórico só pra começar outro! Afinal de contas…

    …CADÊ A HISTÓRIA DA FATÍDICA VIAGEM DE TREM?

  71. Achei q não viveria pra ler esse post. Post histórico.

    Relutei, não queria ler e acabar com td a atmosfera mítica criada em volta desse texto, mas foi impossível resistir.
    Um post como esse merece comentário. Obrigada, Kid, por finalmente matar nossa curiosidade.

    Eu provavelmente teria perdido a paciência mais cedo q vc ou mandado as intercambistas pra um lugar bem distante do q elas pretendiam chegar.
    Gente, se eu fosse a intercambista ia correr tentar fazer amizade com a Becca, parece ser super simpática e divertida! *-*

    Agora, quando eu li sobre a viagem trem só pensei “filho da puta!” nao sabe terminar um mito sem criar outro. [2] HAHAHAHA

    Ótimo texto. Valeu a espera de 4 anos, Kid! Nunca comento, mas fui vencida pela emoção.

    Aguardo o post sobre a fatídica viagem de trem =P

  72. E assim nasce outra lenda: “a fatídica viagem de trem”. Fato…

    cara nem acredito que a era das patricinhas intercambistas acabou… realmente eu esperava mais, mas mto boa a historia.

    Eu largava as malas…mto escrotas as meninas meldels…

  73. Poooo até que enfim saiu esse post, agora entendo o porque da demora, nao foram lembracas boas. Eu teria sacaneado sem pena as meninas!

  74. Eu teria parado em algum canto, vasculhado as malas atrás de coisas úteis / de valor, levaria à seção de achados e perdidos, mandaria as desgraçadas tomar nos seus respectivos cus, marcaria algo MUITO interessante pra me redimir com a namorada e iria embora, torcendo pelo definhamento das referidas. Ah, e claro, tentaria NÃO perder a carteira. Se bem que eu já fiz isso, e é uma merda :~

  75. nunca comento maas dessa vez.. ihuauhiauhiauhiahuia
    ateh que enfim saiu o post, tu ganhou karma pro resto da vida, eu teria deixado as malas escondidas em algum banheiro, alguma coisa do tipo, soh de birra

  76. …e assim nasce um troll revoltado com toda a humanidade. E toda uma horda, que se identifica com essa ojeriza a este tipinho representado pelas intercambistas, lhe apóia cegamente. Eu mesmo visualizei algumas idiotas que conheci pela vida. Ódio mortal. Passar por isso te dá o direito de trollar a todos enquanto viver. Deveria ter até um diploma! ¦-]

  77. Cara, concordo com você em alguns pontos.

    Eu como intercambista vejo muito do que você falou nas pessoas a minha volta. Nego falando em português na frente de canadense, alienando completamente. Era comum acontecer de eu levar a Julia -- canadense que eu tava pegando -- pra mesa dos intercambistas que, após olharem pra menina, viravam e voltavam a conversar em pt-br.

    Só acho que você está errado em generalizar, eu ando com os brasileiros -- não consigo virar a cara pra um nego que me tem como amigo -- mas sei muito bem a hora de ir procurar amigos canadenses, e me distanciar da papagaiada brasileira.

    Posso te dizer com certeza que tenho muito mais amigos canadenses do que brasileiros, mesmo me evitando me relacionar com o primeiro grupinho que me acolheu no Canadá -- os skatistas brancos que agem como negros.

    Lulz.

    Mas é isso aí, entendo seu ódio, mas acho que tu devia entender o lado de nego que não fez nada disso, e que tá aqui de boa 🙂

  78. Eu vi a versão com as fotos das mesmas!111 que depois o kid tirou.

    Morram de inveja todos.

    Sei lá, pensei que a história ia ter alguma parte da putaria, pois chegou a virar lenda.

    Épico mesmo seria tu postar tua foto pulando a mesa do sexshop atrás do ladrão de dildos.

  79. “Mas isso é uma história pra outro dia… ”

    Façam suas apostas. Eu chuto que ele revela a história em 2 anos.

    Ri muito, muito mesmo com a história!! kkkk

  80. Nunca gostei de pessoas mimadas, muito menos “patricinhas”. No meu colégio tinha pencas, tentei relevar tmb e me relacionar bem com a maioria, mas hormônios da adolescência, rebeldia, heavy metal, etc…digamos q aloprava constantemente esse tipo de pessoa e elas ñ podiam fazer nada pq tinham medo…kkk
    O fato é esse povo é bem característico de classe média, tem titica na cabeça, é preconceituoso, sem educação, sem cultura, só falam merda e acham q podem se aproveitar dos outros. Se fosse eu teria falado na cara, vc ñ tinha nada a perder! Vc tava no seu território e elas estavam perdidas, e se elas se desculpassem daria direções erradas para elas aprenderem a se virar e perguntar para os nativos com educação e em inglês. Poderia mandar elas pegar um trem para pqp fria e isolada onde só tivesse inuits ou até o interior de Quebec, queria ver elas tentando entender aquele francês bem doido!
    Cara vc foi excessivamente civilizado com pessoas q claramente ñ mereciam, e isso se repete muito no Brasil, mas também engloba todas as classes sociais/poderes aquisitivos, afinal dinheiro ñ quer dizer nada, tem pessoas civilizadas, educadas e honestas que vivem em comunidades carentes e muito sociopata q vive em apartamentos/casas alto padrão…Von Richthofen Feelings!
    Estou aguardando Half-Life Episódio 3, Starcraft 2, Duke Nukem, a “Fatídica Viagem de Trem”, 3ªGuerra Mundial e o fim do mundo!

  81. oooooooorra!
    esse post foi foda!
    parabéns!
    caralho não tem nada mais irritante do que povinho que só sabe conversar assunto interno. naaaaaaaada na cabeça.

  82. Esse post demorou tanto, mas tanto, que agora to em dúvidas se eu realmente leio. Vai valer a pena?

    Vou pensar mais um pouco, depois volto aqui e leio, ou não.

  83. Primeira vez q eu comento e não poderia ser em um post diferente hehe… mas q feladaputas heim? o pior é q os gringos ficam achando q todos os brasileiros são assim (não é o caso da sua mulher obviamente).. mas elas eram até bonitinhas (pra ser bonzinho) pena q tirou as fotos!
    eh isso ae;; abraço!

  84. Aliás, só fiz esse comentário sem graça porque não queria comentar que vou pros EUA no fim do ano e não quero ter uma atitude babaca como dessas intercambistas escrotíssimas. Mas por outro lado, devo aproveitar esse boxing day sim. =D

  85. meu primeiro comentario!! uhhuullll
    kra, patrcinhas são patricinhas em qualquer lugar do mundo, não generalize, planejo fazer um intercambio ano que vem de 6 meses e com visões bem diferentes dessas loucas aí! rsrs, elas foram a passeio, não pra aprimorar ingles e cultura.
    abç

  86. Finalmente! Faz tempos que leio teu blog e aguardava essa historia!
    Entendo bem o seu sentimento em relacao a intercambistas, moro fora do Brasil a 10 anos e ja encontrei muita gente com esse tipo de atitude…mas voce sofreu bem mais que eu. hehe

  87. hahaha kd o “kid viado vai morrer com monte de malas de patricinhas intercambitas no cu” ? rs

    mais uma voyer assinando o livro de visitas.
    aguardo ansiosamente o post da fatídica viagem de trem. 😉

  88. Agora entendo porquê você é um troll revoltado. 😉
    Mas concordo com tudo que disse. Essas patricinhas intercambistas são mesmo deprimentes.

  89. Caralhooooo! Mais um Voyeur assinando, vencido pela emoção do lendário post… E com tanto dito anteriormente pelo resto do povo, com mais um mito criado OMG! Cê é foda, e ownou Jó agora xD

    E pro carinha láááááááá encima, quem disse que não teve final épico? Ele se casou com a mocinha, e a viagem de trem foi épica por causa dos corpos das PIE que estavam presos aos trilhos o/

  90. Já posso imaginar, em 2012 (óbvio), o novo post “A fatídica viagem de trem” começando com: “Nos episódios anteriores de Hoje é um Bom Dia patricinhas intercambistas escrotas haviam se reunido na missão de atormentar o Kid. Agora, para fugir deste tormento ele, sua mulher e o skatista misterioso acabam embarcando naaaaaa Fatídica Viagem de Trem…”

  91. Puts, agora até eu fiquei com pena da Becca. De você quase…
    E que os deuses dai nternet te bençõem pelo esforço épico que imagino ter sido escrever esse texto, Homero escreveria 9000 versos sobre sua glória.

  92. Sabe aquele filme que todo mundo elogia e faz a maior propaganda, e quando resolvemos (ou conseguimos) assistir achamos que não é tudo aquilo que falavam? Então, com o caso das patricinhas deu-se o mesmo.

  93. Certo, certo. Eu sempre fui uma leitora fantasma, mas num momento lendário como esse, eu não POSSO simplesmente continuar nas sombras xD
    Escrotice mor delas, fato. Devia ter deixado as malas no chão mesmo!
    Patricinhas/playboys brasileiros perambulado pela América do Norte raramente dão algum resultado positivo.
    RARAMENTE. Não nunca.
    Sem querer parecer semeadora da discórdia, mas enfim. SEMPRE há exceções, né? Não são todos os intercambistas que não têm nada na cabeça… Tudo bem que a grande maioria dos intercambistas que aproveitam de verdade a oportunidade vão pra Europa ou outros lugares mais alternativos (eu mesma fui pra França xD aliás, HBD era uma das minhas poucas leituras em português durante aquele ano).
    O mesmo vale pros “filhos de pais abastados”. Nem todos são esse nojo todo… A maioria, mas não todos =D

    Btw, quero o post da fatídica viagem de trem logo! E aposto que foi macumba delas xD

  94. “…e após tamanha decepção com suas amiguinhas Izzy foi tomado por uma mistura de raiva, angustia e frustração. Sentimentos que deram vida a um monstro. Nascia ali um novo troll que esparramaria seu ácido, em forma de frases com no máximo 140 caracteres, num futuro nao muito distante.”

  95. Pow vsf que chatas.

    Que falta fez um celular ai ein?
    “Olha to deixando as malas aqui na seção xyz do shopping e to indo embora. fui.”

    E como não poderia deixar de ser… O kid deixou uma outra historia pro pessoal pedir nos recados…
    até daqui a quatro anos historia do trem. hehehe

  96. Jovem gafanhoto, tu tem karma sobrando.

    Eu teria mandado tomar no cú, em sonora lusofonia, ainda dentro do trem. Você é um poço de paciência, meu sagaz amigo!

    E essa parte:

    “Yep. Sendo o único detentor do cromossomo Y, minhas colegas decidiram que eu era o único capaz de exercer o serviço de um animal de carga. Tentando ainda ser educado, aceitei.”

    Me arrancou gargalhadas! Sério, tive que mostrar o texto pro pessoal aqui do trabalho =P

  97. DUHSAUODHSOAUIH realmente, seu karma está positivo agora .-. assim como o nosso amigo tota, mandaria tomarem no cú sem dó nem piedade, mas já que você é tão paciente não há o que fazer, haha

    belo post izzy, me arrancou belas gargalhadas além de me fazer parar pra pensar no que as pessoas desse tipo fazem!

  98. Cara, que emoção e quanta tranquilidade da tua parte, eu ligava o foda-se e tinha ido embora muito antes.
    E, como já disseram: Nasce outra lenda: “A fatídica viagem de trem”

  99. haha, acompanho esse blog desde o início, anos atrás, logo da sua chegada aí e é a primeira vez que comento, finalmente a lenda descrita haha, tinha que participar desse momento

    putz, a primeira coisa em fazer intercambio para mim seria confraternizar com os devidos gringos o0
    povo que tem grana pra essas coisas e não aproveita, eita Brasil!

    eis mais um sulista que aparece aqui, hehe, abraço kide!

  100. nada menos do que épico este post…..
    com o bonos de não saciar totalmente a nossa curiosidade….

    e pra completar…
    que dia de merda esse que você teve ein!!!

  101. hahaha*(6*10²³)

    caralho!!! uma vez eu vivi algo que se parece vagamente com isso mas o meu foi infinitamente mais light…

    post bom pa carai. macho!

  102. Cara…quase caí da cadeira quando a página carregou e eu vi esse título. Acho que vou esperar uns 3 dias pra ler o texto, só pra manter o suspense sabendo que o texto ta aqui. NÃO!! Vou ler agora.

  103. O fim da lenda.

    É MUITO raro eu comentar aqui, mas como vários disseram ai em cima, preciso participar desse momento histórico.

    Pensei em segurar para ler esse texto por uma semana ao menos, mas não consegui nem dois dias…

  104. Muito bom, finalmente, depois alguns anos a lenda foi revelada.

    Muita sacanagem das patricinhas. E como você mesmo disse, sua ‘muié’ é animada, vê-la triste não deve ter sido fácil.

    Anyway, se essas garotas tiverem conseguido voltar para casa, hoje, não devem nem se lembrar de você. Se não tiverem conseguido deve estar mortas em algum lugar qualquer.

    Agora, que esperemos mais longos quatro anos para a história do dia que o Kid perdeu a carteira.

  105. Lendas Morrem!
    Lendas Nascem!
    O eterno ciclo da internet,meus caros
    suahuashaushuashash
    se burro de carga e guia pra alguem q vc estava disposto a ter uma amizade,nao tao duradoura,mas mesmo assim seria deve ser revoltante.
    Agora quero ler o outro,mas ve se nao demora 4 anos vlw?2012 já já ta ai!
    fikadik

  106. E eu achando que não teria tópico neste site melhor que o do “Rato na Locadora”.

    Pois este conseguiu o feito.

    Melhor tópico do site.

  107. Confesso que também esperava mais da história, mas fico satisfeita só de finalmente saber do que se tratava.
    Você foi um anjinho no dia, nem parece o rapaz dos posts daqui, haha.
    E a descrição da Becca triste com a exclusão encheu meus olhos de lágrimas. Não bastasse a babaquice de fazer intercâmbio e não procurar interagir com o povo local, ignorar alguém como a Becca me parece um crime. =(
    Continue a postar. =*

  108. Finalmente Kid resolve escrever o mítico post das patricinhas intercâmbistas escrotas.

    Sei muito bem como esse tipo de gente é, eu trabalho numa empresa que vende pacotes de intercâmbio, já tive que lidar com gente muito pior que essa aí.
    Vcs tentem imaginar a mãe/perua de uma dessas meninas dando chilique aqui no meu escritório pq a filha folgada dela ligou pra casa chorando de saudade e querendo voltar pra casa, e ainda por cima achando q eu tenho q devolver o dinheiro dela só pq a filha não gostou de ficar longe.

    Agora vamos ver quanto tempo vai levar até o Kid publicar a história da viagem de trem.

  109. Mandou benzásso cara, ta de parabens…acompanho seu blog quase q diariamente [quando tem att!] e tambem estava curioso pra saber a procedência desse termo!

    abraço

  110. Putz cara, estou acompanhando esse Blog tem 2 semanas só, e já estava curioso para saber essa história, imagine quem acompanha desde o começo?

    Não tenho o que falar, até me imaginei nessa porra!

    Se algum dia esbarrar com elas novamente mande um VAI A MERDA por mim!!!

    Atenciosamente: Moisés Freire. hehe

    Off -- Mesmo eu lendo a FAQ umas 3 vezes, o que não é ruim, já que tudo que tu escreve eu acabo caindo na gargalhada, AINDA TEM MULAS que escrevem “primeiro”, mesmo não sendo o primeiro, PUTA QUE ME PARIU, não tem nada melhor para escrever não?

  111. tenho uma amiga que foi pros estados unidos passar as ferias de fim de ano com a mae que ela nao via a mais de 8 anos… era pra ela ficar la 2 meses… mais voltou depois de um… porque nao conseguiu ficar longe do namoradom que namorava a uns 6 meses hahahha
    porra, ela chorando todo dia, e o dia todo no msn, e a mae dela chorando porque ela tava querendo ir embora… que papelão.

  112. Cara, esqueci de escrever, como que você conseguiu engordar tanto assim? sou magro desde criança, como pocarias o tempo todo, minha esposa faz comidas maravilhosas e eu não engordo, caralho queria eu pelo menos engordar uns 10kg.

    Por favor não se ofenda!

  113. por que a intercambista “V” mudou pra “G” do nada, no meio do texto?

    “Apareceu então a V, uma amiga brasileira dela de Toronto que ela havia convidado pra comparecer a uma das festinhas.”

    “M, sua amiga G, a patroa e eu nos encontramos na estação de trem de Oshawa, onde pegaríamos o Go-Train”

  114. Adorei a história.
    É, esse foi um bom post retratando interação social. Bem divertido. É legal ler você descrevendo seu sofrimento.

    hahaha

  115. Com twitter e orkut por aí… bem que vc poderia tentar encontrá-las e passar pra a galera… só pra dar uma avacalhada de leve! =D

  116. Putz Kid, eu não acredito que você deixou outra história pra contar no lugar da das Patricinhas. Isso não se faz cara.
    Agora iremos ficar mais cinco anos cobrando você sobre “a história da volta de trem com o skatista”

  117. caralho, que bando de filha da puta! uaheuhaeuh

    juro como pensava que essa historia das patricinhas era alguma putaria q tinha rolado em festinha, etc (antes fosse hein?)

    sobre a ideia que vc tem de intercambistas, eu acho a mesma coisa.. pau no cu d quem vai p tirar foto da neve e ficar arrodeado pessoas da mesma nacionalidade.

  118. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    KID VIADO VAI MORRER DE TANTA PIROCADA MOLE NO CU!!

    eu esperava algo que envolvesse sexo, drogas e gravidez….

    porra…vou me matar

  119. EU LI O TEXTO MAIS AGUARDADO DO HBD. Tinha de registrar esse momento nos comentários. Pronto registrado. E tenho de concordar, intercambista brasileiro vai pro exterior esperando encontrar brasileiro e feijão, e não uma outra cultura.Ridículo iso :/

  120. NÃO ACREDITO QUE EU LI.
    FINALMENTE!
    Depois de trocentos anos de espera, finalmente.
    E é por essas e outras que eu tenho uma profunda raiva das classes superiores desse infeliz país. Ô povo nojentamente estúpido.
    Agora, cadê o post do trem?
    😛

  121. e eu que pensava que eu era campeã em entrar nesse tipo de roubada… as pessoas me acham com cara de santa, e que eu sirvo de altar da virgem santissima mas pelo menos nunca me deram mala pra carregar

  122. Cara quando eu penso q eu ja dei uma de otario paciente aqui vc me surpreende…eu teria largado as malas no 1/2 do mall e elas q rezassem pra ninguem roubar… nego escroto assim tem mais eh que se foder…

  123. Sobre os comentários a respeito da “brochada” em relação à expectativa criada, todos sabemos (com filmes, com livros, com situações da vida) que NUNCA, quando chega a hora, é como idealizamos. Por melhor que seja.

    E o artigo foi bom, na linha da história de vida/experiências acumuladas do Israel.

  124. LMAO! Fazem alguns vários anos que venho aqui e… oh céus, ele cumpre promessas 😀

    E… peraí! Tinha foto delas no post?!?!?!

  125. Se um dia eu encontrar sua patroa eu faço questão de beijar os pés dela e chamá-la de santa, fiquei com pena dela (de você não).

  126. vc realmente e um cara de boa alma, acho que tb teria sido masss…… o que elas mereciam é que vc , em um ultimo esforço (e munido de frieza) indicasse a elas incorretamente o que quer que elas quisessem que vc indicasse !…

  127. 1.OHMELDELS, SAIU. o_o
    2.Se eu vier a fazer intercâmbio algum dia, graças a esse texto farei todo o possível pra deixar a timidez de lado e não dar má impressão.

  128. Bom texto… Intercambistas são meio complicados mesmo…

    E tudo bem que vc arrumou um jeito de colocar outra história que vamos cobrar por uns, digamos, 4 anos…

    []´s

  129. Já faz um tempinho que acompanho o HBD, mas nunca tinha comentado. Porém esse texto conseguiu transmitir tão bem ódio sentido que resolvi comentar. 1º Não teria devolvido as malas. 2º Já fui intercambista mas em nenhum momento me portei como uma debilóide. (que é isso que essas parecem) 3º Tomara que elas leiam. Peace! o/

  130. PORRA!
    mindeu câmbra rola até aqui
    eu nem acreditei quando li o titulo
    achei q seria trote
    meldels!!!!
    seu maldito deixou outra história pra traz!! @.@ ve si n demora mais 4 anos pra fazer

  131. Eu indo dormir e me aparece com esse texto. (2) Tive que escolher entre ir dormir e estar descansado para enfrentar a “batalha do dia-a-dia” e ler a tão famosa e esperada eshistória das intercambialistas.

  132. putaquepariu, vaisefoder kid. matou a curiosidade de uma história pra deixar outra no lugar.

    lá se vão mais 5 anos pra ler a história do trem…

  133. Realmente, é patético ver essas patricinhas irem para o exterior para falar português e querer impor a cultura delas no país de destino…

  134. eu jurei que havia ficado louco.
    Eu li a postagem via feed, e vim aqui para comentar logo no dia… cheguei aqui e deu 404.. S:

    Mas então, você realmente se fod*eu na mão das patricinhas heím! Eu teria ido embora com a mala da guria 😀

  135. Nunca saí do país, mas tive dois primos que foram pra fora (um pro Canadá, a outra pra Dinamarca) e… bem, como posso dizer? seu texto me fez lembrar dos dois imediatamente! não se esforçavam pra falar outra língua, eram crianças mimadas, passavam o tempo todo falando com minhas tias no MSN reclamando da vida… Patético! Não sabia que o povo esperou quatro anos pra vc escrever sobre isso, mas acho que comecei a ler ese blog na hora certa. 🙂

  136. haha adorei saber sobre o boxing day, chego em toronto dia 27 de dezembro pra ficar dois meses fazendo intercambio, vou evitar ser uma patricinha intrcambista hahaha

  137. nossa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    que historia mais trash!!
    agora fica a pergunta…….quando vai sair o texto com o viagem de volta para casa!?!?!?

  138. Há! Comecei a ler o blog faz uns 3 ou 4 dias e já me deparo com um post assim. Hehehe
    Ah e eu gostei do texto, ao contrario de uns aí. Talvez pq eu nao tive q esperar 4 anos por ele 😛

  139. Rumo aos “Over Nine Thousand” Comentários! E nada como revelar uma lçenda criando outra por cima… E que meninas malditas, em?

  140. Daqui a pouco o kid posta um hdbtv,e no final aparece o serginho malandro
    “Sabe o texto das patricinhas? É PEGADINHA DO MALANDROOO”
    E daqui a 4 anos ele posta o real.

  141. Pô, tem um monte de gente reclamando da história.

    Vocês realmente acreditaram que seria tão bombástico? A expectativa sempre supera o resultado. Transformers 2 que o diga.

    Tá, foi uma péssima comparação, essa história do quide ainda foi divertidassa e mostrou como ele ainda tem karma sobrando pra trollar todo mundo, mas ainda assim, eu também esperava mais pornografia, gente pelada, sangue pelas paredes e muitas drogas.

    Mas a maioria das lendas são assim. Talvez o dia seja mais memorável mesmo pela viagem do trem, sobre a qual iremos ler lá por 2014.

  142. Tudo que elas queriam era gastar dinheiro e um macho pra dar um trato nelas.

    Aí aparece você, nerd, com seus 50 e poucos quilos e com uma namorada gringa.

    sux

  143. Ah, que merda, eu esperava sexo violento com patricinhas ninfomaníacas e o kid apresenta esse texto, sendo que uma delas, inclusive, era gorda. Droga, vou me matar…

  144. Finalmente saiu!! Demorou menos que o chinese democracy pelo menos mas achei que seria algo mais absurdo pela demora, foi simplesmente filha da putisse de adolescentes burguesinhas

  145. OMFG!!! Desde que leio o HBD, deve ter uns 3 meses, espero por essa aventura!!! E acho que eu não teria nem decido do trem se elas ficassem conversando entre si, excluindo os outros!! Parabéns Sr. Izzynobre!! O melhor texto que li aqui!

  146. PQP, cara…

    Na boa, por mais que você o El Diablo que admiro pela interewbz, você foi extremamente cavalheiro com tamanha escrotice de gente egoísta desse naipe.

    Se fosse comigo, eu já largava as malas, escrevia um bilhetinho que nelas continham uma grana boa dentro e só podiam ser abertas dentro da casa de quem pegasse, colava nas malas e vazava. E terminaria falando “foda-se”.

    Ideia besta. Mas foda-se, só pra garantir que alguém levasse as malas, lol.

    Eu não tenho mais capacidade pra aturar gente assim ¬¬

    Te admiro, cara. lol

    E você termina contando uma lenda iniciando outra na cultura HBD. Épico! XD

  147. “Ver essa menina que a personificação de alegria se sentindo tão triste por ser rejeitada me causou um desgosto impressionante.” me causou tbm uma profunda irritação de imaginar essas vacas tratando mal a tua esposa…

  148. Foda-se o karma. Tu devia ter tacado aquelas duas malas de algum lugar alto, ou no trilho do trem ou coisa que o valha. Eu estaria rindo satisfeito até hoje.

  149. Poha que legal, vc acaba um texto épico prometendo outro, parece novela mexicana [riso debochado].
    Zueira.
    E eu quase nunca comento mas já depois de um ano esperando a história achei bom aparecer : )

  150. (tá, tudo bem, é claro que eu lí… não aguentei de curiosidade)
    Valeu a pena esperar 4 anos… afinal de contas, foi de graça eu não tava fazendo nada mesmo.

  151. cara,comecei a ler seu site pq vc mora no canada e pq vc escreve bem e faa coisas legais
    ja fui ai,intercambista,ano passado,aos 22 anos,pra aprimorar o ingles. Fiquei em Toronto,estudei na Berlitz
    E concordo com vc quanto aos intercambistas (excluo eu e meu roommate desse povo), que SO FALAM portugues O TEMPO TODO,inclusive dentro da sala. Se saem e vao as festas,sao so as com brasileiros. E complicado o negocio.
    Eu so falava portugeus em 2 situações:
    1) quando meu roommate,q nao tinha o mesmo nivel de ingels que eu,realmente nao entendia algo,msmo eu explicando com coisas que ele sabia.
    2) quando a saudade da comida bateu, e fomos num restaurante brasileiro. ai la falamos em portugues com as atendentes.ma bizarramente, eu e meu amigo brasileiro e da msma cidade (que eu so conheci la),conitnuavamos falando em ingles. Afinal,era pra isso que nossos pais se esforçaram pra pagar essa viagem.
    Ficava puto com os brasieliros,princ. por so falarem em portugues qdo eu perguntava em ingles. Ignorava mesmo!
    PReferi aproveitar o MEU AMADO E QUERIDO Canadá,em aventuras e passeios de 2 meses que foram super construtivos. E na boa,amo o Canadá mto mais do que amo o Brasil.Me inseri na cultura canadense em 2 meses mais do que na brasileira em 23 anos!

    Belo blog, e pqp,q patricinhas FILHASDAPUTA!hauahah
    abraçao!e qdo eu for ao canada novamente (espero faer mestrado aí), entrarei em contato! hehe

  152. pensei que o texto fosse envolver coisas mais nojentas ;o

    Patricinhas… Chinese Democracy… daqui a pouco até Duke nukem forever sai

  153. Caraca Izzy! bando de patricinhas babacas!

    e do lado de cá, geralmente essas patricinhas são as q os pais pagam escola de inglês e pensam q elas tão aprendendo…

    mas tem tb gente q vai ai e conversa, interage e tudo mais. mas a verdade é q eh excessão. uma amiga minha foi e era a unica do grupo q falava com todo mundo e era ela quem intercedia o grupo com os gringos.

  154. “E assim nasce outra lenda: “a fatídica viagem de trem” [5] -- FATO!!!

    Cara, apos ler este texto, fiquei imaginando sua mule´ triste com tudo isto (e realmente, ela parece ser alguem bem alegre, pelo menos ate´ onde vi aqui na net), + o comportamento delas descrito por vc, e, sinceramente so´ posso diser isso sobre o que li:

    Patricinhas Intercambistas = VACAS!!!

    (tadinha das vacas, mas, foi a primeira coisa que pensei…)

  155. Velho, sinto que uma parte da magia se perdeu… Leio essa porra desde 2005!

    Foi como perceber que não sou mais criança… Mas o lado bom é que agora posso morrer em paz! Isto é, até você escrever o texto da “fatídica viagem de trem”

  156. Caramba… Você está para escrever este texto desde 2005? Eu nem vi o tempo passar… E, considerando-se que leio o HBD desde bem antes de esta história sobre o texto das patricinhas começar, a conclusão a que chego é que estou ficando velho…

    Ficam aqui, então, as minhas sinceras desculpas por ser um leitor tão antigo, e não comentar praticamente nunca…

  157. o problema não é o fato de serem intercambistas, mas sim PATRICINHAS, esses seres de QI inferior, que não sabem ter educação com alguém, que elas supõe, não ser do mesmo nível financeiro delas.

  158. bom, já q aconteceu em 2005 e vc passou “APENAS” 4 anos falando dessa história, creio q lá por 2013 vc nós brindará com a continuação

  159. Eles vão só pra tirar onda mesmo, postar fotos que ja estiveram no exterior.

    Existe uma variante mais “adulta” desse fenômeno: universitários que viajam a Paris. Eles não fazem idéia da riqueza cultural da cidade, ignoram museus e se entram neles não sabem porra nenhuma do que está exposto ali.

    Qual o objetivo da viagem? Tirar fotos com a Torre Eifel e subir pro Orkut. “Olha, como sou interessante, ja estive na França”.

  160. Pensei honestamente que seria uma história do KID participando de um GANG BANG ou algo do tipo….meio que o Kid no meio ‘do Canadá’ correndo só de Zorba e meias sociais atrás de 03 minas semi-nuas gritando: “Agora é minha vez!!!” aehahehea
    Mas de qualquer forma foi uma história bem legal…e o fim do suspense foi finalmente encerrado.

  161. Que engraçado. Conheço teu blog, mas não leio sempre. Hoje, no tédio do serviço, resolvi ler. Comecei pelo FAQ e fiquei curioso pela história das intercambistas. Eis que acabo de ler o FAQ e aqui está a história postada! Hahaha!
    E sei bem como é, já passei por situação parecida na Austrália.

    Abraço Izzy, sucesso!

  162. Acho que você resumiu tudo quando falou da criação. O problema de pessoas como essas meninas é que os pais ensinam que o mundo é que deve servir elas, e não elas servirem o mundo. Pessoas abusivas e desinteressantes. Acho que eu não aguentaria tanto tempo quanto você aguentou, e sua esposa é uma santa. As garotas que conheço fariam questão de que eu deixasse a mala solta por aí!

    Quero ver quando sai o post da viagem de trem agora. 2012?

  163. a verdadeira história de 3 retardadas aproveitadoras 🙂

    ahh, por aqui tem de sobra e já estamos exportando

    são do tipo que tem perfil no orkut (hoje em dia) com descrição “analfabética” e também carregado aquele álbum duplamente retardado com fotos frente ao espelho

  164. Kiq, só vc mesmo, libera um post requisitado a anos e no final deixa mais um em aberto, sabe final de filme que vc sabe que vai ter uma sequencia. Parabéns Kid.

  165. agora entendo pq esse texto demorou a eternidade toda esse entra concerteza pros post épicos do HBD, Kid e becca levaram um owned de 3 débeis mentais! xD

  166. BARALHOOOOOOOOOOOOO
    Nunca postei nessa bagaça, mas agora que as patricinhas intercambistas saíram eu tinha que deixar meu comment, finalmente né kibe?
    E quando vier na pátria amada passa aki em salvador.

    Agora vou ler.

  167. O suspense de 04 anos me deixou decepcionado, esperava mais da história, mais não deixou de ser muito boa, como a maioria dos textos.
    Belas FDP essas intercambistas hein, tenho que lidar com esse tipo de gente todo dia no trabalho, pense no ódio… isso tudo que vc disse no início do texto é a mais pura verdade, falou tudo que eu penso.
    Mais gostei da phoênix, morre uma lenda, e nasce outra.
    flws

  168. puta que pariu,PUTA QUE PARIU. eu nem acredito que eu li esse texto. caralho.

    enfim, malditas intercambistas. eu largaria as malas no meio de Toronto sem pensar duas vezes. Sua mulher tem mais importância do que essas aí.

    e go go escrever a história da viagem de volta !

  169. perdão pelo triple post, mas eu podia jurar que essa história era bem mais sexual, pelo o que você falava. e eu vi comentários no meio do caminho que confirmam que eu não estou ficando louco.

  170. Ok.

    POR QUE DIABOS tantos leitores achavam que a lenda das Intercambistas envolvia uma aventura sexual de algum tipo? Eu jamais insinuei nada nesse sentido.

  171. Eu so acho que vocÊ devia ter esculachado geral e aberto o nome dessas tres vadiazinhas… Puta que pariu… Eu teria ignorado o tal do Karma e largado a bolsa delas na lata de lixo…

  172. foi resolvido o mistério… e porra tu tem uma paciencia gigantesca, ja aconteceu coisa parecida comigo e nao demorei mto pra mandar o povo a merda…
    lamentavel esse tipo de gente que acha que pode simplesmente abusar da boa vontade alheia

  173. Reij! Kid, você precisa citar outra história para aguardarmos por mais 4 anos agora.

    (Finalmente o dinheiro depositado no paypal valeu) euhieaheauiheauieah

  174. Bom, depois de finalmente ler o texto mais bem guardado do kid, não preciso mais voltar pro blog, já li o que sempre quis ler, estou a 5 anos aqui, s´esperando esse texto, adeus.

  175. Cara.. meu primeiro comentario no HBD mas já acompanho a uns meses..

    sempre tive vontarde de ir pro canadá, estava conversando com um amigo de trabalho que já morou ai, as probabilidades de estar indo trampar/morar ai tambem, mas enfim..

    essas gurias não passam de patricinhas nojentas que querem atenção de todos, e eu no seu lugar jamais seria educado, e se fosse 1/2 do que vc foi, era intencionalmente para dar um “penis head”(como diz um amigo meu) nelas..

    adorei não ter pego essa historia a 4 anos atraz.. xD

  176. Kid, sou usuário do HangarNet onde você participa. Sempre andei lendo seu blog… muito gostoso. Você tem umas sacadas geniais e escreve suuuuper bem.

    Em relação ao tópico… eu acredito ter o mesmo problema que você: bondade por natureza. E, nessa sociedade hipócrita e nojenta, bonzinho só se fode em quase todos os aspectos, principalmente nos sexuais, se é que você me entende. Então tive que mudar bastante a minha personalidade. Contudo, a essência nós não temos como mudar, por isso ainda sempre levaremos algum ferro rs… só que cada vez menos 😛

  177. Agora substitua no FAQ o item sobre “Patricinhas Intercambistas” por “A fatídica viagem de trem”. Quando uma lenda morre, outra toma o seu lugar!

  178. Cacete! Que saga!

    Alias, eu não conhecia esse negocio do karma, acho que tenho muito acumulado já. Agora eu fiquei curioso para saber a historia do trem =/, vou ter que esperar 4 anos?

  179. Não acredito q esse post siu! 4 anos q te acompanho , já tinha perdido a esperança de ouvir falar das patricinhas… mas devo dizer esperava mais… foi meio decepcionante =/
    haha

  180. Eu não acredito!

    Finalmente o post das intercambistas escrotas.

    Eu sei pq o Kid nunca contou antes: isso não é uma aventura é uma desventura sem tamanhos.

    Se fosse eu, com certeza largaria as malas nos achados e perdidos e mandava ela se foderem!

    Finalmente eu posso tirar o HBD dos meus favoritos!!!!

    rsrsrsr

  181. O tanto de comentários deste post representa em exatidão a quantidade de leitores deste blog. Pois não acredito que exista alguma única alma penada que acompanhe as historias do Nobre cabeça de Jabá, consiga ficar sem comentar esta BUESTA de post lendariooooooo!
    Meus parabens bicicreta carguera Canadense, e que a thurma LMV rest in peace nas profundezas dos quintos do… … bom vcs sabem de onde vai 😛

  182. PRIMEIRÃO?

    Mas toda a vergonha que vc passou com a beca foi redimida com a obliteração estupidamente avassaladora da puta de vermelho.

    E a viagem de trem?

  183. Quide você tem paciencia demais mano eu já tinha largado as malas e tinha saído fora. foda-se essas burguesas folgadas, se elas ja estavam te ignorando desde o inicio o senhor ja deveria ter sico um pouco mais rispido, nem as malas pegava. e ainda fazia elas pagarem algo pra vc como retribuição AHAHAHAHA

    =**

  184. Pingback: Fábio N Sarmento
  185. Ainda estou esperando um buraco negro abrir e engolir todo o universo, o post das patricinhas intercambistas é REAL! 😮

    Mas tbm achei que era um conto de esbórnia com patricinhas sado-masô.

  186. Será que eu posso dizer que achei a historia fraquinha? Esperava mais.
    Isso nada mais é que uma coisa super banal
    e que já aconteceu comigo quando era frangote.

    Uma coisa devo frisar: Você escreve bem pra Cara**o.

    Mega abraço

  187. Porra, Kid, cê é foda! Agora vai cozinhar a FATÍDICA VIAGEM DE TREM por mais quatro anos, e só vai soltar a parada para comemorar o aniversário de um ano do bebê.

  188. Como alguns que comentaram, me surpreendo pelo nosso troll favorito do twitter ter feito algo tão karmamente positivo. E que se fodam as patricinhas intercambistas. Valeu Izzy

  189. Cara, começei a ler o seu blog faz pouco tempo. Só ontem fui saber da história das patricinhas, pelo FAQ. E bom, parece que dei sorte, minha curiosidade sobre a história foi sanada logo no dia seguinte.
    Agora mais 4 anos pra sair a história da viagem no trem.

  190. CARACA!!!
    Minha cabeça explodiu! Finalmente o texto sobre as patricinhas!

    Kid, sou imigrante em Miami, faz mais ou menos um ano e meio.

    Isso que você comenta é super fácil de se ver. Bando de sangue-suga criados por duas mães vindo pro exterior torrar grana do pai sem aprender uma palavra de inglês e sem fazer nenhum amigo gringo.

  191. Devia ter ido pra casa com as sacolas delas, que bando de filhas da puta, cara.

    Não tem como ser tão bonzinho assim não, karma o caralho. Com certeza ia se sentir muito melhor e dar umas risadas sempre que você se lembrasse da vingança, mas fazer o que.

  192. Aê! Finalmente!

    E 378? Wow! Eu sempre leio ( e morro de rir) todos os comentários,mas hoje não rola.

    Não sei por quê, eu achava que esse post ia ter algo relacionado a sexo, tipo elas te amarrando na cama depois de fazerem mil promessas de sacanagem, e te deixando lá. = )

    Mas ok, o post foi legal,apesar de revoltante. Você devia mesmo ter largado as malas delas e ido embora.

  193. 95% dos intercambistas sao assim. Eu estudei 1 ano em Newcastle(Inglaterra) e lá eu só tinha contato com uma Brasileira, moravamos na mesma republica com mais 4 ingleses e sempre falavamos ingles pra nao excluir o pessoal da conversa e pra poder aprender sobre eles tambem. Alias…eu escolhi Newcastle por causa dq quantidade infima de brasileiros la…mas quase sempre os intercambistas sao como o Kid descreveu. Eu mesmo achava muito chato quando um espanhol amigo meu se juntava com os outros e falava só espanhol. Enfim, quem gasta uma grana pra estudar fora e nao aproveita É MUITO BURRO!

  194. Uma grande falta de consideração, você foi muito bonzinho até, isso são pessoas sem objetivo na vida, mas a propria vida vai se encarregar de dar o troco nelas. E óbvio, você nem teve mais contato ou soube do paradeiro delas, ou soube? (outro post)

  195. Sempre acho falta de educação uma pessoa falar uma língua que a outra não conhece, passo isso com meus promos que ficam falando em alemão entre eles e me deixam boiando. Acho ridículo.
    Mas seus pontos karma estão altos! fique feliz!

  196. “Ok.

    POR QUE DIABOS tantos leitores achavam que a lenda das Intercambistas envolvia uma aventura sexual de algum tipo? Eu jamais insinuei nada nesse sentido.”

    Patricinhas escrotas -- escroto lembra bolsa escrotal, que por sua vez lembra sexo. Abraços, texugo tarado.

  197. Puta merda, eu aqui morrendo de vontade de fazer intercâmbio e essas biscates aí menosprezando a oportunidade..

    Minha ex namorada foi pra Austrália e fez igual a elas, se bem que fez ainda pior, fez tudo o que ela jamais faria no Brasil com aquela desculpa “não vou mais voltar aqui”, só faltou matar por lá. Ela foi deportada, mas o porque disso ela nunca me contou…

    Se algum dia eu for no Canadá, prometo de visitar, kid. 😉

  198. Não acompanhei toda a “Saga” por ser um leitor relativamente recente. Mas li o texto e só posso dizer uma coisa:

    Sem querer generalizar (mas já generalizando), e deixando o “pseudo-patriotismo” e o “falso-moralismo” de lado, isso é típico de BRASILEIRO.

    Levar vantagem sobre uma pessoa/situação para benefício próprio e pensar somente em seu umbigo -- foda-se o resto -- é o comportamento pelo qual a maioria dos brasileiros é moldado. Afinal de contas, é bonito ser o “malandro carioca”, tão famoso em qualquer produção artística tupiniquim, né?

    Enfim, compartilho seu sentimento em relação a este assunto e fico triste em saber que existe gente assim -- independente da nacionalidade.

  199. Kid, sem comentários…tbm moro fora a mto tempo e praticamente todo o brasileiro que encontrei é assim…QUASE todo…ainda tem os que se salvam, normalmente os que estao na mesma situação que nós!!!

    abrax e se vier pros EUA avisa que te arrumo esilio!

  200. muito interessante a história, e realmente dá pra perceber que as pessoas que fazem intercâmbio pra morar com gente do mesmo país ou tem pouco domínio da língua ou caem no desígnio que você deu.
    mas… agora você vai ter que postar a história do trem… acho… D:

  201. aff cara vc com certeza vai pro ceu! rsrsrsrs
    que paciência de jó, meu deus..
    eu teria abandonado essas gurias ainda no trem! fuck patricinhas, detesto esses tipos…..

  202. Pingback: jose alban
  203. até que enfim…
    ASeOAhseOIHAoehAUseAsiuehih
    infelizmente satisfação = percepção / expectativa.
    mas parabéns parabéns
    rendeu um comentário de um voyeur ^^

  204. Kid,

    Nós que ansiosa e entusiasticamente aguardávamos por esse post, te saudamos. Ave, Santo Israel!

    Pela mesma Lei do Karma, elas irão receber o que merecem, mais dia menos dia, Pode acreditar.

    abs,

  205. Hum… antes tarde do que mais tarde…

    Anyways, temos a versão em “terra brasilis” feita por brasileiros tbém. Quando vc estiver bem, despencar de repente e voltar a ser algo próximo do que era antes vc vai entender.

    Ou traduzindo: grana, carro = amigos. Sem carro = (quase) sem amigos. Sem grana E sem carro = você existe socialmente?

  206. Bom, pelo menos elas não tentaram fazer uma orgia com você e sua namorada, o que é um ponto positivo pra elas, já que, isso faria os respectivos namorados delas ficarem menos preocupados. Será que na França vai ser assim também? Acho que não vai ter nenhum Kid pra tirar minha preocupação!

  207. Nossa, inacreditável. Concordo com a sua visão a respeito de brasileiros intercambistas, a maioria é realmente da maneira descrita. Nunca fiz intercambio, nem nunca morei no exterior, apenas fiz viagens com meus pais por 1 ou 2 meses. Ano que vem me mudo pra Espanha, provavelmente sozinha… O que eu MAIS QUERO é distância de brasileiro. Salvo raríssimas excessões..

  208. Cara, pior que essas patricinhas intercambistas são EXATAMENTE como você descreveu em um outro post: passam dois meses se relacionando EXCLUSIVAMENTE com brasileiros, daí quando chegam no Brasil dizem que falaram inglês demais e esqueceram coisas em português, só para tirar onda!

  209. Cara, fiquei até com dó de vocês… lol … mas, não tem o q fazer, patricinhas serão patricinhas e não nos livraremos delas tão cedo. bom, esse texto pelomenos me faz adicionar uma notas mentais aqui…=D

  210. Pingback: Eduardo Antonio
  211. OMFG!!!!! Acompanho o hbdia faz uns 2 anos, mas nunca comentei, mas realmente esse post mereçe um comentário.

    P.S Seria realmente legal se a M. ainda visitasse o HBD [666]

  212. Salve Kid!

    Eu cometi o erro fatal!! Recebi uma patricinha maldita intercambista na minha casa.

    Na minha ainda foi pior, eu tive que aturar a mina por 3 dias!!! Tentei inseri-la no meio (ui) e a mesma coisa, ela só virava e falava em PT… COMIGO!

    Que ódio. O desconforto era claro no rosto dos meus amigos e a estúpida, que veio pra Miami fazer um treinamento pasme, não fala po**a nenhuma de inglês.

    Sorte que ela tem uma bunda bem redonda, assim ela ainda tem chance na vida.

    BTW: Fantástico vc no NerdCast cara! 😀

    Peace!

  213. Nunca comentei, pra falar a verdade conheci o blog a pouco tempo e ainda estou lendo os posts. Mas tenho que fazer algum comentário. Nossa kra, que foda.

    Ótimo trabalho com o blog, falow.

  214. Caralho….ca-ra-lho eu não acredito que só to lendo isso agora, meu tive seriamento goose bumps quando tava rodando pelo site, tá ligado quando vc vê uma coisa e ai tudo pára em volta de vc e um sorriso surge nos lábios e a pele arrepia e vc fala PATAQUELPAREL NÃO ACREDITÔ?? pois é hahuauhahua!!!

    Te falei uma vez que trabalho com intercâmbio e sei e concordo EXATAMENTE com o que você disse, aliás, usarei esse texto como referência pros meus alunos que ficam desesperados porque não comerão Leite Condensado. Sim, porque isso NÃO existe no Canadá e aqui no Brasil nos bebemos leite condesado direto da lata, um horror pra eles isso, tanto sofrimento por um mês [/sarcasm]

    Foda Kid, queria muito poder esbarrar com vc e a gringa ai por essas bandas, prometo falar inglês e não fazer compras, muito menos carregar malas. Não ando nem com bolsa.

    FODA.

  215. AH KID VAI TOMAR NO CÚ, eu não acredito que esperei 5 anos pra essa merda? você é patético e deveria ter xingado elas e batido nelas.

  216. Pingback: Thiago Carneiro
  217. Excelente texto!
    comecei a ler hj seu site, por nao ter nada pra fazer no estagio aqui em Sherbrooke-Quebec. te conhecei no NerdCast
    Abracao, e boa sorte pra nos!!

  218. Só pra ajudar no recorde[123]
    Mas q é foda é…Falou tudo, filhas de pais ricos q vao pro exterior trabalhar de oreia e ainda ficam tirando onda…

  219. Nem se eu dobrasse a dose do remédio que eu tomo para manter a calma adiantaria, numa situação dessas eu já teria arremessado a mala na cabeça dessas acéfalas e amaldiçoado até a quinta geração das mesmas. Woot, parabéns pela sua paciência!

  220. Grandes merda! Se eu tivesse esperando 4 anos por isso eu juro que ia dar um jeito de te achar e te encher de porrada seu pela saco do caralho! Tem mais é que ser burro de carga mesmo! Seu chupeta!

    UHAUAHUAHUAHUAHUAH

    Péla saco (y)

  221. Cara.. sou de SC e passei por situação parecida – com gurias catarinenses – quando morava em Curitiba. Gente estranha! Ah em janeiro vou estar por aí… vamos ver o que vai ser – além de frio!

  222. shit, toda vez que eu olho esse texto imagino como teria sido seus comentários no twitter hahahahaha
    pena que não existia internet 3G naquela época

  223. Caramba… fiquei três anos sem entrar no site, e o meu espanto ao olhar emails antigos e achar o registro do forum… outubro de 2006.. e ainda por cima descobrir a história das patricinhas… realmente, eu ficaria puto com isso, e teria apenas dito em inglês que jogaria as malas ali mesmo e elas que se virem… mas afinal, depois disso tudo elas te procuraram de novo?
    um feliz natal atrasado e um bom ano novo…

  224. Heh, seria bem hipocrita em criticar direto às garotas. Moro na Espanha e, Deus, o que eu não daria por encontrar brasileiros da minha idade por perto. Mas infelizmente moro no interior (você acha que mora no interior? Tua cidade tem uma maldita avenida, meu “pueblo” tem 700 habitantes e merda de gato cobrindo as ruas) e brasileiros aqui somos eu, meu pai minha irma e uma tia que já não sabe falar nem espanhol nem catalão direito e já esqueceu do português. Então fui obrigado a me adaptar e interagir, com toda a má vontade do mundo. Mas claro, concordo plenamente que intercâmbio não é turismo e que essa atitude mereceria um belo puxão de orelha moral. Mas enfim, admiro tua paciência.

  225. Vale comentar quase um ano depois?
    Comportamento típico de patricinhas mesmo, só pensam em si e querem ser paparicadas como sempre foram. O agravente de serem intercambistas só piora as coisas e facilita pra elas porque podem não se misturar com a gentalha.

    E vc ainda deve ter saído como o brasileiro metido porque está morando no Canadá.

  226. Com certeza, uma das estorias mais inacreditavelmente deliciosas que ja li na internet. Muito bem redigido. Voce PRECISA escrever um livro, cara ! Sei que todo mundo fala isso, mas e serio ! E desejo que apenas uma dessas patricinhas tenha contraido aids ou esteja morrendo de cancer terminal. Espero do fundo do meu coracao. Abracao !

  227. Nossa, que história, hein?! Fiquei com pena de você e de sua mulher, principalmente, que devia estar se sentindo tão deslocada…

    É, Izzy, se fosse outra pessoa em seu lugar, ela já teria explodido de tanta raiva nessa situação escrota. Meus cumprimentos por ter aguentado tudo isso bravamente.

    Na boa, você tem um estilo ótimo de escrever; você seria considerado um excelente cronista pelo fato de saber abordar esses fatos cotidianos de forma tão interessante e divertida. =)

    Comentei tarde, mas comentei. See ya!

  228. Nem precisa ser um expert em boas maneiras, é algo lógico saber que conversar numa língua em que um dos participantes não domina é falta de respeito. Na verdade é falta de vergonha na cara, educação passou longe mesmo.

    E carai, era a Bebba? É impossível imaginar ela triste. Ela é tão sorridente nos vídeos mesmo.

  229. Só um adendo, não são apenas intercambistas brasileiros, mas de TODAS as nacionalidades, que são escrotos. Eu passei meu intercâmbio de 6 meses nos EUA em um dormitório de faculdade, tipo replúbica mesmo, só que o dormitório era pra apenas pra estudantes internacionais. A cidade, chamada La Verne, é mais para quem quer seguir carreira do que pra quem quer só “passear”, então eu fui praticamente o único brasileiro lá, pra minha sorte.

    Porém, tinha muita gente da Asia, principalmente Taiwan e Coréia do Sul. No primeiro mês eu até tentei conversar com a galera e tal, mas além de ficarem só entre seus semelhantes eles não tentavam falar quase nada em inglês, que era o motivo deles estarem lá! E a maioria era adulta, lá pelos 25-26 anos.

    No final acabei fazendo amizade muito mais com os professores do que com os colegas. Não que isso seja ruim, afinal eles eram muito legais e nada “frios” como muitos dizem, mas um pouco de esforço vindo dos outros cairia bem.

  230. Pohh cara, quem dera eu tivesse a oportunidade de fazer intercambio pro canada,conhece gente nova, lugares novos, uma cultura diferente sem os pais no pé. Como bom adorador de tecnologia até iria fazer compras. E outra essa parada de guia não tem muita graça, legal é ir perguntando conhecendo pessoas , fazendo amizades se viram sab, tipo explorando a região!! Pena que a maioria desses intercambistas não pensse assim

  231. Morro de vontade de fazer intercambio e me enturmar com gringos, tirar essa nhaca brazuca. E quem tem oportunidade joga fora ¬¬ Pena que nasci em berço de latão. Vou me formar e ir morar fora. LOL

  232. Pois é.. conheço milhares dessa raça. Mas não concordo com ti. Não da pra sair generalizando… Já passei uns tempos no Canadá e pelo menos o grupo que eu conheci era -- além de rico -- completamente aberto a viver numa família de baixa renda e adotar os costumes canadenses, além de abandonar os hábitos brasileiros durante a viagem.

  233. Kid, já sou um leitor frequente do seu blog, acho que já li tudo ou quase tudo do que tem aqui. Quero te fazer UMA pergunta: porque não ajudou elas com o mapa? mandando elas para …sei lá…LONGE PRA KRALHO !?!?

  234. Bem sou um leitor bem novo por aqui, mas já tinha ouvido falar das tais de patricinhas em outros posts e não tinha entendido direito a magnitude da história. Agora deu pra entender, grandessíssimas filhas da puta elas, mas o que se pode esperar de patricinhas mimadas? Devia ter ligado o foda-se e mandado elas pra beem longe.

  235. Israel, você acabou de me sanar uma dúvida clássica de mais de vinte anos:

    Nunca entendi esse pessoal rico (eu estudava em colégio de rico, embora não fosse — bolsa é pra isso) … esse pessoal rico que voltava sem falar LHUFAS de inglês. Ué, fez intercâmbio pra quê? Nunca entendi os inúmeros que se gabavam enchendo a boca — “eu fiz intercâmbio, por isso falo um excelente inglês” — mas, no primeiro uso a ser feito, na primeira oportunidade de usar um inglês o mais simples possível, p.ex. orientando um turista perdido, ou assistindo a uma palestra em inglês, não conseguiam dizer um A — Agora finalmente entendi!

    Finalmente entendi!

    Graças a você. Obrigado.

    JP

  236. Ahhh, eu fiz intercâmbio durante 1 ano aí no Canadá, e sei exatamente sobre o que você está falando! Convivi bastante com essa sub-raça durante toda minha estadia:
    -Não falam porra nenhuma de inglês(não prestavam atenção às aulas no Brasil
    -Passam o intercâmbio inteiro pensando no retorno ao Brasil e nas compras que vão trazer
    -Nunca se arriscam e andam de táxi pra tudo que é canto(pqp, eu nunca andei tanto a pé, nunca dependi tanto do transporte público, nunca me meti em tanta fria como no Canadá..
    -Falam mal(em português)de todo mundo que passa(e acabam pagando um mico por isso, quando batem com algum brasileiro à paisana)
    Enfim, bando de filhas da puta..

  237. Caralho.

    Esse trio merecia que tu tivesse um conhecimento prévio sobre qual a zona mais desaconselhável para se andar nas proximidades e aí, então, indicar no mapa como se fosse, de fato, o local de destino das mesmas.

    Justiça e não vingança. haha

    Abraço e parabéns pelo blog!

    Felipe Barcellos, 22 anos, Porto Alegre -- RS.

  238. como eu queria fazer um intercambio, pra conhecer novos lugares e costumes. e essa playboyzada soh fica se queixando do frio e bla bla bla…

  239. Well, primeiro post meu aqui no blog.
    Não sei como vim parar aqui mas achei muito interessante o blog, continuarei a ler!

    Btw man, I read this post while Mountain Cry (Blues Traveler) was playing in the backgroud. Yep, pretty awesome atmosphere created by a sad jazzy-blues.
    Essas patys, chega a dar raiva, se você vai pro Canadá fazer intercâmbio, é porque você quer aprender a cultura estrangeira e não comer arroz com feijão enquanto toma Tubaína!

    Quero juntar grana pra dentro de 12 meses conseguir fazer um intercâmbio pro UK ou pro Canada.

    Btw, keep on posting! Muito legal o blog!!!

  240. Sério que você não largou as malas dela ali mesmo? Aliás, eu teria colocado em um lugar onde elas não pudessem achar, só de sacanagem. Ou pelo menos ter dado uma orientação mega errada sobre o lugar que elas tavam querendo ir…

    Essas putas safadas!

  241. Odeio patricinhas/mauricinhos intercambistas, mas nem todos os intercambistas são assim. Tem gente que não têm condições mas mesmo assim estuda inglês, junta dinheiro e se mata pra passar um mísero mês num país diferente, só pela experiência. Tem que procurar gente assim, não esses fdp que vêm pro país só por que os pais têm condições de conceder esse tipo de privilégio.

  242. História dificil mas acho que não vale dizer que todo intercambista é retardado filhinho de papai. Esse tipo de preconceito é que me faz odiar esses sensacionalismos.

  243. Nossa, essa história demorou só 4 anos? A do trem já dura cinco anos, e contando hahahahaha

    Eu tava no primeiro ano do ensino médio quando esse post foi publicado. Agora to quase completando um ano de faculdade. Tivemos duas Copas no meio do caminho… Ê laiá.

  244. Meu Dels, a história foi tão surreal que eu senti a necessidade de comentar. Cara, você pode não ter nascido nessas terras frias, mas herdou o espíritos dos antigos canadenses.

  245. A se eu tivesse oportunidade de fazer um intercâmbio ia sair falando com Deus e o mundo em inglês é claro, mas enfim neh.
    Tamo em 2016 e eu conhecendo agora seu site, que por sinal é beeeem bacana!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *