Corno detona carro do melhor amigo que comeu a mulher

CORNÃO

Lá nos idos de 2006 ou 2007, que foi mais ou menos a época em que as massas começaram a aderir ao orkut, surgiu o a máxima de condenar a “inclusão digital”. Lembra? Qualquer mazela na internet era colocada na conta da “inclusão digital”, que queria dizer que a nova facilidade de acesso à internet e facilitação de compra de computadores e celulares estava nos obrigando a coexistir na web com os “pobres”.

Embora não seja exatamente um fenômeno recente, a inclusão digital veio atingir força máxima com o recente advento do WhatsApp. De certa forma um sucessor espiritual do Orkut no Brasil — por essas bandas ele é definitivamente usado como rede social –, o WhatsApp nos permite uma janela pro mundo dessa galera. E hoje chegou à minha atenção um vídeo mais ou menos nesse estilo.

Não que os participantes do vídeo sejam pobres, necessariamente — é que tem certas tragédias da vida cotidiana que, em minha experiência, acostumam acontecer mais frequentemente nas periferias e tal; são o tipo de coisa que a classe média não costuma ter tanto contato assim. Antes que você me encha o saco, eu morei no que era praticamente uma favela de luxo na periferia de Fortaleza.

Meu ponto é que agora podemos vislumbrar todo tipo de maluquice das quais fomos resguardados a vida inteira, graças à magia de um plano de dados barato, um smartphone xingling parcelado em 400 vezes, e um app de instant messenging que brasileiros transformaram em rede social.

Enfim, vamos ao tal vídeo que aparentemente levou o Facebook ontem à ebulição.

Já já o YouTube deve tirar esse vídeo do ar então veja logo enquanto está quentinho.

Eis o play-by-play. O motorista da Saveiro tem no banco do passageiro a esposa do sujeito que o está impedindo de sair do carro. A mulher tinha dito que ia fazer as unhas, mas na real estava indo a um motel com o tal motorista — que é, de acordo com relatos, o melhor amigo do corno que está detonando seu carro, possuído de ódio.

O corno então segue detonando o carro do gordinho completamente (e detonando as próprias mãos no processo, que é o que acontece quando você soca vidro). O gordinho peralta assiste a cena com total impotência, sem dúvida sabendo que está errado de qualquer forma. em um momento o corno chega a arrancar a mina de dentro do carro pelos cabelos, ao passo que o cinegrafista amador manda um “deixa disso”. Aliás, o “comentário de diretor” do autor da filmagem começa como um bom acréscimo à narrativa mas rapidamente se torna irritante.

O corno insiste o tempo inteiro que chamem a polícia, o que me deixou em dúvida inicialmente porque até onde sei meter chifre em alguém não é um crime qualificado pelo Código Penal Brasileiro. Colegas no Twitter ofereceram a interpretação alternativa, no entanto — o corno estava tentando lavrar um registro de um PEF (Putaria Em Flagrante) para lograr êxito no divórcio mais fácil da história brasileira.

Meu veredito é que todos os envolvidos neste vídeo são escrotos. A mulher é escrota por trair o marido. O gordo é escroto porque além de gordo, comeu a mulher do melhor amigo. Se isso não é crime, deveria ser.

Já o corno é escroto porque tá dando um escândalo vergonhoso e ainda agrediu a mulher. O cinegrafista amador é escroto porque fica enchendo o saco o tempo inteiro com seus comentários impertinentes.

Segundo imagens que vi na internet, a polícia realmente foi acionada, e dando continuidade ao comportamento de cachorrinho com o rabo entre as pernas, nem a mina nem o gordo prestaram queixa contra o corno.

Será que os dois se tornarão um casal? A essa altura não há mais nada a perder, né.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

46 comments

  1. Na verdade não faz diferença para o divórcio a traição no Brasil. Ele chamar a polícia só piora a situação do corno que vai ter que pagar o estrago no carro.

    1. Faz sim. No tocante a prestação de alimentos para a ex-esposa. Caso o divórcio tenha ocorrido por culpa dela, não haverá obrigação de prestação de aliemntos para a ex-esposa.

      1. Na verdade não, pessoa apta ao trabalho, que não é do lar, ou seja, não é a “dona de casa” não tem direito a alimentos com culpa ou não. Para divórcio e partilha de bens é irrelevante se houve culpa ou não.

  2. Izzy, o que você faria numa situação dessas, estando em cada uma das posições: corno, gordo traíra, esposa vadia e cinegrafista??

  3. Vergonha alheia. Recebi um plus pelo Whatsapp sobre a mesma história: áudios de um amigo dizendo que o “gordin” come todo mundo mesmo e não ta nem ai pq é rico (como se isso justificasse tal ato).

  4. Olha Izzy eu nem sei o que faria na situação, provavelmente teria causado um dano ainda maior no carro do fulano, só não permitiria a filmagem logico, mas a vingança em plano material deveria ser acrescentada no nosso ordenamento jurídico, que nunca nos aconteça mas imagina a Beba saindo com um gordinho canadense que seja seu amigo.

  5. Segundo relatos do FB, na verdade o gordo comedor é CUNHADO dela, por isso o cameraman fica repetindo que ele destruiu duas famílias.

    Eu achei engraçado porque o cinegrafista fica fazendo aquelas perguntas cretinas que reporteres policiais fazem em momentos de flagrante “como vc está se sentindo ao ser baleado 18x na cutícula?”

  6. Pô Izzy, eu recebi esse video num grupo do ‘zap zap’ e honestamente achei horrível. O que mais me deixou chateado, além é lógico dos atores do show de horror presenciados no video, foi o fato de que a galera busca as informações a respeito das pessoas e compartilhar com todos como se fosse algo engraçado.
    Ninguém para pra pensar que é uma família que foi destruída, ninguém se preocupa na privacidade (que já foi desrespeitada com a circulação do video) do (ex-)casal. É simplesmente o sofrimento alheio compartilhado numa forma jocosa que ao meu ver é de puro mal gosto.

  7. Rapaz, vendo esse deprimente vídeo, eu só consegui pensar “que dó da mulher!”. Não é que eu queira dar uma de intelectualzinho e coisa e tal, mas realmente fiquei bastante aborrecido com a atitude do “marido”.
    A internet inteira parece estar apoiando o marido e o amante, e ninguém parece lembrar do psicológico da mulher, dos motivos pelos quais ela veio a “trair” o homem com quem era (é?) casada.
    Fico imaginando cá comigo que a moça pode entrar em depreção, sentir-se inferiorizada, sentir-se ridicularizada por uma internet má e sem noção.
    A web já mostrou casos de várias pessoas que, tendo sua intimidade exposta, cometeram suicídio ou tornaram-se doentes. Será que ninguém pensou na reputação da moça?
    E o que dizer dos filhos dela? Sem dúvidas sofrerão chacotas na escola pelo resto da vida, por uma triste atitude impensada de sua mãe. Sou totalmente contrário à prática de expor intimidades na web, não havendo justificativa para isso.

    Imaginemos, só por um momento, a seguinte história: a mulher sente-se sozinha, rejeitada, desvalorizada, sem carinho e nenhum amor do marido. Sim, imaginemos que o marido já aprontou várias e várias, e a mulher quis, só por um momento, ser especial.
    Em sua feminilidade, ela talvez tenha querido ter, ao menos por um instante, orgasmos sinceros e uma ilusão de amor.
    Quando apareceu o gordinho lá, ela talvez tenha se sentido lisonjeada e atraente, oferecendo à ele tudo que de mais precioso ela tinha, seu coração e seu prazer.
    O gordinho não é nada bonito, convenhamos, e a mulher não parece estar traindo o marido por uma questão de pura safadeza, e sim por ser carente.
    A carência feminil, amigos, talvez tenha feito a pobre e inocente moça procurar carinho e amor em braços que não devia. Iremos condená-la? Não, não consigo julgá-la de forma desfavorável.

    Já estou prevendo um comentário do tipo “e se fosse sua mulher, seu mané?” Bem, antecipo e respondo que, se fosse minha mulher, eu jamais iria até o motel, preferindo conversar com ela em casa, na intimidade.
    Falando com ela, procuraria saber os motivos que ela teve para agir assim, e descobrindo-os, poderia agir com calma e amor.
    Depois de ouvir tudo que ela desejasse dizer, a melhor atitude seria tentar mudar, ficar com ela e fazê-la muito, muito feliz para que ela não precisasse utilizar traição para suprir seus desejos naturais.

    E quanto ao gordinho lá? Bem, esse agiu de má fé mesmo, não vou nem comentar à respeito dele.
    Mas a moça, pura e simplesmente buscou amor, buscou afeto, carinho, ternura… Será que alguém vai perceber que, de todos os envolvidos, ela é a ´maior vítima?
    Não devemos vê-la como promíscua, malvada, moça de má fama e caráter duvidoso. Não, de forma alguma. Prefiro considerá-la como uma moça virtuosa, casta e correta; só que desprezada e com desejos feminis não satisfeitos de forma natural.

    1. Mano, to realmente tentando ver ironia no seu relato, mas nao consegui achar. Na moral que ce acha a mulher uma santa injustiçada? Recebi alguns dados no whatsapp que meio que dizem o contrario. Por exemplo, o gordim que tava com ela no motel, é marido da irmã dela. O marido traido, é funcionario e “melhor amigo” do gordim. A propria familia ta levantando suspeitas sobre o filho do casal nao ser filho legitimo do corno latoeiro. A mulher podia estar carente, mas rapaiz é forçar muito a barra chifrar com o chefe/cunhado baseado num textão desses. Tem ate audio do gordim dizendo q a mulher dava em cima dele e ele nao se aguentou. Sinto pena é do marido traido, ficou sem emprego, sem mulher e com a cidade inteira e a internet buzinando na cabeça dele. Mas pena da mulher, nao tenho nao. E desse filho da puta q tava com ela no motel, menos ainda.

      1. Daniel,
        VSF, cara! A vagabunda acaba com a família dela e vc ainda fica com “dózinha” da medíocre? Ah, TNC! Por isso esse mundo está do jeito que está. Por causa de gente imbecil como vc que defende o errado e condena o certo.
        Se mate, PFV!

  8. O que o carro tem haver com o problema? Devia ter feito isso tudo na cara dos dois com um extintor de incêndio e depois se suicidado como bom fracassado.

  9. A que ponto chega a necessidade doentia de aparecer das pessoas? Esse babaca do cinegrafista expôs os dois casais, os filhos deles (consequentemente os próprios sobrinhos) e o PRÓPRIO IRMÃO pra ganhar likes de um monte de desconhecidos tão ou mais babacas que ele. Não dá pra evitar reclamar da inclusão digital desse jeito.

  10. O desfecho desse caso é óbvio, o traído vai ter que pagar danos morais para mulher e morais + materiais para o cara. Foi exatamente o que aconteceu naquele caso de uns anos atrás, se não me engano em Sorocaba: a mulher descobriu que o marido a estava traindo com a melhor amiga, ela chamou a amiga para a casa dela e confrontou com os e-mails que eles trocavam. Filmou e divulgou depois, e não importa que ela tenha sido a traída, pelo marido e pela melhor amiga, no fim ainda saiu no prejuízo financeiro. Este homem podia muito bem ter confrontado a mulher o amigo sem filmar, mas ele tinha intuito de humilhar as pessoas publicamente. E ele conseguiu isso, mas vai ter custo.

      1. Ué, não sabia que estava na aula de Penal II, mas vamos lá: dano qualificado tem ação penal pública incondicionada, então não depende de queixa-crime. Os crimes de injúria exigem representação dos ofendidos. A reparação civil também depende da iniciativa das partes.

        Quanto à lesão corporal, também é de ação pública incondicionada. Contudo, apenas ouvi dizer que o marido agrediu a mulher fisicamente, mas não assisti o vídeo inteiro, então não sei dizer se de fato houve lesão corporal.

        Sim, há presunção de inocência e isso tudo só vai acontecer se houver sentença condenatória transitada em julgado. Eu ficaria espantada se a mulher, gerente de um banco grande numa metrópole, que trabalha com atendimento ao público e teve que ser afastada do trabalho, não demandar nenhuma reparação judicial. Mas ok, isso pode acontecer. Também muito me espantaria uma absolvição do marido e do câmera comentarista, tanto na esfera cível quanto na penal, já que materialidade e autoria foram devidamente registradas e divulgadas pelo próprio agente. Não haverá tambémnenhuma dificuldade de provar o dano sofrido. Mas ok, novamente, pode acontecer.

        Satisfeito? Nada como tecnicidades de direito para deixar qualquer discussão mais interessante, né?

  11. “O gordinho peralta assiste a cena com total impotência, sem dúvida sabendo que está errado de qualquer forma.”

    O gordo tava certo em comer a mulher do amigo. Se o amigo tivesse a chance, faria a mesma coisa com ele.

  12. Que vacilo hein, Izzy!
    Você que sempre foi contra compartilhar a intimidade alheia publicando esse tipo de notícia? Ainda por cima com o vídeo? Me causou surpresa!

  13. Izzy, eu sei que seria mais facil eu pesquisar no google e etc, mas eu gostaria de saber a sua opinião: como está a situação ai no Canadá para os brasileiros? Tá complicado de conseguir emprego para estrangeiros ou tá tudo normal?Eu e um amigo estamos pensando seriamente em tentar a vida aí…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *