É o seguinte. No aftermath da Segunda Guerra Mundial, os aliados e os soviéticos dividiram entre si a região península coreana (que era posse do Japão desde a década de 1910). Tipo que a Guerra meio que não tinha nada a ver com o povo coreano, mas fazer o que — nessas situações às vezes quem mais se fode é quem realmente menos tem a ver com a parada. Os aliados detonaram o Japão, passaram o rodo em suas posses, e repartiram a península nas duas Coréias que conhecemos hoje. Soviéticos ocuparam o Norte, americanos ocuparam o Sul. E pronto.

Ao longo de muitos anos de doutrinação ideológica nos dois lados, as Coréias vieram a se odiar. Bom, talvez esta não seja uma análise muito honesta da situação, porque na realidade a Coréia do Norte odeia a do Sul, e a do Sul está muito ocupada com Starcraft e Gangnam Style pra dar bola pro vizinho de cima, que vive enfezado.

E os resultados da influência comunista podem ser vistos do espaço.

Basicamente a Coréia do Norte vive na Idade da Pedra, seu povo completamente na merda — literalmente.  Quando não estão fuçando em suas próprias merdas em busca de um carocinho de milho com o qual atrasar um pouco suas próprias mortes por inanição, são enviados a presídios de trabalho forçado no estilo dos gulags soviéticos. Ahhhh, que beleza este socialismo.

E volta e meia, a Coréia do Norte ameaça detonar a do Sul (e os EUA de bônus) com as bombas nucleares que eles talvez tenham, talvez não. O Kim Jong-il, que já era bem maluco, volta e meia latia pra comunidade internacional que tava com o dedo no botão dos mísseis só esperando os EUA olharem feio pra eles. A propósito, a propaganda norte-coreana dizia que o ditador tinha o poder de controlar o tempo e que ele não precisava cagar. Sério.

Desde a morte do baixinho invocado, que foi substituído oficialmente pelo seu filho mais novo Kim Jong-un, as ameaças se intensificaram. Digo “oficialmente” porque a essa altura do campeonato quem tá realmente dirigindo a postura política do país devem ser esses generais obesos — com 4 quilos de condecorações cada um, repare na foto lá em cima novamente — que estão sempre do lado dele; uma cambada de macaco velho que provavelmente manjam mais da ideologia política norte-coreana do que o moleque, por terem trabalhado com o pai dele todos aqueles anos. A propósito, aparentemente não se sabe exatamente quantos anos o tal Jong-un sequer tem.

E aí chegamos à declaração de guerra recente. A Coréia do Norte basicamente falou “ok maluco, chega, temos super bombas nucleares aqui, os mísseis necessários para entregarem-nos aí nas suas casas imperialistas, se preparem”. O que o mundo inteiro compreende como nada senão ameaças vazias, logicamente. Se os EUA realmente sentissem-se ameaçados pela Coréia do Norte — por exemplo: se esses malucos de fato lançassem mísseis contra a América –, a chutação de bunda seria tão intensa e certeira que eles bombardeariam a Coréia do Norte de volta à Idade da Pedr…

Ah, é.

Eu imagino que os próprios Norte-Coreanos estão perfeitamente cientes de que sua total aniquilação ocorreria em questão de alguns minutos de “guerra” contra os EUA. Não é possível que eles sejam tão malucos a ponto de pensar que poderiam. Imagina todo o poderio militar aéreo dos Estados Unidos contra a desgraça sucateada e ridícula que os coreanos devem chamar de “defesas aéreas”? Seria um massacre completo — algo que certamente a comunidade internacional condenaria. É como se uma criança de 5 anos de idade, quase plenamente inofensiva, chutasse a canela de um faixa preta em kung fu, e este respondesse à provocação arrancando a cabeça do moleque.

E sem dúvida é por isso que a Coréia do Norte continua com essa merda. Não vão fazer porra nenhuma, o que torna desnecessária uma ação bélica REAL dos EUA (no máximo mandam B2’s sobrevoar a área, como quem diz “CUIDA DESSE TEU CU AÍ EIN”). E assim, podem latir o quanto quiser de forma impune.

…até o dia em que esses malucos realmente atacarem a tão odiada Coréia do Sul, o Japão ou alguma ilha americana do Pacífico. Mermão, o quebra-pau será ímpar.

É só estacionar um porta-aviões ali do lado e transformar a Coréia do Sul numa ilha. Será sem dúvida o maior massacre bélico da história desde o dia em que eu estava jogando Command and Conquer com meu primo e estuprei sua base com 10 Mammooth Tanks quando ele tinha acabado de perder toda sua força militar brigando contra um jogador controlado pelo PC.

Oi vagabundos. Queria mostrar um negócio legal pra vocês — trata-se de duas fotos. O constrate entre elas é um inegável testamento da profunda mudança que tecnologia causou em nossa sociedade. Olha que negócio pitoresco:

Em 2005, o Papa João Paulo II (querido até mesmo entre muitos não-católicos, por seu carisma) faleceu. O Vaticano iniciou o processo de eleição do novo Papa, muito bem ilustrado no péssimo Anjos e Demônios. Incontáveis fiéis aglomeravam-se na Praça de São Pedro, esperando que a conclave dos cardeais comunicasse ao mundo a escolha do novo pontífice através da tal fumaça branca que levou todos os pseudo-humoristas do twitter com seus livrinhos do Ari Toledo a traçar comparações com a fumaça produzido por um cigarro de cannabis.

Nesta ocasião histórica, a foto abaixo foi tirada:

(ERRATA: A FOTO ACIMA É DO VELÓRIO DO JOÃO PAULO II, E NÃO DA CONCLAVE QUE ELEGERIA O BENTO XVI. SOU BURRO E CONFUNDI AS OCASIÕES, MAS O ARGUMENTO CENTRAL DO POST PERMANECE, NÃO SEJA CHATO CARALHO.)

Nada de muito notável nessa foto, né? Apenas uma multidão de religiosos reunidos na capital mundial da sua fé.

Até o momento que você a contrasta com o grupo de fiéis aguardando o anúncio do novo papa nessa semana:

Além do fato de que a Associated Press agora tem uma câmera e lente melhores, literalmente TODO MUNDO NA MULTIDÃO está registrando o momento com seus smartphones — e um tiozinho filmando com o iPad, porque sempre tem que ter um. E olha que nem sou desses que vociferam ao ver alguém registrando um momento com um tablet (o cara tá com a parada a tiracolo, por que não usar ué? Não é como se ele tivesse levado o iPad pra usar primariamente como câmera — o que parece ser a suposição desses haters).

Filhotes, parem e pensem nas implicações do contraste entre estas fotos. Na primeira foi tirada numa época em que celulares nem eram tãããão incomuns assim, mas que não tinham capacidades decentes de filmagem e fotografia. Tanto que parece que apenas uma mina teve a idéia de filmar o evento com seu flipphone Nokia, porque isso era meio que uma idéia de jerico na época. E imagina o vídeo porcaria em 240p com áudio estouradaço em 4:3 em formato .3gp que esta filmagem resultou.

Oito anos mais tarde, não apenas todo mundo tem smartphones — algo que no meio dos anos 2000 era basicamente usado apenas por médicos e advogados –, mas todo mundo está perfeitamente acostumado com a idéia de registrar momentos usando o celular como uma câmera. Aliás, câmera com alta resolução, diga-se de passagem, capaz de não apenas editar a filmagem como também publica-la na internet imediatamente.

E ter uma câmera no seu bolso a todo momento, por permitir um volume inédito de registros fotográficos e cinematográficos, mudou para sempre a forma como reportamos eventos como esse.

Por exemplo, foi-se o tempo em que apenas grandes empresas de telecomunicações poderiam transmitir imagens ao vivo da eleição do novo Papa. Em 2005 basicamente a única imagem que você tinha da Praça de São Pedro naquele momento eram aquelas produzidas pela CNN e a Associated Press. Hoje, uma passada rápida no instagram e você provavelmente veria dois milhões de fotografias do evento, com filtros água-sanitarísticos e tags como #papa #vaticano #followfriday #pontifex #roma.

Tirando a parte da crítica obrigatória sobre os serviços de redes sociais serem usados por sua maioria por adolescentes sem nada na cabeça, não dá pra negar que a era dos smartphones trouxe a total democratização do processo noticiário.

E pense comigo: o que diabos veremos em matéria de tecnologia pessoal daqui outros oito anos…? Porque em 2005, a idéia de uma multidão de gente “comum” (ou seja, pessoas que não eram tipicamente o público alvo de smartphones) com super celulares futurísticos dotados de internet banda larga, câmeras de filmagem em alta resolução e a capacidade de transmissão audiovisual instantânea (tudo isso por um preço totalmente acessível) era quase inimaginável.

Aliás, “quase” não. Em 2005 essa noção seria cartunescamente surreal. Imagina o quão diferente a nossa tecnologia (e consequentemente, nosso mundo) será em 2021.

Gatos são filhos da puta, esta é a grande verdade. E não tenho essa opinião apenas porque o gato da minha ex-roomate, o Ginger, causou danos aqui no apartamento que ela certamente não pagará quando precisarmos entregar o imóvel. Não — minha posição em relação a felinos é a mesma desde que eu era criança.

Tive gatos e cachorros, e a diferença de comportamento dos dois não poderia ser maior. Você chega em casa após um dia inteiro no trabalho ou na escola, o cachorro VOA pra cima de você; ele está animado porque o amigo dele chegou em casa. Já um gato te dá um olhar de soslaio que beira o desprezo declarado, e no máximo esboça uma reação de “tá faltando leite no pires seu arrombado, pensa que eu não ia notar?” Fodam-se todos os gatos, especialmente o seu.

E hoje te ensinarei  a se vingar desses desgraçados. É bastante simples. Manja essa imagem aqui? 

Isso não é um GIF animado, é uma ilusão de ótica clássica. Clica nisso, salve no seu HD abarrotado de pornografia e vírus, imprima. Deixe isso no caminho do seu gato e observe a reação do bichano.

Será algo similar a isso:

Você acaba de BUGAR o cérebro primitivo do coitado. É como tentar rodar Crysis num 386; o cérebro inferior da bola de pelos simplesmente não consegue compreender a parada. Se duvidar é capaz do bicho ficar nessa função o dia inteiro!

Teste aí e me diz no que deu.

Aê seus desocupados, estou inaugurando uma nova seção no Hoje é um Bundinha: O HBDrops!

Carai, o nome encaixa perfeitamente. HBDrops serão posts rápidos para comentar uma notícia qualquer que eu declare merecedora de um post neste que é provavelmente o terceiro ou quarto melhor site de um brasileiro que mora em Calgary.

Então, cês viram o trailer de IRON MAN 3 – THE HOMEM DOS FERROS – O MOVIE, correto? Não? Pera que eu resolvo teu grilo:

Então. Geralmente dou um desconto para trailers que são montados quando o filme está ainda bem longe de ser lançado — eles são muitas vezes feitos com um cut bem inacabado do filme, então perdôo certos vacilos. Entretanto, esta porra de filme sai mês que vem então considerarei este trailer uma amostra bem aproximada da versão final — o que me dá 110% de direito de criticar a continuidade cagada. Acompanhe:

 

Clica nesta porra pra ver imenso. É o seguinte: como você pode notar, há alguns erros bizarros de continuidade nessa breve cena — a principal é, que flipphone é este que o reporter está usando que MORFOU para um smartphone?

Supostamente, isso aconteceu por causa da cagada com a LG no primeiro Iron Man. Lembra que nele, o Stark usava target=”_blank”>ESTE celular? Acontece que ele foi descontinuado pouco tempo antes do filme sair, o que é uma merda porque afinal de contas que merda é essa que o playboy bilionário tecnólogo tá usando um celular defasado porra? Quero meu dinheiro do ingresso de volta.

O que provavelmente aconteceu nesta cena é que o sujeitinho está segurando um bloco verde, e mais próximo do lançamento do filme eles podem VENDER aquele espaço para divulgar um celular “da hora”, como diria o Dinho dos Mamonas Assassinas se estivesse vivo neste momento*. Aliás, no lançamento do DVD meses depois eles podem então vender aquele espaço mais uma vez para fabricantes de celulares. Não é uma safadeza inacreditável?

Talvez isso explique por que demônios o celular do cara muda no meio da cena: a turma dos efeitos especiais tava brincando com o sistema, sei lá. Ou então a bateria do cara morreu naquele primeiro take e ele sacou um smartphone do bolso.

MAS ESPERE. Como os óculos do repórter negro sumiram então? E quem passou gel no cabelo do Tony Stark entre as duas cenas?

*Se estivesse vivo neste momento ele diria na verdade SOCORRO ME TIREM DESSE CAIXÃO PELO AMOR DE DEUS.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...