Conheça o moleque de 17 anos que fala VINTE línguas

Eu já conhecia o Tim Doner de outro vídeo da internet, mas esse aqui — mais na pegada de documentário, com maiores  valores de produção e background sobre o rapaz — mostra melhor o talento do rapaz.

É basicamente o seguinte. Esse molequinho aí de míseros 20 anos fala VINTE línguas fluentemente, a maioria delas de maneira auto-didata. No vídeo, ele passeia por New York (uma das cidades mais racialmente diversas DO MUNDO, perdendo talvez só pra Toronto mesmo) conversando com inúmeros imigrantes em suas línguas nativas.

Eu acho isso absolutamente incrível. Como “apenas” bilíngue — inglês e português –, eu me senti totalmente humilhado. Especialmente porque das duas línguas que eu falo, sendo uma delas meu idioma nativo, não há lá um grande mérito em relação a aprendizado. Eu considero que aprender APRENDER mesmo — no sentido de dominar algo desafiador que foge dos seus skills naturais –, eu só aprendi uma língua. O maluco aprendeu DEZOITO línguas a mais que eu, porra!

Isso é muito foda. O insight cultural de falar tantas línguas fluentemente; de poder ir pra quase qualquer lugar no mundo e ser confundindo com um nativo, deve ser absurdo. O garoto é tão culto que soa inteligente nas entrevistas sem forçar a barra pra parecer inteligente.

Que é, aliás, uma das principais características de pessoas REALMENTE inteligentes. Minha tia, Eloneid Nobre, é uma das pessoas mais inteligentes e academicamente realizadas que eu conheço nessa vida. Quando você conversa com ela, você SENTE a inteligência dela no contexto do que ela fala, a despeito do fato de que ela não age de nenhuma forma tentando realçar aquilo.

Pessoas que ficam forçando a barra pra parecer mais cultas do que realmente são (tem uns exempos excelentes desse hábito aqui, aliás) geralmente não enganam ninguém e acabam apenas transparecendo insegurança, aliás.

Então, este moleque me inspirou a investir mais no aprendizado de uma terceira língua. Foquei no francês porque é a segunda língua oficial do Canadá. O Duolingo dá uma bela ajuda, mas resolvi ir por outro caminho agora: assistir filmes em francês.

Esta semana vou baixar todos os meus filmes favoritos, mas em francês, com legenda em inglês. Aprendi uma boa noção de inglês assim quando era criança — como muitos de vocês, imagino até –, e não custa nada então dedicar algumas horas do meu dia reassistindo clássicos em outra língua.

Não aspiro dominar 20 línguas porque com 30 anos acho que seria literalmente impossível, mas se eu atingisse o mesmo nível de fluência no francês que tenho no inglês, eu me sentiria imensamente realizado.

Vamos lá então, começarei bem:

Monsieur Anderson!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

17 comments

  1. Cara, o título desse vídeo é altamente misleading. Ele não fala 20 língua fluentemente, e nem é esse o objetivo dele, aliás. Procure o TED Talk com ele e você vai entender.
    O francês dele naquela cena do taxista haitiano é super quebrado. Como não falo urdu, farsi ou russo, não posso avaliar o resto, mas não me surpreenderia se fosse tão quebrado quanto.

  2. Fala ai Izzy!!

    Então eu sei o inglês tb e aprendo o alemão por conta própria tb!

    Uma dica interessante que eu posso te dar e procurar pela net um livro chamado Assimil, que ajuda bastante!! no aprendizado.

    E fora isso tem os sites mais comuns como o livemocha, meebo, duolingo… etc..

  3. Enquanto isso, eu sofrendo pra aprender Esperanto! De verdade, esse moleque merece os parabéns. Eu nem abri o vídeo, então não posso opinar muito.
    Mas, sério, falar vinte línguas é algo incrivelmente desafiador. Estou tentando dominar completamente o Esperanto, imagina falar, sei lá, o Crioulo,
    ou quem sabe o Hebraico? Seria muito legal! Mas, por enquanto, vou focando só em aprender Esperanto e Código Morse, que nem pode ser classificado como
    outro idioma, mas é meio difícil rs. E, Izzy, vai firme, que você pode aprender o Francês com relativa facilidade, já que domina duas línguas. Abç.

  4. A verdade é que muitos falantes nativos de algumas das línguas que ele ‘fala’ dizem que além do sotaque dele ser horrível ele fala muito pouco e, às vezes, com a gramática errada. Eu não condeno o cara por não ter conhecimento pleno de vinte línguas -- mesmo porque eu mal conheço duas ou três -, mas eu acho errado ele se vender como um ‘hiperpoliglota’.
    Nada muito além do óbvio, mas fica a dica.

  5. Izzy………Vc já tentou passar um dia inteiro ou apenas algumas horas do seu dia falando só português com a Bebba? Pergunto isso, por causa dos professores de inglês aqui no Brasil, a partir do momento em que vc entra na sala de aula , eles não falam nenhuma palavra mais em português…..Dizem que parte do aprendizado, pra acostumar com a língua…

  6. Francês é divertido de aprender. Muitos sons são curiosos e preciosos de deixar rolar na língua. Ainda não me considero bom em francês, estou em algum lugar entre ruim e mediano, mas adoro aprender palavras novas. Espanhol falo razoavelmente bem, já falei melhor, mas a falta de prática me enferruja. Quando você começa a estudar o espanhol a fundo que percebe como o nosso Portunhol tem dois pontos negativos horriveis: 1) é feio e errado e 2) vicia o falante, já que pra assimilar vários aspectos da língua eu tive de me livrar dos vicios do portunhol de novela.

    Agora uma coisa que funcionou muito bem pra mim tanto pra melhorar meu inglês quanto o espanhol foi a imersão virtual. Quase nada do que consumo de conteúdo internético hoje em dia é em português e isso tem me ajudado a melhorar a gramatica e fluencia de raciocinio (pra escrever mesmo, nem tanto pra falar) em uma língua estrangeira. Estou aos poucos colocando o francês na roda também.

  7. Quando eu comecei o Duolingo e tentei aprender francês eu baixei a rom do Pokémon Vert-Feuille. Tai uma boa opção, não zerar pokemon em francês haha.

  8. A melhor coisa que existe pra aprender um outro idioma é assistir vlogs de pessoas “nativas” do idioma.

    Esses dias descobri um vlog de uma menina russa, ela lá de boa na casa dela falando russo… é incrivel!
    Vc se sente mais próximo do idioma, mesmo não entendendo nada ainda.

  9. Eu queria aprender a falar japonês. Acho uma língua bem rica e legal, dá pra fazer cada trocadilho nessa porra que eu fico até com inveja. Eu sei uma meia dúzia de frases (o que weeaboos considerariam “falar japonês fluentemente”, mas felizmente eu não sou um), mas só isso qualquer um consegue.
    Mas já sei falar 420 BLAZE IT MOTHERFUCKER, então me sinto quase realizado.

  10. Meu, o garoto parece ser realmente muito bom, esforçado e talentoso para línguas, más sempre que vejo alguém dizer que é poliglota fico meio desconfiado. Explico, tenho um conhecimento e fluência bem razoavel em inglês e sei o quanto é dificil aprender um segundo ou terceiro idioma, ainda mais morando fora do país onde a lingua é falada, o que dirá então falar quatro, cinco, seis idiomas. Posso estar redondamente enganado, más considero quase impossível a pessoa ser plenamente fluente em mais do que três ou quatro idiomas, pois não tem jeito, para aprender e manter o idioma vc tem que usa-lo diariamente, ou então enferruja. Daí, pergunto? Quem é que tem tempo e oportunidade de falar varias linguas durante a semana, digo tempo suficiente para fazer uma manutenção do idioma, e não apenas trocar uma dúzia de palavras e expressões basicas.

    Abraço,

  11. Márcio, uma pessoa não precisa ser plenamente fluente pra dizer que sabe um idioma. Pra mim, basta ter fluência e vocabulário suficiente para conseguir se comunicar (entender e ser entendido) naquela língua. Boa parte da população brasileira tem um português de merda, mas nem por isso eles não são considerados não fluentes.

    Eu tenho 24 anos e, além do português, aprendi inglês (e acredito que seja apenas avançado, porque não costumo falar em inglês, apenas ouvir, ler e escrever. Minha fluência deve ser mais ou menos 😛 ), alemão (2 anos sem pratica nenhuma, já esqueci boa parte), tô terminando o curso de italiano e ano que vem começo o francês. E quero aprender espanhol depois. Minha intenção é chegar aos 30 anos com 3 idiomas fluentes/avançados (português, inglês e italiano) e 3 pelo menos intermediários (francês, espanhol e alemão).

    No final desse mês farei o IELTS (treinar pra imigrar pro Canadá no futuro) e o CILS (teste de proficiência de italiano).

    Acho que não terei saco para aprender outros alfabetos, nem as regras de declinação de polonês e russo, então provavelmente focarei nessas 6 pro resto da vida e talvez um Esperanto. 🙂

    Amo aprender idiomas, mas odeio estudar. Então, apesar do meu ânimo e da minha facilidade com idiomas, a baixa quantidade de prática me complica um pouco. Mas pelo menos tô indo de pouco em pouco. 😀

  12. Realmente impressionante, mas velho, eu não sei se quanto a idiomas da pra estender essa máxima, mas eu acredito que na vida tudo que se aprende, qualidade tem muito mais importância do que quantidade. Eu sei que ele é jovem e que terá bastante tempo para se aprofundar e dominar de fato todas essas línguas, mas imagine se ele tivesse focado seus esforços para aprender dois ou três idiomas de cada vez, tipo italiano, alemão e russo, por exemplo, ele já seria um Expert nelas. Isso eu posso lhe afirmar com algum grau de certeza.

    Eu estudo inglês e alemão há cinco e dois anos, respectivamente, e pretendo continuar somente com esses dois por um bom tempo. Ate chegar a m nive de proficiência digno de um nativo bem instruído. Quem sabe daqui uns dois ou três anos eu insira mais três idiomas nessa lista: italiano, holandês e hebraico. Mas por enquanto eu estou bem estudando somente dois.

    Eu espero poder ter essa conversa aqui com vocês daqui uns 10 anos e poder dizer “hoje eu DOMINO 5 idiomas, alem da língua portuguesa, que e meu idioma nativo”. Reitero: NÃO estou desmerecendo o cara, mas eu, faço /faria diferente. Dominar línguas para mim, humildemente falando, é o que realmente conta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *