Há algumas modalidades pornográficas que eu não entendo

porn maluco

Eu me considero um sujeito de mente aberta, progressivo, que entende as pessoas, aceita as divergências, e consegue compreender preferências diferentes. Só assim é possível viver numa sociedade.

Por exemplo, boa parte dos meus amigos é fissurado por futebol, um esporte que me interessa tanto a cotação do manat azerbaijano para o dólar jamaicano. Apesar de achar uma colonoscopia algo mais divertido que assistir um jogo do Criciúma-CE x Atlético Amazonense, eu respeito. Apesar de não entender a fúria com a qual meus amigos futebolistas discutem suas preferências de times — que aliás é uma escolha completamente arbitrária sem qualquer lastreamento em lógica ou senso comum –, eu os aceito como são.

Tenho alguns amigos que curtem esportes não-esportivos, como Fórmula 1 ou volei. Novamente, o nível de interesse que nutro por essas atividades não pode ser quantificado com exatidão porque não existem instrumentos potentes o bastante para analisar níveis sub-subquânticos, mas eu não discrimino meus colegas que tem estes negócios como hobby.

Mas no que tange a certas práticas sexuais, eu não sou tão cabeça aberta assim. Sou mais conservador.

E que práticas seriam essas? Bom…

Primeiro, fetiche por pé. Eu não consigo entender.

FOOT

Me sinto desconfortável só de imaginar quão sexualmente excitado este rapaz aparentemente está

Eu não consigo compreender de forma alguma o que compele um ser humano a se sentir sexualmente estimulado vendo, pegando, lambendo, ou enfiando em seus orifícios um pé. Simplesmente não entra na minha cabeça.

Não me entenda mal, não sou um hater dos pés. Pelo contrário, sou um dos poucos que reconhece e celebra a importância de órgãos menos mainstream. Cérebro todo mundo sabe que é importante; fígado, então? Até o mais degenerado e inconsequente dos alcólatras sabe que o maior risco que corre é justamente de falência hepática, e que quando isso acontecer é game over.

Mas pé? Ninguém valoriza o pé. Imagine o que temos ao nosso redor que depende dos pés?! Não poderiamos tocar bateria. Não exisitiria o pé-de-moleque; ele teria que se chamar orelha-de-moleque que francamente soa nojento. Não teríamos nem vinho, que foi inventado quando alguém uniu seu pé à sua raiva contra cacho de uvas.

Eu sou grato pelos pés. Só que sentir atração sexual por eles é ir um pouco longe demais.

Aí alguém certamente falará “ah, Izzy, bacana então é aquelas pessoas que mijam uma nas outras, ou cagam na boca aberta do parceiro, né?” amigo, não coloque palavras na minha boca. Aliás, considerando o tópico, não coloque NADA na minha boca. Essas escatologias são algo do qual não compactuo, ENTRETANTO, consigo compreender dum ponto de vista abstrato. A galera que faz essas merdas curte a pegada da humilhação; se entendo bem esses malucos — e admito que isso é uma possibilidade remota visto que nem seus psicólogos as entendem –, o que eles curtem não é o cocô em si, porém, o papel de subjugação.

Mas com pé é outro esquema. O sujeito que curte pés curte o pé em si, ipsis litteris. Não entendo.

Outro negócio bizarro é o das FUCK MACHINE. Meu amigo, se você não sabia o que são as FUCK MACHINES, se prepare porque o mundo está prestes a se tornar um lugar mais estranho ainda.

A propósito, eu colocaria um screenshot dessa bizarrice aqui. Só que ao Googlear essa bosta, um desses sites pornôs aí carregou um popup que aparentemente derrotou meu AdBlock e travou meu Chrome completamente, “alertando” (com um arquivo de áudio mesmo, uma voz feminina e tal) sobre a presença de um suposto vírus e oferecendo uma forma de pagar por uma “limpeza remota”.

Esse tipo de sacanagem se chama “ransomware“, e existe uma certa ironia no fato de que uma busca por “fuck machines” tenha fodido minha máquina.

Bem que a bíblia alertava contra essas coisas

Enquanto no passado já peguei ransomwares fodidos que sequestraram minha máquina de forma irreversível e foi necessário formatar o PC pra limpar essa merda, dessa vez aparentemente a página não executou código na minha máquina. Com um reset, o problema se foi. Alguns scans de antivírus confirmam que estou de boa.

O sufoco que eu passo pra escrever uma porra de um artigo sobre pornografia, que merda!

Então, voltando ao assunto. O pornô de FUCK MACHINES consiste em pegar uma britadeira ou coisa similar, prender um dildo na ponta, e mandar ver numa menina que neste exato momento deve estar repensando suas escolhas na vida.

Já não bastasse a automatização estar roubando empregos humanos na indústria, os robôs estão comendo nossas minas também.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

14 comments

  1. Uma vez uma mina lambeu o meu suvaco.

    O suvaco!

    E não foi por engano… Até mesmo pq depois ela veio e deu um chupão no meu olho.

    Não faria nunca isso, mas receber, apesar da minha cara de WTF não foi necessáriamente ruim.

  2. Eu lembro de ter visto várias fanarts e ouvido falar de vários doujinshis sobre taras por pés femininos (mas só ouvi falar, viu? Sou um menino de família). Pra japoneses e apreciadores da cultura otaku, é bem compreensivo esse tipo de tara: eles gostam de tudo que seja kawaii, então um coisinha pequenininha e bonitinha como os gloriosos pés femininos obviamente irá despertar a tara desses seres. Agora, fora disso, eu não faço a menor ideia do porquê.

  3. Engraçado foi a forma que comecei a sentir atração sexual por pés.

    Estava assistindo um anime chamado Full Metal Panic! quando uma das personagens colocou seu pé em cima daqueles balões gigantes de aniversários (aqueles onde costumam colocar doces dentro) e ficou brincando, avançando e retrocedendo com o pé. Após olhar aquele peculiar cena, pensei comigo mesmo “Hmmmm…”

    Acho que foi a partir daí que fiquei pirado por pés.
    Aliás, se vocês zoam nosso gosto pelo argumento de “Ah, mas pé é um troço feio!”, isso não faz muito sentido, já que existem mulheres feias também. O que quero dizer é que existem gostos para pés também.

    Resumindo essa porra toda aí, adoro um pézinho.

  4. Entendo que o fetiche por pés também é uma vertente do fetiche da humilhação/subjugação.. como está contido no significado da expressão “beijar os pés” ou “pisar em cima”.. aquele que beija ou é pisado metaforicamente está na posição inferior.. pé é um negócio que tá lá no chão, sujo, baixo.. deve ser isso.

  5. Esse fetiche por pés eu tenho… não que eu fique vendo esse tipo de conteúdo, mas apenas consiste em sentir atração por um pé e nada mais, não chega a ser aquela mesma atração das duas partes que mais gostamos nas mulheres.
    ahhhh… lembrando que não é todo pé e sim os bonitos e ”delicados”.
    Até eu acho esse ”gosto” estranho mas fazer o quê ? Eu simplesmente tenho rs.

  6. Os pézinhos da minha madame são feios de dar dó rsrs Mas fazer o quê se amo beijá-los? kkkkkk E curto mais ainda ser massageado por eles. Há coisas que não se explicam.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *